   CASO CLÍNICOPaciente, V.F.A.C., sexo masculino, 45 anos, trabalha em um escritório, numaempresa multinacional. Chegou ...
levantar peso. As profissões que exigem uma posição com o tronco em inclinadoanterior, sem o devido apoio para o tronco, t...
   CONCLUSÃOO Colete de Williams não vai sozinho ao paciente ter a sua melhora, o coleteestá ali para ajudar seja na melh...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Yas caso clinico hernia discal

1.026 visualizações

Publicada em

caso clínico de hernia discal

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.026
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Yas caso clinico hernia discal

  1. 1.  CASO CLÍNICOPaciente, V.F.A.C., sexo masculino, 45 anos, trabalha em um escritório, numaempresa multinacional. Chegou ao consultório, com queixa de fortes dores nacoluna lombar, acompanhado muitas vezes de uma forte parestesia no mesmolocal. Após avaliar o paciente e com o relato do caso os sintomas do mesmolevou a suspeita de uma hérnia discal na região lombar. Numa escala de dor, amesma foi considera como 7, sendo 0 para nenhuma dor e 10 para dorinsuportável, os sintomas persistem a cerca de 6 meses, sendo que no começoos sintomas eram bem raros de aparecer e de certa forma não o incomodava obastante para ir procurar ajuda fisioterapêutica, porém a um mês os sintomasestariam piorando gradativamente, impossibilitando o V.F.A.C. de exercerfunções diárias como, trabalhar (já que seu trabalho exigi um longo período detempo em sedestração), subir as escadas de sua casa, andar ou ficar de pé pormuito tempo. Foi perceptível na avaliação um aumento exacerbado da curvalordótica da região lombar (hiperlordose não estruturada). Na avaliação deAnamnese do paciente, o mesmo relatou sobre o fato de ter casos de hérniadiscal em familiares, mãe, avó materna e avôs paternos. Foram solicitados entãoexames de radiografia e tomografia e com os exames em mãos, foi confirmadaa suspeita de uma hérnia discal em L4-L5.  HÉRNIA DISCAL1.0 Definição:A hérnia de disco é uma alteração que pode acometer qualquer parte da colunavertebral, porém sendo mais frequente na região lombar. A composição do discointervertebral é responsável pela hidratação do núcleo e pela distribuição daspressões uniformes sobre o anel. Com a diminuição dos componentes hídricosdo disco, ocorre um aumento da pressão sobre as fibras anulares que se tornamsuscetíveis a rupturas (BARROS FILHO ET AL, 2003). Para que ocorraefetivamente a hérnia discal, é necessário que previamente ocorra umadeterioração do disco por microtraumatismos de repetição ou se as fibras doanel fibroso já estiverem em processo de degeneração (KAPANDJI, 2000).Causada por uma lesão dos discos da coluna vertebral, a hérnia discal é a saídado líquido pulposo, por uma fissura no seu anel fibroso. E essa extrusão podeprovocar uma compressão das raízes nervosas, correspondentes a hérnia eessa compressão das raízes, que irão provocar os mais variados sintomas.2.0 Causa:A coluna é centro de equilíbrio musculoesquelético do ser humano e por issoque muitas lesões são decorrentes de um desalinhamento dessa estrutura, ouseja, má postura. Fatores genéticos têm um papel muito mais forte nadegeneração do disco do que se suspeitava anteriormente.Outros fatores também podem contribuir para o surgimento da hérnia de disco,tais como permanecer por longos períodos na posição sentada com o troncoinclinado à frente, carregar objetos pesados com os braços estendidos na frentedo corpo, sofrer exposição à vibração por períodos prolongados como dirigir pordiversas horas, e a combinação da exposição à vibração com o ato repetido de
  2. 2. levantar peso. As profissões que exigem uma posição com o tronco em inclinadoanterior, sem o devido apoio para o tronco, tem mais facilidade em desenvolveruma lesão discal.O sedentarismo é uma causa de grande relevância, visto que com a diminuiçãoda força dos músculos estabilizadores da coluna (transverso do abdômen emultífidos) pelo desuso, esses músculos perdem a sua função de proteção. Osmúsculos estabilizadores são responsáveis por dissipar as forças de cargascompressivas que incidem sobre a coluna durante a sustentação do tronco,como também evitam o cisalhamento entre vértebras (movimentos além dofisiológico). Com mais compressão e tensão sobre disco temos mais chance deadquirir uma doença degenerativa no disco.Entre fatores ocupacionais associados a um risco aumentado de dor lombarestão: o Trabalho físico pesado; o Postura de trabalho estática; o Inclinar e girar o tronco frequentemente; o Levantar, empurrar e puxar; o Trabalho repetitivo; o Vibrações; o Fatores Psicológicos e Psicossociais.Relacionando a V.F.A.C., por trabalhar em um escritório e passar a maior partedo seu dia sentado e ser um indivíduo sedentário foram fatores de risco que ocolocaram predisposto a doença que o acometeu.  ÓRTESE – COLETE DE WILLIAMSO Colete de Williams é usado em pacientes que possuem hiperlordose nãoestruturada e visa uma postura mais adequada. Colete é feito de duralumínio,courvin, lona e velcro. Como coadjuvante no tratamento o colete vai ajudar aopaciente a reestabelecer uma melhor postura. No caso de V.F.A.C. na avaliaçãofoi identificado uma hiperlordose o que ajudou a formação da hérnia em L4-L5.Portanto ao desmontar esse esquema de retração de cadeias musculares,teremos muitos ganhos para a melhora do paciente.1.0 ObjetivosOs objetivos ao prescrever essa órtese é diminuir a hiperlordose e tambémrealinhar a postura do paciente, já que o mesmo se encontra com uma hérniadiscal, também devido a uma postura inadequada e estática, durante todo o dia,se mantendo em sedestração, o que trouxe um desalinhamento postural,juntamente com a retração da cadeia posterior, trazendo um esquema dehiperlordose, com a órtese ele irá realinhar sua postura e estabilizar a colunalombar (L4-L5), e com esse rearranjo, vamos diminuir a carga sobre os discosvertebrais.
  3. 3.  CONCLUSÃOO Colete de Williams não vai sozinho ao paciente ter a sua melhora, o coleteestá ali para ajudar seja na melhora das algias, como ajuda também notratamento do paciente já que o mesmo reduz a hiperlordose e também ajudana melhoria da postura do mesmo. Então conclui-se que o colete de williamsestá ali, como um coadjuvante no tratamento, auxiliando para mais rápido,obtermos os resultados esperados.Referências:Artigo: Condutas Terapêuticas na Hérnia de Disco Lombar – Autora, Pires,Elaine G. Fisioterapeuta, Especialista em Anatomia e Biomecânica do aparelholocomotor – FRASCEITCVERTEBRALArtigo: Atuação Fisioterapêutica Preventiva nos Distúrbios OsteomuscularesRelacionados ao Trabalho – Autores, Santos, A.P.A.; Santos, D.Q.; Santos,G.G.; Venceslau, G F.; Zimmermann, I.D.; Mascarenhas, M.C.*; Vasconcelos,M.S.A.** – * Acadêmicas do curso de Fisioterapia da Escola Bahiana deMedicina e Saúde Pública, ** Coordenadora e Orientadora do Núcleo dePesquisas em Fisioterapia e Saúde.

×