Politicos final

364 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
364
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
24
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Politicos final

  1. 1. INTRODUÇÃO
  2. 2. PROBLEMA DE PESQUISA
  3. 3. DELIMITAÇÃO CAMPO DE ESTUDO OBJETO DE PESQUISA
  4. 4. EIXOS TEÓRICOS MARKETING POLÍTICO
  5. 5. EIXOS TEÓRICOS MARKETING POLÍTICO
  6. 6. EIXOS TEÓRICOS MARKETING POLÍTICO
  7. 7. EIXOS TEÓRICOS MARKETING POLÍTICO
  8. 8. EIXOS TEÓRICOS MARKETING POLÍTICO
  9. 9. EIXOS TEÓRICOS MARKETING POLÍTICO • • •
  10. 10. EIXOS TEÓRICOS • • MARKETING POLÍTICO • •
  11. 11. EIXOS TEÓRICOS MARKETING POLÍTICO • • • • • •
  12. 12. EIXOS TEÓRICOS MARKETING POLÍTICO DIGITAL •Proto-web •Web •Pós-web
  13. 13. EIXOS TEÓRICOS MARKETING POLÍTICO DIGITAL •Proto-web •Email •Web •Pós-web
  14. 14. EIXOS TEÓRICOS MARKETING POLÍTICO DIGITAL •Proto-web •Web Site •Pós-web
  15. 15. EIXOS TEÓRICOS MARKETING POLÍTICO DIGITAL •Proto-web •Web Site •Pós-web
  16. 16. EIXOS TEÓRICOS MARKETING POLÍTICO NA INTERNET BARACK OBAMA – 2008 • • • •
  17. 17. EIXOS TEÓRICOS O NOVO ELEITOR COMUNICAÇÃO UM-TODOS | TODOS-TODOS • André Lemos (2002, p. 25) : Era da cibercultura • Pierre Lévy (1996, p. 113) Como um dos principais efeitos da transformação em curso, aparece um novo dispositivo de comunicação no seio de coletividades desterritorializadas muito vastas que chamaremos “comunicação todos-todos”. É possível experimentar isso na Internet *...+ • O usuário deixasse de ser apenas receptor para tornar-se um pontencial receptor- produtor de conteúdo •“A quantidade de conteúdo que o Youtube armazena em 60 dias seria equivalente ao conteúdo televisionado em 60 anos sem interrupção pelas emissoras NBC, CBS e ABS juntas” (Benevenuto apud Falchetti, 2011). •Hoje já são mais de 72 horas de vídeos upados por minuto.
  18. 18. EIXOS TEÓRICOS O NOVO ELEITOR COMUNICAÇÃO UM-TODOS | TODOS-TODOS •Henry Jenkins: Cultura da Convergência •Convergência entre os meios de massa e os novos meios •Surgimento dos grupos de interesse: fandons
  19. 19. EIXOS TEÓRICOS O NOVO ELEITOR CULTURA DA CONVERGÊNCIA E POLÍTICA • Comunidades de marca | Comitês digitais •Inteligência coletiva cultura popular •Uso para assuntos políticos • Uso da sátira é impulsionado pelas comunidades.
  20. 20. EIXOS TEÓRICOS O NOVO ELEITOR A CAUDA LONGA •Segmentação do público •Democratização das ferramentas •Democratização dos meios
  21. 21. REDES SOCIAIS REDES SOCIAIS NA INTERNET Segundo Recuero (2009, p.24): Uma rede social é definida como um conjunto de dois elementos: atores (pessoas, intituições ou grupos; os nós da rede) e suas conexões (interações ou laços sociais) (Wasserman e Fast, 1994; Dagenne e Forse, 1999). Uma rede, assim, é uma metáfora para observar os padrões de conexões de um grupo social, a partir das conexões estabelecidas entre os diversos atores. A abordagem de rede tern, assim, seu foco na estrutura social, onde não é possível isolar os atores sociais e nem suas conexões.
  22. 22. REDES SOCIAIS INTERAÇÃO REATIVA | INTERAÇÃO MÚTUA INTERAÇÃO MÚTUA •“Ação-junta” • As interações mútuas possuem um caráter recursivo, “cada ação retorna por sobre a relação, movendo e transformando tanto o próprio relacionamento quanto os interagentes (impactados por ela).” (PRIMO, p. 107). • Aspecto de globalidade, que salienta o impacto de determinado contexto sobre a interação e as relações. • Primo (2011, p. 111) apresenta o pensamento de Fisher (1982), que mostra que o relacionamento é sempre um vindo a ser, onde a comunicação é uma cadeia de acontecimentos que estão em permanete redefinição
  23. 23. REDES SOCIAIS INTERAÇÃO REATIVA | INTERAÇÃO MÚTUA INTERAÇÃO MÚTUA • Historicidade É flagrante que as redes de conversação de que participamos vida afora são retecidas a cada momento contigentemente, trazendo para o presente de nossas atividades na linguagem, para nossas interações, ao mesmo tempo o fluir de nossa história e o fluir das circustâncias Apesar de existir o aspecto da historicidade, não podemos estabelecer um marco inicial: “este tipo de interação não é determinado pelas características isoladas de alguma parte nem pelas suas condições inciais, o estágio temporário atual da interação mútua é a própria e melhor explicação do sistema em questão.” (PRIMO, p. 116).
  24. 24. REDES SOCIAIS INTERAÇÃO REATIVA | INTERAÇÃO MÚTUA INTERAÇÃO REATIVA • a interação reativa está baseada em ações predeterminadas por um pólo, bastando ao receptor escolher qual ação tomar a partir de um banco de dados • Interação mutua – fluxo dinâmico Interação Reativa – fluxo determinado (se A então B) •interação reativa como uma interface potencial e a reação mútua como interface virtual •“o virtual é um complexo problemático, enquanto o potencial é um conjunto de possíveis que aguardam por sua realização.” (PRIMO, p. 88).
  25. 25. O FACEBOOK COMO VOCÊ ESTÁ? •O Facebook nasceu em 2003, fundado por um grupo de alunos de Harvard, entre eles Mark Zuckerberg. •Expansão • redes de ensino superior (2005) – redes ensino médio (2005) – Qualquer pessoa que tivesse uma conta de email (2006). •Usuários •2005: 5 milhões •2006: 12 milhões •2007: 58 milhões •2009: 360 milhões •2013: + 1 bilhão
  26. 26. O FACEBOOK COMO VOCÊ ESTÁ? • Maior site de armazenamento de fotos do mundo (140 bilhões de fotos) •Principais ferramentas •Plataforma API: Desenvolvimento de aplicativos • Botões Sociais •Feed de Notíciais •Fotos e vídeos
  27. 27. PESQUISA CATEGORIAS DE AVALIAÇÃO
  28. 28. PESQUISA NÍVEIS DE INTERATIVIDADE
  29. 29. PESQUISA NÍVEIS DE INTERATIVIDADE Opção curtir aparece no mini feed
  30. 30. PESQUISA NÍVEIS DE INTERATIVIDADE Opção comentar aparece no mini feed, mas também criar uma ligação maior entre os usuários
  31. 31. PESQUISA NÍVEIS DE INTERATIVIDADE Opção comentar aparece no mini feed e no feed daquele que se propos a compartilhar
  32. 32. PESQUISA NÍVEIS DE INTERATIVIDADE
  33. 33. PESQUISA MENSAGENS a) Controle Ideológico b) Codificação c) Contrapropaganda d) Difusão
  34. 34. PESQUISA MENSAGENS a) Controle Ideológico “todas as formas utilizadas para que determinados indivíduos e grupos não tenham condições de perceber sua realidade” (GARCIA, 1999, p. 53) b) Codificação c) Contrapropaganda d) Difusão
  35. 35. PESQUISA MENSAGENS a) Controle Ideológico b) Codificação refere-se ao tratamente que se dá a uma mensagem para que determinado público consiga recebe-la e processa-la c) Contrapropaganda d) Difusão
  36. 36. PESQUISA MENSAGENS a) Controle Ideológico b) Codificação c) Contrapropaganda é uma forma de desqualificar a mensagem do opositor, sem necessariamente ter que criar argumentos para o seu próprio discurso. d) Difusão
  37. 37. A DISPUTA APRESENTAÇÃO DOS DADOS E OBSERVAÇÕES • •
  38. 38. A DISPUTA APRESENTAÇÃO DOS DADOS E OBSERVAÇÕES Fan Page Lúdio Tabela Base Foto Agosto F/FOTO F/VIDEO F/LINK F/MSG F/ALBUM TOTAL 772 0 10 176 0 CURTIR(1) COMENTAR(2) COMP(3) F/FOTO 330 46 262 F/VIDEO 0 0 0 F/LINK 46 9 32 F/MSG 1377 157 1782 F/ALBUM 0 0 0
  39. 39. A DISPUTA APRESENTAÇÃO DOS DADOS E OBSERVAÇÕES Fan Page Lúdio Tabela Base Foto Setembro F/FOTO F/VIDEO F/LINK F/MSG F/ALBUM TOTAL 1430 0 10 221 0 CURTIR(1) COMENTAR(2) COMP(3) F/FOTO 776 106 547 F/VIDEO 0 0 0 F/LINK 0 9 32 F/MSG 3452 362 7856 F/ALBUM 0 0 0
  40. 40. A DISPUTA APRESENTAÇÃO DOS DADOS E OBSERVAÇÕES Fan Page Mauro Tabela Base Foto Agosto F/FOTO F/VIDEO F/LINK F/MSG F/ALBUM TOTAL 19 0 0 54 0 CURTIR(1) COMENTAR(2) COMP(3) F/FOTO 42 13 53 F/VIDEO 0 0 0 F/LINK 0 0 0 F/MSG 2566 353 889 F/ALBUM 0 0 0
  41. 41. A DISPUTA APRESENTAÇÃO DOS DADOS E OBSERVAÇÕES Fan Page Mauro Tabela Base Foto Setembro F/FOTO F/VIDEO F/LINK F/MSG F/ALBUM TOTAL 499 0 0 150 0 CURTIR(1) COMENTAR(2) COMP(3) F/FOTO 894 152 378 F/VIDEO 0 0 0 F/LINK 0 0 0 F/MSG 7226 879 3565 F/ALBUM 0 0 0
  42. 42. A DISPUTA APRESENTAÇÃO DOS DADOS E OBSERVAÇÕES • A postagem das fotos obteve um nível muito menor de interatividade nas fan pages do que as fotos e mensagens pois buscava atender pequenos nichos. •Fotos e mensagens, na grande parte das postagens referia-se a artes produzidas pelas equipes. Muitas levando em conta aspectos da “cultura da convergência”
  43. 43. A DISPUTA APRESENTAÇÃO DOS DADOS E OBSERVAÇÕES • Há também um número expressivo de artes para divulgação de eventos ligados a campanha, como comícios, reuniões, agenda. O que mostra que o espaço virtual também é muito importante para organizar os correligionários. •artes contribuem muito para a propagação da propaganda ideológica. Afinal, a maioria das artes contém pequenos drops, com propostas, pensamentos, ações feitas pelo candidato, que permitem a fácil assimilação das ideias por parte do ator social. Enquadrando-se assim, no processo de codificação das mensagens • As artes também apresentam uma tentativa de simplificar, compactar a mensagem política, auxiliando no processo de difusão.
  44. 44. A DISPUTA APRESENTAÇÃO DOS DADOS E OBSERVAÇÕES Fan Page Lúdio Tabela Base Mensagem Agosto M/FOTO M/VIDEO M/LINK M/MSG M/ALBUM TOTAL 169 30 79 21 0 CURTIR(1) COMENTAR(2) COMP(3) M/FOTO 1377 157 1782 MVIDEO 125 9 164 M/LINK 279 14 82 M/MSG 46 15 1 M/ALBUM 21 0 0
  45. 45. A DISPUTA APRESENTAÇÃO DOS DADOS E OBSERVAÇÕES Fan Page Lúdio Tabela Base Mensagem Setembro M/FOTO M/VIDEO M/LINK M/MSG M/ALBUM TOTAL 221 48 95 40 0 CURTIR(1) COMENTAR(2) COMP(3) M/FOTO 3452 362 7856 MVIDEO 212 16 316 M/LINK 229 43 359 M/MSG 65 16 7 M/ALBUM 21 0 0
  46. 46. A DISPUTA APRESENTAÇÃO DOS DADOS E OBSERVAÇÕES Fan Page Mauro Tabela Base Mensagem Agosto M/FOTO M/VIDEO M/LINK M/MSG M/ALBUM TOTAL 54 2 14 0 0 CURTIR(1) COMENTAR(2) COMP(3) M/FOTO 2566 353 889 MVIDEO 24 1 0 M/LINK 106 2 7 M/MSG 0 0 0 M/ALBUM 0 0 0
  47. 47. A DISPUTA APRESENTAÇÃO DOS DADOS E OBSERVAÇÕES Fan Page Mauro Tabela Base Mensagem Setembro M/FOTO M/VIDEO M/LINK M/MSG M/ALBUM TOTAL 54 2 14 0 0 CURTIR(1) COMENTAR(2) COMP(3) M/FOTO 2566 353 889 MVIDEO 24 1 0 M/LINK 106 2 7 M/MSG 0 0 0
  48. 48. A DISPUTA APRESENTAÇÃO DOS DADOS E OBSERVAÇÕES Mensagem e vídeo • Produção de vídeos dos candidatos resumiu-se a algumas coberturas de eventos, e raros foram os vídeos com produção exclusiva para Internet, Mauro Mendes seguiu linha ainda mais conservadora, produzindo apenas um vídeo como conteúdo exclusivo para a Internet. No caso dos dados apresentados, o motivo do vídeo ainda gera mais interação, segundo a nossa classificação, é que o candidato postou muitas músicas que gostava nos links da música, não veiculando a qualquer propaganda ideológica.
  49. 49. A DISPUTA APRESENTAÇÃO DOS DADOS E OBSERVAÇÕES Mensagem e links •Percebeu-se que boa parte dos posts levava o usuário ao blog de colaboradores da campanha, responsável por divulgar as principais informações da campanha. Outra parte dos links eram para sites externos, também com notícias positivas sobre o candidato. Estes blogs funcionam como um importante serviço de propaganda ideológica, além da difusão, eles também enquadram-se na categoria controle ideológico, já que muitos daqueles argumentos alimentam as discussões daqueles que apoiam o candidato.
  50. 50. A DISPUTA APRESENTAÇÃO DOS DADOS E OBSERVAÇÕES Mensagem •No caso do candidato Lúdio, as mensagem que possuiam um nível de interatividade maior eram aquelas postadas pela própria fan page. Constatamos que a grande maioria das mensagens postadas dos fãs para o mural da página não eram respondidas (ao menos por aquele caminho). Há inclusive postagens que indagam: “vocês podem responder a minha pergunta?”. Já na Fan Page do candidato Mauro Mendes, não foi possível achar nenhum post feito por usuários na página do candidato. Há a possibilidade desta opção ter sido restringida pelo administrador da página. O eleitor teria apenas o canal de mensagem direta para comunicar-se com o candidato ou sua equipe.,
  51. 51. CONSIDERAÇOES Vimos que, apesar dos conteúdos de ambos candidatos atingirem altos níveis de interatividade, sendo compartilhados por muitos atores dentro do Facebook, a campanha online não obteve tanta repercussão, sendo dominada principalmente pelos meios de comunicação tradicionais. ~
  52. 52. CONSIDERAÇOES Podemos considerar alguns fatores que contribuem para este panorama. O primeiro é de que Cuiabá possuí um quadro político muito bem estratificado, com suas lideranças muito bem definidas. Esta estrutura reflete também a praxis política, inclusive em campanhas políticas. Assim, a Internet ainda não é vista com um papel relevante frente aos meios tradicionais. ~
  53. 53. CONSIDERAÇOES Não é possível mostrar com exatidão como o público das Fan Pages dos candidatos é composto. Mas através do conteúdo veiculado podemos constatar que as Fan Pages foram espaços organizados para a militância, e não para novos eleitores. O uso de muitos argumentos referentes a propaganda ideológica e também a pouca importância em disponibilizar contato direto com atores na rede reflete um caráter mais funcional da rede, usada apenas para repassar discursos para cabos e apoiadores. ~
  54. 54. CONSIDERAÇOES Por fim, o uso tímido do Facebook nas eleições de Cuiabá pode ser visto apenas como um reflexo do que ocorre de uma maneira mais ampla: o desinteresse pelos assuntos relativos à política dentro da rede. Usando uma pesquisa recente feita em outra rede social – o Twitter – que monitorou os tópicos mais discutidos no Brasil no primeiro trimestre de 2013 mostra que “política” é um dos temas menos discutidos pelos atores da rede (2%). Enquanto isso, assuntos relativos a mídia tradicional dominam os tópicos mais populares. ~
  55. 55. CONSIDERAÇOES Esta falta de interesse talvez seja um dos fatores que contribuem para os candidatos atuarem com mais força em mídias chamadas por Jenkins de “empurrada”, em que as mensagens chegam ao público independente da vontade de recebê-las. Se existe pouco interesse do ator em assuntos políticos na Internet, transformar esta mídia - que normalmente é alimentada por aqueles que possuem um grande interesse no assunto - também em uma mídia empurrada não chega a ser uma má estratégia. ~
  56. 56. CONSIDERAÇOES Cabe aos candidatos agora, saber como inserir, dar voz a essas pessoas que querem participar mais ativamente da política. Apesar dos grandes níveis de interação observados nos posts deste trabalho, o fato dos dois candidatos estabelecerem um contato, (ou no caso de Mauro Mendes, nem disponibilizar local para contato), demonstram que os rumos eleitorais ainda são guiados a mão de ferro. ~

×