Aula 4 - Quarto Período - A Idade Média Cristã

8.169 visualizações

Publicada em

É o período mais longo, e trágico, da história da Igreja Cristã, cerca de mil anos, metade de toda história até o presente. Dez séculos de distanciamento dos princípios, doutrinas e práticas bíblicas. Quase todas as vozes foram silenciadas (IRs 19:14,18). Esse foi também um período de protestos por uma práxis, na Igreja, que correspondesse aos ditames da Palavra de Deus.

Publicada em: Educação
0 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
8.169
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
147
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1.135
Comentários
0
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula 4 - Quarto Período - A Idade Média Cristã

  1. 1. Lição 04 QUARTO PERÍODO: A IDADE MÉDIA CRISTÃ Séculos V a XVFonte: História da Igreja: dos primórdios à atualidade (IBUHT)
  2. 2. LEITURA BÍBLICA ~ Gl 1.8-118 Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céuvos anuncie outro evangelho além do que já vostenho anunciado, seja anátema.9 Assim, como já vo-lo dissemos, agora de novotambém vo-lo digo. Se alguém vos anunciar outroevangelho além do que já recebestes, seja anátema.10 Porque, persuado eu agora a homens ou a Deus?ou procuro agradar a homens? Se estivesse aindaagradando aos homens, não seria servo de Cristo.11 Mas faço-vos saber, irmãos, que o evangelho quepor mim foi anunciado não é segundo os homens.
  3. 3. ~ ESBOÇO ~ INTRODUÇÃO I A IGREJA MEDIEVAL1 A Vida da Igreja; 2 O Culto e a Religião Popular; 3 AsRiquezas da Igreja e 4 O Papado II O GRANDE CISMA DO ORIENTE1. Algumas razões principais para o Grande Cisma e 2. AIgreja Ortodoxa Hoje III AS CRUZADAS IV MOVIMENTOS DE PROTESTO1 Os Valdenses (1170); 2 João Wycliffe ( 1328 - 1384) e 3JOÃO HUSS (1373 - 1415) IV A EVOLUÇÃO DO CATOLICISMO ROMANO CONCLUSÃO
  4. 4. INTRODUÇÃO É o período mais longo, e trágico, da história da IgrejaCristã, cerca de mil anos. Dez séculos de distanciamento dosprincípios, doutrinas e práticas bíblicas. Quase todas as vozesforam silenciadas. Esse foi também um período de protestospor uma práxis, na Igreja, que correspondesse aos ditames daPalavra de Deus. A Igreja mais era uma forçapolítica que uma extensão doReino de Deus na terra. O papatornara-se senhor absoluto daIgreja que se estendia por todoo território da antigo ImpérioRomano. Aquela que antesdependia só de Deus, tornara-seagora um negócio de homens.
  5. 5. I A IGREJA MEDIEVAL1 A Vida da Igreja O declínio moral e espiritual peloqual passava a Igreja nesse períodorefletia-se em todos os seusaspectos, em todos os lugares.Embriagues e adultério eram osmenores vícios de um cleroapodrecido. Por toda Europa onúmero de sacerdotes envolvidos emescândalos era bem maior que os devida honesta. Entre eles prevalecia aignorância e o abandono de seusdeveres para com suas igrejas. Eramacusados de roubo e venda de ofícios.
  6. 6. 2 O Culto e a Religião Popular Era ministrado ao povo sacramentos que ocupavam a maiorparte da adoração:a) batismo; b) confirmação; c) eucaristia; d) penitência; e)extrema unção; f) ordem; g) matrimônio. Os sacerdotes ensinavam que osimples cumprimento dessessacramentos era fator determinantepara a salvação. A missa era oelemento central do culto. Eracelebrada com muito esplendor pormeio de cerimônias, movimentos,vestimentas caríssimas, músicasolene e belíssimos templos, tudocom objetivo de impressionar oespírito através dos sentidos.
  7. 7. 3 As Riquezas da Igreja Desde o Imperador Constantino o clero vinha isento dopagamento de impostos. Governos posteriores dispuseram quesó fossem ordenados para o sacerdócio os de “pequenafortuna”, de poucas posses, de pouca ou nenhuma formação. Assim a igreja passou a recebernão só ofertas dos fiéis mas foram-lhe doadas muitas extensões deterras, inúmeros edifícios para finsreligiosos. A Igreja tornou-se ricana Europa chegando a dominar aquarta parte dos territórios daFrança, Alemanha e Inglaterra.Rendas incalculáveis enchiam oscofres da Igreja, isso sem falar dodinheiro arrecadado na venda dasindulgências.
  8. 8. 4 O Papadoa) Origem: Tudo começou com Constantino presidindo o 1º Concíliodas Igrejas (313). Depois foi construído a primeira basílica emRoma. Em 402 Inocêncio I dizendo-se governante das Igrejasexigiu que todas as controvérsias fossem levadas a ele. Em 440 Leão I aumentou sua autoridade, sendo visto poralguns historiadores como o primeiro papa. Em 445 o Imperador Romano Valentiniano III reconheceu apretensão do papa de exercer autoridade sobre as igrejas. A palavra "papa" significa pai. Até o ano 500 todos osbispos ocidentais foram chamados assim. Aospoucos, restringiram esse tratamento aos bispos de Roma, quevalorizados, entenderam que a Capital do império desfeitodeveria ser sede da Igreja.
  9. 9. b) As Tradições: No segundo séculosurgiu uma tradiçãopropalada por Irineu deque tanto Paulo comoPedro, haviam fundado edirigido aquela igreja. Jerônimo chega adizer que Pedro governouesta igreja durante 25anos. Assim, mais e maisfoi se solidificando alenda de que Pedro haviafundado a igreja emRoma e transferido paralá o seu pontificado.
  10. 10. II O GRANDE CISMA DO ORIENTE Tanto a igreja católicaocidental, liderada porRoma, como a alaoriental, liderada porConstantinopla, já haviaincorporado em suaspráticas e liturgias váriospontos que seriamquestionados de formaincisiva pela Reforma doséculo XVI. Pontos estesque deram lugar à separaçãoentre o leste e o Igreja Católica Apostólicaoeste, culminando, em Ortodoxa e a Igreja Católica Apostólica Romana.
  11. 11. 1. Algumas razões principais para o Grande Cisma:a) controvérsia iconoclástica, uma discordância contra autilização de imagens.b) falta de predisposição tanto do papa, em Roma, como doPatriarca, em Constantinopla, de se submeterem um ao outro.c) diferenças culturaisexistentes entre o oriente e oocidente. A igreja oriental foificando cada vez maisintrospectiva, monástica emística. A igrejaocidental, mais inovadora eeclética na absorção de
  12. 12. 2. A Igreja Ortodoxa Hoje É um ajuntamento deigrejas autogovernadas.São administrativamenteindependentes e possuemvários ramos, emboratodas reconheçam apreeminência espiritualdo Patriarca deConstantinopla. Dãoenorme importância atradição. Retornaram àprática de veneração eadoração dos ícones. Eexiste um intensoritualismo eformalismo, na sua
  13. 13. III AS CRUZADAS Objetivavam “converter”, por quaisquer meios, inclusivea espada, povos e nações ao cristianismo. Eram Expedições de caráter "militar" organizadas pelaIgreja, para combaterem os inimigos do cristianismo elibertarem a Terra Santa (Jerusalém) das mãos dessesinfiéis. O termo Cruzadas passou a designá-lo em virtude deseus adeptos (os chamados soldados de Cristo) seremidentificados pelo símbolo da cruz bordado em suasvestes. A Igreja sempre defendia a participação dos fiéis naGuerra Santa, prometendo a eles recompensas divinas,como a salvação da alma e a vida eterna, através desucessivas pregações realizadas em toda a Europa.
  14. 14. IV MOVIMENTOS DE PROTESTO No início do século XII surgiram vários movimentos deoposição à atitude do clero e ao estado moral da Igreja porparte de vários homens. Vejamos alguns:1 Os Valdenses (1170). Lideradospor Pedro Valdo, um comerciante deLyon, na França, distribuiu todo oseu dinheiro entre os pobres vindo atornar-se um evangelista itinerante.À ele juntaram-se grandesmultidões que faziam frente à Igrejaespiritualmente enfraquecida.Ainda que perseguidos pelainquisição papal continuaramsempre ativos no ensino doEvangelho e na distribuição demanuscritos parciais das Escrituras.
  15. 15. 2 João Wycliffe ( 1328 - 1384). Queria reformar a Igreja romanaatravés da eliminação dos clérigos imorais e pelo despojamentode sua propriedade , que , segundo ele, era a fonte da corrupção.As habilidades de Wycliffe influenciaram na preparação docaminho para a reforma na Inglaterra. Ele deu aos ingleses suaprimeira Bíblia no vernáculo e criou o grupo lolardo paraproclamar ideias evangélicas entre o povo comum da Inglaterra.3 JOÃO HUSS (1373 - 1415). Reformador religioso e patriota tcheco.Apoiado, de início, pelas autoridades traduziu o Novo Testamentopara o tcheco e publicou vários livros: da glorificação do sangue deJesus Cristo, Contra a adoração das imagens, Vida e Paixão deCristo segundo os quatro Evangelhos. Excomungado deixou Pragaa pedido do imperador, e posteriormente foi sentenciado àfogueira. Queimaram-no noprópriodiadacondenação.
  16. 16. V A EVOLUÇÃO DO CATOLICISMO ROMANO – Séc. V a XV400 – Maria passa a ser considerada “mãe de Deus” e oscatólicos começam a interceder pelos mortos;431 – Instituição do culto a Maria no concílio de Éfeso;451 – Surge a doutrina da virgindade perpétua de Maria;503 – É criada a doutrina do purgatório;554 – 25 de dezembro oficializado como o nascimento deCristo;600 – Gregório, o Grande, torna-se o primeiro Papa.787 – Instituição do culto às imagens e às relíquias no IIConcílio de Nicéia;850 – Concílio de Paiva. Instituição do rosário e da coroa davirgem Maria e da doutrina da transubstanciação;
  17. 17. 880 – Início da canonização dos santos;1073 – Instituída a doutrina do celibato pelo Papa Hildebrando1094 – No Concílio de Clermont a Igreja Católica cria asindulgências ( venda de salvação );1100 – Institui-se o pagamento pelas missas e pelo culto aossantos;1184 – A “Santa Inquisição” é estabelecida no Concílio deVerona;1229 – A Igreja Católica proíbe aos leigos a leitura da Bíblia;1317 – João XII ordena a reza “ Ave Maria ”;1500 – Celebrada a primeira missa no Brasil;
  18. 18. CONCLUSÃO Vimos aqui cerca de mil anos de história, um períodode protestos por uma ortodoxia e ortopraxia, na Igreja, quecorrespondesse aos ditames da Palavra de Deus, ao custo daprópria vida. Veremos na próxima aula, que estes protestosresultaram na Reforma Protestante proporcionando liberdadede acesso a Palavra de Deus e um novo tempo para os fiéisque agora descobriam o caminho de relacionamento diretocom o Senhor. Soli Deo gloria! Ir. Adriano Pascoa e-mail e msn: adrianoiuris@hotmail.com Facebook: http://www.facebook.com/adrianoiuris

×