Zine da Duca

632 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
632
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
119
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Zine da Duca

  1. 1. Letram Pro D ento n EDIÇÃO PILOTO - NOVEMBRO/2010 ia Nas Brasil o Docum entár cer Fe liz situaç ões qu io sobre a anos, e ado s dife r l r Autor: tro da icos e pob escentes d entes Vera M conce escol res, e a: a pr nfren e 14 a 17 Editor asagão Foram ito, a violên ecariedad m den- ta a: Glob perife ouvidos a cia e a esp e, o pre- al r lu e Pern ia de São P nos de esc rança. e ambuc aulo, olas d mados o R a colég e também io de JaneirDICAS DA DUCA São P ios pa d e do o aulo e is outro rticulares reno- do Rio ,u de Jan m de Analfabe eiro. funciona tismo l nosso de – o mal que provou sua genialidade. Brilhante, Nash Baseado no livro A Beautiful Mind: A Biogra- Nash que, aos 21 anos, formulou um teorema Nasar. O filme conta a história real de John vida pessoal, lutando até onde pôde. Como Diagnosticado como esquizofrênico pelos ex-alunas com quem se casou e teve um fi- médicos, Nash enfrentou batalhas em sua cada dia Alicia (Jennifer Connelly), uma de suas contraponto ao seu desequilíbrio está phy of John Forbes Nash Jr., de Sylvia Uma Mente Brilhante chegou a ganhar o Prêmio Nobel. Autor: Da niel Augu Moreira sto Editora: Pioneira lho. aus fomos m alunos Alves Autor : Rubem to e Gilber n Ne nhu ei iculda m a Men As dif Dimenst irus uma m des en os : Pap tem de enina de 1 contradas Editora ja par 3 que via substituir anos quan por seu pr do te. An o tes de a ajudar a fessor, da à partir mãe d o nhum garota que , ele recom en- aluno não d en- duran ab eix um ga te sua andonar a e ne- rot ausên escol a jove o desapar cia. Quand a que el m profess ece da esc o S o ção à e deixou o v ora descob la, cidad ilarej re go, pa e em b o em d O r u ir família a ajudar n sca de emp e- . Segu o sust re- de seu in e profe do os con nto da R ssor selh do alu , ela vai atr os no. ás LIV FILMES
  2. 2. O Zine da Duca é uma criação dos alunos 4º semestre de EdiToriAL Comunicação Social – Jornalismo da Universidade cruzeiro do sul sob orientação da Profª Msª Regina Tavares O Grande Lance Comunique-se com o ZD Mande comentários, críticas, sugestões, Passam-se os meses, materiais diversos: Passam-se os anos Décadas já se Este é o primeiro: O Piloto. Nossas zinedaduca@hotmail.com passaram E a esperança expectativas são maiores que as nossas pretensões. O desejo de contribuir ainda maior. Pesquisas, elabora- O Zine da Duca é uma abreviação de Fanzi- Morre a cada dia ções, discussões em torno do assunto, Analfabetismo Definha na memória ne da Educação. O nome foi dado quando Junto com aqueles Funcional, permeia nosso dia a dia desde que seus criadores pensaram em uma persona- Que ainda viveram tão escolhemos o tema. O Zine da Duca agora é uma gem que ilustrasse a situação do analfa- pouco... betismo funcional. E então, surgiu a ima- realidade. A questão da Educação no Brasil, ora gem da senhora esforçada, trabalhadora, Educação pra quem tratada com descaso, ora com tanta seriedade, mas que por alguns percalços da vida, tem Vai sempre ser ninguém. aparece aqui com uma cara despojada, mas não menos dificuldades de interpretação, caracteri- Eles não formam séria. zando-se como analfabeta funcional. A opinião ilustração ficou a cargo de nossa querida Pra eleição. Criar um veículo, uma mídia radical, amiga Maria Jaepelt. questionando, expondo um assunto tão relevante em Faça a coisa certa: Não se preocupe! nosso país, nos dá a oportunidade de, como Porque o Brasil será estudantes de Comunicação Social – Jornalismo, índice Um país no futuro. chegar até as pessoas. A possibilidade de não Ping Pong com Elizabeth Cury De jovens alistados somente realizar entrevistas, matérias, reportagens, pg. 03 Nas Forças da mas de nos aproximarmos de nós mesmos e de tudo que Latência forma nossa individualidade. Na primeira página do O que é analfabetismo funcional? Que vão ter que jogar pg. 04 Pela própria sorte. nosso Fanzine, você encontrará uma entrevista com a educadora Elizabeth Cury, idealizadora e Mas isso é só pros po- Teste: Eu sou um analfabeto funcional? bres, responsável do Programa pg. 06 Quase todos pretos Unimel. Em seguida, a matéria principal na qual Uma promessa expomos o que é e em que situação está o Analfabetis- Biografia do educador Paulo Freire indecente mo Funcional no Brasil e, a partir de então, o pg. 07 Pra quem é quase gente. convidamos a refletir sobre o assunto. Vizinhos da Duca A biografia de Paulo freire , um grande pg. 08 O grande lance ainda é educador brasileiro, também ilustra as páginas de Ser jogador de fute- bol. nossa primeira edição. Mas é claro que você não Dicas pg. 10 Gerações de excluídos, ficará somente com um mero expectador, sua Não mais oprimidos Henry e Maria Jaepelt contribuição será essencial, por isso, haverá duas Pela cultura da miséria páginas com o nome de “Vizinhos da Duca”. Vão lutar por seu EXPEDIENTE Dona Duca, será nossa personagem-aprendiz pelo lugar. caminho contra o analfabetismo funcional. Este é o Redação / Pauta - Adriana nascimento De Santa Catarina para São Paulo, as Mas, o grande lance espaço em que a comunidade expressa sua opinião Diagramação /Arte - João Pontaltti tiras de dona duca ilustram nossas ainda é dentro dos quadros “Fala aê!”. páginas. Com a colaboração de nossos Ser jogador de Entrevista - Roberta Galvão futebol. Nos encontraremos a cada quinze dias e será sempre amigos fanzineiros tornamos a dona duca um prazer ter você conosco. Fotografia - Laís carvalho real. Passam-se os meses, Divirta-se! Passam-se os anos Assessoria /Impressão - José Roberto Décadas já se A redação Agradecemos a colaboração de nossos passaram Pesquisa - Carolina Ribeiro amigos de facebook e fanzine. Henry e E a esperança? Maria Jaepelt. (PALMAS) Thiago Batista ZINE DA DUCA - NOVEMBRO/2010 “bora” pra Santa Catarina!Você sabia? analfabetos funcionais, conceito criado pela UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Edu-cação, a Ciência e a Cultura) em 1978 para referir-se a pessoas que, mesmo sabendo ler e escrever algo simples, não tem as habilidades necessárias para viabilizar o seu desenvolvimento pessoal e profissional .
  3. 3. FaLa Aê!: a coisa certa: Não se A educação vem em que preocupe! Porque o Br lugar? asil será, um país no fut uro.” PiNg PoNg “Faça E não nos preocupam os mesmo. s dias de hoje, ao pro curar uma escola COM: ElIzaBeTh CuRy Levante a mão qual pai de adolescente no ino somente como 3º ou 4º o adota o nível de ens s nesse Professora. Mestre, pela Universidade de São Paulo, em Língua pública para ma tricular seu filho, nã , poucas mãos est arão longe dos bolso isão. Se pensarem bem de da residência, Portuguesa e Estilística exerceu a função durante 13 anos na Universi- quesito para sua dec pensam em: Proximida Não é. Pela ordem, os pais Preferência dos filho s, Nível dade Cruzeiro do Sul. Hoje aposentada, se dedica aos programas: Ler e momento. Estranho? de “barra pesada”), Segurança (se a escola tem fama Escrever, Toda Força ao 1o. Ano (do Município); Bolsa Escola Pública e uivocado e de ensino. critério totalmente eq a dizer que esse é um etivo de Universidade na Alfabetização (do Estado) e no projeto particular Uni- Mas, convenhamos, dá par busca é por uma instituição que tem o obj do, talvez, afinal, se a gê-lo deveria ser sua versidade na Melhoria da Escrita e da Leitura, o Unimel. alienado? Equivoca insofismável para ele ente, não. As educacional, o crivo ia. Alienado, infelizm oferecer formação uação ideal, assim ser ito baixo, eficácia em cum pri-lo; em uma sit rado de ensino entre si, um nível mu e escolas públicas ati ngiram um nível equilib freqüencia de 75%, você já está educado s inf orma que, com uma e dia nte também da que não forma, apena dêmica. Diante disso, ente ir em sua jornada aca is crível, é totalm apto para prossegu cação um pouco ma Qu a l o p ar por uma edu ola, que seus filhos impossibilidade de pag tomem como prioridade, ao escolher uma esc erfil das pessoas Para que o programa pais compreensível que os ido possível. pam do p que part Unimel fo s e salvos e o mais ráp rograma ici- criado? i voltem para casa são dutor musical. Esse per ? compositor, músico e pro fil é var O program Thiago Batista, 28 anos, a oitava iado: tem a foi criad s séries, os de qu de: estend o com dupl das pela em turm intas er a oportu a finalida s escola as organ ensino de nidade de - bilidade s, confo iza- leitura / p prática no de todos rme a dis escrita e ex rodução d rogêneo e um gru poni- pressão o e sentido, , no camp po mais h Curso de L ral aos alu temos de us São M ete- etras; a ou n o s do sde pess iguel, on tribuir co tra intenç dantes d oa gradu de m a comun ão foi con e diferen ada a es levando a idade Cruze - mos sem tes série tu- escolas da iro do Sul, ViZiNhoS pre form s . P re f e campus São região e a com dific ar grupo ri- Miguel a o o próprio uldades s com al senvolver portunida , mescla unos esse tipo d de de de- de bom r dos a alu e competê endimen nos portante a ncia, im- to. todo e qualquer cidadão. - de pro istema a do s de DA DUCA r a a ch estad o Senho or no O q ue a a em vig tinuad A Senhora acha que processo de alfa- o con aulo? g ressã São P ADA, betização precisa mudar? Em que? NTINU SÃ O C O o P R O MO - GRES a, e nã s- se PRO vid mos a É uma pergunta complexa. Aquilo em Se e le fos e desenvol vez tivésse a, mas ent , tal ador que eu acredito, mesmo, é num traba- seriam TOMÁTICA iência inov . lho de alfabetização e letramento fei- ÇÃO AU ex per nte ceu a um a er aco sistido isso sequ den- to com bastante envolvimento de quem ez mais s cada v ac- o faz, para que todos os sujeitos parti- tramo m ca r ue encon lu nos co cipantes entrem no movimento intenso Por q des, a nal? e ao mesmo tempo cuidadoso que a mis- ersida ismo f uncio s Univ t tro da lfabe são exige. Assim os resultados serão de ana terísticas a la d o positivos e prazerosos. a instFaLa Aê!: sistem que o er por e. Caro amigo, avalie com igo. Deve s permit o domínio l, ou seja, não possui uperar analfabeta funciona fica fácil mo rec Quando 68% da pop ulação é considerada , 7% analfabet a e 25% alfabetizada e há co rita e das operações matemáticas os nosso s pares, aqueles com edita q u nalfab e-pleno da leitura, da esc muito triste, mas elegem as ou sócio ora acr e são a Tiririca. É um quadro m, de questões polític A senh soas qude entender o fenômeno der o analfabet ismo funcional vai alé cognitivo como um tod o. O O que significa para aprendamos mais... ra sermos mais... o nosso país, milhares ões de pes ?quem nos identificamos. Enten desenvolvimento os milh cionais é uma questão que afeta o ser em seu uanto crian ça é definitivo para tos funculturais. A meu ver ividuo passa ainda enq de pessoas que não conseguem se expressar izagem pelo qual o ind ações e situações. espond opro cesso de ensino aprend ima de tudo como ele mento multiplicador de votaram no Tiririca? so, eu rsua formação como lei tor e ac ou pessoas formadas corretamente? ergu ntam is oj e u m r, mas muitos universitários betismo funcional abr ange Se me p eçasse h Você pode se pergunta da formação o analfa íssimo de , se com ão s a- dizer que independente tos com um grau alt que S IM, mas ão, eu n Então, sou forçado a lhe o podemos ter analf abe o, em linhas sa direç oraria eis de ensino, bem com erença entre alfabetização e letrament Creio que não ter as competências leitora e nto nes po dem diversas áreas e nív tar a dif igo de co municação, já o escritora, bem como a oral, que habilitam movime ua nto tem e todos é valido ressal do alfabeto como cód rever q inda qu letramento. Inclusive cesso de utilização segue sem um fim cer to beria p ação, a alfabetização é o pro uanto o caso Tiririca um cidadão a transitar pelos diferentes fa- er as polí- gerais tura e escrita. E enq respondida por cada l recup clusive letramento é a apropr iação da lei deixo aqui minha que stão a ser lares de sua língua materna, é fator signifi- para ta ra o fato, in ou não analfabeto?) o opção? ssem pa úblicas . (af inal de contas ele é os o que fazer co m o que nos é dado com cativo no nível de desenvolvimento do país. acorda ticas p um indepe ndente do voto: sabem de São Paulo, rsidade Bandeirantes Santos, Pedag ogo formado pela Unive hando para o Futuro . George Hamilton dos ade Beneficente Camin Educador Soc ial, atuante na Socied Você sabia? - o Brasil avançou muito: começamos o século 20 com cerca de 65% de analfabetos, tendo baixado pa- ra 51% em 1950 e apresentado reduções mais drásticas só a partir de 1975, para chegarmos ao ano 2000 com 13% de analfabetos. Hoje são 8%.
  4. 4. ANALFABETISMO Biografia FUNCIONAL NO BRASIL Paulo Freire É denominada analfabeta funcional, a pessoa que não possui habilidade para interpretação de Paulo Reglus Neves Freire, mais conhecido como Paulo Freire, nasceu em 1921 no estado do textos, mesmo tendo a capacidade de ler e escrever. Podemos classificar também, a pessoa na Pernambuco, era educador e filosofo brasileiro, um dos mais importantes. Pertenceu a uma família situação de escolaridade inferior a quatros anos, que tenham mais de 15 anos de idade. de classe média, o que não o impediu de conhecer a pobreza e a fome na infância, durante a depressão em 1929, por isso, sua preocupação com a educação dos mais pobres. Na última pesquisa realizada pelo PNAD ((Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) 2009, Pode ser definido como estudioso e ativista social. Tinha por objetivo ensinar a ler divulgada no dia oito de setembro deste ano e por meio do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e desenvolvendo uma visão crítica da sociedade a partir do uso de palavras, ações e termos ligados à Estatística), 20,3% da população brasileira é caracterizada como analfabeta funcional. realidade do aluno. Fez uma síntese de algumas correntes filosóficas de sua época, como o Sendo o quinto país mais populoso do mundo, com 192.304.735 de habitantes (IBGE), o Brasil existencialismo cristão, a fenomenologia, a dialética hegeliana e o materialismo histórico. carrega a marca de ter aproximadamente 39 milhões de pessoas que só compreendem frases curtas Na Universidade do Recife, em 1943, fez a Faculdade de Direito, mas preferiu se dedicar ao e operações aritméticas básicas. Sem contar os 14,1% que não sabem ler e escrever. estudo da filosofia da linguagem e lecionar em uma escola de segundo grau. Apesar dos dados preocupantes, o analfabetismo funcional vem diminuindo. Em 2004, o Em 1946, tornou-se diretor do Departamento de Educação e Cultura do Serviço Social em índice era de 24,4%. Na região Sudeste, mais estruturada e politizada, o índice de analfabetos Pernambuco. Em 1962, suas primeiras experiências de alfabetização popular, ou seja, a primeira funcionais está em torno de 15%. No nordeste, além da seca e da falta de trabalho, os nordestinos aplicação do Método Paulo Freire. sofrem mais com a baixa qualidade do ensino, o que resulta uma taxa de 30,8%. Em 1963, chefiou um programa de alfabetização e conseguiu, em 45 dias, alfabetizar 300 adultos. Em 1964, coordenou o Plano Nacional de Alfabetização do governo de João Goulart, até que foi surpreendido pelo golpe militar. Durante a ditadura seus métodos foram considerados subversivos e compactuantes com o O ANALFABETO FUNCIONAL E A UNIVERSIDADE comunismo. Teve de se exilar e só pode voltar ao Brasil em 1979. Exilado no Chile, expôs seus méto- A dona de casa, Maria Nilva do Nascimento, parou de estudar jovem porque precisava ajudar a dos de alfabetização no livro Pedagogia do Oprimido, onde escreveu sobre a alfabetização de mãe financeiramente. Por várias vezes, tentou voltar aos bancos escolares sem ter sucesso. Todas adultos inseridos nas camadas menos favorecidas da sociedade. No Chile foi consultor da UNESCO. Na Suíça, consultor do Escritório de Educação do as vezes que precisa resolver algum problema no Banco, precisa chamar o filho mais velho. Conselho Mundial de Igrejas, onde desenvolveu programas de alfabetização para a Tanzânia e Guiné “Nunca consigo entender o que a gerente fala do meu extrato bancário”, diz a aposentada. Bissau. Nos Estados Unidos ministrou aulas na Universidade de Harvard. São pessoas como estas que conseguem enviar seus filhos a Universidade, mas não tem no- Perguntas como: Quê? Por quê? Como? Para quê? Por quem? Para quem? Contra quê? Contra ção se eles terão a real capacidade de exercer o que aprenderam. A verdade é que, cada vez mais, as quem? A favor de quem? A favor de quê? Faziam com que os alunos compreendessem a razão e Faculdades precisam se preocupar com o despreparo dos estudantes que chegam às salas de aula finalidade das coisas, e se alfabetizassem a partir de assimilações. com dificuldade de aprendizagem. Quando Freire retornou ao Brasil escreveu mais dois livros – Pedagogia da Esperança e À Para o professor de técnicas de rádio da Universidade Cruzeiro do Sul, tanto os alunos quanto Sombra desta Mangueira – e lecionou na Unicamp e na PUC-SP. os professores, precisam trabalhar juntos e enfrentar esse problema de frente: ”Para tentar solu- Em 1989 foi secretário de Educação do Município de São Paulo. Nessa fase, criou o cionar ou amenizar o problema, entendo que basta vontade, por parte do professor, de ter paciência MOVA – Movimento de Alfabetização – programa público de apoio a salas comunitárias de Educação para dar uma atenção maior para esses discentes. Tenha a certeza de que o resultado final será de Jovens e Adultos, até hoje adotado em algumas prefeituras. muito bom para o professor – notar uma melhora significativa no rendimento do aluno – e melhor Em 1991, foi fundado o Instituto Paulo Freire. No instituto está disponível arquivos do educador. O local realiza numerosas atividades relacionadas às idéias de Freire e atua em projetos ainda para o próprio aluno – perceber resultados positivos no seu aprendizado”, conclui o da educação brasileira e mundial. docente. Faleceu no dia 2 de maio de 1997, em São Paulo, vítima de infarto. Você sabia? - na Alemanha, a taxa de analfabetos funcionais é de 14%. Nos EUA, 21%. Na Inglaterra, 22% (para Você sabia? - no Brasil a escola tradicional é construída no modelo da linha de montagem, tempo mecânico. Entãomelhorar esta taxa, o governo britânico introduziu a "Hora da Leitura" no ensino fundamental ). Na Suécia, a ta- se transforma em uma experiência de sofrimento, e as crianças não aprendem, o caminho da reforma da educação xa é de 7%. Estudantes da classe média brasileira lêem pior do que operários alemães. não passa por novas tecnologias, nem novas ciências, passa pelo coração.
  5. 5. A) Não consegue extrair as informações e nem tirar uma conclusão do C) Compreende e extrai todas as informações essenciais tendo assim B) Consegue extrair apenas informações difusas do texto, com uma O QUE HÁ DE ERRADO NA E-Eu sou um analfabeto funcional??? rgume ntar o s eu pont o de v ista sob re deter mi- rmu- COMUNIDADE ORGANIZADA Em meio a toda essa problemática, há aqueles DUCAÇÃO DOS BRASILEIROS? stuma a nsigo fo 3. Co ue n unca co uação? ião, já q que se cansaram de apenas assistir ao caos e Segundo especialistas, o sistema nada sit inha opin os- o expor m ntrário p A) Prefiro nã unto, caso co preferiram criar meios de aliviar a condição educacional no Brasil é superficial. Nos idéia. m o ass lar uma muito be r desfavorável. Como o caso da Educadora Elizabeth conheço aprende últimos 25 anos, o aprendizado foi B) Só quando argum entar. os a qui para nseguir o, estam Cury, que criou o projeto UNIMEL (Universidade na fragmentado, levando o aluno a somente s o não co min ha opiniã exponho Melhoria da Escrita e da Leitura), no campus São C) Sempre aprender a ler e a escrever e não o ensina a sempre. Miguel da Universidade Cruzeiro do Sul. utilizar com competência a leitura e a escrita, c ê: ticas, vo r aç õ e s aritmé A iniciativa atende um público diversificado que vai ou seja, cria um aluno que lê, mas não é o às o p e m relaçã noção básica da conclusão. uma. ã o, 6. E n d e n en h mo: adiç 7. Em um texto longo, você: do aluno de 5º série a graduandos. O programa letrado, porque não consegue aplicar no seu A) N ã o compree s as b ásicas co d e a pe na isão. incentiva à expressão oral, à leitura adequada às ompreen ção e div ál- dia a dia o que leu. O aluno não é preparado B) C multiplica ge n s e c uma boa conclusão. subtr a ç ã o, ulas , porcenta diferentes situações da fala e aos diferentes níveis para compreender o que lê. r com fórm C) C o nsigo lida xos. de linguagem, com o objetivo de diminuir o is comple São necessárias uma reavaliação e uma culos ma analfabetismo funcional. revolução educacionais. A falta de políticas mesmo. r com 2. Você tem dificuldade de se comunica Também, podemos citar o programa criado pelo de- públicas sérias é condenável, uma situação as pessoas? partamento Educacional da BSGI (Brasil Soka que parece que gira em torno de si mesma. do, porque tenho A) Sim, fico inseguro e acanha Gakkai Internacional), “Na magia da Leitura”. Por ido. Vejamos pelo caso do Estado de São Paulo medo de não ser compreend meio de encontros semanais, os participantes lêem, B) Depende do assunto com a Progressão Continuada, criada em es de me comunicar C) Não, não tenho dificuldad interpretam e discutem o que compreenderam 1997, pelo governo Mário Covas, com o Maioria C - Nível 3, também utilizando grandes obras brasileiras, estabelecendo, objetivo de acabar com a evasão escolar. O conhecido como alfabetização epra- plena, concebe aqueles que detêm assim, a função social da leitura. sistema de não repetência dos alunos de 1º a ito d o háb pleno domínio da leitura, escrita, tem ra? nho 8º série do ensino fundamental, vem .V oc ê leitu ábito, te dos números e das operações 5 ra matemáticas (das mais básicas às perpetuando a entrega do diploma ao tica tive o h nca . me mais complexas). A ) Nu uldades sempre r a despreparado, ao cidadão que conclui o grau dific er, mas o que le l h médio, muitas vezes, sem conseguir escrever ento Ten ve- B) T nfundo. a várias Maioria B - Nível 2, também conhecido co is o próprio nome corretamente. a co . como alfabetização básica, concebe m e sm ente ra dam aqueles que conseguem ler textos curtos, Para a ex-professora substituta em zes. io mode mas só conseguem extrair informações im, le Biologia, Rafaela Quintanilha, falta interesse esparsas no texto e não conseguem tirar C) S uma conclusão a respeito do mesmo; e dos professores e alunos: “O que deveria também conseguem entender números servir como incentivo ao aluno para continuar dade? grandes, conseguem realizar as l de escolari 1 . Qual o seu níve operações aritméticas básicas, entretanto estudando e ao professor para acompanhá-lo dei A) Nunca estu os sentem dificuldades quando é exigida e ajudá-lo a prosseguir desenvolvendo seu anos ou men uma maior quantidade de cálculos, ou B) Estudei 4 rau menos o 1º g em operações matemáticas mais conhecimento, tornou-se um escudo para o C) Terminei pelo complexas aluno que não se esforça, justificando "passarei de ano assim mesmo", e uma 4. Houve situações que você leu um texto/ Maioria A- Nível 1, também conhecido desculpa para o professor que não busca reportagem/ citações e não conseguiu compreen- como alfabetização rudimentar, concebe der? melhorias na didática e justifica "este aluno aqueles que apenas conseguem ler e A) Sempre acontece. compreender títulos de textos e frases passará de ano mesmo", declara a bióloga. B) Já aconteceu algumas vezes, mas li de novo e conse- curtas; e apesar de saber contar, têm gui entender. dificuldades com a compreensão de Você sabia? - apenas 17 milhões de pessoas no Brasil compraram ao menos um livro no último ano, 10% da popula- C) Dificilmente isso acontece. números grandes e em fazer as ção. A média de leitura por habitante é de 1,8, contra 7 da França, 5,1 dos Estados Unidos, 5 da Itália e 4,9 da In- operações aritméticas básicas. glaterra. Em todas as nações desenvolvidas, metade da população é razoavelmente letrada, o que tem favorecido o progresso.

×