SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 38
Baixar para ler offline
1
MÁQUINAS TÉRMICAS
MÁQUINAS TÉRMICAS
AT
AT-
-056
056
Universidade Federal do Paraná
Universidade Federal do Paraná
Curso de Engenharia Industrial Madeireira
Curso de Engenharia Industrial Madeireira
M.Sc. Alan Sulato de Andrade
M.Sc. Alan Sulato de Andrade
alansulato@ufpr.br
alansulato@ufpr.br
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
2
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
INTRODUÇÃO:
 Um dos mais importantes campos de estudo no
conjunto das ciências e da tecnologia é, sem dúvida, o
dos “combustíveis” .
Devido ao fato de serem utilizados para “mover” o mundo.
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
INTRODUÇÃO:
 Somente com a grande atividade industrial atual
tornou-se possível o crescente fornecimento de
energia, que pode ser utilizada sob a forma
conveniente de energia calorífica, obtida através dos
combustíveis.
3
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
INTRODUÇÃO:
 Existem basicamente três grandes fontes de energia:
 As forças da natureza, tal como a gravidade em
quedas de água, solar e outras,
 Os combustíveis, que podem ser sólidos, líquidos
ou gasosos,
 A energia atômica, libertada de reações nucleares.
 Atualmente, os combustíveis ainda são a mais
importante fonte de energia. Por quanto tempo?
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
DEFINIÇÃO:
 De modo geral, denomina-se combustível como sendo
qualquer substância natural ou artificial que em
combinação química com o oxigênio libere energia
térmica por meio de uma reação exotérmica.
4
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
COMPOSIÇÃO:
 Os elementos químicos que entram na composição da
maioria dos combustíveis são:
 carbono,
 hidrogênio,
 oxigênio,
 nitrogênio e
 enxofre.
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
COMPOSIÇÃO:
 A qualidade do combustível é dada pelos elementos
carbono (C) e hidrogênio (H); o enxofre (S), apesar
de combustível, é indesejável, o oxigênio (O) diminui
a quantidade unitária de calor desprendida, pois é
considerado como já combinado com o hidrogênio; o
nitrogênio (N) também não é desejável, pois não
apresenta, no campo da combustão industrial, reação
com oxigênio com liberação de calor.
5
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
UTILIZAÇÃO:
 Para que um material possa ser considerado
industrialmente como sendo “combustível”, são
necessários os seguintes requisitos técnicos e
econômicos:
 Disponibilidade,
 Facilidade de uso,
 Não formação, durante a combustão, de substâncias tóxicas ou
corrosivas,
 Fácil obtenção,
 Baixo custo de produção,
 Segurança no armazenamento e no transporte.
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
UTILIZAÇÃO:
 Nos dias atuais, os combustíveis são representados
pelos materiais carbonáceos comumente disponíveis
e que podem ser queimados facilmente ao ar
atmosférico com desprendimento de grande
quantidade de calor e controlável sem grande esforço.
6
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
CONSUMO BRASILEIRO DE ENERGIA:
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
CONSUMO MUNDIAL DE ENERGIA:
7
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
CONSUMO:
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
CONSUMO DE ENERGIA :
 O consumo de energia no mundo está resumido, em
sua grande maioria, pelas fontes de energias
tradicionais como petróleo, carvão mineral e gás
natural. Esses combustíveis são poluentes, não-
renováveis e a cada dia que passa seus preços
tendem a aumentar.
8
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
PREÇO DO PETRÓLEO:
700% ?
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
PERSPECTIVAS FUTURAS:
9
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
PERSPECTIVAS FUTURAS:
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
PERSPECTIVAS FUTURAS:
10
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
CLASSIFICAÇÃO:
 Os combustíveis podem ser classificados quanto:
 A sua origem:
 Fósseis e (Não-renováveis)
 Vegetais (Renováveis)
 A sua natureza:
 Natural e
 Artificial.
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
CLASSIFICAÇÃO:
 O seu estado físico:
 Sólido,
 Líquido e
 Gasoso.
11
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
CLASSIFICAÇÃO:
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
CLASSIFICAÇÃO:
 Combustíveis Sólidos:
Para que sejam utilizados devem possuir poder
calorífico elevado, alta disponibilidade e que queime
com facilidade.
 Naturais: lenha, casca, turfa, carvão mineral, xisto
 Artificiais: coque, briquetes, carvão vegetal
12
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
CLASSIFICAÇÃO:
 Combustíveis Líquidos:
Possuem certas vantagens em relação aos sólidos,
tais como poder calorífico mais elevado, maior
facilidade e economia de armazenagem e fácil
controle de consumo.
 Naturais: petróleo bruto.
 Artificiais: produtos da destilação de petróleo,
álcoois e óleos vegetais.
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
CLASSIFICAÇÃO:
 Combustíveis Gasosos:
Possuem certas vantagens em relação aos
combustíveis sólidos, tais como: permitir a eliminação
de parte da fumaça e cinzas, melhor controle de
temperatura e comprimento das chama.
 Naturais: gás natural
 Artificiais: GLP, acetileno, propano, butano
13
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
PROPRIEDADES:
 Como visto, cada tipo de combustível em função de
seu estado ou natureza pode apresentar uma grande
diferença em suas propriedades, deste ponto em
diante iremos discutir as principais propriedades dos
combustíveis.
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
PROPRIEDADES:
 Poder calorífico,
 Composição química,
 Viscosidade,
 Ponto de fluidez,
 Calor latente,
 Ponto de fulgor e
 Umidade,
 Densidade.
14
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
PODER CALORÍFICO:
 É a quantidade de energia desprendida por unidade
de massa ou de volume na combustão completa de
um material combustível. Depende basicamente da
composição química de cada combustível sendo
expressa em J/kg, cal/kg, ou J/Nm³.
Existem dois poderes caloríficos:
 Poder Calorífico Superior e
 Poder Calorífico Inferior.
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
PODER CALORÍFICO:
 Poder Calorífico Superior (PCS):
É a quantidade de calor (energia) liberada quando um
material entra em combustão e os gases da descarga
são resfriados de modo que o vapor de água neles
seja condensado.
 Poder Calorífico Inferior (PCI):
É a quantidade de calor (energia) liberada quando um
material entra em combustão e os gases de descarga
são resfriados até o ponto de ebulição da água,
evitando assim que a água contida na combustão seja
condensada.
15
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
PODER CALORÍFICO:
 O PCS é dado por a soma da energia liberada na
forma de calor e a energia gasta na vaporização da
água que se forma numa reação de oxidação.
 O PCI corresponde somente a energia liberada na
forma de calor.
 Para combustíveis que não contenham hidrogênio na
sua composição, o valor de PCS é igual ao do PCI,
porque não há a formação de água e
consequentemente não há energia gasta na sua
vaporização. Assim, o PCS é sempre maior ou igual
ao PCI, pois o PCS. aproveita o a entalpia de
condensação da água
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
PODER CALORÍFICO:
 Como a temperatura dos gases de combustão é muito
elevada nas máquinas térmicas, a água contida nelas
se encontra sempre no estado de vapor, portanto, o
que deve ser considerado é o poder calorífico inferior
e não o superior.
16
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
PODER CALORÍFICO:
 Determinação do poder calorífico dos combustíveis.
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
PODER CALORÍFICO:
 Determinação do poder calorífico dos combustíveis.
PCS=(33900*%C)+(141800*(%H-(%O/8)))+(9200*%S)
PCI=PCS-(2440*((9*%H)+%U))
% em Escala absoluta
PCS=Poder Calorífico Superior (KJ/Kg)
C=Teor de Carbono
H=Teor de Hidrogênio
S=Teor de Enxofre
O=Teor de Oxigênio
PCI=Poder Calorífico Inferior (KJ/Kg)
U=Teor de umidade
17
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
PODER CALORÍFICO:
 Determine através das formulas o poder calorífico
superior e inferior do combustível, sabendo que este
apresenta a seguinte composição química:
C=52%
H=6%
O=1%
N=41%
S=0% - (Apenas traços)
U=30% (Umidade base seca)
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
PODER CALORÍFICO:
 Construa um gráfico da variação do PCI em função Teor
de umidade (Ubs)
U=20%
U=40%
U=60%
U=80%
U=100%
Calcule o ponto (Ubs) onde a energia contida no combustivel
seria todo utilizado para promover a evaporação da água.
18
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
PODER CALORÍFICO:
 Estime a quantidade necessária de combustível
(Ubu=40%) para promover o fornecimento de 250MJ de
energia para um processo onde a eficiência de conversão
é igual a 60%.
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
PODER CALORÍFICO:
19
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
PROPRIEDADES:
 Composição química (% de C, H, O, N, S e Cinzas):
Carbono e hidrogênio são os elementos que mais
contribuem para o poder calorífico. O oxigênio
presente em combustíveis diminui o poder calorífico,
bem como as exigências teóricas de ar de combustão.
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
PROPRIEDADES:
 Composição química (% de C, H, O, N, S e Cinzas):
Embora o enxofre seja combustível este traz
conseqüências prejudiciais ao meio ambiente e aos
equipamentos, sendo que os produtos de sua
combustão em presença de umidade formam acido
sulfúrico que tende a atacar as partes mais frias dos
equipamentos, causar chuva acida” e caso a
atmosfera da combustão seja redutora pode haver
formação de compostos que são perigosos e
produzem mal cheiro.
20
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
PROPRIEDADES:
 Composição química (% de C, H, O, N, S e Cinzas):
O Nitrogênio e responsável pela formação de diversos
óxidos que são compostos de alta irritabilidade para
as mucosas alem de reagirem com a camada
atmosférica de ozônio.
As cinzas podem promover mudança nas
características de transferência de calor e problemas
respiratórios (smog).
Legislação vigente quanto a emissões.
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
PROPRIEDADES:
 Viscosidade (mPas, cP):
É uma indicação da resistência que o fluido
apresentará para escoar, desta forma, quanto maior a
viscosidade, maior será a coesão entre as moléculas
e a resistência ao escoamento. Importante para o
controle de armazenamento, bombeamento e
pulverização para combustão. Graus SAE (Society of
Automotive Engineers), são expressos por dezenas
inteiras, sendo o óleo mais fino ou menos viscoso de
grau igual a 10.
21
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
PROPRIEDADES:
 Ponto de fluidez (°
C),
Indica a temperatura mínima para que os derivados
de petróleo escoam sem apresentar problemas.
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
PROPRIEDADES:
 Calor Latente (kcal, J):
Corresponde a quantidade de calor absorvido pelos
corpos na sua mudança de estado, sem que haja
aumento aparentemente de temperatura. O calor
latente necessário à fusão, liquefação ou gaseificação
varia com sua natureza. Na passagem do estado a
substancia não muda de temperatura enquanto dura
sua transformação, e todo calor empregado é
absorvido para produzir mudança de estado.
22
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
PROPRIEDADES:
 Ponto de Fulgor (°
C):
É a temperatura de inflamação do combustível;
 Coque = 660°
C
 Álcool etílico = 402°
C
 n-Octano = 220°
C
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
PROPRIEDADES:
 Umidade (%):
Quantidade de água contida no combustível.
Normalmente encontrada em todos os combustíveis,
principalmente nos sólidos, reduz o poder calorífico.
 Carvão mineral = 10% até 30%
 Lenha = 10% até 80%
23
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
PROPRIEDADES:
 Densidade (kg/m³, g/cm³):
Massa por unidade de volume de um combustível.
 Coque = 1070 kg/m³
 Madeira de Pinus = 450 kg/m³
 Gasolina = 850 kg/m³
 Metano = 0,680 kg/m³
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS SÓLIDOS:
 Pode ser encontrado em diversas formas na natureza
como:
 Turfa,
 Linhita,
 Carvão Mineral,
 Biomassa (Lenha, Bagaço de cana, Serragem,
Casca de arroz e Outros).
24
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS SÓLIDOS:
 Principais propriedades a serem avaliadas:
 Poder calorífico,
 Composição química,
 Umidade,
 Granulometria,
 Densidade.
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS SÓLIDOS:
 Os principais combustíveis sólidos utilizados no mundo
são a lenha e o carvão mineral na geração de energia
no mundo.
25
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS SÓLIDOS:
 Turfa
Se constitui na primeira fase de formação do carvão
mineral. Apresenta elevada umidade, mas secadas ao
ar reduz-se a umidade para cerca de 30%.
 Linhita
Fase intermediária entre o turfa e o carvão
betuminoso. Apresenta teor de umidade entre 30 e
50%, mas quando secada ao ar esta umidade pode
cair para entre 10 e 20%.
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS SÓLIDOS:
 Carvão Mineral
Devido ao seu alto teor de cinzas e enxofre o carvão
mineral brasileiro não e muito utilizado industrialmente,
a não ser nas localidades próximas a minas
produtoras na produção de energia e na industria de
cimento.
26
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS SÓLIDOS:
 Classificação do Carvão Mineral
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS SÓLIDOS:
 Composição do Carvão Mineral Nacional
27
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS SÓLIDOS:
 Biomassa
Provavelmente o primeiro combustível a ser utilizado
pelo homem foi a lenha. E um combustível
amplamente utilizado no Brasil, tanto em aplicações
domésticas como em aplicações industriais para
geração de energia térmica. E caracterizada por baixo
teor de cinzas, ausência total de enxofre e umidade
variável a qual depende do tempo e do método de
armazenagem.
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS SÓLIDOS:
 Biomassa
Poder Calorífico da Lenha:
 PCS = 4500 kcal/kg ≈ 18MJ/kg
 PCI 50%Umidade = 1990 kcal/kg
 PCI 35%Umidade = 2770 kcal/kg
 PCI 10%Umidade = 4070 kcal/kg
28
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS SÓLIDOS:
 Biomassa
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS SÓLIDOS:
 Biomassa
29
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS LÍQUIDOS:
 Os combustíveis empregados são constituídos de:
 Hidrocarbonetos,
 Benzol e
 Álcoois.
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS LÍQUIDOS:
 Os hidrocarbonetos são usualmente derivados de
petróleo: Gasolina, nafta, querosene, óleo diesel e
óleo combustível e consistem em frações obtidas da
destilação de petróleo. Apenas o óleo combustível é
queimado em geradores de energia industrial;
 Parâmetros avaliados: teor de enxofre, viscosidade,
ponto de fluidez, ponto de fulgor e densidade;
30
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS LÍQUIDOS:
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS LÍQUIDOS:
31
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS LÍQUIDOS:
 As característica do petróleo (Fatores geológicos como
localização da jazida, idade e profundidade)
determinam a faixa de extração de cada um dos
componentes.
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS GASOSOS:
 Visualiza-se um aumentado da aplicabilidade dos
combustíveis gasosos na industria nacional.
Respondendo a demanda por fontes de energia mais
limpas e eficientes. A limitação de seu crescimento
esta na disponibilidade e distancia dos centres
consumidores pela sua maior dificuldade de
transporte.
Para curto e médio prazo há incertezas sobre o
assunto GN no Brasil.
32
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS GASOSOS:
 Gás Natural é obtido em campos petrolíferos e tem
sido muito explorado recentemente, porem deve ser
transportado por gasodutos, o que dificulta sua maior
utilização dada a necessidade de investimento em
infra-estrutura. É uma composição de diversos gases:
Metano, etano, propano, butano, nitrogênio e dióxido
de carbono são os principais.
Apresenta característica bastante variável.
A presença de enxofre é pequena.
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS GASOSOS:
 Gás Liquefeito de Petróleo é obtido no processo de
destilação do petróleo e é um importante combustível,
tanto de aplicação industrial como domestica. É
composto basicamente por propano, propeno, butano
e buteno;
Liquefazem a pressões relativamente baixas.
33
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
RESÍDUOS:
 Resíduos e subprodutos:
 Urbanos,
 Agrícolas,
 Pecuários,
 Florestais,
 Agroindustriais.
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
RESÍDUOS:
 RESÍDUOS URBANOS
Compreendem os resíduos do lixo e esgoto. Não
apresentam um alto poder calorífico, mas por
apresentar elevado volume em grandes cidades sua
utilização pode ser atraente.
Necessidade de desenvolver tecnologia para
minimizar os impactos ambientais
34
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
RESÍDUOS:
 RESÍDUOS AGRÍCOLAS
Resultantes da colheita e do processamento de
cultivos. Sua exploração dever ser feita de maneira
racional e são constituídos basicamente pela palha de
diversas culturas.
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
RESÍDUOS:
 RESÍDUOS PECUÁRIOS
São constituídos dos excrementos de bovinos, ovinos,
suínos e de aves. Podem ser secos e utilizados para
queima ou para a produção de biogás (decomposição
anaeróbica).
35
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
RESÍDUOS:
 RESÍDUOS FLORESTAIS
São constituídos dos subprodutos das atividades de
silvicultura ou da fruticultura como: galhos, folhas,
acículas e troncos deixados no campo.
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
RESÍDUOS:
 RESÍDUOS AGROINDUSTRIAIS
São provenientes da industrias de transformação de
produtos agrícolas. Os principais resíduos utilizados
são oriundos das seguintes atividades agroindustriais:
indústria de açúcar e álcool, matadouros e frigoríficos,
cortumes, industria da pesca, fábrica de doces e
conservas, indústrias madeireiras, indústria de papel e
celulose. A tecnologia para o usos enérgico dos
resíduos agroindustriais são duas: queima em fornos e
geradores de vapor ou biodigestão anaeróbica.
36
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
DENDROENERGIA:
 A utilização do termo dendroenergia é recente,
contudo a utilização da dendroenergia remonta dos
tempos pré-históricos. O termo dendroenergia hoje é
utilizado para designar a “energia das árvores” e sua
utilização em processos térmicos.
Processos básicos de conversão dendroenergética:
 Combustão de biomassa;
 Pirólise da biomassa
 Gaseificação da biomassa;
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
DENDROENERGIA:
 COMBUSTÃO DE BIOMASSA
A queima direta é a tecnologia de conversão mais
antiga e mais difundida comercialmente;
O processo de combustão da biomassa ocorre em seis
etapas consecutivas: Secagem, emissão de voláteis,
ignição de voláteis, queima de voláteis em chama,
extinção da chama dos voláteis e combustão do
resíduo de carbono (coque).
37
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
DENDROENERGIA:
 PIRÓLISE DA BIOMASSA
Promove a degradação térmica da biomassa em
ausência total ou quase total de agente oxidante (ar)
havendo a formação de outro combustível (sólido,
líquido ou gasoso). Um caso particular de pirólise e a
carbonização (produção de carvão vegetal), uma
forma lenta de pirólise, pela queima direta da lenha
com pouco oxigênio;
Há tecnologias de pirólise orientadas para obtenção de
alcatrão, acido pirolenhoso, bio-óleos e de gases
combustíveis.
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
DENDROENERGIA:
 GASEIFICAÇÃO DA BIOMASSA
Neste processo a biomassa é oxidada (queimada)
parcialmente. A gaseificação térmica é semelhante a
pirólise, exceto que a transformação térmica dos
resíduos sólidos é determinada em presença de uma
quantidade limitada de ar ou oxigênio, produzindo
assim um gás combustível. Este gás pode ser utilizado
em caldeiras ou em turbinas/geradores a combustão.
Este processo gera subprodutos sólidos e líquidos.
38
COMBUSTÍVEIS
COMBUSTÍVEIS
PONTOS COMPLEMENTARES.
NÃO DISCUTIDOS EM AULA.
 MERCADO E DISPONIBILIDADE DE RECURSOS
ENERGÉTICOS.
 COMBUSTÍVEIS ALTERNATIVOS.
 PROCESSOS ALTERNATIVOS.
 POLÍTICAS.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Combustível 1.pdf

Infotec 026 porque é importante controlar a combustão
Infotec 026   porque  é  importante controlar a combustãoInfotec 026   porque  é  importante controlar a combustão
Infotec 026 porque é importante controlar a combustãozetec10
 
Artigo 9 reaproveitamento de calor residual em planta de produção de biocom...
Artigo 9   reaproveitamento de calor residual em planta de produção de biocom...Artigo 9   reaproveitamento de calor residual em planta de produção de biocom...
Artigo 9 reaproveitamento de calor residual em planta de produção de biocom...André Bellin Mariano
 
reaproveitamento de calor residual em planta de produção de biocombustível po...
reaproveitamento de calor residual em planta de produção de biocombustível po...reaproveitamento de calor residual em planta de produção de biocombustível po...
reaproveitamento de calor residual em planta de produção de biocombustível po...André Bellin Mariano
 
Unicamp gera--o, distribui--o e utiliza--o de vapore
Unicamp   gera--o, distribui--o e utiliza--o de vaporeUnicamp   gera--o, distribui--o e utiliza--o de vapore
Unicamp gera--o, distribui--o e utiliza--o de vaporeVânia Queiroz
 
[Ic] capa do relatório parcial 2015 (1)
[Ic] capa do relatório parcial 2015 (1)[Ic] capa do relatório parcial 2015 (1)
[Ic] capa do relatório parcial 2015 (1)Aluscka Aretuza
 
Mod 10 combate a incêndios reciclagem nr10
Mod 10 combate a incêndios reciclagem nr10Mod 10 combate a incêndios reciclagem nr10
Mod 10 combate a incêndios reciclagem nr10Shirlene Maciel Rafino
 
InjeçAo De Co2 SemináRio
InjeçAo De Co2 SemináRioInjeçAo De Co2 SemináRio
InjeçAo De Co2 SemináRioAlan Ferreira
 
Abnt natal
Abnt natalAbnt natal
Abnt natalabntweb
 
Termodinamica v-3.0-aula-03-analise-de-ciclos
Termodinamica v-3.0-aula-03-analise-de-ciclosTermodinamica v-3.0-aula-03-analise-de-ciclos
Termodinamica v-3.0-aula-03-analise-de-ciclosAcerAspire18
 
Refrigeração industrial por amônia
Refrigeração industrial por amôniaRefrigeração industrial por amônia
Refrigeração industrial por amôniaJorge Luis Machado
 
Geração de vapor
Geração de  vaporGeração de  vapor
Geração de vaporVava Vava
 
Roberto Teixeira Pessine 25 Abril 2008
Roberto Teixeira Pessine 25 Abril 2008Roberto Teixeira Pessine 25 Abril 2008
Roberto Teixeira Pessine 25 Abril 2008guestd0f8d58
 

Semelhante a Combustível 1.pdf (20)

Infotec 026 porque é importante controlar a combustão
Infotec 026   porque  é  importante controlar a combustãoInfotec 026   porque  é  importante controlar a combustão
Infotec 026 porque é importante controlar a combustão
 
Artigo 9 reaproveitamento de calor residual em planta de produção de biocom...
Artigo 9   reaproveitamento de calor residual em planta de produção de biocom...Artigo 9   reaproveitamento de calor residual em planta de produção de biocom...
Artigo 9 reaproveitamento de calor residual em planta de produção de biocom...
 
reaproveitamento de calor residual em planta de produção de biocombustível po...
reaproveitamento de calor residual em planta de produção de biocombustível po...reaproveitamento de calor residual em planta de produção de biocombustível po...
reaproveitamento de calor residual em planta de produção de biocombustível po...
 
Aula 8 incineração
Aula 8 incineraçãoAula 8 incineração
Aula 8 incineração
 
Unicamp gera--o, distribui--o e utiliza--o de vapore
Unicamp   gera--o, distribui--o e utiliza--o de vaporeUnicamp   gera--o, distribui--o e utiliza--o de vapore
Unicamp gera--o, distribui--o e utiliza--o de vapore
 
[Ic] capa do relatório parcial 2015 (1)
[Ic] capa do relatório parcial 2015 (1)[Ic] capa do relatório parcial 2015 (1)
[Ic] capa do relatório parcial 2015 (1)
 
Mod 10 combate a incêndios reciclagem nr10
Mod 10 combate a incêndios reciclagem nr10Mod 10 combate a incêndios reciclagem nr10
Mod 10 combate a incêndios reciclagem nr10
 
InjeçAo De Co2 SemináRio
InjeçAo De Co2 SemináRioInjeçAo De Co2 SemináRio
InjeçAo De Co2 SemináRio
 
Petróleo e gasolina
Petróleo e gasolinaPetróleo e gasolina
Petróleo e gasolina
 
Aula de Caldeiras
Aula de CaldeirasAula de Caldeiras
Aula de Caldeiras
 
Abnt natal
Abnt natalAbnt natal
Abnt natal
 
Energia
EnergiaEnergia
Energia
 
Termodinamica v-3.0-aula-03-analise-de-ciclos
Termodinamica v-3.0-aula-03-analise-de-ciclosTermodinamica v-3.0-aula-03-analise-de-ciclos
Termodinamica v-3.0-aula-03-analise-de-ciclos
 
Refrigeração industrial por amônia
Refrigeração industrial por amôniaRefrigeração industrial por amônia
Refrigeração industrial por amônia
 
1704
17041704
1704
 
FIREPRO o revolucionário agente extintor limpo
FIREPRO o revolucionário agente extintor limpoFIREPRO o revolucionário agente extintor limpo
FIREPRO o revolucionário agente extintor limpo
 
Combustiveis - Química
Combustiveis - QuímicaCombustiveis - Química
Combustiveis - Química
 
Geração de vapor
Geração de  vaporGeração de  vapor
Geração de vapor
 
Extintor co2
Extintor co2Extintor co2
Extintor co2
 
Roberto Teixeira Pessine 25 Abril 2008
Roberto Teixeira Pessine 25 Abril 2008Roberto Teixeira Pessine 25 Abril 2008
Roberto Teixeira Pessine 25 Abril 2008
 

Mais de adao18

Recepção de Mercadoria na Placa.pptx
Recepção de Mercadoria na Placa.pptxRecepção de Mercadoria na Placa.pptx
Recepção de Mercadoria na Placa.pptxadao18
 
ticket médio.pptx
ticket médio.pptxticket médio.pptx
ticket médio.pptxadao18
 
Facturação Bruta, Lucro Bruto e Análise Swot - Maria.pptx
Facturação Bruta, Lucro Bruto e Análise Swot - Maria.pptxFacturação Bruta, Lucro Bruto e Análise Swot - Maria.pptx
Facturação Bruta, Lucro Bruto e Análise Swot - Maria.pptxadao18
 
atendimento ao cliente e marketing.ppt
atendimento ao cliente e marketing.pptatendimento ao cliente e marketing.ppt
atendimento ao cliente e marketing.pptadao18
 
Recepção de Mercadoria na Placa.pptx
Recepção de Mercadoria na Placa.pptxRecepção de Mercadoria na Placa.pptx
Recepção de Mercadoria na Placa.pptxadao18
 
ATENDIMENTO AO CLIENTE EMARKETING.ppt
ATENDIMENTO AO CLIENTE EMARKETING.pptATENDIMENTO AO CLIENTE EMARKETING.ppt
ATENDIMENTO AO CLIENTE EMARKETING.pptadao18
 
Relações públicas 2.ppt
Relações públicas 2.pptRelações públicas 2.ppt
Relações públicas 2.pptadao18
 
SEGURANÇA NO TRABALHO.ppt
SEGURANÇA NO TRABALHO.pptSEGURANÇA NO TRABALHO.ppt
SEGURANÇA NO TRABALHO.pptadao18
 
SEGURANÇA.pptx
SEGURANÇA.pptxSEGURANÇA.pptx
SEGURANÇA.pptxadao18
 
perdas-ppp (1).ppt
perdas-ppp (1).pptperdas-ppp (1).ppt
perdas-ppp (1).pptadao18
 
prevenoecombateincendio-140530074508-phpapp02 (1).pptx
prevenoecombateincendio-140530074508-phpapp02 (1).pptxprevenoecombateincendio-140530074508-phpapp02 (1).pptx
prevenoecombateincendio-140530074508-phpapp02 (1).pptxadao18
 
SITUAÇÃO DO TRANSPORTE EM PORTUGAL.pdf
SITUAÇÃO DO TRANSPORTE EM PORTUGAL.pdfSITUAÇÃO DO TRANSPORTE EM PORTUGAL.pdf
SITUAÇÃO DO TRANSPORTE EM PORTUGAL.pdfadao18
 
CURSO DE IMPORTAÇ]AO EXPORTAÇ]AO.pdf
CURSO DE IMPORTAÇ]AO EXPORTAÇ]AO.pdfCURSO DE IMPORTAÇ]AO EXPORTAÇ]AO.pdf
CURSO DE IMPORTAÇ]AO EXPORTAÇ]AO.pdfadao18
 
AULA 3 GRH.pptx
AULA 3 GRH.pptxAULA 3 GRH.pptx
AULA 3 GRH.pptxadao18
 
AULA DE GRH CINFOTEC.pdf
AULA DE GRH CINFOTEC.pdfAULA DE GRH CINFOTEC.pdf
AULA DE GRH CINFOTEC.pdfadao18
 
COMBUSTÍVEIS-E-SISTEMAS-DE-COMBUSTÍVEL.pdf
COMBUSTÍVEIS-E-SISTEMAS-DE-COMBUSTÍVEL.pdfCOMBUSTÍVEIS-E-SISTEMAS-DE-COMBUSTÍVEL.pdf
COMBUSTÍVEIS-E-SISTEMAS-DE-COMBUSTÍVEL.pdfadao18
 
apresentacaoguarapuava_COMPLETO_5192d49738ff8.pdf
apresentacaoguarapuava_COMPLETO_5192d49738ff8.pdfapresentacaoguarapuava_COMPLETO_5192d49738ff8.pdf
apresentacaoguarapuava_COMPLETO_5192d49738ff8.pdfadao18
 
CombustívelPa .pdf
CombustívelPa .pdfCombustívelPa .pdf
CombustívelPa .pdfadao18
 
apresentacaoguarapuava_COMPLETO_5192d49738ff8.pdf
apresentacaoguarapuava_COMPLETO_5192d49738ff8.pdfapresentacaoguarapuava_COMPLETO_5192d49738ff8.pdf
apresentacaoguarapuava_COMPLETO_5192d49738ff8.pdfadao18
 

Mais de adao18 (19)

Recepção de Mercadoria na Placa.pptx
Recepção de Mercadoria na Placa.pptxRecepção de Mercadoria na Placa.pptx
Recepção de Mercadoria na Placa.pptx
 
ticket médio.pptx
ticket médio.pptxticket médio.pptx
ticket médio.pptx
 
Facturação Bruta, Lucro Bruto e Análise Swot - Maria.pptx
Facturação Bruta, Lucro Bruto e Análise Swot - Maria.pptxFacturação Bruta, Lucro Bruto e Análise Swot - Maria.pptx
Facturação Bruta, Lucro Bruto e Análise Swot - Maria.pptx
 
atendimento ao cliente e marketing.ppt
atendimento ao cliente e marketing.pptatendimento ao cliente e marketing.ppt
atendimento ao cliente e marketing.ppt
 
Recepção de Mercadoria na Placa.pptx
Recepção de Mercadoria na Placa.pptxRecepção de Mercadoria na Placa.pptx
Recepção de Mercadoria na Placa.pptx
 
ATENDIMENTO AO CLIENTE EMARKETING.ppt
ATENDIMENTO AO CLIENTE EMARKETING.pptATENDIMENTO AO CLIENTE EMARKETING.ppt
ATENDIMENTO AO CLIENTE EMARKETING.ppt
 
Relações públicas 2.ppt
Relações públicas 2.pptRelações públicas 2.ppt
Relações públicas 2.ppt
 
SEGURANÇA NO TRABALHO.ppt
SEGURANÇA NO TRABALHO.pptSEGURANÇA NO TRABALHO.ppt
SEGURANÇA NO TRABALHO.ppt
 
SEGURANÇA.pptx
SEGURANÇA.pptxSEGURANÇA.pptx
SEGURANÇA.pptx
 
perdas-ppp (1).ppt
perdas-ppp (1).pptperdas-ppp (1).ppt
perdas-ppp (1).ppt
 
prevenoecombateincendio-140530074508-phpapp02 (1).pptx
prevenoecombateincendio-140530074508-phpapp02 (1).pptxprevenoecombateincendio-140530074508-phpapp02 (1).pptx
prevenoecombateincendio-140530074508-phpapp02 (1).pptx
 
SITUAÇÃO DO TRANSPORTE EM PORTUGAL.pdf
SITUAÇÃO DO TRANSPORTE EM PORTUGAL.pdfSITUAÇÃO DO TRANSPORTE EM PORTUGAL.pdf
SITUAÇÃO DO TRANSPORTE EM PORTUGAL.pdf
 
CURSO DE IMPORTAÇ]AO EXPORTAÇ]AO.pdf
CURSO DE IMPORTAÇ]AO EXPORTAÇ]AO.pdfCURSO DE IMPORTAÇ]AO EXPORTAÇ]AO.pdf
CURSO DE IMPORTAÇ]AO EXPORTAÇ]AO.pdf
 
AULA 3 GRH.pptx
AULA 3 GRH.pptxAULA 3 GRH.pptx
AULA 3 GRH.pptx
 
AULA DE GRH CINFOTEC.pdf
AULA DE GRH CINFOTEC.pdfAULA DE GRH CINFOTEC.pdf
AULA DE GRH CINFOTEC.pdf
 
COMBUSTÍVEIS-E-SISTEMAS-DE-COMBUSTÍVEL.pdf
COMBUSTÍVEIS-E-SISTEMAS-DE-COMBUSTÍVEL.pdfCOMBUSTÍVEIS-E-SISTEMAS-DE-COMBUSTÍVEL.pdf
COMBUSTÍVEIS-E-SISTEMAS-DE-COMBUSTÍVEL.pdf
 
apresentacaoguarapuava_COMPLETO_5192d49738ff8.pdf
apresentacaoguarapuava_COMPLETO_5192d49738ff8.pdfapresentacaoguarapuava_COMPLETO_5192d49738ff8.pdf
apresentacaoguarapuava_COMPLETO_5192d49738ff8.pdf
 
CombustívelPa .pdf
CombustívelPa .pdfCombustívelPa .pdf
CombustívelPa .pdf
 
apresentacaoguarapuava_COMPLETO_5192d49738ff8.pdf
apresentacaoguarapuava_COMPLETO_5192d49738ff8.pdfapresentacaoguarapuava_COMPLETO_5192d49738ff8.pdf
apresentacaoguarapuava_COMPLETO_5192d49738ff8.pdf
 

Combustível 1.pdf

  • 1. 1 MÁQUINAS TÉRMICAS MÁQUINAS TÉRMICAS AT AT- -056 056 Universidade Federal do Paraná Universidade Federal do Paraná Curso de Engenharia Industrial Madeireira Curso de Engenharia Industrial Madeireira M.Sc. Alan Sulato de Andrade M.Sc. Alan Sulato de Andrade alansulato@ufpr.br alansulato@ufpr.br COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS
  • 2. 2 COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS INTRODUÇÃO: Um dos mais importantes campos de estudo no conjunto das ciências e da tecnologia é, sem dúvida, o dos “combustíveis” . Devido ao fato de serem utilizados para “mover” o mundo. COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS INTRODUÇÃO: Somente com a grande atividade industrial atual tornou-se possível o crescente fornecimento de energia, que pode ser utilizada sob a forma conveniente de energia calorífica, obtida através dos combustíveis.
  • 3. 3 COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS INTRODUÇÃO: Existem basicamente três grandes fontes de energia: As forças da natureza, tal como a gravidade em quedas de água, solar e outras, Os combustíveis, que podem ser sólidos, líquidos ou gasosos, A energia atômica, libertada de reações nucleares. Atualmente, os combustíveis ainda são a mais importante fonte de energia. Por quanto tempo? COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS DEFINIÇÃO: De modo geral, denomina-se combustível como sendo qualquer substância natural ou artificial que em combinação química com o oxigênio libere energia térmica por meio de uma reação exotérmica.
  • 4. 4 COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS COMPOSIÇÃO: Os elementos químicos que entram na composição da maioria dos combustíveis são: carbono, hidrogênio, oxigênio, nitrogênio e enxofre. COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS COMPOSIÇÃO: A qualidade do combustível é dada pelos elementos carbono (C) e hidrogênio (H); o enxofre (S), apesar de combustível, é indesejável, o oxigênio (O) diminui a quantidade unitária de calor desprendida, pois é considerado como já combinado com o hidrogênio; o nitrogênio (N) também não é desejável, pois não apresenta, no campo da combustão industrial, reação com oxigênio com liberação de calor.
  • 5. 5 COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS UTILIZAÇÃO: Para que um material possa ser considerado industrialmente como sendo “combustível”, são necessários os seguintes requisitos técnicos e econômicos: Disponibilidade, Facilidade de uso, Não formação, durante a combustão, de substâncias tóxicas ou corrosivas, Fácil obtenção, Baixo custo de produção, Segurança no armazenamento e no transporte. COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS UTILIZAÇÃO: Nos dias atuais, os combustíveis são representados pelos materiais carbonáceos comumente disponíveis e que podem ser queimados facilmente ao ar atmosférico com desprendimento de grande quantidade de calor e controlável sem grande esforço.
  • 6. 6 COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS CONSUMO BRASILEIRO DE ENERGIA: COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS CONSUMO MUNDIAL DE ENERGIA:
  • 7. 7 COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS CONSUMO: COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS CONSUMO DE ENERGIA : O consumo de energia no mundo está resumido, em sua grande maioria, pelas fontes de energias tradicionais como petróleo, carvão mineral e gás natural. Esses combustíveis são poluentes, não- renováveis e a cada dia que passa seus preços tendem a aumentar.
  • 8. 8 COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS PREÇO DO PETRÓLEO: 700% ? COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS PERSPECTIVAS FUTURAS:
  • 10. 10 COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS CLASSIFICAÇÃO: Os combustíveis podem ser classificados quanto: A sua origem: Fósseis e (Não-renováveis) Vegetais (Renováveis) A sua natureza: Natural e Artificial. COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS CLASSIFICAÇÃO: O seu estado físico: Sólido, Líquido e Gasoso.
  • 11. 11 COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS CLASSIFICAÇÃO: COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS CLASSIFICAÇÃO: Combustíveis Sólidos: Para que sejam utilizados devem possuir poder calorífico elevado, alta disponibilidade e que queime com facilidade. Naturais: lenha, casca, turfa, carvão mineral, xisto Artificiais: coque, briquetes, carvão vegetal
  • 12. 12 COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS CLASSIFICAÇÃO: Combustíveis Líquidos: Possuem certas vantagens em relação aos sólidos, tais como poder calorífico mais elevado, maior facilidade e economia de armazenagem e fácil controle de consumo. Naturais: petróleo bruto. Artificiais: produtos da destilação de petróleo, álcoois e óleos vegetais. COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS CLASSIFICAÇÃO: Combustíveis Gasosos: Possuem certas vantagens em relação aos combustíveis sólidos, tais como: permitir a eliminação de parte da fumaça e cinzas, melhor controle de temperatura e comprimento das chama. Naturais: gás natural Artificiais: GLP, acetileno, propano, butano
  • 13. 13 COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS PROPRIEDADES: Como visto, cada tipo de combustível em função de seu estado ou natureza pode apresentar uma grande diferença em suas propriedades, deste ponto em diante iremos discutir as principais propriedades dos combustíveis. COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS PROPRIEDADES: Poder calorífico, Composição química, Viscosidade, Ponto de fluidez, Calor latente, Ponto de fulgor e Umidade, Densidade.
  • 14. 14 COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS PODER CALORÍFICO: É a quantidade de energia desprendida por unidade de massa ou de volume na combustão completa de um material combustível. Depende basicamente da composição química de cada combustível sendo expressa em J/kg, cal/kg, ou J/Nm³. Existem dois poderes caloríficos: Poder Calorífico Superior e Poder Calorífico Inferior. COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS PODER CALORÍFICO: Poder Calorífico Superior (PCS): É a quantidade de calor (energia) liberada quando um material entra em combustão e os gases da descarga são resfriados de modo que o vapor de água neles seja condensado. Poder Calorífico Inferior (PCI): É a quantidade de calor (energia) liberada quando um material entra em combustão e os gases de descarga são resfriados até o ponto de ebulição da água, evitando assim que a água contida na combustão seja condensada.
  • 15. 15 COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS PODER CALORÍFICO: O PCS é dado por a soma da energia liberada na forma de calor e a energia gasta na vaporização da água que se forma numa reação de oxidação. O PCI corresponde somente a energia liberada na forma de calor. Para combustíveis que não contenham hidrogênio na sua composição, o valor de PCS é igual ao do PCI, porque não há a formação de água e consequentemente não há energia gasta na sua vaporização. Assim, o PCS é sempre maior ou igual ao PCI, pois o PCS. aproveita o a entalpia de condensação da água COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS PODER CALORÍFICO: Como a temperatura dos gases de combustão é muito elevada nas máquinas térmicas, a água contida nelas se encontra sempre no estado de vapor, portanto, o que deve ser considerado é o poder calorífico inferior e não o superior.
  • 16. 16 COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS PODER CALORÍFICO: Determinação do poder calorífico dos combustíveis. COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS PODER CALORÍFICO: Determinação do poder calorífico dos combustíveis. PCS=(33900*%C)+(141800*(%H-(%O/8)))+(9200*%S) PCI=PCS-(2440*((9*%H)+%U)) % em Escala absoluta PCS=Poder Calorífico Superior (KJ/Kg) C=Teor de Carbono H=Teor de Hidrogênio S=Teor de Enxofre O=Teor de Oxigênio PCI=Poder Calorífico Inferior (KJ/Kg) U=Teor de umidade
  • 17. 17 COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS PODER CALORÍFICO: Determine através das formulas o poder calorífico superior e inferior do combustível, sabendo que este apresenta a seguinte composição química: C=52% H=6% O=1% N=41% S=0% - (Apenas traços) U=30% (Umidade base seca) COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS PODER CALORÍFICO: Construa um gráfico da variação do PCI em função Teor de umidade (Ubs) U=20% U=40% U=60% U=80% U=100% Calcule o ponto (Ubs) onde a energia contida no combustivel seria todo utilizado para promover a evaporação da água.
  • 18. 18 COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS PODER CALORÍFICO: Estime a quantidade necessária de combustível (Ubu=40%) para promover o fornecimento de 250MJ de energia para um processo onde a eficiência de conversão é igual a 60%. COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS PODER CALORÍFICO:
  • 19. 19 COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS PROPRIEDADES: Composição química (% de C, H, O, N, S e Cinzas): Carbono e hidrogênio são os elementos que mais contribuem para o poder calorífico. O oxigênio presente em combustíveis diminui o poder calorífico, bem como as exigências teóricas de ar de combustão. COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS PROPRIEDADES: Composição química (% de C, H, O, N, S e Cinzas): Embora o enxofre seja combustível este traz conseqüências prejudiciais ao meio ambiente e aos equipamentos, sendo que os produtos de sua combustão em presença de umidade formam acido sulfúrico que tende a atacar as partes mais frias dos equipamentos, causar chuva acida” e caso a atmosfera da combustão seja redutora pode haver formação de compostos que são perigosos e produzem mal cheiro.
  • 20. 20 COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS PROPRIEDADES: Composição química (% de C, H, O, N, S e Cinzas): O Nitrogênio e responsável pela formação de diversos óxidos que são compostos de alta irritabilidade para as mucosas alem de reagirem com a camada atmosférica de ozônio. As cinzas podem promover mudança nas características de transferência de calor e problemas respiratórios (smog). Legislação vigente quanto a emissões. COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS PROPRIEDADES: Viscosidade (mPas, cP): É uma indicação da resistência que o fluido apresentará para escoar, desta forma, quanto maior a viscosidade, maior será a coesão entre as moléculas e a resistência ao escoamento. Importante para o controle de armazenamento, bombeamento e pulverização para combustão. Graus SAE (Society of Automotive Engineers), são expressos por dezenas inteiras, sendo o óleo mais fino ou menos viscoso de grau igual a 10.
  • 21. 21 COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS PROPRIEDADES: Ponto de fluidez (° C), Indica a temperatura mínima para que os derivados de petróleo escoam sem apresentar problemas. COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS PROPRIEDADES: Calor Latente (kcal, J): Corresponde a quantidade de calor absorvido pelos corpos na sua mudança de estado, sem que haja aumento aparentemente de temperatura. O calor latente necessário à fusão, liquefação ou gaseificação varia com sua natureza. Na passagem do estado a substancia não muda de temperatura enquanto dura sua transformação, e todo calor empregado é absorvido para produzir mudança de estado.
  • 22. 22 COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS PROPRIEDADES: Ponto de Fulgor (° C): É a temperatura de inflamação do combustível; Coque = 660° C Álcool etílico = 402° C n-Octano = 220° C COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS PROPRIEDADES: Umidade (%): Quantidade de água contida no combustível. Normalmente encontrada em todos os combustíveis, principalmente nos sólidos, reduz o poder calorífico. Carvão mineral = 10% até 30% Lenha = 10% até 80%
  • 23. 23 COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS PROPRIEDADES: Densidade (kg/m³, g/cm³): Massa por unidade de volume de um combustível. Coque = 1070 kg/m³ Madeira de Pinus = 450 kg/m³ Gasolina = 850 kg/m³ Metano = 0,680 kg/m³ COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS SÓLIDOS: Pode ser encontrado em diversas formas na natureza como: Turfa, Linhita, Carvão Mineral, Biomassa (Lenha, Bagaço de cana, Serragem, Casca de arroz e Outros).
  • 24. 24 COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS SÓLIDOS: Principais propriedades a serem avaliadas: Poder calorífico, Composição química, Umidade, Granulometria, Densidade. COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS SÓLIDOS: Os principais combustíveis sólidos utilizados no mundo são a lenha e o carvão mineral na geração de energia no mundo.
  • 25. 25 COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS SÓLIDOS: Turfa Se constitui na primeira fase de formação do carvão mineral. Apresenta elevada umidade, mas secadas ao ar reduz-se a umidade para cerca de 30%. Linhita Fase intermediária entre o turfa e o carvão betuminoso. Apresenta teor de umidade entre 30 e 50%, mas quando secada ao ar esta umidade pode cair para entre 10 e 20%. COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS SÓLIDOS: Carvão Mineral Devido ao seu alto teor de cinzas e enxofre o carvão mineral brasileiro não e muito utilizado industrialmente, a não ser nas localidades próximas a minas produtoras na produção de energia e na industria de cimento.
  • 26. 26 COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS SÓLIDOS: Classificação do Carvão Mineral COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS SÓLIDOS: Composição do Carvão Mineral Nacional
  • 27. 27 COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS SÓLIDOS: Biomassa Provavelmente o primeiro combustível a ser utilizado pelo homem foi a lenha. E um combustível amplamente utilizado no Brasil, tanto em aplicações domésticas como em aplicações industriais para geração de energia térmica. E caracterizada por baixo teor de cinzas, ausência total de enxofre e umidade variável a qual depende do tempo e do método de armazenagem. COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS SÓLIDOS: Biomassa Poder Calorífico da Lenha: PCS = 4500 kcal/kg ≈ 18MJ/kg PCI 50%Umidade = 1990 kcal/kg PCI 35%Umidade = 2770 kcal/kg PCI 10%Umidade = 4070 kcal/kg
  • 29. 29 COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS LÍQUIDOS: Os combustíveis empregados são constituídos de: Hidrocarbonetos, Benzol e Álcoois. COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS LÍQUIDOS: Os hidrocarbonetos são usualmente derivados de petróleo: Gasolina, nafta, querosene, óleo diesel e óleo combustível e consistem em frações obtidas da destilação de petróleo. Apenas o óleo combustível é queimado em geradores de energia industrial; Parâmetros avaliados: teor de enxofre, viscosidade, ponto de fluidez, ponto de fulgor e densidade;
  • 31. 31 COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS LÍQUIDOS: As característica do petróleo (Fatores geológicos como localização da jazida, idade e profundidade) determinam a faixa de extração de cada um dos componentes. COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS GASOSOS: Visualiza-se um aumentado da aplicabilidade dos combustíveis gasosos na industria nacional. Respondendo a demanda por fontes de energia mais limpas e eficientes. A limitação de seu crescimento esta na disponibilidade e distancia dos centres consumidores pela sua maior dificuldade de transporte. Para curto e médio prazo há incertezas sobre o assunto GN no Brasil.
  • 32. 32 COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS GASOSOS: Gás Natural é obtido em campos petrolíferos e tem sido muito explorado recentemente, porem deve ser transportado por gasodutos, o que dificulta sua maior utilização dada a necessidade de investimento em infra-estrutura. É uma composição de diversos gases: Metano, etano, propano, butano, nitrogênio e dióxido de carbono são os principais. Apresenta característica bastante variável. A presença de enxofre é pequena. COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS GASOSOS: Gás Liquefeito de Petróleo é obtido no processo de destilação do petróleo e é um importante combustível, tanto de aplicação industrial como domestica. É composto basicamente por propano, propeno, butano e buteno; Liquefazem a pressões relativamente baixas.
  • 33. 33 COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS RESÍDUOS: Resíduos e subprodutos: Urbanos, Agrícolas, Pecuários, Florestais, Agroindustriais. COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS RESÍDUOS: RESÍDUOS URBANOS Compreendem os resíduos do lixo e esgoto. Não apresentam um alto poder calorífico, mas por apresentar elevado volume em grandes cidades sua utilização pode ser atraente. Necessidade de desenvolver tecnologia para minimizar os impactos ambientais
  • 34. 34 COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS RESÍDUOS: RESÍDUOS AGRÍCOLAS Resultantes da colheita e do processamento de cultivos. Sua exploração dever ser feita de maneira racional e são constituídos basicamente pela palha de diversas culturas. COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS RESÍDUOS: RESÍDUOS PECUÁRIOS São constituídos dos excrementos de bovinos, ovinos, suínos e de aves. Podem ser secos e utilizados para queima ou para a produção de biogás (decomposição anaeróbica).
  • 35. 35 COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS RESÍDUOS: RESÍDUOS FLORESTAIS São constituídos dos subprodutos das atividades de silvicultura ou da fruticultura como: galhos, folhas, acículas e troncos deixados no campo. COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS RESÍDUOS: RESÍDUOS AGROINDUSTRIAIS São provenientes da industrias de transformação de produtos agrícolas. Os principais resíduos utilizados são oriundos das seguintes atividades agroindustriais: indústria de açúcar e álcool, matadouros e frigoríficos, cortumes, industria da pesca, fábrica de doces e conservas, indústrias madeireiras, indústria de papel e celulose. A tecnologia para o usos enérgico dos resíduos agroindustriais são duas: queima em fornos e geradores de vapor ou biodigestão anaeróbica.
  • 36. 36 COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS DENDROENERGIA: A utilização do termo dendroenergia é recente, contudo a utilização da dendroenergia remonta dos tempos pré-históricos. O termo dendroenergia hoje é utilizado para designar a “energia das árvores” e sua utilização em processos térmicos. Processos básicos de conversão dendroenergética: Combustão de biomassa; Pirólise da biomassa Gaseificação da biomassa; COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS DENDROENERGIA: COMBUSTÃO DE BIOMASSA A queima direta é a tecnologia de conversão mais antiga e mais difundida comercialmente; O processo de combustão da biomassa ocorre em seis etapas consecutivas: Secagem, emissão de voláteis, ignição de voláteis, queima de voláteis em chama, extinção da chama dos voláteis e combustão do resíduo de carbono (coque).
  • 37. 37 COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS DENDROENERGIA: PIRÓLISE DA BIOMASSA Promove a degradação térmica da biomassa em ausência total ou quase total de agente oxidante (ar) havendo a formação de outro combustível (sólido, líquido ou gasoso). Um caso particular de pirólise e a carbonização (produção de carvão vegetal), uma forma lenta de pirólise, pela queima direta da lenha com pouco oxigênio; Há tecnologias de pirólise orientadas para obtenção de alcatrão, acido pirolenhoso, bio-óleos e de gases combustíveis. COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS DENDROENERGIA: GASEIFICAÇÃO DA BIOMASSA Neste processo a biomassa é oxidada (queimada) parcialmente. A gaseificação térmica é semelhante a pirólise, exceto que a transformação térmica dos resíduos sólidos é determinada em presença de uma quantidade limitada de ar ou oxigênio, produzindo assim um gás combustível. Este gás pode ser utilizado em caldeiras ou em turbinas/geradores a combustão. Este processo gera subprodutos sólidos e líquidos.
  • 38. 38 COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS PONTOS COMPLEMENTARES. NÃO DISCUTIDOS EM AULA. MERCADO E DISPONIBILIDADE DE RECURSOS ENERGÉTICOS. COMBUSTÍVEIS ALTERNATIVOS. PROCESSOS ALTERNATIVOS. POLÍTICAS.