Arquitetura de Informação - DETRAN RJ

666 visualizações

Publicada em

PROJETO DE REESTRUTURAÇÃO DE ARQUITETURA DA INFORMAÇÃO - DETRAN RJ
Pós Graduação: Especialização em Ergodesing de Interfaces: Usabilidade e Arquitetura da Informação
Disciplina: Arquitetura da Informação
Professores: Luiz Agner e Cinthia Ruiz

Publicada em: Design
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
666
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
11
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Arquitetura de Informação - DETRAN RJ

  1. 1.     1    PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO DE JANEIRO  (PUC­RIO)  COORDENAÇÃO CENTRAL DE EXTENSÃO (CCE)  PÓS­GRADUAÇÃO EM ERGODESIGN DE INTERFACES:  USABILIDADE E ARQUITETURA DA INFORMAÇÃO      ADRIANA MACCACCHERO  DIANA AMADO BAPTISTA DOS SANTOS  EDUARDO AZEVEDO  PAULO SABINO  VIVIANE MESQUITA        DETRAN­RJ        Trabalho apresentado à disciplina        Atquietura da informação para a Pós            – Graduação em Ergodesign de          Interfaces: usabilidade e arquitetura        da informação da Pontifícia        Universidade Católica do Rio de          Janeiro como requisito parcial à          obtenção de nota final.    Professores:  Cinthia Ruiz  Luiz Agner                  RIO DE JANEIRO  2014 
  2. 2.     2  SUMÁRIO      RESUMO EXECUTIVO……………………………………………….  3  1  INTRODUÇÃO…………………………………………………………  4  2  BRIEFING……………………………………………………………...  5  2.1  DETRAN ­ RJ: BREVE HISTÓRICO………………………..……..  5  2.2  OBJETIVOS DO PROJETO…………………………………………  6  2.3  PÚBLICO­ALVO………………………………………………………  7  2.4  CARACTERÍSTICAS DESEJÁVEIS………………………………..  7  3  DESENVOLVIMENTO………………………………………………..  8  3.1  BENCHMARKING…………………………………………………….  8  3.1.1  Benchmarking: principais funcionalidades identificadas………….  15  3.2  BRAINSTORM…………………………………………………………  16  3.3  INVENTÁRIO DE CONTEÚDO……………………………………...  20  3.4  CARD SORTING……………………………………………………...  22  3.4.1  Elaboração e aplicação do Card Sorting…………………………....  23  3.4.2  Análise de resultados do Card Sorting……………………………...  24  3.4.3  Escolha e justificativa dos novos rótulos…………………….……...  26  3.4.4  Taxonomia: novas categorias e organização de serviços………...  30  3.5  WIREFRAMES………………………………………………………...  31  3.5.1  Descrição das funcionalidades…………………….........................  37  3.5.1.1  Tela Inicial……………………………………………………………...  37  3.5.1.2  Tela de Veículos…………………………………….………………...  40  3.5.1.3  Tela de Licenciamento Anual………………………………………...  42  3.5.1.4  Formulário de Licenciamento Anual…………………………………  43  3.5.1.5  Tela de conclusão do preenchimento do formulário……………….  44  4  CONCLUSÃO………………………………………………………….  45  5  LIÇÕES APRENDIDAS……………………………………………....  46  6  DESDOBRAMENTOS FUTUROS…………………………………..  47    REFERÊNCIAS………………………………………………………..  48 
  3. 3.     3  RESUMO EXECUTIVO    Este relatório apresenta uma proposta de redesign para o site do Detran­RJ                        que apresenta uma alta carga informacional, nomenclaturas complexas e difícil                    entendimento para o usuário.  Como parte da avaliação da disciplina de Arquitetura da Informação, o                      trabalho avaliou a estrutura informacional do site do Detran­RJ, com o objetivo de                          melhorar a disponibilização das informações, facilitar o acesso para o usuário e                        propor uma nova taxonomia.  Para o desenvolvimento do trabalho, foram considerados o público­alvo,                  briefing sobre o Detran­RJ, principais objetivos da instituição e suas características.  A metodologia aplicada para avaliação do site, junto ao usuário, foi o Card                          sorting, utilizando o conteúdo atual dos quatro menus principais, com maior                      quantidade de informações.  Atualmente, o site do Detran­RJ possui sete menus: Inicial, Veículo, Multas,                      Habilitação, Identificação Civil, Educação e Institucional, mas para que o card sorting                        fosse melhor aplicado e avaliado, foram selecionados os menus: Veículo, Multas,                      Habilitação e Identificação Civil.  O card sorting foi aplicado em 19 pessoas, aberto. Após finalizar,                      participantes apontaram as categorias mais fáceis e as mais difíceis. Todos os                        dados foram inseridos na planilha desenvolvida por Donna Spencer.   Paralelamente a aplicação do card sorting, foi realizado um benchmarking em                      sites do Detran de outros estados e de instituições semelhantes em outros países e                            foram observadas funcionalidades e serviços que não são oferecidos no site do                        Detran­RJ.   A partir de um brainstorm do grupo, foram desenvolvidos sketches, baseados                      nas funcionalidades identificadas nos sites similares, e escolhido um template final,                      após a análise dos dados do card sorting.  Como resultado, foi observado que o site do Detran­RJ necessita de uma                        interface mais limpa, com categorias mais objetivas e funcionalidades que                    proporcionem ao usuário maior rapidez e acesso rápido a informações.       
  4. 4.     4  1  INTRODUÇÃO    Este relatório apresenta uma proposta de redesign para o site do Detran/RJ                        levando­se em consideração suas características, público­alvo, sites do Detran de                    outros estados e sites de instituições semelhantes fora do Brasil.  Como parte da avaliação da disciplina de Arquitetura da Informação, este                      trabalho avaliou a estrutura informacional do site do Detran­RJ com o objetivo de                          melhorar a disponibilização das informações, dismistificando sua imagem para o                    usuário e trazendo uma nova taxonomia para o site.  Segundo Morrogh (2003 apud AGNER, 2012, p.90) a Arquitetura da                    informação foca “o projeto de estruturas (ambientes informacionais) que fornecem                    aos usuários recursos necessários para transformar suas necessidades em ações e                      para atingir seus objetivos com sucesso”.  A partir deste entendimento constatamos a importância da realização do                    estudo do perfil do usuário para a proposta de redesign de um site, já que o usuário                                  será o centro das atividades e serviços disponibilizados pelo site.  LEULIER, BASTIEN e SCAPIN (1998 apud AGNER; MORAES, [200­?]), afirmam                    que “a experiência do usuário deve ser levada em conta nos vários níveis de                            interações: a interface deve se adaptar a eles”. Já que como afirmam AGNER e                            MORAES, ([200­?]) “os melhores sites são aqueles que dão suporte ao modo como                          os seus usuários desejam abordar os problemas”.  O site do Detran­RJ possui atualmente sete menus principais: Inicial, Veículo,                      Multas, Habilitação, Identificação civil, Educação e Institucional, apresentando uma                  grande quantidade de informações. Porém, para a realização deste trabalho, visando                      a melhor execução do Card sorting e a reflexão dos principais serviços oferecidos                          pelo site, foram selecionados quatro menus do site: Veículo, Multas, Habilitação e                        Identificação Civil.  Na realização deste trabalho, além de uma avaliação sobre o público­alvo, um                        briefing sobre a empresa, seus principais objetivos, as características necessárias                    que o site deverá ter, obrigatoriamente, um Benchmarking, apresentando ideias                    interessantes a partir de sistemas similares ao site, realizamos, para avaliar os                        pontos necessários de mudança na estrutura informacional do site, um Card sorting                        aberto com 19 usuários utilizando para interpretação dos dados a planilha de Donna                          Spencer.  
  5. 5.     5  Pode­se concluir que apesar do site do Detran­RJ apresentar todas as                      informações necessárias para a utilização de seus serviços, essas informações não                      estavam dispostas de forma clara e rápida para o usuário, necessitando este de uma                            nova estrutura informacional e de um novo redesenho, como veremos nos processos                        descritos neste relatório.    2 BRIEFING    Nos capítulo a seguir vamos descrever o público­alvo do Dentran­RJ,                    principais objetivos do projeto, da instituição e suas características.    2.1 DETRAN­RJ: BREVE HISTÓRICO    O Departamento de Trânsito do Estado do Rio de Janeiro (Detran­RJ) surgiu                        com a criação do Código Nacional de Trânsito em 1966 e era composto pelas                            divisões de emplacamento, fiscalização, administração e habilitação e representado                  nas ruas pela Guarda Civil que ficava responsável pela fiscalização e aplicação de                          multas aos motoristas.  Todo o processo era feito manualmente e os registros eram datilografados em                        fichas arquivadas no prédio sede do Detran­RJ.  No ano de 1975, o Detran­RJ passou ao nível de autarquia através do                          Decreto­lei n° 46 de 25 de março de 1975, estando subordinado a Secretaria de                            Segurança Pública.  Em 1992, todos os serviços do Detran­RJ foram informatizados com os                      registros das fichas aos pucos transferidos para o computador.  Para desafogar o sistema de emplacamento, o Detran­RJ descentralizou este                    serviço com a utilização de postos de vistorias que são responsáveis pelo                        agendamento de hora, local e data através da Internet ou por telefone desde 1996.  Já em 1999 o Detran­RJ ampliou seus serviços absorvendo as funções do                        Instituto Félix Pacheco de identificação civil e fornecimento da carteira de                      identidade.  Hoje, o Detran­RJ oferece os serviços de fiscalização, habilitação, vistoria,                    identificação civil, pagamento de Taxas como o IPVA, além de oferecer serviços                       
  6. 6.     6  para auto­escola, cursos e educação no trânsito sendo todos esses serviços                      automatizados.        2.2 OBJETIVOS DO PROJETO    Este projeto tem como objetivo avaliar a usabilidade do site do Detran­RJ, por                          meio da técnica de cardsorting, realizar o benchmarking com instituições                    semelhantes e propor uma nova interface mais adequada às necessidades dos                      usuários. 
  7. 7.     7  2.3 PÚBLICO­ALVO    ● Perfil primário: homens e mulheres, acima de 18 anos, alfabetizados,                    residentes do Estado do Rio de Janeiro, com acesso a internet, interessados                        em emissão ou renovação de habilitação, consulta e agendamentos                  referentes a veículos, multas e infrações.   ● Homens e mulheres, a partir de 16 anos, que desejam obter a Carteira de                            Identidade emitida pelo Estado do Rio de Janeiro, por meio do Detran­RJ ou                          Instituto Félix Pacheco (IFP);  ● Pessoas com deficiência auditiva que desejam emitir a habilitação;   ● Responsáveis legais de menores de idade com o intuito de identificar seus  dependentes através de um documento oficial.      2.4 CARACTERÍSTICAS DESEJÁVEIS    a ) Imagem a ser transmitida  Moderno, acessível, objetivo, limpo e de fácil entendimento.    b) Obrigatoriedade   Utilizar o azul como cor predominante, seguindo o padrão de sites do governo do  Estado do Rio de Janeiro. A tipografia deve ser sem serifa, para beneficiar a leitura  de conteúdos muito extensos.    c) Quantas e quais páginas internas   Seguir o mapa do site como referência, redefinindo a organização e nomenclaturas.    d ) Páginas especiais  Cadastros e agendamentos online, em sincronia com os serviços realizados pelo  telefone.     
  8. 8.     8  3 DESENVOLVIMENTO    3.1 BENCHMARKING  O benchmarking foi realizado em sites do Detran de outros estados e de                          instituições semelhantes em outros países, como Estados Unidos e Canadá.  As principais referências foram os sites: Detran­SP, Detran­MG, ICBC Driver                    Licensing (Canadá) e NY DMV (Estados Unidos). 
  9. 9.     9 
  10. 10.     10 
  11. 11.     11 
  12. 12.     12 
  13. 13.     13     
  14. 14.     14 
  15. 15.     15    3.1.1 Benchmarking: principais funcionalidades identificadas    a. Acesso rápido para acompanhamento e emissão de documentos;  b. Acesso rápido aos serviços através de ícones;  c. Atendimento por telefone com seleção de idioma;  d. Busca geral no site por campo aberto; ( com sugestao automática)  e. Cadastramento através do CPF ou do CNPJ com senha no site para acesso à  informações particulares;(carregamento de dados cadastrados em  formularios);  f. Controle de acessibilidade;  g. Consulta rápida de processo administrativo, pontuação do CNH, e situacao do  veículo;  h. Consulta rápida separada por categoria;  i. Destaque/ Acesso rápido para os itens mais procurados da seção;  j. Disponibilização de site responsivo;  k. Exibição de todas as categorias da seção com visualização dos principais  acessos;  l. Ícone para sinalização de categoria;  m. Links de acesso rápido com ícones e cores relativas aos assuntos;  n. Link de acesso aos sites do Detran de outros estados; 
  16. 16.     16  o. Opção para realização de download do Aplicativo do site para smartphones.  p. Principais ações com link direto da página principal;  q. Seleção de Idiomas;  r. Sinalização das principais categorias por cor;  s. Sinalização da área que foi selecionada;  t. Uso de ícones de fácil associação assunto.      3.2  BRAINSTORM    Para elaboração dos Wireframes, o grupo criou sketches onde foram                    desenvolvidas ideias iniciais sobre as funções e o redesign do sistema, confome                        Figuras relacionadas abaixo:    Figura 1 ­ Sketch 1           
  17. 17.     17  Figura 2 ­ Sketch 2      Figura 3 ­ Sketch 2         
  18. 18.     18  Figura 4 ­ Sketch 3        Figura 5 ­ Sketch 4     
  19. 19.     19      Figura 6 ­ Sketch 4 (conclusão)           
  20. 20.     20  3.3  INVENTÁRIO DE CONTEÚDO    O Inventário de conteúdo do site do Detran­RJ descreve as funcionalidades                      dos menus Veículo, Multas, Habilitação e Identificação Civil, já que os mesmos                        refletem os serviços mais procurados pelos usuários do site.    a) Menu Veículo    1. Agendamento (Licenciamento anual; 1ª licença; Licenciamento sem vistoria;  Transferência de propriedade; Troca de município; Transferência de  jurisdição; Alteração de características em geral; 2ª via de documentos; Baixa  de gravame comercial; Baixa de veículo; Baixa de Caminhão; Retificação de  dados; Cancelamento de certidão; Consulta de agendamento; Cancelar  agendamento)  2. Serviços (relacionados ao veículo como licenciamento e certidões)  3. Calendário (IPVA; Vistoria)  4. Detran e você (canal que envia avisos por e­mail)  5. Vistoria (motocicleta; veículo de carga; carros de passeio)  6. Perda, roubo ou furto de veículo  7. IPVA (Orientações; Consulta Bradesco; Dúvidas)  8. Compra e venda (Informações sobre como comprar e vender veículos)  9. Seguro DPVAT (Passo a passo de como receber)  10. Veículos apreendidos (informações sobre veículos apreendidos)  11. Veículos blindados (Passo a passo para regularização)  12. Leilões (de veículos – editais e dúvidas frequentes)  13. Estatísticas (relacionadas ao veículo, infrações e frota)  14. Formulários (relacionadas ao veículo – mudança de endereço, venda, vistoria)    b) Multas    1. Infrações  2. Consultas (sobre multas – pontuação, veículos e outros estados)  3. Como pagar (multas)  4. Pagamentos (link para o Bradesco) 
  21. 21.     21  5. Comissão Cidadã (analisa e opina sobre processos de acidentes de trânsito  com vítimas graves e/ou fatais)  6. Suspensão do Direito de dirigir (regras de pontuação)  7. Defesa prévia/recursos (Abertura de processos, como e onde recorrer)  8. Convênios (Órgãos e municípios)  9. Formulários (de multas e requerimentos)  10. Dúvidas (frequentes sobre multas)    c) Menu Habilitação    1. Agendamentos (1ª habilitação; Renovação da habilitação; Alteração de  dados; Prova de atualização; Atividade remunerada;)  2. Serviços (1ª habilitação; Renovação da habilitação; Alteração de dados;  Prova de atualização; Atividade remunerada;)  3. Consultas (Pontos da carteira; validade; relação de clínicas; Ressarcimento  do Duda; Listas de postos; Postos com prova eletrônica)  4. Exames necessários à habilitação (lista dos exames necessários)  5. Exames práticos de direção (Consulta e manual de exame prático)  6. Autoescola – CFCSs (Consultas, cursos, abertura de autoescola)  7. CFC – Detran/RJ (Cursos e certificados)  8. Detran e você (canal que envia avisos por e­mail)  9. Simulado online (prova)  10. Condutor surdo  11. Suspensão do direito de dirigir (regras de suspensão)  12. Curso de reciclagem – CRCI  13. Formulários (Requerimentos de devolução de CNH; Devolução de taxas;  Declaração de residência)  14. Dúvidas (dúvidas frequentes em relação à habilitação)    d) Menu Identificação Civil    1. Agendamento (carteira de identidade)  2. Serviços (1ª/2ª via de carteira de identidade; Renovação da carteira; Correção  de dados; Comunicação extravio, roubo ou furto; Devolução de carteiras 
  22. 22.     22  perdidas)  3. Consultas (extravio, roubo ou furto; carteiras perdidas; certidões de  nascimento/casamento; status do pedido; lista de postos; cadastro de  cartórios; atestados de antecedentes)   4. Detran e você  5. Formulários (Declaração de extravio, roubo ou furto; Devolução de taxas;  Declaração de residência; Requerimento geral)  6. Dúvidas (dúvidas frequentes sobre identificação civil)    3.4   CARD SORTING    O Card Sorting é uma ferramenta da Arquitetura de Informação utilizada para                        verificar e estruturar a categorização de rótulos para a elaboração de uma taxonomia                          através do modelo mental de organização e agrupamento do usuário.    A execução de um cardsorting visa a obter dados                  concretos sobre o modelo mental dos usuários, no que diz                    respeito a como deve ser organizado o espaço da                  informação (...)Representa o processo cognitivo de dividir              as experiências do mundo em grupos de entidades, ou                  categorias, para construir uma ordem dos mundos físico e                  social. Desta forma, a categorização vai simplificar a                interação do indivíduo com o seu ambiente. (AGNER,                2012, p.283)    O site do Detran ­ RJ possui sete menus principais: Inicial, Veículo, Multas,  Habilitação, Identificação Civil, Educação e Institucional. Devido à quantidade de  informações contidas no site, para melhor execução e análise do card sorting, foram  escolhidos os quatro menus principais: Veículo, Multas, Habilitação e  Identificação civil.     
  23. 23.     23  3.4.1 Elaboração e aplicação do Card Sorting    Após a seleção dos menus, os serviços oferecidos dentro de cada menu  foram transcritos em 42 cartões. De forma que fosse possível recategorizar a  estrutura existente selecionamos a técnica de Card Sorting aberto. Assim,  dispusemos os cartões aleatoriamente diante dos participantes e os mesmos  categorizaram e ordenaram os itens. Realizamos um total de 19 Card Sorting  individuais e 1 em grupo.   A ordem de organização dos cartões era de acordo com a sua importância na  opinião do usuário. Ao final do trabalho também foi pedido aos participantes para  destacar o card mais difícil e o mais fácil de classificar.             
  24. 24.     24  3.4.2 Análise de resultados do Card Sorting    Terminada a fase de aplicação do Card Sorting, fez­se necessária a                      padronização das nomenclaturas utilizadas pelos participantes. Houve casos onde                  os termos utilizados coincidiam e também casos onde divergiam, apesar de                      ilustrarem a mesma ideia.  A análise foi feita utilizando a tabela criada pela Donna Spencer. Como consta                          na imagem abaixo, os cartões com seus respectivos números foram declarados na                        aba “Cards”.            
  25. 25.     25  Em seguida o resultado de cada Card Sorting foi declarado em abas únicas.                          Cada cartão e sua respectiva categoria preenche uma linha. Sincronizadamente foi                      preenchida a aba “Summary”. Nesta constam as categorias utilizadas presentes nas                      abas de avaliação dos participantes. A imagem abaixo ilustra o resultado após o                          preenchimento de todos os dados.        
  26. 26.     26     De forma automática, toda a tabela com suas abas foi preenchida e                        interligada de acordo com os dados dispostos nessas duas etapas acima. Há                        contagem de repetições de categorias e suas nomenclaturas divergentes. Além                    disso, foi verificado para cada card onde ele foi incluído em categorias diferentes.              3.4.3 Escolha e justificativa dos novos rótulos      Na escolha dos novos rótulos foram levadas em consideração as categorias                      criadas pelos usuários no Card Sorting, o mapa atual do site do Detran­RJ e a                              análise do grupo de estudo deste relatório.  O site do Detran­RJ apresenta atualmente os seguintes rótulos Veículo,                    Multa, Habilitação, Identificação Civil, Institucional e Educação. Porém, nesse estudo                    foram utilizados apenas os Menus Veículo, Multa, Habilitação e Identificação Civil.  Na planilha de Donna Spencer a aba “Correlation” mostra claramente, através                      de porcentagem, quantas vezes o card foi utilizado em determinada categoria. A                        contagem variou entre 5% e 47%. Isso demonstra que o resultado não foi objetivo                            quanto ao uso das nomenclaturas.  Para um mesmo cartão foi possível obter até mesmo 11 categorias diferentes.                        Para facilitar e criar uma padronização de acordo com a decisão da maioria dos                            participantes, foi escolhida, na maior parte dos casos, a categoria com a maior                         
  27. 27.     27  porcentagem de uso. No entanto, para algumas nomenclaturas onde a quantidade                      de escolhas era muito próxima, os pesquisadores tiveram que chegar a um                        consenso levando em consideração os termos coincidentes, sua definição e o uso                        comum do termo.  Os termos escolhidos nos cards individuais não se diferenciaram muito, mas                      sim, o agrupamento das funções.    a. Auto escola ­ esta categoria foi alocada na categoria Habilitação, já que esse                          serviço é um requisito para obtenção do documento de habilitação.  b. Consultas ­ para muitos participantes esta categoria foi identificada como                    importante para resumir a funcionalidade. Identificamos que a criação do                    nome pode estar às diferentes consultas que podem ser realizadas. Por                      exemplo: consulta prazo de entrega da carteira de habilitação, consulta de                      informações de veículos.  c. Cursos ­ o Detran­RJ oferece diversos cursos de reciclagem e treinamentos,                      porém não havia uma área específica que agrupassem todos eles. Como são                        todos referentes à Habilitação, optamos por inserí­la nesta categoria.  d. Dúvidas ­ é uma categoria bastante recorrente nos nossos resultados, por                      isso decidimos criar uma área específica pra ela, com destaque na página                        inicial, agrupando questões frequentes de diversos assuntos.  e. Habilitação ­ Identificada pelo usuário no card sorting como uma das                      categorias mais importantes. Alguns resultados apresentaram a nomenclatura                “Carteira de Habilitação”, mas poderia haver confusão com o termo Carteira                      de Identidade. A nomenclatura “Habilitação” era mais popular e já vinha sendo                        utlizada no site atual, por isso decidimos mantê­la.  f. Identificação Civil ­ Essa categoria está presente no site atual e foi utilizada da                            mesma forma. Houveram resultados com o termo “Identidade” ou “Carteira de                      Identidade”, porém “Identificação Civil” teve maior reicindência.   g. Informações ­ foram agrupados dados de informações sobre veículos.  h. Infrações ­ foi destacada pelos participantes juntamente com “multas”, mas                    pela sua menor incidência, foram agrupadas juntas.  i. Outros ­ em diversos cards sorting esta categoria foi utilizada para agrupar                        categorias em que o participante não soube determinar. 
  28. 28.     28  j. Pagamentos ­ os participantes criaram esta categoria agrupando diversos                  tipos de pagamento, como DUDA, IPVA, etc.   k. Serviços ­ a categoria serviços teve alta incidência nos resultados do                      cardsorting, mas agrupava os itens de todas as áreas. Decidimos então                      adotar a categoria serviços em todas elas, porém com filtros adequados à                        cada uma. Por exemplo, em Veículos, apenas serviços referentes ao mesmo.                      E por conta da popularidade, criamos um carrossel com ícones nas páginas                        internas para dar mais destaque à área.  l. Veículo ­ mantivemos a nomenclatura dada devido a alta incidência nos                      resultados, além do uso prévio no atual site do Detran.    A partir do cardsorting, da alteração das nomenclaturas e criação de novas                        categorias notamos que as funções foram agrupadas de forma diferente pelos                      usuários, resultando no quadro abaixo:    Correspondência entre categorias e cartões  Número Card  Categoria Inicial  Nova Categoria  1  Identificação Civil  Serviços  2  Multas  Dúvidas  3  Habilitação  Cursos  4  Identificação Civil  Dúvidas  5  Multas  Consultas  6  Habilitação  Habilitaçao  7  Habilitação  Habilitaçao  8  Multas  Dúvidas  9  Veículo  Informações  10  Habilitação  Auto Escola  11  Veículo  Serviços  12  Veículo  Veículos  13  Veículo  Veículos  14  Veículo  Informações  15  Veículo  Dúvidas  16  Multas  Dúvidas 
  29. 29.     29  17  Multas  Infrações  18  Veículo  Veículos  19  Habilitação  Auto Escola  20  Veículo  Pagamentos  21  Habilitação  Identificação Civil  22  Veículo  Informações  23  Multas  Pagamentos  24  *Presente em Veículo,  Habilitação e Identificação  Informações  25  Habilitação  Dúvidas  26  Habilitação  Cursos  27  Habilitação  Consultas  28  Multas  Outros  29  Identificação Civil  Serviços  30  Habilitação  Habilitaçao  31  Multas  Infrações  32  Multas  Informações  33  Habilitação  Auto Escola  34  Multas  Outros  35  Veículo  Veículos  36  Identificação Civil  Identificação Civil  37  Veículo  Veículos  38  Habilitação  Habilitaçao  39  Habilitação  Dúvidas  40  Identificação Civil  Consultas  41  Veículo  Veículos  42  Habilitação  Cursos           
  30. 30.     30  3.4.4 Taxonomia: novas categorias e organização de serviços       Seguindo a mesma lógica de escolha das categorias através da quantidade                      de uso delas e definições as nomenclaturas foram padronizadas. Os termos                      similares e também aqueles, que mesmo diferentes passam o mesmo conceito,                      foram agrupados e reduzidos, de forma que apenas um nome fosse representado no                          cartão.    A grande quantidade de testes aplicados permitiu uma abrangência maior de                      dados coletados e suas diferenças. A dificuldade estava presente na reunião das                        informações e na consolidação dos grupos, além da leitura e observações dos dados                          na tabela da Donna Spencer.   Concluída essa etapa foi construído o mapa do site com suas novas                        nomenclaturas e separações de menus, como ilustra a imagem abaixo:        Obs: Os menus Institucional e Educação não foram objeto do estudo do card                          sorting, no entanto, o grupo considerou relevante incluí­los no mapa do site.     
  31. 31.     31  3.5  WIREFRAMES    Os wireframes foram desenvolvidos a partir de algumas funcionalidades                  identificadas como positivas pelo grupo, levantadas no benchmarking, pelo resultado                    do card sorting e pela remodelagem de algumas funcionalidades que já existiam no                          site.  O wireframe é um diagrama que especifica uma página do                    website. Ele representa uma página definindo seus              elementos, a hierarquia entre eles, seus agrupamentos e                suas importâncias relativas. Seu objetivo é especificar a                implementação da página e comunicar o conteúdo e as                  funções de cada página para discussão com a equipe do                    projeto. (REIS, 2007, p.146­148 apud GONZATTO;            COSTA, 2011, p.165)    Como para a realização deste redesign utilizamos apenas quatro menus do                      site: Veículo, Multas, Habilitação e Identificação civil os wireframes refletem todo o                        funcionamento redesenhado do site para estes menus utilizando a nova taxonomia                      encontrada após a realização do Card Sorting.  Abaixo, foram representadas cinco telas demonstrando o acesso ao                  Agendamento de Licenciamento anual iniciando na Home do site.  O Wireframe de nível 1 apresenta o redesign da Home do site, com                          funcionalidades novas como Acessibilidade e área para cadastro no Meu Detran.     
  32. 32.     32  Wireframe ­ nível 1 (Home)       
  33. 33.     33  Wireframe ­ nível 2 (Veículo)   
  34. 34.     34  Wireframe ­ nível 3 ­ Licenciamento anual   
  35. 35.     35  Wireframe ­ nível 4 ­ Agendamento de Licenciamento Anual   
  36. 36.     36  Wireframe ­ nível 5 ­ Confirmação do Agendamento       
  37. 37.     37  3.5.1 Descrição das funcionalidades    Para melhor compreensão as telas estão dispostas com uma numeração para                      cada funcionalidade. Abaixo de cada tela estão relacionadas a numeração seguida                      das descrições de cada função.    3.5.1.1 Tela Inicial  1    1 ­ Fluxo de login com autentificação e cadastro de usuário, alem de link de  “Esqueci a senha”. Quando logado aparece o nome do usuário e link para sua  página.    2 ­ Carrossel de imagens com chamadas para novidades e campanhas  institucionais.    3 ­ Ferramenta de busca interna, o resultado aparece numa página específica.    4 ­ Área de destaque de "Veículo" com a lista dos links mais acessados e link para  pagina principal desta categoria. A categoria deverá ter um destaque de cor  diferenciado do restante do site   
  38. 38.     38  5 ­ Área de destaque de "Habilitação" com a lista dos links mais acessados e link  para pagina principal desta categoria. A categoria deverá ter um destaque de cor  diferenciado do restante do site    6 ­ Área de destaque de "Identificação Civil" com a lista dos links mais acessados e  link para pagina principal desta categoria. A categoria deverá ter um destaque de cor  diferenciado do restante do site.    7 ­ Carrossel de ícones e links dos principais serviços do site representados com                            as cores de suas categorias;    8 ­ Área de consulta rápida para "Processos Adiministrativos", "Situação do                      Veículo" e "Pontuação da CHN".  O resultado aparece numa página específica;    9 ­ Área de acesso para "Dúvidas" com a lista dos links mais acessados e link para                                  pagina principal desta categoria.    10 ­ Link de acesso para página de "Agendamentos"     11 ­ Link de acesso para página de "Pagamentos"     12 ­ Link de acesso para página de "Auto Escola"     13 ­ Link de acesso para página de "Ouvidoria"     14 ­ Rodapé com links de acesso para todas as páginas do site, segunda opção de                                navegação.     Visualização de itens do menu ao posicionar o cursor sobre o título      A ­ Ao clicar no item “Institucional” abre um menu  dropdown com os itens da  categoria.       
  39. 39.     39    Campo de login e senha Meu Detran expansível    B ­ Ao clicar no botão “Meu Detran” uma camada por trás do menu desliza para  baixo com as informações de login e acesso para a área do usuário.    Sugestões no campo de busca    C ­ Sugestões de links de páginas do site de acordo com a palavra digitada.          
  40. 40.     40    3.5.2.2 Tela de Veículos        15 ­ Fluxo de acesso do usuário. (Breadcrumb);    16 ­ Carrossel de imagens com chamadas para novidades e destaques de “Veículo”;    17 ­ Ferramenta de busca apenas no conteúdo da categoria, o resultado aparece  numa página específica;    18 ­ Menu vertical com as sub­categorias e links para as páginas;    19 ­ Área de destaque para "Licenciamento Anual" com uma breve descrição e link  para página do serviço;    20 ­ Área de destaque para "IPVA" com uma breve descrição e link para página do  serviço;     
  41. 41.     41  21 ­ Área de destaque para "Veículos apreendidos" com uma breve descrição e link  para página do serviço;    22 ­ Área de fácil acesso para links de serviços mais procurados;    23 ­ Carrossel de ícones e links de serviços de outras categorias relacionados com a  categoria atual;         
  42. 42.     42  3.5.2.3 Tela de Licenciamento Anual    24 ­ Área de conteúdo da página;    25 ­ Botões de compartilhamento do conteúdo e versão de impressão;    26 ­ Links de ações/serviços relacionados ao conteúdo;    27 ­ Links de ações/serviços relacionados ao conteúdo.       
  43. 43.     43  3.5.2.4 Formulário de Licenciamento Anual  28    28 ­ Sinalização dos passos de preenchimento do formulário.                                                 
  44. 44.     44  3.5.2.5 Tela de conclusão do preenchimento do formulário         29 ­ Link para sincronizar data com o Google Agendas    30 ­ Link para gerar versão de impressão do agendamento.    31 ­ Link para modal de formulário de envio de email.           
  45. 45.     45  4   CONCLUSÃO    Podemos afirmar que o objeto em estudo não atende perfeitamente às                      expectativas dos usuários.  A disposição dos serviços na página inicial e no menu principal não são                          intuitivas. O usuário precisa se acostumar e aprender as nomenclaturas utilizadas,                      que além de confusas são também inconsistentes, como no caso de “Vistoria” e                          “Licenciamento Anual”.    Há páginas importantes e que podem ajudar aos proprietários de veículos que                        são subutilizadas, ou ficam escondidas nas diversas sub­categorias.   Outro ponto importante na relação entre o sistema e seus usuários é a falta                            de identificação do visitante já cadastrado e a opção de acessar rapidamente                        informações prioritárias e relevantes. Observamos essa função em diversos                  benchmarks e vimos que o Detran também oferecia um serviço do gênero, mas                          chegar até ele era muito difícil. Além de oferecer mais conveniência aos usuários,                          decidimos também dar destaque ao serviço, facilitando seu acesso através da                      página inicial.  Através do card sorting, conseguimos colher do público uma nova                    perspectiva, diferente do que havia sido projetado. Isso nos ajudou a reavaliar                        algumas nomenclaturas confusas previamente utilizadas, além de criar novas                  categorias para agrupar estes dados.   Envolver usuários nos estágios iniciais de um projeto facilita o processo                      criativo e traz segurança ao desenvolver uma nova arquitetura, pois nos                      aproximamos mais da maneira que o usuário pensa e organiza informações.     
  46. 46.     46  5   LIÇÕES APRENDIDAS    A elaboração dos cartões deve ser feita com cuidado, para não dar margem à                            interpretações errôneas, ambiguidade e problemas do gênero. Notamos também que                    completar um card sorting demanda bastante tempo, fator que pode ser limitador                        para alguns usuários. Mas apesar da complexidade e todo tempo levado para                        concluir a tarefa, as pessoas se mostraram satisfeitas e empenhadas na realização                        da mesma, apesar de todo o esforço.   Também é necessário explicar nos cartões a função dos itens para                      diferenciá­los e não deixar o participante do card sorting confuso e, dessa forma,                          comprometer o resultado final do trabalho.  No caso deste estudo, algumas nomenclaturas adotadas pelo Detran­RJ se                    mostraram complexas até mesmo para quem aplicava o cardsorting, o que reforça a                          necessidade de um texto de apoio bem elaborado.   
  47. 47.     47  6 DESDOBRAMENTOS FUTUROS    Pretendemos testar o protótipo navegável com mais usuários e utilizar                    métodos que nos ajudem a colher seus feedbacks de maneira efetiva e frequente.  Além dos menus já utilizados no card sorting, há necessidade de organização                        e avaliação dos outros menus não contemplados nesse estudo, como Educação e                        Institucional.  Baseado no benchmark, uma oportunidade de melhoria contínua seria a                    aplicação de uma enquete para identificar os pontos positivos e negativos da                        navegação. Criaremos questionários que serão disponibilizados no próprio site com                    o objetivo de avaliar a experiência do usuário, acessibilidade, entre outros tópicos                        diversos. Exemplo: se ele encontrou com facilidade as informações que desejava, o                        que poderia ser melhorado, qual funcionalidade não encontrou, etc.  A partir destes comentários, aperfeiçoaremos o protótipo para criar uma                    interface nova, aberta para um público mais abrangente, em uma espécie de open                          beta controlado.        
  48. 48.     48  REFERÊNCIAS     ACRE. Departamento de Trânsito.. DETRAN Acre. Acre, [c2014?]. Disponível em:  <http://www.detran.ac.gov.br/>. Acesso em: 25 out. 2014.    AGNER, Luiz Carlos. Ergodesign e arquitetura de informação: trabalhando com o                      usuário. 3.ed. Rio de Janeiro: Quartet, 2012.    AGNER, Luiz Carlos. Algumas considerações teóricas e práticas sobre arquitetura  de informação. In: PINHEIRO, Lena Vania Ribeiro; OLIVEIRA, Eloisa da Conceição  Príncipe de (orgs.). Múltiplas facetas da comunicação e divulgação científicas:  transformações em cinco séculos. Brasília, DF: IBICT, 2012. cap. 4. p.267­292.  Disponível em: <http://www.agner.com.br/livro/IBICT_Ebook_MultiplasFacetas.pdf>.  Acesso em: 17 out. 2014.    AGNER, Luiz Carlos; MORAES, Anamaria de. Design centrado no usuário e  diálogos clientes­organizações através de interfaces na Web. [S.l. : s.n.],  [200­?]. Disponível em: <http://www.senac.br/BTS/281/boltec281c.htm>. Acesso em:  14 nov. 2014.    COLÚMBIA BRITÂNICA (CANADÁ). ICBC. Colúmbia Britânica, c2014. Disponível  em:<http://www.icbc.com/driver­licensing/Pages/Default.aspx>. Acesso em: 25 out.  2014.    FARIA, Mauricio Marques de. Card sorting: noções sobre a técnica para teste e  desenvolvimento de categorizações e vocabulários. Revista Digital de  Biblioteconomia e Ciência da Informação,Campinas, v.7, n. 2, p. 1­9, jan./jun.  2010. Disponível  em:<http://polaris.bc.unicamp.br/seer/ojs/index.php/rbci/article/view/436/297>.  Acesso em: 1 dez. 2014.    GONZATTO, Rodrigo Freeze; COSTA, Karla da Cruz. Arquitetura de informação  sem wireframe. Perspectivas em Gestão & Conhecimento, João Pessoa, v.1,  Número Especial, p. 160­181, out. 2011. Disponível  em:<http://periodicos.ufpb.br/ojs2/> . Acesso em: 1 dez. 2014.    MEMÓRIA, Felipe. Design para internet: projetando a experiência perfeita. Rio de                      Janeiro: Elsevier, c2006.    MINAS GERAIS. Departamento de Trânsito. DETRAN­MG. Belo Horizonte, MG,  [c2014?]. Disponível em: <https://www.detran.mg.gov.br/>. Acesso em: 25 out. 2014.    NEW YORK STATE. Department of motor vehicles. The DMV. New York, c2014.  Disponível em: <http://dmv.ny.gov/>. Acesso em: 25 out. 2014.      RIO DE JANEIRO (Estado). Departamento de Trânsito. DETRAN­RJ. Rio de Janeiro,  [c2014?]. Disponível em: <http://www.detran.rj.gov.br/>. Acesso em: 25 out. 2014. 
  49. 49.     49    SANTA CATARINA. Departamento Estadual de Trânsito. Detran/SC. Disponível em:  <http://www.detran.sc.gov.br/>.  Acesso em: 25 out. 2014.    SÃO PAULO (Estado). Departamento Estadual de Trânsito. Detran SP. São Paulo,  [c2014?]. Disponível em: <http://www.detran.sp.gov.br/>. Acesso em: 25 out. 2014.    TEXAS. Department of Public Safety TXDPS. Texas, c2000­2011. Disponível em:  <http://www.txdps.state.tx.us/>. Acesso em: 25 out. 2014.    UTAH. Driver license division. Utah driver license. Utah, c2014. Disponível em:  <http://publicsafety.utah.gov/dld/>. Acesso em: 25 out. 2014.                     

×