II jornadas adm epb - Apresentacao franchising

811 visualizações

Publicada em

II jornadas adm epb
Apresentacao franchising - fev 11

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
811
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

II jornadas adm epb - Apresentacao franchising

  1. 1. fevereiro 2011COMUNICARTE NO FRANCHISINGA Comunicarte teve o primeiro contacto com o setor do franchising como parceria nodesenvolvimento de estratégias de comunicação para redes nacionais e internacionais de franchising,e até mesmo para o Instituto de Informação em Franchising (IIF), a AssociaçãoPortuguesa de Franchising ( APF) e a Associação Brasileira de Franchising (ABF). Apósdez anos de experiência acumulada, a Comunicarte dá agora os primeiros passos parase transformar na primeira agência de comunicação franchisada.
  2. 2. NEWS In Correio da Manhã In www.portugalglobal.pt
  3. 3. fevereiro 2011COMUNICARTE NO FRANCHISINGSimultaneamente, o modelo de negócio é também explorado no livro “Web Trends – 10 casesmade in web 2.0” . Este livro assinalou os dez anos da agência e surge como um contributo daempresa para colmatar uma lacuna no universo editorial: a análise do impacto do fascinante mundoda web, e essencialmente da web 2.0. O livro analisa dez áreas, tantas quantas os anos quecomemorou e termina com um estudo-piloto:COMUNICAÇÃO 2.0no franchisingem Portugal
  4. 4. fevereiro 2011COMUNICAÇÃO 2.0 no franchising em PortugalEste é o nome de um estudo-piloto que resulta de uma tese de Mestrado Integrado de Salomé Peixotoem Ciências da Comunicação, no âmbito de uma parceria da Comunicarte com a Universidade doMinho que explica bem a ligação da agência a este modelo de negócio.> Rede de conhecimento> Rede de Comunicação> Rede de Contactoassim se pode caracterizar a web e o modelo de negócio de franchising.De acordo com a autora do estudo-piloto:“o franchising tem, entre as suas principais características, ada transmissão de know-how de franchisador parafranchisado, sendo a partilha de conhecimento fundamental”
  5. 5. fevereiro 2011COMUNICAÇÃO 2.0 no franchising em PortugalAs principais conclusões do estudo são interessantes:- as empresas de franchising têm vindo a apostar nas novas tecnologias e nas possibilidades trazidaspela web 2.0, sendo a utilização de ferramentas online já muito frequente - 77% das marcas utilizamcom frequência as redes;- as empresas apostam no online como meio de formação de colaboradores e de troca de experiências;as ferramentas online são utilizadas pelas empresas com muita frequência, em especial o website, oFacebook e o You Tube;- as empresas acreditam que aspetos importantes – como a comunicação, a supressão de barreirashierárquicas, o aumento do ritmo de trabalho e a credibilidade – são beneficiados pelo uso deferramentas online e sentem que os resultados, ao nível da construção de marca, melhoram com o usodestas ferramentas;
  6. 6. fevereiro 2011COMUNICAÇÃO 2.0 no franchising em PortugalNa verdade, COLABORAÇÃO é, cada vezmais, a palavra-chave e o estudo permite-nosresponder: SIM, existe um universo 2.0 nofranchising em Portugal.
  7. 7. NEWS in Negócios e Franchising
  8. 8. NEWS in www.mktonline.net
  9. 9. fevereiro 2011FRANCHISING – o modelo de negócio Mas, afinal, o que é o franchising?!
  10. 10. fevereiro 2011FRANCHISING – designações FRANCHISE (FR)? FRANCHISING (ING)? FRANQUIA (PT)?
  11. 11. fevereiro 2011FRANCHISING – designaçõesExiste certa controvérsia sobre a terminologia mais adequada para designar este novo métodoempresarial, agora em franca expansão. O termo mais utilizado é o inglês - franchising, quer naspublicações sobre o tema, quer na gíria da gestão e dos negócios.Contudo, a Associação mais representativa do setor optou por adoptar a terminologia francesa,designando por franchise a técnica em si e consagrando na nossa língua dois galicismos -franchisador e franchisado - para designar as partes envolvidas num eventual contrato.Em Portugal há quem defenda a utilização de termos portugueses considerados equivalentes:franquia – método e o respetivo contratofranqueador e franqueado para as partes envolvidas
  12. 12. fevereiro 2011FRANCHISING – o modelo de negócio“O franchising moderno é uma forma de fazer negócio em parceria na qual umaempresa com sucesso comprovado (franchisador) ensina a terceiros a suafórmula de negócio. O parceiro (franchisado) é alguém que quer iniciar o seunegócio mas prefere, ao invés de trabalhar sozinho e ter de "reinventar a roda",fazê-lo integrado numa rede.”
  13. 13. fevereiro 2011FRANCHISING – os agentesFRANCHISADORdeverá chamar-se franchisador a quem concede o direito de explorar uma marca,uma fórmula comercial, um método ou esquema industrial, um conjunto deprodutos ou serviços por si concebidos ou desenvolvidos, e transmite osconhecimentos e experiência necessários à exploração da actividade.- ensina ao franchisado os seus métodos de gestão (know-how);- permite que ele utilize a sua marca;- presta apoio contínuo durante a vida da unidade franchisada;- e, em alguns casos, concede o direito de revender em exclusivo os seus produtos numa determinadaregião do mundo. Com um risco menor, permite concretizar o sonho de trabalhar por conta própria,em associação a uma marca com créditos no mercado.
  14. 14. fevereiro 2011FRANCHISING – FranchisadoFRANCHISADOdeve chamar-se franchisado ao agente económico a quem a concessão é feita.- paga contrapartidas financeiras (direito de entrada, royalties...)- assume o compromisso de seguir as regras da rede.
  15. 15. fevereiro 2011 FRANCHISING – key wordsMASTER FRANCHISADO - aquele que compra os direitos de um franchising para todo um país oupara uma região e que, além de abrir unidades próprias, está autorizado a subfranchisar (encontrarparceiros locais). Para todos os efeitos, o master substitui o franchisador original no território em causa. INVESTIMENTO INICIAL - valor total de que o futuro franchisado necessita para arrancar com a suaatividade. Não inclui o investimento imobiliário, mas deve incluir tudo o resto: equipamentos, obras,mobiliário, direito de entrada, fundo de maneio. DIREITO DE ENTRADA - valor a pagar na altura da adesão à rede, normalmente na data da assinaturado contrato. Em parte, esta taxa cobre os custos que o franchisador teve para preparar o franchising, bemcomo outros custos que ele terá até à abertura da loja. Além disto, o direito de entrada funciona como umaespécie de "jóia" paga pelas vantagens de se tornar membro de uma cadeia já estabelecida no mercado epelo direito ao uso da marca. 
  16. 16. fevereiro 2011 FRANCHISING – key words ROYALTIES - valor pago, em geral todos os meses, normalmente através de uma percentagem dafaturação ou valor fixo, pelo uso contínuo da marca e do conceito do franchisador. Remunera também osserviços essenciais de apoio que o franchisador irá prestar ao franchisado. TAXA DE PUBLICIDADE contribuição que todas as lojas franchisadas e próprias fazem para umfundo comum a ser aplicado na promoção da marca e dos produtos/serviços da cadeia. Não deve ser vistocomo uma fonte de lucro do franchisador, que deve geri-lo em nome da rede e justificar sempre a suacorreta utilização.
  17. 17. fevereiro 2011FRANCHISING – prós & contras PRÓS CONTRAS - Aproveita o know-how de quem já -Tem de se seguir as regras da rede: o teve sucesso negócio em si é seu, mas não o conceito - Não está sozinho nos negócios, - Deve pagar contrapartidas por estar pode partilhar as experiências com integrado na rede outros membros da rede - Pode ser afectado pelos erros dos - Pode beneficiar de uma marca que outros membros da rede é (ou poderá tornar-se) conhecida - Depende em grande parte das - Está mais protegido dos grandes estratégias e decisões do franchisador concorrentes através do ganho de escala da rede
  18. 18. fevereiro 2011  FRANCHISING – 5 passos> Faça uma auto-análise (Está preparado para ser empresário? - Comece por auto-analisar se está disposto a correros riscos e a assumir as responsabilidades inerentes à atuação de um empresário).> Informe-se (É fundamental recolher o máximo de informação sobre o o modelo empresarial que transformou pequenosnegócios em verdadeiras multinacionais).> Faça uma pré-seleção das oportunidades (Em Portugal, encontrará mais de 500oportunidades de franchising distribuídas por vários setores económicos e com investimentos para várias bolsas).> Analise o conceito e o mercado (Depois de ter selecionado as marcas ou os setores que lhe  interessam, façaum estudo detalhado do negócio e do mercado onde pretende desenvolver a sua actividade).> Negocie e analise o contrato (Antes de assinar um documento que irá transformar a sua vida profissional epessoal nos próximos anos, tenha em conta alguns pontos e sobretudo não hesite em consultar um advogado especializado emfranchising).
  19. 19. Dossier de Franchising Comunicarte
  20. 20. Dossier de Franchising . Comunicarte
  21. 21. Dossier de Franchising Comunicarte
  22. 22. fevereiro 2011 FRANCHISING – o caso português 1987 - o ano da entrada do franchising em PortugalEste foi um ano de exploração, prenunciando desde logo um crescimento rápido. No início estesistema era quase exclusivo das marcas estrangeiras que, apesar de considerarem o nosso mercadobastante pequeno, não hesitaram em explorar o território tornando o empresário português numpotencial franqueado.A implantação de novas redes foi então favorecida :- pelo crescimento do consumo e pela alteração das estruturas económicas tradicionais.- com algumas políticas governamentais, como seja, a gradual "destruição" das barreiras burocráticase as modificações introduzidas na rede cambial e nos pagamentos ao exterior (os bancos e asinstituições financeiras começam a descobrir no franchising uma nova área financeira geradora defluxos cambiais e monetários)
  23. 23. fevereiro 2011 FRANCHISING – o caso português Durante muito tempo o franchising foi, no nosso país, objeto de descrença por parte dos setoresmais conservadores do comércio.No entanto, hoje, não existem dúvidas de que está a entrar numa fase de amadurecimento e queconstitui um instrumento importantíssimo para a modernização das empresas no mercado nacional einternacional. De facto, um grande número de empresas nacionais está a optar pelo franchising comoveículo de expansão e todos os anos são integrados novos setores da economia, fazendo com que aestrutura empresarial do setor comercial português, cada vez mais se caracterize por uma elevadaheterogeneidade.
  24. 24. fevereiro 2011 FRANCHISING – o caso portuguêsA explosão das marcas nacionais foi um dosfenómenos mais marcantes dos últimos doisanos. O franchising conquistou definitivamenteos empresários nacionais, desde pequenasempresas, até grandes grupos. (EXEMPLO grupo Sonae, através da Sonae MC, acaba delançar duas novas áreas de negócio, uma dedicada ao retalhogrossista e lojas de conveniência, e a outra ao lançamento deum franchising de supermercados e lojas alimentares.MEU SUPER)
  25. 25. fevereiro 2011 FRANCHISING – o caso portuguêsExistem dois grandes eventos, em Portugal:EXPOFRANCHISE13 a 15 maioCCL – Centro de Congressos da Junqueira – Lisboa140 expositores7814 visitanteswww.expofranchise.pt
  26. 26. fevereiro 2011FRANCHISING – o caso portuguêsExistem dois grandes eventos, em Portugal:FRANCHISE SHOW5 e 6 novembroExponor - Matosinhos80 expositores3 700 visitanteswww.franchiseshow.pt
  27. 27. fevereiro 2011 FRANCHISING – TOP 10 ranking geral Marca Nº lojas /actividade 1- 5 ÀSEC 275 -lavandarias e limpeza a seco 2-OPTIVISÃO 266 - ópticas 3- RE/MAX 220 – mediação imobiliária 4- ERA PORTUGAL 185 – mediação imobiliária 5- Mc DONALDs 130 – restauração rápida 6- HALCON VIAGENS 123 – viagens e turismo 7 -VIVAFIT 114 – fitness e bem estar 8 -NATURHOUSE 108 – reeducação alimentar 9- VALORES 100- compra, venda e reciclagem de valores 10 - PARFOIS 94 – acessórios de modaFonte: IIF - Instituto de Informação em Franchising, S.A. (Pesquisa do 2º semestre para Revista Negócios & FranchisingEspecial de Outubro de 2010)
  28. 28. fevereiro 2011 FRANCHISING – está em crise?! FRANCHISING CATIVA DESEMPREGADOS“Em tempo de crise, quando o desemprego bate todos os recordes, são cada vez mais os que encontram nofranchising uma forma de garantir o seu autoemprego investindo num negócio com menor risco de fracasso.Se há setor de mercado que a crise tem ajudado alavancar é o franchising, sobretudo nos negóciosmais orientados para o baixo investimento (low cost). São cada vez mais os desempregados amarcar presença nas feiras da especialidade em busca de uma oportunidade à medida do seu perfile, principalmente, da sua carteira. O Instituto de Informação em Franchising (IIF) é responsável pelaorganização das duas grandes feiras de franchising em Portugal, a Expofranchise e o Franchise Show.Mais do que um crescimento estrondoso do número de visitantes, as edições deste ano revelaramuma mudança significativa no perfil de quem acorre ao evento. Potenciais empreendedores maisconscientes do que é o franchising, do que este implica, e do tipo de negócio que procuram. Ameta, essa, também se apresenta segundo Andreia Jotta, presidente do IIF, como uma novarealidade: garantir o autoemprego, através de negócios de investimento reduzido.
  29. 29. fevereiro 2011 FRANCHISING – está em crise?! FRANCHISING CATIVA DESEMPREGADOS (cont.)“ No ano de 2009, de acordo com dados do Censo do Franchising, este modelo de negócio foi responsável pela criação de500 novos empregos face a 2008, sendo que na globalidade o setor assegurou 69.536 postos de trabalho. Na verdade, desde queem 2008 se iniciou a crise económica o Franchising tem conseguido manter o seu dinamismo e registar, em alguns setores de atividadeníveis de crescimento bastante aliciantes. “Em 2008, o mercado cresceu 2,7% face a 2007 e em 2009 o crescimento foi de 5,6% quandocomparado com o ano anterior”, explica Andreia Jotta. O ano de 2010 traz uma nova realidade. “Este ano vive-se um crescimento maismoderado. O ano está a ser melhor do que 2009, mas as marcas estão sobretudo preocupadas em crescer de forma muito sustentada,com segurança e sem deslumbres, o que é muito positivo”, explica a presidente do IIF.Uma das grandes alterações que 2010 trouxe ao franchising nacional foi exatamente o perfil dos franchisados. Noano em que Portugal viu ser ultrapassada a fasquia dos 600 mil desempregados, são cada vez mais os queencontram neste modelo de negócio uma oportunidade mais segura e com menor probabilidade de fracasso paraassegurar o seu autoemprego. “Nos dois eventos que organizámos este ano registou-se uma aumento de visitantes efoi nítido o crescimento da afluência de potenciais empreendedores em situação de desemprego. No certame doPorto tivemos 14% de visitantes desempregados e em Lisboa 19%”, confirma Andreia Jotta.
  30. 30. fevereiro 2011FRANCHISING – está em crise?! FRANCHISING CATIVA DESEMPREGADOS (cont.)“ Segundo a responsável, estes potenciais empreendedores procuram sobretudo pequenos negócios cominvestimento inicial até 25 mil euros. E a oferta destes negócios tem aumentado a par com a procura. Se no ano passadosurgiram no mercado 80 novas marcas, o primeiro semestre de 2010 viu já surgir 30 novos conceitos. Em Portugal,há neste momento 524 redes a operar em franchising e um total de 11.500 unidades em funcionamento. “Estão asurgir cada vez mais conceitos com modelos de negócio alinhados com o perfil de investidor atual que procuraoportunidades com uma estrutura de custos flexível (...)” in Expresso, Caderno Emprego, 21 de Outubro de 2010
  31. 31. fevereiro 2011 FRANCHISING – SABER MAISwww.infofranchising.ptwww.franchising.ptptfranchising.comwww.tormo.ptgofranchising.ptbestfranchising.ptportalfranchising.com
  32. 32. fevereiro 2011FRANCHISING 2.0 – FICA O CONVITE!
  33. 33. fevereiro 2011FRANCHISING MUITO OBRIGADA PELA VOSSA ATENÇÃO E ATÉ BREVE! www.comunicarte.pt franchising@comunicarte.pt | 966 506 601 twitter.com/comunicartenet | linkedin.com/in/ComunicarteAgencia | www.comunicarte.pt/blog Facebook Comunicarte | linkedin.com/in/ComunicarteAgencia

×