Ficha sobre a Deriva Continental

1.365 visualizações

Publicada em

Ficha sobre a Deriva Continental

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.365
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
49
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
105
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ficha sobre a Deriva Continental

  1. 1. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOÃO DE BARROS Escola Básica 2,3 de Corroios – Ciências Naturais 7º ano 1 Ficha Formativa - Capítulo 2 - Dinâmica Interna da Terra A – Como é o interior do Planeta Terra? “Outrora as pessoas pensavam que a Terra era completamente sólida, mas a interpretação científica das vibrações dos tremores de Terra revelou uma estrutura mais complexa. Sabemos hoje que a Terra tem um “interior macio”, por baixo da sua crosta rígida, e um núcleo metálico.” Fonte: FARDNDON, John; Dicionário Escola da Terra; Editora Civilização; 1996 1. Consideras que a ideia que as pessoas tinham sobre o interior da Terra estava certa? Porquê? _______________________________________________________________________________ 2. Define crosta terrestre. _______________________________________________________________________________ B- Será que a crosta terrestre está imóvel? “Habituámo-nos a considerar o “chão” como um exemplo de estabilidade. Ao contrário dos oceanos ou da atmosfera, os continentes e as montanhas aparentemente não se movem, não se agitam, parecem imóveis!” 1. O que acontece ao “chão” quando há um terramoto? _______________________________________________________________________________ 2. O que podes concluir sobre a mobilidade da crosta terrestre? _______________________________________________________________________________ C- Como surgiu a ideia da “Deriva dos Continentes”? A idéia dos continentes à deriva é muito antiga (…). Em 1596, o cartógrafo alemão Abraham Ortelius, de tanto fazer mapas, notou a similaridade no contorno das Américas, Europa e África e concluiu (…) que estes continentes estavam juntos e depois se desmembraram (…). Fig. 1. modelo interior da Terra. Fig. 2. Mapa mundo
  2. 2. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOÃO DE BARROS Escola Básica 2,3 de Corroios – Ciências Naturais 7º ano 2 Fig. 3 – Alfred Wegener 1. Pensa sobre…  Quantos continentes existem actualmente? Onde se localizam?  Será que existiam há milhões de anos atrás? Onde se localizavam?  Podemos afirmar que os continentes “andam à deriva”? 2. Lê o texto e responde às questões seguintes. O cientista alemão Alfred Wegener agrupou um conjunto de dados já conhecidos, e em 1912 propôs à comunidade científica uma nova teoria: A Teoria da Deriva dos Continentes. Segundo esta teoria, Wegener considerava que no passado da Terra, os continentes estavam unidos, formando um continente único – A PANGEIA – rodeado por um só oceano – PANTALASSA. A Pangeia ter-se-á depois fraturado e os seus fragmentos terão ficado à deriva, deslocando-se pelo globo e vindo a constituir os continentes atuais: Europa, América, África, Ásia, Oceania e Antártida. 2.1. O que defende a Teoria da Deriva dos Continentes? Quem a enunciou? Quando? _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ 2.2. Quantos continentes existiam há 225 milhões de anos atrás? Como se chamavam? _______________________________________________________________________________ 2.3. Quantos oceanos existiam 225 milhões de anos atrás? Como se chamavam? _______________________________________________________________________________ Fig. 4. Deslocação dos continentes desde o Pérmico até ao presente.
  3. 3. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOÃO DE BARROS Escola Básica 2,3 de Corroios – Ciências Naturais 7º ano 3 D- Como é que Alfred Wegener tentou provar a sua teoria? 1. Analisa as imagens seguintes e tenta descobrir quais foram os argumentos que Wegener usou para defender a sua teoria. Argumento 1 Nome: _______________________________________ Explicação: ___________________________________ ____________________________________________ ____________________________________________ _______________________________________________________________________________ Argumento 2 Nome: ________________________________________________ Explicação: ____________________________________________ ______________________________________________________ ______________________________________________________ ______________________________________________________ ______________________________________________________ Argumento 3 Nome: _______________________________________ Explicação: ___________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ Fig.5. Continente africano e sul-americano Fig.6. Continente africano e sul- americano. As zonas circulares representam rochas iguais Fig.7. Fóssil encontrado em África e América do sul Fig.8. Distribuição de fósseis em diferentes locais
  4. 4. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOÃO DE BARROS Escola Básica 2,3 de Corroios – Ciências Naturais 7º ano 4 Argumento 4 Nome: _______________________________ Explicação: ___________________________ ____________________________________ ____________________________________ ____________________________________ ____________________________________ E- A teoria de Alfred Wegener foi aceite na altura? Responde às seguintes questões. 1. A Teoria da Deriva dos Continentes foi aceite na altura? Porquê? _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ 2. Indica qual a influência da Tecnologia para o avanço da Ciência. _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ Fig.9- Localização de rochas com marcas de glaciações com cerca de 300 milhões de anos

×