O slideshow foi denunciado.

2. Preparando materiais para testes de usabilidade

4.473 visualizações

Publicada em

Apresentação dos alunos da Pós-Graduação em Ergodesign de Interfaces e Arquitetura de Informação da PUC-RIO (CEE) - edição 2011.
Prof. Luiz Agner
Disciplina: Testes Formais de Usabilidade
Baseado no livro HandBook of Usability Testing, de J. RUBIN.

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

2. Preparando materiais para testes de usabilidade

  1. 1.   apítulo C 8 - Prepare Test Materials  UC-RJ P  omes: Marcus N Carnevale Mariana Baptista  rofessor: Agner P
  2. 2. + Diretrizes Observadores, sigam as seguintes diretrizes: Chegar antes do horário   Você deve ficar para a duração.   Ao iniciar a sessão, permanecer. Evitar entrada e saída constante,   Desligue seu telefone celular ou deixá-la em sua mesa.   Mantenha-se atento.   Mantenha a identidade do participante em sigilo.  
  3. 3. + Roteiro de orientação O que é? Roteiro de orientação (ou script de introdução) que deve ser lida na íntegra para os •  participantes. •  É importante por ser informativo e ajuda os participantes a ficarem mais a vontade. Quando deve ser lido? Na área de teste ou em uma reunião antes da mudança para a área de teste. Cuidados ao desenvolver: Deve-se manter o tom profissional sempre, porém amigável. Evitar ser excessivamente sociável.
  4. 4. + Background Questionnaire O que é? •  O questionário de Fundo fornece informações históricas sobre os participantes. Ele é composto por perguntar que revelam a experiência do participante e irão auxiliar na compreensão do comportamento desse participante durante o teste. Quanto ele sabe sobre a ferramenta? Já possui experiência em uma ferramenta similar? Quando deve ser aplicado? Se for curto (uma ou duas páginas) pouco antes do teste. Como deve ser elaborado? O questionário normalmente recolhe a formação e a experiência do usuário. Podem ser inseridas questões de triagem também. Deve ser de fácil entendimento e preenchimento. É bom evitar muitas perguntas abertas para otimizar o seu tempo na tabulação.
  5. 5. + Background Questionnaire Exemplo: No caso de uma pesquisa com celulares, é importante ter uma pergunta do tipo: 1. Com que freqüência você utiliza seu telefone celular? a. Muitas vezes ao dia b. Algumas vezes ao dia c. Apenas para fazer ligações de emergência.
  6. 6. + Instrumentos de coleta de dados A importância das ferramentas para coletar dados: Durante uma sessão, pode ser difícil administrar a coleta de dados sem preparação. É importante contar com instrumentos facilitadores. O ideal é que tenha uma pessoa exclusiva para coletar dados. Lembre-se que instrumento de coleta pode ir se uma simples anotação até um software de monitoramento, por isso é importante se perguntar: 2. Como você vai coletar os dados? 3. Como você vai gravar os dados? 4. Como você planeja analisar os dados? 5. Como e para quem você vai comunicar os dados? 6. Que recursos estão disponíveis para ajudar com todo o processo? Dados recolhidos se dividem em: Dados de desempenho: Este consiste em edidas objetivas de comportamento, tais como taxas de erro, tempo e contagem de elementos de comportamento observado. Dados de preferência: dados de preferência são mais subjetivos, eles são os sentimentos de um participante ou opiniões sobre o produto.
  7. 7. CONFIDENCIALIDADE DE ACORDO ECONSENTIMENTO DE GRAVAÇÃO O   QUE É?  Visaem providenciar o preenchimento e a assinatura dos documentos e questionários necessários, com informações pessoais, permissão para gravação e termos de confidencialidade sobre o teste.   OMO C É FEITO?  Com a instalação de computadores, câmeras, gravadores, celulares (se necessário testar o uso em dispositivos mobile), podendo ter também um software para gravar a tela do usuário.   ARA P QUE SERVE?  Serve para coletar dados críticos para o resultado do teste.  Principalmente relatar os dados que não foram relatados pelo o observador, com isso a gravação ajuda a recuperar dados que foram perdidos, fazendo assim um melhor diagnóstico dos problemas e gerar as recomendações para solucioná-las.
  8. 8. PRÉ-TESTE DO QUESTIONÁRIO O   QUE É?  Não é nada mais que um roteiro das atividades, que explica a cada participante o que vai acontecer durante o teste.   OMO C É FEITO?  Éum texto curto, relativamente informal, a ser lido no início de cada seção com informações como os objetivos do teste, quem aplica, o que há no ambiente em volta e as atividades a desenvolver.   ARA P QUE SERVE?  Serve para estabelecer um primeiro contato, oferecendo uma lanche, respondendo dúvidas, explicando que não são eles os participantes que estão sendo testados, mas a interface, e explicar que é produtivo que descrevam, em voz alta, os seus procedimentos e decisões.
  9. 9. CENÁRIO DE TAREFA O   QUE É?  Cenários de tarefas são representações do real trabalho que os participantes iram executar, são versões expandidas da lista de tarefas (já desenvolvido como parte do plano de teste), acrescentando contexto e justificativa do participante e motivação para realizar as originais tarefas. Em muitos casos, um cenário de tarefa será composta por várias tarefas para testar a usabilidade do produto.   OMO C É FEITO?  O cenários de tarefas pode ser distribuído ou lido aos participantes. Se escrito, use uma linguagem simples, que não diferencie muito da linguagem utilizada no produto. Forneça cenários realistas, com motivações para executar. As motivações podem ser explícita ou implícita.   ARA P QUE SERVE?  O principal objetivo é aprimorar a usabilidade dos produtos, onde você observa e grava tudo o que os participantes fazem ou dizem. Com isso você analisa os dados, fazendo assim um diagnóstico dos problemas e gerar as recomendações para solucioná-las.

×