O slideshow foi denunciado.
Silicose, asma relacionada ao trabalho e doença pulmonar obstrutiva crônica: doençasocupacionais respiratórias relacionada...
2ResumenObjetivo: Identificar y analizar las enfermedades respiratorias profesionales relacionadascon la extracción de min...
3relativamente comuns e seus efeitos se limitam ao desconforto brando e temporário e áinconveniência para o paciente. Poré...
4Espera-se, também, possibilitar um aporte teórico de forma que se possam auxiliaroutros profissionais da área na prevençã...
5apontamentos que se referiram a anotações que consideravam o problema da pesquisa,ressalvando as ideias principais e dado...
6tuberculose pulmonar. ”Estudos recentes mostram que mesmo em exposições a sílica dentrodos limites de exposições existem ...
7DPOC ocupacional. Contudo todas são indiscutivelmente perigosas, podendo causar invalidezou até morte, caso não sejam dia...
8Observa-se que nas citações expostas, os pesquisadores acreditam que os maioresfatores de risco de pneumoconiose ocupacio...
9de trabalho dos funcionários como em locais ermos ou com grande exposição aos resíduos derefinarias e escavações, para o ...
1013 Bagatin E, Jardim JRB, Stirbilov R, Doença pulmonar crônica ocupacional, J Bras Pnumol.2006;32( supl 1):S35-S40.14 Mo...
11Oficio 02/2012 Goiânia 11 de Agosto de 12de 2012A Revista Eletrônica de Enfermagem e Nutrição do CEEN/PUC-GOA/C: Roberta...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Silicose, asma relacionada ao trabalho e doença pulmonar obstrutiva crônica

2.240 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Silicose, asma relacionada ao trabalho e doença pulmonar obstrutiva crônica

  1. 1. Silicose, asma relacionada ao trabalho e doença pulmonar obstrutiva crônica: doençasocupacionais respiratórias relacionadas à extração de minérios 1Silicosis, work-related asthma and chronic obstructive pulmonary disease: occupationalrespiratory diseases related to mineral extractionLa silicosis, la labor relacionada con el asma y la enfermedad pulmonar obstructiva crónica: lasenfermedades respiratorias profesionales relacionadas con la extracción de mineralesMarques Adriana Fernandes, Fidelis Wanessa Serrano2, Brasileiro Marislei Espíndula3. Doençasocupacionais respiratórias relacionadas a extração de minérios. Revista Eletrônica deEnfermagem do Centro de Estudos de Enfermagem e Nutrição [serial on-line] 2012 Ago-Dez2(2) 1-16. Available from: <http://www.ceen.com.br/revistaeletronica>.ResumoObjetivo: identificar e analizar as doenças ocupacionais respiratórias relacionadas a extraçãode minérios, segundo a literatura publicada na Biblioteca virtual em Saúde no periodo entre2000 e 2011. Materiais e Método: estudo do tipo bibliográfico, exploratório e descritivo, daliteratura disponível em bibliotecas convencionais e virtuais. Resultados: identificou-se asprincipais doenças ocupacionais relacionadas a extração de minerios: silicose, asmarelacionada ao trabalho e doenças obstrutivas pulmonar crônica. Conclusão: há um deficti deatenção de politicas de saúde públicas e protocolos para ações mas eficazes com o intuito demelhorar e minimizar os riscos aos trabalhadores.Descritores: Doenças Ocupacionais, Exposição, Doenças Respiratórias.AbstractObjective: To identify and analyze the occupational respiratory diseases related tomineralextraction, according to literature published in the Virtual Health Library in the period between2000 and 2011. Materials and Methods: bibliographical study,exploratory anddescriptive literature available in conventional and virtual libraries. Results: we identified themain occupational related to extraction minerios: diseases, silicosis, work-related asthmaandCOPD. Conclusão: conclude a deficti the attention of public health policies and protocolsfor effective actions but in order to improve andminimize risks to workers.Descriptors: Occupational Disease, Exposure, Respiratory Diseases.1Artigo apresentado ao Curso de Pós-Graduação em Enfermagem do Trabalho13º, do Centro de Estudos deEnfermagem e Nutrição/Pontifícia Universidade Católica de Goiás.2Enfermeiras, especialistas em Enfermagem do Trabalho, e-mail: nessahfidelis@gmail.com, bratz_g12@hotmail.com .3Doutora – PUC-Go, Doutora em Ciências da Saúde – UFG, Mestre em Enfermagem, docente do CEEN, e-mail:marislei@cultura.trd.br
  2. 2. 2ResumenObjetivo: Identificar y analizar las enfermedades respiratorias profesionales relacionadascon la extracción de minerales, de acuerdo con la literatura publicada en la Biblioteca Virtualen Salud en el período comprendido entre 2000 y 2011. Materiales y métodos: estudiobibliográfico, exploratorio y descriptivo, la literatura disponible en lasbibliotecas convencionales y virtuales. Resultados: se identificaron las principalesenfermedades profesionales las relacionadas con la extracción minerios: lasilicosis, relacionada con el trabajo para el asma y la EPOC. Conclusão: concluir un deficti laatención de políticas públicas de salud y protocolos de actuación eficaces, pero con el finde mejorar y minimizar los riesgos a los trabajadores.Descriptores: Enfermedades, La Exposición Laboral, Las Enfermedades Respiratorias.1 IntroduçãoDe acordo com a observação empírica percebe-se que existe uma alta incidência dedoenças ocupacionais respiratórias em trabalhadores de minas, onde a mesma poderia serevitada amenizando ou eliminando os riscos, preservando assim a saúde do empregado. Issoporque as doenças ocupacionais ou profissionais são decorrentes de exposição a substâncias oucondições perigosas presentes nos processos e atividades profissionais. Um dos váriosexemplos disso é a silicose, mais comum em profissionais de mineração.A primeira publicação descrevendo a associação entre o trabalho de mineração e amanifestação da doença respiratória data de 1556, a obra de De Re metallica, de GeorgBawer1.A percepção empírica, confirmada por estudos e casos clínicos, comprova que aexposição a agentes poluentes nocivos sejam eles ambientais ou no local de trabalho. Aambiental se da à exposição em áreas de risco próximas a minas ou pontos de descartes deprodutos que são levados pelo ar (poeiras ou fumos), já á exposição no trabalho se dá devidoa inalação de poeiras, fibras e ou fumos, que causam lesões principalmente nos órgãos do tratorespiratório e outros.Doenças respiratórias são responsáveis por afetarem o funcionamento dos órgãos dotrato respiratório que são divididos em superior (nariz, seios paranasais e passagens nasais,faringe, tonsilas e adenoides, laringe e traqueia) e inferior (pulmões, brônquios e bronquíolos ealvéolos). As condições que afetam o trato respiratório inferior variam desde os problemasagudos os distúrbios crônicos de longo prazo. Muitos desses distúrbios são graves e, comfrequência, apresentam risco de vida2. Já os distúrbios que afetam o trato superior são
  3. 3. 3relativamente comuns e seus efeitos se limitam ao desconforto brando e temporário e áinconveniência para o paciente. Porém alguns são agudos, graves e com risco de vida2.As doenças mais comuns são: bronquite, sinusite, rinite, asma, gripe, resfriado,faringite, enfisema pulmonar, câncer de pulmão, tuberculose e pneumonia eoupneumoconioses. Suas causas podem ser as mais variadas possíveis como: fumo, alergias,fatores genéticos, infecção por vírus, e a exposição em ambientes como na maioria dos casosde pneumoconioses que estão relacionadas à inalação de poeira em ambientes de trabalhobastante comum na extração de minério3.No Brasil, existe uma ampla exposição ocupacional gerando a ocorrência depneumoconioses/doenças respiratórias, porém, poucos dados estão disponíveis acerca dessasocorrências, por se tratarem de doenças subdiagnosticadas e subnotificadas pelas empresas epelos profissionais da saúde. Em um estudo na região de Campinas – SP foram identificados1.147 casos de pnemoconioses, sendo 1.061 casos de silicose e 51 de pneumoconioses porpoeira mista4.Frente a esses índices existem leis e normas que buscam proteger a saúde dotrabalhador que são NR6 e 22 5, apesar de que não se encontraram na literatura, manuais ouprotocolos específicos para o enfermeiro atuar na prevenção e recuperação dessestrabalhadores.Nesse contexto o enfermeiro possui um papel importante na prevenção em todos osníveis de assistência à saúde, seja em instituição pública ou privada. Visando o bem estar dofuncionário e controle sobre a emissão e preenchimento do laudo de monitorização biológica,laudo técnico de condições ambientais de trabalho6.Diante disso surgem os questionamentos: Quais as doenças respiratórias ocupacionaisrelacionadas a extração de minérios? De que maneira o enfermeiro do trabalho pode atuar naprevenção dessas doenças e na recuperação desses trabalhadores?Espera-se, com este estudo, que se possam conhecer os fatores desencadeantes doprocesso saúde doença, e orientar os profissionais de Enfermagem de forma adequada comintuito de firmar diretrizes que o levem a intervenções práticas promovendo eou recuperandoa saúde dos trabalhadores.Acredita-se que com o maior conhecimento do enfermeiro do trabalho, o mesmo semobilize com treinamentos para os funcionários, quanto à exigência de uso de EPI ecumprimento das NRs 6 e 22 5, preservando assim os direitos e deveres dos trabalhadores.
  4. 4. 4Espera-se, também, possibilitar um aporte teórico de forma que se possam auxiliaroutros profissionais da área na prevenção as doenças respiratórias ocupacionais relacionadas àmineração.2 ObjetivosIdentificar e analisar as doenças ocupacionais respiratórias prevalentes nostrabalhadores na indústria de minérios e a atuação dos enfermeiros do trabalho frente àrealidade encontrada.3 Materiais e MétodoTrata- se de um estudo do tipo bibliográfico, exploratório e descritivo, da literaturadisponível em bibliotecas convencionais e virtuais.O estudo bibliográfico é aquele que desenvolvido exclusivamente a partir de fontes jáelaboradas, livros, artigos científicos, publicações periódicas, as chamadas fontes de “papel”.Tem como vantagem cobrir uma ampla gama de fenômenos que o pesquisador não poderiacontemplar diretamente. No entanto deve-se ter o cuidado ao escolher tais fontes, certificar-sede sejam seguras 7.Optou-se pelos estudos exploratórios e descritivos porque possuem como objetivosproporcionar maior familiaridade com o problema8.Após a definição do tema foi feita uma busca em bases de dados virtuais em saúde,especificamente na Biblioteca Virtual de Saúde – Bireme. Foram utilizados os descritores:Doenças Ocupacionais, Exposição, Doenças Respiratórias. O passo seguinte foi uma leituraexploratória das publicações apresentadas no Sistema Latino-Americano e do Caribe deinformação em Ciências da Saúde - LILACS, National Library of Medicine – MEDLINE e Bancosde Dados em Enfermagem – BDENF, Scientific Electronic Library online – Scielo, banco de tesesUSP, no período de 2000 a junho de 2012.Realizada a leitura exploratória e seleção do material, principiou a leitura analítica, pormeio da leitura das obras selecionadas, que possibilitou a organização das ideias por ordem deimportância e a sintetização destas que visou a fixação das ideias essenciais para a solução doproblema da pesquisa.Após a leitura analítica, iniciou-se a leitura interpretativa que tratou do comentário feitopela ligação dos dados obtidos nas fontes ao problema da pesquisa e conhecimentos prévios.Na leitura interpretativa houve uma busca mais ampla de resultados, pois ajustaram oproblema da pesquisa a possíveis soluções. Feita a leitura interpretativa se iniciou a tomada de
  5. 5. 5apontamentos que se referiram a anotações que consideravam o problema da pesquisa,ressalvando as ideias principais e dados mais importantes.A partir das anotações da tomada de apontamentos, foram confeccionados fichamentos,em fichas estruturadas em um documento do Microsoft Word, que objetivaram a identificaçãodas obras consultadas, o registro do conteúdo das obras, o registro dos comentários acerca dasobras e ordenação dos registros. Os fichamentos propiciaram a construção lógica do trabalho,que consistiram na coordenação das ideias que acataram os objetivos da pesquisa. Todo oprocesso de leitura e análise possibilitou a criação de duas categorias. Os resultados foramsubmetidos a leituras por professores do CEEN (Centro de Estudos de Enfermagem e Nutrição)que concordaram com o ponto de vista dos pesquisadores.A seguir, os dados apresentados foram submetidos à análise de conteúdo.Posteriormente, os resultados foram discutidos com o suporte de outros estudos provenientesde revistas científicas e livros, para a construção do relatório final e publicação do trabalho noformato Vancouver.4 Resultados e DiscussãoNos últimos dez anos ao se buscar as Bases de Dados Virtuais em Saúde, tais como oSistema Latino-Americano e do Caribe de informação em Ciências da Saúde - LILACS, NationalLibrary of Medicine – MEDLINE e Bancos de Dados em Enfermagem – BDENF, ScientificElectronic Library online – Scielo, banco de teses USP, utilizando-se as palavras-chaves:Doenças Ocupacionais, Exposição, Doenças Respiratórias, encontrou-se doze artigos queabordaram a respeito das doenças ocupacionais respiratórias prevalentes nos trabalhadores naindústria de minérios. Os resultados serão apresentados a seguir:4.1 As principais pneumoconioses ocupacionais são silicose, asma relacionada ao trabalho eDoença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC).Dos onze artigos, cinco estão em consenso quanto ao fato de que, as principaispneumoconioses ocupacionais são silicose, asma relacionada ao trabalho e DPOC, conforme épossível verificar na fala dos autores abaixo:Um estudo realizado em Minas Gerais – Brasil, indica que a silicose não é recente pois“essa doença é um antigo problema de saúde pública e sua ocorrência e bem conhecida emdiversos ramos de atividades econômicas, como mineração e metalúrgica...9”Dentre as doenças ocupacionais “... a silicose é a doença ocupacional que permanececomo um sério problema de saúde publica pela alta incidência e prevalência nas mineraçõessubterrâneas. As atividades de mineração constituem umas das principais formas de exposiçãoa sílica.” Exposições crônicas a poeira da sílica podem aumentar o risco de DPOC, enfisema e
  6. 6. 6tuberculose pulmonar. ”Estudos recentes mostram que mesmo em exposições a sílica dentrodos limites de exposições existem casos de silicose e até mesmo morte...10”Existe uma grande incidência de invalidez por doenças relacionadas ao trabalho “... asilicose é a doença ocupacional mais antiga dentro do grupo das pneumoconioses... A silicose ea principal causa de invalidez entre as doenças respiratórias ocupacionais. Existem três formasde apresentação clinica: a forma aguda que ocorre após poucos anos de exposição elevada, aforma acelerada que ocorre após um período de exposição de dez anos e a forma crônica queocorre depois de muitos anos de baixa intensidade, sendo a mais comum11.”A frequente exposição a agentes nocivos no trabalho afeta adultos jovens em idadeprodutiva, “... a asma relacionada ao trabalho ART é a doença respiratória associada aotrabalho de maior prevalência nos países desenvolvidos, variando de acordo com os perfiseconômicos regionais e estruturais dos sistemas de saúde. Afetando assim preferentementeadultos jovens em idade produtiva12.”Apesar da gravidade e frequência, as doenças pulmonares ocupacionais crônicas sãopouco abordadas no sistema de saúde. “Diversos estudos especialmente os de basepopulacional, revelaram a associação entre as exposições ocupacionais aos arerodispersoides eo comprometimento das vias áreas. Apesar da evidencia da ação dos agentes inalados sobre oaparelho respiratório, especialmente nas gêneses das DPOCs, os aerodispersoides ainda sãopoucos conhecidos como fatores etiológicos da doença pulmonar obstrutiva crônicaocupacional”...” A história ocupacional, mesmo com mínimo de detalhes ainda não e umapratica habitual na elaboração da anamnese, o que compromete a formulação da hipótesediagnóstica. Muitos estudos evidenciam a interação entre a exposição aos agentes inalados,ambientais e ocupacionais, e as doenças respiratórias. 13.”O trabalho em locais de risco e sem devidos cuidados geram um risco aos trabalhadores“... a exposição ao metal duro pode gerar quadros de asma ocupacional e de pneumopatiadifusa. Ocupações relacionadas á fabricação e ao refino desses metais, estão relacionadas aessas doenças 14.“Percebe-se que os autores citados, concordam que as doenças ocupacionais, maiscomuns aos trabalhadores de mineração, são a silicose, asma relacionada ao trabalho (ART) eDPOC ocupacional (enfisema, tuberculose pulmonar).Verificando ainda que à com maior incidência e a silicose, pois mesmo em casos ondeos trabalhadores em exposição à sílica permanecem dentro dos limites aceitos, desenvolvem asilicose. A ART e as DPOCs são menos frequentes, podendo isso ocorrer devido asubnotificação ou deficiência na historia ocupacional coletada, sendo ainda pouco abordada a
  7. 7. 7DPOC ocupacional. Contudo todas são indiscutivelmente perigosas, podendo causar invalidezou até morte, caso não sejam diagnosticadas precocemente.Nesse sentido e, para prevenir tais doenças, cabe ao enfermeiro do trabalho, conformeas Normas Regulamentadoras 6 e 22, garantir o cumprimento das mesmas para que se possadar um aporte à saúde dos trabalhadores. A NR6 dispõe sobre o uso de equipamentos deproteção individual e coletiva, usados no ambiente de trabalho, diminuindo ou eliminando osriscos inerentes ao trabalhador. Fornecer os equipamentos bem como instruir os trabalhadoresao uso correto e o porquê de utilizá-los. Gerando assim uma barreira, dificultando o agenteentrar em contato com o profissional, diminuindo o contato com os trabalhadores, garantindouma melhor condição de trabalho. Enquanto a NR22 dispõe sobre os parâmetros e diretrizes,que uma empresa na extração de minérios deve seguir5.Assim, as doenças ocupacionais respiratórias prevalentes nos trabalhadores na indústriade minérios exige uma atuação dos enfermeiros do trabalho, não somente preventiva, masinvestigativa e voltada para a educação dos trabalhadores e empregadores.4.2 Os fatores de riscos das pneumoconioses ocupacionais estão relacionados àexposição de poeiras na extração de minériosDos onze artigos encontrados, quatro estão em consenso quanto ao fato de que, osfatores de riscos das pneumoconioses ocupacionais estão relacionados à exposição de poeirasna extração de minérios, conforme é possível verificar nas falas dos autores abaixo:As lesões pulmonares e em outros órgãos ocorrem pela exposição ocupacional “que é aprincipal forma de contaminação para os funcionários, e ocorre principalmente pela inalação defibras e ou poeiras, que causam essas lesões”. A “exposição a agentes poluentes nocivos podeocorrer de duas maneiras: ambiental ou ocupacional: na forma ambiental toda a populaçãoestá exposta à ela, pois pode ser encontrada em localidades próximas às minas, ou pontos dedescartes de produtos, no contato com as roupas de funcionários contaminados pelapoeira”12.Essa poluição “ocupacional e ambiental na forma de poeiras, fumos, vapores, e gasestóxicos são fatores de risco importantes para o sistema respiratório e, em conjunto comfatores genéticos, doenças respiratórias na infância e tabagismo, constituem-se nos principaisdeterminantes da função pulmonar na idade adulta12.”No Brasil, “existe uma ampla exposição ocupacional gerando a ocorrência depneumoconioses/doenças respiratórias4. “Essa exposição torna-se frequente e grave pois as “pneumopatias estão relacionadasetiologicamente à inalação de poeiras em ambientes de trabalho15.”
  8. 8. 8Observa-se que nas citações expostas, os pesquisadores acreditam que os maioresfatores de risco de pneumoconiose ocupacional, para os funcionários das minas, independentede qual minério, está no seu próprio ambiente de trabalho. Estes são fibras, vapores, fumo,poeiras gases tóxicos e outros associados a fatores pré-existentes (genética, doençasrespiratórias crônicas de infância), tabagismo, e também, hábitos alimentares, prática ou/nãode exercícios físicos.O enfermeiro do trabalho poderá agir na forma de prevenção, orientação, educação eacompanhamento, diminuindo assim os riscos inerentes ao trabalho. Realizando oficinas e outreinamentos, expondo a necessidade de se fazer os exames periódicos, a real importância deuma vida mais saudável com a pratica de esportes e ou exercício físico, alimentaçãobalanceada, os riscos inerentes do tabagismo e alcoolismo, a boa convivência em sociedade,dando ao trabalhador o suporte para uma saúde completa no âmbito, físico, mental e social.Cabe, portanto, ao enfermeiro do trabalho, observar com atenção os casos em quehouver manifestações de prejuízo a saúde dos trabalhadores, procurar adaptá-los em outroslocais quando possível, dando aporte psicológico, evitando um desgaste com entre ofuncionário e a empresa, fazendo valer o direito dos mesmos.5 Considerações finaisO objetivo desse estudo foi identificar e analisar as doenças ocupacionais respiratóriasprevalentes nos trabalhadores nas indústrias de minérios e a atuação dos enfermeiros dotrabalho frente à realidade encontrada.Após a análise pode-se concluir que a silicose e a doença ocupacional respiratória commaior prevalência e também a mais antiga já diagnosticada, sendo seguida da asmarelacionada ao trabalho (ART) e as DPOCs ocupacionais. Percebendo assim a suapatogenicidade para com os trabalhadores podendo causar invalidez ou ate mesmo a morte eacometendo ainda jovens adultos em idade produtiva.Este estudo possibilitou uma maior compreensão dos riscos inerentes a saúde dosmineiros, e perceber o quão vulnerável os mesmos estão em seus ambientes de trabalhoindependente de carga horaria ou uso de EPIs. Pois mesmo em pouco contato com os resíduoso já podem estar em estado de evolução aguda ou ate mesmo crônica de algumapneumoconiose. Observa-se que no Brasil apesar da indústria de mineração ter grandeimportância para a nossa economia encontra vários obstáculos, tanto no âmbito politico comotambém em riscos aos seus empregados.Percebemos, portanto, a necessidade de ações educativas com intuito de alertar ostrabalhadores para os riscos inerentes aos que não usam o EPI, preocupação com as condições
  9. 9. 9de trabalho dos funcionários como em locais ermos ou com grande exposição aos resíduos derefinarias e escavações, para o desenvolvimento seguro e saudável de seu serviço, evitandoassim os acidentes de trabalho e preservando a sua saúde garantindo um melhor desempenhodos mesmos na empresa. Também identificamos a falta de politicas públicas e/ou protocolosde ação do enfermeiro do trabalho, tanto no âmbito do empregado como no âmbito da saúdepública.6 Referências1 Bagatine E, Kitamura S. História ocupacional. J Bras Pneumol. 2005; 32(sulp 1):S12-S16.2 Suzanne CS, Brenda GB. Tratado de Enfermagem Medico-Cirúrgica, 10º edição, Volume 1;Tratamento do paciente com distúrbios torácicos e do trato respiratório inferior;522- 547.3 Bagatin E, Doenças Pulmonares Ocupacionais. PneumoAtual. Maio, 2001.4 Lidio AV, Kimatura S. Exposição ocupacional e ocorrência de peneumoconioses na região deCampinas (SP) Brasil, 1978-2003 J Bras Pneumo. 2008; 34(6): 367-372.5 Segurança e Medicina do Trabalho, 68° Edição; NR- 6 pagina 77 á 82;NR- 22. São Paulo:Editora Atlas S.A; 2011: 405-439.6 Conselho federal de enfermagem Resolução COFEN-289/2004, artigos 1° ao 4°. Rio deJaneiro: COFEN; 2004.7 Alves M. Como escrever teses e monografias 2 edição. São Paulo: Editora campus; 2007.8 Ponte VMR, Oliveira MC, Moura HJ, Barbosa JV, Analise de metodologias e técnicas depesquisas adotadas nos estudos brasileiros sobre balanced scorecard: um estudo dos artigospublicados de 1999 a 2006; 2.2-1.9 Ferreira LR, Pinheiro TMM, Siqueira AL, Carneiro APS. A silicose e o perfil dos lapidários depedras semipreciosas em Joaquim Felício, MG, Brasil, Cad. Saúde Publica RJ, 2417:1517-1526,2008.10 Carneiro APS, Barreto SM, Ciqueira AL, Rocca PFL, Índice a exposição a sílica na atividadede ouro, Rev Saúde Pública, 2006; 40(1):83-91.11 Gutierrez TM, Garcia COND, Morales NN, Rocco PRM. Entendendo a fisiopatologia dasilicose, Pulmão RJ 2008; 17(1): 33-37.12 Fernandes ALG, Stelmach R, Algrant E, Asma ocupacional, J Bras pneumol. 2006;32(supl)S27-S34.
  10. 10. 1013 Bagatin E, Jardim JRB, Stirbilov R, Doença pulmonar crônica ocupacional, J Bras Pnumol.2006;32( supl 1):S35-S40.14 Moreira MAC, Cardoso ARD, Silica DGST, Queiroz MCCAM, Oliveira AA, Noleto TMA,Pneumoconiose por exposição a metal duro com pneumotórax bilateral espontâneo, J BrasPneumol. 2010;36(1):148-151.15 Capitani EM, Algranti E, Outras pneumoconioses, J Bras Pneumol. 2006;32(supl 2): S72-S77.
  11. 11. 11Oficio 02/2012 Goiânia 11 de Agosto de 12de 2012A Revista Eletrônica de Enfermagem e Nutrição do CEEN/PUC-GOA/C: Roberta Vieira FrançaVimos por meio deste, encaminhar nosso artigo cujo título é “Doenças OcupacionaisRespiratórias Relacionadas a Extração de Minérios em publicações na Biblioteca virtual emsaúde no período de 2000 a 2011”, a fim de ser avaliado e publicado pela Comissão Editorial.Eu, Marislei Espíndula Brasileiro, Enfermeira, residente na Rua T-37 n° 3832, EdifícioCapitólio, apto 404, Setor Bueno – Goiânia/GO, e-mail: marislei@cultura.trd.br, fone: (62)3255 4747, assino autorizando sua publicação.____________________________________________________________________Eu, Adriana Fernandes Marques, Enfermeira, residente na Rua Mossoró n° 65 Qd.18Lt.03, Setor Parque Amazônia – Goiânia/GO, e-mail: adriana.fmarques30@gmail.com, fone:(62) 92832314, assino autorizando sua publicação._____________________________________________________________________Eu, Wanessa Fidelis Serrano, Enfermeira, residente à Rua 1 nº14 Bairro Sao SebastiaoUruaçu Go. , e-mail: nessahfidelis@gmail.com, fone: (62) 85643307, assino autorizando suapublicação._____________________________________________________________________Sem mais para o momento, agradecemos.

×