Dengue situação atual e desafios

1.003 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Dengue situação atual e desafios

  1. 1. Giovanini Evelim CoelhoCoordenador da CGPNCDCoordenador da CGPNCDDengue:situação atual e desafios
  2. 2. Zonas de risco de transmissão de dengueFonte:OPS/OMS 100 milhões de casos por ano
  3. 3. Número de países com notificações de dengue eFebre Hemorrágica da Dengue2 2 3 3 4 3 4 3 3 4 3 4 5 68 8 9 9 10 91615 1513161422 232126222420 19243434322440336962575354 53010203040506070801959196219651968197119741977198019831986198919921995199820012004NúmerodePaísesFonte:OPS/OMS
  4. 4. Evolução da Febre Hemorrágica da Dengue nasAméricas1968 - 19805 Países: 60Casos1968 - 19805 Países: 60Casos1981 - 200528 Países: >139.000Casos1981 - 200528 Países: >139.000CasosFonte:OPS/OMS
  5. 5. < 5050 - 100> 100 - 200> 200Sin datosNo existem casosautoctonos1990-19991990-1999Incidencia* de dengue nasAmericas 1980-2007* Tasa de incidencia x 100,000 habitantes1980-19891980-1989 2000-20072000-2007Fonte:OPS/OMS
  6. 6. Determinantes para a Expansão da DengueAumento da densidade populacional em áreas urbanas- Concentração de indivíduos susceptíveis/risco de epidemias• Abastecimento irregular de água e aumento daprodução do lixo urbano- Oferta de criadouros artificiais do Aedes aegypti
  7. 7. Determinantes para a Expansão da Dengue• Aumento no transporte de pessoas e cargas- Disseminação da transmissão e dispersão do vetorAumento na mobilidade da população e do fluxo deturistas (interno e externo)- Potencial para ocorrência de epidemias• Mudanças climáticas- Novas áreas geográficas com transmissão
  8. 8. Crescimento da PopulaçãoFonte: IBGE, Anuários Estatísticos do Brasil; planetageo.sites.uol.com.brPopulação dobrouentre 1970 e 2000.2000 – 2004: de 10milhões de pessoas2000: 81% da pop. emáreas urbanas2050: Seremos 259,8milhões de brasileiros
  9. 9. Abastecimento de água18 milhões de pessoas semacesso a água encanada emáreas urbanasEntre os atendidos, boaparte convive com serviçosprestados de forma precáriaA intermitência noabastecimento afeta 20% dosdistritos abastecidosFonte: Pesquisa Nacional de Saneamento - 2000
  10. 10. LixoProdução de 125 mil ton/dia32% do lixo urbano concentradoem 13 cidades com mais de 1milhão de habitantes63,6% dos municípios utilizamlixões (sem destino adequado)Fonte: Pesquisa Nacional de Saneamento - 2000
  11. 11. Turismo InternacionalDe 250 mil para 4,8 milhões deturistas de 1970 - 199838% dos turistas internacionaisvisitaram o Rio (2002 a 2004)Previsão de 14 milhões deturistas internacionais até 2020Fontes: Instituto EcoBrasil
  12. 12. Viagens aéreas2007• 45,0 milhões de passageirosdomésticos• 4,9 milhões passageirosinternacionais• Transporte regular de passageirospara 31 paísesFontes: Anuário do Transporte Aéreo – VolI - ANAC
  13. 13. Casos de dengue e hospitalizações, Brasil, 1982 a2008**Dados de Hospitalizações de Janeiro a Setembro em 2008Ondas epidêmicas emáreas localizadasEndêmico/Epidêmico - Circulaçãodo vírus em todas regiõesAumento de CasosGraves em criançasDengue no BrasilDengue no Brasil010000020000030000040000050000060000070000080000090000086 87 88 89 90 91 92 93 94 95 96 97 98 99 00 01 02 03 04 05 06 07 08Casosnotificados01000020000300004000050000600007000080000HospitalizaçõesCasos notificados HospitalizaçõesDENV2DENV1DENV3
  14. 14. Casos notificados e internações de dengue por mês, Brasil,1998 – 2008** Barras escuras representam o mês de janeiro050,000100,000150,000200,000250,000300,00098 99 00 01 02 03 04 05 06 07 08Casosnotificad020004000600080001000012000140001600018000HospitalizaçõCasos notificados HospitalizaçõesDengue no BrasilDengue no Brasil
  15. 15. Casos confirmados de FHD, Brasil, 1990 – 2008**Dados até a s.e 39, sujeitos à alteraçãoLetalidadeDengue no BrasilDengue no Brasil01000200030004000500005101520253035404550FHD Óbitos LetalidadeFHD 274 188 0 0 25 114 69 46 105 72 62 682 2714 727 103 463 682 1586 3848Óbitos 8 0 0 0 11 2 1 9 10 3 5 29 150 38 8 45 76 159 213Letalidade 2,92 0,00 0,00 0,00 44,00 1,75 1,45 19,57 9,52 4,17 8,06 4,25 5,53 5,23 7,77 9,72 11,14 10,03 5,541990 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008
  16. 16. (1) Casos x 100.00Curva de Incidência (1) Brasil, 1986 a 2007Curva de Incidência (1) Brasil, 1986 a 20070100200300400500IncidênciaBR 35 65 1 4 27 71 1 5 37 88 117 156 327 128 144 254 455 196 66 135 185 29686 87 88 89 90 91 92 93 94 95 96 97 98 99 00 01 02 03 04 05 06 07Dengue no BrasilDengue no Brasil
  17. 17. Sorotipos Isolados em 2008*Sorotipos Isolados em 2008**Atualizado em 30.09.2008.** No Estado de SC e RS não há registro de casos autóctones de dengue.AMACMSGOSPPRTOPIALPECESC**Fonte: LRN/LRR/LREMAMGESRJAPRRACRNPBPABAROMTRSSEDEN 2DEN 3DEN 1 e 2DEN 1 e 3DEN 2 e 3DEN 1, 2 e 3Sem Informação / sem positividade
  18. 18. Casos notificados de dengue por sexo e categoria depopulação do municípioPop 50 - 100 mil0%20%40%60%80%100%2000 2001 2002 2003 2004PercentualdecasosnotificadosPop >100 - 500 mil0%20%40%60%80%100%2000 2001 2002 2003 2004PercentualdecasosnotificadosPop >500 mil - 1 milhão0%20%40%60%80%100%2000 2001 2002 2003 2004PercentualdecasosnotificadosPop > 1 milhão0%20%40%60%80%100%2000 2001 2002 2003 2004PercentualdecasosnotificadosFemMascCaracterCaracteríísticas da dengue no Brasilsticas da dengue no Brasil
  19. 19. Casos de dengue e febre hemorrágica da dengue, deacordo com a idade, Brasil, 1998-200220022001200019991998Idade 100806040200DCFHDCaracterCaracteríísticas da dengue no Brasilsticas da dengue no Brasil
  20. 20. Casos de dengue e febre hemorrágica da dengue, deacordo com a idade, Manaus-AM, 1998-2003200320022001200019991998Idade 806040200DCFHDCaracterCaracteríísticas da dengue no Brasilsticas da dengue no Brasil
  21. 21. Casos confirmados de acordo com idade, Brasil, 2000– 2008**Dados preliminares em 2008CaracterCaracteríísticas da dengue no Brasilsticas da dengue no Brasil
  22. 22. Casos confirmados de acordo com idade e categoria depopulação, Brasil, 2000 – 2008*CaracterCaracteríísticas da dengue no Brasilsticas da dengue no Brasil
  23. 23. Casos notificados e hospitalizados de acordo com idade,Brasil, 2000 – 2008*
  24. 24. >1000100 - 50050 -100500 -1000Casos notificados e hospitalizados de acordo com idade e porte domunicípio - Brasil, 2000 – 2008*
  25. 25. Proporção de casos hospitalizados de dengue deacordo com faixa etária, Brasil, 1998 – 2008**Dados preliminares em 20080%20%40%60%80%100%1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008< 5 5 to 9 10 to 14 15 to 19 20 to 39 40 to 59 >= 60CaracterCaracteríísticas da dengue no Brasilsticas da dengue no Brasil
  26. 26. Taxa de hospitalização* por dengue / FHD por faixa etária,Brasil, 1998, 2002 e 2008**Faixa Etária (anos) 1998 2002 2008<1 1.2 8.0 53.01 a 4 1.1 10.8 33.75 a 9 1.6 15.9 65.110 a 14 2.6 23.1 57.415 a 19 3.7 32.8 38.020 a 39 4.8 37.7 32.940 a 59 5.3 38.3 30.7>=60 7.0 44.7 31.1Total 2.7 20.9 38.2*Hospitalizações por 100 mil habitantes **Dados preliminares em 2008CaracterCaracteríísticas da dengue no Brasilsticas da dengue no Brasil
  27. 27. 0500010000150002000025000300001 3 5 7 9 11 13 15 17Primeiros 18 Anos de FHD na Ásia e nas AméricasAnos após o início da FHD(1955-1973) (1984-2001)CenCenáários narios na ÁÁsia e Amsia e Amééricasricas
  28. 28. Prevalence of severe clinical manifestations of dengue in infants,children, and adultsSigns of plasma leakage (hemoconcentration, pleural effusion, and/or ascitesInfants, < 1 year old; children, 1–14 years old; adults, > 14 years old.Fonte: Hammond et al, 2005. Differences in dengue severity in infants, children, andadults in a 3-year hospital-based study in Nicaragua - Am. J. Trop. Med. Hyg., 73(6).CaractCaractééristicas da dengue na Nicarristicas da dengue na Nicarááguagua
  29. 29. ComentComentááriosrios• Epidemiologia da dengue no Brasil– Características incomuns– Dengue/FHD: adultos– Predomínio de quadros clínicos leves /moderadas– Surgimento de outras formas graves edeslocamento de gravidade para crianças– 2002 - numero de óbitos por dengue (n=150)superou óbitos por malária– 2007/2008 Aumento no número de óbitosincluindo crianças
  30. 30. Resumo 2008*Resumo 2008**Dados provisórios sujeitos à alteraçãoEntre os meses de Janeiro e Setembro (semanas 1 a 39) foramnotificados 764.040 casos, o que representa um aumento de45,8% se comparado ao mesmo período de 2007.Dezenove estados apresentam aumento no número de casos:RO, AC, AM, RR, PA, TO, CE, RN, PB, PE, AL, SE, BA, MG, ES,RJ, SC, GO e DF.Confirmação de 3.848 casos de FHD e 213 óbitos;16.104 casos de Dengue com Complicação e163 óbitos
  31. 31. Desafios Atuais do PNCDDesafios Atuais do PNCDLimitações dos métodos de controle disponíveisVulnerabilidade sócio-ambientalEpidemias em grandes centros com aumento das formas gravese de óbitosEstratégias sustentáveis de mudança de comportamento dapopulaçãoA execução de ações intersetoriais e integradasO controle em regiões metropolitanas: heterogeneidade dasatividades de combate ao vetor entre os municípiosMonitoramento e acompanhamento
  32. 32. EstratEstratéégias para Enfrentamentogias para Enfrentamentodos Desafiosdos Desafios
  33. 33. Rede Nacional de Monitoramento da ResistênciaRede Nacional de Monitoramento da Resistência100 municípiosavaliadosLaboratórioSES/CELaboratório o AgeuMagalhães/PELaboratórioSUCENFiocruz /RJLaboratórios dereferênciaProtocolo de avaliação
  34. 34. Bacillus thurigensis israelensisBacillus thurigensis israelensis -- BTIBTI formulações existentes no mercadoReguladores de CrescimentoReguladores de Crescimento –– IGRsIGRsMetoprenePyriproxifenDiflubenzuronTriflumuronNovaluronAnálogos dehormônio JuvenilInibidores desíntese de quitinaAvaliaAvaliaçção de novos larvicidasão de novos larvicidas
  35. 35. Qualificando os indicadores larvQualificando os indicadores larvááriosriosLIRAa- Levantamento Rápido de AedesaegyptiMétodo simplificado para determinaçãodos índices larvários de A. aegypti ,realizado em amostras de dois estágios(casas/quarteirões)Vantagens• Status de infestação da cidade em umasemana• Informação rápida e oportuna• Identifica principais criadouros e áreascríticasI I P<11,0 a 3,9>3,9SatisfatórioAlertaRisco de surtoRegião Sudeste – LIRAa 2007
  36. 36. Avaliação de Armadilhas para a Vigilância Entomológica de Aedesaegypti com Vistas à Elaboração de Novos Índices de Infestação(FIOCRUZ/SVS)Estudo emAndamentoMosquiTRAPAdulTRAPBGS TRAPOvitrampaBusca de Novos Indicadores EntomolBusca de Novos Indicadores Entomolóógicosgicos
  37. 37. LegislaLegislaççãoãoSuporte Legal para asAtividades de Campo• Casas abandonadas oufechadas• Recusas• Distribuídas para asSecretarias de Saúde
  38. 38. AAçções de Saneamento Ambientalões de Saneamento AmbientalDestinação de Pneus – Cooperação com Iniciativa Privada851352202833230501001502002503003502004 2005 2006 2007 2008Evolução do número ecopontos
  39. 39. Formas Graves eFormas Graves e ÓÓbitosbitosMédicos de referência (clínicos e pediatras) em todas UFProtocolo de manejo de pacientes – Médicos e enfermeirosMaterial para capacitaçõesFicha de investigações de óbitos380 mil 330 mil 5 mil 300 mil
  40. 40. CEVESP/BAGEVS/PBCIEVS/SCRede Nacional de Alerta e Resposta àsEmergências em Saúde Pública (Rede CIEVS)PreparaPreparaçção para Epidemiasão para Epidemias
  41. 41. Critério: maior potencialde circulação do tipo 2da dengueReuniões:SE: 14 e 15/7MG: 19 e 20/8ES: 21 e 22/8RO: 28 e 29/8RN: 2 e 3/9CE: 2 e 3/9PA: 4 e 5/9AL: 18 e 19/9BA: 18 e 19/9SP: 30/9 e 1/10GO: 2 e 3/10RJ: 9 e 10/10Planos de Enfrentamento da DenguePlanos de Enfrentamento da Dengue
  42. 42. InformaInformaçção e Mobilizaão e MobilizaççãoãoSociedade civil• Plano de mobilização social para universalizar as mensagens dadengue a todas as regiões, estados e municípios brasileiros, eincentivar a criação de comitês e mutirões comunitários.Parceria com instituições• Públicas: Caixa, Infraero, Banco do Nordeste, Petrobras, etc.• Privadas: Coca-Cola, McDonalds, Carrefour, TVs, Unilever, etc.• Terceiro setor: CFM, Associação Brasileira de Supermercados,Pastoral da Criança, etc.
  43. 43. Oferta de novas tecnologias aos municípios:Armadilha para mosquito com sistema de monitoramento em tempo realCapacidade de resposta rápida em surtoPotencial de racionalização das medidas de controleAdesão: 11 municípios, sendo 7 capitaisTeste NS1Monitoramento do sorotipo viral com teste de sangueMaior capacidade de detecção da entrada de novos sorotiposDiagnóstico em 15 minutos.Adesão: 10 municípios, sendo 6 capitaisNet DengueDetecção precoce de epidemiasPopulação informa via internet sobre transmissão ou suspeitaAdesão: 3 municípiosNovas tecnologiasNovas tecnologias
  44. 44. Instituído em 10 de outubro de 2008 (portaria nº 2.144)Objetivo: Implementar, dentro de cada área de atuação,ações de prevenção e controle da dengue e atenção aopaciente.Composto pelos seguintes órgãos:Ministério da Saúde (coordenador)Casa Civil da Presidência da RepúblicaSecretaria de Comunicação SocialMinistério das CidadesMinistério da DefesaMinistério da EducaçãoMinistério da Integração NacionalMinistério da JustiçaMinistério do Meio Ambiente eMinistério do TurismoArticulaArticulaççãoãoGrupo Executivo InterministerialGrupo Executivo Interministerial

×