Cintilografia de perfusão miocárdica na dor torácica aguda

1.724 visualizações

Publicada em

Aspectos da utilizacao da cintilografia de perfusao miocardica com dipiridamol na estratificacao do paciente com dor toracica aguda na emergencia.

Publicada em: Saúde e medicina
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Cintilografia de perfusão miocárdica na dor torácica aguda

  1. 1. 2004
  2. 2.  PCTE 52 ANOS MODERADO RISCO PARA DAC – TBG, HAS, DLP DOR TORÁCICA ATÍPICA HÁ 3 HORAS ECG SEM EVIDÊNCIAS DE ISQUEMIA AGUDA SOLICITADO MARCADORES DE NECROSE CONDUTA >> ESTRATIFICAÇÃO DE RISCO
  3. 3. PACIENTE 45 ANOSDOR TORÁCICA ATÍPICA.ECG SEM DEFINIÇÃO DIAGNÓSTICAAGUARDANDO MARCADORES.IMAGEM : REGIÃO INFEROLATERAL COMDEFEITO DE PERFUSÃO –TERRITÓRIO DE A. CIRCUNFLEXAWackers et al. :203 pcts com Imagem alterada 58% comAngina Instável.• TÁLIO.Não enxerga pequenos infartos.Parede posteriorRápida redistribuição.• SPECT Tc-99 (1989)
  4. 4. DEFEITO DE PERFUSÃO INFERO SEPTAL
  5. 5.  ESTRATIFICAR O RISCO INFORMAR SOBRE FUNÇAO VENTRICULAR A IMAGEM PODE SER FEITA HORAS APÓS A INJEÇÃO DO RADIOFÁRMACO – SNAPSHOT ALTO VALOR PREDITIVO NEGATIVO !! APLICAÇÃO DO RADIOFÁRMACO PODE SER FEITA COM PACIENTE SINTOMÁTICO OU NÃO.  APLICAR O MAIS CEDO POSSÍVEL
  6. 6. OBS.:• PEQUENOS INFARTOS NÃO SÃO VISTOS• PRINCIPALMENTE INFERIORES• HIPOPERFUSAO MÍNIMA DE 3 A 5%• IMAGEM PODE SER NORMAL APÓS VASOESPASMO
  7. 7. • ASSIM QUE POSSÍVEL!!TROMBÓLISE ESPONTANEA/REPERFUSÃO• NAO É EXCLUSIVO PARA PACIENTES SINTOMÁTICOSEM ATÉ 6 HORAS DE DOR AINDA SE MANTÉM BONS RESULTADOS• SE MAIS DE 12 HORAS PODE DIMINUIR EM 8% NÚMERO DE IMAGENS ALTERADAS (TÁLIO)• COM USO DO TECNÉCIO NAO HÁ DIFERENÇA • HIPOPERFUSÃO MIOCÁRDICA PERSISTENTE APESAR DOS SINTOMAS – PROCESSO DINÂMICO.• FRAM Et al. 40 PCTES QUE FIZERAM ATC RADIOFÁRMACO FOI INJETADO APÓS ATC DEFEITO DE PERFUSÃO MANTEVE-SE APESAR DO FLUXO CORONÁRIO NORMAL
  8. 8.  UM DOS PRINCIPAIS DETERMINANTES É O TAMANHO DA ÁREA INFARTADA, ASSIM COMO A AREA ISQUÊMICA DE RISCO. PERMITE OBTER INFORMAÇÕES MAIS COMPLETAS SOBRE O RISCO FUTURO DE EVENTOS – 2 VALORES IGUAIS DE TROPO PODEM CORRESPONDER À ÁREAS DIFERENTES E RISCOS DIFERENTES OUTROS PREDITORES: FRAÇÃO DE EJEÇÃO, VOLUME SISTÓLICO FINAL
  9. 9.  50 ANOS DOR ANGINOSA TÍPICA ECG COM SUPRA ST >> CATETERISMO/ATC
  10. 10.  PCTE DE BAIXO RISCO CARDIOVASCULAR APRESENTANDO DOR TORÁCICA. ECG NÃO DEFINE DIAGNÓSTICO. PERFUSAO MIOCÁRDICA NORMAL. QUAL A CONCLUSÃO DESSE CENÁRIO? ESSES PACIENTES APRESENTAM BAIXO RISCO DE APRESENTAREM EVENTOS CARDÍACOS <1% EM 1 MÊS E < 3% EM 1 ANO
  11. 11.  MENOR CUSTO, JÁ QUE PACIENTES SERÃO MELHOR SELECIONADOS PARA ESTRATIFICAÇÃO MENOR TAXA DE CATETERISMOS EM PACIENTES DE BAIXO RISCO. MENOR TAXA DE INTERNAÇÃO MAIOR NÚMERO DE ALTAS DIRETO DO P.S
  12. 12. SERIAR ECG MIBI E MNM INTERNAR ALTERADA PARA MELHOR IMAGEM INVESTIGAÇÃO PERFUSÃO MIOCÁRDICA NORMAL ALTA* CUIDADO COM IDOSO !

×