Slide explicativo 2M5 - G5

2.190 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Turismo
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.190
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
51
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Slide explicativo 2M5 - G5

  1. 1. Era Napoleônica G5 2m5
  2. 2. Napoleão <ul><li>Napoleão Bonaparte nasceu em Ajaccio, Córsega (França), em 1769. </li></ul><ul><li>Foi tenente da artilharia do exército francês aos 19 anos. </li></ul><ul><li>General aos 27 anos, saindo vitorioso em várias batalhas na Itália e na Áustria. </li></ul><ul><li>Foi um dos chamados &quot;monarcas iluminados&quot;, que aderiram ao movimento filosófico chamado Iluminismo. </li></ul><ul><li>Napoleão Bonaparte esteve no poder da França durante 15 anos e nesse tempo conquistou grande parte da Europa. </li></ul>
  3. 3. Era Napoleônica <ul><li>Governo do Diretório </li></ul><ul><li>Consulado </li></ul><ul><li>Império </li></ul><ul><li>Governo dos Cem Dias </li></ul><ul><li>Golpe 18 de Brumário </li></ul><ul><li>Congresso de Viena </li></ul>
  4. 4. Governo do Diretório <ul><li>Foi o governo fundamentado numa aliança com o exército francês. </li></ul><ul><li>O Governo do Diretório foi o responsável por elaborar a nova constituição, que manteria a burguesia livre de duas grandes ameaças: a República Democrática Jacobina e o Antigo Regime. </li></ul>
  5. 5. Consulado <ul><li>A situação na França era extremamente grave. A Burguesia, apavorada com a instabilidade interna e as derrotas sofridas para os países inimigos, esquecia seus ideais de liberdade e pensavam em um Governo forte, buscando no exército a força capaz de reorganizar a nação, restaurando a lei e a ordem. </li></ul><ul><li>Todos sabiam que a única pessoa que poderia exercer um Governo desse tipo deveria ser um elemento de prestígio popular e ao mesmo tempo forte o suficiente para manter a estabilidade exigida pela Burguesia. </li></ul>
  6. 6. Consulado <ul><li>Nessa época, o elemento de maior liderança no exército era um jovem general, Napoleão Bonaparte, celebrado especialmente depois da vitoriosa campanha da Itália, em 1796. No dia 9 de Novembro de 1799 (18 de Brumário, pelo calendário Revolucionário), Napoleão retorna do Egito, com o apoio do Exército e da Alta Burguesia, dissolve o Diretório e estabelece um novo governo, conhecido como o Consulado . </li></ul><ul><li>No poder Executivo, três pessoas eram responsáveis: os cônsules Roger Ducos, Emmanuel Sievès e o próprio Napoleão, que foi eleito primeiro-cônsul da República. </li></ul>
  7. 7. Império <ul><li>Em 1804 Bonaparte fez-se coroar Imperador dos Franceses com o título de Napoleão I. O papa presidiu a cerimônia de coroação, mas para deixar claro que o Estado não se submetia à Igreja, Napoleão colocou a coroa em sua própria cabeça. </li></ul><ul><li>Com a criação do Império, Bonaparte centralizou todos os poderes do Estado. </li></ul>
  8. 8. Bloqueio Continental <ul><li>Napoleão, pretendendo enfraquecer economicamente os ingleses, decretou em 1806 o Bloqueio Continental. </li></ul><ul><li>Com essa medida, era proibido que qualquer país comercializasse com os ingleses. Isto só foi possível porque Napoleão dominava grande parte do leste europeu, além de contar com o apoio russo. </li></ul><ul><li>Porém, em 1810 começa a entrar em crise. A maioria dos países aliados aos franceses tinha sua economia de base agrária e a indústria francesa não conseguia atender esses mercados. </li></ul>
  9. 9. Bloqueio Continental <ul><li>Como é o caso da Rússia, que com uma economia em crise, necessitava trocar seu excesso de cereais com os produtos manufaturados ingleses, quebrando assim a aliança com a França e abrindo seus portos a Inglaterra. Em represaria, Napoleão durante 1 ano reuniu um Exército com mais de 600 mil homens de várias nacionalidades e invadiu a Rússia em 1812, iniciando a sua mais trágica campanha. Vencidos os russos abandonaram a capital Moscou depois de destruir os campos cultivados e de incendiar a cidade. Sem abrigo ou provisões, o exército francês, enfrentando o rigoroso inverno, é obrigado a deixar a Rússia perdendo cerca de 95% de seu exército. </li></ul>
  10. 10. Bloqueio Continental <ul><li>Aproveitando-se da fraqueza de Napoleão, Áustria, Prússia, Rússia, Inglaterra, Suécia formam a 6 a Coligação e declaram guerra a França. Napoleão derrotou os exércitos da Rússia e da Prússia, enquanto os exércitos franceses estavam sendo derrotados na península Ibérica por forças espanholas e inglesas. </li></ul><ul><li>Em 1814, um grande exército da 6ª Coligação invade a França e tomam Paris. Napoleão abdica em favor de seu filho Napoleão II, porém os aliados não aceitam. Napoleão é exilado para a Ilha de Elba (próxima de Córsega) com 800 homens. A monarquia é restaurada com Luís XVIII, irmão de Luís XVI, que tinha sido guilhotinado durante a Revolução Francesa . </li></ul>
  11. 11. Governo dos Cem dias <ul><li>Tendo em vista os rumos tomados pelo Congresso de Viena (1814), Napoleão em 1815 abandona seu exílio na Ilha de Elba voltando para Paris. O rei enviou uma guarnição de soldados para prendê-lo, mas estes aderiram a Napoleão. </li></ul><ul><li>Luís XVIII fugiu para a Bélgica. O governo de Napoleão durou apenas 100 dias . </li></ul><ul><li>Contra Napoleão foi formada a 7 a Coligação (Inglaterra, Áustria, Prússia e Rússia). Napoleão foi derrotado definitivamente na Batalha de Waterloo (1815). Preso, Napoleão foi mantido prisioneiro na Ilha de Santa Helena, no Atlântico Sul, onde morreu em 1821 . Luís XVIII novamente assumiu o trono . </li></ul>
  12. 12. Congresso de Viena <ul><li>O Congresso de Viena foi uma conferência entre embaixadores das grandes potências européias que aconteceu na capital austríaca, entre 2 de maio de 1814 e 9 de junho de 1815, cuja intenção era a de redesenhar o mapa político do continente europeu após a derrota da França napoleônica na primavera anterior, iniciar a colonização, restaurar os respectivos tronos às famílias reais derrotadas pelas tropas de Napoleão Bonaparte e firmar uma aliança entre os burgueses. </li></ul><ul><li>Os termos de paz foram estabelecidos com a assinatura do Tratado de Paris (30 de Maio de 1814), no qual se estabeleciam as indenizações que a França deveria pagar aos países vencedores. Mesmo diante do regresso do imperador Napoleão I do exílio, tendo reassumido o poder da França em Março de 1815, as discussões prosseguiram. O Ato Final do Congresso foi assinado nove dias antes da derrota final de Napoleão na batalha de Waterloo em 18 de Junho de 1815. </li></ul>
  13. 13. G5 <ul><li>Integrantes: </li></ul><ul><li>Karina Corrêa, Larissa Rigo, Leonora Fantecelle, Nathalia Figueiredo, Nicole Fernanda, Ursulla Dutra, Yara Leandro. </li></ul><ul><li>Professor: </li></ul><ul><li>Marco Antônio Campo Dall'orto </li></ul>

×