Skoob parte 2

324 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
324
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Skoob parte 2

  1. 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAISEscola de Ciência da InformaçãoCurso de BiblioteconomiaDisciplina: Arquitetura de Informação e Acessibilidade DigitalProf.: Adriana Bogliolo Sirihal Duarte / Cláudio Dinis Alvez / JanicyAparecida P. Rocha7º Período / TardeAlunas: Daiane Campos Procópio Fabíola Maria Siqueira Rocha Gizelle Caires SilvaData: 10/01/2013
  2. 2. SkoobSkoob é uma rede social colaborativa brasileiradedicada à leitores;Permite ao usuário criar sua estante virtual,listando o que está lendo, o que já leu, o quepretende ler, livros favoritos, entre outros.Através do Skoob os usuários podem fazertrocas de livros e participar de promoções parareceber cortesias de editoras.Os usuários participam ativamente evoluntariamente na construção do conteúdo darede social.
  3. 3. Avaliação da rede socialAVALIAÇÃO POR INSPEÇÃOMétodo adotado: heurísticas, destacada noestudo da disciplina.Páginas escolhidas: de acordo com a parteanalisada e pela indicação das heurísticas.Cada integrante do grupo fez sua avaliação darede social e depois nos reunimos para chegar aum consenso.
  4. 4. Arquitetura de informaçãoMétodo adotado: Heurísticas de LouisRosenfeld para Arquitetura da Informação,indicado durante o estudo da disciplina.Páginas avaliadas: página principal, interface debusca, resultados da busca e navegação,indicadas de acordo com a avaliação do autor.Segundo Louis Rosenfeld, são as áreas maisprováveis que o usuário interaja.
  5. 5. Arquitetura de informaçãoPÁGINA PRINCIPAL1. Suporta múltiplas maneiras de alcançar o conteúdo?2. Destaca as melhores maneiras para alcançar o conteúdo?3. Orienta o usuário sobre o assunto do site e sobre qual é o conteúdo disponível?4. Atende aos usuários que já visitaram o site e sabe o que estão procurando?
  6. 6. Arquitetura de informaçãoPÁGINA PRINCIPAL1. Suporta múltiplas maneiras de alcançar oconteúdo?Sim, o acesso ao conteúdo do site pode ser feitoatravés das categorias, pela busca, por tags enavegação pelo site. Parte do conteúdo temacesso rápido pela página principal.
  7. 7. Arquitetura de informaçãoPÁGINA PRINCIPAL2. Destaca as melhores maneiras para alcançaro conteúdo?Apenas o conteúdo com acesso rápido pelapágina principal. Não há orientações sobre comoou a melhor maneira de navegar no site.
  8. 8. Arquitetura de informaçãoPÁGINA PRINCIPAL3. Orienta o usuário sobre o assunto do site esobre qual é o conteúdo disponível?Não, possui apenas breve explicação nacategoria “Quem somos”. Não fornece outrasinformações sobre o site e os serviços que omesmo oferece.
  9. 9. Arquitetura de informaçãoPÁGINA PRINCIPAL4. Atende aos usuários que já visitaram o site esabe o que estão procurando?Sim, além de ser simples navegar no site, ao secadastrar no Skoob você é adicionado em umgrupo de ajuda, a fim de esclarecer dúvidas senecessário.
  10. 10. Arquitetura de informaçãoINTERFACE DE BUSCA1. É fácil encontrá-la e está posicionada consistentemente?2. É fácil de usá-la?3. Permite que o usuário refaça ou refine sua busca?4. Os construtores de query (corretor ortográfico, pesquisa de radicais, busca por conceito e em tesauros) são usados eficazmente?
  11. 11. Arquitetura de informaçãoINTERFACE DE BUSCA1. É fácil encontrá-la e está posicionada consistentemente? Sim, o campo de busca fica sempre posicionado no canto superior direito da página.
  12. 12. Arquitetura de informaçãoINTERFACE DE BUSCA2. É fácil de usá-la?Sim, há duas opções de busca: no campo debusca posicionado no canto superior da página enas páginas das categorias. É possível fazerapenas buscas simples.
  13. 13. Arquitetura de informaçãoINTERFACE DE BUSCA3. Permite que o usuário refaça ou refine sua busca?Não, há apenas a opção de busca simples.
  14. 14. Arquitetura de informaçãoINTERFACE DE BUSCA4. Os construtores de query (corretor ortográfico,pesquisa de radicais, busca por conceito e emtesauros) são usados eficazmente?Não, ao fazer uma busca com um termo que nãoé encontrado, o mesmo sugere que o usuáriorefaça a busca.
  15. 15. Pesquisa feita com o termo digitado incorretamente,“imbelezamento”, não obteve resultado. O mesmo ocorrecom o termo “embelezar”.
  16. 16. Pesquisa feita com o termo digitado corretamente, “embelezamento”, obteve resultado.
  17. 17. Arquitetura de informaçãoRESULTADOS DA BUSCA1. Os resultados relevantes estão no topo da lista?2. Está claro quais foram os parâmetros usados na busca?3. Está claro o que foi buscado?4. Está claro quantos resultados foram encontrados?5. As informações apresentadas para cada usuário são úteis?6. Os resultados estão agrupados de uma forma útil?
  18. 18. Arquitetura de informaçãoRESULTADOS DA BUSCA1. Os resultados relevantes estão no topo da lista?Não.
  19. 19. 312 4
  20. 20. Arquitetura de informaçãoRESULTADOS DA BUSCA2. Está claro quais foram os parâmetros usados na busca?Não, apenas foi mantido o termo da busca.
  21. 21. Arquitetura de informaçãoRESULTADOS DA BUSCA3. Está claro o que foi buscado?Não, apenas foi mantido o termo de busca.
  22. 22. Arquitetura de informaçãoRESULTADOS DA BUSCA4. Está claro quantos resultados foram encontrados?Sim.
  23. 23. Arquitetura de informaçãoRESULTADOS DA BUSCA5. As informações apresentadas para cadausuário são úteis?Sim, apresenta o título da obra, o autor e a capada edição registrada, auxiliando o usuário nabusca pelo livro correto.
  24. 24. Arquitetura de informaçãoRESULTADOS DA BUSCA6. Os resultados estão agrupados de uma formaútil?De acordo com o que foi analisado, os resultadosnão estão agrupados de forma útil.
  25. 25. Arquitetura de informaçãoNAVEGAÇÃO GLOBAL1. É possível se mover através do site com poucos cliques?2. A amplitude e a profundidade da estrutura estão balanceadas?3. Os rótulos são claros e significativos?
  26. 26. Arquitetura de informaçãoNAVEGAÇÃO GLOBAL1.É possível se mover através do site compoucos cliques?Quanto ao conteúdo do site sim, mas para fazero cadastro ou logar no site é necessário fazervários cliques.
  27. 27. Arquitetura de informaçãoNAVEGAÇÃO GLOBAL2. A amplitude e a profundidade da estruturaestão balanceadas?Sim, as informações estão organizadas emcategorias bem definidas.
  28. 28. Arquitetura de informaçãoNAVEGAÇÃO GLOBAL3. Os rótulos são claros e significativos?Sim.
  29. 29. Arquitetura de informaçãoNAVEGAÇÃO CONTEXTUAL1. Está claro onde estou, tanto em termos de qual site estou como também em que lugar dentro do site estou?2. Existem poucas opções que me conduzem para onde eu gostaria de ir em seguida?3. As opções têm rótulos claros?
  30. 30. Arquitetura de informaçãoNAVEGAÇÃO CONTEXTUAL1. Está claro onde estou, tanto em termos dequal site estou como também em que lugardentro do site estou?Sim, o link da página utiliza o mesmo termo dacategoria, e não números.
  31. 31. Arquitetura de informaçãoNAVEGAÇÃO CONTEXTUALHá a indicação do caminho percorrido até apágina atual.
  32. 32. Arquitetura de informaçãoNAVEGAÇÃO CONTEXTUAL2. Existem poucas opções que me conduzem para onde eu gostaria de ir em seguida?Não, existem diferentes opções.
  33. 33. Arquitetura de informaçãoNAVEGAÇÃO CONTEXTUAL3. As opções têm rótulos claros?Sim.
  34. 34. UsabilidadeMétodo adotado: Heurísticas de Nielsen, 10princípios de usabilidade.Páginas avaliadas: página principal, decortesias, de grupos, de usuários, de busca, delivros, de configuração de dados pessoais –cadastro.
  35. 35. Os 10 princípios fundamentais de Nielsen1. Visibilidade do status do sistema2. Compatibilidade do sistema com o mundo real3. Controle do usuário e liberdade4. Consistência e padrões5. Prevenção de erros6. Reconhecimento em vez de memorização7. Flexibilidade e eficiência de uso8. Estética e design simples9. Ajudar os usuários a reconhecer, diagnosticar e recuperar-se de erros10. Ajuda e documentação
  36. 36. 1. Visibilidade do status do sistema Na página de cortesia, o usuário pode acompanhar os números de participantes, quantas cortesias estão disponíveis e quanto tempo é válida a promoção das cortesias oferecida pelas editoras.
  37. 37. Outro exemplo sobre a visualização de status: página de busca por grupos.
  38. 38. 2. Compatibilidade do sistema com o mundo realO site utiliza umalinguagemsimples, comícones ecategorias defácilentendimentopara quemnavega.Exemplo: perfilde um dosusuários da redesocial Skoob.
  39. 39. 3. Controle do usuário e liberdade O acesso às páginas do site opta pelo simples, assim o usuário têm controle sob suas ações ao navegar.
  40. 40. 4. Consistência e padrõesExistepadrão nostítulos daspáginascom ascategoriasquedirecionamàs páginas.
  41. 41. 5. Prevenção de erros Não foram encontradas opções que ajudem o usuário a navegar em suas páginas evitando possíveis erros. Exemplo: página de dados cadastrais.
  42. 42. 6. Reconhecimento em vez de memorizaçãoO site possui ícones seminformações textuais quedificulta o entendimento desuas funções. Para teracesso ao texto énecessário passar omouse sobre o ícone.Exemplo: solicitações deamizade, solicitações detroca, meu perfil, minhaestante, sair.
  43. 43. 7. Flexibilidade e eficiência de usoO site não oferece quaisquer meio de utilizá-lo,apenas poucas informações na categoria “Quemsomos”. O usuário precisa explorá-lo, navegandocom cliques em seus ícones e categorias.
  44. 44. 8. Estética e design simplesO layout do site éconfortável e oferecesimplicidade em seusrecursos. Na páginaprincipal éapresentada aessência do que o siteoferece, e sãoapontados alguns dosseus serviços. Noentanto, o excesso deimagens epropagandas podeconfundir o usuário. Página principal
  45. 45. Imagens da página principal do Skoob.
  46. 46. 9. Ajudar os usuários a reconhecer,diagnosticar e recuperar-se de erros
  47. 47. 10. Ajuda e documentaçãoNão existe nenhum tutorial que ajude a utilizar osite.
  48. 48. AcessibilidadeMétodo adotado: Heurísticas de Eduardo Tanaka, 5 princípios deacessibilidade.Páginas avaliadas: página principal e de busca por livros, pois são aspáginas onde os usuários da rede social irão encontrar informaçõessobre as obras desejadas.
  49. 49. Os 5 princípios de acessibilidade de Tanaka1. Suporte a diferentes tipos de entrada e saída2. Conteúdo para todos os usuários3. Independência de uso4. Respeito às preferências do usuário5. Eficiência em interação alternativa
  50. 50. 1. Suporte a diferentes tipo de entrada e saída A página principal e de livros possuem as opções de navegações por meio de mouse e pelo teclado de uma forma não eficiente, pois não percorre toda a página.
  51. 51. 2. Conteúdo para todos os usuáriosNa página principal, ascategorias e os íconespossuem legenda, e asimagens das capas doslivros possuem umalegenda com o título daobra, autor e umresumo da mesma. Issoé um recursoimportante para osusuários que utilizamleitores de tela paraacessar a informaçãodesejada.
  52. 52. A página de livrostambém possui legendascom o título da obra,autor e resumo, masalgumas imagens (capado livro) não apresentamresumo. Essa falhadificulta o acesso ainformações parausuários que precisamdesse recurso, poisnecessitam da legendada imagem para o usodo leitor de tela.
  53. 53. 3. Independência de usoO skoob não possui aopção de aumentar otamanho da fonte, mas épossível habilitar o tecladovirtual, a lupa/lente deaumento e alternar paratexto com alto contraste decores.Permite ao usuário deslogardo site quando quiser.
  54. 54. 4. Respeito às preferências do usuárioEste princípio não é aplicado nesta rede social, pois nãoexistem as opções de configurações específicas para coresusadas na tela, o tamanho, o tipo de fonte dos textos e nem otempo de resposta.
  55. 55. 5. Eficiência em interação alternativaNeste princípio, o site mostra-se eficiente para os utilizadores deleitores de telas, pois as categorias, ícones e maioria das imagenspossuem legendas. Há a possibilidade de teclado virtual, uso delupa/lente e a opção de inverter cores. No entanto, não existe outrosrecursos, como a opção de informações nas legendas em libras ouvídeos para auxiliar os deficientes auditivos,a fim de atender todosos tipos de usuários a terem acesso a rede social.
  56. 56. ConclusãoA rede social Skoob, que recebe cerca de 76 mil visitantes por dia e 25milhões de visualizações por mês, é um site de fácil navegação parausuários que não possuem limitações. É muito acessado, mas nãoprovê acesso para usuários com diferentes tipos de deficiência. Épossível a utilização de apenas alguns recursos, como o teclado virtuale a lupa/lente de aumento.
  57. 57. ReferênciasApresentações da disciplina Arquitetura de Informação eAcessibilidade Digital.NIELSEN, J. Usability Engineering. AP Professional, 1993.ROSENFELD, Louis. Information Architecture Heuristics.Disponível em:<http://louisrosenfeld.com/home/bloug_archive/000286.html>.Acesso em: 02 jan. 2013.SKOOB. Disponível em: <http://www.skoob.com.br/>. Acessoem: 27 dez. 2012.TANAKA,Eduardo Hideki. Método baseado em heurísticaspara avaliação de acessibilidade em sistemas deinformação.2010. 190 f. Tese (Doutorado em Ciência daComputação) - Instituto de Computação, UNICAMP,SãoPaulo, 2010.WIKIPÉDIA. Skoob. 11 set. 2012. Disponível em:<http://pt.wikipedia.org/wiki/Skoob >. Acesso em: 27 dez.2012.

×