Pratos típicos regionais, como o pudim de açaí, do Norte, ou os charutos de folha de parreira, do Sul
dados do Estudo Mult...
Já Fabiano Azevedo da
Silva, funcionário do
Centrinho de Bauru,
valoriza comidas típicas do
Acre, seu Estado de
origem. Há...
Todo o sabor da cozinha Capixaba
Um dos grandes atrativos turísticos do Espírito Santo, a cozinha capixaba é rica e ecléti...
TORTA CAPIXABA
Cozinha Típica Capixaba
Chef Julio Lemos
Restaurante Papaguth - Vitória/ES
Categoria: Prato Principal
Tipo ...
Bata as gemas de 3 ovos e acrescente à massa para dar liga.
Bata as 6 claras em neve adicionando o restante das gemas e re...
Pratos típicos regionais
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Pratos típicos regionais

236 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
236
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Pratos típicos regionais

  1. 1. Pratos típicos regionais, como o pudim de açaí, do Norte, ou os charutos de folha de parreira, do Sul dados do Estudo Multicêntrico de Consumo Alimentar, do Ministério da Saúde , confirmam essa tendê regiões brasileiras na comparação com dados de 1996. Para incentivar a alimentação saudável, o Ministério lançou o livro Alimentos Regionais Brasileiros, co distribuído gratuitamente para Universidades, entidades governamentais e ONGs envolvidas com prom de preparo dos pratos. "Hoje, os pratos regionais são consumidos em dias de festa e em algumas regiões, para turistas", avalia a professora Silvia Cozzolino, da Faculdade de Ciências Farmacêuticas. Silvia, que é também vice-presidente da Sociedade Brasileira de Alimentação e Nutrição, defende o resgate de receitas típicas, desde que feitas adaptações ao ritmo de vida da maioria da população. foto crédito:Cecília Bastos professora Silvia Cozzolino Em seu livro "1, 2, Feijão com Arroz", Silvia resgatou a cultura alimentar brasileira e avaliou o valor n ponto de vista de mercado. Hoje vemos uma maior globalização dos hábitos, ou seja, aquilo que se c doenças crônicas não transmissíveis, como problemas cardiovasculares, diabete, câncer e obesidade. A dieta de Helena Salgado, funcionária da Faculdade de Odontologia, costuma fugir do tradicional arr devido ao ferro, fibras e minerais presentes no feijão. Helena não consegue abandonar doces e fritura
  2. 2. Já Fabiano Azevedo da Silva, funcionário do Centrinho de Bauru, valoriza comidas típicas do Acre, seu Estado de origem. Há 12 anos em Bauru, Fabiano continua consumindo vatapá e tapioca. Os pratos são feitos pela mãe. "A gente sente falta de frutas como o cupuaçu, açaí e tacacá (parecida com a fruta do conde), além do peixe pirarucu, que não tem aqui", conta ele. Ao facilitar o conhecimento sobre valores nutricionais dos alimentos, a publicação do Ministério da Sa encontrada no nordeste, com mais vitamina A do que vegetais citados habitualmente, como o tomate No Sudeste, as receitas resgatadas em Alimentos Regionais são feitas com queijo fresco, por exemplo para cgpan@saude.gov.br, com justificativa e endereço completo. Confira no box os nutrientes da paçoca de carne-de-sol, receita do livro 1,2 feijão com arroz. Rico em glóbulos vermelhos e sistema nervoso. C COZINHA BRASILEIRA
  3. 3. Todo o sabor da cozinha Capixaba Um dos grandes atrativos turísticos do Espírito Santo, a cozinha capixaba é rica e eclética, fruto da tradição pesqu A base da sua culinária são o pescado e os frutos do mar preparados em panelas de barro. A farinha de mandioca siri, o peroá frito, a moqueca de banana-da-terra, o muxá (à base de canjiquinha) e o mingau de folhas. Além diss A torta capixaba é uma fritada de frutos do mar, como siri desfiado, camarão, ostra e sururu, além de bacalhau e A moqueca capixaba é conhecida internacionalmente. O nome "moqueca" designa um estilo de preparar o alime tintura de urucum. Difere da baiana, pois não inclui nem o azeite de dendê nem o leite de coco. A tintura de urucum também é muito comum na culinária típica. É usada com pequena quantidade de azeite, ond Com a vinda de imigrantes europeus novos pratos foram acrescentados à cozinha capixaba. Dos italianos, os que de pão torrado sobre o qual se quebra um ovo cru, cobre-se com caldo de carne fervente e salpica-se queijo rala o tabule e o quibe. As comidas nordestina, nortista e mineira foram trazidas para a culinária capixaba com as migrações interna nas vatapá. Os doces são bem variados, destacam-se a banana-da-terra com açúcar e canela, bolo de mandioca, bolo de fubá, Em alguns restaurantes de Vitória pode-se apreciar tais preparações com segurança. A Prefeitura da capital, atendimento aos turistas nos restaurantes. O selo é consentido aos restaurantes que obtêm a classificação "Mu anualmente. Curiosidade: O restaurante de comida a quilo, atualmente presente em todo o país, tem origem capixaba!!! Panelas de Barro A panela de barro é, sem dúvida, uma das maiores expressões da cultura popular do Espírito confecção e a estrutura social das artesãs pouco mudou. O trabalho artesanal das paneleiras se da Ilha de Vitória, sempre foi o local tradicional da produção de panelas de barro. No início, o As panelas de barro constituem o principal elemento cultural na elaboração de pratos típicos d feitas em panela de barro, para serem autênticas. A produção é constante e todas as peças pr das Paneleiras, em Goiabeiras, e nas lojas de artesanato. COZINHA DO ESPÍRITO SANTO
  4. 4. TORTA CAPIXABA Cozinha Típica Capixaba Chef Julio Lemos Restaurante Papaguth - Vitória/ES Categoria: Prato Principal Tipo de Cozinha: Brasileira Rendimento: 6 porções Tempo de Preparo: 120 minutos Grau de Dificuldade: Médio Assim como a deliciosa Moqueca Capixaba, esta receita é uma das mais tradicionais da gastronomia do Espírito Santo, encontrada facilmente nos melhores restaurantes do Estado. É muito comum e já faz parte da tradição capixaba o seu consumo na Sexta-Feira Santa, por se tratar de um prato à base de peixe e crustáceos, Assim como acontece com a moqueca, o uso da frigideira ou panela de barro é fundamental para se obter o autêntico sabor dessa iguaria tão especial. Ingredientes: 150g de bacalhau dessalgado e desfiado 150g de camarão médio descascado 150g de carne de siri 150g de peixe 150g de ostras cozidas 150g de mexilhões cozidos 300g de palmito natural picado 100ml de azeite de oliva 200g de cebola picada 200g de tomate picado 2 maços de coentro 50g de colorau 100g de azeitonas 6 ovos 2 limões Sal com alho a gosto Modo de Preparo Em uma panela aqueça o azeite e junte o colorau, o sal com alho, a cebola e deixe cozinhar. Em seguida, acrescente os mariscos, o bacalhau, o palmito, as azeitonas e o coentro picado. Clique na imagem para ampliá-la
  5. 5. Bata as gemas de 3 ovos e acrescente à massa para dar liga. Bata as 6 claras em neve adicionando o restante das gemas e reserve. Unte com óleo uma panela de barro, coloque a massa, cubra com a clara e decore por cima com rodelas de cebola e azeitonas. Leve ao forno pré-aquecido a 150º, deixando assar por 20 minutos ou até dourar. MOQUECA CAPIXABA Cozinha Típica Capixaba Tia Romilda Categoria: Prato Principal Tipo de Cozinha: Brasileira Cozinha Típica Capixaba Rendimento: 4 porções Tempo de Preparo: 60 minutos Grau de Dificuldade: Fácil Moqueca (ou Muqueca, como dizem os capixabas), é o mais famoso prato da cozinha do Espírito Santo é a moqueca, de peixe e camarão, que sempre é servida com o acompanhamento de arroz, pirão e molho. Dentre os ingredientes, não podem faltar, além do pescado, o coentro, a cebola, cebolinha, pimenta, limão, alho, azeite de oliva, óleo, e urucum (colorau). Ingredientes: 1 kg de postas de peixe (robalo ou badejo) 3 colheres de sopa de suco de limão 4 colheres de sopa de azeite de oliva 1 cebola grande picada 4 tomates , sem pele e sem sementes, picados 1 tomate em rodelas, para decorar 2 colheres de sopa de cebolinhas verdes picada 2 colheres de sopa de coentro picado 1 colher de chá de colorau Modo de Preparo Tempere as postas de peixe com o suco de limão. Deixe tomar gosto por 30 minutos. Unte uma panela, de preferência de barro, com uma colher de sopa de azeite de oliva. Distribua as postas de peixe na panela, uma ao lado da outra e cubra com a cebola, o tomate, a cebolinha, o coentro e o colorau. Regue com o restante do azeite de oliva. Leve a panela ao fogo e quando começar a ferver abaixe o fogo. Tampe a panela e deixe cozinhar por cerca de 20 minutos ou até as postas ficarem macias. Sirva a moqueca acompanhada de arroz branco, pirão de peixe e pimenta vermelha.

×