O PAPEL DO TUTOR
COMO MEDIADOR EM
CURSOS A DISTÂNCIA
1º ENCONTRO DO SISAP- SISTEMA DE APOIO À
APRENDIZAGEM DO CURSO DE PRE...
EAD:

.DEMOCRATIZAÇÃO DO ACESSO

DEMOCRATIZAÇÃO DO
CONHECIMENTO
COMUNIDADES DE
INDAGAÇÃO/REFLEXÃO.
1. Romper com a tradição do ensino presencial e pensar
a colaboração dentro do contexto...
EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA
POTENCIAL
FOCO NA APRENDIZAGEM

Comunidade
virtual de
aprendizagem

Participação
ativa
A POLÍTICA PÚBLICA E OS PROGRAMAS DE
INTERVERÇÃO: CURSO DE PREVENÇÃO DO
USO DE DROGAS PARA EDUCADORES DE
ESCOLAS PÚBLICAS
...
AS

TIC SÃO FERRAMENTAS
PSICOLÓGICAS POTENTES.

EDUCADOR

TIC
TIC

CONTEÚDO

TI
C

TI
C
TUTOR
A TRÍADE
O EDUCADOR, que aprende desenvolvendo
sua atividade mental de caráter construtivo
(atividade conjunta); o conteúd...
DIÁLOGO
MEDIACIONAL (ENTRE
PARES, CURSISTAS,
POLÍTICA

ATIVIDADE CONJUNTA:
SEQUENCIA DIDÁTICA E A
COLABORAÇÃO.
INTERAÇÃO S...
MEDIAÇÃO E A SEQUENCIA DIDÁTICA DO
CURSO X TIPOS DE PARTICIPAÇÃO (ATIVA E
PASSIVA)
SEQUÊNCIA DIDÁTICA DO CURSO DE PREVENÇÃO (5ª EDIÇÃO)
Atividade
1 - Acesso à
plataforma

2 – Fórum

Índice quantitativo
Índ...
PARTICIPAÇÃO EM CURSOS
ONLINE - AVA
 Diversos tipos de participação dos cursistas.
 Envolve

a ideia de pertencimento a ...
OS SEIS NÍVEIS DE PARTICIPAÇÃO (HRASTINSKI)

Nível

Descrição

%

1 - Acesso

Acesso ao ambiente virtual de aprendizagem,...
CINCO TIPOS DE PARTICIPAÇÃO (ROHE, ET AL. 2013):










Cursista ativo: Apresenta participação regular, seja na vi...
Qualidade da atividade conjunta,
interação e feedback, presença
cognitiva e docente.
Finnegan et al. (2008); Morris e
Finn...
TIPOS DE PARTICIPAÇÃO (TABOSA, 2011)








Ausente - recebe
as
contribuir/posicionar-se, em
sobre a discussão;

mens...
COMUNIDADE DE INDAGAÇÃO
(GARRISON, 2006)
PRESENÇA
COGNITIVA

PRESENÇA
SOCIAL

PRESENÇA
DOCENTE

Avaliação
Construindo a CVA: papel do
tutor
Compromisso

real
com os membros da
comunidade para
avançar na
consecução dos
objetivos...
TRABALHANDO A FAVOR DA
PERSISTÊNCIA E CONTRA A EVASÃO.

''Persistência na aprendizagem”
 o estado em que cursistas deseja...
QUATRO ESTRATÉGIAS PARA DIMINUIR A
EVASÃO EM EAD
1.

2.
3.
4.

Integração e envolvimento dos
CURSISTAS
Ensino centrado no ...
FATORES DE PERSISTÊNCIA - REVISÃO
REALIZADA POR ANGELINO ET AL (2007)
1:Integração e envolvimento,
acadêmico e social no a...
2: DIAZ AND BONTENBAL (2001):
ABORDAGEM CENTRADA NO ALUNO.

- Divisor de águas entre o método
tradicional, abordagem centr...
3: COMUNIDADES DE
APRENDIZAGEM - ANDERSON,
2004; VYGOTSKY.
Trabalho coletivo que visa ampliar a base
de conhecimento de fo...
4: HUGHES (2004): DISPONIBILIDADE
DE SERVIÇOS ONLINE DE DISTINTAS
NATUREZAS.
Sede por serviços on-line que são fáceis de u...
TUTOR = TAREFAS APARENTEMENTE
SIMPLES.




Tutor: acessar diariamente o AVA, abrir fóruns,
incentivar a participação, en...
COMUNICAÇÃO DIDÁTICA: CONCEITOS E TIPOS
DE FERRAMENTAS DE COMUNICAÇÃO SÍNCRONA

E ASSÍNCRONA

São sistemas de
aprendizado ...
O FÓRUM

É um instrumento incentivador e agregador
na construção de conhecimento e na troca de
experiências entre os estud...
O FÓRUM COMO FERRAMENTA DE
MEDIAÇÃO NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA










Valoriza a partilha de experiências e
de pontos...
O FÓRUM COMO FERRAMENTA DE
MEDIAÇÃO NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA
COMUNICAÇÃO
COMUNIDADE DE
APRENDIZAGEM
FÓRUM está
apoiado

COL...
O FÓRUM COMO FERRAMENTA DE
MEDIAÇÃO NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA
O Modelo de formação em um Ambiente
Virtual indicada por Salmo...
O FÓRUM COMO FERRAMENTA DE
MEDIAÇÃO NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA
1. Acesso e motivação - momento da acolhida, das boas
vindas;
...
O FÓRUM COMO FERRAMENTA DE MEDIAÇÃO NA
EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA
2. Socialização - facilitando as ligações sociais,
culturais e...
O FÓRUM COMO FERRAMENTA DE
MEDIAÇÃO NA EDUCAÇÃO A
DISTÂNCIA
3. Intercâmbio - facilitando tarefas e conteúdos;

É caracteri...
O FÓRUM COMO FERRAMENTA DE
MEDIAÇÃO NA EDUCAÇÃO A
DISTÂNCIA
4. Construção - facilitando o processo;
Na 4ª. Etapa os estuda...
O FÓRUM COMO FERRAMENTA DE
MEDIAÇÃO NA EDUCAÇÃO A
DISTÂNCIA
5. Desenvolvimento - apoiando e respondendo.

Quando o estudan...
ATUAÇÃO DA TUTORIA
FÓRUM








NO

Formar-se, ser multidisciplinar e
dominar
conhecimentos das áreas do curso.
Sabe...
ATUAÇÃO DA TUTORIA
FÓRUM






NO

É necessário manter um diálogo aberto, sincero,
despertando a confiança mútua. A com...
ATUAÇÃO DA TUTORIA
FÓRUM


NO

Criar perguntas relacionadas
com
a obtenção
de
informação,
usando
a capacidade que as TICs...
A AVALIAÇÃO na Educação a Distância
(EAD) é um processo contínuo, significa que ela se
dá dentro do desenvolvimento diário...
O FÓRUM COMO INSTRUMENTOS
AVALIAÇÃO NA EDUCAÇÃO A
DISTÂNCIA

DE

Tabosa (2011) pontua que, o CONTEÚDO
poderá ser avaliado ...
ESCREVER
NA AREIA
OU



Diz uma lenda árabe que dois amigos viajavam pelo
deserto e em um determinado ponto da viagem,
di...
Escher - Libertação
PAPEL DO TUTOR: INTERMEDIAR

É

= CONSTRUIR

PONTES

POR MEIO DA COMUNICAÇÃO E CONVERSAÇÃO QUE

TECEMOS A TEIA DO CONHECIM...
WILSA RAMOS –
IP/CEAD/UnB
ramos.wilsa@gmail.com
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Mediação na tutoria online fundamenta-se nos processos de comunicação e conversação, nos quais tecemos a teia do conhecimento apoiada nas redes de aprendizagem.

2.781 visualizações

Publicada em

Mediação na tutoria online fundamenta-se nos processos de comunicação e conversação, nos quais tecemos a teia do conhecimento apoiada nas redes de aprendizagem.

  1. 1. O PAPEL DO TUTOR COMO MEDIADOR EM CURSOS A DISTÂNCIA 1º ENCONTRO DO SISAP- SISTEMA DE APOIO À APRENDIZAGEM DO CURSO DE PREVENÇÃO DO USO DE DROGAS PARA EDUCADORES DE ESCOLAS PÚBLICAS- 6ª EDIÇÃO Prof. Dra. Wilsa Ramos – IP PED
  2. 2. EAD: .DEMOCRATIZAÇÃO DO ACESSO DEMOCRATIZAÇÃO DO CONHECIMENTO
  3. 3. COMUNIDADES DE INDAGAÇÃO/REFLEXÃO. 1. Romper com a tradição do ensino presencial e pensar a colaboração dentro do contexto do uso das TIC: fomas flexivéis de comunicação síncronas e assíncronas. 2. Perspectiva teórica e empírica: necessidade de efetividade da interação e colaboração para obter resultados de aprendizagem profundos e significativos. 3. Experiência educativa significativa: reflexão e discurso. 4. Colaboração é um componente chave para a comunidade de indagação/reflexão.
  4. 4. EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA POTENCIAL FOCO NA APRENDIZAGEM Comunidade virtual de aprendizagem Participação ativa
  5. 5. A POLÍTICA PÚBLICA E OS PROGRAMAS DE INTERVERÇÃO: CURSO DE PREVENÇÃO DO USO DE DROGAS PARA EDUCADORES DE ESCOLAS PÚBLICAS - 6ª EDIÇÃO CONTEÚDO: PREVENÇÃO DO USO DE DROGAS NAS ESCOLAS TIC TIC ESCOLA, ENTORNO ESCOLAR, SOCIEDADE EDUCADOR TIC TUTOR
  6. 6. AS TIC SÃO FERRAMENTAS PSICOLÓGICAS POTENTES. EDUCADOR TIC TIC CONTEÚDO TI C TI C TUTOR
  7. 7. A TRÍADE O EDUCADOR, que aprende desenvolvendo sua atividade mental de caráter construtivo (atividade conjunta); o conteúdo, que é objeto de ensino e aprendizagem; e o TUTOR, que ajuda o EDUCADOR no processo de construção de significados e de atribuição de sentidos aos conteúdos de aprendizagem, objetos de conhecimentos (Mauri & Onrubia, 2010, p.125, COMUNICAÇÃO DIDÁTICA
  8. 8. DIÁLOGO MEDIACIONAL (ENTRE PARES, CURSISTAS, POLÍTICA ATIVIDADE CONJUNTA: SEQUENCIA DIDÁTICA E A COLABORAÇÃO. INTERAÇÃO SOCIAL DESENVOLVIME NTO E APRENDIZAGEM ANDAIMES – DESENVOLVIMENTO REAL E DESENVOLVIMENTO POTENCIAL - ZDP PAPEL DO TUTOR
  9. 9. MEDIAÇÃO E A SEQUENCIA DIDÁTICA DO CURSO X TIPOS DE PARTICIPAÇÃO (ATIVA E PASSIVA)
  10. 10. SEQUÊNCIA DIDÁTICA DO CURSO DE PREVENÇÃO (5ª EDIÇÃO) Atividade 1 - Acesso à plataforma 2 – Fórum Índice quantitativo Índice qualitativo Registro de acesso à plataforma Não pontua Moodle com login e senha. Visualização do fórum por Não pontua participante. Qualidade da postagem: varia de 0 a Postagem de uma ou mais 3 pontos, por fórum. Total de cinco mensagens. fóruns, um para cada módulo. 3 - Exercício Qualidade da resposta: varia de 0 a Objetivo (resposta Número de exercícios respondidos. 1 (hum) ponto. Máximo de pontos automática) 15. Qualidade da resposta: varia de 0 a x pontos por Módulo. Módulos 1 a 4 - Atividade Registro de envio da atividade 3: variam de 0 a 5 pontos. Módulo Colaborativa coletiva. 4: varia de 0 a 25 pontos. Módulo 5: varia de 0 a 15 pontos
  11. 11. PARTICIPAÇÃO EM CURSOS ONLINE - AVA  Diversos tipos de participação dos cursistas.  Envolve a ideia de pertencimento a uma comunidade (Jaldemark et al., 2006) e cumprimento de atividades (Hrastinski, 2008, 2009).  Envolve tudo que nós fazemos, sentimos, compartimos quando tomamos parte em uma experiência significativa (Hrastinski, 2009, p.81).
  12. 12. OS SEIS NÍVEIS DE PARTICIPAÇÃO (HRASTINSKI)  Nível Descrição % 1 - Acesso Acesso ao ambiente virtual de aprendizagem, (número de vezes que o cursista acessou o ambiente virtual) 3 2 – Resposta ao fórum O cursista que posta muitas mensagens participa mais ativamente do que o que não é um assíduo comentador dos fóruns. 28 3 - Qualidade de resposta O cursista ativo é aquele que realiza postagem de alta qualidade, e não apenas o cursista que posta muitos comentários 25 4 – Leitura e postagem no fórum Nesse nível, o cursista que lê e posta muitas mensagens é considerado um cursista ativo. 6 5 - Quantidade de postagens e a importância que foi dada a essas postagens Nesse nível, a avaliação dos tutores e a quantidade de feedbacks se configuram como recompensas para a participação do curso, o que remetem a ideia de que esse cursista é mais ativo. Cruza-se a importância com o total de postagens do cursista. 6 6 - Participação de um diálogo Vonderwell e Zachariah (2005) propõem que esse nível recompensador de estudo não se define pelo número de postagens dos cursistas no fórum, mas pelo fato dos cursistas se 33
  13. 13. CINCO TIPOS DE PARTICIPAÇÃO (ROHE, ET AL. 2013):      Cursista ativo: Apresenta participação regular, seja na visualização do Fórum ou na entrega da atividade avaliativa. Participa desde o início até o último módulo. Cursista mediano: Tem participação mediana, em termos quantitativo e qualitativo. Ele varia a participação nos módulos, mas, busca a visualização dos fóruns e a entrega das atividades colaborativas. Demonstra ter como meta a aprovação, visto que permanece no curso de forma regular. Cursista intermediário: Eles são ativos da metade para o final do curso e têm mais chances de estarem no grupo de aprovados do que um cursista que estava entre os mais ativos no início do curso, que buscaram a visualização dos fóruns e a entrega da atividade colaborativa. Cursista passivo: Ele tem participação infrequente e irregular podendo participar em termos quantitativos, mas não apresenta qualidade. O seu tipo de participação pode resultar em aprovação ou não. Não se pode inferir que busca a pontuação mínima para a aprovação. Cursista ausente: Não se engaja socialmente, não demonstra compromisso social com a turma, não tem regularidade ou qualidade nas respostas, visualiza os fóruns e outros recursos (a investigar) obtém os dados e conhecimentos que lhe interessam no curso. Pode estar frequente até o último módulo, mas, sempre como observador. A sua participação não demonstra interesse em obter a pontuação mínima para a aprovação.
  14. 14. Qualidade da atividade conjunta, interação e feedback, presença cognitiva e docente. Finnegan et al. (2008); Morris e Finnegan (2008); Lee e Choi (2008); Nistor e al. 2010. Hershkovitz e Nachmias (2011); Lykourentzou et al. (2009)
  15. 15. TIPOS DE PARTICIPAÇÃO (TABOSA, 2011)     Ausente - recebe as contribuir/posicionar-se, em sobre a discussão; mensagens sem nenhum momento, Passivo - não contribui para uma discussão aprofundada sobre o tema em questão, sendo superficial em suas posições, e a quantidade de mensagens postadas é pequena, geralmente uma ou duas; Questionador - questiona posições e sugere solução para os problemas apresentados instiguem a discussão; Debatedor – contribui, com sua experiência, apresentando argumentações bem fundamentadas, responde a questionamentos e comenta as contribuições dos demais participantes.
  16. 16. COMUNIDADE DE INDAGAÇÃO (GARRISON, 2006) PRESENÇA COGNITIVA PRESENÇA SOCIAL PRESENÇA DOCENTE Avaliação
  17. 17. Construindo a CVA: papel do tutor Compromisso real com os membros da comunidade para avançar na consecução dos objetivos. Zona de confiança que dê voz aos participantes. Zona de afetividade, coresponsabilidade, codependência e colaboração. Criação Indução Incubação Melhora do desempenho Implementação Encerramento Professor Desenho, estrutura, forma de trabalho e aprendizagem infraestrutura tecnológica requerida. modela o início das interações, regras de confidencialid ade, frequencia, forma e extensão da participação. Esperada. Inicio, desenvolvim ento e estímulo ao procesSo de comunicação . Vinculado com a avaliação. Encerramento por ter alcançado a meta. Processo de avaliação contínua. Refletir sobre o êxito da CVA.
  18. 18. TRABALHANDO A FAVOR DA PERSISTÊNCIA E CONTRA A EVASÃO. ''Persistência na aprendizagem”  o estado em que cursistas desejam participar continuamente em seus programas educacionais e concluir seus cursos, processos, atingindo os seus objetivos educacionais de obter o grau. (Müller, 2008).  vontade de continuar a sua aprendizagem atual. (Shin, 2003)  variável emocional que determina o sucesso ou o fracasso do cursista no ambiente cibernético. (Martinez, 2003).
  19. 19. QUATRO ESTRATÉGIAS PARA DIMINUIR A EVASÃO EM EAD 1. 2. 3. 4. Integração e envolvimento dos CURSISTAS Ensino centrado no CURSISTA Comunidades de aprendizagem Acessibilidade aos serviços de suporte e apoio para os CURSISTAS online.
  20. 20. FATORES DE PERSISTÊNCIA - REVISÃO REALIZADA POR ANGELINO ET AL (2007) 1:Integração e envolvimento, acadêmico e social no ambiente universitário. Tinto (1975). A pesquisa nesta área inclui métodos como o contato do corpo docente iniciado por meio de chamadas telefônicas, orientações iniciais, chats informais e serviços on-line ( Hughes, 2004). O contato inicial e freqüente com os cursistas é fundamental (Minich, 1996).
  21. 21. 2: DIAZ AND BONTENBAL (2001): ABORDAGEM CENTRADA NO ALUNO. - Divisor de águas entre o método tradicional, abordagem centrada no professor, e a abordagem centrada no aluno, socioconstrutivista. - “Exige formas mais ativas de sala de aula que envolvam o aluno no processo de aprendizagem e que dependem de entrada do estudante para dar sentido aos objetivos instrucionais" (Diaz & Bontenbal, 2001).
  22. 22. 3: COMUNIDADES DE APRENDIZAGEM - ANDERSON, 2004; VYGOTSKY. Trabalho coletivo que visa ampliar a base de conhecimento de forma colaborativa. Cursistas a distância têm muitos desafios a superar como a separação física, sentimento de isolamento, falta de apoio, sentimento de desconexão; as comunidades de aprendizagem podem ajudar a minimizar esses sentimentos.
  23. 23. 4: HUGHES (2004): DISPONIBILIDADE DE SERVIÇOS ONLINE DE DISTINTAS NATUREZAS. Sede por serviços on-line que são fáceis de usar, disponíveis e que atendam as suas conveniências sobre:  Avaliação (provas, trabalhos, notas, etc)  Suporte técnico  Apoio pedagógico para os estudos  Orientação tutorial  Biblioteca online  Direitos e responsabilidades, segurança e sigilo das informações.
  24. 24. TUTOR = TAREFAS APARENTEMENTE SIMPLES.   Tutor: acessar diariamente o AVA, abrir fóruns, incentivar a participação, encaminhar mensagens de chamada e ao final da semana, apresentar os questionamentos mais relevantes ao supervisor. Fazer a costura textual dos fóruns e responder aos participantes em, no máximo, 24 horas. MAS, EXTREMAMENTE COMPLEXAS.
  25. 25. COMUNICAÇÃO DIDÁTICA: CONCEITOS E TIPOS DE FERRAMENTAS DE COMUNICAÇÃO SÍNCRONA E ASSÍNCRONA São sistemas de aprendizado integrados que proporcionam benefícios as comunicações virtuais. SÍNCRONAS Informação em tempo real. Interações mediadas por chat, telefone e videoconferência. ASSÍNCRONAS Informações de modo diferenciado. Correio eletrônico ou e-mail, fóruns de discussão, televisão, páginas web, listas de discussão.
  26. 26. O FÓRUM É um instrumento incentivador e agregador na construção de conhecimento e na troca de experiências entre os estudantes, professorestutores e professores-autores (TABOSA, 2011)
  27. 27. O FÓRUM COMO FERRAMENTA DE MEDIAÇÃO NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA      Valoriza a partilha de experiências e de pontos de vista, assim como o domínio das técnicas de expressão escrita; Permite a realização de atividades de estudo, reflexão e investigação que antecedem o envio de uma mensagem; Incentivador para participantes menos extrovertidos ou com maior dificuldade de expressão escrita; Permite estruturar, organizar, preservar e manter o registro de diálogos, discussões e trocas de pontos de vista; Importante para alunos, trabalhadores-estudantes.
  28. 28. O FÓRUM COMO FERRAMENTA DE MEDIAÇÃO NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA COMUNICAÇÃO COMUNIDADE DE APRENDIZAGEM FÓRUM está apoiado COLABORAÇÃO PARTICIPAÇÃO ATIVA SUBJETIVIDADE
  29. 29. O FÓRUM COMO FERRAMENTA DE MEDIAÇÃO NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA O Modelo de formação em um Ambiente Virtual indicada por Salmon (2000), é distribuído em cinco etapas: 1) Acesso e motivação - momento da acolhida, das boas vindas; 2) Socialização - facilitando as ligações sociais, culturais e de aprendizagem; 3) Intercâmbio - facilitando tarefas e conteúdos; 4) Construção - facilitando o processo; 5) Desenvolvimento - apoiando e respondendo.
  30. 30. O FÓRUM COMO FERRAMENTA DE MEDIAÇÃO NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 1. Acesso e motivação - momento da acolhida, das boas vindas; Etapa em que o estudante é acolhido pela tutoria e demais colegas, superando a sensação inicial de “estar sozinho”, de “sentir-se só”. Quanto mais motivados e animados para começar as atividades, mas proativos e positivos eles serão;
  31. 31. O FÓRUM COMO FERRAMENTA DE MEDIAÇÃO NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 2. Socialização - facilitando as ligações sociais, culturais e de aprendizagem; Momento em que os estudantes iniciam a sociabilização, que estabelecem laços de confiança entre a tutoria e seus colegas. O estudante se sente pertencendo a um grupo que busca o mesmo objetivo que ele, sua formação e sua aprendizagem;
  32. 32. O FÓRUM COMO FERRAMENTA DE MEDIAÇÃO NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 3. Intercâmbio - facilitando tarefas e conteúdos; É caracterizada pela troca de informações do conteúdo e das fontes utilizadas entre os colegas e a tutoria, através da postagem de mensagens no fórum, formando uma rede ou várias redes educativas;
  33. 33. O FÓRUM COMO FERRAMENTA DE MEDIAÇÃO NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 4. Construção - facilitando o processo; Na 4ª. Etapa os estudantes acessam os conteúdos relacionados às disciplinas e complementam com pesquisas fora do ambiente virtual de aprendizagem, interpretandoo, construindo novos conhecimentos, colaborando, refletindo, criticando e ampliando as oportunidades com a participação dos colegas e da tutoria através das postagens nos fóruns;
  34. 34. O FÓRUM COMO FERRAMENTA DE MEDIAÇÃO NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 5. Desenvolvimento - apoiando e respondendo. Quando o estudante chega a 5ª. Etapa o conhecimento deverá estar arraigado nas maiores referências e experiências com relação ao conteúdo que foi trabalhado. Esse conhecimento deverá ser compartilhado com os colegas e a tutoria.
  35. 35. ATUAÇÃO DA TUTORIA FÓRUM      NO Formar-se, ser multidisciplinar e dominar conhecimentos das áreas do curso. Saber conviver com as diferenças e as diversidades culturais de cada região, sem pré-julgamentos ou opiniões já formadas; Aguçar a percepção para entender e ouvir seus parceiros através das palavras expressas na escrita, estabelecendo diálogo aberto e reflexivo; Incentivar que cada conceito seja discutido colaborativamente por todos. Instruir sobre as algumas mudanças semanais na unidade, caso necessário;
  36. 36. ATUAÇÃO DA TUTORIA FÓRUM    NO É necessário manter um diálogo aberto, sincero, despertando a confiança mútua. A comunicação acontece respeitando a diversidade de opiniões e as referências sociais, históricas e culturais de cada pessoa; O Tutor deve incentivar habilidades ou competências relacionadas a instruir o aluno a desenvolver-se. Oferecer oportunidades frequentes para os alunos fazerem perguntas relacionadas com o curso e criar uma discussão específica dentro de cada módulo do curso; O Tutor percebe e elucida os problemas que deverão ser avaliados para possíveis soluções visando sempre a melhoria do ensino-aprendizagem do estudante;
  37. 37. ATUAÇÃO DA TUTORIA FÓRUM  NO Criar perguntas relacionadas com a obtenção de informação, usando a capacidade que as TICs proporcionam;
  38. 38. A AVALIAÇÃO na Educação a Distância (EAD) é um processo contínuo, significa que ela se dá dentro do desenvolvimento diário de ensinoaprendizagem que ocorrem nas discussões coletivas dos Fóruns.
  39. 39. O FÓRUM COMO INSTRUMENTOS AVALIAÇÃO NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA DE Tabosa (2011) pontua que, o CONTEÚDO poderá ser avaliado quanto à:  Articulação entre o tema proposto e as considerações apresentadas, sejam na forma de questionamento, dúvidas, contraposições, concordâncias e/ou aprofundamento;  Coerência na apresentação das considerações;  Demonstração de compreensão do tema estudado;  Condição de apropriação do conhecimento autonomia na busca de novos conhecimentos. e
  40. 40. ESCREVER NA AREIA OU  Diz uma lenda árabe que dois amigos viajavam pelo deserto e em um determinado ponto da viagem, discutiram e um deu uma bofetada no outro. O outro, ofendido, sem nada poder fazer, escreveu na areia: “Hoje, o meu melhor amigo deu-me uma bofetada no rosto.” Seguiram adiante e chegaram a um oásis onde resolveram tomar banho. O que havia sido esbofeteado e magoado começou a afogar-se, sendo salvo pelo amigo. Ao recuperar-se, pegou um canivete e escreveu na pedra: “Hoje, o meu melhor amigo salvou a minha vida.” O outro amigo perguntou: “Por que é que, depois que te magoei, escreveste na areia e agora, escreves na pedra?”.Sorrindo, o outro amigo respondeu: “Quando um grande amigo nos ofende, devemos escrever onde o vento do esquecimento e o perdão se encarreguem de apagar a lembrança. Por outro, quando nos acontece algo bom e grandioso, devemos gravar isso na pedra da memória do coração onde vento nenhum em todo o mundo jamais o poderá apagar”. Escrever na pedra
  41. 41. Escher - Libertação
  42. 42. PAPEL DO TUTOR: INTERMEDIAR É = CONSTRUIR PONTES POR MEIO DA COMUNICAÇÃO E CONVERSAÇÃO QUE TECEMOS A TEIA DO CONHECIMENTO APOIADA NAS REDES DE APRENDIZAGEM ONLINE. DIALOGAR COM OS ESTUDANTES DE UMA FORMA RESPEITOSA, FORTALECENDO A AUTONOMIA E A CONFIANÇA NO POTENCIAL DO GRUPO E DA INSTITUIÇÃO FORMADORA. RESPEITAR AS PAUTAS DE COMUNICAÇÃO NOS FÓRUNS COMPREENDENDO QUE A CONVERSAÇÃO ESCRITA PODE TER O PODER DE TRANSFORMAR E DE FORMAR INDIVÍDUOS QUESTIONADORES E REFLEXIVOS, QUE POSSUEM CONFIANÇA EM SI MESMO.
  43. 43. WILSA RAMOS – IP/CEAD/UnB ramos.wilsa@gmail.com

×