Escola De Atenas - Prof. Kelly Mendes - Arte

1.135 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.135
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
46
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Escola De Atenas - Prof. Kelly Mendes - Arte

  1. 1. A ESCOLA DE ATENAS Professora Kelly Rafael Sanzio (1483-1520)
  2. 2. Os personagens que dominam a composição não estão amontoados, nem sufocados. Mas bem distribuídos no amplo recinto
  3. 3. Os árbitros destas regras, os principais personagens, Platão e Aristóteles, são mostrados no centro da pintura, engajados numa discussão filosófica.
  4. 4. Platão No centro da Escola de Atenas destaca-se Platão (427-347 a.C.), segurando sua obra Timaeus, e apontando sua mão direita para cima, gesto que representa a "teoria das formas" (abstrata e intangível).
  5. 5. Aristóteles Também no centro da Escola de Atenas, ao lado esquerdo de Platão e portando sua obra Ética, está o vigoroso Aristóteles, seu discípulo dileto, gesticula em direção à terra, o que representa a "percepção pelos sentidos", base de sua concreta teoria do conhecimento.
  6. 6. "Sócrates em ação". No fundo, Sócrates argumenta. Diante dele, da esquerda para a direita: Xenofonte, Ésquines e Alcibíades. Sócrates
  7. 7. Heráclito de Éfeso • Para ele tudo se move, tudo escorre, nada permanece imóvel e fixo, tudo muda e se transmuta, sem exceção. • Foi considerado como “o obscuro” por apresentar certa aversão a vida social e política, optando por viver sozinho. Por isso, na pintura, aparece isolado.
  8. 8. • Está entregue a seu trabalho. • Na tábula a sua frente apresenta uma figura triangular formada por dez pontos distribuídos em 4 filas com 1, 2, 3 e 4 pontos, representando a criação universal (I + II + III + IIII = X). • Para os pitagóricos o número é o princípio de tudo e o seu estudo reflete no comportamento humano. Pitágoras
  9. 9. Zenão de Eléia  (495 a.C. - 430 a.C.) Discípulo de Parmênides de Eléia. • Seu método consistia na elaboração de paradoxos, não pretendia refutar diretamente as teses que combatia mas sim mostrar os absurdos daquelas teses. • Acredita-se que tenha criado cerca de quarenta destes paradoxos, todos contra a multiplicidade, a divisibilidade e o movimento (que nada mais são que ilusões, segundo a escola eleática).
  10. 10. Parmênides • Parmênides segura um livro, certamente os seus poemas “Sobre a Natureza”. Nele distinguirá dois caminhos para a investigação do ser: O da verdade e o da opinião. Ao contrário de Heráclito, nega o movimento do Ser. O Ser é.
  11. 11. Foi filósofa e professora na escola neo-platônica de Alexandria. Destacou-se na geometria, álgebra e astronomia. Não tivemos acesso às suas obras. Foi uma figura muito influente e respeitada.
  12. 12. • (610 - 547 a.C.) foi geógrafo, matemático, astrônomo, político e filósofo; discípulo de Tales. • Atribui-lhe a confecção de um mapa do mundo habitado; a introdução na Grécia do uso do Gnômon (relógio solar); e é considerado o iniciador da astronomia grega. • Acreditava que o princípio de tudo é o ápeiron: algo infinito, insurgido e imortal. • Preocupava-se também com os "comos e por quês" das coisas todas que saem do princípio. • Para ele o mundo é constituído de contrários, que se auto-excluem o tempo todo. O tempo é o "juiz" que permite que ora exista um, ora outro.
  13. 13. Averroes • Latinização do nome árabe Ibn Rushd. • Foi médico, mestre de filosofia e leis islâmicas. • A partir das obras Aristotélicas separou as reflexões filosóficas das especulações mítico-religiosas. • Dedicou-se em clarear o modo como pensa o ser humano e como este pode ser capaz de formular verdades universais e eternas.
  14. 14. Epicuro • Opõe-se à filosofia platônica. • Nega a imortalidade da alma. Esta, assim como tudo, seria formada por átomos. • Busca a felicidade a partir dos sentidos, dos prazeres, e da imperturbabilidade da alma, afastando-se da dor e aproximando-se do prazer. • O prazer de que fala é o prazer do sábio, entendido como quietude da mente e o domínio sobre as emoções e, portanto, sobre si mesmo. A justa-medida e não os excessos. • O único prazer é o prazer do corpo e o que se chama de prazer do espírito é apenas lembrança dos prazeres do corpo. O mais alto prazer reside no que chamamos de saúde. Entre os prazeres, Epicuro elege a amizade.
  15. 15. • Alexandre Magno é considerado um dos maiores líderes militares da história. Por isso está vestido de soldado. • Unificou as cidades-estado gregas e venceu ao império persa. • Em 12 anos criou o maior império até então conhecido, unindo Grécia, Oriente Médio, Mesopotâmia, Egito e Índia. • Foi discípulo de Aristóteles na juventude, do qual aprendeu história e filosofia e obviamente desenvolveu toda a sua capacidade intelectual. Alexandre Magno
  16. 16. Antístenes
  17. 17. Plotino • (205 - 270 d.C.) nos legou ensinamentos em seis livros, de nove capítulos cada, chamados de As Enéadas; • Acompanhou uma expedição à Pérsia, liderada pelo imperador Gordiano, onde tomou contato com a filosofia persa e indiana. Regressou à Alexandria e, aos 40 anos, estabeleceu-se em Roma. • Pretendia fundar uma cidade chamada Platonópolis, baseada nos ensinamentos de A República, de Platão.
  18. 18. Diógenes, o cínico • Diz-se que teria vivido num grande barril, no lugar de uma casa, e perambulava pelas ruas carregando uma lamparina, durante o dia, alegando estar procurando por um homem honesto. • Aparece deitado em uma escadaria, como um gesto muito representativo de sua filosofia; • Foi exilado de sua cidade natal e se mudou para Atenas, onde tornou-se discípulo de Antístenes, antigo pupilo de Sócrates; • Tornou-se um mendigo nas ruas de Atenas, fazendo da pobreza extrema uma virtude;
  19. 19. Homero • Poeta e rapsodo grego ao qual tradicionalmente se atribui a autoria das principais poesias épicas gregas: a Ilíada e a Odisséia. Tais obras foram fundamentais para o nascimento da Filosofia.
  20. 20. Euclides ou Arquimedes • Não se sabe ao certo se a intenção de Rafael Sanzio era retratar Euclides ou Arquimedes.
  21. 21. Ptolomeu
  22. 22. Zoroastro (Zarathustra) • Gera dúvidas entre os estudiosos: Uns o vem como geógrafo e historiador grego, autor de Geographiká (Geografia), onde inclui um mapa da Europa. Outros o vem como profeta fundador do mazdeísmo, uma das primeiras religiões monoteístas que se estabeleceu na região do atual Afeganistão.
  23. 23. Rafael Sanzio Não perdeu a oportunidade de se autoretratar em sua própria obra. É um dos poucos que aparece olhando diretamente para o espectador.
  24. 24. A pintura representa o pensamento clássico, mas é também dedicada às artes liberais, simbolizadas pelas estátuas de Apollo e Minerva. Gramáticos, Matemáticos e Músicos são personificados por figuras localizadas nos patamares, à esquerda. Geômetras e Astrônomos estão à direita. O afresco teve sucesso imediato. Sua beleza e unidade temática foram aceitas universalmente. A euforia com que foi recebido não foi marcada com reservas, tal como aconteceu com a reação pública quanto a Capela Sistina.

×