Taking - Business Intelligence

522 visualizações

Publicada em

Definimos em conjunto com o cliente, os indicadores de performance com os quais a empresa deve ser avaliada no âmbito estratégico, tático e operacional. Conceitos como Balance Scorecard (BSC), budgeting (orçamentação), análise financeira, desempenho de vendas e marketing, human resource scorecard (HRBSC), S&OP (Sales and Operational Planning), entre outros, são aplicados nesta disciplina.

Executamos:
Desenho do Modelo de Analytics (tanto pré-implementação, como para correções);
Implementação de Tecnologias de Business Intelligence;
Gerenciamento dos serviços de implementação de terceiros de maneira a garantir a aderência as especificações.

Publicada em: Negócios
  • Seja o primeiro a comentar

Taking - Business Intelligence

  1. 1. PLANEJAMENTO DE BUSINESS INTELLIGENCE
  2. 2. TAKING A EMPRESA FAZEMOS O QUE TEM QUE SER FEITO
  3. 3. QUEM SOMOS A EMPRESA Posicionada como uma das melhores consultorias e integradoras de soluções do Brasil, a Taking é uma empresa de gerenciamento tático especializada em consultoria de negócios, tecnologia da informação e marketing digital. NOSSO DIFERENCIAL Nossa capacidade em entender as necessidades dos clientes, tanto no âmbito técnico como nas prioridades de negócio, é o que nos leva a provocar evoluções (melhorias) e revoluções (turnaround) precisas e sustentáveis com foco no resultado para cada um dos clientes. Fazemos o que tem que ser feito. MISSÃO Planejar em conjunto e transformar em realidade os planos dos nossos clientes, por meio de consultoria, serviços e implementação de soluções de tecnologia e inovação. VISÃO Ser o melhor provedor de consultoria de negócio, desenho e implementação de soluções de tecnologia, reconhecido e admirado como parceiro estratégico. VALORES • Conhecimento e metodologia; • Integridade e respeito; • Energia e atitude positiva; • Assertividade e clareza; • Comprometimento com o resultado sustentável. TAKING
  4. 4. CONTEXTO BUSINESS INTELLIGENCE PLANEJAMENTO DE BUSINESS INTELLIGENCE
  5. 5. Portanto, há riscos ao implementar ferramentas de visualização de dados que mapeiam e “leem” dados diretamente das fontes destes, onde a dinâmica de evolução e manutenção dos sistemas transacionais corporativos e departamentais podem prejudicar a qualidade da informação se não houver um processo de governança adequado. Criada a consolidação da informação, podem ser criadas estruturas de informação que suportem análises focais de determinadas análises especificas que o negócio da empresa requer. TAKING 06/30 CONTEXTO BUSINESS INTELLIGENCE Em um modelo ideal de Business Intelligence, todas as informações necessárias às atividades foco devem ser tratadas de forma sistêmica e armazenadas em um repositório único. Este processo sistêmico de governança garante a confiabilidade e integridade dos dados obtidos, otimizando ainda a quantidade de integrações, volume de processamentos e necessidade de infraestrutura tecnológica.
  6. 6. OS PRINCIPAIS DESAFIOS, QUE NORMALMENTE ENCONTRAREMOS NAS EMPRESAS SÃO: TAKING CONTEXTO BUSINESS INTELLIGENCE LIMITAÇÕES • Existência de bases de informações departamentais desenvolvidas isoladamente; • Inadequação no grau de possibilidade de abertura das informações em muitos demonstrativos (relatórios e sistemas de acesso); • Carência de uma interface única e formal para divulgação de informações onde os conceitos estejam expostos para consulta; • Processos de movimentação de dados pouco normatizados dentro dos ambientes departamentais. CONSEQUÊNCIAS PRIMÁRIAS • Demanda por uma série de tratamentos complexos para a geração das informações e relatórios; • Processamentos morosos, realizados numa infraestrutura tecnológica conceitualmente inadequada e departamental; • Possibilidade de interpretação da informação de forma diferenciada por parte dos usuários; • Dificuldade na manutenção do sincronismo com os dados atualizados na fonte para análises de maior granularidade temporal. CONSEQUÊNCIAS SECUNDÁRIAS • Demora na disponibilização das informações adicionais; • Usuários com dificuldades em acompanhar/justificar resultados; • Pouco tempo para análise, visto que se perde muito tempo na geração da informação; • Dúvidas quanto à qualidade das informações geradas. SOLUÇÕES Planejar e implementar uma infraestrutura adequada, calcada em método e automatização dos processos de coleta, transformação e distribuição de informação, resultando nas seguintes possibilidades de melhorias: POSSIBILIDADES DE MELHORIA • Alinhamento de conceitos entre todas as áreas e camadas de gestores; • Sistematização da geração de indicadores de performance de nível operacional, tático e estratégico via Datawarehouse (repositório único de dados gerenciais) para garantir a coerência do fluxo e confiabilidade dos dados.
  7. 7. O BUSINESS INTELLIGENCE INSERIDO NA ORGANIZAÇÃO TAKING CONTEXTO BUSINESS INTELLIGENCE • Fluxo da Informação• Modelo de Gestão Conceitos Criar modelos de cruzamento entre indicadores de performance gerenciais e operacionais e suas possíveis dimensões de análise, buscando uma análise detalhada. Criar modelos de projeção de metas gerenciais e operacionais para as Áreas e Atividades. Planejar e Monitorar as estratégias da Organização Integrando e Melhorando os Processos TecnologiaObjetivos Ferramentas de Simulação e construção de Orçamentos BSC Ambiente de Suporte à decisão e geração de Relatórios Gerenciais Sistemas Internos • ERP • Sistemas Legados • Sistemas Especialistas • Sistemas Departamentais Aumentar a produtividade do trabalho Monitorar o desempenho de cada Área e atividade no nível de detalhes adequado. Planejar como atingir o objetivo estratégico e determinar qual a responsabilidade de cada área e atividade Planejar e Monitorar o Posicionamento estratégico da Corporação Ferramentas de Análise Ferramentas de Análise Ferramentas de Análise Repositório de Dados Gerenciais Dados Ambiente Externo Metadados Modelo Dimension al ODS ODS ODS
  8. 8. Uma arquitetura de Business Intelligence tipicamente incorpora um número de componentes integrados para compor a solução. O diagrama abaixo ilustra uma configuração de um sistema de BI. TAKING ARQUITETURA BUSINESS INTELLIGENCE Fontes Internas • Transacionais; • Departamentais; • Sistemas Especialistas. Fontes Externas • Indicadores Econômicos e Setoriais; • Dados de Pesquisas de Mercado. ETL Staging Area Data Quality Metadados Modelo Dimensional Ferramentas de Visualização ETL ETL ODS ODS ODS Data Mart Data Mart Data Mart 12 3 4 5 6 1 - Desenho do Modelo. 2 - Mapeamento das Fontes de Dados. 3 - Extração de dados inicial. 4 - Processo de limpeza e qualidade dos dados. 5 - Movimentação e Consolidação das informações. 6 - Visualizações e Simulações.
  9. 9. O MODELO DE BUSINESS INTELLIGENCE INCREMENTAL TAKING INCREMENTAL BUSINESS INTELLIGENCE GOVERNANÇA Planejamento Escopo
  10. 10. O primeiro estágio do processo de implementação de uma arquitetura de Business Intelligence é a fase de Planejamento. TAKING PLANEJAMENTO BUSINESS INTELLIGENCE Planejamento BI Organizar o Projeto Alinha Conceitos Requisitos Técnicos Funcionais Modelo Conceitual Analisar Soluções Analisar Magritude da Mudança Business Case Plano de Investimento NegóciosTecnologia Plano Detalhado de Implementação Gestão
  11. 11. O primeiro estágio do processo de implementação de uma arquitetura de Business Intelligence é a fase de Planejamento, objeto desta proposta, que busca definir: • Objetivos; • Indicadores e Dimensões de Análise nos níveis táticos e operacionais; • Visão futura, e detalhar a implementação de cada um dos principais componentes da arquitetura. O planejamento de Business Intelligence tem como objetivo identificar as potencialidades de aplicação de soluções de BI através de um processo de levantamento de informações e produção de um plano estruturado para implementação. TAKING OBJETIVO PLANEJAMENTO Durante o levantamento de dados, realizaremos: • Análise das informações solicitadas para gestão da empresa; • Análise Técnica sobre o cenário atual de fontes de informação gerencial e infra- estrutura tecnológica; • Análise de ferramentas disponíveis no mercado vis-à-vis o diagnóstico realizado; • Elaboração de um plano de implementação gradual, manutenção evolutiva e estimativa de custos envolvidos para todas as etapas do processo.
  12. 12. ETAPA - 1 METODOLOGIA Objetivos Considerações Chave ORGANIZAR PROJETO • Lançar o Projeto; • Fornecer as ferramentas, conhecimentos e metodologia, capacitando a equipe para trabalhar de forma efetiva de acordo com os objetivos do projeto. • Metodologia comprovada em outros projetos; • Consultores com experiência no desenvolvimento de planos de trabalho e organização de projetos com estas características; • Treinamento da equipe de trabalho; • Aplicação de ferramentas. Principais Atividades Valor Agregado da Taking • Definir os objetivos, as metas e o enfoque do projeto; • Preparar a logística do projeto e padrões de documentação; • Definir a equipe de trabalho; • Definir a metodologia de trabalho e treinamento da equipe; • Elaborar os planos de trabalho detalhados da Fase I. • Seleção e treinamento dos recursos designados para o projeto; • Profundidade dos planos de trabalho. • Equipe de projeto definida, treinada e instalada. • Planos de trabalho detalhado. PRODUTOS FINAIS
  13. 13. ETAPA - 2 METODOLOGIA Objetivos Considerações Chave ALINHAR O CONCEITO DE BUSINESS INTELLIGENCE AS PRÁTICAS DE ANÁLISE DE DESEMPENHO DA EMPRESA • Entender os objetivos da empresa com o projeto; • Avaliar as inter-relações entre o conceito de BI e os objetivos. • Visão sistêmica; • Objetividade/perspectiva externa na confirmação da situação atual; • Conhecimento das implicações estratégicas em projetos similares. Principais Atividades Valor Agregado da Taking Realizar entrevistas com os responsáveis da prática com o objetivo de analisar os principais direcionamento estratégicos relacionados com: • Organização; • Recursos humanos; • Suporte de informática; • Técnicas de análise; • Estrutura de repporting; • Definir o objetivo dos levantamentos (escopo e profundidade); • Determinar claramente as implicações das definições estratégicas em um esquema de BI. Análise do alinhamento do conceito de BI a estratégia da Empresa. PRODUTOS FINAIS
  14. 14. ETAPA - 3 METODOLOGIA Objetivos Considerações Chave • Confirmar o cenário inicial; • Avaliar o estado atual dos sistemas de suporte considerando: a percepção dos cliente, a situação das fontes de dados, e o suporte aos processos de negócio. • Objetividade / perspectiva externa na confirmação da situação atual; • Identificação de oportunidades de melhoria nos processos dentro do escopo definido. Principais Atividades Valor Agregado da Taking • Coordenar entrevistas com os responsáveis das áreas dentro do escopo; • Validar os processos relevantes para a companhia; • Levantar o nível de serviço / performance atual dos processos de Informações gerenciais; • Levantar detalhadamente os processos cobertos; • Levantar detalhadamente os sistemas de suporte à decisão utilizados; • Determinar o custo atual de operação destes sistemas; • Compilar os resultados dos levantamentos efetuados. • Definir o objetivo dos levantamentos (alcance e profundidade); • Analisar as percepções de todas as pessoas chave. Informe qualitativo da situação atual e Mapa Global de Sistemas. IDENTIFICAÇÃO DOS REQUISITOS TECNICOS E FUNCIONAIS PRODUTOS FINAIS
  15. 15. ETAPA - 4 METODOLOGIA Objetivos Considerações Chave • Determinar de forma global os principais componentes do Business Intelligence: escopo, estrutura, processos, habilidades chaves do pessoal, mecanismos de controle e segurança, níveis de performance desejados, etc. • Experiência na definição de modelos de Business Intelligence; • Melhores práticas para a definição de processos; • Objetividade/perspectiva externa para identificar necessidades entre os Segmentos de Seguro. Principais Atividades Valor Agregado da Taking • Determinar os principais processos incluídos e as principais necessidades dos clientes; • Determinar o nível de integração de cada processo; • Realizar uma análise organizacional de alto nível; • Avaliar os modelos alternativos e as melhores práticas; • Desenvolver o modelo de Business Intelligence e quantificar, de forma global, o custo de operação com o novo modelo; • Confirmar que as ferramentas de informática da Empresa suportam o modelo definido; • Analisar globalmente o impacto na Empresa • Visão de longo prazo; • Aspectos regulatórios; • Alinhamento do modelo com a visão e objetivos da Empresa. Desenho Conceitual do modelo de Business Intelligence. DESENVOLVER MODELO CONCEITUAL PRODUTOS FINAIS
  16. 16. ETAPA - 6 METODOLOGIA Objetivos Considerações Chave • Determinar a capacidade da companhia de assimilar os processos de mudança com base em experiências anteriores e sua situação atual; • Analisar a disposição da organização para enfrentar as mudanças geradas pela implementação de um projeto estruturado de Business Intelligence. • Objetividade e independência para analisar experiências anteriores; • Experiência na facilitação de processos de mudança desta envergadura; • Conhecimento das principais mudanças derivadas de projetos similares. Principais Atividades Valor Agregado da Taking • Identificar outros processos de mudança em curso e seu impacto sobre o Business Intelligence; • Identificar as pessoas envolvidas e determinar o grau de envolvimento e compromisso requerido para os distintos processos de mudança; • Analisar experiências anteriores de mudança; • Determinar as principais mudanças geradas pela implementação da estrutura de Business Intelligence. • Objetividade para analisar experiências anteriores similares; • Considerar todos os fatores relevantes em um processo de implementação com estas características. Análise da disposição e capacidade de mudança da organização. ANALISAR A MAGNITUDE DA MUDANÇA E CAPACIDADE DE ADAPTAÇÃO PRODUTOS FINAIS
  17. 17. ETAPA - 7 METODOLOGIA Objetivos Considerações Chave • Determinar os custos e benefícios derivados da criação de um Sistema de Business Intelligence. • Experiência no desenvolvimento do Business Case; • Capacidade para aportar o grau de detalhe e confiabilidade necessária à análise de viabilidade; • Melhores práticas para identificar oportunidades de melhoria. Principais Atividades Valor Agregado da Taking • Selecionar indicadores mais relevantes de volume, custo e serviço; • Determinar os custos de implementação e operação; • Realizar comparações com as Melhores Práticas; • Totalizar os benefícios; • Compilar a análise custo / benefício. • Metas ambiciosas e realistas; • Não esquecer custos pontuais nem custos intangíveis; • Definir mecanismos e prazos de aplicação para o Business Case. Business Case. DESENVOLVER BUSINESS CASE PRODUTOS FINAIS
  18. 18. ETAPA - 8 METODOLOGIA Objetivos Considerações Chave • Definir o plano mais efetivo para implementar com sucesso o projeto de Business Intelligence. • Experiência em desenvolvimento de planos de implementação de Business Intelligence; • Experiência na elaboração de planos facilitadores de mudanças. Principais Atividades Valor Agregado da Taking • Analisar barreiras à mudança e facilitadores da mesma; • Preparar o plano de implementação; • Definir a sequência ótima de implementação (caminho crítico) considerando os benefícios qualitativos/quantitativos da implementação do Business Intelligence; • Identificar riscos e definir ações específicas para mitigá-los; • Preparar e apresentar o relatório final. • Visão integral no momento de definir o plano de ação, considerando todos os elementos intervenientes e a correlação com os demais projetos da Empresa; • Plano facilitador da mudança. Plano de Ação. DESENVOLVER PLANO DE IMPLEMENTAÇÃO PRODUTOS FINAIS
  19. 19. TAKING COMPROMISSO PLANEJAMENTO OS PRODUTOS A SEREM ENTREGUES EM UM TRABALHO DE PLANEJAMENTO DE BUSINESS INTELLIGENCE, TIPICAMENTE SÃO: • Modelo lógico/conceitual de dados ( indicadores e dimensões) – MATRIZ SEMÂNTICA; • Priorização das demandas/iniciativas; • Cronograma e sequência de implementação para cada etapa do processo preocupando-se com a integração das iniciativas; • Estrutura organizacional (equipe necessária para cada etapa do processo); • Metodologia para acompanhamento dos projetos que serão frutos deste trabalho; • Roadmap tecnológico por iniciativa/sub-área dentro do escopo; • Plano de manutenção do sistema atual evitando descontinuidade de atendimento aos usuários; • Plano de Implementação; • Estimativa de custos de implementação.
  20. 20. TAKING PLANEJAMENTO ESTRUTURADO METODOLOGIA METODOLOGIA DE PLANEJAMENTO ESTRUTURADO DE B I Os levantamentos de informações são realizados utilizando-se uma matriz denominada “matriz semântica” onde são listados os indicadores/métricas de análise e suas respectivas formas de visualização (dimensões). O modelo engloba ainda o horizonte de tempo necessário à análise destas informações. A figura no próximo slide auxilia na demonstração do modelo utilizado. A elaboração das matrizes é feita mediante reuniões e workshops com os usuários finais das informações provenientes das bases de dados e consultas aos principais relatórios utilizados pelas áreas em questão. São desenvolvidas ainda reuniões finais de validação garantindo a aderência do modelo de implementação às necessidades de utilização das informações provenientes das bases de dados da empresa.
  21. 21. TAKING PLANEJAMENTO ESTRUTURADO METODOLOGIA METODOLOGIA DE PLANEJAMENTO ESTRUTURADO DE BI 1 – Indicadores e métricas consideradas nas análises. 2 – Dimensões – Formas de visualização dos indicadores. 3 – Cruzamentos entre indicadores e formas de visualização (dimensões). 4 – Informações referentes à estrutura de dados para construção da base de dados. 5 – Horizonte Temporal considerado para análise dos indicadores. 1 2 34 5
  22. 22. TAKING MATRIZ SEMÂNTICA METODOLOGIA PRODUTOS A SEREM ENTREGUES MATRIZ SEMÂNTICA Os levantamentos de informação são realizados utilizando-se uma matriz denominada “matriz semântica” onde são listados os indicadores/métricas de análise e suas respectivas formas de visualização (dimensões). O modelo engloba ainda o horizonte de tempo necessário à análise destas informações. A matriz semântica permite orientar a implementação e é um instrumento de grande utilidade na definição de escopo e alinhamento de expectativas, além de proporcionar uma visão estruturada das informações e dados existentes nos ambientes tecnológicos da empresa. Os indicadores, dimensões de análises, metadados, origem de dados e formas de análise serão documentados e entregues a Empresa através da Matriz Semântica. A elaboração das matrizes é feita mediante reuniões e workshops com os usuários finais das informações provenientes das bases de dados e consultas aos principais relatórios utilizados pelas áreas em questão. São desenvolvidas ainda reuniões finais de validação garantindo a aderência do modelo de implementação às necessidades de utilização das informações provenientes das bases de dados da empresa.
  23. 23. 2ª Sem 3ª Sem 4ª Sem 5ª Sem 6ª Sem 7ª Sem 8ª Sem TAKING O cronograma foi desenhado com foco na produtividade do processo e sincronia entre atividades e produtos finais e considerando a conveniência de PLANO DE EXECUÇÃO Fases Kick Off Análise dos Processos de Analise e Repporting Identificação dos requisitos de negócio Identificação dos requisitos técnicos Levantamento de Dados ( Matriz Semântica ) Mapeamento dos dados nas fontes Desenho da Arquitetura de Dados do Repositório Desenvolvimento do Plano de Implementação 1ª Sem CRONOGRAMA agenda dos executivos da Empresa, sendo possível aumentar o prazo, caso não tenhamos a frequência de reuniões necessária com esses profissionais.
  24. 24. COMERCIAL@TAKING.COM.BR WWW.TAKING.COM.BR TAKING-RESULTS-IT 55 11 4102.6121

×