RIO+20VISÃO GERAL E PERSPECTIVAS          Aron Belinky      aron@vitaecivilis.org.br       Instituto Vitae Civilis       C...
Estocolmo-72  Eco-92  Joburg 2002  ...Copyleft – Aron Belinky -2009 - aron@ecopress.org.br
MAIS DO QUE UMA CONFERÊNCIA DA ONU                    OS TRÊS CANAIS DA                                 RIO+20           O...
A NARRATIVA DA DECLARAÇÃO OFICIAL
E PARA ONDE ISSO NOS LEVA?   A Rio+20 não é ponto final:                  Por quê 2015?é ponto de encontro e de partida!  ...
E O QUE QUEREMOS CONSTRUIR?DIREITOS HUMANOS: garanti-los é o objetivo declarado de nossa civilização.Expressam os mais amp...
CONVIVENDO NUMA ROSQUINHA…
FATORES CRÍTICOS, SOCIAIS E AMBIENTAIS
MONITORANDO OS FATORES CRÍTICOSO “Piso Social”           O “Teto                         Ambiental”
UMA BÚSSOLARUMO AO FUTURO QUE QUEREMOS
DEZ PONTOS A SEREM TRABALHADOS            COM BASE NA DECLARAÇÃO OFICIALa) Métricas de desenvolvimento além do PIB (para. ...
www.vitaecivilis.org.br  “VC na Rio+20”
Uma grandemassa viva…                                             Copyleft – Aron Belinky -2009 - aron@ecopress.org.br    ...
OBRIGADO!          SAIBA MAIS EM WWW.VITAECIVILIS.ORG.BR            Aron Belinky          aron@vitaecivilis.org.brCoordena...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Rio+20, e agora? Por Aron Belinky

452 visualizações

Publicada em

Apresentação de Aron Belinky na mesa de debate "Rio+20, e agora?" no 1º Encontro Nacional de Profissionais de Sustentabilidade.

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
452
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • A Rio+20 foi um momento especial, em que o acúmulo de conhecimento e acordos desde os anos 1970 foram revisitados por diferentes setores: governos nacionais, sociedade civil, empresas, universidade, movimentos sociais... O resultado foi uma pauta muito rica, onde pode-se ver que apesar dos entraves, já há muito sendo feito, e muito mais que já pode ser feito, se os entraves forem removidos ou diminuidos. As TICs tem muito a contribuir com isso. Casos reais e experiências : os próximos slides trazem exemplos do que já está acontecendo, e para onde isso aponta. Exemplos conectados aos pontos acima e presentes na Rio+20: redes e mídias sociais, conteúdo colaborativo, co-criação, wikipedia, wikileaks, partido pirata, contas abertas, instrumentos de monitoramento e controle social, articulações globais, trabalho remoto, ganhos de produtividade industrial e agrícola, realidade virtual, impressão em 3D/produção à distância, soluções em mobilidade e logística, redução de emissões de gases de efeito estufa, minimização e gestão de resíduos, educação para todos, etc.
  • Rio+20, e agora? Por Aron Belinky

    1. 1. RIO+20VISÃO GERAL E PERSPECTIVAS Aron Belinky aron@vitaecivilis.org.br Instituto Vitae Civilis Cidadania e Sustentabilidade AGOSTO/2012
    2. 2. Estocolmo-72  Eco-92  Joburg 2002  ...Copyleft – Aron Belinky -2009 - aron@ecopress.org.br
    3. 3. MAIS DO QUE UMA CONFERÊNCIA DA ONU OS TRÊS CANAIS DA RIO+20 OFICIAL SEMI-OFICIAL Estados-Membros (países) Sociedade Civil* participa em negociam uma declaração espaços negociados junto aos oficial no âmbito da ONU Estados-Membros AUTÔNOMO Sociedade Civil* se manifesta em espaços auto-organizados. * ONGs e movimentos sociais, sindicatos, governos sub-nacionais, empresas,e academia.
    4. 4. A NARRATIVA DA DECLARAÇÃO OFICIAL
    5. 5. E PARA ONDE ISSO NOS LEVA? A Rio+20 não é ponto final: Por quê 2015?é ponto de encontro e de partida! - Revisão das Metas do Milênio - Data crítica para negociações do clima - Prazo viável para implementar decisões 2015
    6. 6. E O QUE QUEREMOS CONSTRUIR?DIREITOS HUMANOS: garanti-los é o objetivo declarado de nossa civilização.Expressam os mais amplamente aceitos e reiterados acordos internacionais.LIMITES AMBIENTAIS: são um fato da natureza. Mesmo com grandes ganhosde eficiência, estão sendo ultrapassados, pondo em risco o meio de quedependemos. LIMITES AMBIENTAIS DIREITOS HUMANOS
    7. 7. CONVIVENDO NUMA ROSQUINHA…
    8. 8. FATORES CRÍTICOS, SOCIAIS E AMBIENTAIS
    9. 9. MONITORANDO OS FATORES CRÍTICOSO “Piso Social” O “Teto Ambiental”
    10. 10. UMA BÚSSOLARUMO AO FUTURO QUE QUEREMOS
    11. 11. DEZ PONTOS A SEREM TRABALHADOS COM BASE NA DECLARAÇÃO OFICIALa) Métricas de desenvolvimento além do PIB (para. 38)b) Acesso à informação e ao sistema judiciário (para. 42 a 44)c) Responsabilidade corporativa (para. 46 e 47)d) Interesses das futuras gerações (para. 50 e 86)e) Fórum político de alto-nível p/ o Des. Sust. (para. 84 a 86)f) Fortalecimento do PNUMA (para. 88)g) Produção e consumo sutentáveis (para 226)h) Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) ( para 248)i) Revisão do financiamento para o DS (para. 255 a 257)j) Registro e acompanhamento de compromissos voluntários ( para 283)
    12. 12. www.vitaecivilis.org.br  “VC na Rio+20”
    13. 13. Uma grandemassa viva… Copyleft – Aron Belinky -2009 - aron@ecopress.org.br Diferentes estratégias, para diferentes situações: a sociedade em rede abre novas possibilidades: entidades mais resilientes, mais ágeis e reconfiguráveis conforme o contexto e o objetivo
    14. 14. OBRIGADO! SAIBA MAIS EM WWW.VITAECIVILIS.ORG.BR Aron Belinky aron@vitaecivilis.org.brCoordenador de Processos Internacionais Instituto Vitae Civilis AGOSTO/2012

    ×