COMPOSIÇÃO QUÍMICA CELULAR
Biologia – prof. Marcia Marlise
Biologiaprofma.blogspot.com
ELEMENTOS QUÍMICOS NA NATUREZA

Nesta representação, a freqüência dos elementos que ocorrem na crosta de terra é indicada ...
INTRODUÇÃO

 95% COMPOSIÇÃO QUÍMICA DOS SERES VIVOS: O, C, H e N
 BIOLOGICAMENTE IMPORTANTES: sódio (Na), potássio (K), ...
Composição Química da Célula*

Substâncias

Plantas

Água

62%

74%

Sais Minerais

4%

2,5%

Carboidratos

6%

18%

Lipíd...
PRINCIPAIS COMPONENTES QUÍMICOS DAS CÉLULAS
 Substâncias Inorgânicas
 formados por moléculas pequenas e com poucos átomo...
PRINCIPAIS COMPONENTES QUÍMICOS DAS CÉLULAS
 Substâncias Orgânicas
 formados por moléculas grandes e muitas vezes comple...
Page  7
ÁGUA
 Solvente: sais minerais e substâncias orgânicas.
 Transportadora: serve como veículo de transporte de substâncias ...
SAIS MINERAIS
 livres no reino mineral ou nos seres vivos = reguladores da atividade
das células
 Podem ser solúveis ou ...
SAIS MINERAIS – principais íons


Íon Cálcio (Ca) ++ esqueleto, contração muscular, coagulação.



Íon Magnésio (Mg) 2+ ...
CARBOIDRATOS
• SÃO COMPOSTOS DE C-H-O.
• PRINCIPAL FONTE DE ENERGIA
• FUNÇÕES:
• SUBSTÂNCIAS ENERGÉTICA (A CÉLULA QUEIMA E...
TIPOS DE CARBOIDRATOS - MONOSSACARÍDEOS
• MONOSSACARÍDEOS SÃO OS CARBOIDRATOS MAIS SIMPLES.
TEM DE 3 A 6 ATOMOS DE CARBONO...
TIPOS DE CARBOIDRATOS – DISSACARÍDEOS

• SÃO CARBOIDRATOS DE MOLÉCULAS MAIORES E SÃO FORMADOS
PELA LIGAÇÃO ENTRE DUAS MOLÉ...
TIPOS DE CARBOIDRATOS – POLISSACARÍDEOS
• SÃO MOLÉCULAS GRANDES (POLÍMEROS OU MACROMOLÉCULAS)
• REPETIÇÃO DE MUITAS MOLÉCU...
Polissacarídeos

AMIDO

GLICOGÊNIO

É a substância de reserva energética vegetal. É
encontrado no trigo, no arroz, na bata...
LIPÍDIOS
 Moléculas orgânicas insolúveis em água.
 Abrangem os glicerídeos (óleos e gorduras), os cerídeos (ceras) e os
...
COMPONENTES QUÍMICOS DAS CÉLULAS – LIPÍDIOS

Page  17

Membranas celulares
LIPÍDIOS - GLICERÍDIOS
•

SÃO OS ÓLEOS E AS GORDURAS.

•

À TEMPERATURA AMBIENTE OS ÓLEOS SÃO LÍQUIDOS E AS
GORDURAS SÃO S...
LIPÍDIOS - CERAS
 SÃO ÉSTERES DE ÁCIDOS GRAXOS COM ÁLCOOL DE CADEIA
LONGA (ATÉ 16 C).
 SÃO ALTAMENTE INSOLÚVEIS NA ÁGUA....
LIPÍDIOS - ESTERÓIDES




ALÉM DE FORMAR HORMÔNIOS
ENTRAM NA COMPOSIÇÃO DAS
MEMBRANAS CELULARES.



Page  20

APRESENT...
COMPONENTES QUÍMICOS DA S CÉLULAS – LIPÍDIOS

O COLESTEROL NO SANGUE

O colesterol forma um complexo com os
lipídeos e pro...
COMPONENTES QUÍMICOS DA S CÉLULAS – LIPÍDIOS

Esta oxidação aciona um mecanismo de
defesa e, imediatamente,
glóbulos branc...
COMPONENTES QUÍMICOS DAS CÉLULAS – LIPÍDIOS

Isto pode interromper o fluxo
sanguíneo normal
e vir a provocar inúmeras
doen...
COMPONENTES QUÍMICOS DAS CÉLULAS – LIPÍDIOS

Plantas – produzem fitoalexínas
RESVERATROL - nas cascas da uva

HDL sanguíne...
PROTEÍNAS
 PROTEÍNAS SÃO MOLÉCULAS GRANDES FEITAS POR AMINOÁCIDOS
LIGADOS POR LIGAÇÕES PEPTÍDICAS.

 AS PROTEINAS DIFERE...
PROTEÍNAS – AMINOÁCIDOS
• AS PROTEÍNAS SÃO FEITAS COM 20 TIPOS DE AMINOÁCIDOS, TODOS
COM Cα .
• O NÚMERO DE LIGAÇÕES PEPTÍ...
PROTEÍNAS – LIGAÇÕES PEPTÍDICAS
 AS PROTEÍNAS SÃO FEITAS POR
DEZENAS OU CENTENAS DE
AMINOÁCIDOS LIGADOS POR LIGAÇÕES
PEPT...
PROTEÍNAS – FUNÇÃO E FORMA
 A FUNÇÃO DE CADA PROTEÍNA DEPENDE DE SUA FORMA.
 PROTEINAS PODEM SER MATERIAL DE CONSTRUÇÃO ...
Ordem dos
aminoácidos

Page  29

Espiral da
estrutura
primária

A secundária
dobrada sobre
si em globo.

Várias proteínas...
PROTEÍNAS – DESNATURAÇÃO

• É A ALTERAÇÃO DA FORMA (ESTRUTURA) DA PROTEÍNA POR EFEITO
DO CALOR OU MUDANÇA DO PH. PODE SER ...
ENZIMAS
 ENZIMAS SÃO PROTEÍNAS CAPAZES DE CATALISAR REAÇÕES
QUÍMICAS, DIMINUINDO A ENERGIA DE ATIVAÇÃO OU
AUMENTANDO A VE...
ENZIMAS – INFLUÊNCIA NA AÇÃO ENZIMÁTICA
• TEMPERATURA:
• O CALOR FORNECE ENERGIA CINÉTICA PARA ENZIMA E SUBSTRATO
SE UNIR....
ÁCIDOS NUCLÉICOS
•
•
•

1869: NUCLEÍNA.
A NOVA SUBSTÂNCIA ERA UM ÁCIDO E COMO FICAVA NO NÚCLEO
FICOU SENDO ÁCIDO NUCLEICO....
NUCLEOTÍDEOS
 DNA E RNA SÃO MACROMOLÉCULAS (POLÍMEROS) FEITOS
PELA UNIÃO DE NUMEROSAS MOLÉCULAS PEQUENAS
(MONÔMEROS) DENO...
NUCLEOTÍDEOS
•

AS PENTOSES QUE ENTRAM NOS NUCLEOTÍDEOS SÃO:
– DESOXIRRIBOSE (C5H10O4) NO DNA
– RIBOSE: (C5H10O5) NO RNA.
...
BASES NITROGENADAS
•

SÃO MOLÉCULAS QUE TEM REAÇÃO ALCALINA E RICAS EM
NITROGÊNIO.

•

DERIVAM DE DOIS GRUPOS:

•

DA PURI...
DNA
•

A MOLÉCULA DO DNA É MUITO GRANDE SENDO CONSTITUÍDA POR
BILHÕES DE PARES DE NUCLEOTÍDEOS.

•

A MOLÉCULA DO DNA TEM ...
Page  38
FUNÇÃO DO DNA
 O DNA É POR ASSIM DIZER A PROGRAMAÇÃO DE CADA
CÉLULA. NELE FICA A INFORMAÇÃO GENÉTICA (OS GENES).
 A INFO...
RNA
 O RNA É PRODUZIDO A PARTIR DO DNA POR UM PROCESSO
CHAMADO TRANSCRIÇÃO.
 O RNA TEM SEMPRE CADEIA SIMPLES.
 AO INVÉS...
VITAMINAS

 Controlam as reações químicas do corpo. Podem ser:
 Lipossolúveis – A, D, E, K – que se dissolvem bem nas go...
VITAMINAS

Page  42
VITAMINAS

Page  43
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Componentes biologia molecular

1.047 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.047
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
24
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Componentes biologia molecular

  1. 1. COMPOSIÇÃO QUÍMICA CELULAR Biologia – prof. Marcia Marlise Biologiaprofma.blogspot.com
  2. 2. ELEMENTOS QUÍMICOS NA NATUREZA Nesta representação, a freqüência dos elementos que ocorrem na crosta de terra é indicada pela altura do bloco. Os elementos encontrados em quantidades significativas em organismos vivos são protegidos no azul. Page  2
  3. 3. INTRODUÇÃO  95% COMPOSIÇÃO QUÍMICA DOS SERES VIVOS: O, C, H e N  BIOLOGICAMENTE IMPORTANTES: sódio (Na), potássio (K), cálcio (Ca), fósforo (P), enxofre (S), entre outros.  ORGANISMO: 40 tipos de moléculas (CONSTRUÇÃO E MANUTENÇÃO)  SUBSTÂNCIAS INORGÂNICAS E ORGÂNICAS Page  3
  4. 4. Composição Química da Célula* Substâncias Plantas Água 62% 74% Sais Minerais 4% 2,5% Carboidratos 6% 18% Lipídios 11% 0,5% Proteínas Page  4 Animais 17% 4% * valores médios
  5. 5. PRINCIPAIS COMPONENTES QUÍMICOS DAS CÉLULAS  Substâncias Inorgânicas  formados por moléculas pequenas e com poucos átomos.  baixa complexidade e rendimento energético  também encontrados livremente no mundo mineral - Água - Sais Minerais Page  5
  6. 6. PRINCIPAIS COMPONENTES QUÍMICOS DAS CÉLULAS  Substâncias Orgânicas  formados por moléculas grandes e muitas vezes complexas.  elemento principal: C.  rica em energia  resultantes da atividade metabólica celular - Carboidratos - Lipídios - Proteínas - Ácidos nucléicos - Vitaminas Page  6
  7. 7. Page  7
  8. 8. ÁGUA  Solvente: sais minerais e substâncias orgânicas.  Transportadora: serve como veículo de transporte de substâncias que são absorvidas ou eliminadas.  Meio ideal para reações químicas celulares: (processos fisiológicos só ocorrem em meio aquoso).  Temorreguladora: é importante na manutenção da temperatura corpórea. Page  8
  9. 9. SAIS MINERAIS  livres no reino mineral ou nos seres vivos = reguladores da atividade das células  Podem ser solúveis ou insolúveis em água.  FORMA IÔNICA: sais minerais solúveis dissolvidos em água, formam os íons. É nessa forma que eles desempenham a sua atividade reguladora fundamental.  FORMA IMOBILIZADA: sais minerais insolúveis em água entram na composição de estruturas esqueléticas e de sustentação, como os ossos, nos vertebrados, ou os pólipos de corais ou carapaças de algas diatomáceas, entre outras. Page  9
  10. 10. SAIS MINERAIS – principais íons  Íon Cálcio (Ca) ++ esqueleto, contração muscular, coagulação.  Íon Magnésio (Mg) 2+ clorofila  Íon Fosfato (PO4) 3- (componente do ATP)  Íon Fluoreto (F) - cáries  Íon Zinco (Zn) ++ enzimas  Íon Iodeto (I) - hormônios da tireóide  Íon Ferro (Fe) ++ hemoglobina  Íon Sódio (Na) + líquido extracelular, estímulos nervosos nos neurônios  Íon Potássio (K) + contração muscular, estímulos nervosos e ao equilíbrio hídrico Page  10
  11. 11. CARBOIDRATOS • SÃO COMPOSTOS DE C-H-O. • PRINCIPAL FONTE DE ENERGIA • FUNÇÕES: • SUBSTÂNCIAS ENERGÉTICA (A CÉLULA QUEIMA ESTAS MOLÉCULAS PARA OBTER ENERGIA) • OU RESERVAS ENERGÉTICAS (FICAM ARMAZENADAS PARA DELAS OBTER ENERGIA NO FUTURO). • FORMAM A PAREDE CELULAR DE CÉLULAS VEGETAIS (CELULOSE): ESTRUTURAIS. Page  11
  12. 12. TIPOS DE CARBOIDRATOS - MONOSSACARÍDEOS • MONOSSACARÍDEOS SÃO OS CARBOIDRATOS MAIS SIMPLES. TEM DE 3 A 6 ATOMOS DE CARBONO NA MOLÉCULA. • HIDROSSOLÚVEIS E ADOCICADOS Fórmula PENTOSES Nome Função Ribose Componente do RNA C5H10O4 HEXOSES C5H10O5 Desoxirribose Componente do DNA C6H12O6 Glicose Energética Frutose Galactose Page  12
  13. 13. TIPOS DE CARBOIDRATOS – DISSACARÍDEOS • SÃO CARBOIDRATOS DE MOLÉCULAS MAIORES E SÃO FORMADOS PELA LIGAÇÃO ENTRE DUAS MOLÉCULAS DE MONOSSACARÍDEO. • HIDROSSOLÚVEIS E ADOCICADOS • PRINCIPAIS: Page  13
  14. 14. TIPOS DE CARBOIDRATOS – POLISSACARÍDEOS • SÃO MOLÉCULAS GRANDES (POLÍMEROS OU MACROMOLÉCULAS) • REPETIÇÃO DE MUITAS MOLÉCULAS DE MONOSSACARÍDEO • INSOLÚVEIS E SEM SABOR ADOCICADO • PRINCIPAIS: – CELULOSE: FORMA A PAREDE CELULAR DE VEGETAIS. – AMIDO: RESERVA ENERGÉTICA DE VEGETAIS. – GLICOGÊNIO: RESERVA ENERGÉTICA DOS ANIMAIS. Page  14
  15. 15. Polissacarídeos AMIDO GLICOGÊNIO É a substância de reserva energética vegetal. É encontrado no trigo, no arroz, na batata-inglesa, na mandioca, etc. É a substância de reserva energética animal e dos fungos. No homem é encontrado principalmente nos músculos e no fígado. CELULOSE QUITINA Page  15 Constitui o principal componente estrutural da parede celular das células vegetais. Não servem como fonte de energia. Componente do exoesqueleto dos crustáceos e insetos.
  16. 16. LIPÍDIOS  Moléculas orgânicas insolúveis em água.  Abrangem os glicerídeos (óleos e gorduras), os cerídeos (ceras) e os esteróides (colesterol).  Os fosfolipídios participam da formação da membrana plasmática.  função estrutural,  energética,  hormonal,  impermeabilizante,  isolante térmico,  isolante elétrico. Page  16
  17. 17. COMPONENTES QUÍMICOS DAS CÉLULAS – LIPÍDIOS Page  17 Membranas celulares
  18. 18. LIPÍDIOS - GLICERÍDIOS • SÃO OS ÓLEOS E AS GORDURAS. • À TEMPERATURA AMBIENTE OS ÓLEOS SÃO LÍQUIDOS E AS GORDURAS SÃO SÓLIDAS. ÁCIDOS GRAXOS Saturados – sólidos a temperatura ambiente Margarina Insaturados - líquidos a temperatura ambiente Óleo de oliva Page  18
  19. 19. LIPÍDIOS - CERAS  SÃO ÉSTERES DE ÁCIDOS GRAXOS COM ÁLCOOL DE CADEIA LONGA (ATÉ 16 C).  SÃO ALTAMENTE INSOLÚVEIS NA ÁGUA.  NOS VEGETAIS IMPERMEABILIZAM EVITANDO A TRANSPIRAÇÃO EXCESSIVA.  CERAS DE ABELHA, CERA DE OUVIDO (CERÚMEN)... SÃO CERAS ANIMAIS. Page  19
  20. 20. LIPÍDIOS - ESTERÓIDES   ALÉM DE FORMAR HORMÔNIOS ENTRAM NA COMPOSIÇÃO DAS MEMBRANAS CELULARES.  Page  20 APRESENTAM 4 ANÉIS DE C INTERLIGADOS. O COLESTEROL É O PRINCIPAL: SERVE DE MATÉRIA PRIMA PARA OS DEMAIS.
  21. 21. COMPONENTES QUÍMICOS DA S CÉLULAS – LIPÍDIOS O COLESTEROL NO SANGUE O colesterol forma um complexo com os lipídeos e proteínas, chamado lipoproteína - LDL A LDL (Low-Density Lipoproteins) acaba sendo oxidada por radicais livres presentes na célula. Page  21
  22. 22. COMPONENTES QUÍMICOS DA S CÉLULAS – LIPÍDIOS Esta oxidação aciona um mecanismo de defesa e, imediatamente, glóbulos brancos juntam-se ao sítio, e este fica inflamado Cria-se uma placa no meio do vaso sanguíneo; ocorre uma deposição lenta de cálcio, numa tentativa de isolar a área afetada. Page  22
  23. 23. COMPONENTES QUÍMICOS DAS CÉLULAS – LIPÍDIOS Isto pode interromper o fluxo sanguíneo normal e vir a provocar inúmeras doenças cardíacas. De fato, a concentração elevada de LDL no sangue é a principal causa de cardiopatias. Page  23
  24. 24. COMPONENTES QUÍMICOS DAS CÉLULAS – LIPÍDIOS Plantas – produzem fitoalexínas RESVERATROL - nas cascas da uva HDL sanguíneo High-Density Lipoproteins - HDL É responsável pelo transporte reverso do colesterol - carrega o colesterol em excesso de volta para o fígado. Page  24 Vitis sp.
  25. 25. PROTEÍNAS  PROTEÍNAS SÃO MOLÉCULAS GRANDES FEITAS POR AMINOÁCIDOS LIGADOS POR LIGAÇÕES PEPTÍDICAS.  AS PROTEINAS DIFEREM:  PELA QUANTIDADE DE AMINOÁCIDOS.  PELO TIPO DE AMINÁCIDOS QUE TEM;  PELA ORDEM DOS AMINOÁCIDOS NA MOLÉCULA DA PROTEÍNA. – DUAS PROTEÍNAS COM O MESMO NÚMERO DE AMINOÁCIDOS E DO MESMO TIPO NÃO SÃO NECESSARIAMENTE IGUAIS. Page  25
  26. 26. PROTEÍNAS – AMINOÁCIDOS • AS PROTEÍNAS SÃO FEITAS COM 20 TIPOS DE AMINOÁCIDOS, TODOS COM Cα . • O NÚMERO DE LIGAÇÕES PEPTÍDICAS É IGUAL AO NÚMERO DE AMINOÁCIDOS MENOS 1. • OS ORGANISMOS ANIMAIS NÃO CONSEGUEM SINTETIZAR TODOS OS AMINOÁCIDOS. • OS QUE ELES SINTETIZAM SÃO CHAMADOS AMINÁCIDOS NATURAIS E OS QUE ELES NÃO SINTETIZAM SÃO ESSENCIAIS. • OS AMINOÁCIDOS ESSENCIAIS SÃO ADQUIRIDOS ATRAVÉS DA ALIMENTAÇÃO. Page  26
  27. 27. PROTEÍNAS – LIGAÇÕES PEPTÍDICAS  AS PROTEÍNAS SÃO FEITAS POR DEZENAS OU CENTENAS DE AMINOÁCIDOS LIGADOS POR LIGAÇÕES PEPTÍDICAS (ENTRE AMINOÁCIDOS).  QUANDO DIGERIMOS AS PROTEÍNAS QUEBRAMOS AS LIGAÇÕES PEPTÍDICAS E USAMOS OS AMINOÁCIDOS. Ligação peptídica Page  27
  28. 28. PROTEÍNAS – FUNÇÃO E FORMA  A FUNÇÃO DE CADA PROTEÍNA DEPENDE DE SUA FORMA.  PROTEINAS PODEM SER MATERIAL DE CONSTRUÇÃO DOS SERES VIVOS: FUNÇÃO ESTRUTURAL.  PROTEINAS PODEM PROMOVER REAÇÕES QUÍMICAS (CATALISADORES) E SÃO CHAMADAS ENZIMAS. • A FORMA DA PROTEÍNA É DETERMINADA PELA SUA ESTRUTURA: • PRIMÁRIA: É DADA PELA SEQÜÊNCIA DE AMINOÁCIDOS. É FILAMENTOSA. A TROCA DE UM AMINOÁCIDO PODE ALTERAR SUA FORMA. • SECUNDÁRIA: É O FILAMENTO PRIMÁRIO ENROLADO EM ESPIRAL. • TERCIARIA: A ESPIRAL SECUNDÁRIA SE ENROLA FORMANDO UMA ESFERA. • QUATERNARIA: É O MODO COMO AS PROTEÍNAS TERCIÁRIAS SE DISPÕEM. Page  28
  29. 29. Ordem dos aminoácidos Page  29 Espiral da estrutura primária A secundária dobrada sobre si em globo. Várias proteínas terciárias.
  30. 30. PROTEÍNAS – DESNATURAÇÃO • É A ALTERAÇÃO DA FORMA (ESTRUTURA) DA PROTEÍNA POR EFEITO DO CALOR OU MUDANÇA DO PH. PODE SER IRREVERSÍVEL OU REVERSÍVEL. • CLARA DE OVO: NO OVO CRU É PROTEINA NATIVA. APÓS FRITA OU COZIDA É PROTEÍNA É DESNATURADA. • CASEÍNA (DO LEITE) ACRESCENTANDO ÁCIDO (LIMÃO OU VINAGRE) COALHA, VIRA PARACASEÍNA (COALHADA – é a proteína desnanturada). Page  30
  31. 31. ENZIMAS  ENZIMAS SÃO PROTEÍNAS CAPAZES DE CATALISAR REAÇÕES QUÍMICAS, DIMINUINDO A ENERGIA DE ATIVAÇÃO OU AUMENTANDO A VELOCIDADE DA REAÇÃO QUÍMICA.  PARA DIGERIR CARNE SEM ENZIMA O HCl A 80ºC LEVARIA 36 HORAS. COM A PEPSINA (ENZIMA DO ESTÔMAGO) LEVA 2 HORAS A 37ºC. • AS ENZIMAS SÃO ESPECÍFICAS: PROMOVEM UM TIPO DE REAÇÃO. • CADA ENZIMA POSSUI UM ENCAIXE QUE SÓ SERVE EM UMA SUBSTÂNCIA CHAMADA DE SUBSTRATO. • O ENCAIXE É CHAMADO CENTRO OU SÍTIO ATIVO. MODIFICANDO O ENCAIXE A ENZIMA NÃO SERVE NO MESMO SUBSTRATO, FICANDO INATIVA. • É NECESSARIO QUE ENZIMA E SUBSTRATO SE ENCAIXEM PARA A REAÇÃO OCORRER. Page  31
  32. 32. ENZIMAS – INFLUÊNCIA NA AÇÃO ENZIMÁTICA • TEMPERATURA: • O CALOR FORNECE ENERGIA CINÉTICA PARA ENZIMA E SUBSTRATO SE UNIR. – SE HOUVER FALTA DE ENERGIA CINÉTICA AS ENZIMAS FICAM INATIVAS (O FRIO FAZ ISTO) – TEMPERATURAS MUITO ALTAS DESNANTURAM AS ENZIMAS (POR ISTO FEBRE ALTA MATA). • PH: • CADA ENZIMA TEM SEU PH ÓTIMO. • A MUDANÇA DE PH AFETA A CARGA ELÉTRICA DA ENZIMA E IMPOSSIBILITA A UNIÃO AO SUBSTRATO. É O QUE OCORRE NA AZIA. Page  32
  33. 33. ÁCIDOS NUCLÉICOS • • • 1869: NUCLEÍNA. A NOVA SUBSTÂNCIA ERA UM ÁCIDO E COMO FICAVA NO NÚCLEO FICOU SENDO ÁCIDO NUCLEICO. (ERA O DNA). APÓS A DESCOBERTA DO RNA O NOME JÁ CONSAGRADO PERMANECEU EMBORA O MESMO FIQUE PRINCIPALMENTE NO CITOPLASMA.  DNA – ÁCIDO DESOXIRRIBONUCLEICO: TEM FORMA DE UMA ESCADA EM ESPIRAL. CONTÉM AS INFORMAÇÕES GENÉTICAS DAS CÉLULAS. LOCALIZADO NO NÚCLEO, NAS MITOCÔNDRIAS E PLASTOS.  RNA – ÁCIDO RIBONUCLEICO: É PRODUZIDO A PARTIR DO DNA. ESTÁ LOCALIZADO PRINCIPALMENTE NO CITOPLASMA. AUXILIA O DNA NO CONTROLE DA EXPRESSÃO DE CARACTERISTICAS HEREDITÁRIAS. Page  33
  34. 34. NUCLEOTÍDEOS  DNA E RNA SÃO MACROMOLÉCULAS (POLÍMEROS) FEITOS PELA UNIÃO DE NUMEROSAS MOLÉCULAS PEQUENAS (MONÔMEROS) DENOMINADOS NUCLEOTÍDEOS.  NUCLEOTÍDEO É COMPOSTO DE: – PENTOSE – FOSFATO – BASE NITROGENADA Page  34
  35. 35. NUCLEOTÍDEOS • AS PENTOSES QUE ENTRAM NOS NUCLEOTÍDEOS SÃO: – DESOXIRRIBOSE (C5H10O4) NO DNA – RIBOSE: (C5H10O5) NO RNA. • AS PENTOSES SÃO OS CENTROS DOS NUCLEOTÍDEOS. NELES LIGAM-SE OS FOSFATOS E AS BASES NITROGENADAS. • FOSFATO: H3PO4 (ÁCIDO FOSFÓRICO). – LIGA OS NUCLEOTÍDEOS ENTRE SI. – DÁ CARÁTER ÁCIDO AO DNA E RNA. Page  35
  36. 36. BASES NITROGENADAS • SÃO MOLÉCULAS QUE TEM REAÇÃO ALCALINA E RICAS EM NITROGÊNIO. • DERIVAM DE DOIS GRUPOS: • DA PURINA: BASES PÚRICAS. SÃO MOLÉCULAS MAIORES. – ADENINA (A) NO DNA E RNA – GUANINA (G) NO DNA E RNA • DA PIRIMIDINA: BASES PIRIMIDICAS. SÃO MENORES. – CITOSINA (C) NO DNA E RNA – TIMINA (T) EXCLUSIVA DO DNA – URACINA (U) EXCLUSIVA DO RNA Page  36
  37. 37. DNA • A MOLÉCULA DO DNA É MUITO GRANDE SENDO CONSTITUÍDA POR BILHÕES DE PARES DE NUCLEOTÍDEOS. • A MOLÉCULA DO DNA TEM A FORMA DE UMA ESCADA DE MARINHEIRO EM ESPIRAL. • OS CORRIMÕES DA ESCADA SÃO FEITOS POR DESOXIRRIBOSES E FOSFATOS. • OS DEGRAUS DA ESCADA SÃO FEITOS POR PARES DE BASES NITROGENADAS, LIGANDO-SE UMA ADENINA COM UMA TIMINA E UMA ADENINA COM UMA CITOSINA POR MEIO DE PONTES DE HIDROGÊNIO. • ENTRE UMA ADENINA E TIMINA HÁ DUAS PONTES DE H E ENTRE GUANINA E CITOSINA HÁ 3 PONTES DE H. Page  37
  38. 38. Page  38
  39. 39. FUNÇÃO DO DNA  O DNA É POR ASSIM DIZER A PROGRAMAÇÃO DE CADA CÉLULA. NELE FICA A INFORMAÇÃO GENÉTICA (OS GENES).  A INFORMAÇÃO GENÉTICA ESTÁ GUARDADA NA ORDEM EM QUE OS NUCLEOTÍDEOS APARECEM NA MOLÉCULA.  ALTERANDO A ORDEM DOS NUCLEOTÍDEOS MUDAMOS A INFORMAÇÃO GENÉTICA: SÃO AS MUTAÇÕES. Page  39
  40. 40. RNA  O RNA É PRODUZIDO A PARTIR DO DNA POR UM PROCESSO CHAMADO TRANSCRIÇÃO.  O RNA TEM SEMPRE CADEIA SIMPLES.  AO INVÉS DE DESOXIRRIBOSE TEM RIBOSE.  EM LUGAR DA TIMINA TEM URACILA.  O RNA AUXILIA O DNA NO CUMPRIMENTO DA INFORMAÇÃO GENÉTICA, AJUDANDO-O A PRODUZIR AS PROTEÍNAS DA CÉLULA. Page  40
  41. 41. VITAMINAS  Controlam as reações químicas do corpo. Podem ser:  Lipossolúveis – A, D, E, K – que se dissolvem bem nas gorduras;  HIPERVITAMINOSE: VITAMINAS EM EXCESSO  Hidrossolúveis – C e complexo B – que se dissolvem na água.  Não se acumulam no organismo. Page  41
  42. 42. VITAMINAS Page  42
  43. 43. VITAMINAS Page  43

×