ETEC Guaracy SilveiraADMINISTRAÇÃO CIENTÍFICA: DIVISÃO RACIONAL DO TRABALHO                        Robson Porfírio dos San...
RESENHAOrganização Racional do TrabalhoSobre o Livro: CHIAVENATO, Idalberto, Introdução à Teoria Geral da Administração,7ª...
A decomposição de tempos e movimentos baseou-se também na anatomia e nafisiologia humana, concluiu-se através da pesquisa,...
estruturas que mantinham as novas empresas, consolidou a teoria de Weber naadministração.A administração científica tem se...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Resenha - ADM Científica: Divisão Racional do Trabalho

2.419 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.419
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
36
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
15
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Resenha - ADM Científica: Divisão Racional do Trabalho

  1. 1. ETEC Guaracy SilveiraADMINISTRAÇÃO CIENTÍFICA: DIVISÃO RACIONAL DO TRABALHO Robson Porfírio dos Santos, 28, ET-Z São Paulo 2012
  2. 2. RESENHAOrganização Racional do TrabalhoSobre o Livro: CHIAVENATO, Idalberto, Introdução à Teoria Geral da Administração,7ª ed. Ver. e Atual. Rio de Janeiro, Elsevier, 2003A proposta do livro é apresentar ao público as teorias que consolidaram aadministração na sociedade, não a restringindo somente a empresas, atualmente, olivro é destaque na área, portanto, um dos mais recomendados a todos que desejamobter a base do conhecimento do ramo de administração de empresas.O tema abordado a seguir, tem como meta, esclarecer o leitor, os princípios daprimeira Teoria Administrativa: Conhecida como Teoria Científica ou Teoria deTaylor idealizada por Frederick Taylor fundou seus princípios, a partir da análise dossetores das fábricas, a qual trabalhou de operário a engenheiro-chefe. As fábricasresultantes da primeira Revolução Industrial marcaram a fragilidade da organizaçãodas fábricas do período que necessitava de um modelo a qual pudesse atingir amaior eficiência, para isto, Taylor, em sua teoria deu ênfase às tarefas.Para fundamentar sua teoria, Taylor buscou através dos métodos científicos,explicitar às tarefas. O então operário viu que os conflitos, ocorridos entre chefes eoperários, podiam ser resolvidos através da racionalização das tarefas, a qualpoderia satisfazer tanto o operário quanto o líder. Em sua análise, pôde entãoconcluir que o trabalho é executado melhor e mais economicamente por meio daanálise do trabalho, isto é, a divisão e, se necessária, uma subdivisão dasatividades. Os movimentos inúteis gerados pelo excesso de trabalho, a que oproletariado era submetido, seriam eliminados, enquanto os movimentos úteis eramsimplificados, a essa visualização seguia-se um dos principais estudos da teoria, ode Tempos e Movimentos. Essa divisão do trabalho trouxe imediatas melhorias,entre esses benefícios, os quais obtiveram êxito foram: As eliminações dodesperdício de esforço humano e dos movimentos inúteis; racionalização da seleçãoe adaptação dos operários à tarefa e distribuição uniforme do trabalho.
  3. 3. A decomposição de tempos e movimentos baseou-se também na anatomia e nafisiologia humana, concluiu-se através da pesquisa, que os efeitos provocados pelafadiga influenciavam a produtividade do operário e reduzia a eficiência das tarefas, aresolução para o empecilho foi a divisão do trabalho e a especialização do operárioa fim de elevar sua produtividade. Após o fim do estudo, Taylor, pois, concluiu:“Tarefa é toda atividade executada por uma pessoa no seu trabalho dentro daorganização”, logo após disse: “Cargo é o conjunto de tarefas executadas demaneira cíclica ou repetitiva.” Como resultante desta conclusão da composição,temos a admissão de empregados com qualificações mínimas e salários menores,reduzindo os custos de produção, ou seja, a remuneração vem de acordo ao cargo eprodução, consequentemente, a diminuição de custos de treinamento de novosfuncionários. Contudo, o apoio dos funcionários ao cumprimento das tarefas não étotalmente crível, para solucionar a questão, criou-se o plano de incentivos salariaise de prêmios de produção, fundamentava-se na remuneração baseada no tempo deprodução.A Administração Científica baseou-se no conceito do homem econômico: Todapessoa é naturalmente influenciada por recompensas salariais, econômicas emateriais, logo, o homem procura o trabalho não porque gosta dele, mas como ummeio de ganhar a vida por meio do salário que o trabalho proporciona. Assim, asrecompensas salariais e os prêmios de produção influenciam os esforços individuaisdo trabalho, fazendo com que o trabalhador desenvolva o máximo de produção deque é fisicamente capaz para obter um ganho maior.No comparativo à Teoria da Burocracia idealizada por Max Weber, há oantagonismo na ênfase dos estudos. Weber priorizou a organização racional,entretanto Taylor enfatizou a tarefa, já que, as manufaturas industriais não detinhamde alguma forma de organização. Estas fábricas industriais se expandiram, pormeio, principalmente, da segunda revolução industrial e tornaram-se complexas, jáque não visavam somente à produção. O modelo científico era ultrapassado paraatender às necessidades empresariais, a teoria burocrática, surgiu para cobrir asfendas, onde seguiu uma das características do Taylorismo, a racionalidade, a somadeste fator com a necessidade de uma organização que abrangesse as diferentes
  4. 4. estruturas que mantinham as novas empresas, consolidou a teoria de Weber naadministração.A administração científica tem seu alto relevo na história da administração, pois foi aprimeira a tentar organizar as fábricas industriais, o filme tempos modernos (1936),mostra-nos a aplicação da teoria à prática, onde há grande desgaste físico eemocional dos funcionários provocados pela excessiva padronização das ações elongos períodos de tempo executando-as. Tudo isso regado com um senso dehumor crítico, que provoca no telespectador a reflexão. Qualquer anacronismoaplicado após a análise é um erro pífio, pois anterior à teoria, nada existira parafundamentar a administração. Sua imparcialidade em relação à estruturaempresarial levou a criação de sequentes teorias a fim de fortalecer a administração.Como pesquisador do conteúdo resenhado, recomendo a todos que desejam oucursam administração, sugiro também, aos estudantes de economia, as teoriasadministrativas, não somente a científica, também influenciaram a economia doséculo XIX e deixaram marcas na história econômica até os dias atuais.O excerto, a qual descrevi e analisei, é de autoria de Idalberto Chiavenato (1936),gabaritado na área administrativa, atua como conselheiro do Conselho Regional deAdministração de São Paulo (CRA-SP) e fundador do Instituto Chiavenato deEducação. Cursou doutorado em Administração pela City University of LosAngeles/EUA. Contém mais de vinte obras de imenso destaque no mercadonacional e internacional, no qual está incluída, Introdução à Teoria Geral daAdministração, e por êxito é ganhador de variados prêmios e títulos por suasmagníficas obras.Robson PorfírioAluno de Gestão Empresarial I pertencente à grade curricular do primeiro módulo docurso técnico de administração da Escola Técnica Guaracy Silveira, Pinheiros, SãoPaulo, Brasil.

×