Microseguros, Inovação e Inserção Social: oportunidades e desafios das classes emergentes Jonson Marques de Sousa MAPFRE S...
 
Agenda <ul><li>Parte I </li></ul><ul><ul><li>O papel dos seguros para as populações de baixa renda </li></ul></ul><ul><li>...
Parte I O papel dos seguros para as populações de baixa renda
Microsseguros e Modelos Massificados no Brasil <ul><ul><li>As discussões formais sobre os seguros para as populações de ba...
Conceitos Tradicionais <ul><ul><li>O microsseguro é a proteção das pessoas de baixa renda contra perigos específicos, em t...
Outros papéis do Microsseguro <ul><li>O microsseguro pode ser também uma forma de proporcionar o acesso das pessoas de bai...
Seguros Prestamistas no Brasil Prêmio Emitido, Mercado Total  (R$ milhões) Taxa média de crescimento: 40% por ano
Parte II Oportunidades e desafios das classes emergentes: os pobres não são todos iguais
52% 14% 18,5% 15,5% Elite (classes A e B) Classe Média (classe C ) Média-Baixa (classe D) Pobres (classe E) Fonte: Revista...
Fonte: IBGE Um novo “status” já chegou para  20  milhões de pessoas! 2002 2008 Crescimento Classe Social Participação Habi...
No Brasil há  espaço no orçamento doméstico para o seguro Fonte: dados do CENFRI, com base no IETS (2009) a análise do IBG...
Onde estão os potenciais consumidores ? Fonte: dados do CENFRI, com base no IETS (2009) a análise do IBGE PNAD 2007 O maio...
Quebrando Mitos do comportamento do consumidor <ul><li>Mito 1 </li></ul><ul><ul><li>Os consumidores emergentes têm pouco d...
Quebrando Mitos do comportamento do consumidor <ul><li>Mito 2 </li></ul><ul><ul><li>Na parte de baixo da pirâmide as neces...
Quebrando Mitos do comportamento do consumidor <ul><li>Mito 3 </li></ul><ul><ul><li>Os consumidores emergentes são todos i...
Quebrando Mitos do Comportamento do Consumidor <ul><li>Mito 4 </li></ul><ul><ul><li>Consumidores de baixa renda tem pouca ...
Parte IV  Como atingir o consumidor emergente de baixa renda através da inovação na distribuição
Canais de Distribuição Canal 1: Bancos e Cooperativas de Crédito
Canais de distribuição Canal 2: Afinidades (venda via bancos de dados)
Canais de distribuição Ins. 1 Broker Sponsor (utility, telco) Ins. 2 3rd party tele-marketing Canal 3: Comércio Varejista
Canais de distribuição Canal 4: Agentes de Crédito
Canais de distribuição Canal 5: Sindicatos
Canais de distribuição  (Ainda com grande informalidade)  Canal 6: casas funerárias / cemitérios Seguradora / Corretor
Canais de distribuição Canal 7: porta a porta
Canais de distribuição Importância relativa
Considerações Finais
Existe um mercado potencial na BdP <ul><li>Os produtos de seguro para as classes de baixa renda possuem três funções impor...
Obrigado por sua atenção.  Jonson Marques de Sousa [email_address] 11 - 5112 7848 São Paulo, Brazil
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

5. mapfre microseguros e inserção social oportunidades e desafios das classes emergentes jonson

1.979 visualizações

Publicada em

1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Excelente apresentação.
    O Microsseguros no Brasil ainda vai dar o que falar na mídia.
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.979
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
46
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

5. mapfre microseguros e inserção social oportunidades e desafios das classes emergentes jonson

  1. 1. Microseguros, Inovação e Inserção Social: oportunidades e desafios das classes emergentes Jonson Marques de Sousa MAPFRE Seguros Agosto , 2010
  2. 3. Agenda <ul><li>Parte I </li></ul><ul><ul><li>O papel dos seguros para as populações de baixa renda </li></ul></ul><ul><li>Parte II </li></ul><ul><ul><li>Oportunidades e desafios das classes emergentes </li></ul></ul><ul><li>Parte III </li></ul><ul><ul><li>Como atingir o consumidor emergente de baixa renda através de inovações na distribuição </li></ul></ul><ul><li>Parte IV </li></ul><ul><ul><li>Considerações finais </li></ul></ul>
  3. 4. Parte I O papel dos seguros para as populações de baixa renda
  4. 5. Microsseguros e Modelos Massificados no Brasil <ul><ul><li>As discussões formais sobre os seguros para as populações de baixa renda, hoje tratados como Microsseguros iniciaram-se em 2006 </li></ul></ul><ul><ul><li>Entretanto, as operações para as classes de baixa renda eram já uma realidade desde os anos noventa </li></ul></ul><ul><ul><li>A Mapfre foi a pioneira em atender esse segmento no Brasil </li></ul></ul><ul><ul><li>O primeiro produto projetado especialmente para as classes de baixa renda foi o PASI - Plano de Assistência Social Imediato, em 1993 </li></ul></ul><ul><ul><li>Atualmente temos milhões de clientes de baixa renda segurados por uma variedade de canais de distribuição, tais como bancos, lojas de varejo, associações, cooperativas, sindicatos, ONGs, entre outros </li></ul></ul><ul><ul><li>. </li></ul></ul>
  5. 6. Conceitos Tradicionais <ul><ul><li>O microsseguro é a proteção das pessoas de baixa renda contra perigos específicos, em troca de pagamentos de prêmios proporcionais à probabilidade e custo do risco envolvido . </li></ul></ul><ul><ul><li>É desenvolvido para as pessoas geralmente ignoradas pelos principais regimes de seguros comerciais e sociais . </li></ul></ul><ul><ul><li>Muitas dessas pessoas trabalham na economia informal e não tem acesso aos seguros comerciais tradicionais, nem a proteção social por parte dos empregadores ou do governo . </li></ul></ul><ul><ul><li>São pessoas que tem renda imprevisível e formam um mercado sobre o qual pairam muitos mitos. </li></ul></ul>
  6. 7. Outros papéis do Microsseguro <ul><li>O microsseguro pode ser também uma forma de proporcionar o acesso das pessoas de baixa renda em países emergentes ao mercado consumidor, estimulando o mercado interno </li></ul><ul><ul><li>Reduz os riscos de empréstimos </li></ul></ul><ul><ul><li>Permite contratos de longo prazo </li></ul></ul><ul><ul><li>Incentiva os bancos a financiar o consumo </li></ul></ul><ul><ul><li>Estimula as empresas de varejo a assumir seu próprio risco e vender em prestações a longo prazo </li></ul></ul><ul><li>O estímulo ao mercado interno é uma das razões porque o Brasil praticamente não teve problemas com a última crise financeira global. </li></ul><ul><li>Estima-se que no período de crise, mais de 70% da movimentação econômica foi feita pelas classes C e D </li></ul>
  7. 8. Seguros Prestamistas no Brasil Prêmio Emitido, Mercado Total (R$ milhões) Taxa média de crescimento: 40% por ano
  8. 9. Parte II Oportunidades e desafios das classes emergentes: os pobres não são todos iguais
  9. 10. 52% 14% 18,5% 15,5% Elite (classes A e B) Classe Média (classe C ) Média-Baixa (classe D) Pobres (classe E) Fonte: Revista Época, 08/08/2008 - Assunto: A nova classe média no Brasil Renda Familiar acima de R$ 4.591 de R$ 1.065 a R$ 4.591 de R$ 768 a R$ 1.064 Abaixo de R$ 768 2002 2008 Segundo a FGV, a pobreza no Brasil tem sido reduzida desde 2002, o meio da pirâmide foi crescendo e agora é a classe majoritária no país. A mobilidade sócio-econômica da população pobre no Brasil 44% 12,5% 30,5% 13%
  10. 11. Fonte: IBGE Um novo “status” já chegou para 20 milhões de pessoas! 2002 2008 Crescimento Classe Social Participação Habitantes (000) Participação Habitantes(000) Nº de Pessoas Classes A e B 13,00% 23.010 15,50% 29.140 6.130 Classe C 44,00% 77.880 52,00% 97.760 19.880 Classe D 12,50% 22.125 14,00% 26.320 4.195 Classe E 30,50% 53.985 18,50% 34.780 (19.205) TOTAL 100,00% 177.000 100,00% 188.000 11.000
  11. 12. No Brasil há espaço no orçamento doméstico para o seguro Fonte: dados do CENFRI, com base no IETS (2009) a análise do IBGE POF 2002 / 3 % do orçamento destinado a gastos mensais com seguros
  12. 13. Onde estão os potenciais consumidores ? Fonte: dados do CENFRI, com base no IETS (2009) a análise do IBGE PNAD 2007 O maior mercado está fora do emprego formal! Mercado Informal
  13. 14. Quebrando Mitos do comportamento do consumidor <ul><li>Mito 1 </li></ul><ul><ul><li>Os consumidores emergentes têm pouco dinheiro para gastar </li></ul></ul><ul><li>Realidade </li></ul><ul><ul><li>Mesmo tendo pouco dinheiro, os consumidores emergentes gastam proporcionalmente mais que outros em bens e serviços e, juntos, eles tem um poder aquisitivo considerável </li></ul></ul>
  14. 15. Quebrando Mitos do comportamento do consumidor <ul><li>Mito 2 </li></ul><ul><ul><li>Na parte de baixo da pirâmide as necessidades são simples e prevalece o preço baixo </li></ul></ul><ul><li>Realidade </li></ul><ul><ul><li>Os consumidores emergentes não estão sempre interessados em produtos de baixo custo ou preços baixos. Mesmo sendo sensíveis a preços baixos, tem aspirações e seu objetivo é minimizar o custo total da compra </li></ul></ul>
  15. 16. Quebrando Mitos do comportamento do consumidor <ul><li>Mito 3 </li></ul><ul><ul><li>Os consumidores emergentes são todos iguais, simplesmente &quot;pobres&quot; ou &quot;classes populares pobres&quot; </li></ul></ul><ul><li>Realidade </li></ul><ul><ul><li>Os consumidores emergentes não agem da mesma forma </li></ul></ul><ul><ul><li>Alterações no comportamento de compra dependem do nível de renda, estabilidade no emprego, lugar onde vivem, nível educacional, marcas de prestígio, etc. </li></ul></ul><ul><ul><li>Isso irá influenciar a seleção da loja, número de parcelas a pagar, a escolha das marcas, etc. </li></ul></ul>
  16. 17. Quebrando Mitos do Comportamento do Consumidor <ul><li>Mito 4 </li></ul><ul><ul><li>Consumidores de baixa renda tem pouca informação e interesse na defesa de seus direitos </li></ul></ul><ul><li>Realidade </li></ul><ul><ul><li>A informação atualmente é disseminada e de fácil acesso a todas as classes sócio econômicas . Os institutos e mecanismos de defesa do consumidor funcionam e os consumidores de baixa renda tem clara noção de que podem acioná-los. </li></ul></ul>
  17. 18. Parte IV Como atingir o consumidor emergente de baixa renda através da inovação na distribuição
  18. 19. Canais de Distribuição Canal 1: Bancos e Cooperativas de Crédito
  19. 20. Canais de distribuição Canal 2: Afinidades (venda via bancos de dados)
  20. 21. Canais de distribuição Ins. 1 Broker Sponsor (utility, telco) Ins. 2 3rd party tele-marketing Canal 3: Comércio Varejista
  21. 22. Canais de distribuição Canal 4: Agentes de Crédito
  22. 23. Canais de distribuição Canal 5: Sindicatos
  23. 24. Canais de distribuição (Ainda com grande informalidade) Canal 6: casas funerárias / cemitérios Seguradora / Corretor
  24. 25. Canais de distribuição Canal 7: porta a porta
  25. 26. Canais de distribuição Importância relativa
  26. 27. Considerações Finais
  27. 28. Existe um mercado potencial na BdP <ul><li>Os produtos de seguro para as classes de baixa renda possuem três funções importantes ao estímulo da economia </li></ul><ul><ul><li>Protege essa população contra imprevisibilidades </li></ul></ul><ul><ul><li>Novo mercado para as Seguradoras e Distribuidores </li></ul></ul><ul><ul><li>Facilita o acesso das classes de baixa renda ao mercado consumidor </li></ul></ul><ul><li>As pessoas pobres não são iguais em todos os países </li></ul><ul><ul><li>Alguns são sobreviventes, outros aspiracionais </li></ul></ul><ul><ul><li>Alguns mitos sobre as classes de baixa renda devem ser abandonados </li></ul></ul><ul><li>O cliente de baixa renda tem o direito de ter bons produtos e escolher o canal de compra </li></ul><ul><ul><li>As seguradoras tem de ser inovadoras e criativas </li></ul></ul><ul><ul><li>O design do produto deve trazer o melhor nível de coberturas possível </li></ul></ul><ul><ul><li>Velhas crenças devem ser questionadas, novos canais devem ser explorados </li></ul></ul><ul><li>O respeito ao Consumidor é a base do êxito </li></ul><ul><li>VIDEO (filme onda) </li></ul>
  28. 29. Obrigado por sua atenção. Jonson Marques de Sousa [email_address] 11 - 5112 7848 São Paulo, Brazil

×