Como analisar documentos na importação carlos 04_09_14

1.845 visualizações

Publicada em

Material referente a palestra "Como analisar documentos na Importação", realizada no dia 04/09/14, pelo palestrante Carlos Araújo, especialista com larga experiência na área de Comércio Exterior.

Publicada em: Educação
0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.845
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
175
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Como analisar documentos na importação carlos 04_09_14

  1. 1. Prof. Carlos Araújo
  2. 2. Apresentação do Palestrante Carlos Araújo ww.fb.com/comexblog Professor Universitário e Despachante Aduaneiro. Autor e editor do site www.comexblog.com
  3. 3. Agenda Hoje nós falaremos das estratégias que todo profissional de comércio exterior deve desenvolver ao analisar a documentação de importação.
  4. 4. • Conheça o seu produto para identificar o tratamento adm • Monte check-list com base na necessidade de cada produto • Envie instruções documentais a cada embarque de importação que gerenciar • Mantenha laços estreitos com o responsável pelo documental no exportador • Exija que o draft da documentação lhe seja enviado antes do embarque • Utilize uma boa ferramenta de gestão para organizar a sua análise (mesmo que seja o excel) • Revise os originais antes da chegada da mercadoria
  5. 5. • Fatura Proforma  Tomada de Preço • Fatura Comercial  Confirmação da operação • Packing List  Descreve a carga • Conhecimento de Embarque  Documento que comprova o transporte e dá posse à carga • Certificados Diversos  Funções Diversas • Nota Fiscal  Acoberta o transporte interno • Documentos Aduaneiros  Obrigação para com a Receita Federal e demais órgãos
  6. 6. • Além da Fatura Comercial, qual outro documento esse embarque exige?  Certificado de Análise? Certificação Compulsória? Ibama? Denatran? • Quanto tempo o fornecedor leva para obter esse documento?  Ele exige laboratório credenciado? Necessita de testes específicos? Cadastro em órgãos locais? • O exportador o Brasil?  Muitas vezes o exportador não acredita que um país no mundo possa ter tantas exigências como o nosso? Já explicou isso para ele?
  7. 7. • Embasa a Negociação • Facilita o Intercâmbio Comercial • Não há padrão internacional, mas alguns documentos seguem modelos internacionais
  8. 8. É uma lista de verificação que varia de acordo com o objetivo e local em que é utilizada. Ajuda a prevenir os erros Desenha como será o documento perfeito para as autoridades aduaneiras
  9. 9. Serve para evitar que principalmente em tarefas longas possamos esquecer os itens importantes.
  10. 10. Serve como um lembrete dos passos a serem seguidos para se obter sucesso na atividade.
  11. 11. Documentos Errados ...  Geram Multas  Trazem Atrasos  Compromete o progresso do processo
  12. 12.  Deve estar no manual de boas práticas de qualquer profissional de comércio exterior  Ele deve conter todas as informações da operação, inclusive o que deve conter em cada documento  Não existe padrão e cada um desenvolve de acordo com as suas exigências de trabalho  Muitos exportadores exigem tal documento, mas outros não seguem/cumprem
  13. 13.  Com a IE o importador descreve como os documentos deverão ser emitidos  Para o exportador a IE permite clareza de tudo aquilo que ele precisa cumprir  O processo de conferência se torna mais fácil  Outros envolvidos (agentes logísticos e de carga) sabem quais documentos precisam enviar junto com a carga e como deverão ser emitidos
  14. 14. • É imprescindível que o exportador se mostre amigável nesse processo documental • A parceria entre importador e exportador na emissão documental é ponto crítico de sucesso • Aceitação e cumprimento da IE pelo Exportador • Acompanhamento do Status da emissão documental.
  15. 15. Exige destreza e celeridade pelo exportador É preciso manter um relacionamento íntimo entre as pessoas envolvidas (lá e cá) É preciso haver uma troca intensa de informações durante o processo de emissão
  16. 16.  O exportador precisa ser rápido na emissão, mantendo o uso intenso da tecnologia para agilizar o processo  O exportador precisa cumprir fielmente o que está descrito na IE  O importador precisa devolver a análise documental em no máximo 24 horas  Ambos precisam entender que o processo local é burocrático e avesso a erros  As multas estão previstas e são cobradas
  17. 17.  Muitos fornecedores no exterior são informatizados e possuem sistemas de gestão que agilizam o processo. Mas alguns não possuem tanto ´poder´ e desenvolvem seus documentos nas ferramentas Office.  Para esses casos, sugere-se que se construa documentos modelos e apresente ao fornecedor. Havendo o aceite, o processo tornará a emissão mais ágil.
  18. 18.  Você já conhece o produto e seu tratamento administrativo  Você já montou os seus check list documentais  Enviou uma Instrução de Embarque Detalhada, contendo cada informação necessária ao processo  Mantém relacionamento estreito com a pessoa responsável pela emissão documental no exportador  Agora é chegada a hora de conferir o que foi feito.
  19. 19.  Compare o que você desenvolveu com o que exportador lhe enviou  Cobre seriedade na emissão dos documentos, seguindo o que está na IE  Não aceite documentos de qualquer jeito. A IE foi feita para ser seguida  Exija os drafts com a devida antecedência  Você precisa de prazo para aprovar a documentação.  Siga os seus manuais desenvolvidos
  20. 20.  Rapidez na aprovação, visto que você desenvolveu um manual de como emitir cada documento  As informações precisam ser transitadas pelo jeito mais ágil e fácil  Se possível, o exportador deve disponibilizar em um sistema de informação gerencial, acessível pela Internet  Completa ferramenta de follow-up, permitindo gerenciar cada etapa do processo
  21. 21.  Redução de erros  Celeridade processual  Aumento da eficiência operacional  Uso de indicadores de eficiência  Redução de custos operacionais e multas
  22. 22.  Cobre minuta do Courrier  Acompanhe a chegada  Dê feedback sobre a chegada  Se via banco, cobre informações de contato local
  23. 23. O tamanho da sua estrutura e a quantidade de capital a investir é que vai definir qual ferramenta você irá utilizar: uma própria ao seu negócio ou o Excel
  24. 24.  Esse é o momento de aferir se o exportador cumpriu as suas determinações  Ainda pode existir algum prazo para acertos, se necessário
  25. 25. • Conhecer o Produto • Crie Check Lists • Envie Instrução de Embarque • Exportador como Parceiro • Drafts Antecipados • Ferramenta de Gestão • Revise os Originais
  26. 26. www.facebook.com/AbracomexADM e www.facebook.com/comexblog Contatos: www.abracomex.org | atendimento@abracomex.org  Skype: abracomex | Telefone: 4062-0660 Ramal:0405

×