Mesoamérica
Aztecas
 
A palavra "Azteca" não é indígena, mas proposta pelo explorador e 
naturalista Alexander Von Humboldt, populariz...
Com  a  destruição  de  Tula  e  a  desarticulação  do  Estado  Tolteca 
provocada  pela  invasão  dos  Nahuas  Chichimeca...
Ao estudar-se a cultura asteca, deve-se prestar especial atenção a
três aspectos:
1- A religião, que demandava sacrifícios...
Na ourivesaria eram mestres. Os sacerdotes, astrônomos e astrólogos
Aztecas tinham com um de seus deveres a contemplação d...
Dos vários códices, o chamado Borbônico mostra os deuses
Tezcatlipoca e Quetzalcoatl, este em sua forma de serpente verde
...
A antiga capital contava com seguramente mais de quinhentos mil
e menos de um milhão de habitantes. Em 1519, maior do que
...
Bibliografia:
http://www.immanouel.com/civilizacoes_antigas/menu_civilizacoes.php?iden=456
http://www.nationmaster.com/enc...
Apêndice
O México vai organizar, em 2009 e 2010, exposições sobre o seu
passado pré-hispânico, com destaque para Montezuma...
A Borboleta
O que o pássaro vermelho dos deuses diz?
Com um tinir de sons;
Sorvendo mel?
Que deleite!
Lá vem, lá vem a bor...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Mesoamerica IX de IX - Mexicas

418 visualizações

Publicada em

Mesoamerica IX de IX - Mexicas

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
418
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Mesoamerica IX de IX - Mexicas

  1. 1. Mesoamérica
  2. 2. Aztecas   A palavra "Azteca" não é indígena, mas proposta pelo explorador e  naturalista Alexander Von Humboldt, popularizada por William H.  Prescott  em  1843  na  obra  "Historia  da  Conquista  do  México“,  apesar de estar baseada na cultura mesoamericana.    Azteca  é  derivado  de  Aztlán,  que  significa  "Lugar  da  Garça  Blanca",  uma  terra  lendária,  de  sete  tribos  do  deserto  conhecidos  como Chichimecas, que surgiram milagrosamente de una caverna no  coração de una montanha sagrada ao norte do Vale do México.   Viviam  pacificamente  caçando  e  pescando  até  que  tiveram  uma  inspiração divina de seus deuses pastores Mixcoatl e Huitzilopochtli  para cumprirem um destino de conquista. Huitzilopchtli (Códice Telleriano-Remensis) Mixcoatl
  3. 3. Com  a  destruição  de  Tula  e  a  desarticulação  do  Estado  Tolteca  provocada  pela  invasão  dos  Nahuas  Chichimecas,  começou  na  Mesoamérica  um  período  de  instabilidade  que  durou  aproximadamente  250  anos,  só  terminando  com  a  supremacia  dos  Mexicas. Os Mexicas, apesar de serem o último povo Chichimecas a chegar ao  Vale  do  México  (Anahuac)  oriundo  de  Aztlán,  sudoeste  do  atual  Estado  Unidos,  tornaram-se  sedentários  e  mesclaram-se  com  os  Toltecas  já  influenciados  pelo  legado  cultural  dos  Teotihuacans  e  antigo Olmecas. Eram fortes, de pele escura, cabelos curtos e grossos  e rostos redondos. Controlaram um grande império que incluía quase  todo  o  centro  e  sul  do  México,  através  de  uma  organização  militar  muito desenvolvida e onde quase todos falavam a língua Náuatle.  Graças  a  herança  cultural  de  civilizações  preexistentes,  a  confederação Azteca tornou-se uma das mais civilizadas e poderosas  da América pré-colombiana.  
  4. 4. Ao estudar-se a cultura asteca, deve-se prestar especial atenção a três aspectos: 1- A religião, que demandava sacrifícios humanos em larga escala, particularmente ao deus da guerra, Huitzilopochtli; 2: A tecnologia avançada, como a utilização eficiente das chinampas ou ilhas artificiais de aproximadamente 6,09 m de largura por 91,44 m de comprimento com canais e diques onde a lama fértil dragada do lago era usada para fertilizar suas colheitas além de aquedutos. 3: Uma vasta rede de comércio e sistema de administração tributária.
  5. 5. Na ourivesaria eram mestres. Os sacerdotes, astrônomos e astrólogos Aztecas tinham com um de seus deveres a contemplação do céu e o estudo do movimento dos astros. Tinham conhecimento preciso sobre a duração do ano, dos solstícios, das fases e eclipses da Lua, a revolução do planeta Vênus e constelações, como as Plêiades e a Ursa Maior. Atribuíam uma atenção especial à mensuração do tempo, numa aritmética com base no número 20 e ao fim de cada período de 52 anos, acendia-se o "Fogo Novo" no alto da montanha de Uixachtecatl. Esta era a data denominada “atadura dos anos“, comemorada em uma cerimônia com sacrifícios, danças e renovação de utensílios domésticos etc. Os livros eram importantíssimos, os colégios dos nobres e os palácios possuíam volumosas bibliotecas. A escrita era uma mistura de ideogramas com escrita fonética, pois alguns caracteres denotavam idéias e objetos, e outros, designavam sons.
  6. 6. Dos vários códices, o chamado Borbônico mostra os deuses Tezcatlipoca e Quetzalcoatl, este em sua forma de serpente verde devorando um homem. A ilustração mostra a importância do sacrifício humano na religião Azteca e da a lenda de que Quetzalcoatl, o deus desterrado por Tezcatlipoca, voltaria a comandar os Aztecas. Cada uma das cidades-estados da confederação Azteca possuía o seu rei, mas tinham um comando militar na época da ocupação espanhola, em 1519, e o imenso império só reconhecia um chefe: Montezuma II, o Imperador Azteca que governava de Tenochtitlán, fundada em 1334 dC, pelo povo Tenochca, em uma ilha do lago Texcoco após uma aliança feita entre as cidades de Texcoco e Tlacopan, que instaurou o "Império Azteca“. Tenochtitlán ficava onde hoje é o centro da cidade do México.
  7. 7. A antiga capital contava com seguramente mais de quinhentos mil e menos de um milhão de habitantes. Em 1519, maior do que qualquer outra cidade americana, e apenas menor do que Roma, Paris, Veneza e Constantinopla. Organizada e estruturada causando admiração dos conquistadores. A maior parte da cidade foi severamente destruída na década de 1520 e a Cidade do México foi erguida sobre as suas ruínas. Por se encontrar numa ilha, o crescimento da Cidade do México até os dias de hoje foi conseguido através da sustentação da superfície com estacas de madeira - técnica semelhante àquela utilizada para erguer os prédios de Veneza. Ainda hoje há locais na cidade onde se podem observar essas estacas; um desses locais é o Museu Nacional de Antropologia, considerado um dos mais completos da América Latina. A água chegava à cidade por dois aquedutos que se construíram abaixo da estrada real. A população de Tenochtitlán vivia a custa de impostos extraídos das tribos conquistadas. Depois da queda Azteca, nenhuma dinastia mexicana digna do nome deixou de reivindicar a sua descendência. 650 = DCL
  8. 8. Bibliografia: http://www.immanouel.com/civilizacoes_antigas/menu_civilizacoes.php?iden=456 http://www.nationmaster.com/encyclopedia/The-jaguar-in-Mesoamerican-culture http://jqjacobs.net/mesoamerica/chichen.html http://www.arts-history.mx/pieza_semana/anteriores.php?id_pieza=15 http://www.delange.org/TresZapotes/TresZapotes.htm http://br.geocities.com/neynardo/civilizacaoprecolombiana.html http://pt.wikipedia.org/wiki/Chichimecas http://www.famsi.org/spanish/research/pohl/pohl_sites.html http://www.applet-magic.com/aztecsp.htm http://www.arqueologiamericana.com.br/artigos/artigo_25.htm http://www.diariodelistmo.com/istmo_nivel3.php?id_noticia=104091 http://www.google.com/search?ie=UTF-8&oe=UTF- 8&sourceid=navclient&gfns=1&q=Como+os+Olmecas+passavam+boa+parte+do+ano+dedicados+ %C3%A0+constru%C3%A7%C3%A3o+dos+centros http://www.historiadelarte.us/mexico/teotihuacan-1.html http://www.anphlac.org/periodicos/anais/encontro5/leila_maria_franca.pdf http://marciorps.sites.uol.com.br/mrps/PV2/cont/alb/alb_prn.html http://www.thotkom.com.br/thotkomnet/mexico.htm http://www.google.com.br/imgres? imgurl=http://www.famsi.org/research/pohl/images/aztec1figure4.jpg&imgrefurl=http://www.famsi.org/spanish/res earch/pohl/pohl_aztec1.html&h=967&w=744&sz=40&tbnid=Vd1nuWE9nkrMEM::&tbnh=148&tbnw=114&prev= /images%3Fq%3Dlago%2BTexcoco&hl=pt- BR&usg=__hd21RAi9_buJsvmRS8n7Vtr1B9o=&sa=X&oi=image_result&resnum=2&ct=image&cd=1 http://www.angelfire.com/dc/dresdencodex/webespnuttall.htmlhttp://www.jornalinfinito.com.br/materias.asp? cod=164 http://pt.wikipedia.org/wiki/Totonacas http://flickr.com/photos/ilhuicamina/sets/72157594436452734/ http://www.ideariumperpetuo.com/calendaztec.htm http://elcaminanteolmeca.com/index.php?option=com_content&task=view&id=451&Itemid=2
  9. 9. Apêndice O México vai organizar, em 2009 e 2010, exposições sobre o seu passado pré-hispânico, com destaque para Montezuma, Teotihuacán e os Olmecas, em recintos internacionais, informou o Instituto Nacional de Antropologia e História. As exposições vão estar patentes em vários espaços europeus, como o Museu Britânico, em Londres, o Quai Branly, em Paris, o Rietberg, na Suíça, e o Gropius Bau, na Alemanha. "Montezuma: o Homem, o Mito e o Império", sobre o último imperador dos astecas, apresenta-se no Museu Britânico como parte do ciclo: “Grandes Imperadores do Mundo", durante o último trimestre de 2009 e seguirá depois para o Museu Nacional de Antropologia mexicano. Por sua vez, a mostra "Arte e Esplendor de Teotihuacán, primeira cidade do México Antigo", que retrata a história de um dos principais centros do México pré-hispânico, será exibida em França, na Suíça e na Alemanha. A cultura dos Olmecas, a mais antiga da Mesoamérica, terá a sua própria exposição em 2010 e 2011 em Los Angeles e São Francisco (EUA) e no Japão. FONTE: http://www.pnetliteratura.pt/noticia.asp?id=3216
  10. 10. A Borboleta O que o pássaro vermelho dos deuses diz? Com um tinir de sons; Sorvendo mel? Que deleite! Lá vem, lá vem a borboleta: Vem, vem voando; Vem abrindo suas asas; Sobre as flores, sorvendo mel. Que deleite! Seu coração se abre; Ès uma flor! Anônimo - Antigo verso Tenochtitlán

×