Resenha - Teoria Comportamental: Teoria dos Dois Fatores

6.920 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.920
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
22
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
67
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Resenha - Teoria Comportamental: Teoria dos Dois Fatores

  1. 1. ETEC GUARACY SILVEIRA E T E C G U A RTEORIA DOS DOIS FATORES DE HERZBERG A C (TEORIA COMPORTAMENTAL) Y S I L V E I R A Caroline Trajano Franco Alves Nº 06/ 1º ET-Z SÃO PAULO 2012
  2. 2. RESENHA TEORIA DOS DOIS FATORES DE HERZBERGSOBRE O LIVRO: INTRODUÇÃO À TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO:UMA VISÃO ABRANGENTE DA MODERNA ADMINISTRAÇÃO DASORGANIZAÇÕES / IDALBERTO CHIAVENATO – 7. ED. REV. E ATUAL. –RIO DE JANEIRO: ELSEVIER, 2003 – 13° REIMPRESSÃO.Para Frederick Herzberg existiam dois fatores que orientavam ocomportamento das pessoas, eram eles: Fatores Higiênicos e FatoresMotivacionais, primeiramente ele implantou os Fatores Higiênicos, mas com opassar do tempo Herzberg percebeu que esses fatores apenas evitavam ainsatisfação, mas não provocavam satisfação nos empregados. Com essaconclusão ele foi à busca de algo mais eficiente e adotou os FatoresMotivacionais.Herzberg formulou a teoria dos dois fatores para explicar o comportamentodas pessoas em situação de trabalho, seu foco era transformar o ambiente detrabalho em algo agradável e satisfatório. Com isso ele observou dois principaisaspectos nos funcionários; a satisfação no cargo e a insatisfação no cargo, quedependia de acordo com as tarefas que eram destinadas a cada individuo.Para proporcionar continuamente motivação no trabalho, Herzberg criou o“enriquecimento de tarefas” ou “enriquecimento do cargo” que poderia serVertical ou Horizontal.Na Teoria dos dois fatores de Herzberg; seu principal objetivo era atender asnecessidades das pessoas nas organizações, com intuito de obter um melhordesempenho profissional de cada individuo. Neste modelo, ele distingue doistipos de fatores que influenciavam a motivação dos trabalhadores - os Fatoreshigiénicos e os Fatores motivacionais. Primeiramente ele implantou os Fatoreshigiênicos; que se baseava em atender as necessidades básicas dentro daempresa, mas como essas condições eram administrativas e decididas pelaempresa, esses fatores estavam fora de controle das pessoas. Os principais
  3. 3. Fatores higiênicos eram: salários, tipo de chefia ou supervisão, condiçõesfísicas e ambientais de trabalho, politicas e diretrizes da empresa, clima derelacionamento entre a empresa e os funcionários; entre outros.Tradicionalmente apenas os Fatores higiênicos eram utilizados na motivaçãodos empregados, mas com o passar do tempo às pesquisas de Herzbergrevelavam; que quando os fatores higiênicos eram ótimos eles apenasevitavam a insatisfação dos empregados e mesmo que houvesse satisfaçãonão era algo duradouro.Com isso surgiram os Fatores Motivacionais; que eram aqueles que sereferiam ao conteúdo do cargo às tarefas e aos deveres relacionados com ocargo em si, esses fatores estavam sob o controle do individuo; pois estavamrelacionados com as tarefas e o desempenho de cada pessoa. Eles envolviamsentimentos de crescimento individual, reconhecimento profissional e autorealização, e dependiam das tarefas que o individuo realizava no seu trabalho.Tradicionalmente, as tarefas e os cargos eram arranjados e definidos com apreocupação de atender aos princípios de eficiência e economia, eliminando odesafio e a criatividade individual; com isso provocavam um efeito dedesmotivação, provocando apatia, desinteresse e falta de sentido psicológico.Com isso se concluiu, que quando os fatores são ótimos, eles provocavamsatisfação nas pessoas, porém quando são precários, eles evitavam asatisfação, por estarem relacionados com a satisfação dos indivíduos.Herzberg observou dois aspectos nos empregados; a satisfação no cargo quedependia dos Fatores motivacionais e a insatisfação no cargo que dependiados Fatores higiênicos.Para proporcionar continuamente motivação no trabalho, Herzberg propõe oenriquecimento de tarefas; que consistia em substituir as tarefas simples eelementares do cargo por tarefas mais complexas para acompanhar ocrescimento individual de cada empregado, oferecendo-lhe condições dedesafio e de satisfação profissional no cargo.O enriquecimento de tarefas podia ser vertical (eliminação de tarefas maissimples e acréscimo de tarefas mais complexas) ou horizontal (eliminação detarefas relacionadas com certas atividades e acréscimos de outras tarefas
  4. 4. diferentes, mas no mesmo nível de dificuldade). O enriquecimento de tarefasprovocava efeitos desejáveis; como aumento da motivação, aumento daprodutividade, redução de faltas e atrasos e redução nas demissões deempregados. Contudo, podia gerar efeitos indesejáveis, como aumento deansiedade, aumento de conflito entre as expectativas pessoais e os resultadosdo trabalho nas novas tarefas enriquecidas e sentimentos de exploração.O autor apresenta a Teoria dos dois Fatores de forma clara e objetiva eabrangem uma linguagem de fácil compreensão. Podemos fazer umacomparação, da teria de Motivação de Herzberg com as necessidadessecundarias (necessidades de estima e auto realização) de Maslow, que temem comum a motivação. A principal diferença seria que, Maslow tentavamexplicar as necessidades humanas em diversos campos, já o Herzberg sebaseava no estudo das atividades dos funcionários dentro de uma empresa.A teoria dos dois Fatores de Herzberg do livro “Introdução à teoria Geral daAdministração”; é recomendado para todos que tenham interesse em conhecerou se aprofundar no Comportamento Humano dentro das Empresas,principalmente para empresários e pessoas responsáveis pela administraçãoempresarial.O autor do livro, é Idalberto Chiavenato nascido em 1936 no interior do estadode São Paulo, é autor brasileiro na área de administração de empresas e derecursos humanos, também é graduado em Filosofia/Pedagogia. Autor de 17livros em espanhol, sendo o escritor brasileiro com o maior número depublicações na língua espanhola. Seus livros são best-sellers no mercado deadministração. Suas principais obras foram Administração paraAdministradores e Não-Administradores; Introdução à Teoria Geral daAdministração 7ª edição; Administração nos Novos Tempos 2ª edição; Cartas aum Jovem Administrador 2ª edição; Recursos Humanos - O Capital Humanodas Organizações 9ª edição.Aluno do 1º Módulo do Curso Técnico de Administração da ETEC GUARACYSILVEIRA. Resenha elaborada no decorrer das aulas da disciplina de GestãoEmpresarial 1.

×