SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 39
Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 04.09.2016 às 17h.Lição 27
Escola Bíblica Dominical
Jesus e a Felicidade
Mateus 5
“Bem-aventurados os limpos de coração,
porque eles verão a Deus” (Mt 5.8)
Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP
A felicidade ensinada por Jesus envolve
conceitos e valores sublimes, que só
podem ser apreendidos por aqueles que
são iluminados pelo Espírito Santo.
Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP
Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:
 Definir e conceituar a expressão “bem-aventurança”;
 Reconhecer que a verdadeira felicidade está baseada na plena
comunhão com Deus através de Jesus Cristo;
 Relacionar e distinguir as nove bem-aventuranças ensinadas por
Jesus no Sermão da Montanha.
Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP
I. CONCEITOS IMPORTANTES
1. Origem da expressão
2. Bem-aventurado
II. OS POBRES, OS QUE CHORAM E OS MANSOS
1. Os pobres de espírito (v.3)
2. Os que choram (v.4)
3. Os mansos (v.5)
III. OS FAMINTOS E SEDENTOS DE JUSTIÇA, OS MISERICORDIOSOS E OS
LIMPOS DE CORAÇÃO
1. Os famintos e sedentos de justiça (v.6)
2. Os misericordiosos (v.7)
3. Os limpos de coração (v.8)
IV. OS PACIFICADORES, OS PERSEGUIDOS E OS INJURIADOS
1. Os pacificadores (v.9)
2. Os perseguidos (v.10)
3. Os injuriados (v.11)
Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP
Bem-aventuranças: são descrições
que devem ser encontradas na vida dos
que se submetem ao domínio soberano
de Deus.
Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP
Mateus 5.3-11
Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP
No mundo, as pessoas têm um conceito
materialista de felicidade. Na mente da
maioria, ser feliz é ter bastante dinheiro, um
bom casamento, um emprego seguro, uma
família ajustada. Sem dúvida, tudo isso é
desejável e pode ser visto como elementos
que contribuem para um estado de espírito
feliz.
Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP
Porém, a verdadeira felicidade começa,
quando a pessoa se sente em comunhão com
Deus, através de Jesus Cristo, e passa a
desfrutar a “paz de Deus, que excede todo o
entendimento” e guarda os corações e “os
sentimentos em Cristo Jesus” (Fp 4.7). No
Sermão da Montanha, Jesus explanou sua
visão, mostrando quem são as pessoas
felizes, através das nove bem-aventuranças.
Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP
Bem-aventurança significa
“grande felicidade, a glória,
a felicidade perfeita”. A
palavra vem do grego
makarismós, com o
sentido de “felicidade”.
Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP
1. Origem da expressão
Vem do grego, makários,
identificando um indivíduo
feliz, bem-aventurado, “livre
de sofrimentos e
preocupações”. Para os
judeus, uma pessoa bem-
aventurada deveria ser
próspera materialmente.
Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP
2. Bem-aventurado
Para o cristão, o conceito de
bem-aventurança extrapola
a ideia dos gregos e dos
judeus. O crente em Jesus
pode ser feliz, alegre ou
triste, sorrindo ou chorando,
desde que suas lutas sejam
decorrentes da fidelidade ao
Senhor, e como pertencente
ao Reino de Deus.
Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP
2. Bem-aventurado
São bem-aventurados os
humildes de espírito, que se
sentem sempre
dependentes de Deus. A
eles pertence o Reino dos
céus. Não se deve confundir
com alguém que seja fraco
de espírito.
Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP
1. Os pobres de espírito (v.3)
Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP
No Sermão da Montanha,
quer dizer uma pessoa que,
espiritualmente, é
totalmente dependente de
Deus, para a solução de
seus problemas. O pobre de
espírito não é um alienado,
que abdica de sua
personalidade, nem precisa
viver como um monge.
1. Os pobres de espírito (v.3)
Tem o mesmo sentido do
que disse Davi: “Clamou
este pobre e o Senhor o
ouviu...” (Sl 34.6). Essas
pessoas são espiritualmente
riquíssimas!
Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP
1. Os pobres de espírito (v.3)
Em contraste com a visão
do homem do mundo, que
gasta milhões para rir,
buscando a felicidade, Jesus
afirma que são muito felizes
os que choram.
Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP
2. Os que choram (v.4)
São os que choram por
causas dos pecados e se
arrependem; são os que
choram, sentindo pelos
outros; esse choro traz
alegria, paz e conforto; eles
serão consolados (Ap
7.17).
Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP
2. Os que choram (v.4)
Neste mundo, a ideia
dominante é a de que uma
pessoa mansa é fraca, por
não agredir, não revidar as
ofensas. Na visão de Cristo,
é diferente. O manso é uma
pessoa forte.
Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP
3. Os mansos (v.5)
É capaz de suportar com
equilíbrio as afrontas, as
calúnias, as injúrias. Um
fraco não suporta. É uma
pessoa muito feliz. Aos
mansos é prometido que
herdarão a terra, sem
precisar invadir
propriedades alheias.
Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP
3. Os mansos (v.5)
Certo irmão pensava que
esse versículo se referia a
pessoas que têm fome e
sede de vingança. Mas não
é isso que Jesus ensinou.
Quanto à vingança, a Bíblia
diz que pertence a Deus
(Rm 12.19).
Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP
1. Os famintos e sedentos de justiça (v.6)
O que Ele ensinou é que são
felizes os que desejam a
justiça de Deus; sua
retidão. Primeiro, para suas
vidas (Rm 5.1). Depois, que
os outros sejam abençoados
pela graça e pela justiça de
Deus em suas vidas. A
promessa é de que serão
fartos.
Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP
1. Os famintos e sedentos de justiça (v.6)
No sentido popular,
misericórdia significa
“compaixão suscitada pela
miséria alheia”. No Novo
Testamento, o sentido tem a
ver com alguém capaz de se
colocar no lugar do outro,
sentindo sua dor, seu
sofrimento.
Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP
2. Os misericordiosos (v.7)
Os misericordiosos têm a
promessa de que alcançarão
misericórdia. É preciso ter
cuidado, pois o juízo será
severo contra quem não usa
de misericórdia (Tg 2.13).
Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP
2. Os misericordiosos (v.7)
São muito felizes os que
têm o coração limpo e puro,
ante o “Raio-X” de Deus,
que é a sua Palavra.
Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP
3. Os limpos de coração (v.8)
Na Palavra de Deus, limpo
de coração é aquele “que
não entrega a sua alma à
vaidade, nem jura
enganosamente” (Sl 24.4).
Esses têm a promessa de
que verão a Deus.
Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP
3. Os limpos de coração (v.8)
Estes são os que promovem
a paz. No grego paz é
eirene e em hebraico,
shalom. Na Bíblia, a paz de
Deus não significa apenas
ausência de guerra, de
problemas, mas se refere a
um estado de bem-estar
pleno.
Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP
1. Os pacificadores (v.9)
A bem-aventurança dos
pacificadores contraria o
espírito agressivo que
domina o mundo presente.
Em muitas igrejas, há
pessoas em guerra contra
outras.
Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP
1. Os pacificadores (v.9)
Em muitos lares, há um
campo de batalha. Por quê?
Simplesmente porque não
dão lugar ao fruto do
Espírito Santo, que lhes dá
paz (Gl 5.22).
Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP
1. Os pacificadores (v.9)
O pacificador é alguém que,
antes de tudo, tem paz em
si mesmo. E é capaz de dar
de comer e de beber ao
inimigo (Rm 12.20). Esses
serão chamados filhos de
Deus.
Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP
1. Os pacificadores (v.9)
Como pode ser muito feliz
uma pessoa perseguida?
Esta pergunta pode ser feita
pela lógica do homem
natural. Notemos que a
bem-aventurança é para os
perseguidos “por causa da
justiça”
Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP
2. Os perseguidos (v.10)
Hoje, fica difícil entender
esse conceito ensinado por
Jesus. Os cristãos primitivos
o entenderam muito bem.
Foram crucificados,
entregues às feras,
queimados vivos, amarrados
aos postes, untados com
óleo, para servirem de
“lâmpadas” no palácio de
Nero.
Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP
2. Os perseguidos (v.10)
Os crentes, no início da
evangelização do Brasil,
foram perseguidos por
causa da justiça de Deus.
Ainda hoje, há quem sofra
perseguição por causa do
evangelho.
Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP
2. Os perseguidos (v.10)
A esses o Senhor promete
que “deles é o reino dos
céus”. É preciso seguir o
ensino de Jesus sobre o que
o mundo pode fazer conosco
(Jo 15.18-20; ver 1 Pe 2.18-
25).
Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP
2. Os perseguidos (v.10)
Os injuriados, no texto, são
os perseguidos por algum
tipo de agressão verbal,
acusados injustamente pelo
fato de serem servos do
Reino de Deus. Contra eles,
dizem todo o mal por causa
de Jesus.
Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP
3. Os injuriados (v.11)
Nos primórdios do
evangelho pentecostal,
crentes eram acusados por
padres de serem
“comedores de crianças”,
filhos do Diabo, etc.
Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP
3. Os injuriados (v.11)
Hoje, há quem sofra injúria
e perseguição por ser crente
em repartições, em
empresas, e, infelizmente,
até algumas igrejas, por não
compartilharem das
injustiças que o mundo
perpetra contra a Igreja do
Senhor.
Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP
3. Os injuriados (v.11)
Mas aos que permanecerem fiéis ao Rei
Jesus, é prometido que o seu galardão
é grande nos céus.
Conclusão:
As bem-aventuranças, proclamadas por
Jesus, se constituem uma das mais belas
páginas das Escrituras Sagradas. Nelas,
vemos um elevadíssimo padrão ético-
espiritual, o qual, em conjunto com os
demais ensinos do Sermão da Montanha,
ainda não foi alcançado por muitos que se
dizem cristãos.
Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP
Conclusão:
É fácil buscar felicidade no hedonismo ou
no liberalismo. Difícil é ser feliz por ser
humilde, por chorar, ser manso, sedento de
justiça, misericordioso, limpo de coração,
pacificador, perseguido e injuriado. Mas
para cada um desses, há promessas
gloriosas, que só os vencedores por Cristo
alcançarão.
Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP
Estudo disponível no
www.facebook.com/EBDFrutosparaVida
Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

2 Coríntios Capítulo 10 - Paulo defende seu ministério
2 Coríntios Capítulo 10 - Paulo defende seu ministério2 Coríntios Capítulo 10 - Paulo defende seu ministério
2 Coríntios Capítulo 10 - Paulo defende seu ministérioMárcio Pereira
 
Lição 12 - A Impiedade Decorrente dos Falsos Ensinos
Lição 12 - A Impiedade Decorrente dos Falsos EnsinosLição 12 - A Impiedade Decorrente dos Falsos Ensinos
Lição 12 - A Impiedade Decorrente dos Falsos EnsinosÉder Tomé
 
Lição 13 – Orando sem Cessar
Lição 13 – Orando sem CessarLição 13 – Orando sem Cessar
Lição 13 – Orando sem CessarÉder Tomé
 
Estudos de Romanos - Parte 2
Estudos de Romanos - Parte 2Estudos de Romanos - Parte 2
Estudos de Romanos - Parte 2Camila Guimarães
 
Espirito santo-e-fogo
Espirito santo-e-fogoEspirito santo-e-fogo
Espirito santo-e-fogoMinerva Souza
 
Lição 6 O consolo de Deus em meio à aflição
Lição 6   O consolo de Deus em meio à afliçãoLição 6   O consolo de Deus em meio à aflição
Lição 6 O consolo de Deus em meio à afliçãoWander Sousa
 
Slides aviva, ó senhor, a tua obra
Slides   aviva, ó senhor, a tua obraSlides   aviva, ó senhor, a tua obra
Slides aviva, ó senhor, a tua obraAbdias Barreto
 
43 2 pedro e judas
43 2 pedro e judas43 2 pedro e judas
43 2 pedro e judasPIB Penha
 
Epistolas paulinas e gerais lição 4 hebreus e tiago
Epistolas paulinas e gerais lição 4   hebreus e tiagoEpistolas paulinas e gerais lição 4   hebreus e tiago
Epistolas paulinas e gerais lição 4 hebreus e tiagoNatalino das Neves Neves
 
38 1 e 2 timoteo=
38   1 e 2 timoteo=38   1 e 2 timoteo=
38 1 e 2 timoteo=PIB Penha
 
Lição 2 - 12 DE julho de 2015 -
Lição  2 - 12 DE julho de 2015 - Lição  2 - 12 DE julho de 2015 -
Lição 2 - 12 DE julho de 2015 - Tcc Final
 
Lição 2 - O Propósito dos Dons Espirituais
Lição 2 - O Propósito dos Dons EspirituaisLição 2 - O Propósito dos Dons Espirituais
Lição 2 - O Propósito dos Dons EspirituaisÉder Tomé
 
Liç reavivamento: nossa grande necessidade 132013
Liç reavivamento: nossa grande necessidade 132013Liç reavivamento: nossa grande necessidade 132013
Liç reavivamento: nossa grande necessidade 132013Gerson G. Ramos
 
2 Coríntios capítulo 12 - As glórias no sofrimento cristão
2 Coríntios capítulo 12 - As glórias no sofrimento cristão2 Coríntios capítulo 12 - As glórias no sofrimento cristão
2 Coríntios capítulo 12 - As glórias no sofrimento cristãoMárcio Pereira
 
Lição 12 - Exortações Finais na Grande Maratona da Fé
Lição 12 - Exortações Finais na Grande Maratona da FéLição 12 - Exortações Finais na Grande Maratona da Fé
Lição 12 - Exortações Finais na Grande Maratona da FéÉder Tomé
 
Lição 4 paulo, a vocação para ser apóstolo
Lição 4 paulo, a vocação para ser apóstoloLição 4 paulo, a vocação para ser apóstolo
Lição 4 paulo, a vocação para ser apóstoloMarcus Wagner
 

Mais procurados (20)

2 Coríntios Capítulo 10 - Paulo defende seu ministério
2 Coríntios Capítulo 10 - Paulo defende seu ministério2 Coríntios Capítulo 10 - Paulo defende seu ministério
2 Coríntios Capítulo 10 - Paulo defende seu ministério
 
Lição 12 - A Impiedade Decorrente dos Falsos Ensinos
Lição 12 - A Impiedade Decorrente dos Falsos EnsinosLição 12 - A Impiedade Decorrente dos Falsos Ensinos
Lição 12 - A Impiedade Decorrente dos Falsos Ensinos
 
Lição 13 – Orando sem Cessar
Lição 13 – Orando sem CessarLição 13 – Orando sem Cessar
Lição 13 – Orando sem Cessar
 
Lição 07 artigo
Lição 07   artigoLição 07   artigo
Lição 07 artigo
 
Estudos de Romanos - Parte 2
Estudos de Romanos - Parte 2Estudos de Romanos - Parte 2
Estudos de Romanos - Parte 2
 
Espirito santo-e-fogo
Espirito santo-e-fogoEspirito santo-e-fogo
Espirito santo-e-fogo
 
Lição 6 O consolo de Deus em meio à aflição
Lição 6   O consolo de Deus em meio à afliçãoLição 6   O consolo de Deus em meio à aflição
Lição 6 O consolo de Deus em meio à aflição
 
Slides aviva, ó senhor, a tua obra
Slides   aviva, ó senhor, a tua obraSlides   aviva, ó senhor, a tua obra
Slides aviva, ó senhor, a tua obra
 
43 2 pedro e judas
43 2 pedro e judas43 2 pedro e judas
43 2 pedro e judas
 
Epistolas paulinas e gerais lição 4 hebreus e tiago
Epistolas paulinas e gerais lição 4   hebreus e tiagoEpistolas paulinas e gerais lição 4   hebreus e tiago
Epistolas paulinas e gerais lição 4 hebreus e tiago
 
38 1 e 2 timoteo=
38   1 e 2 timoteo=38   1 e 2 timoteo=
38 1 e 2 timoteo=
 
Cartas Gerais
Cartas GeraisCartas Gerais
Cartas Gerais
 
Lição 2 - 12 DE julho de 2015 -
Lição  2 - 12 DE julho de 2015 - Lição  2 - 12 DE julho de 2015 -
Lição 2 - 12 DE julho de 2015 -
 
Lição 2 - O Propósito dos Dons Espirituais
Lição 2 - O Propósito dos Dons EspirituaisLição 2 - O Propósito dos Dons Espirituais
Lição 2 - O Propósito dos Dons Espirituais
 
Liç reavivamento: nossa grande necessidade 132013
Liç reavivamento: nossa grande necessidade 132013Liç reavivamento: nossa grande necessidade 132013
Liç reavivamento: nossa grande necessidade 132013
 
2 Coríntios capítulo 12 - As glórias no sofrimento cristão
2 Coríntios capítulo 12 - As glórias no sofrimento cristão2 Coríntios capítulo 12 - As glórias no sofrimento cristão
2 Coríntios capítulo 12 - As glórias no sofrimento cristão
 
Aviva Ó Senhor a Tua Obra
Aviva Ó Senhor a Tua ObraAviva Ó Senhor a Tua Obra
Aviva Ó Senhor a Tua Obra
 
Livro de tiago 1.1 5.20
Livro de tiago 1.1 5.20Livro de tiago 1.1 5.20
Livro de tiago 1.1 5.20
 
Lição 12 - Exortações Finais na Grande Maratona da Fé
Lição 12 - Exortações Finais na Grande Maratona da FéLição 12 - Exortações Finais na Grande Maratona da Fé
Lição 12 - Exortações Finais na Grande Maratona da Fé
 
Lição 4 paulo, a vocação para ser apóstolo
Lição 4 paulo, a vocação para ser apóstoloLição 4 paulo, a vocação para ser apóstolo
Lição 4 paulo, a vocação para ser apóstolo
 

Destaque

Lição 31 As consequências das escolhas precipitadas
Lição 31   As consequências das escolhas precipitadasLição 31   As consequências das escolhas precipitadas
Lição 31 As consequências das escolhas precipitadasWander Sousa
 
Lição 36 as limitações dos discípulos
Lição 36   as limitações dos discípulosLição 36   as limitações dos discípulos
Lição 36 as limitações dos discípulosWander Sousa
 
Lição 32 Fé em meio às injustiças
Lição 32   Fé em meio às injustiçasLição 32   Fé em meio às injustiças
Lição 32 Fé em meio às injustiçasWander Sousa
 
Lição 37 O fruto do Espírito — a plenitude de Cristo na vida do crente
Lição 37   O fruto do Espírito — a plenitude de Cristo na vida do crenteLição 37   O fruto do Espírito — a plenitude de Cristo na vida do crente
Lição 37 O fruto do Espírito — a plenitude de Cristo na vida do crenteWander Sousa
 
Lição 19 Imoralidade
Lição 19   ImoralidadeLição 19   Imoralidade
Lição 19 ImoralidadeWander Sousa
 
Lição 34 O propósito da tentação
Lição 34   O propósito da tentaçãoLição 34   O propósito da tentação
Lição 34 O propósito da tentaçãoWander Sousa
 
Lição 33 Desafios de um casamento
Lição 33   Desafios de um casamentoLição 33   Desafios de um casamento
Lição 33 Desafios de um casamentoWander Sousa
 
Métodos de ensino para a EBD
Métodos de ensino para a EBDMétodos de ensino para a EBD
Métodos de ensino para a EBDAmor pela EBD
 
New Housing New York: Built Project South Bronx (Bloomberg + EPA + AIA Propos...
New Housing New York: Built Project South Bronx (Bloomberg + EPA + AIA Propos...New Housing New York: Built Project South Bronx (Bloomberg + EPA + AIA Propos...
New Housing New York: Built Project South Bronx (Bloomberg + EPA + AIA Propos...Makrand Bhoot
 
Perspectiva a lo largo del tiempo de nuestra cooperativa y del movimiento aso...
Perspectiva a lo largo del tiempo de nuestra cooperativa y del movimiento aso...Perspectiva a lo largo del tiempo de nuestra cooperativa y del movimiento aso...
Perspectiva a lo largo del tiempo de nuestra cooperativa y del movimiento aso...Koynos Cooperativa Valenciana
 
Analisis Kebijakan Internasional
Analisis Kebijakan InternasionalAnalisis Kebijakan Internasional
Analisis Kebijakan InternasionalNovia Anwar
 
2013.11.07 Reporting Back
2013.11.07 Reporting Back2013.11.07 Reporting Back
2013.11.07 Reporting BackMAYDAY.US
 
Implementing innovation and commercialisation - Stuart Abbott, Zoë Prytherch ...
Implementing innovation and commercialisation - Stuart Abbott, Zoë Prytherch ...Implementing innovation and commercialisation - Stuart Abbott, Zoë Prytherch ...
Implementing innovation and commercialisation - Stuart Abbott, Zoë Prytherch ...HEA_AH
 

Destaque (20)

Lição 31 As consequências das escolhas precipitadas
Lição 31   As consequências das escolhas precipitadasLição 31   As consequências das escolhas precipitadas
Lição 31 As consequências das escolhas precipitadas
 
Lição 36 as limitações dos discípulos
Lição 36   as limitações dos discípulosLição 36   as limitações dos discípulos
Lição 36 as limitações dos discípulos
 
Lição 32 Fé em meio às injustiças
Lição 32   Fé em meio às injustiçasLição 32   Fé em meio às injustiças
Lição 32 Fé em meio às injustiças
 
Lição 37 O fruto do Espírito — a plenitude de Cristo na vida do crente
Lição 37   O fruto do Espírito — a plenitude de Cristo na vida do crenteLição 37   O fruto do Espírito — a plenitude de Cristo na vida do crente
Lição 37 O fruto do Espírito — a plenitude de Cristo na vida do crente
 
Lição 19 Imoralidade
Lição 19   ImoralidadeLição 19   Imoralidade
Lição 19 Imoralidade
 
Lição 34 O propósito da tentação
Lição 34   O propósito da tentaçãoLição 34   O propósito da tentação
Lição 34 O propósito da tentação
 
Lição 33 Desafios de um casamento
Lição 33   Desafios de um casamentoLição 33   Desafios de um casamento
Lição 33 Desafios de um casamento
 
Métodos de ensino para a EBD
Métodos de ensino para a EBDMétodos de ensino para a EBD
Métodos de ensino para a EBD
 
New Housing New York: Built Project South Bronx (Bloomberg + EPA + AIA Propos...
New Housing New York: Built Project South Bronx (Bloomberg + EPA + AIA Propos...New Housing New York: Built Project South Bronx (Bloomberg + EPA + AIA Propos...
New Housing New York: Built Project South Bronx (Bloomberg + EPA + AIA Propos...
 
Work3-50
Work3-50Work3-50
Work3-50
 
S4 tarea4 golom
S4 tarea4 golomS4 tarea4 golom
S4 tarea4 golom
 
Perspectiva a lo largo del tiempo de nuestra cooperativa y del movimiento aso...
Perspectiva a lo largo del tiempo de nuestra cooperativa y del movimiento aso...Perspectiva a lo largo del tiempo de nuestra cooperativa y del movimiento aso...
Perspectiva a lo largo del tiempo de nuestra cooperativa y del movimiento aso...
 
Thanksgiving
ThanksgivingThanksgiving
Thanksgiving
 
Production and cost
Production and costProduction and cost
Production and cost
 
sand_filter
sand_filtersand_filter
sand_filter
 
7th april map discussion
7th april map discussion7th april map discussion
7th april map discussion
 
Analisis Kebijakan Internasional
Analisis Kebijakan InternasionalAnalisis Kebijakan Internasional
Analisis Kebijakan Internasional
 
S4 tarea4 golom
S4 tarea4 golomS4 tarea4 golom
S4 tarea4 golom
 
2013.11.07 Reporting Back
2013.11.07 Reporting Back2013.11.07 Reporting Back
2013.11.07 Reporting Back
 
Implementing innovation and commercialisation - Stuart Abbott, Zoë Prytherch ...
Implementing innovation and commercialisation - Stuart Abbott, Zoë Prytherch ...Implementing innovation and commercialisation - Stuart Abbott, Zoë Prytherch ...
Implementing innovation and commercialisation - Stuart Abbott, Zoë Prytherch ...
 

Semelhante a Lição 27 Jesus e a felicidade

AS VIRTUDES DOS SALVOS EM CRISTO – Lição 05 – Escola Dominical
AS VIRTUDES DOS SALVOS EM CRISTO – Lição 05 – Escola DominicalAS VIRTUDES DOS SALVOS EM CRISTO – Lição 05 – Escola Dominical
AS VIRTUDES DOS SALVOS EM CRISTO – Lição 05 – Escola Dominicalyosseph2013
 
Lição 14 Cura Divina
Lição 14   Cura DivinaLição 14   Cura Divina
Lição 14 Cura DivinaWander Sousa
 
Lição 12 Confiando firmemente em Deus
Lição 12   Confiando firmemente em DeusLição 12   Confiando firmemente em Deus
Lição 12 Confiando firmemente em DeusWander Sousa
 
A boa noticia que vem do ceu rm 1 1 17
A boa noticia que vem do ceu rm 1 1 17A boa noticia que vem do ceu rm 1 1 17
A boa noticia que vem do ceu rm 1 1 17Decio Da Costa Costa
 
Apresentação com estudos sobre a ética do sermão do monte
Apresentação com estudos sobre a ética do sermão do monteApresentação com estudos sobre a ética do sermão do monte
Apresentação com estudos sobre a ética do sermão do monteJoão Eduardo
 
Arevelaobsicanasescriturassagradas 110324204623-phpapp02
Arevelaobsicanasescriturassagradas 110324204623-phpapp02Arevelaobsicanasescriturassagradas 110324204623-phpapp02
Arevelaobsicanasescriturassagradas 110324204623-phpapp02antonio ferreira
 
Lição 22 Terceira idade
Lição 22   Terceira idadeLição 22   Terceira idade
Lição 22 Terceira idadeWander Sousa
 
Lição 5 Os Dons Espirituais
Lição 5   Os Dons EspirituaisLição 5   Os Dons Espirituais
Lição 5 Os Dons EspirituaisWander Sousa
 
Aula 2 O Homem Aprovado pela família - Rev. Márcio Abreu.pptx
Aula 2 O Homem Aprovado pela família - Rev. Márcio Abreu.pptxAula 2 O Homem Aprovado pela família - Rev. Márcio Abreu.pptx
Aula 2 O Homem Aprovado pela família - Rev. Márcio Abreu.pptxJosMauroPiresCoutinh
 
EBD Revista Palavra e Vida 4T2014 Aula 6: A razão da segurança dos salvos
EBD Revista Palavra e Vida 4T2014 Aula 6: A razão da segurança dos salvosEBD Revista Palavra e Vida 4T2014 Aula 6: A razão da segurança dos salvos
EBD Revista Palavra e Vida 4T2014 Aula 6: A razão da segurança dos salvosAndre Nascimento
 
Boletim dominical nº 29 fagundes dia 20.09.2015 1
Boletim dominical nº 29 fagundes dia 20.09.2015 1Boletim dominical nº 29 fagundes dia 20.09.2015 1
Boletim dominical nº 29 fagundes dia 20.09.2015 1Edvaldo Miranda
 
Boletim dominical nº 29 fagundes dia 20.09.2015
Boletim dominical nº 29 fagundes dia 20.09.2015Boletim dominical nº 29 fagundes dia 20.09.2015
Boletim dominical nº 29 fagundes dia 20.09.2015Edvaldo Miranda
 
Lições do santuário para p gs
Lições do santuário   para p gsLições do santuário   para p gs
Lições do santuário para p gsJailson Noronha
 
TREINAMENTO PARA EVANGELISMO
TREINAMENTO PARA EVANGELISMOTREINAMENTO PARA EVANGELISMO
TREINAMENTO PARA EVANGELISMOigrejafecrista
 
2013 3 tri lição 10 - a alegria do salvo em cristo
2013 3 tri lição 10 - a alegria do salvo em cristo2013 3 tri lição 10 - a alegria do salvo em cristo
2013 3 tri lição 10 - a alegria do salvo em cristoNatalino das Neves Neves
 
Discipulado-para-o-batismo-consciente.pdf
Discipulado-para-o-batismo-consciente.pdfDiscipulado-para-o-batismo-consciente.pdf
Discipulado-para-o-batismo-consciente.pdfJooAlbertoSoaresdaSi
 

Semelhante a Lição 27 Jesus e a felicidade (20)

AS VIRTUDES DOS SALVOS EM CRISTO – Lição 05 – Escola Dominical
AS VIRTUDES DOS SALVOS EM CRISTO – Lição 05 – Escola DominicalAS VIRTUDES DOS SALVOS EM CRISTO – Lição 05 – Escola Dominical
AS VIRTUDES DOS SALVOS EM CRISTO – Lição 05 – Escola Dominical
 
Lição 14 Cura Divina
Lição 14   Cura DivinaLição 14   Cura Divina
Lição 14 Cura Divina
 
Lição 12 Confiando firmemente em Deus
Lição 12   Confiando firmemente em DeusLição 12   Confiando firmemente em Deus
Lição 12 Confiando firmemente em Deus
 
A revelação básica nas escrituras sagradas
A revelação básica nas escrituras sagradasA revelação básica nas escrituras sagradas
A revelação básica nas escrituras sagradas
 
A boa noticia que vem do ceu rm 1 1 17
A boa noticia que vem do ceu rm 1 1 17A boa noticia que vem do ceu rm 1 1 17
A boa noticia que vem do ceu rm 1 1 17
 
Apresentação com estudos sobre a ética do sermão do monte
Apresentação com estudos sobre a ética do sermão do monteApresentação com estudos sobre a ética do sermão do monte
Apresentação com estudos sobre a ética do sermão do monte
 
Arevelaobsicanasescriturassagradas 110324204623-phpapp02
Arevelaobsicanasescriturassagradas 110324204623-phpapp02Arevelaobsicanasescriturassagradas 110324204623-phpapp02
Arevelaobsicanasescriturassagradas 110324204623-phpapp02
 
Lição 22 Terceira idade
Lição 22   Terceira idadeLição 22   Terceira idade
Lição 22 Terceira idade
 
Lição 5 Os Dons Espirituais
Lição 5   Os Dons EspirituaisLição 5   Os Dons Espirituais
Lição 5 Os Dons Espirituais
 
Lição 05 artigo
Lição 05   artigoLição 05   artigo
Lição 05 artigo
 
Aula 2 O Homem Aprovado pela família - Rev. Márcio Abreu.pptx
Aula 2 O Homem Aprovado pela família - Rev. Márcio Abreu.pptxAula 2 O Homem Aprovado pela família - Rev. Márcio Abreu.pptx
Aula 2 O Homem Aprovado pela família - Rev. Márcio Abreu.pptx
 
EBD Revista Palavra e Vida 4T2014 Aula 6: A razão da segurança dos salvos
EBD Revista Palavra e Vida 4T2014 Aula 6: A razão da segurança dos salvosEBD Revista Palavra e Vida 4T2014 Aula 6: A razão da segurança dos salvos
EBD Revista Palavra e Vida 4T2014 Aula 6: A razão da segurança dos salvos
 
Boletim dominical nº 29 fagundes dia 20.09.2015 1
Boletim dominical nº 29 fagundes dia 20.09.2015 1Boletim dominical nº 29 fagundes dia 20.09.2015 1
Boletim dominical nº 29 fagundes dia 20.09.2015 1
 
Boletim dominical nº 29 fagundes dia 20.09.2015
Boletim dominical nº 29 fagundes dia 20.09.2015Boletim dominical nº 29 fagundes dia 20.09.2015
Boletim dominical nº 29 fagundes dia 20.09.2015
 
Lições do santuário para p gs
Lições do santuário   para p gsLições do santuário   para p gs
Lições do santuário para p gs
 
Pensar certo ou errado
Pensar certo ou erradoPensar certo ou errado
Pensar certo ou errado
 
TREINAMENTO PARA EVANGELISMO
TREINAMENTO PARA EVANGELISMOTREINAMENTO PARA EVANGELISMO
TREINAMENTO PARA EVANGELISMO
 
Osbem aventurados pg
Osbem aventurados pgOsbem aventurados pg
Osbem aventurados pg
 
2013 3 tri lição 10 - a alegria do salvo em cristo
2013 3 tri lição 10 - a alegria do salvo em cristo2013 3 tri lição 10 - a alegria do salvo em cristo
2013 3 tri lição 10 - a alegria do salvo em cristo
 
Discipulado-para-o-batismo-consciente.pdf
Discipulado-para-o-batismo-consciente.pdfDiscipulado-para-o-batismo-consciente.pdf
Discipulado-para-o-batismo-consciente.pdf
 

Mais de Wander Sousa

Lição 40 O perigo das obras da carne
Lição 40   O perigo das obras da carneLição 40   O perigo das obras da carne
Lição 40 O perigo das obras da carneWander Sousa
 
Lição 39 Integridade em tempos de crise
Lição 39   Integridade em tempos de criseLição 39   Integridade em tempos de crise
Lição 39 Integridade em tempos de criseWander Sousa
 
Lição 38 Ídolos
Lição 38   ÍdolosLição 38   Ídolos
Lição 38 ÍdolosWander Sousa
 
Lição 35 o cuidado com a língua
Lição 35   o cuidado com a línguaLição 35   o cuidado com a língua
Lição 35 o cuidado com a línguaWander Sousa
 
Dons Ministeriais | Três aulas
Dons Ministeriais | Três aulasDons Ministeriais | Três aulas
Dons Ministeriais | Três aulasWander Sousa
 
Lição 28 O poder da evangelização na família
Lição 28   O poder da evangelização na famíliaLição 28   O poder da evangelização na família
Lição 28 O poder da evangelização na famíliaWander Sousa
 
Lição 25 Cuidado com as pequenas coisas
Lição 25   Cuidado com as pequenas coisasLição 25   Cuidado com as pequenas coisas
Lição 25 Cuidado com as pequenas coisasWander Sousa
 
Lição 24 Desafios de um Casamento
Lição 24   Desafios de um CasamentoLição 24   Desafios de um Casamento
Lição 24 Desafios de um CasamentoWander Sousa
 
Lição 23 Depressão, a doença da alma
Lição 23   Depressão, a doença da almaLição 23   Depressão, a doença da alma
Lição 23 Depressão, a doença da almaWander Sousa
 
Lição 20 Renúncia
Lição 20   RenúnciaLição 20   Renúncia
Lição 20 RenúnciaWander Sousa
 
Lição 18 Apostasia da Fé
Lição 18   Apostasia da FéLição 18   Apostasia da Fé
Lição 18 Apostasia da FéWander Sousa
 
Lição 17 Os efeitos do mundanismo na família
Lição 17   Os efeitos do mundanismo na famíliaLição 17   Os efeitos do mundanismo na família
Lição 17 Os efeitos do mundanismo na famíliaWander Sousa
 
Lição 16 A sedução das drogas
Lição 16   A sedução das drogasLição 16   A sedução das drogas
Lição 16 A sedução das drogasWander Sousa
 
Lição 15 O amor a Deus e ao próximo
Lição 15   O amor a Deus e ao próximoLição 15   O amor a Deus e ao próximo
Lição 15 O amor a Deus e ao próximoWander Sousa
 
Lição 13 Líderes e Liderados
Lição 13   Líderes e LideradosLição 13   Líderes e Liderados
Lição 13 Líderes e LideradosWander Sousa
 
Lição 11 A Páscoa
Lição 11   A PáscoaLição 11   A Páscoa
Lição 11 A PáscoaWander Sousa
 
Lição 10 Discipulado, a missão educadora da igreja
Lição 10   Discipulado, a missão educadora da igrejaLição 10   Discipulado, a missão educadora da igreja
Lição 10 Discipulado, a missão educadora da igrejaWander Sousa
 

Mais de Wander Sousa (17)

Lição 40 O perigo das obras da carne
Lição 40   O perigo das obras da carneLição 40   O perigo das obras da carne
Lição 40 O perigo das obras da carne
 
Lição 39 Integridade em tempos de crise
Lição 39   Integridade em tempos de criseLição 39   Integridade em tempos de crise
Lição 39 Integridade em tempos de crise
 
Lição 38 Ídolos
Lição 38   ÍdolosLição 38   Ídolos
Lição 38 Ídolos
 
Lição 35 o cuidado com a língua
Lição 35   o cuidado com a línguaLição 35   o cuidado com a língua
Lição 35 o cuidado com a língua
 
Dons Ministeriais | Três aulas
Dons Ministeriais | Três aulasDons Ministeriais | Três aulas
Dons Ministeriais | Três aulas
 
Lição 28 O poder da evangelização na família
Lição 28   O poder da evangelização na famíliaLição 28   O poder da evangelização na família
Lição 28 O poder da evangelização na família
 
Lição 25 Cuidado com as pequenas coisas
Lição 25   Cuidado com as pequenas coisasLição 25   Cuidado com as pequenas coisas
Lição 25 Cuidado com as pequenas coisas
 
Lição 24 Desafios de um Casamento
Lição 24   Desafios de um CasamentoLição 24   Desafios de um Casamento
Lição 24 Desafios de um Casamento
 
Lição 23 Depressão, a doença da alma
Lição 23   Depressão, a doença da almaLição 23   Depressão, a doença da alma
Lição 23 Depressão, a doença da alma
 
Lição 20 Renúncia
Lição 20   RenúnciaLição 20   Renúncia
Lição 20 Renúncia
 
Lição 18 Apostasia da Fé
Lição 18   Apostasia da FéLição 18   Apostasia da Fé
Lição 18 Apostasia da Fé
 
Lição 17 Os efeitos do mundanismo na família
Lição 17   Os efeitos do mundanismo na famíliaLição 17   Os efeitos do mundanismo na família
Lição 17 Os efeitos do mundanismo na família
 
Lição 16 A sedução das drogas
Lição 16   A sedução das drogasLição 16   A sedução das drogas
Lição 16 A sedução das drogas
 
Lição 15 O amor a Deus e ao próximo
Lição 15   O amor a Deus e ao próximoLição 15   O amor a Deus e ao próximo
Lição 15 O amor a Deus e ao próximo
 
Lição 13 Líderes e Liderados
Lição 13   Líderes e LideradosLição 13   Líderes e Liderados
Lição 13 Líderes e Liderados
 
Lição 11 A Páscoa
Lição 11   A PáscoaLição 11   A Páscoa
Lição 11 A Páscoa
 
Lição 10 Discipulado, a missão educadora da igreja
Lição 10   Discipulado, a missão educadora da igrejaLição 10   Discipulado, a missão educadora da igreja
Lição 10 Discipulado, a missão educadora da igreja
 

Último

Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoOração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoNilson Almeida
 
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfOrações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfStelaWilbert
 
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para AutoconhecimentoHermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para AutoconhecimentoFabioLofrano
 
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdfpdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdfnestorsouza36
 
Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............MilyFonceca
 
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaRicardo Azevedo
 
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxEspecialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxViniciusPetersen1
 
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 

Último (10)

Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoOração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
 
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfOrações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
 
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para AutoconhecimentoHermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
 
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdfpdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
 
Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............
 
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
 
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
 
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxEspecialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
 
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
 

Lição 27 Jesus e a felicidade

  • 1. Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 04.09.2016 às 17h.Lição 27 Escola Bíblica Dominical Jesus e a Felicidade Mateus 5
  • 2. “Bem-aventurados os limpos de coração, porque eles verão a Deus” (Mt 5.8) Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP
  • 3. A felicidade ensinada por Jesus envolve conceitos e valores sublimes, que só podem ser apreendidos por aqueles que são iluminados pelo Espírito Santo. Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP
  • 4. Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:  Definir e conceituar a expressão “bem-aventurança”;  Reconhecer que a verdadeira felicidade está baseada na plena comunhão com Deus através de Jesus Cristo;  Relacionar e distinguir as nove bem-aventuranças ensinadas por Jesus no Sermão da Montanha. Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP
  • 5. I. CONCEITOS IMPORTANTES 1. Origem da expressão 2. Bem-aventurado II. OS POBRES, OS QUE CHORAM E OS MANSOS 1. Os pobres de espírito (v.3) 2. Os que choram (v.4) 3. Os mansos (v.5) III. OS FAMINTOS E SEDENTOS DE JUSTIÇA, OS MISERICORDIOSOS E OS LIMPOS DE CORAÇÃO 1. Os famintos e sedentos de justiça (v.6) 2. Os misericordiosos (v.7) 3. Os limpos de coração (v.8) IV. OS PACIFICADORES, OS PERSEGUIDOS E OS INJURIADOS 1. Os pacificadores (v.9) 2. Os perseguidos (v.10) 3. Os injuriados (v.11) Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP
  • 6. Bem-aventuranças: são descrições que devem ser encontradas na vida dos que se submetem ao domínio soberano de Deus. Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP
  • 7. Mateus 5.3-11 Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP
  • 8. No mundo, as pessoas têm um conceito materialista de felicidade. Na mente da maioria, ser feliz é ter bastante dinheiro, um bom casamento, um emprego seguro, uma família ajustada. Sem dúvida, tudo isso é desejável e pode ser visto como elementos que contribuem para um estado de espírito feliz. Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP
  • 9. Porém, a verdadeira felicidade começa, quando a pessoa se sente em comunhão com Deus, através de Jesus Cristo, e passa a desfrutar a “paz de Deus, que excede todo o entendimento” e guarda os corações e “os sentimentos em Cristo Jesus” (Fp 4.7). No Sermão da Montanha, Jesus explanou sua visão, mostrando quem são as pessoas felizes, através das nove bem-aventuranças. Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP
  • 10. Bem-aventurança significa “grande felicidade, a glória, a felicidade perfeita”. A palavra vem do grego makarismós, com o sentido de “felicidade”. Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP 1. Origem da expressão
  • 11. Vem do grego, makários, identificando um indivíduo feliz, bem-aventurado, “livre de sofrimentos e preocupações”. Para os judeus, uma pessoa bem- aventurada deveria ser próspera materialmente. Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP 2. Bem-aventurado
  • 12. Para o cristão, o conceito de bem-aventurança extrapola a ideia dos gregos e dos judeus. O crente em Jesus pode ser feliz, alegre ou triste, sorrindo ou chorando, desde que suas lutas sejam decorrentes da fidelidade ao Senhor, e como pertencente ao Reino de Deus. Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP 2. Bem-aventurado
  • 13. São bem-aventurados os humildes de espírito, que se sentem sempre dependentes de Deus. A eles pertence o Reino dos céus. Não se deve confundir com alguém que seja fraco de espírito. Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP 1. Os pobres de espírito (v.3)
  • 14. Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP No Sermão da Montanha, quer dizer uma pessoa que, espiritualmente, é totalmente dependente de Deus, para a solução de seus problemas. O pobre de espírito não é um alienado, que abdica de sua personalidade, nem precisa viver como um monge. 1. Os pobres de espírito (v.3)
  • 15. Tem o mesmo sentido do que disse Davi: “Clamou este pobre e o Senhor o ouviu...” (Sl 34.6). Essas pessoas são espiritualmente riquíssimas! Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP 1. Os pobres de espírito (v.3)
  • 16. Em contraste com a visão do homem do mundo, que gasta milhões para rir, buscando a felicidade, Jesus afirma que são muito felizes os que choram. Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP 2. Os que choram (v.4)
  • 17. São os que choram por causas dos pecados e se arrependem; são os que choram, sentindo pelos outros; esse choro traz alegria, paz e conforto; eles serão consolados (Ap 7.17). Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP 2. Os que choram (v.4)
  • 18. Neste mundo, a ideia dominante é a de que uma pessoa mansa é fraca, por não agredir, não revidar as ofensas. Na visão de Cristo, é diferente. O manso é uma pessoa forte. Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP 3. Os mansos (v.5)
  • 19. É capaz de suportar com equilíbrio as afrontas, as calúnias, as injúrias. Um fraco não suporta. É uma pessoa muito feliz. Aos mansos é prometido que herdarão a terra, sem precisar invadir propriedades alheias. Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP 3. Os mansos (v.5)
  • 20. Certo irmão pensava que esse versículo se referia a pessoas que têm fome e sede de vingança. Mas não é isso que Jesus ensinou. Quanto à vingança, a Bíblia diz que pertence a Deus (Rm 12.19). Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP 1. Os famintos e sedentos de justiça (v.6)
  • 21. O que Ele ensinou é que são felizes os que desejam a justiça de Deus; sua retidão. Primeiro, para suas vidas (Rm 5.1). Depois, que os outros sejam abençoados pela graça e pela justiça de Deus em suas vidas. A promessa é de que serão fartos. Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP 1. Os famintos e sedentos de justiça (v.6)
  • 22. No sentido popular, misericórdia significa “compaixão suscitada pela miséria alheia”. No Novo Testamento, o sentido tem a ver com alguém capaz de se colocar no lugar do outro, sentindo sua dor, seu sofrimento. Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP 2. Os misericordiosos (v.7)
  • 23. Os misericordiosos têm a promessa de que alcançarão misericórdia. É preciso ter cuidado, pois o juízo será severo contra quem não usa de misericórdia (Tg 2.13). Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP 2. Os misericordiosos (v.7)
  • 24. São muito felizes os que têm o coração limpo e puro, ante o “Raio-X” de Deus, que é a sua Palavra. Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP 3. Os limpos de coração (v.8)
  • 25. Na Palavra de Deus, limpo de coração é aquele “que não entrega a sua alma à vaidade, nem jura enganosamente” (Sl 24.4). Esses têm a promessa de que verão a Deus. Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP 3. Os limpos de coração (v.8)
  • 26. Estes são os que promovem a paz. No grego paz é eirene e em hebraico, shalom. Na Bíblia, a paz de Deus não significa apenas ausência de guerra, de problemas, mas se refere a um estado de bem-estar pleno. Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP 1. Os pacificadores (v.9)
  • 27. A bem-aventurança dos pacificadores contraria o espírito agressivo que domina o mundo presente. Em muitas igrejas, há pessoas em guerra contra outras. Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP 1. Os pacificadores (v.9)
  • 28. Em muitos lares, há um campo de batalha. Por quê? Simplesmente porque não dão lugar ao fruto do Espírito Santo, que lhes dá paz (Gl 5.22). Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP 1. Os pacificadores (v.9)
  • 29. O pacificador é alguém que, antes de tudo, tem paz em si mesmo. E é capaz de dar de comer e de beber ao inimigo (Rm 12.20). Esses serão chamados filhos de Deus. Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP 1. Os pacificadores (v.9)
  • 30. Como pode ser muito feliz uma pessoa perseguida? Esta pergunta pode ser feita pela lógica do homem natural. Notemos que a bem-aventurança é para os perseguidos “por causa da justiça” Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP 2. Os perseguidos (v.10)
  • 31. Hoje, fica difícil entender esse conceito ensinado por Jesus. Os cristãos primitivos o entenderam muito bem. Foram crucificados, entregues às feras, queimados vivos, amarrados aos postes, untados com óleo, para servirem de “lâmpadas” no palácio de Nero. Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP 2. Os perseguidos (v.10)
  • 32. Os crentes, no início da evangelização do Brasil, foram perseguidos por causa da justiça de Deus. Ainda hoje, há quem sofra perseguição por causa do evangelho. Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP 2. Os perseguidos (v.10)
  • 33. A esses o Senhor promete que “deles é o reino dos céus”. É preciso seguir o ensino de Jesus sobre o que o mundo pode fazer conosco (Jo 15.18-20; ver 1 Pe 2.18- 25). Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP 2. Os perseguidos (v.10)
  • 34. Os injuriados, no texto, são os perseguidos por algum tipo de agressão verbal, acusados injustamente pelo fato de serem servos do Reino de Deus. Contra eles, dizem todo o mal por causa de Jesus. Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP 3. Os injuriados (v.11)
  • 35. Nos primórdios do evangelho pentecostal, crentes eram acusados por padres de serem “comedores de crianças”, filhos do Diabo, etc. Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP 3. Os injuriados (v.11)
  • 36. Hoje, há quem sofra injúria e perseguição por ser crente em repartições, em empresas, e, infelizmente, até algumas igrejas, por não compartilharem das injustiças que o mundo perpetra contra a Igreja do Senhor. Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP 3. Os injuriados (v.11) Mas aos que permanecerem fiéis ao Rei Jesus, é prometido que o seu galardão é grande nos céus.
  • 37. Conclusão: As bem-aventuranças, proclamadas por Jesus, se constituem uma das mais belas páginas das Escrituras Sagradas. Nelas, vemos um elevadíssimo padrão ético- espiritual, o qual, em conjunto com os demais ensinos do Sermão da Montanha, ainda não foi alcançado por muitos que se dizem cristãos. Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP
  • 38. Conclusão: É fácil buscar felicidade no hedonismo ou no liberalismo. Difícil é ser feliz por ser humilde, por chorar, ser manso, sedento de justiça, misericordioso, limpo de coração, pacificador, perseguido e injuriado. Mas para cada um desses, há promessas gloriosas, que só os vencedores por Cristo alcançarão. Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP
  • 39. Estudo disponível no www.facebook.com/EBDFrutosparaVida Av. Mariana Caligiori Ronchetti, 1139 – São Paulo - SP