#EDUX - A transgressão em Tony Ross

386 visualizações

Publicada em

#EDUX do LER - Educação Literária

http://www.fb.com/lerinstituto

Publicada em: Educação
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
386
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

#EDUX - A transgressão em Tony Ross

  1. 1. Transgressão em Tony Ross outubro 2015
  2. 2. Há em seu trabalho uma busca pelo ponto de vista da criança. “As crianças vem de outro planeta e tem suas próprias regras, suas próprias crenças, suas próprias estruturas” Tony Ross
  3. 3. George Bernard Shaw (1856-1950) “Tudo o que os jovens podem fazer pelos velhos é escandalizá-los e mantê-los atualizados.”
  4. 4. Tony Ross
  5. 5. “Não há melhor golpe que a linguagem, uma vez que usar o senso de humor desarticula qualquer vexame”. Fabrício Carpinejar
  6. 6. PENSAR É TRANSGREDIR “Não lembro em que momento percebi que viver deveria ser uma permanente reinvenção de nós mesmos — para não morrermos soterrados na poeira da banalidade embora pareça que ainda estamos vivos. Para reinventar-se é preciso pensar: isso aprendi muito cedo. Muita inquietação por baixo das águas do cotidiano. Pensar pede audácia, pois refletir é transgredir a ordem do superficial que nos pressiona tanto.” Lya Luft
  7. 7. Ética da transgressão Pode até parecer estranho pensar em uma ética da transgressão, entretanto, sem ela haveria uma forte tendência à estagnação, tanto no campo individual quanto coletivo. Mas o que seria o ato de inovar senão uma atitude totalmente transgressora? Horrid Henry - Tony Ross
  8. 8. O papel da educação é subverter as regras, os procedimentos e as maneiras de fazer. Pensar em como é possível inventar novas formas de fazer no interior de um jogo que está cada vez mais prescrito. J. Larrosa Miguel J. Williams & T. Ross
  9. 9. Criar = Transgredir O criador/transgressor é o agente solitário que opera a superação de si mesmo na ruptura com o mundo que o cerca. Cada um, ao buscar, ao inventar, ao tentar o ainda-não-ousado, o novo, incorre em transgressão, não como subversão da ordem, mas como implementação, como criação. Tony Ross criando Horrid Henry - 20.000.000 livros vendidos
  10. 10. Eu quero ser… o desconcerto, a surpresa e a alegria de una princesa que não acomoda-se por completo ao mundo dos adultos: às vezes as coisas geram estranheza; outras, dificuldade. A imagem enfatiza a oposição entre o correto e o incorreto, entre o dever e o querer.
  11. 11. o contraponto entre a imagem e o texto geram um efeito humorístico A contradição entre as palavras dos adultos no texto e "fatos" narrados pela imagem produz um efeito de distanciamento crítico e irônico para com os personagens e seus “dizeres” Imagem - Palavra - Sentido
  12. 12. Não sei como é aqui, mas na Inglaterra levamos anos com o tema do politicamente correto e já estamos aborrecidos. É demasiado enganador, nos leva a lugares onde não queremos estar. Ser politicamente incorreto está se transformando em uma vantagem. Não estamos falando do politicamente incorreto, mas sim da má educação. Por isso sempre uso a boa educação em meus livros para crianças, por isso o Lobo come com garfo e faca. Em muitos dos livros para crianças se põem limites que demarcam o que se considera moral ou correto. Precisamente onde estes limites terminam, onde existe um pequeno perigo, uma pequena diferença ou onde as fronteiras não estão tão claras. É onde eu gosto de estar.” Tony Ross
  13. 13. A experiência da Literatura, se é uma verdadeira experiência, sempre armazenará com sua fascinação irreverente a segurança do mundo e a estabilidade do que somos. É a partir desta " fascinação irreverente" que violenta as verdades fossilizadas que nos dão o mundo como algo já pensado e já dito, como algo evidente, como algo que nos impõe sem reflexão. Aí está o poder transformador da literatura e não naqueles textos que se dirigem ao leitor dizendo-lhe como deve pensar o mundo e a si mesmo, e o que deve fazer "para transformá-lo”. Jorge Larrosa Fascinação irreverente
  14. 14. "A literatura excede e armazena tanto o que somos quanto o conjunto das relações estáveis, ordenadas, razoáveis que constituem a orden moral racionalmente ordenada. A literatura, como a infância, põe em questão a validade do mundo comum." Jorge Larrosa
  15. 15. Humor como arma estética para marcar a consciência aguda ….. ao se deparar com a defasagem existente entre o que seu espírito livre deseja e uma auto imagem deformada/ caricatural que o espelho da sociedade lhe mostra O Oscar levou a culpa Tony Ross
  16. 16. “O papel da educação é subverter as regras, os procedimentos e as maneiras de fazer. Pensar em como é possível inventar novas formas de fazer no interior de um jogo que está cada vez mais prescrito.” “A educação trabalha com as potências, não com as condições.” “Outro automatismo no discurso contemporâneo é que a escola tem que dar conta das condições particulares de cada criança, trabalhar com tudo aquilo que as condiciona e as determina. A lista de especialidades é interminável: condições sociais, culturais, intelectuais, cognitivas, psicológicas. No entanto, a minha ideia é a educação como refúgio incondicional, receber as crianças não em função daquilo que as determina, mas lidar com o indeterminado e que cada um possa se separar de suas próprias condições.” Jorge Larrosa
  17. 17. Na sua obra, o senhor expõe que os romances de formação são muito importantes para percebermos o que somos e como nos tornamos o que somos. Conhecer essa literatura pode ajudar professores e gestores escolares a repensar como a escola se tornou o que é? Eu creio que sim. Trabalho sempre com a filosofia, mas sempre fazendo relações com o cinema, a literatura e tentando buscar uma forma de expressão que dê certa ideia do singular e do concreto. Pode ser literatura, cinema, artes plásticas, qualquer coisa. E estou cada vez mais convencido de que se poderia organizar uma graduação completa de formação de professores somente com literatura, cinema e filosofia, sem psicologia, sem didática, deixando de fora a língua dos especialistas. Estou cada vez mais convencido de que tudo está na literatura e na arte. A tarefa principal de um educador é fazer com que o mundo seja interessante. Nada mais do que isso. + Larrosa…
  18. 18. http://revistaeducacao.com.br/textos/193/o-professor-ensaistaliteratura-cinema-e- filosofia-para-o-espanhol-jorge-288244-1.asp http://www.imaginaria.com.ar/2009/01/roberto-innocenti-premio-hans-christian- andersen-2008-los-ninos-comprenden-todo-y-no-temen-mas-bien-aman-las- complicaciones-y-eso-de-simplificar-en-su-nombre-no-implica-un-sacrificio-de- part/ http://www.imaginaria.com.ar/2009/05/el-trapito-feliz/ http://revistababar.com/wp/odio-la-escuela/ http://portal.aprendiz.uol.com.br/arquivo/2013/04/09/o-papel-da-educacao-e- subverter-as-regras/ https://youtu.be/jhGqvTIfvfg Referências http://pensador.uol.com.br/frase/MjgzMzA0/

×