Ti aplicada à logística

5.167 visualizações

Publicada em

Para mais detalhes veja o vídeo desta aula em:

https://www.youtube.com/watch?v=Wz89ZXFvEjs

  • Seja o primeiro a comentar

Ti aplicada à logística

  1. 1. INFORMAÇÃO & PLANEJAMENTO Prof. Wilian Gatti Junior
  2. 2. A evolução do computador 1801 o tecelão francês, Joseph-Marie Jacquard, construiu uma máquina de tear comandada por cartões (ou placas) perfurados e enfileirados. Com a utilização de placas perfuradas era possível controlar teares, que passavam a fazer desenhos pré- estabelecidos. Dessa forma, Jacquard criava o que podemos considerar o primeiro sistema de armazenamento de informações para automação de funções. Nota: esse processo desencadeou uma revolta popular, pois temia-se que ele gerasse desemprego nas tecelagens. Fonte: Côrtes (2008)
  3. 3. A evolução do computador 1834 Charles Babbage inventava a Máquina Analítica (o projeto nunca foi concluído durante a vida de Babbage, devido às constantes inovações introduzidas). Essa máquina possuía dispositivos de entrada para ler cartões perfurados com instruções a serem executadas. Além disso, possuía unidade de memória na qual se guardavam informações para uso futuro e também um dispositivo de impressão de cartões. Por esse projeto, Babbage é considerado, por muitos, o Pai do Computador. Fonte: Côrtes (2008)
  4. 4. A evolução do computador Herman Hollerith, nos Estados Unidos, inventou uma máquina para auxiliar na tabulação dos dados do censo americano de 1890. Com essa máquina os dados do censo americano foram processados em apenas seis semanas. O censo anterior havia consumido sete anos, utilizando o processo tradicional. Hollerith foi o fundador da Tabulating Machine Company em 1826. Essa empresa cresceu e passou a chamar-se International Business Machines ou IBM. Fonte: Côrtes (2008)
  5. 5. A evolução do computador 1946 nos EUA surgia o ENIAC (Eletronic Numeric Integrator Analyser and Computer). Ele contava com 18.000 válvulas, 10.000 capacitores, milhares de relês e resistores, além de milhares de quilômetros de fios e cabos. O ENIAC ocupava 170 m, pesava 30 ton e conseguia efetuar 5000 operações por segundo, tendo sido projetado originalmente para cálculos de trajetórias de mísseis.Fonte: Côrtes (2008)
  6. 6. A evolução do computador 1968 Ted Hoff e seu time na Intel iniciam o desenvolvimento de um chip com 2.300 transistores em uma área de 3 x 4 mm. Em 1971 é lançado comercialmente o Intel 4004
  7. 7. A evolução do computador Com o avanço da indústria eletrônica, os circuitos integrados passaram a ser mais poderosos e mais baratos. Em meados dos anos 1970 já era razoavelmente comum a utilização de calculadoras eletrônicas em cursos técnicos, por exemplo. Em 1975 surgia o que podemos chamar de o primeiro microcomputador, produzido pela MITS (Micro Instrumentation and Telemetry Systems). O Altair 8800 podia ser encontrado tanto em kits para montar quanto já montado.Fonte: Côrtes (2008)
  8. 8. A evolução do computador Com o lançamento do Altair 8800, Gates e Allen resolvem desenvolver uma versão do Basic (linguagem de programação) para ele. Tendo sido aceitos para desenvolver a primeira linguagem de programação para o primeiro microcomputador, Gates larga Harvard e junto com Paul Allen funda a Microsoft.Fonte: Côrtes (2008)
  9. 9. A evolução do computador Em 1976 Steve Wozniak e Steve Jobs lançavam o Apple, construído na garagem dos pais de Jobs. Apple III e III plus1980 Apple II e II plus 1977 e 1979 Apple I - 1976Fonte: Côrtes (2008)
  10. 10. A evolução do computador O Apple II foi um enorme sucesso comercial. Em 1981 a IBM lançava o PC (Personal Computer), um microcomputador com maior capacidade de processamento do que o Apple II. A Microsoft convenceu a IBM a adotar o seu sistema operacional DOS como uma das opções para o IBM-PC. Fonte: Côrtes (2008)
  11. 11. 1960 - 1980 1980 - 1990 1990 - presente EQUIPAMENTO Teradyne, Nikon, Canon, Milipore,... MATERIAIS Monsanto, Sumitomo, Shipley,... COMPONENTES Intel, Micron, Quantum, Komag,... C PROJETO DO PRODUTO O IBM, Compaq, Dell, Gateway, HP,... I N D B T IBM, Compaq,... Solectron, Celestica,... MONTAGEM I M R G O SISTEMA OPERACIONAL I Microsoft L T SOFTWARE APLICATIVO A Microsoft, Lotus, Borland,... D L A VENDAS E DISTRIBUIÇÃO CompUSA,... Dell,... T A SERVIÇOS DE CAMPO ConsultoresFonte: Christensen et al. (2001) apud Laurindo e Carvalho (2005)
  12. 12. A evolução do computador Apple IIe Com Interface Gráfica (Lisa) 1983 A Apple lança um sistema operacional gráfico O alto custo do Lisa (mais de US$ 10 mil) dificultou suas vendas. Em 1984 foi lançado o Macintosh. O Macintosh foi uma revisão do Lisa, com menor performance porém com custo bastante reduzido. Fonte: Côrtes (2008)
  13. 13. A evolução do computador Microsoft lança o Windows 1.0 em 1985 Fonte: Côrtes (2008)
  14. 14. A world wide web
  15. 15. Ondas de Transformação(Alvin Toffler) Fonte: Pereira (1995)
  16. 16. Variação da Forma de Competir Produção Produção Produção em Massa Enxuta Pós-Industrial Ford/GM Toyota Dell COMPETITIVIDADE FUTURA? Flexibilidade Inovação Custos Qualidade Customização •Futuro •Pequnas e médias empresas •Serviços Fonte: Paiva et al. (2009)
  17. 17. O que é umsistema?
  18. 18. Atividades de um sistema ENTRADA PROCESSAMENTO SAÍDA FEEDBACK
  19. 19. A visão sistêmica da empresa Entrada de Processos de Saída de Matérias-Primas Fabricação Produtos Acabados Fonte: adaptado de O’Brien (2006)
  20. 20. o que é umsistema deinformações?
  21. 21. Sistema de informaçõesUm conjunto de componentes inter-relacionados que coleta (ou recupera),processa, armazena e distribuiinformações destinadas a apoiar atomada de decisões e o controle emuma organização. Fonte: Laudon e Laudon (2003)
  22. 22. Sistema de informação Fonte: Laudon e Laudon (2003)
  23. 23. A Internet e a Cadeia de Suprimentos Parceiros e Clientes Fornecedores Comércio Eletrônico Portais de NegóciosEmpresas Portais de Consumo Fonte: Flores (2005)
  24. 24. Tecnologia aplicada à logística Processament o e Montagem Planejamento Movimentação Execução Manuseio e Embalagem FLUXO FLUXO DE Automação DE na Logística Comunicação MATERIAIS INFORMAÇÕES Estocagem Controle Concepção Transporte Fonte: Banzato (2005)
  25. 25. Tecnologia x Pessoas SISTEMAS DE AUTOMAÇÃO E PESSOAS Resultados Obtidos B Sistemas 3 e Pessoas 2 Pessoas C A 1 1 2 3 Tempo Fonte: Banzato (2005)
  26. 26. PlanejamentoReúne as soluções para a coleta e processamento de dados para o planejamento logístico:• Previsão de Vendas (Forecast);• CRM (Customer Relationship Management);• SRM (Supplier Relationship Management);• ERP (Enterprise Resources Planning);• MRP (Material Requirements Planning);• MRPII (Manufacturing Resources Planning);• DRP (Distribution Resources Planning);• APS (Advanced Plannig and Scheduling).
  27. 27. ExecuçãoSão as soluções que efetivamente executam as atividades logísticas:• WMS (Warehouse Management System);• TMS (Transportation Management System);• MES (Manufacturing Execution System).
  28. 28. ComunicaçãoSão soluções empregadas na transmissão de informações, integrando sistemas, empresas e pessoas:• EDI (Electronic Data Interchange);• Código de Barras;• Radiofreqüência;• Sistemas controlados por voz;• Sistemas controlados pela luz;• RFID.
  29. 29. ControleSão as soluções utilizadas para a visualização dos indicadores estratégicos do negócio (KPI – Key Performance Indicators) por meio do monitoramento auxiliado pelas seguintes ferramentas:• EIS (Executive Information System) – sistema de informação executiva;• DSS (Decision Suport System) – sistema de suporte a decisão.
  30. 30. ConcepçãoSão os softwares utilizados na confecção de projetos:• CAD (Computer Aided Design);• CAE (Computer Aided Engineering);• CAM (Computer Aided Manufacturing);• Simuladores.
  31. 31. PLANEJAMENTO
  32. 32. Evolução histórica ´60 Bill of materials BOM automatizada Evolução dos computadores MRP MRP - Material ´70 Requirements Planning BOM MRPII MRP MRPII - Manufacturing ´80 Resource Planning BOM ERP MRPII ERP - Enterprise MRP ´90 Resource Planning BOM
  33. 33. MRP Lapiseira P207 Corpo Presilha Miolo Corpo da Guia da Tampa externo 207 de bolso 207 ponteira ponteira 10g .01g 2g Plástico Corante Tira ABS azul .1 mm 4x Borracha Capa da Miolo Grafite borracha interno 207 0.7 mm2 cm 2g 3x Fio de Tira Mola Corpo do Suporte Capa Garras borracha .1 mm miolo da garra da garra 7g .05g Plástico Corante ABS preto Fonte: Corrêa; Gianesi e Caon (1997)
  34. 34. Relações pai-filho no MRP LAPISEIRA Liber. de Ordens 300 200 500 500 1000 MIOLO 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Nec. Brutas 300 200 500 500 1000 LOTE Rec. Progr. MÍNIMO 300 Estoque Disp. 350 350 50 50 150 150 150 0 0 0 0 LT = 1 Ordens Planejadas 300 350 500 1000 Lapiseira ES = 0 Liber. de Ordens 300 350 500 1000 P207 GRAFITE 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Nec. Brutas 1200 1400 2000 4000 LOTE Rec. Progr. Miolo MÚLTIPLO 500 Estoque Disp. 250 250 250 550 550 550 650 650 650 650 650 LT = 2 Ordens Planejadas 1500 1500 2000 4000 4x ES = 250 Liber. de Ordens 1500 1500 2000 4000 Miolo interno Grafite MIOLO INTERNO 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Nec. Brutas 300 350 500 1000 3x LOTE Rec. Progr. 300 Suporte LOTE A LOTE Estoque Disp. 300 300 300 300 300 300 300 300 300 300 300 da garra Garras LT = 3 Ordens Planejadas 350 500 1000 ES = 300 Liber. de Ordens 350 500 1000 SUPORTE GARRA 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Nec. Brutas 350 500 1000 LOTE Rec. Progr. MÍNIMO 500 Estoque Disp. 120 120 120 270 270 270 100 100 100 100 100 LT = 2 Ordens Planejadas 500 500 830 ES = 100 Liber. de Ordens 500 500 830 GARRA 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Nec. Brutas 1050 1500 3000 LOTE Rec. Progr. MÍNIMO 1500 Estoque Disp. 450 450 450 900 900 900 150 150 150 150 150Fonte: Corrêa; LT = 1 Ordens Planejadas 1500 1500 2250Gianesi e Caon ES = 150 Liber. de Ordens 1500 1500 2250(1997)
  35. 35. Considerando os lead times C o r p o p o n te ir a P lá s tic o LT = 2 A B S (1 0 g ) G u ia p o n t LT = 1 LT = 1 C o rp o e x te rn o LT = 2 C o ra n te a z u l P r e s ilh a (.0 1 g ) LT = 1 L a p is e i r a LT = 2 T ir a .1 m m (2 g ) Tam pa LT = 1 LT = 1 LT = 1 C a p a d a g a rra F io d e b o rra c h a LT = 3 (2 c m ) B o rra ch a P lá s tic o M o la LT = 1 LT = 1 A B S (7 g ) LT = 1 LT = 1 M io lo in te r n o LT = 3 C o r p o d o m io lo M io lo C o r a n te p re to LT = 2 T ir a Capa da .1 m m (2 g ) b o r r a c h a LT = 1 (.0 5 g ) G a rra (3 ) LT = 2 LT = 1 LT = 1 LT = 1 G ra fite (4 ) S u p o r te d a g a rr a LT = 2 LT = 2 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 OC c a p a d a g a rra O C m o la OC f io OP b o rra c h a OP m io l o P e d id o 1000 1000 20 m 1000 1000 OP la p is e ir a la p is e ir a OC c o r a n te OP c o rp o OP m i o lo i n t . 1000 1000 0 ,0 5 k g 1000 1000 OC t ir a OP capa OP g u ia OC ABS OC g a rra 2 kg 1000 1000 7 kg OC 3000 O C g r a f ite OC c o r p oO C ta m p a s u p o rte OC c o ra n te 4000 1000 1000 0 ,0 1 k g 1000 OC ABS OC OC p r e s ilh aFonte: Corrêa; Gianesi e Caon (1997) 10 kg tir a 2 kg 1000
  36. 36. Observações sobre lead times Emissão da Espera em Movimen- ordem Fila Setup Processamento tação Emissão do Tempo de entrega pedido do fornecedor Inspeção Ordem Necessidade Recebimento Ordem Necessidade Recebimento LT estimado tardio tardio LT estimado FALTA FALTA LT real LT real Recebimento Recebimento Recebimento Recebimento antecipado antecipado ESTOQUE ESTOQUE Fonte: Corrêa; Gianesi e Caon (1997)
  37. 37. Sistema MRP II - O CRP Capa da garra Fio de borracha LT = 3 (2cm) Borracha Plástico Mola LT = 1 LT = 1 CAPACIDADE ABS (7g) LT = 1 LT = 1 Miolo interno LT = 3 Corpo do miolo Miolo Tira Carga do centro Corante preto LT = 2 .1 mm Capa da LT = 1 (.05g) (2g) borracha devida a outras Garra (3) LT = 2 LT = 1 LT = 1 ordens / produtos LT = 1 Grafite (4) Suporte da garra LT = 2 LT = 2 tempo OPmiolo int. =350 estouro de fila 20 min setup + capacidade!! prep. + proc. 350 X 2 min/peça = carga de 720 min limite de capacidade Setor montagem miolo interno 14 15 16 17 18 19 20 Fonte: Corrêa; Gianesi e Caon (1997)
  38. 38. MRP/MRPII S&OP S&OP estratégias plano de orçamento vendas agregado plano de produção Gestão de Gestão de agregado Demanda Demanda lista de política de recursos, RCCP RCCP MPS MPS estoques tempos plano mestre Comando de produção estruturas, parâmetros centros produtivos, roteiros, CRP CRP MRP MRP tempos posição de estoques plano detalhado Motor de materiais e capacidade Compras Compras SFC SFC programa de programa detalhado de Rodas fornecedores produção Fonte: Corrêa; Gianesi e Caon (1997)
  39. 39. Estrutura hierárquica do MRPIIPlanejamento/ Longo mês 1 mês 2 mês 3 mês 12programação SOP prazo FamíliasCapacidade Materiais Médio sem 1 sem 2 sem 3 sem 4 sem 5 sem 6 sem 11sem 12 RCCP MPS prazo Produtos Curto sem 1 sem 2 sem 3 sem 4 CRP MRP prazo ComponentesControle seg ter qua qui sex sab Compras SFC Curtíssimo Operações prazo desagregação Fonte: Corrêa; Gianesi e Caon (1997)
  40. 40. Abrangência do MRP e do MRPII O QUE MRP sistema de QUANTO MRP II apoio às decisões de QUANDO COMO (RECURSOS PRODUTIVOS) Produzir e Comprar Fonte: Corrêa; Gianesi e Caon (1997)
  41. 41. ERP - Características• Sistema aplicativo que serve como infraestrutura básica de informações para toda a empresa.• Integra processos, proporcionando visão geral do negócio.• Traz o grande benefício de haver um único banco de dados, uma única aplicação e uma interface unificada• Basicamente um sistema transacional. Algumas alternativas de produtos englobam sistemas de informações gerenciais e para executivos Fonte: Laurindo e Mesquita (2000)
  42. 42. Estrutura básica ERP Vendas/ previsão DRP Faturamento Gestão de ERP transportes SOP Workflow Contabilidade geral RCCP MPS MRP II Gestão de ativos Custos CRP MRP Folha de pagamento Recursos Humanos PUR SFC Gestão financeira Contas a pagar Manutenção Contas a Recebimento receber fiscal Fonte: Corrêa; Gianesi e Caon (1997)
  43. 43. ERP - Prós• Tecnologia embutida: – disseminação de boas práticas – sistema testado em muitas empresas – acompanhamento da evolução da tecnologia• Integração das aplicações• Expectativa de custo menor• Integração operacional (em especial em multinacionais)• Eliminação dos “sistemas legados” Fonte: Laurindo et al. (2005b)
  44. 44. ERP - Contras• Elimina (ou pelo menos diminui) a diferenciação entre empresas. Isto pode ser estrategicamente arriscado.• Filosofia alienígena provoca dificuldades nas mudanças dos processos (a empresa tem que se adaptar ao sistema em muitos aspectos).• Dificuldade de implantação de todos os módulos (impacto na integração!) Fonte: Laurindo et al. (2005b)
  45. 45. Tipos e Estratégias de Implantação• Pacotes• Melhor da categoria (best of breed – bob)• Desenvolvimento proprio• Implantação de todos módulos do ERP: “big bang”• Implantação módulo a módulo:“small bangs”
  46. 46. APS• Advanced Planning & Schedulling System• Softwares de otimização de toda a cadeia de suprimentos, que envolve desde o planejamento da demanda, produção e distribuição, possibilitando conectar as decisões logísticas e administrá-las de maneira integrada.
  47. 47. EXECUÇÃO
  48. 48. WMS Locação de material Movimentação Recebimento ou física expedição Controle de Qualidade Armazenagem Gestão de Controle de Embalagem Armazém Produtos oumatéria prima Picking Inventario e packing Gestão Embarque físico Montagem de de recursos Cargas
  49. 49. TMSDecisões no transporte Funcionalidades• Nível Estratégico • Monitoramento e Controle – Definição da Rede Logística • Apoio à Negociação e Auditoria de – Decisão de Utilização de Modais Frete – Decisão da Propriedade da Frota • Planejamento e Execução• Nível Tático – Planejamento de Transportes – Seleção e Contratação de Transportadores – Gestão sobre o Transporte Inbound – Análise de Frete Retorno• Nível Operacional – Programação de Transportes Fonte: Marques (2002)
  50. 50. TMS Fonte: Marques (2002)
  51. 51. TMS Fonte: Marques (2002)
  52. 52. COMUNICAÇÃO
  53. 53. EDI
  54. 54. EDI
  55. 55. Sistema GPSsub-sistema de satélites - segmento aéreo• O sub-sistema de satélites é constituído pelos 24 satélites orbitando a terra em ciclos de 12 horas. As órbitas dos satélites foram escolhidas de modo que de qualquer ponto da Terra se possam ver entre 5 e 8 satélites. Fonte: Dilão (2007)
  56. 56. Sistema GPSsub-sistema de controle - segmento terrestreO sub-sistema de controle é constituído por várias estações terrestres. Nestas estações terrestres são observadas as trajetória dos vários satélites GPS e é atualizada com grande precisão o tempo. Esta informação é transmitida aos satélites. Com estes dados, o sistema informático em cada um dos satélites recalcula e corrige a sua posição absoluta e corrige a informação que é enviada para a Terra. A estação primária de controle da constelação GPS está localizada nos Estados Unidos, no estado do Colorado. Fonte: Dilão (2007)
  57. 57. Sub-sistema de controlesegmento terrestre
  58. 58. Sistema GPS sub-sistema do utilizador • O sub-sistema do utilizador é constituído por um receptor de rádio com uma unidade de processamento capaz de decodificar em tempo real a informação enviada por cada satélite e calcular a posição. Cada satélite envia sinais de características diferentes em intervalos de 30 em 30 segundos e de 6 em 6 segundos. Para haver uma determinação precisa da posição são necessários pelo menos de 12 minutos e 30 segundos de boa recepção dos vários tipos de sinais enviados. Fonte: Dilão (2007)
  59. 59. Rastreamento de veículos O OBC (Computador de Bordo - On Border Computer) é um equipamento voltado para aplicações de segurança e utilizado principalmente por empresas que precisam de ferramentas de gerenciamento de risco. O OBC gerencia sensores e atuadores queO Terminal de informam aos clientes, em tempo real, o status doComunicação Móvel veículo e de alguns componentes(MCT) é umequipamento decomunicação digital,bidirecional, via satélite.
  60. 60. GTIN-13 (EAN 13) A B C D 789 12345 6789 5 País Empresa Produto D.C. 3 dígitos 6,5 ou 4 dígitos 3, 4 ou 5 dígitos dígito de controle concedidos pela concedidos pela elaborados pela (cálculoGS1 (789 = Brasil) GS1 BRASIL empresa para algoritmo). identificar cada item.
  61. 61. GTIN-8 (EAN 8) A B C 789 1234 2 País Produto D.C. 3 dígitos concedidos 4 dígitos concedidos dígito de controle pela GS1 (789 = Brasil) pela GS1 BRASIL (cálculo algoritmo)
  62. 62. RFID
  63. 63. Faixas de Frequência• Os Sistemas de Baixa Freqüência – 30KHz a 500KHz – leitura em curta distância de leitura – baixo custo operacional – utilizados em controles de acesso, identificação e rastreabilidade de produtos, entre outras coisas• Os Sistemas de Alta Freqüência – de 850MHz a 950MHz e de 2,4GHz a 2,5GHz – leitura em média e longa distâncias e leituras a alta velocidade – utilizados em veículos e para coleta automática de dados Fonte: GS1 Brasil
  64. 64. EPC Global Fonte: GS1 Brasil
  65. 65. Cadeia de Suprimentos (antes...) Fonte: GS1 Brasil
  66. 66. Cadeia de Suprimentos (depois...) Fonte: GS1 Brasil

×