Mapa conceitual lorenzato

2.802 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.802
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
51
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Mapa conceitual lorenzato

  1. 1. MAPAS CONCEITUAISPARA APRENDER MATEMÁTICA SERGIO LORENZATOAluno: Ailton Barcelos da Costa
  2. 2. SERGIO LORENZATO ................................................................................................... 1I – ENSINAR COM CONHECIMENTO...................................................................................... 3II – ANALIZAR A MODA ........................................................................................................... 3III – VALORIZAR A EXPERIENCIA DE MAGISTÉRIO ......................................................... 4IV – INVESTIR EM SUA FORMAÇÃO ..................................................................................... 4V – AUSCULTAR O ALUNO...................................................................................................... 4VI – COMEÇAR PELO CONCRETO .......................................................................................... 5VII – CONSIDERAR O CONTEXTO GRUPAL ......................................................................... 6VIII – APROVEITAR A VIVENCIA DO ALUNO ..................................................................... 6IX – PARTIR DE ONDE O ALUNO ESTÁ................................................................................. 7X – NÃO SALTAR ETAPAS ....................................................................................................... 7XI – RESPEITAR A INDIVIDUALIDADE DO ALUNO .......................................................... 8XII – TOMAR CUIDADO COM O SIMPLES, O OBVIO E O ACERTO.................................. 8XIII – ATENTAR PARA A LINGUAGEM MATEMÁTICA ..................................................... 8XIV – VALORIZAR OS ERROS DOS ALUNOS ....................................................................... 9XV – INTERPRETAR A MATEMÁTICA COMO INSTRUMENTO ........................................ 9XVI – EXPLORAR AS APLICAÇÕES DA MATEMATICA..................................................... 9XVII – ENSINAR INTEGRALMENTE ARITMETICA, GEOMETRIA E ALGEBRA .......... 10XVIII – PROPICIAR EXPERIMENTAÇAO ............................................................................. 10XIX – FAVORECER A REDESCOBERTA .............................................................................. 11XX – ENFATIZAR OS PORQUES MATEMATICOS.............................................................. 12XXI – HISTORIAR O ENSINO.................................................................................................. 12XXII – CONSTRUIR O LABORATORIO DE ENSINO DE MATEMATICA (LEM) ............ 13XXIII – DESMISTIFICAR A MATEMATICA.......................................................................... 13XXIV – ASSUMIR A MELHOR POSTURA PROFISSIONAL ............................................... 14XXV – PENSAR NO QUE FALOU ........................................................................................... 15 2
  3. 3. I – ENSINAR COM CONHECIMENTO DAR AULAS ENSINAR PROFESSOR DE SABER EDUCAÇÃO MATEMATICA MATEMÁTICAENSINAR COM CONQUISTARCONHECIMENTO ALUNOII – ANALIZAR A MODAPENSAMENTO INTUICIONISTA, MATEMÁTICAEMPIRISTA E FORMALISTA CONSTRUTIVISMO (PSICOLOGIA) PROFESSOR ATUALIZADO CAPACIDADE CRITICA DE ANALISE DAS MODAS 3
  4. 4. III – VALORIZAR A EXPERIENCIA DE MAGISTÉRIO EXPERIENCIA RIQUEZA DE DOCENTE APRENDIZADO QUALIDADE DE ENSINO PROFESSOR RECEM- FORMADO IV – INVESTIR EM SUA FORMAÇÃO DIPLOMA EMPREGO FORMAÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO CONTINUADA HABITO DA LEITURA V – AUSCULTAR O ALUNO RESPEITO PROFESSOR DIALOGO EM SALAOUVIR ALUNOS 4
  5. 5. VI – COMEÇAR PELO CONCRETO ENSINO DAVER COM AS MATEMÁTICAMÃOS CONHECIMENTO FISICO MATERIAIS OBJETOS MANUSEAVEIS OBJETOS EM DUAS DIMENSÕES ESCRITA SIMBOLOS MATEMÁTICOS CONHECIMENTO MATEMÁTICO CONCRETO ABSTRAÇÃO 5
  6. 6. VII – CONSIDERAR O CONTEXTO GRUPAL CULTURA DO EXPERIENCIAS DO PLANEJAMENTO ALUNO ALUNO ENSINO DE MATEMÁTICAVIII – APROVEITAR A VIVENCIA DO ALUNO VIVENCIA INFLUENCIA NO RACIOCINIO ENSINO DE MATEMATICA ENSINO ACIMA CONHECER ALUNO DAS POSSIBILIDADES DO ALUNO ADIAMENTO DE ASSUNTOS 6
  7. 7. IX – PARTIR DE ONDE O ALUNO ESTÁ APRENDIZAGEMCONHECIMENTO DOALUNOPRÉ-REQUISITOSCOGNITIVOS PRÉ- OPERATÓRIO OPERATÓRIO ETAPAS DO CONCRETO DESENVOLVIMENTO DO PENSAMENTO HUMANO OPERATÓRIO FORMALX – NÃO SALTAR ETAPAS MEIO CULTURAL PONTO DE PARTIDA PARA O ENSINO VIVÊNCIA DO ALUNO DESCONHECIMETO DETRALHADO DO CONHECIMENTO SALTAR ETAPAS DO ENSINOMELHOR ESTRATÉGIADIDATICA 7
  8. 8. XI – RESPEITAR A INDIVIDUALIDADE DO ALUNO DIFERENTES DESENVOLVIMENTO RECURSOS DIDÁTICOS DE PONTECIALIDADES DO ALUNO XII – TOMAR CUIDADO COM O SIMPLES, O OBVIO E O ACERTO SIMPLES FACILITADOR DO ENSINO CERTOCAMUFLARDIFICULDADES XIII – ATENTAR PARA A LINGUAGEM MATEMÁTICA LINGUAGEM LINGUAGEM ORAL MATEMÁTICA COMPLICADOR DA OBJETIVOS APRENDIZAGEM DE ENSINO LINGUAGEM ORAL EVOLUÇÃO DA LINGUAGEM MATEMATICA UNIVERSAL . PROPRIEDADES POR DIFERENTES OPTICAS 8
  9. 9. XIV – VALORIZAR OS ERROS DOS ALUNOS ERRO ALGO RUIM APRENDIZAGEM (ATUAL) NÃO APRENDIZAGEM (PASSADO) NOVAS CONCEPÇÕES MEDO DE ERRARXV – INTERPRETAR A MATEMÁTICA COMO INSTRUMENTO DEFICIENCIA NA SUPERFICIALIDADE FORMAÇÃO DOS CONCEITOS NO ENSINO MÉDIO CURRICULOS FORMAÇÃO DE UNIVERSITARIOS PESQUISADORES INSTRUMENTO DA PROFESSORES APRENDIZAGEMXVI – EXPLORAR AS APLICAÇÕES DA MATEMATICAENSINO PRÁTICO DA ALTERNATIVAMATEMATICA METODOLOGICA ENSINO REALISTA ALUNOS ATUAIS OBSERVAÇÃO COTIDIANA 9
  10. 10. XVII – ENSINAR INTEGRALMENTE ARITMETICA, GEOMETRIA E ALGEBRA ALGEBRA ARITMÉTICA GEOMETRIA TRIGONOMETRIA MATEMÁTICA EM 1808 ENSINO CONJUNTO (HOJE) MATEMÁTICA MODERNA ENSINO DA GEOMETRIA (DECADA DE 60) XVIII – PROPICIAR EXPERIMENTAÇAO EXPERIMENTAÇÃO PARTICIPAÇÃO DAS ESCOLAR DESCOBERTAS SOCIABILIAÇÃO CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO REFLEXÃO RACIOCÍNIOREDESCOBERTA MEMORIZAÇÃO DE RESULTADOS CONHECIMENTO DO CONTEUDO ENSINO MATEMÁTICO CONHECIMENTO DO MATERIAL 10
  11. 11. XIX – FAVORECER A REDESCOBERTA RESPOSTAS CERTAS BOA EDUCAÇÃO DESENVOLVIMENTO DESCOBERTAS COGNITIVO APRENDIZADO PENSAR NO PROBLEMA ESTÍMULO DO PENSAMENTO APRENDIZAGEM MATEMÁTICA DIFICULDADE DO PROFESSOR APRENDIZADO DO PROFESSOR 11
  12. 12. XX – ENFATIZAR OS PORQUES MATEMATICOS QUESTIONAMENO CONHECIMENTO REVELAÇÃO DA DIFICULDADE DE APRENDIZAGEM REPRESSÃO MUDANÇA NA ESTRATÉGIA DE ENSINO “PORQUÊS” NA MATEMATICA COMPREENSÃO DOS CONCEITOS COMPREENSÃO DO CONTEUDO APRENDIZAGEM DESATENÇÃO EM TÉCNICA AULA PERDA DO ESTÍMULO XXI – HISTORIAR O ENSINO HISTORIA DA MATEMATICA POTENCIAL DIDATICO EVOLUÇÃO DOS CONHECIMENTOSEPISODIOSDE APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA APRENDER COM ERROS LIVRO DIDÁRICO IGNORA A HISTORIA FACILITA CONHCEIMENTO 12
  13. 13. XXII – CONSTRUIR O LABORATORIO DE ENSINO DEMATEMATICA (LEM) MATERIAIS DIDÁTICOS L.E.M. ESPECÍFICOS SOLIDOS QUEBRA-CABEÇAS REVISTAS INSTRUMENTOS DE MEDIDAS CALCULADORAS LIVROS COMPUTADORESXXIII – DESMISTIFICAR A MATEMATICA PROPAGAÇÃO DE CRENÇAS E MITOS (EM GERAL) MEIO E CULTURAL SOCIAL TRADIÇÕES FAMILIA APRENDIZAGEM MATEMÁTICA MITOS E CRENDICES MATEMÁTICAS ENSINO DA MATEMATICA ALGUNS CONTEUDOS DA MATEMATICA ELEMENTAR CONCEPÇÃO DA MATEMÁTICA 13
  14. 14. XXIV – ASSUMIR A MELHOR POSTURA PROFISSIONAL DIFICULDADE REFLEXÃO NO EXERCICIO SOBRE DO MAGISTÉRIO PRATICA PROFISSIONAL REFLEXÃO SOBRE METODOLOGIAS REFLEXÃO SOBRE EPISTEMOLOGIA HIERARQUIA DE VALORES DIFERENTES ESTRATÉGIAS DIFERENTES DE ENSINO SOLUÇÕES CONSTANTE PROFESSOR ATUALIZAÇÃO PESQUISADOR 14
  15. 15. XXV – PENSAR NO QUE FALOU ETNOMATEMATICA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS GEOMETRIA E PENSAMENTO GEOMETRICO ALFABETIZAÇÃO MATEMÁTICA HISTORIA DA FILOSOFIA AMTEMTICA EDUCAÇÃO MATEMATICA MODELAÇÃO ALGEBRA E PENSAMENTO ALGEBRICO CALCULO MENTAL DESENVOLVIMENTO CURRICULAR 15

×