Linha conceptual 7º ano 2012-13

6.377 visualizações

Publicada em

Preparação para o Teste Intermédio de História 2012-2013

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Linha conceptual 7º ano 2012-13

  1. 1. PREPARAÇÃO PARA O TESTE INTERMÉDIO DISCIPLINA DE HISTÓRIA 7º ANO
  2. 2. TEMA C3: Cristãos e muçulmanos na Península Ibérica. Ocupação muçulmana e Reconquista Cristã. No século VII surgiu na Arábia uma nova religião, o islamismo. Os seguidores desta religião, os muçulmanos, desenvolveram uma civilização brilhante em termos culturais, técnicos e artísticos e formaram um vasto império que se estendeu à Península Ibérica. Durante séculos cristãos e muçulmanos partilharam o espaço vivendo períodos de guerra pela reconquista de territórios, mas também de paz e partilha de saberes entre as diferentes culturas. As realizações culturais dos Muçulmanos estendem-se às ciências e à arte. Na matemática deixaram-nos os algarismos que ainda hoje usamos; na língua portuguesa existem mais de 600 palavras de origem árabe; desenvolveram conhecimentos na astronomia, mais tarde utilizados pelos navegadores portugueses; desenvolveram também a medicina, a química, a geografia e outras ciências, aprofundando os conhecimentos deixados pelos gregos e pelos povos do oriente; na agricultura trouxeram novas culturas, como a cana-de-açúcar, o arroz, os citrinos, as amendoeiras e muitos produtos hortícolas;Em resumo…. Em 711, a Península Ibérica foi invadida, fácil e rapidamente pelos muçulmanos; A Reconquista cristã começou nos inícios do século VIII, nas Astúrias e nos Pirenéus; A Reconquista foi um processo lento, feito de avanços e recuos ao longo de muitos séculos. Só terminou em 1492, com a reconquista do reino muçulmano de Granada.
  3. 3. Do condado portucalense ao reino de PortugalNos finais do século XI, vários cavaleiros franceses – entre eles D. Henrique – vieram apoiar osreinos cristãos ibéricos nas lutas contra os muçulmanos;Para promover a Reconquista, D. Afonso VI, rei de Leão e Castela, concedeu a D. Henrique asua filha D. Teresa e o Condado Portucalense;O conde D. Henrique procurou alargar os seus poderes e dominar novos territórios. Quandomorreu (c. 1112), sucedeu-lhe D. Teresa. A sua política de alianças com a família galega dosTravas pôs em risco a autonomia do condado;Esta circunstância levou a que os nobres portucalenses se revoltassem contra a política de D.Teresa e convenceram o seu filho, D. Afonso Henriques, a lutar para conseguir o governo docondado;E, 1128, o exército de D. Afonso Henriques venceu as tropas da sua mãe, na Batalha de S.Mamede (Guimarães).D. Afonso Henriques assumiu o governo do condado orientando-se de acordo com trêsobjectivos: o Alargar o condado para sul – conquistando territórios que estavam em domínio muçulmano; o Obter a independência face a Leão e Castela; o Conseguir o reconhecimento da independência pela Santa Sé – autoridade máxima na Europa nesta época.Em 1143, D. Afonso Henriques foi reconhecido como rei de Portugal, no Tratado de Zamora;O reconhecimento pela Santa Sé deu-se em 1179, quando o Papa Alexandre IIII reconheceuPortugal como reino independente na Bula ManifestisProbatum.Cerca de um século mais tarde, a Reconquista terminou em Portugal com a conquista doAlgarve por D. Afonso III (1249):A delimitação de fronteiras entre Portugal e Castela só se fixou pelo Tratado de Alcanises(1279), no reinado de D. Dinis.
  4. 4. Esquema resumo… Fonte: Páginas da História, 7º ano, Asa Editora Acontecimentos e protagonistas: 1096 1128 1143 1179 1249 1297D. Henrique à Batalha de Bula Tratado de Tratado de Conquista frente do S. Mamede: ManisfestisP Alcanises: Zamora: definitiva do Condado D. Afonso robatum: AlgarvePortucalense Henriques Independênc Fronteiras assume o O Papa definitivas ia de (D. Afonso Alexandre III do Algarve governo do Portugal III) reconhece o Condado Reino de Portugal

×