Plano de avaliaçaobe abilio

250 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
250
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Plano de avaliaçaobe abilio

  1. 1. BIBLIOTECA EB1 PARQUE SILVA PORTO<br />ÍNDICE<br />Enquadramento pág. 3<br />Problema/diagnóstico pág.3<br />Objecto da avaliação pág.4<br />Selecção do domínio pág.5<br />Intervenientes pág.5<br />Amostra pág.6<br />Tipo de avaliação de medida a empreender pág.6<br />5.1 Método e instrumentos a utilizar pág.6<br /> 6. Planificação da recolha e tratamento de dados pág.7<br /> 7. Análise e comunicação da informação pág.8<br /> 8. Plano de acção e melhoria pág.8<br /> 9.Relatorio pág.8<br /> 10.Limitaçoes pág.8<br /> 11. Levantamento das necessidades (recursos financeiros materiais, humanos) pág. 8<br /> 12. Integração no relatório de avaliação interna da escola e nos tópicos de apresentação à IGE, responsável pela avaliação externa pág.8<br /> Bibliografia pág.9<br />1 Enquadramento<br /> Este plano pretende avaliar o impacto da biblioteca do primeiro ciclo e pré-escolar da EB1 Parque Silva Porto no sucesso educativo da escola e constituir assim uma oportunidade de validar o trabalha realizado e melhorar os seus serviços.<br />A elaboração de um plano de avaliação para a BE deve envolver uma equipa representativa da comunidade educativa e ouvir os órgãos da escola, reunindo periodicamente, para planear e executar esse plano.<br />Antes de aplicar o plano a comunidade educativa deve ser envolvida no processo. Esse envolvimento passa pela divulgação e conhecimento do modelo que deve ser apresentado em Conselho Pedagógico no inicio do ano lectivo.<br />2 Problema /diagnóstico<br />A elaboração do plano deve ser precedida de uma análise e avaliação da situação da Biblioteca no período anterior da BE. <br />Para avaliação diagnóstica partimos da análise dos pontos fracos de cada subdomínio. No caso do domínio B Leitura e literacia, não existindo subdomínios partimos dos indicadores desse domínio:<br />IndicadorPontes fortes actuaisPontos fracos a desenvolverPontos em que ainda não se pensou/sem informaçãoB.1 Trabalho da BE ao serviço da promoção da leitura A BE disponibiliza uma colecção variada e adequada aos gostos, interesses e necessidades dos utilizadores A BE desenvolve estratégias de partilha e envolvimento dos pais/ encarregados de educação nos objectivos, estratégias e actividades relacionadas com a leitura (na educação pré-escolar e ensino básico) A BE promove acções formativas que ajudem a desenvolver as competências na área da leitura.A BE incentiva o empréstimo domiciliárioA BE promove encontros com escritores ou outros eventos culturais que aproximem os alunos dos livros ou de outros materiais/ ambientes e incentivem o gosto pela leitura.A BE está informada relativamente às linhas de orientação e actividades propostas pelo PNL e desenvolve as acções implicadas na sua implementação. A BE identifica problemáticas e dificuldades neste domínio mas não delineia acções e programas que melhorem as situações identificadasA BE organiza e difunde recursos documentais que, associando-se a diferentes temáticas ou projectos, suportam a acção educativa e garantem a transversalidade e o desenvolvimento de competências associadas à leitura. A BE incentiva a leitura em ambientes digitais explorando as possibilidades facultadas pela Web, como o hipertexto, correio electrónico, blogues, wikis, slideshare, youtube, outros A BE incentiva a leitura informativa, articulando com os departamentos curriculares no desenvolvimento de actividades de ensino e aprendizagem ou em projectos e acções que incentivem a leituraA BE identifica novos públicos e adequa a colecção e as práticas às necessidades desses públicos A BE identifica problemáticas e dificuldades neste domínio e delineia acções e programas que melhorem as situações identificadas.A BE apoia os alunos nas suas escolhas e conhece as novidades literárias e de divulgação que melhor se adequam aos seus gostos. B.2 Integração da BE nas estratégias e programas de leitura. A BE articula actividades com os docentes/ sala de aula no âmbito do PNL. A BE envolve a família em projectos ou actividades na área da leitura. A BE difunde informação sobre livros e autores, organiza guiões de leitura, bibliografias e outros materiais de apoio relacionados com matérias de interesse curricular ou formativo A leitura e a literacia constam como meta no projecto educativo e curricular, em articulação com a BE. A BE promove a discussão conjunta sobre a importância da leitura na formação pessoal e no sucesso educativo A BE promove a articulação da leitura com os diferentes domínios curriculares, com departamentos e docentes, com a Biblioteca Municipal (BM) ou outras instituições. A BE promove e participa na criação de instrumentos de apoio a actividades de leitura e de escrita, e na produção de informação em diferentes ambientes: jornais, blogues, newsletter, Webquests, wikis, outros. A BE incentiva a criação de redes de trabalho a nível externo, com outras instituições/ parceiros, através do desenvolvimento de projectos neste domínio. A BE favorece a existência de ambientes de leitura ricos e diversificados, fornecendo livros e outros recursos às salas de aula ou outros espaços de lazer ou de trabalho e aprendizagem. A BE colabora activamente com os docentes na construção de estratégias e em actividades que melhorem as competências dos alunos ao nível da leitura e da literacia B.3 Impacto do trabalho da BE nas atitudes e competências dos alunos, no âmbito da leitura e da literacia Os alunos usam o livro e a BE para lerem de forma recreativa, para se informarem ou para realizarem trabalhos escolares Os alunos participam activamente em diferentes actividades associadas à promoção da leitura: clubes de leitura, fóruns de discussão, jornais, blogues, outros. Os alunos desenvolvem, de acordo com o seu ano/ nível de escolaridade, trabalhos em que interagem com equipamentos e ambientes informacionais variados, manifestando progressos nas suas competências no âmbito da leitura e da literacia. Os alunos, de acordo com o seu ano/ nível de escolaridade, manifestam progressos nas competências de leitura, lendo mais e com maior profundidade <br />3.Objecto de avaliação.<br />3.1 Selecção do domínio<br />A selecção do domínio deve ser feita em”articulação com a equipa ou com outros colegas e com a direcção da escola, o professor bibliotecário irá considerar as diferentes possibilidades, sendo fundamental que o domínio que irá ser avaliado, uma vez ponderados os vários factores envolvidos nessa selecção, seja assumido de forma alargada. Para isso, os órgãos de gestão e de coordenação e supervisão pedagógica, como o conselho pedagógico e os departamentos, devem ser chamados a tomar conhecimento e a participar nessa escolha.”(MAABE, 2010:54)<br />Pretende-se avaliar a biblioteca do primeiro ciclo e pré-escolar com especial ênfase no domínio B. Leitura e Literacia apontado no decorrer da avaliação diagnóstica e apresentado em Conselho Pedagógico no final do ano lectivo.<br />3.2- Intervenientes<br />SujeitosAlunos do 1ºcicclo e pré-escolar,Pais e EE, DocentesFuncionáriosEstruturasDepartamentos do pré-escolar e 1º cicloEquipa e colaboradoresDirecçãoConselho pedagógicoDocumentos a analisarProjecto educativoProjecto curricularPlano Anual de Actividades<br />4. Amostra <br /> “Em termos de quantidade, sugere-se uma aplicação dos instrumentos a 20% do número total de professores e 10% do número de alunos em cada nível de escolaridade, de modo a obter amostras representativas”( Texto da Sessão, 2010:9) <br />O plano respeita as orientações do modelo aplicando os questionários às seguintes amostras:<br />Docentes 20%<br />Alunos 10%<br />Pais 10%<br />5. Tipo de avaliação de medida a empreender<br />A avaliação pretende-se que seja global em todos os domínios mas com incidência em determinados serviços e actividades. Têm carácter longitudinal e deve ser focalizada em determinados aspectos conformes aos objectivos.<br />5.1. Método e instrumentos a utilizar<br />Avaliação será baseada num conjunto de métodos qualitativos e quantitativos utilizando técnicas e instrumentos diversificadas de recolha de informação como grelhas de observação, questionários, dados estatísticos e análise de documentos <br />6. Planificação da recolha e tratamento de dados<br />IndicadorEnvolvidosActividades/Projectos a avaliarEvidênciasCalendarizaçãoB.1 Trabalho da BE ao serviço da promoção da leitura. (Indicador do processo)Alunos do 3º e 4ºAnoProfessores e EducadorasPais e encarregados educaçãoEquipa da BEDepartamentos pré escolar e 1ºcicloSemana da leituraFeira do livroPágina Web da BibliotecaProjecto leitura vai e vemProjecto ler para vencer VídeoVídeoNº visitantesRelatórioRelatórioQuestionários a docentesQuestionários AlunosQuestionários EEMês de AbrilMês de AbrilA longo do anoFinal de cada período2ºperiodoB.2 Integração da BE nas estratégias e programas de leitura. PNLQuestionário PNLAo longo do anoB.3 Impacto do trabalho da BE nas atitudes e competências dos alunos, no âmbito da leitura e da literacia. (Indicador de impacto)Alunos do primeiro cicloAlunos do Pré-escolarHora do contoEncontros com escritoresLeitor do períodoLeitura informalLeitura domiciliáriaConcurso LiterárioGrelhas de observaçãoTrabalhos dos alunosVídeoEstatísticas de requisição, Estatísticas de utilização da BE ActasQuestionários aos alunosQuestionários docentesAo longo do anoAo longo do anoFinal de cada períodoFinal do ano lectivo2ºperíodo2º Período<br />7. Análise e comunicação da informação<br />Recolhida a informação através dos diversos instrumentos aplicados, passamos à análise da informação obtida, tratando dados quantitativos e qualitativos tendo em conta cada um dos indicadores e os factores críticos de sucesso. Nesta fase verificamos os pontos fortes e pontos fracos para posicionar a BE em determinado nível de desempenho de acordo com os perfis do modelo. <br />8. Plano de acção e melhoria<br />A partir dos registos efectuados nas tabelas referidas segue-se a preparação e elaboração de um plano de acção e melhoria com metas e objectivos que devem ser articuladas com o relatório final durante o mês de Julho.<br />9. Relatório<br />Finalmente será elaborado o relatório para apresentar à escola de acordo com o formato do modelo, este prevê na sua estrutura três secções. A secção A relativa ao domínio avaliado, B relativo aos restantes dominós e C com as propostas de melhoria. Este deve ser apresentado em conselho pedagógico no mês de Julho. Este relatório deve integrar o relatório de actividades da escola a apresentar no final do ano lectivo.<br />10. Limitações<br />Devem ser acautelados alguns constrangimentos na aplicação do modelo nomeadamente no que respeita ao envolvimento dos intervenientes para que eles sejam elementos facilitadores<br />11. Levantamento das necessidades (recursos financeiros materiais, humanos)<br />Para a aplicar o plano de avaliação necessitamos :<br />Recursos humanos , por isso contamos com a equipa , docentes e funcionários;<br />Recursos materiais como computadores com acesso à internet para acesso aos questionários e relatório ; <br />Recursos financeiros que devem estar devidamente previstos no orçamento da BE.<br />12. Integração no relatório de avaliação interna da escola e nos tópicos de apresentação à IGE, responsável pela avaliação externa<br />O relatório de avaliação da BE deve ser orientador na avaliação externa da escola pela IGE e para a eventual entrevista com o professor bibliotecário.<br />Bibliografia:<br />Modelo de Auto-Avaliação da Biblioteca Escolar (2010). Rede de Bibliotecas Escolares-Ministério da Educação<br />Texto da sessão, disponibilizado na plataforma em: http://forumbibliotecas.rbe.min-edu.pt/course/view.php?id=135 , Acedido em 19-11-2010<br />

×