Indicadores Sebrae-SP (resultados de nov/ 2011)

1.671 visualizações

Publicada em

No mês de novembro de 2011 o faturamento real das micro e pequenas empresas (MPEs) apresentou aumento real de 6,1% sobre novembro de 2010.

Publicada em: Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.671
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Indicadores Sebrae-SP (resultados de nov/ 2011)

  1. 1. Pesquisa de Conjuntura (resultados de novembro de 2011) janeiro/12 Indicadores SEBRAE-SP
  2. 2. <ul><ul><li>No mês de novembro de 2011 o faturamento real das micro e pequenas empresas (MPEs) apresentou aumento real de 6,1% sobre novembro de 2010 . </li></ul></ul><ul><ul><li>Na comparação de novembro/10 com novembro/11 os resultados por setores foram: indústria (+5%), comércio (+2,3%) e serviços (+13,5%). </li></ul></ul><ul><ul><li>Os resultados positivos das MPEs no período, particularmente em comércio e serviços, foram influenciados pelo comportamento favorável do consumo no mercado interno. </li></ul></ul><ul><ul><li>As MPEs da indústria tiveram resultados favoráveis em outubro/11 e novembro/11, após resultados fracos (queda de receita) de julho/11 a setembro/11. Em 2011, as vendas das MPEs da indústria para abastecer o comércio para o Natal se concentraram em outubro e novembro. </li></ul></ul><ul><ul><li>Quanto às expectativas para o primeiro semestre de 2012 , em dezembro/11 , os proprietários de MPEs projetam estabilidade para o faturamento: 50% acreditam em manutenção na receita da empresa, 31% acham que haverá aumento na receita real e 7% esperam queda no faturamento real. 12% não têm expectativas quanto à evolução da receita da empresa. </li></ul></ul>Principais destaques
  3. 3. Faturamento real das MPEs Resultados de novembro de 2011 Fonte: SEBRAE-SP/ Seade. Nota: Deflacionado pelo INPC-IBGE.
  4. 4. Gráfico 1 – Faturamento médio mensal MPEs do estado de São Paulo Taxa de variação sobre o mesmo mês do ano anterior Fonte: SEBRAE-SP/ Seade. Valores deflacionados pelo INPC-IBGE.
  5. 5. Fonte: SEBRAE-SP/ Seade. Valores deflacionados pelo INPC-IBGE. Gráfico 2 – Faturamento médio mensal por setor MPEs do estado de São Paulo Taxa de variação sobre o mesmo mês do ano anterior
  6. 6. Gráfico 3 – Evolução do faturamento médio mensal MPEs do estado de São Paulo (abril/04 = 100) Fonte: SEBRAE-SP/ Seade. Valores deflacionados pelo INPC-IBGE. variação em 12 meses Nov/11 – aumento de 6,1% sobre Nov/10 variação no mês Nov/11 – aumento de 4,9% sobre Out/11
  7. 7. Estimativas para as MPEs Paulistas Parâmetros utilizados para o cálculo das estimativas: Faturamento médio observado em novembro/11 = R$ 22.758,58 por empresa. Universo da pesquisa: 1.326.354 MPEs - Cadastro Seade (mar/05). Variação na receita total Receita total: R$ 30,2 bilhões (Novembro/11) Nov/11 x Out/11 + R$ 1,4 bilhão Nov/11 x Nov/10 + R$ 1,7 bilhão
  8. 8. Fonte: SEBRAE-SP/ Seade. Nota: a soma das porcentagens pode diferir de 100% devido a arredondamentos. Gráfico 4 – Expectativa das MPEs para o faturamento da empresa nos próximos 6 meses
  9. 9. Fonte: SEBRAE-SP/ Seade. Nota: a soma das porcentagens pode diferir de 100% devido a arredondamentos. Gráfico 5 – Expectativa das MPEs para a situação da economia brasileira nos próximos 6 meses
  10. 10. Resultados de novembro de 2011 <ul><ul><li>No mês de novembro de 2011 o faturamento real das micro e pequenas empresas (MPEs) apresentou aumento real de 6,1% sobre novembro de 2010 . </li></ul></ul><ul><ul><li>Na comparação de novembro/10 com novembro/11 os resultados por setores foram: indústria (+5%), comércio (+2,3%) e serviços (+13,5%). </li></ul></ul><ul><ul><li>Os resultados positivos das MPEs no período, particularmente em comércio e serviços, foram influenciados pelo comportamento favorável do consumo no mercado interno. </li></ul></ul><ul><ul><li>As MPEs da indústria tiveram resultados favoráveis em outubro/11 (+3,8% sobre setembro/11) e novembro/11, após resultados fracos (queda de receita) de julho/11 a setembro/11. Em 2011, as vendas das MPEs da indústria para abastecer o comércio para o Natal se concentraram em outubro e novembro. </li></ul></ul><ul><ul><li>Em novembro/11 sobre outubro/11 as MPEs registraram aumento de 4,9% no faturamento real. </li></ul></ul><ul><ul><li>Com esses resultados, no acumulado do ano de 2011 (janeiro a novembro) as MPEs apresentaram 4,3% de aumento no faturamento real sobre o mesmo período de 2010. No período, os resultados por setores foram: indústria (-0,8%), comércio (+4,1%) e serviços (+8,3%). </li></ul></ul>
  11. 11. Expectativas das MPEs <ul><li>Em dezembro/11 , as expectativas dos proprietários de MPEs são de que nos próximos seis meses haja estabilidade no faturamento da empresa . </li></ul><ul><li>- 50% dos proprietários de MPEs esperam manutenção no faturamento da empresa nos próximos seis meses, ante 47% em novembro/11. 31% acham que haverá aumento na receita da empresa no mesmo período, 7% esperam piora no faturamento e 12% não têm expectativas quanto ao faturamento. </li></ul><ul><li>As expectativas dos empresários quanto ao nível de atividade da economia nos próximos seis meses também são de estabilidade. </li></ul><ul><li>- Em dezembro/11, 53% dos empresários esperam manutenção no nível de atividade da economia, ante 51% em novembro/11. 27% têm expectativas de aumento, 9% aguarda uma piora e 11% não sabem como a economia deverá evoluir nos próximos seis meses. </li></ul>
  12. 12. As MPEs e a economia <ul><li>Para o ano de 2012, as projeções dos analistas de mercado são de que o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro tenha um crescimento de 3,3%, resultado ligeiramente superior ao aumento de 2,9%, esperado para 2011 (Fonte: Boletim Focus de 30/12/11 – Banco Central). </li></ul><ul><li>As reduções nos juros básicos (taxa Selic), registradas nos últimos meses de 2011 deverão contribuir para uma ligeira melhora no nível de atividade da economia, particularmente no segundo semestre de 2012. </li></ul><ul><li>As micro e pequenas empresas (MPEs) tendem a acompanhar o ritmo de crescimento da economia brasileira. </li></ul><ul><li>Considerando as características das MPEs, que vendem principalmente para o consumidor, no mercado interno, a evolução da ocupação e da renda na economia deverão influenciar de maneira relevante o desempenho das MPEs. </li></ul><ul><li>Em 2012, o cenário internacional deve continuar marcado por fortes incertezas. O principal foco das incertezas são as dificuldades de financiamento dos países do sul da Europa. Há um temor de que a crise nesses países leve a quebras de instituições financeiras. </li></ul>
  13. 13. As MPEs na Economia Paulista Fonte: SEBRAE-SP e (*) SEBRAE-NA (para a economia brasileira). Participação das MPEs na Economia 98% das empresas formais 67% das pessoas ocupadas no setor privado formal e informal 28% da receita bruta total do setor formal (*) Universo da Pesquisa 1,3 milhão de empresas formais 5 a 6 milhões de ocupados em empreendimentos formais
  14. 14. Características da Pesquisa de Conjuntura Nota: (*) Exclui indústria da construção e agropecuária Universo de estudo (*): 1.326.354 MPEs: indústria (11%), comércio (57%) e serviços (32%) Fonte: Cadastro SEADE (março/2005) Tamanho da Amostra: 2.716 MPEs Segmentação: Variáveis de análise: - Faturamento - Expectativa das MPEs para o faturamento da empresa - Expectativa das MPEs para a economia brasileira SETORES - Indústria de transformação - Comércio - Serviços REGIÕES - RMSP - Interior - Grande ABC - Município de São Paulo
  15. 15. Indicadores SEBRAE-SP Pesquisa de Conjuntura Informações adicionais: www.sebraesp.com.br seção “Biblioteca/ Estudos e Pesquisas”

×