SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 38
Baixar para ler offline
GEOMETRIA MOLECULAR
Professora : Adrianne Mendonça
GEOMETRIA MOLECULAR
 As moléculas formadas por ligações
covalentes podem apresentar de dois a
milhares de átomos.
 Os átomos se alinham formando formas
geométricas em relação aos núcleos dos
átomos.
 TEORIA DA REPULSÃO DOS PARES
ELETRÔNICOS DA CAMADA DE
VALÊNCIA.
 Os pares eletrônicos ao redor de um átomo
central – participantes ou não de ligações
covalentes – devem estar dispostos de modo a
garantir a menor repulsão possível.
O2
 Moléculas diatômicas (apenas 2 átomos)
SEMPRE
apresentarão
geometria linear!!!!
PARA MOLÉCULAS MAIORES
PODE SER:
a. Linear se não sobrar elétrons no elemento central
após estabilizar.
Ex: HCN (H- C≡N) ; CO2 (O = C = O ); BeH2 (H – Be – H) ,
etc.
BeH2
CO2
2. MOLÉCULA COM TRÊS ÁTOMOS
PODE SER:
b. Angular se sobrar elétrons no elemento central
após estabilizar.
Ex: H2O; O3; SO2
(molécula da H2O) (molécula de SF2)
PODE SER:
a.Trigonal Plana se não sobrar elétrons no elemento central após
estabilizar ;
Ex: H2CO3; SO3; BH3 ;
molécula de BI3
b. Trigonal Piramidal se sobrar elétrons no
elemento central após estabilizar.
 Ex: NH3; PCl3
4. MOLÉCULA COM CINCO
ÁTOMOS SERÁ:
Tetraédrica se não sobrar elétrons no
elemento central após estabilizar.
Ex: CH4 ; CH3Cl
4. MOLÉCULA COM CINCO ÁTOMOS
SERÁ:
“TETRAÉDRICA”
Tetracloreto de carbono CCl4
Tetrabrometo de silício SiBr4
POLARIDADE DAS LIGAÇÕES
 POLOS: presença de cargas em determinada
região
 LIGAÇÔES IÔNICAS:
 Toda ligação Iônica é POLAR!!!
Na+
Cl-
 cargas (polos) reais
TRANSFERÊNCIA DE ELÉTRONS
 LIGAÇÔES COVALENTES
 Compartilhamento de pares de elétrons
 A polaridade estará relacionada com a diferença
de eletronegatividade e a consequente
deformação da nuvem eletrônica.
IMPORTANTE !!!
 Para moléculas diatômicas em que não há
diferença de eletronegatividade:
MOLECULA APOLAR
IMPORTANTE !!!
 Para moléculas diatômicas em que há diferença
de eletronegatividade:
MOLECULA POLAR
DETERMINAÇÃO DA POLARIDADE
EM MOLÉCULAS MAIORES
 Pode –se determinar a polaridade de uma
molécula através do vetor momento dipolar
resultante
APOLA
R
POLAR
POLAR
POLAR
POLAR
POLAR
POLAR
POLAR
POLAR
POLARIDADE E SOLUBILIDADE
 Semelhante dissolve semelhante.
 Soluto polar tende a dissolver bem em solvente
polar.
 Soluto apolar tende a dissolver bem em solvente
apolar.
Força de Interação ou
Ligação
Intermolecular
 O que mantêm as moléculas unidas nos três
estados (sólido, líquido e gasoso) são as
chamadas ligações ou forças ou interações
moleculares.
 São três tipos de forças:
 Ligação de Hidrogênio
 Dipolo permanente ou dipolo-dipolo (DD)
 Dipolo instantâneo (DI), força de van der
Waals ou força de dispersão de London
DIPOLO INDUZIDO – DIPOLO
INDUZIDO
 Ocorrem em todas as substâncias apolares
 F2, Cl2, Br2, I2, hidrocarbonetos
DIPOLO -DIPOLO
 Força de atração entre dipolos, positivos e
negativos.
 Ex: HCl -HI - PCl3
LIGAÇÃO DE HIDROGÊNIO
 São interações que ocorrem entre moléculas que
apresentem H ligados diretamente a
F O ou N
FORÇAS INTERMOLECULARES E
TEMPERATURA E FUSÃO E
EBULIÇÃO
EXERCICIO 1
A) trigonal plana.
B) piramidal.
C) angular.
D) linear.
E) tetraédrica.
(PUC-RIO 2008)
De acordo com a Teoria da repulsão dos pares eletrônicos da camada de v
Considere que os pares de elétrons em torno do átomo central podem ser
Com base nessa teoria, é correto afirmar que a geometria molecular do dió
EXERCÍCIO 2
 UEM – PR) Considerando a molécula de amônia,
assinale a alternativa correta.
 a)      A geometria molecular corresponde a um
tetraedro regular.
 b)      O átomo de nitrogênio e dois átomos de
hidrogênio ocupam os vértices de um triângulo
equilátero.
 c)      O centro da pirâmide formada pelos átomos de
nitrogênio e pelos átomos de hidrogênio é ocupado
pelo par de elétrons livres.
 d)    Os átomos de hidrogênio ocupam os vértices de
um triângulo equilátero.
 e)     As arestas da pirâmide formada pelos átomos
de nitrogênio e pelos átomos de hidrogênio
correspondem a ligações iônicas.
EXERCICIO 3
 UFC-1999) Considere a espécie química molecular
 hipotética XY2, cujos elementos X e Y possuem
 eletronegatividades 2,8 e 3,6, respectivamente.
 Experimentos de susceptibilidade magnética
indicaram que a espécie XY2 é apolar. Com base
nessas informações, é
 correto afirmar que a estrutura e as ligações
químicas da
 molécula XY2 são, respectivamente:
 a) piramidal e covalentes polares.
 b) linear e covalentes polares.
 c) bipiramidal e covalentes apolares.
 d) angular e covalentes apolares.
 e) triangular e covalentes apolares.
CURIOSIDADE
 (
3. Molécula com quatro átomos pode ser:
a. Trigonal Plana se não sobrar elétrons no elemento central após
estabilizar.
Ex: H2CO3; BH3 ; SO3
b. Trigonal Piramidal se sobrar elétrons no elemento central após
estabilizar.
Ex: NH3; PCl3
4. Molécula com cinco átomos pode ser:
a. Tetraédrica se não sobrar elétrons no elemento central após
estabilizar.
Ex: CH4 ; CH3Cl
CURIOSIDADE
 IDENTIFICAÇÃO DA GEOMETRIA MOLECULAR
1. Molécula com dois átomos é linear.
Ex: O2; HCl; HF; H2; Cl2
2. Molécula com três átomos pode ser:
a. Linear se não sobrar elétrons no elemento central
após estabilizar.
Ex: HCN; CO2; BeH2
b. Angular se sobrar elétrons no elemento central
após estabilizar.
Ex: H2O; O3; SO2
CURIOSIDADE
 MOLÉCULAS POLARES
São moléculas com distribuição assimétrica de suas cargas ao redor
do átomo central apresentando a formação de polos. Seu momento
dipolar é diferente de zero, sendo solúveis na água.
Uma molécula será POLAR se apresentar um dos seguintes
critérios, caso não será APOLAR.
1. Apresentar átomos ligados ao elemento central diferentes,
independentemente da sua geometria.
2. Caso os átomos ligados ao elemento central forem iguais, a
geometria deve ser angular ou trigonal piramidal.
Exemplo 1: DIÓXIDO DE CARBONO ( CO2)
CO2 => O = C = O
CURIOSIDADE
 O carbono do grupo 14, apresenta quatro elétrons no seu último nível e faz
duas ligações duplas, uma com cada oxigênio, não sobrando elétrons. Isto
classifica a molécula como Linear com dois ligantes iguais, logo APOLAR e
insolúvel na água.
Exemplo 2: METANAL ( HCHO )
HCHO => H - C = O
l
H
O carbono apresenta ligantes diferentes, logo é POLAR e solúvel na água.
Pelo fato de não sobrar elétrons no carbono, pois fez quatro ligações, e
apresentar três ligantes possui geometria Trigonal Plana.
CURIOSIDADE
 Exemplo 3: METANO ( CH4)
H
l
CH4=> H - C - H
l
H
Pelo fato de não sobrar elétrons no carbono, pois fez
quatro ligações e apresentar quatro ligantes iguais
possui geometria Tetraédrica, sendo uma molécula
APOLAR e insolúvel na água.
CURIOSIDADE
 exemplo 4: AMÔNIA ( NH3)
NH3 => H - N - H
l
H
O nitrogênio do grupo 15 apresenta cinco
elétrons no seu último nível e faz três ligações
simples com três ligantes(hidrogênios),
sobrando elétrons. Isto classifica a molécula
como Trigonal Piramidal com três ligantes
iguais, logo POLAR e solúvel na água.
OBRIGADA !!
!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Modelos atômicos
Modelos atômicosModelos atômicos
Modelos atômicos
 
Aula 1 introdução à química orgânica.
Aula 1    introdução à química orgânica.Aula 1    introdução à química orgânica.
Aula 1 introdução à química orgânica.
 
Modelos atômicos
Modelos atômicosModelos atômicos
Modelos atômicos
 
Slides eletrostatica
Slides eletrostaticaSlides eletrostatica
Slides eletrostatica
 
Funções Inorgânicas
Funções InorgânicasFunções Inorgânicas
Funções Inorgânicas
 
Aula sobre ligações químicas
Aula sobre ligações químicasAula sobre ligações químicas
Aula sobre ligações químicas
 
Eletroquimica
EletroquimicaEletroquimica
Eletroquimica
 
Aula funções oxigenadas
Aula  funções oxigenadasAula  funções oxigenadas
Aula funções oxigenadas
 
Forças intermoleculares
Forças intermoleculares Forças intermoleculares
Forças intermoleculares
 
Propriedades físicas dos compostos orgânicos
Propriedades físicas dos compostos orgânicosPropriedades físicas dos compostos orgânicos
Propriedades físicas dos compostos orgânicos
 
Cadeias carbônicas
Cadeias carbônicasCadeias carbônicas
Cadeias carbônicas
 
Átomos
ÁtomosÁtomos
Átomos
 
Reações Químicas
Reações QuímicasReações Químicas
Reações Químicas
 
Aula estrutura atomica
Aula estrutura atomicaAula estrutura atomica
Aula estrutura atomica
 
Funções orgânicas slide
Funções orgânicas slideFunções orgânicas slide
Funções orgânicas slide
 
Isomeria
IsomeriaIsomeria
Isomeria
 
Aula sobre tabela periódica
Aula sobre tabela periódicaAula sobre tabela periódica
Aula sobre tabela periódica
 
Equilíbrio Químico
Equilíbrio QuímicoEquilíbrio Químico
Equilíbrio Químico
 
Modelos atomicos 9ano
Modelos atomicos 9anoModelos atomicos 9ano
Modelos atomicos 9ano
 
Cinetica quimica
Cinetica quimicaCinetica quimica
Cinetica quimica
 

Destaque

Geometria molecular
Geometria molecularGeometria molecular
Geometria moleculardianalove15
 
Geometria e polaridade molecular
Geometria e polaridade molecularGeometria e polaridade molecular
Geometria e polaridade molecularIsabella Silva
 
Geometría Molecular
Geometría MolecularGeometría Molecular
Geometría Molecularrosaburone
 
Hibridização de orbitais atômicos
Hibridização de orbitais atômicosHibridização de orbitais atômicos
Hibridização de orbitais atômicosKaroline Leite Cunha
 
Ligações químicas, Forças intermoleculares, Geometria molecular
Ligações químicas, Forças intermoleculares, Geometria molecularLigações químicas, Forças intermoleculares, Geometria molecular
Ligações químicas, Forças intermoleculares, Geometria molecularCarlos Priante
 
Simetria da molecula diclorometano
Simetria da molecula diclorometanoSimetria da molecula diclorometano
Simetria da molecula diclorometanoGabriela Begalli
 
Qui143 aula 3 ligação química
Qui143 aula 3 ligação químicaQui143 aula 3 ligação química
Qui143 aula 3 ligação químicaGiovanni Marino
 
Professor José Roberto - Geometria molecular
Professor José Roberto - Geometria molecularProfessor José Roberto - Geometria molecular
Professor José Roberto - Geometria molecularJosé Roberto Mattos
 
Exercícios - geometria molecular
Exercícios - geometria molecularExercícios - geometria molecular
Exercícios - geometria molecularIsabella Silva
 
Aula 5 - Ligações químicas
Aula 5 - Ligações químicasAula 5 - Ligações químicas
Aula 5 - Ligações químicasMaiquel Vieira
 
Aula 6 - Geometria molecular
Aula 6 - Geometria molecularAula 6 - Geometria molecular
Aula 6 - Geometria molecularMaiquel Vieira
 
Aula 4 - Elementos químicos e a Tabela periódica
Aula 4 -  Elementos químicos e a Tabela periódicaAula 4 -  Elementos químicos e a Tabela periódica
Aula 4 - Elementos químicos e a Tabela periódicaMaiquel Vieira
 

Destaque (20)

Geometria molecular
Geometria molecularGeometria molecular
Geometria molecular
 
Geometria molecular
Geometria molecularGeometria molecular
Geometria molecular
 
Geometria molecular
Geometria molecularGeometria molecular
Geometria molecular
 
Geometria e polaridade molecular
Geometria e polaridade molecularGeometria e polaridade molecular
Geometria e polaridade molecular
 
GEOMETRÍAS MOLECULARES
GEOMETRÍAS MOLECULARESGEOMETRÍAS MOLECULARES
GEOMETRÍAS MOLECULARES
 
265
265265
265
 
Geometria molecular
Geometria molecularGeometria molecular
Geometria molecular
 
Geometria molecular
Geometria molecularGeometria molecular
Geometria molecular
 
Geometría Molecular
Geometría MolecularGeometría Molecular
Geometría Molecular
 
Geometria molecular primero
Geometria molecular primeroGeometria molecular primero
Geometria molecular primero
 
Hibridização de orbitais atômicos
Hibridização de orbitais atômicosHibridização de orbitais atômicos
Hibridização de orbitais atômicos
 
Ligações químicas, Forças intermoleculares, Geometria molecular
Ligações químicas, Forças intermoleculares, Geometria molecularLigações químicas, Forças intermoleculares, Geometria molecular
Ligações químicas, Forças intermoleculares, Geometria molecular
 
Simetria da molecula diclorometano
Simetria da molecula diclorometanoSimetria da molecula diclorometano
Simetria da molecula diclorometano
 
Qui143 aula 3 ligação química
Qui143 aula 3 ligação químicaQui143 aula 3 ligação química
Qui143 aula 3 ligação química
 
Professor José Roberto - Geometria molecular
Professor José Roberto - Geometria molecularProfessor José Roberto - Geometria molecular
Professor José Roberto - Geometria molecular
 
Exercícios - geometria molecular
Exercícios - geometria molecularExercícios - geometria molecular
Exercícios - geometria molecular
 
Qet2006 1
Qet2006 1Qet2006 1
Qet2006 1
 
Aula 5 - Ligações químicas
Aula 5 - Ligações químicasAula 5 - Ligações químicas
Aula 5 - Ligações químicas
 
Aula 6 - Geometria molecular
Aula 6 - Geometria molecularAula 6 - Geometria molecular
Aula 6 - Geometria molecular
 
Aula 4 - Elementos químicos e a Tabela periódica
Aula 4 -  Elementos químicos e a Tabela periódicaAula 4 -  Elementos químicos e a Tabela periódica
Aula 4 - Elementos químicos e a Tabela periódica
 

Semelhante a GEOMETRIA MOLECULAR E POLARIDADE

geometria molecular geometria molecula.pptx
geometria molecular geometria molecula.pptxgeometria molecular geometria molecula.pptx
geometria molecular geometria molecula.pptxRobbinStroschOne
 
Aula_4_ Geometria molecular e forças intermoleculares.ppt
Aula_4_ Geometria molecular e forças intermoleculares.pptAula_4_ Geometria molecular e forças intermoleculares.ppt
Aula_4_ Geometria molecular e forças intermoleculares.pptVaniaMaria37
 
Aula 08 química geral
Aula 08 química geralAula 08 química geral
Aula 08 química geralTiago da Silva
 
Geometria molecular e forças intermoleculares.ppt
Geometria molecular e forças intermoleculares.pptGeometria molecular e forças intermoleculares.ppt
Geometria molecular e forças intermoleculares.pptLalyson Matheus
 
Aula_4_ Geometria molecular e forças intermoleculares.ppt
Aula_4_ Geometria molecular e forças intermoleculares.pptAula_4_ Geometria molecular e forças intermoleculares.ppt
Aula_4_ Geometria molecular e forças intermoleculares.pptCristianoRamosSilva1
 
Ligações covalentes trabalho de quimica
Ligações covalentes trabalho de quimicaLigações covalentes trabalho de quimica
Ligações covalentes trabalho de quimicaslidesescolares
 
QUÍMICA ORGÂNICA TEÓRICA
QUÍMICA ORGÂNICA TEÓRICAQUÍMICA ORGÂNICA TEÓRICA
QUÍMICA ORGÂNICA TEÓRICAautonomo
 
Resumo polaridade, geometria molecular e ligações intermoleculares
Resumo    polaridade, geometria molecular e ligações intermolecularesResumo    polaridade, geometria molecular e ligações intermoleculares
Resumo polaridade, geometria molecular e ligações intermolecularesProfª Alda Ernestina
 
Aula i fbaiano_ligações químicas
Aula i fbaiano_ligações químicasAula i fbaiano_ligações químicas
Aula i fbaiano_ligações químicasSaulo Luis Capim
 
Aula Quimica Organica,- introdução- IFRN
Aula Quimica Organica,- introdução- IFRNAula Quimica Organica,- introdução- IFRN
Aula Quimica Organica,- introdução- IFRNthaliasampaio2
 
aula ligações químicas - iônica e covalente.ppt
aula ligações químicas - iônica e covalente.pptaula ligações químicas - iônica e covalente.ppt
aula ligações químicas - iônica e covalente.pptPedro Ribeiro
 
Exerc concursos-ligações
Exerc concursos-ligaçõesExerc concursos-ligações
Exerc concursos-ligaçõesRenata Martins
 
Ligações Químicas - 1º ano
Ligações Químicas - 1º anoLigações Químicas - 1º ano
Ligações Químicas - 1º anoGeovanaPorto
 
3o ano-ensino-medio-ligacoes-quimicas exemplo
3o ano-ensino-medio-ligacoes-quimicas exemplo3o ano-ensino-medio-ligacoes-quimicas exemplo
3o ano-ensino-medio-ligacoes-quimicas exemploSimone Belorte de Andrade
 

Semelhante a GEOMETRIA MOLECULAR E POLARIDADE (20)

geometria molecular geometria molecula.pptx
geometria molecular geometria molecula.pptxgeometria molecular geometria molecula.pptx
geometria molecular geometria molecula.pptx
 
AULA 7.ppt
AULA 7.pptAULA 7.ppt
AULA 7.ppt
 
Aula_4_ Geometria molecular e forças intermoleculares.ppt
Aula_4_ Geometria molecular e forças intermoleculares.pptAula_4_ Geometria molecular e forças intermoleculares.ppt
Aula_4_ Geometria molecular e forças intermoleculares.ppt
 
Aula 08 química geral
Aula 08 química geralAula 08 química geral
Aula 08 química geral
 
Geometria molecular e forças intermoleculares.ppt
Geometria molecular e forças intermoleculares.pptGeometria molecular e forças intermoleculares.ppt
Geometria molecular e forças intermoleculares.ppt
 
Aula_4_ Geometria molecular e forças intermoleculares.ppt
Aula_4_ Geometria molecular e forças intermoleculares.pptAula_4_ Geometria molecular e forças intermoleculares.ppt
Aula_4_ Geometria molecular e forças intermoleculares.ppt
 
Ligações covalentes trabalho de quimica
Ligações covalentes trabalho de quimicaLigações covalentes trabalho de quimica
Ligações covalentes trabalho de quimica
 
Ligações química
Ligações químicaLigações química
Ligações química
 
QUÍMICA ORGÂNICA TEÓRICA
QUÍMICA ORGÂNICA TEÓRICAQUÍMICA ORGÂNICA TEÓRICA
QUÍMICA ORGÂNICA TEÓRICA
 
Resumo polaridade, geometria molecular e ligações intermoleculares
Resumo    polaridade, geometria molecular e ligações intermolecularesResumo    polaridade, geometria molecular e ligações intermoleculares
Resumo polaridade, geometria molecular e ligações intermoleculares
 
Ligações químicas
Ligações químicas Ligações químicas
Ligações químicas
 
ligação quimica ifms.ppt
ligação quimica ifms.pptligação quimica ifms.ppt
ligação quimica ifms.ppt
 
Aula i fbaiano_ligações químicas
Aula i fbaiano_ligações químicasAula i fbaiano_ligações químicas
Aula i fbaiano_ligações químicas
 
Aula Quimica Organica,- introdução- IFRN
Aula Quimica Organica,- introdução- IFRNAula Quimica Organica,- introdução- IFRN
Aula Quimica Organica,- introdução- IFRN
 
aula ligações químicas - iônica e covalente.ppt
aula ligações químicas - iônica e covalente.pptaula ligações químicas - iônica e covalente.ppt
aula ligações químicas - iônica e covalente.ppt
 
Exerc concursos-ligações
Exerc concursos-ligaçõesExerc concursos-ligações
Exerc concursos-ligações
 
005 estudo dos alcenos
005 estudo dos alcenos005 estudo dos alcenos
005 estudo dos alcenos
 
Ligações Químicas.ppt
Ligações Químicas.pptLigações Químicas.ppt
Ligações Químicas.ppt
 
Ligações Químicas - 1º ano
Ligações Químicas - 1º anoLigações Químicas - 1º ano
Ligações Químicas - 1º ano
 
3o ano-ensino-medio-ligacoes-quimicas exemplo
3o ano-ensino-medio-ligacoes-quimicas exemplo3o ano-ensino-medio-ligacoes-quimicas exemplo
3o ano-ensino-medio-ligacoes-quimicas exemplo
 

Mais de Adrianne Mendonça (20)

Lei de hess
Lei de hessLei de hess
Lei de hess
 
Fissão e fusão nuclear
Fissão e fusão nuclearFissão e fusão nuclear
Fissão e fusão nuclear
 
Ponto crítico de uma função derivável
Ponto crítico de uma função derivávelPonto crítico de uma função derivável
Ponto crítico de uma função derivável
 
Cálculo (DERIVADAS)
Cálculo (DERIVADAS)Cálculo (DERIVADAS)
Cálculo (DERIVADAS)
 
Alzheimer ppt
Alzheimer pptAlzheimer ppt
Alzheimer ppt
 
Determinação de calcio no leite
Determinação de  calcio no leiteDeterminação de  calcio no leite
Determinação de calcio no leite
 
Determinação da dureza total de água com EDTA
Determinação da dureza total de água com EDTADeterminação da dureza total de água com EDTA
Determinação da dureza total de água com EDTA
 
Cnidários ou celenterados
Cnidários  ou  celenteradosCnidários  ou  celenterados
Cnidários ou celenterados
 
Biologia molecular bioquímica (compostos inorgânicos)
Biologia molecular   bioquímica (compostos inorgânicos)Biologia molecular   bioquímica (compostos inorgânicos)
Biologia molecular bioquímica (compostos inorgânicos)
 
Anagramas
AnagramasAnagramas
Anagramas
 
Produto de solubilidade
Produto de solubilidadeProduto de solubilidade
Produto de solubilidade
 
Reaçoes quimicas
Reaçoes quimicasReaçoes quimicas
Reaçoes quimicas
 
Matemática financeira
Matemática financeiraMatemática financeira
Matemática financeira
 
Tecido ósseo pdf
Tecido ósseo pdfTecido ósseo pdf
Tecido ósseo pdf
 
Ciclos biogeoquímicos pdf
Ciclos biogeoquímicos pdfCiclos biogeoquímicos pdf
Ciclos biogeoquímicos pdf
 
Relações ecológicas
Relações ecológicasRelações ecológicas
Relações ecológicas
 
Equilíbrio químico
Equilíbrio químicoEquilíbrio químico
Equilíbrio químico
 
Mruv – exercícios
Mruv – exercíciosMruv – exercícios
Mruv – exercícios
 
Nomenclatura dos COMPOSTOS ORGÂNICOS
Nomenclatura dos COMPOSTOS  ORGÂNICOS Nomenclatura dos COMPOSTOS  ORGÂNICOS
Nomenclatura dos COMPOSTOS ORGÂNICOS
 
Química orgânica módulo 2
Química  orgânica módulo 2Química  orgânica módulo 2
Química orgânica módulo 2
 

Último

Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMNOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMHenrique Pontes
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.azulassessoria9
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxHenriqueLuciano2
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...azulassessoria9
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTECAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTEJoaquim Colôa
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024GleyceMoreiraXWeslle
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...azulassessoria9
 
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...nexocan937
 
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º BimestreLer e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º BimestreProfaCintiaDosSantos
 
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...MANUELJESUSVENTURASA
 

Último (20)

Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMNOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
 
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTECAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
 
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
 
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
 
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º BimestreLer e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
 
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
 

GEOMETRIA MOLECULAR E POLARIDADE

  • 1. GEOMETRIA MOLECULAR Professora : Adrianne Mendonça
  • 2. GEOMETRIA MOLECULAR  As moléculas formadas por ligações covalentes podem apresentar de dois a milhares de átomos.  Os átomos se alinham formando formas geométricas em relação aos núcleos dos átomos.  TEORIA DA REPULSÃO DOS PARES ELETRÔNICOS DA CAMADA DE VALÊNCIA.
  • 3.  Os pares eletrônicos ao redor de um átomo central – participantes ou não de ligações covalentes – devem estar dispostos de modo a garantir a menor repulsão possível. O2
  • 4.  Moléculas diatômicas (apenas 2 átomos) SEMPRE apresentarão geometria linear!!!!
  • 6. PODE SER: a. Linear se não sobrar elétrons no elemento central após estabilizar. Ex: HCN (H- C≡N) ; CO2 (O = C = O ); BeH2 (H – Be – H) , etc. BeH2 CO2
  • 7. 2. MOLÉCULA COM TRÊS ÁTOMOS PODE SER: b. Angular se sobrar elétrons no elemento central após estabilizar. Ex: H2O; O3; SO2 (molécula da H2O) (molécula de SF2)
  • 8. PODE SER: a.Trigonal Plana se não sobrar elétrons no elemento central após estabilizar ; Ex: H2CO3; SO3; BH3 ; molécula de BI3
  • 9. b. Trigonal Piramidal se sobrar elétrons no elemento central após estabilizar.  Ex: NH3; PCl3
  • 10. 4. MOLÉCULA COM CINCO ÁTOMOS SERÁ: Tetraédrica se não sobrar elétrons no elemento central após estabilizar. Ex: CH4 ; CH3Cl
  • 11. 4. MOLÉCULA COM CINCO ÁTOMOS SERÁ: “TETRAÉDRICA” Tetracloreto de carbono CCl4 Tetrabrometo de silício SiBr4
  • 12. POLARIDADE DAS LIGAÇÕES  POLOS: presença de cargas em determinada região  LIGAÇÔES IÔNICAS:  Toda ligação Iônica é POLAR!!! Na+ Cl-  cargas (polos) reais TRANSFERÊNCIA DE ELÉTRONS
  • 13.  LIGAÇÔES COVALENTES  Compartilhamento de pares de elétrons  A polaridade estará relacionada com a diferença de eletronegatividade e a consequente deformação da nuvem eletrônica.
  • 14. IMPORTANTE !!!  Para moléculas diatômicas em que não há diferença de eletronegatividade: MOLECULA APOLAR
  • 15. IMPORTANTE !!!  Para moléculas diatômicas em que há diferença de eletronegatividade: MOLECULA POLAR
  • 16. DETERMINAÇÃO DA POLARIDADE EM MOLÉCULAS MAIORES  Pode –se determinar a polaridade de uma molécula através do vetor momento dipolar resultante
  • 17.
  • 19. POLARIDADE E SOLUBILIDADE  Semelhante dissolve semelhante.  Soluto polar tende a dissolver bem em solvente polar.  Soluto apolar tende a dissolver bem em solvente apolar.
  • 20.
  • 21. Força de Interação ou Ligação Intermolecular
  • 22.  O que mantêm as moléculas unidas nos três estados (sólido, líquido e gasoso) são as chamadas ligações ou forças ou interações moleculares.  São três tipos de forças:  Ligação de Hidrogênio  Dipolo permanente ou dipolo-dipolo (DD)  Dipolo instantâneo (DI), força de van der Waals ou força de dispersão de London
  • 23. DIPOLO INDUZIDO – DIPOLO INDUZIDO  Ocorrem em todas as substâncias apolares  F2, Cl2, Br2, I2, hidrocarbonetos
  • 24. DIPOLO -DIPOLO  Força de atração entre dipolos, positivos e negativos.  Ex: HCl -HI - PCl3
  • 25. LIGAÇÃO DE HIDROGÊNIO  São interações que ocorrem entre moléculas que apresentem H ligados diretamente a F O ou N
  • 26.
  • 27.
  • 28. FORÇAS INTERMOLECULARES E TEMPERATURA E FUSÃO E EBULIÇÃO
  • 29. EXERCICIO 1 A) trigonal plana. B) piramidal. C) angular. D) linear. E) tetraédrica. (PUC-RIO 2008) De acordo com a Teoria da repulsão dos pares eletrônicos da camada de v Considere que os pares de elétrons em torno do átomo central podem ser Com base nessa teoria, é correto afirmar que a geometria molecular do dió
  • 30. EXERCÍCIO 2  UEM – PR) Considerando a molécula de amônia, assinale a alternativa correta.  a)      A geometria molecular corresponde a um tetraedro regular.  b)      O átomo de nitrogênio e dois átomos de hidrogênio ocupam os vértices de um triângulo equilátero.  c)      O centro da pirâmide formada pelos átomos de nitrogênio e pelos átomos de hidrogênio é ocupado pelo par de elétrons livres.  d)    Os átomos de hidrogênio ocupam os vértices de um triângulo equilátero.  e)     As arestas da pirâmide formada pelos átomos de nitrogênio e pelos átomos de hidrogênio correspondem a ligações iônicas.
  • 31. EXERCICIO 3  UFC-1999) Considere a espécie química molecular  hipotética XY2, cujos elementos X e Y possuem  eletronegatividades 2,8 e 3,6, respectivamente.  Experimentos de susceptibilidade magnética indicaram que a espécie XY2 é apolar. Com base nessas informações, é  correto afirmar que a estrutura e as ligações químicas da  molécula XY2 são, respectivamente:  a) piramidal e covalentes polares.  b) linear e covalentes polares.  c) bipiramidal e covalentes apolares.  d) angular e covalentes apolares.  e) triangular e covalentes apolares.
  • 32. CURIOSIDADE  ( 3. Molécula com quatro átomos pode ser: a. Trigonal Plana se não sobrar elétrons no elemento central após estabilizar. Ex: H2CO3; BH3 ; SO3 b. Trigonal Piramidal se sobrar elétrons no elemento central após estabilizar. Ex: NH3; PCl3 4. Molécula com cinco átomos pode ser: a. Tetraédrica se não sobrar elétrons no elemento central após estabilizar. Ex: CH4 ; CH3Cl
  • 33. CURIOSIDADE  IDENTIFICAÇÃO DA GEOMETRIA MOLECULAR 1. Molécula com dois átomos é linear. Ex: O2; HCl; HF; H2; Cl2 2. Molécula com três átomos pode ser: a. Linear se não sobrar elétrons no elemento central após estabilizar. Ex: HCN; CO2; BeH2 b. Angular se sobrar elétrons no elemento central após estabilizar. Ex: H2O; O3; SO2
  • 34. CURIOSIDADE  MOLÉCULAS POLARES São moléculas com distribuição assimétrica de suas cargas ao redor do átomo central apresentando a formação de polos. Seu momento dipolar é diferente de zero, sendo solúveis na água. Uma molécula será POLAR se apresentar um dos seguintes critérios, caso não será APOLAR. 1. Apresentar átomos ligados ao elemento central diferentes, independentemente da sua geometria. 2. Caso os átomos ligados ao elemento central forem iguais, a geometria deve ser angular ou trigonal piramidal. Exemplo 1: DIÓXIDO DE CARBONO ( CO2) CO2 => O = C = O
  • 35. CURIOSIDADE  O carbono do grupo 14, apresenta quatro elétrons no seu último nível e faz duas ligações duplas, uma com cada oxigênio, não sobrando elétrons. Isto classifica a molécula como Linear com dois ligantes iguais, logo APOLAR e insolúvel na água. Exemplo 2: METANAL ( HCHO ) HCHO => H - C = O l H O carbono apresenta ligantes diferentes, logo é POLAR e solúvel na água. Pelo fato de não sobrar elétrons no carbono, pois fez quatro ligações, e apresentar três ligantes possui geometria Trigonal Plana.
  • 36. CURIOSIDADE  Exemplo 3: METANO ( CH4) H l CH4=> H - C - H l H Pelo fato de não sobrar elétrons no carbono, pois fez quatro ligações e apresentar quatro ligantes iguais possui geometria Tetraédrica, sendo uma molécula APOLAR e insolúvel na água.
  • 37. CURIOSIDADE  exemplo 4: AMÔNIA ( NH3) NH3 => H - N - H l H O nitrogênio do grupo 15 apresenta cinco elétrons no seu último nível e faz três ligações simples com três ligantes(hidrogênios), sobrando elétrons. Isto classifica a molécula como Trigonal Piramidal com três ligantes iguais, logo POLAR e solúvel na água.