O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.
"O nascimento do
pensamento
é igual ao nascimento de
uma criança:
tudo começa com um ato
de amor.
Uma semente há de ser
de...
ALEGRIA

EMOÇÕES POSITIVAS

AMOR

PRAZER
A EMOÇÃO NOS
FAZ SALTAR DE
UM PENHASCO

RAZÃO

A RAZÃO NOS FAZ
TER MEDO DE DAR
UM PASSO.
EMOÇÃO

WILLIAN BORGES
RAIVA
TRISTEZA

MEDO

Goleman, reportando
Aristóteles diz: " Qualquer
um pode zangar-se. Isso é
fácil. Mas zangar-se com
a...
Trabalhar no sentido de criar um ambiente agradável e livre de tensões
na sala de aula. O aluno precisa aprender a ser fel...
TODOS SOMOS DOTADOS
DE:
RACIOCÍNIO
SENTIMENTOS
DESEJOS
EXPECTATIVAS

QUEREMOS VER NO OUTRO A
CONFIRMAÇÃO DO BEM E DO
CARIN...
"O pão, mesmo abundante, é
amargo para quem o come na
solidão ou no anonimato coletivo
de um atendimento massivo e
embrute...
AFETO
TERNURA
COMPREENSÃO
DOAÇÃO
ACEITAÇÃO
RELAÇÃO EDUCADOR-EDUCANDO É ALICERÇADA NA
RECIPROCIDADE






1. Empatia: Capacidade de se colocar no lugar do outro, d...
RESILÊNCIA
Resiliência e pedagogia da presença
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Resiliência e pedagogia da presença

4.035 visualizações

Publicada em

  • Oi colega corrija lá no último slide a palavra Resiliência. Bjcas. Seu slides está muito bom.
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui

Resiliência e pedagogia da presença

  1. 1. "O nascimento do pensamento é igual ao nascimento de uma criança: tudo começa com um ato de amor. Uma semente há de ser depositada no ventre vazio. E a semente do pensamento é o sonho. Por isso os educadores [e educadoras], antes de serem especialistas em ferramentas do saber, deviam ser especialistas em amor: intérpretes de sonhos." Rubem Alves
  2. 2. ALEGRIA EMOÇÕES POSITIVAS AMOR PRAZER
  3. 3. A EMOÇÃO NOS FAZ SALTAR DE UM PENHASCO RAZÃO A RAZÃO NOS FAZ TER MEDO DE DAR UM PASSO. EMOÇÃO WILLIAN BORGES
  4. 4. RAIVA TRISTEZA MEDO Goleman, reportando Aristóteles diz: " Qualquer um pode zangar-se. Isso é fácil. Mas zangar-se com a pessoa certa, na medida certa, na hora certa, pelo motivo certo e da maneira certa não é fácil "
  5. 5. Trabalhar no sentido de criar um ambiente agradável e livre de tensões na sala de aula. O aluno precisa aprender a ser feliz na escola, descobrir o prazer de aprender, e de fazer as suas atividades bemfeitas, aprender que é permitido errar e que o erro nos faz crescer. Não ter medo de descobrir, assumir e desenvolver a própria potencialidade. (Bomtempo, 1997, p. 9).
  6. 6. TODOS SOMOS DOTADOS DE: RACIOCÍNIO SENTIMENTOS DESEJOS EXPECTATIVAS QUEREMOS VER NO OUTRO A CONFIRMAÇÃO DO BEM E DO CARINHO NATURAL QUE DEVE EXISTIR ENTRE OS SERES.
  7. 7. "O pão, mesmo abundante, é amargo para quem o come na solidão ou no anonimato coletivo de um atendimento massivo e embrutecedor” COSTA
  8. 8. AFETO TERNURA COMPREENSÃO DOAÇÃO ACEITAÇÃO
  9. 9. RELAÇÃO EDUCADOR-EDUCANDO É ALICERÇADA NA RECIPROCIDADE    1. Empatia: Capacidade de se colocar no lugar do outro, de modo a sentir o que se sentiria caso se estivesse no seu lugar;            2. Aceitação incondicional ou respeito:  capacidade de acolher o outro integralmente, sem que lhe sejam colocadas quaisquer condição e sem julgá-lo pelo que ele é, sente, pensa, fala ou faz;      3. Congruência:  Capacidade de ser real, de se mostrar ao outro de maneira autêntica e genuína, expressando através de suas palavras ou atos seus verdadeiros sentimentos;   4. Confrontação:  Capacidade de perceber e comunicar ao outro certas discrepâncias ou incoerências em seu comportamento distância entre o que ele fala e o que ele faz, entre o que ele fala e o que ele é na realidade, entre o que ele fala e o que mostra;    5. Imediaticidade:  Capacidade de trabalhar a própria relação terapeuta-cliente, abordando os sentimentos imediatos que um experimenta pelo outro durante o processo.   6. Concreticidade:  Capacidade de decodificar a experiência do outro em elementos específicos, objetivos e concretos para que ele possa compreender sua experiência, às vezes confusa. 
  10. 10. RESILÊNCIA

×