Aluno-monitor

3.533 visualizações

Publicada em

Publicada em: Economia e finanças
  • Seja o primeiro a comentar

Aluno-monitor

  1. 1. Capa Formação do aluno-monitor
  2. 2. Parceria EducaRede e Secretaria Municipal de Educação de São Paulo
  3. 3. Sumário Apresentação O Projeto Memórias em Rede Conversa com o POIE O papel do aluno-monitor Plano de trabalho Atividades que não podem faltar Precisa de ajuda? Consulte o Bê -a- bá da Internet Letramento digital Dicas para um bom trabalho em grupo Para acompanhar e avaliar o aluno-monitor O ambiente virtual do aluno-monitor
  4. 4. Apresentação Caro Professor Orientador de Informática Educativa , Este material foi idealizado para ser uma referência no processo de formação do aluno-monitor no projeto Memórias em Rede . O projeto, uma das ações do Programa EducaRede ( www.educarede. org . br ), é uma parceria com a Rede Municipal de Ensino de São Paulo para o uso pedagógico da Internet na Educação. O material Formação do Aluno-Monitor contém as orientações para o seu trabalho e também reúne dicas práticas. O material que você tem em mãos não pretende, entretanto, esgotar os detalhes das orientações, especialmente porque o projeto é dinâmico e cada escola tem suas particularidades. Além das orientações deste guia, outras propostas serão construídas coletivamente no decorrer do projeto, a partir da sua prática, com a equipe de mediação do EducaRede e da SME-SP, seja pessoalmente, seja por meio da Internet. Convidamos você a explorar estas informações e esperamos que sejam úteis no seu dia-a-dia. E lhe desejamos um excelente trabalho. “ Não posso continuar sendo humano se faço desaparecer em mim a esperança.” Paulo Freire
  5. 5. O Projeto Memórias em Rede A Secretaria Municipal de Educação de São Paulo (SME-SP), em parceria com o Programa EducaRede (www.educarede.org.br), elaborou em 2006 o Caderno de Orientações Didáticas – Ler e Escrever – Tecnologias na Educação , uma referência de práticas no uso das tecnologias na escola. Para incentivar e acompanhar o uso desse material, foi desenvolvido em 2007 o projeto Memórias em Rede . A idéia é constituir uma comunidade virtual de professores e alunos no Portal EducaRede, possibilitando assim a realização das atividades do Caderno e o desenvolvimento de aprendizagens do letramento digital: pesquisar, comunicar e publicar na Internet. O Projeto tem como mote o resgate e a valorização da memória da cidade, por meio do registro das histórias de vida de seus moradores na Internet. Para o desenvolvimento deste projeto, além da participação dos Professores Orientadores de Informática Educativa (POIEs), será fundamental o papel do aluno-monitor , que irá apoiar o trabalho dos POIEs nas atividades no laboratório de informática. Esse Caderno está disponível em versão digital, no Portal EducaRede, e traz 26 propostas de atividades utilizando o computador e a Internet, além de tutoriais de softwares.
  6. 6. Conversa com o POIE A função do aluno-monitor não é simplesmente executar tarefas repassadas pelo POIE, mas colaborar nas ações promovidas no laboratório de informática para o desenvolvimento do Projeto Memórias em Rede . E essas ações não se restringem à execução das atividades; começam pela construção da parceria entre o monitor e o POIE, desde a elaboração do planejamento até a avaliação. Propiciar um ambiente de aprendizagem colaborativa e potencializar o protagonismo juvenil, envolvendo o monitor nas atividades como co-responsável, é também promover uma postura ética nesse aluno frente aos compromissos e aos envolvidos no projeto. Neste sentido, a formação do aluno-monitor significa a promoção do seu desenvolvimento por meio do exercício responsável do fazer , e que o valoriza ao ser considerado como fonte de cooperação para o trabalho. Para isso, é fundamental entendermos o papel do monitor, apresentado a seguir, sem perder a noção da realidade local e o contexto em que sua atuação significará para o projeto e para ele mesmo. Quantos alunos? A expectativa é que o POIE forme um grupo de alunos-monitores ou, ao menos, dois alunos-monitores para atuar no projeto Memórias em Rede. De qual ciclo? O ideal é que o aluno que atuará como monitor esteja cursando os anos intermediários do ciclo II do Ensino Fundamental. De qual período? O aluno deve desenvolver monitoria voluntária fora do seu horário de trabalho.
  7. 7. <ul><li>Inscrição - Há várias formas de convidar os alunos: colocar um cartaz no mural da escola e do laboratório de informática, ou realizar um encontro com os interessados para apresentar a proposta. Nessa etapa, deixe claro pré-requisitos, tais como: </li></ul><ul><li>Disponibilidade de horário para acompanhar as aulas e reuniões com o POIE. </li></ul><ul><li>O perfil para ser aluno-monitor. </li></ul><ul><li>As atividades do aluno-monitor . </li></ul>Conversa com o POIE - orientações para formar o grupo Seleção – Além dos pré-requisitos, é importante o grupo de monitores ser composto por alunos de diferentes faixas etárias ou séries. Desse modo, é possível contar com a experiência dos mais velhos, mas que concluirão logo do Ensino Fundamental, e ao mesmo tempo formar os que ainda permanecerão por mais tempo. 1 2 <ul><li>Organização do grupo – Estabeleça uma rotina com o grupo, definindo: </li></ul><ul><li>horário da reunião semanal com os alunos-monitores; </li></ul><ul><li>as aulas que cada monitor vai acompanhar; </li></ul><ul><li>lista de presença nos dias destinados ao exercício de sua função para a posterior certificação expedida pela escola; </li></ul><ul><li>como serão identificados: por crachá, camiseta ou colete. </li></ul>3
  8. 8. O papel do aluno-monitor Seu papel é único. O monitor não é aluno, nem professor. Mas ele contribui de forma decisiva com seus conhecimentos de tecnologia para fazer a ligação entre os alunos da escola e o projeto. Com esse papel, o aluno-monitor torna-se o elo entre os POIEs e demais professores, responsáveis pelos projetos, e os alunos, contribuindo assim com a inclusão digital na escola e o desenvolvimento de aprendizagens do letramento digital dos participantes: pesquisar, comunicar e publicar na Internet. Perfil Para ser monitor, o aluno precisa ter conhecimentos básicos de informática , disponibilidade de horário, vontade de trabalhar com a inclusão digital na escola, facilidade nas relações humanas, fluência na linguagem oral, demonstração de iniciativa e criatividade, habilidade na escrita e gosto pelo trabalho coletivo. <ul><li>Conhecimentos básicos de informática </li></ul><ul><li>Ligar e desligar o computador. </li></ul><ul><li>Acessar e navegar pela Internet. </li></ul><ul><li>Utilizar e-mail. </li></ul><ul><li>Dominar o gerenciador de arquivos (abrir e organizar pastas; mover arquivos). </li></ul><ul><li>Dominar os principais recursos do processador de textos (Word) e dos programas de criação de apresentação (PowerPoint) e de desenho (Paint). </li></ul><ul><li>Copiar (download) e subir (upload) arquivos na Internet. </li></ul>
  9. 9. O papel do aluno-monitor Atuação do aluno-monitor no Projeto Atividades no laboratório de informática Grupo Aluno-Monitor Encontros semanais com o POIE Comunidade Virtual Memórias em Rede
  10. 10. O ambiente virtual do Aluno-Monitor Dentro da Comunidade Memórias em Rede, há um espaço especial para o aluno-monitor. Para acessá-lo, clique em Grupos no menu Ferramentas, do lado esquerdo na home da Comunidade, e Grupo Aluno-Monitor. Esse Grupo funciona como uma subcomunidade, contando com ferramentas próprias. Além de se inscreverem na Comunidade, os alunos-monitores também devem se inscrever nesse Grupo. Esse espaço foi especialmente criado para apoiar a formação dos monitores, além de estimular a troca entre alunos-monitores de diferentes escolas. No Projeto Memórias em Rede, uma tarefa importante do aluno-monitor é participar semanalmente do Grupo Aluno-Monitor. Em Material de Apoio, ele encontrará textos e arquivos para ajudá-lo nas atividades. No Blog, deve registrar as atividades realizadas e outras informações sobre o desenvolvimento do projeto. Outras ferramentas serão disponibilizadas no decorrer do Projeto, como fóruns e bate-papos, para subsidiar a sua formação.
  11. 11. Plano de trabalho do aluno-monitor No primeiro encontro, o POIE responsável deve estabelecer uma rotina com os alunos-monitores, definindo horários e salas para atuação de cada monitor, além de outros procedimentos, como assinatura de lista de presença e uso de crachá ou outra forma de identificação. Depois, é importante montar com cada monitor seu plano de trabalho no Projeto Memórias em Rede. O planejamento é o segredo do sucesso. Clique aqui e veja uma sugestão de quadro para planejar as atividades semanais do projeto. O plano de trabalho semanal pode evoluir para um plano mensal de atividades. Tudo dependerá do período de tempo que se pretende planejar. Mas é aconselhável definir um ponto de chegada, um objetivo geral para o semestre, que poderá ser desdobrado em vários prazos menores. Esse procedimento ajudará a atingir os objetivos propostos sem perda de tempo.   Definir metas e atividades é muito importante, mas lembre-se: o planejamento não pode ser muito rígido, porém deve deixar bem claro aonde quer chegar. Logo no início, combine com o grupo as responsabilidades do aluno-monitor, deixando claro que a sua atuação está sendo avaliada em todo o processo. Caso os combinados não sejam cumpridos, é possível ocorrer a substituição do aluno-monitor por outro interessado. Dica
  12. 12. Plano de trabalho do aluno-monitor A importância do registro O registro do trabalho realizado é fundamental. É a memória do que se pensou em fazer, do que se fez e do que ainda precisa ser feito. Assim, é recomendável que o aluno-monitor registre semanalmente o seu trabalho, apontando os avanços e as dificuldades. Esse registro deve ser colocado no blog do Grupo Aluno-Monitor para que possa haver uma troca com monitores de outras escolas e com a equipe de coordenação do Projeto Memórias em Rede.   Atenção: esse blog não é o da Comunidade. Deve ser acessado dentro do Grupo Aluno-Monitor. As mensagens são arquivadas por dia. Para visualizá-las, utilize o calendário.
  13. 13. Atividades que não podem faltar Em seu trabalho, o aluno-monitor ajudará o POIE em várias atividades importantes. Vamos comentá-las: Cadastro no EducaRede Uma das primeiras atividades do Projeto é o cadastro no Portal EducaRede. O monitor precisa agendar com o POIE um momento para o cadastramento no EducaRede. O cadastro fica localizado no canto superior esquerdo da Home do portal e deve ser feito para a escola (como pessoa jurídica) e para os participantes (como pessoa física). O cadastro solicitará um e-mail para a comunicação entre o EducaRede e o participante. Para alterar ou acrescentar qualquer dado no cadastro do EducaRede, clique na opção: &quot;Editar cadastro&quot;. A partir dali, altera-se o dado e atualiza-se o cadastro.
  14. 14. Atividades que não podem faltar <ul><li>Inscrição na Comunidade Memórias em Rede </li></ul><ul><li>Quando o usuário já é cadastrado no Portal EducaRede, é necessário fazer sua inscrição na Comunidade na qual ele vai interagir. </li></ul><ul><li>O aluno-monitor deverá auxiliar o POIE na inscrição de todos os participantes na Comunidade Memórias em Rede. Para tanto é necessário: </li></ul><ul><li>Entrar no Portal EducaRede, informando Login  e Senha. </li></ul><ul><li>Localizar a Comunidade Memórias em Rede, clicando no canto esquerdo da Home, no menu Canais/Comunidades. </li></ul><ul><li>Na home da Comunidade, clicar em Quero me inscrever e concordar com as regras de participação. </li></ul><ul><li>O aluno estará inscrito na Comunidade e será automaticamente identificado pelo portal como membro dela toda vez que estiver logado. </li></ul><ul><li>Para isto basta clicar em Minhas comunidades, no menu Usuário, e aparecerá o(s) nome(s) da(s) Comunidade(s) a que o usuário está inscrito. </li></ul>
  15. 15. Atividades que não podem faltar <ul><li>Pesquisa no Portal e na Internet </li></ul><ul><li>Nas atividades de pesquisa na Internet, o aluno-monitor deve contribuir com o POIE e com os alunos: </li></ul><ul><li>pesquisando previamente informações no próprio EducaRede e em outros sites; </li></ul><ul><li>auxiliando os participantes na análise das informações coletadas. Para tanto, questione-se: De quem é autoria das informações? É um site “.com” (comercial), “.gov” (governamental) ou “.org” (organização não-governamental)? O site teria sido criado para informar, vender, promover algo ou alguém, para convencer? O site abrange todas as questões relativas ao assunto? Está adequado ao nível de escolaridade de turma? É um site de fácil navegação? As datas de criação e atualização aparecem com clareza? </li></ul><ul><li>Clique aqui e veja uma ficha de critérios de avaliação de sites que pode ajudá-lo nessa atividade. </li></ul>Na seção EducaLinks, do Portal EducaRede, você encontra indicações de sites, divididos por categorias e comentados. É uma boa fonte para o aluno-monitor iniciar sua pesquisa na Internet.
  16. 16. Atividades que não podem faltar Uso das ferramentas de comunicação Diferentes canais de comunicação estarão à disposição dos POIEs, alunos-monitores e alunos da escola na Comunidade Memórias em Rede. É o monitor quem deve instruir a equipe de como usá-los, assim como ajudar na criação de e-mail para os participantes e para o grupo, quando necessário. Blog É a abreviação de weblog e significa qualquer registro freqüente de informações na Web, apresentado em ordem cronológica decrescente — as mensagens ( post ) são arquivadas por dia da semana, aparecendo as mais recentes. Além de texto é possível publicar fotos , vídeos e áudios, que podem ser comentados por outros usuários. O Blog da Comunidade está no menu Ferramentas , do lado esquerdo da home da Comunidade. Nesse espaço, os participantes do Memórias em Rede podem postar diariamente informações sobre o projeto. Caso queira ver recados de um dia específico, deve clicar no calendário que aparecerá à direita na página do blog.
  17. 17. Atividades que não podem faltar Bate-papo É uma ferramenta que permite comunicação em tempo real. Os POIEs responsáveis podem agendar bate-papos de acordo com seus projetos. Além disso, serão agendados bate-papos com especialistas sobre o uso da tecnologia na Educação e sobre o trabalho com memória na escola. O Bate-papo da Comunidade também fica no menu Ferramentas , do lado esquerdo da home da Comunidade.   Fórum Espaço destinado a estudo, reflexão e discussão na Comunidade Memórias em Rede. Aqui o diálogo não será em tempo real, mas por meio de mensagens armazenadas. O Fórum da Comunidade também está no menu Ferramentas , do lado esquerdo da home da Comunidade. O monitor deve instruir os participantes quanto ao envio de respostas e na confecção de novas mensagens, sempre ressaltando que o título da mensagem precisa deixar claro qual o assunto e para quem se destina.
  18. 18. Atividades que não podem faltar Uso das ferramentas de publicação Existem espaços de publicação virtual que disponibilizam o material desenvolvido pelos membros da comunidade, tornando-os acessíveis a qualquer usuário. Galeria de Arte No menu Ferramentas , do lado esquerdo da home da Comunidade, há um ambiente exclusivo para a exposição de textos e imagens chamado Galeria de Artes. Ao clicar em uma Galeria, você encontrará a opção enviar textos ou imagens. A opção TEXTO pode ser utilizada para publicação de poesias, contos, redações, bilhetes, cartas, receitas, depoimentos, letras de música. A Galeria de  IMAGEM pode ser recheada com ilustrações, recortes, pinturas, fotos digitais, desenhos feitos no Paint Brush.   As publicações poderão ser acessadas e comentadas por todos os membros da comunidade.
  19. 19. Atividades que não podem faltar   Arquivoteca Outros tipos de arquivos com formatos distintos como áudio (WAV, MP3, WMA) ou imagem em movimentos (AVI, WMV, MOV, MPG2, etc) podem ser publicados na Arquivoteca, também localizada no menu Ferramentas. Nesse espaço, é possível também a inserção de arquivos criados em programas como PowerPoint, Excel, além de formato PDF. O monitor deve ajudar os alunos na publicação do conteúdo coletado (imagens e textos, vídeos, arquivos de áudio e em PowerPoint) na Galeria e/ou na Arquivoteca. Qual o tamanho da imagem? Como tratá-la? Que tipo de arquivo posso publicar? O aluno-monitor deve se informar e auxiliar a classe nessas e outras questões. A resposta para essas e outras perguntas estão na seção Bê-a-Bá da Internet , no portal EducaRede.
  20. 20. Dicas para um bom trabalho em grupo <ul><li>A função do monitor não é só de apoio tecnológico. Ele tem de se relacionar bem com os professores e alunos, e isso não é pouco. </li></ul><ul><li>Por isso, além das funções e atividades comentadas anteriormente, o POIE deve orientar aspectos relativos a postura e atitudes do aluno-monitor. </li></ul><ul><li>Relacionamos abaixo algumas orientações que o POIE pode passar ao aluno-monitor para que ele faça um bom trabalho: </li></ul><ul><li>Dicas para o aluno-monitor </li></ul><ul><li>Mantenha o ânimo e o bom humor. </li></ul><ul><li>Quando surgir uma pergunta que você não saiba responder, diga honestamente que não sabe. Convide o grupo a pesquisar e ajudar você a encontrar a resposta. </li></ul><ul><li>Saiba dividir seu tempo, fique atento ao relógio. </li></ul><ul><li>Não se preocupe em ser “tarefeiro”, aquele que segue rigidamente as tarefas propostas. Seja flexível e faça adaptações de acordo com a necessidade do grupo. </li></ul>
  21. 21. Dicas para um bom trabalho em grupo <ul><li>Acolha com carinho e respeito cada integrante do grupo. </li></ul><ul><li>Saiba ouvir, pois você também pode aprender com as sugestões dos outros alunos. Por isso, acolha e considere as contribuições do grupo. </li></ul><ul><li>Tenha objetividade na condução dos trabalhos. </li></ul><ul><li>Tente lembrar do nome dos colegas e professores durante as atividades, pois isso fortalece a auto-estima dos participantes. </li></ul><ul><li>Ganhe a confiança. Estabeleça vínculos tornando-se um verdadeiro parceiro. Aja com sinceridade e gentileza. </li></ul><ul><li>Procure saber qual o grau de conhecimento que a pessoa tem de um determinado conteúdo e parta deste ponto para ensinar novas coisas a ela. </li></ul><ul><li>Procure perceber as necessidades de cada um, ou seja, caminhe com o todo sem desprezar as partes. </li></ul><ul><li>Tenha paciência com o tempo do outro e respeito pelo ritmo das pessoas. </li></ul>
  22. 22. Para acompanhar e avaliar o aluno-monitor A avaliação, como parte constitutiva da prática educativa, deve estar prevista de forma contínua, durante todo o projeto. Para isso, é importante promover momentos de avaliação da atuação do aluno-monitor. Solicite periodicamente ao aluno-monitor uma reflexão sobre o seu próprio processo. Os registros semanais no blog do Grupo Aluno-Monitor têm esse propósito. Observe constantemente suas atitudes frente ao desenvolvimento do projeto. Está empenhado? Cumpre os combinados (horários, encontros etc.)? Realiza as tarefas planejadas? Trabalha colaborativamente? Participa da Comunidade Virtual? Ao final de cada etapa (Módulo) do projeto, converse com o grupo sobre as aprendizagens desenvolvidas. “O que eu aprendi nessa etapa?” É importante que eles comparem com o que já sabiam e avaliem se suas expectativas de aprendizagens foram contempladas.
  23. 23. Letramento digital É um conjunto de capacidades necessário às práticas mediadas por computadores:   <ul><li>Pesquisar na Internet : acessar, selecionar e analisar criticamente informações. </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>buscar e selecionar a informação; </li></ul><ul><li>analisar uma informação encontrada e/ou recebida; </li></ul><ul><li>fazer download de arquivos de texto e imagem (“Fazer download” significa copiar arquivos da Internet para o computador); </li></ul><ul><li>imprimir material. </li></ul><ul><li>Comunicar-se em meio digital : trabalhar colaborativamente, participar de debates, grupos de estudo etc. </li></ul><ul><li>  criar contas de correio eletrônico; </li></ul><ul><li>enviar e receber mensagens de correio eletrônico; </li></ul><ul><li>enviar e responder a mensagens no fórum de discussão ( Fórum é um espaço interativo que abriga debates entre os internautas sobre determinado tema. Os participantes não precisam estar conectados ao mesmo tempo); </li></ul>
  24. 24. Letramento digital <ul><li>conversar on line (bate-papo) sobre o tema; </li></ul><ul><li>enviar, receber, abrir e salvar anexos; </li></ul><ul><li>trocar URLs sobre o tema. (Os endereços utilizados para achar qualquer página na Internet são chamados URLs.) </li></ul><ul><li>Publicar conteúdos : adquirir uma postura ativa e autoral na Internet. </li></ul><ul><li>   preencher formulários de inscrição; </li></ul><ul><li>   copiar, colar, guardar, tratar e inserir imagens; </li></ul><ul><li>   guardar e organizar os trabalhos em meio digital (registro); </li></ul><ul><li>   fazer upload de imagens e textos; (upload é enviar um arquivo de uma máquina para um site.) </li></ul><ul><li>   divulgar os trabalhos efetuados. </li></ul><ul><li>  </li></ul>
  25. 25. Precisa de ajuda? Consulte o Bê-a-bá da Internet Para apoiar a capacitação do aluno-monitor em habilidades tecnológicas, sugerimos que o POIE também consulte a seção Be-a-bá da Internet, do Portal EducaRede. Nessa seção, há várias orientações, que vão desde como fazer para copiar (download) um arquivo até criar um site. Consulte Ajustar o Computador  Criar sua página na Internet Facilitar a navegação Ter segurança e privacidade Trocar mensagens A seção Bê-a-Bá da Internet, do Portal EducaRede, também disponibiliza um glossário de termos da informática e da Internet.

×