Escola participativa

2.193 visualizações

Publicada em

Escola participativa

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.193
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
242
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
43
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Escola participativa

  1. 1. Capitulo 5 Estudos de casos brasileiros
  2. 2. Objetivo <ul><li>“ Pretende-se ilustrar experiências significativas realizadas por nossas escolas, que demonstram o esforço pela realização de gestão escolar orientada para a melhoria da qualidade de ensino”. </li></ul>
  3. 3. <ul><li>Escola Municipal Tereza Benguela </li></ul><ul><li>Cuiabá MT </li></ul>
  4. 4. Principais características <ul><li>Situada numa rua não pavimentada; </li></ul><ul><li>Bairro da classe média de Cuiabá; </li></ul><ul><li>Infra-estrutura precária </li></ul><ul><li>5,7 % dos moradores possui nível universitário; </li></ul><ul><li>15 % de analfabetismo; </li></ul><ul><li>2/3 da população ganha até 2 salários mínimos; </li></ul><ul><li>245 alunos e alunas – Educação Inf. e Fund. I </li></ul>
  5. 5. Diretrizes estabelecidas pela Secretaria de Educação <ul><li>Fortalecer a unidade escolar por meio da autonomia pedagógica, financeira e administrativa; </li></ul><ul><li>Desenvolvimento da capacidade gerencial de seus dirigentes; </li></ul><ul><li>Instituir programa permanente de formação; </li></ul><ul><li>Estabelecer uma política de remuneração; </li></ul><ul><li>Investir na melhoria das condições de trabalho; </li></ul><ul><li>Promover o sucesso escolar de seus alunos e alunas; </li></ul>
  6. 6. <ul><li>Lançamento do programa “Gestão de Qualidade Total, inspirado em programas utilizados por empresas privadas e desenvolvido com a parceria do “Instituto de Pesquisa Econômica” (IPEA). </li></ul>
  7. 7. A Prática <ul><li>Recebimento de verba através da transferência de recursos; </li></ul><ul><li>Ampliação e melhoria do espaço físico; </li></ul><ul><li>Materiais de consumo e manutenção; </li></ul><ul><li>Formação continuada; </li></ul>
  8. 8. <ul><li>Reorientação dos currículos; </li></ul><ul><li>A partir das necessidades; </li></ul><ul><li>Participação efetiva da comunidade; </li></ul><ul><li>Parceria com a Universidade Federal do Mato Grosso - UFMT; </li></ul>
  9. 9. <ul><li>Programa de Capacitação de Recursos Humanos (Formação continuada); </li></ul><ul><li>Ampliação de conhecimentos teóricos; </li></ul><ul><li>Estreita relação com a prática docente; </li></ul><ul><li>Parceria com a Universidade Federal do Mato Grosso - UFMT; </li></ul>
  10. 10. <ul><li>Conselho Escolar Comunitário (CEC); </li></ul><ul><li>Gestão Pedagógica: acompanhamento da aprendizagem dos alunos e alunas, aprovar projetos que visem o crescimento das crianças, observar o cumprimento do calendário escolar e da legislação educacional e acompanhar as atividades dos professores no dia-a-dia da escola ; </li></ul>
  11. 11. <ul><li>Conselho Escolar Comunitário (CEC); </li></ul><ul><li>Gestão administrativa: acompanhar a freqüência de todos na escola e cooperar na manutenção da limpeza, higiene e conservação do prédio escolar, envolvendo alunos e comunidade ; </li></ul>
  12. 12. <ul><li>Conselho Escolar Comunitário (CEC); </li></ul><ul><li>Gestão financeira: planejamento e acompanhamento do uso o dinheiro repassado mensalmente pela Secretaria Municipal de Educação e o arrecadado pela escola, aprovando as prestações de contas ; </li></ul>
  13. 13. <ul><li>Decisões Importantes do Conselho Escolar Comunitário (CEC); </li></ul><ul><li>Abertura de uma classe de Educação Infantil; </li></ul><ul><li>Indicação de uma mãe de aluno para substituir a professora titular da classe de 1ª série; </li></ul><ul><li>Reposição de aula aos sábados em caso de falta de professores; </li></ul><ul><li>Premiações simbólicas para funcionários e professores; </li></ul>
  14. 14. Depoimentos “ O bairro tem uma tradição de participação que faz com que os pais opinem e decidam não só em função de seus filhos, mas de todas as crianças. “ (Professor) “ Eu participei do Conselho no ano passado e aprendi com os professores a tomar decisões e organizar as atividades. Uma coisa que o Conselho resolveu foi dar refeição no final da aula e isso foi muito bom. “ (Aluno da 4ª série) “ Acho bom participar do Conselho porque a gente fica sabendo o que acontece na escola, de quanto é a verba, decide como gastar essa verba [...]. Sou membro do CEC e já falei duas ou três vezes. Não fico nervosa, não. “ (Funcionária)
  15. 15. <ul><li>Resultados apresentados </li></ul><ul><li>O índice de perda de alunos (evasão e repetência) baixou dos 22%, registrados em 1992, para 7% no ano seguinte. </li></ul>
  16. 16. <ul><li>Desafios futuros </li></ul><ul><li>Criação de um Caixa de Custeio para ajudar a simplificar os tramites burocráticos da aplicação de recursos; </li></ul><ul><li>Garantir a efetiva representatividade dos segmentos de pais e alunos, já assegurada aos professores e funcionários; </li></ul>
  17. 17. Ações garantidoras do sucesso da Escola Municipal Tereza Benguela <ul><li>O aluno e seu sucesso: o foco de todas as ações da escola. </li></ul><ul><li>Coordenação continua do trabalho docente. </li></ul><ul><li>Noção, por todos, dos objetivos gerais da escola na execução de seu trabalho específico. </li></ul><ul><li>Desenvolvimento de autonomia financeira da escola. </li></ul><ul><li>Parceria com outras escolas, na busca de solução de problemas comuns. </li></ul><ul><li>Participação da comunidade na reelaboração do currículo e projeto pedagógico da escola. </li></ul><ul><li>Formação de Conselho Comunitário Escolar e sua atuação em ações pedagógicas, além das administrativas. </li></ul><ul><li>Melhoria buscada coletivamente. </li></ul><ul><li>Monitoramento contínuo do desempenho da escola. </li></ul><ul><li>Decisões baseadas em diagnósticos. </li></ul>
  18. 18. Escola Municipal da Iputinga Recife PE
  19. 19. Principais características <ul><li>48% da população metropolitana, e 54% da periferia estão na linha de pobreza; </li></ul><ul><li>Centro comercial e industrial, a maioria de sua população concentra-se em ocupações de serviço e comércio de mercadoria; </li></ul><ul><li>10% de desempregados; </li></ul><ul><li>87% trabalhando por conta própria; </li></ul><ul><li>Dentre as crianças de 7 a 14 anos deste seguimento, 13% estão fora da escola, enquanto apenas 4% das não pobres não freqüentam uma sala de aula </li></ul>
  20. 20. Principais características <ul><li>O sistema de ensino no estado é altamente seletivo, convivendo com taxas de reprovação de 34%, e de evasão, de 25% (1988); </li></ul><ul><li>Perda de 44% (1ª a 4ª série) e de 50% (de 5ª a 8ª série) em relação matricula inicial; </li></ul><ul><li>Desperdício da metade dos esforços despendidos para incentivar a educação no município. </li></ul>
  21. 21. Diretrizes estabelecidas pela Secretaria de Educação <ul><li>Acomodação e redistribuição das vagas na rede; </li></ul><ul><li>Implantação de projetos pedagógicos elaborados a partir do perfil da unidade escolar e de sua região administrativa; </li></ul><ul><li>Melhoria das condições físicas dos prédios escolares; </li></ul><ul><li>Programas de merenda escolar com a acentuada melhoria na distribuição; </li></ul><ul><li>Controle de qualidade ; </li></ul><ul><li>Programas de recuperação, com a parceria da Universidade Federal de Pernanbuco - UFPe; </li></ul>
  22. 22. Diretrizes estabelecidas pela Secretaria de Educação <ul><li>Melhor remuneração do corpo docente (ajuste bimestral); </li></ul><ul><li>Taxa de incentivo; </li></ul><ul><li>Participação nas decisões; </li></ul><ul><li>Programas de formação continuada durante o ano letivo; </li></ul><ul><li>Programa semestral de formação intensiva (40hs) ; </li></ul><ul><li>Transferência de supervisores de ensino dos orgãos centrais para as unidades escolares; </li></ul>
  23. 23. <ul><li>Democratizar a gestão implicou introduzir mecanismos que asseguram a participação dos diversos segmentos da sociedade, na formulação e execução das propostas educacionais e no controle da qualidade de ensino. </li></ul>
  24. 24. A Prática <ul><li>A gestão participativa efetiva-se; </li></ul><ul><li>Conselhos escolares; </li></ul><ul><li>Conselhos Regionais de Educação; </li></ul><ul><li>Conselho Municipal de Educação; </li></ul><ul><li>Conferencia Municipal de Educação; </li></ul>
  25. 25. <ul><li>Construção do Projeto Pedagógico; </li></ul><ul><li>Diagnóstico da real situação atual das unidades de ensino; </li></ul><ul><li>Construção e execução do projeto pedagógico de cada escola, sem perder de vista as condições da rede e a política educacional implantada no sistema </li></ul><ul><li>Formação continuada baseada na construção do conhecimento cientifico e nas trocas de casos de sucesso pessoais e coletivos; </li></ul>
  26. 26. <ul><li>Supervisão de ensino: </li></ul><ul><li>Acompanhamento do cotidiano escolar; </li></ul><ul><li>Observação e intervenção na sala de aula; </li></ul><ul><li>Discussão e aprofundamento das questões apontadas nas reuniões pedagógicas; </li></ul><ul><li>Organização de experiências e de material produzido, para serem divulgados na rede ; </li></ul><ul><li>Articuladores de transformação da prática pedagógica, mesmo com a notável falta de preparo; </li></ul>
  27. 27. <ul><li>Critérios para construção do Projeto pedagógico estabelecidos pela Escola Municipal da Iputinga Recife PE </li></ul><ul><li>Avaliação diagnóstica (perfil de entrada por série) sistemática e contínua; </li></ul><ul><li>Currículo voltado para a realidade dos alunos mas que, ao mesmo tempo, assegure o acesso dos mesmos aos conteúdos historicamente produzidos.; </li></ul><ul><li>Desenvolvimento da 5ª a 8ª série, com a participação de todos os professores e da supervisão, podendo utilizar as exibições de vídeos da TV Viva como tema central; </li></ul><ul><li>Encontros mensais dos professores para planejamento político-pedagógico integrado às áreas e às séries; </li></ul><ul><li>Implantação de uma biblioteca e desenvolvimento de projetos de leitura; </li></ul><ul><li>Desenvolvimento de atividades artísticas extraclasse com os alunos ; </li></ul>
  28. 28. A avaliação é aparentemente contínua em toda a escola, tendo como parâmetro o “perfil de entrada e de saída” definido pelos professores e supervisores para cada série.
  29. 29. <ul><li>Resultados apresentados </li></ul><ul><li>Há uma grande expectativa sobre os resultados de recuperação dos alunos e o aprofundamento das questões pedagógicas, previsto pelo projeto da escola, para o próximo ano. Aos poucos a escola vai se renovando, objetivos comuns vão se impondo, as divergências enfraquecem, o coletivo toma corpo e fortalece-se e, em ultima instancia, a escola encontra seu caminho </li></ul>
  30. 30. Ações garantidoras do sucesso da Escola Municipal da Iputinga <ul><li>Democratização da gestão escolar. </li></ul><ul><li>Democratização do acesso de alunos à escola e garantia de permanência nela. </li></ul><ul><li>Acompanhamento da execução do projeto pedagógico da escola por supervisor pedagógico. </li></ul><ul><li>Reuniões pedagógicas de revisão, preparação de material, organização de experiências, etc. </li></ul><ul><li>Planejamento de ação pedagógica, com base em avaliação diagnóstica sistemática e contínua. </li></ul><ul><li>Planejamento assumido como processo contínuo. </li></ul><ul><li>Comprometimento da comunidade com a educação. </li></ul><ul><li>Atenção a ação coletiva. </li></ul>
  31. 31. Escola Municipal João Pinheiro São Paulo SP
  32. 32. Principais características <ul><li>Educação Infantil, Ensino Fundamental I e II; </li></ul><ul><li>Atende 1463 alunos e alunas; </li></ul><ul><li>Infra-estrutura simples </li></ul><ul><li>15 % dos alunos e alunas são filhos de professores ou funcionários; </li></ul><ul><li>5 a 10% de reprovação; </li></ul><ul><li>3 a 6% de evasão; </li></ul>
  33. 33. A Prática <ul><li>Diagnóstico; </li></ul><ul><li>Rendimento a baixo do esperado (5ª série); </li></ul><ul><li>Integração curricular (4ª e 5ª série); </li></ul><ul><li>Troca de experiências com outras escolas; </li></ul>
  34. 34. <ul><li>Novas práticas; </li></ul><ul><li>Planejamento coerente ao; </li></ul><ul><li>Professor integrado ou polivalente para as 5ª séries; </li></ul><ul><li>Trabalho baseado no planejamento e avaliação; </li></ul><ul><li>Reuniões semanais para planejamento e troca de informações de cada especialista; </li></ul><ul><li>Planejamento anual visando a transição das séries; </li></ul><ul><li>Participação efetiva da direção, coordenação e professores; </li></ul>
  35. 35. <ul><li>Formação continuada; </li></ul><ul><li>Ampliação de conhecimentos teóricos; </li></ul><ul><li>Estreita relação com a prática docente; </li></ul><ul><li>Organização por parte das coordenadoras pedagógicas; </li></ul><ul><li>Busca pelos professores no momento das trocas de experiências, devido a estrutura curricular; </li></ul>
  36. 36. Depoimentos “ Não deve ser imposto, a escola é que deve procurar saídas, caminhos. “ (Diretora) “ Basta ter uma cultura geral razoável, interesse pela leitura e habilidades básicas de pensamento e comunicação. A partir desses elementos, e com o preparo semanal previsto pela escola, desempenham muito bem suas funções. “ (Coordenadora pedagógica) “ Essa troca é muito enriquecedora, na medida em que, face a necessidade de repassar o conteúdo para os colegas, o professor é muitas vezes levado a buscar atualização ou propor novas abordagens para os mesmos conteúdos que já lecionava. “ (Professor)
  37. 37. Depoimentos “ Um não fica esperando o outro, não há rigidez de funções, o espírito é de colaboração. “ (Pais e Mães) “ Essa escola é um exemplo do que pode ser feito no ensino público. “ (Pais e Mães)
  38. 38. <ul><li>Resultados apresentados </li></ul><ul><li>È possível estar no controle de todo o processo de ensino aprendizagem, desde avaliação diagnostica passando pelo planejamento até a avaliação final. È possível saber o que foi ensinado e o que foi absorvido por todos envolvidos no processo. </li></ul>
  39. 39. <ul><li>Desafios futuros </li></ul><ul><li>Sistematização de remuneração dos profissionais envolvidos; </li></ul><ul><li>Evidenciar a necessidade de um posicionamento das administrações de educação pública para abrir espaços, assumir o papel de facilitadores, dar liberdade às escolas para escolherem seus caminhos e crescerem; </li></ul>
  40. 40. Ações garantidoras do sucesso da Escola Municipal João Pinheiro <ul><li>Ação cooperativa e empreendedora. </li></ul><ul><li>Organização e planejamento das ações pedagógicas. </li></ul><ul><li>Capacitação profissional em serviço. </li></ul><ul><li>Participação integrada de educadores e pais. </li></ul><ul><li>Cooperação entre profissionais de várias áreas. </li></ul><ul><li>Quebra do sentido de especialização e construção de ação integrada. </li></ul><ul><li>Acompanhamento contínuo do trabalho docente. </li></ul><ul><li>Avaliação contínua de desempenho. </li></ul><ul><li>Orientação para resultados. </li></ul><ul><li>Gestão para a formação de equipe. </li></ul>
  41. 41. Considerações <ul><li>Apesar das contribuições, os casos citados são das décadas de 80 e 90; </li></ul><ul><li>Dependência de leis e diretrizes que facilitem o processo ; </li></ul><ul><li>A necessidade de melhorar o que já existe para daí então inovar (planejamento e avaliação); </li></ul><ul><li>As contribuições de práticas que valorizam a participação efetiva de toda a comunidade escolar; </li></ul><ul><li>Formação continuada como fator importante para a melhora da prática docente; </li></ul>
  42. 42. <ul><li>“ Você é o que é porque é assim que quer ser. Caso contrário estaria em processo de mudança”. </li></ul><ul><li>Fred Smith </li></ul>“ Nem tudo o que se enfrenta pode ser modificado. Mas nada pode ser modificado até que seja enfrentado”. James Baldwin

×