Resenha - Fordismo: Linha de Montagem

8.874 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
8.874
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
78
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Resenha - Fordismo: Linha de Montagem

  1. 1. Resenha Ford e a linha de montagemTEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO: Da Revolução Urbana à RevoluçãoDigital 6ª edição (2006) Páginas: 520 páginas Autor: Antonio Cesar AmaruMaximiano.O Fordismo foi desenvolvido por Ford para facilitar a produção e o desenvolvimentoda forma de fabricação da época em que revolucionou a indústria automobilística apartir de 1914, quando foi introduzido totalmente o fordismo e dividido em subitensentre eles a primeira linha de montagem automatizada e a produção em massa queestá relacionado com o processo de montagem dos automóveis. Ford seguiu à riscaos princípios de padronização e simplificação de seus antecessores e desenvolveuoutras técnicas avançadas para a época. Suas fábricas eram totalmenteverticalizadas além disso procurou demonstra como seria uma fabrica de automóvelmais estruturada no modo de produzir.Seu principal objetivo com essa nova técnica de produção era reduzir ao máximo oscustos de produção e assim baratear o produto, podendo vender para o maiornúmero possível de consumidores. Desta forma, dentro deste sistema de produção,uma esteira rolante conduzia o produto, no caso da Ford os automóveis, e cadafuncionário executava uma pequena etapa. Logo, os funcionários não precisavamsair do seu local de trabalho, resultando numa maior velocidade de produção.Também não era necessária utilização de mão de obra muito capacitada, pois cadatrabalhador executava apenas uma pequena tarefa dentro de sua etapa deprodução.No capitulo parte II – A Escola Clássica do livro quando se inicia a falar do Fordismoe como a produção em massa era parte importante do trabalho a qual o produto erafabricado assim como a linha de montagem que segue nas paginas seguintes dolivro como o fator principal para um produto de qualidade, observamos que aspaginas seguintes do capitulo, segue-se uma pequena comparação de Ford e Tayloralém de uma breve historia da trajetória de Ford antes de iniciar seu estudo sobrecomo administrar uma organização. Além do mais, nas paginas iniciais e semifinaisdo capitulo do livro nos mostra que a teoria administrativa formula suas proposições
  2. 2. em função de duas condições básicas: o tempo (história) e o espaço (distância). Éesta a preocupação do livro: oferecer uma visão das organizações e do seu contextoantigo e atual.Para Ford deveria ter um produto com peças padronizadas e o trabalhadorespecializado. As peças padronizadas seriam para Ford a simplicidade, um exemplodisso seria cada peça ou componente poder ser montado em qualquer sistema ouproduto final. Para alcançar a padronização Ford passou a utilizar o mesmo sistemade calibragem para todas as peças, em todo o processo de manufatura. Dessaforma se deu o principio para o controle de qualidade.O segundo seria a especialização do trabalhador, onde cada etapa do processoprodutivo corresponde à montagem de uma parte do produto, ou seja, cada umdentro desse processo tinha sua função especifica, sendo assim o trabalhador tinhaque ser especializado em sua função dentro do processo de fabricação do produto,no livro podemos ver que o autor coloca claramente a ideia em que Ford focava-se.Outro item importante do processo de produção que é parecido com a produção emmassa é a linha de montagem, os trabalhadores para montar os automóveis tinhamque ir atrás das peças, para poderem fazer sua função no processo de montagemdos automóveis, mas com alinha de montagem tornou esse processo mais, eficienteentregando as peças em cada posto de onde os trabalhadores não precisariam, masficar saindo de sua função para pegar as peças, facilitando o desenvolvimento daprodução e agilizando o processo todo da produção do produto.A forma de organização e fabricação de Ford pode ser comparada com a deFrederick Taylor, o taylorismo ou administração cientifica como ficou mais conhecidoo qual Taylor procurou aperfeiçoar o processo de divisão técnica do trabalho, sendoque o conhecimento do processo produtivo era de responsabilidade única dogerente, que também fiscalizava o tempo destinado a cada etapa da produção.Outra coisa que caracteriza o taylorismo é a padronização e a realização deatividades simples porem repetitivas, por tanto o taylorismo como o fordismo tinhamcomo objetivos a ampliação da produção em um menor espaço de tempo e doslucros os detentores do meio de produção através da exploração da força detrabalho dos operários.
  3. 3. Como não são só semelhanças que une as teorias citadas assim como asdiferenças podemos citar que enquanto Taylor estudou a participação do homem noprocesso produtivo, Ford foi mais além porem não considerou muito o trabalhadordesenvolveu sua teoria sobre o processo de produção considerando o homemapenas como um dos meios de produção , embora no fordismo o trabalhador fossepraticamente adestrado e o seu trabalho repetitivo, as duas teorias desenvolvidasforam boas para o desenvolvimento e aprimoramento de outras teorias além demelhores técnicas dentro das organizações.O livro coloca de forma clara o assuntoresaltando como o fordismo é um modo de administração a se pensar na hora demontar sua empresa pois apesar de eficaz é preciso muita precisão e sacrifício porparte do empregado para se conseguir a eficácia no produto final, já outros autorescoloca que o modo de pensar de Ford é correto sem precisar tirar nenhum aspectoclaro que esses autores disseram isso antes do surgimento das teorias mais novaspor assim dizer.A teoria de Ford ainda é utilizada como exemplo para pessoas que estãocomeçando seus estudos de como montar uma boa organização, de como ter umaboa linha de produção que é importante e independente do setor, o qual fortrabalhar, além de ser muito utilizado por professores como exemplo e estudo, comofoi uma das primeiras teorias é comparada com outras que surgiram depois, sendoassim muito citada servindo também com base para outras teorias desenvolvidasdepois, sendo utilizados por alunos de faculdades, cursos tecnólogos deadministração, às vezes citados nas escolas quando falado sobre historia dasgrandes indústrias.Observamos que no livro Antonio Cesar Amaru Maximianonos conta sobre as teorias administrativas, uma delas a de Ford, colocando as deforma sutil e objetiva sempre fazendo referencia ao passado e comparando com aatual forma de administração. O livro nos mostra a total experiência de AntonioCesar Amaru Maximiliano que se deve a sua passagem por diversos lugares na áreaadministrativa como, por exemplo, sua passagem como Funcionário do Banco doBrasil (1966-1968) e do Serviço Social do Comércio (1968-1974), além disso,trabalhou como Professor de Administração de Empresas na Universidade de SãoPaulo no ano 1975. Com essa vasta bagagem ele conseguiu escrever vários livrosalém do que foi citado também escreveu ADMINISTRAÇÃO DE PROJETOS: Como
  4. 4. Transformar Ideias em Resultados, FUNDAMENTOS DE ADMINISTRAÇÃO: ManualCompacto para as Disciplinas TGA e Introdução à Administração, INTRODUÇÃO ÀADMINISTRAÇÃO (Edição Compacta) sempre fazendo referencia a antiga e novaforma de administração.Lhigya Maria Almeida Barbosa Santos, aluno Acadêmico do Curso Técnico deAdministração da ETEC Guaracy Silveira.

×