SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 1
Baixar para ler offline
ESPECIAL
                             REGIÃO CARBONÍFERA, TERÇA-FEIRA, 1º DE MARÇO DE 2011
                                           portaldenoticias@terra.com.br - (51) 3651.4041           5
                                                   Rodrigo
                                                   Ramazzini
                                                   rodrigoramazzini@terra.com.br




                                                   Adeus, Scliar!
                                                   Os bastidores de um encontro.
                                                      Conheci pessoalmente o escritor Moacyr Scliar
                                                   no ano de 2006. À época, eu era presidente da As-
                                                   sociação de Literatura de Charqueadas e o traría-
                                                   mos ao município para realizar uma palestra duran-
                                                   te as atividades do Sarau Literário daquele ano.
                                                   Como ocupante do cargo, coube-me acompanhar o
                                                   carro que buscaria o escritor na capital para fazer-
                                                   lhes as honras da casa. Antes da curta viagem, li-
                                                   guei para o meu amigo João Soares para contar-lhe
                                                   sobre a realização do evento, bem como do futuro
                                                   encontro com o Scliar. Lembro até hoje das pala-
                                                   vras do “Joãozinho”: “cola nele e “chupa” todo o
                                                   conhecimento que conseguires dele. O Scliar é uma
                                                   pessoa sensacional!”. Depois descobri que o João
                                                   tinha toda a razão.
                                                      Nervosismo à parte, o primeiro contato com o
                                                   escritor aconteceu na entrada do seu prédio, em
                                                   Porto Alegre. Com um sorriso no rosto, ao ver-me
                                                   gritou “fala, mestre” e cumprimentou-me com sua
                                                   singular simpatia. A partir daí, comecei o que pos-
                                                   so classificar como uma verdadeira “guerra”, pois
                                                   iniciei um bombardeio de questões sobre todos os
                                                   assuntos até retornarmos para Charqueadas.
                                                      Durante o trajeto de volta descobri porque o es-
                                                   critor era admirado não só por sua obra, mas, tam-
                                                   bém, como ser humano. Com simplicidade, paciên-
                                                   cia e bom humor, Scliar ia sanando todas as minhas
                                                   dúvidas e orientando-me como um bom professor.
                                                   Um dos ensinamentos carrego vivo até hoje: a va-
                                                   lorização dos leitores. Parece óbvio isso para quem
                                                   escreve. Porém, não é. Tratar cada leitor como um
                                                   ser único e mostrar-lhe gratidão por ele “gastar” seu
                                                   tempo lendo os textos deve ser algo sempre que
                                                   possível demonstrado. É o que eu tento fazer quan-
                                                   do há qualquer tipo de manifestação nesse sentido.
                                                      Logicamente, sou mais um dos admiradores do
                                                   trabalho do Moacyr Scliar. Possuo vários livros do
                                                   autor, mas tenho um apreço pela obra “O exército
                                                   de um homem só”. A qualidade e a quantidade da
                                                   sua produção literária são impressionantes. Dizia
                                                   ele que escrevia uma coluna de jornal em 20 minu-
                                                   tos. Sinceramente, não consigo imaginar como isso
                                                   é possível, tendo como base que, às vezes, demoro
                                                   horas para escrever meia dúzia de linhas.
                                                      Voltando a palestra, em Charqueadas. Já durante
                                                   o evento, nos sentamos ao lado um do outro. Com
                                                   um Solar Shopping lotado, ele começou a falar e a
                                                   encantar quem estava lá assistindo. Poucas vezes vi
                                                   uma plateia prestar tanta atenção no que uma pes-
                                                   soa falava. Era um silêncio só. Depois de mais de
                                                   uma hora de conversa, o Scliar agradeceu a presen-
                                                   ça de todos e me passou o microfone, questionan-
                                                   do-me baixinho “E aí, o que achou?”. Embevecido
                                                   com tudo e surpreendido pela pergunta em um tom
                                                   de impressionante humildade, apenas tive a reação
                                                   de convocar uma salva de palmas, o que foi realiza-
                                                   da por todos em pé.
                                                      Após atender os leitores, autografar vários livros
                                                   e uma breve paradinha na praça de alimentação, era
                                                   hora de fazer o caminho de volta para Porto Alegre.
                                                   Foi o momento da vingança do Scliar contra mim.
                                                   Com os papeis trocados, ele que começou a me en-
                                                   cher de perguntas. Fez isso, na maior parte do traje-
                                                   to, com uma incomum curiosidade.
                                                      Já na capital, com cordiais palavras escreveu
                                                   uma dedicatória e deu-me um autógrafo. Despedi-
                                                   mos-nos. Dois dias depois me enviou um email co-
                                                   mentando um dos meus textos que acabara de ler.
                                                   Novamente, utilizando afetuosas e generosas pala-
                                                   vras.
                                                      Essa afabilidade era a marca de um homem inte-
                                                   ressado e maravilhado com o cotidiano de pessoas
                                                   comuns, como eu. Foi uma experiência e um conta-
                                                   to que durou pouco tempo, mas que deixará os ras-
                                                   tros e os ensinamentos para o resto da vida.
                                                      Obrigado por tudo e adeus, Scliar!




pdn_368.p65   5                 28/2/2011, 20:19

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Uma Conversa Diferente
Uma Conversa DiferenteUma Conversa Diferente
Uma Conversa Diferenteelvandroburity
 
Obra literária "O caçador de palavras" de Walcyr Carrasco
Obra literária "O caçador de palavras" de Walcyr CarrascoObra literária "O caçador de palavras" de Walcyr Carrasco
Obra literária "O caçador de palavras" de Walcyr CarrascoIEE Wilcam
 
O pequeno príncipe antoine de saint
O pequeno príncipe   antoine de saintO pequeno príncipe   antoine de saint
O pequeno príncipe antoine de saintJonprof
 
Autobiografia de Erico Verissimo by José Roig
Autobiografia de Erico Verissimo by José RoigAutobiografia de Erico Verissimo by José Roig
Autobiografia de Erico Verissimo by José RoigJosé Antonio Klaes Roig
 
IV Formação : Pró Escola Formação: “Práticas de Ensino da Matemática em uma P...
IV Formação : Pró Escola Formação: “Práticas de Ensino da Matemática em uma P...IV Formação : Pró Escola Formação: “Práticas de Ensino da Matemática em uma P...
IV Formação : Pró Escola Formação: “Práticas de Ensino da Matemática em uma P...weleslima
 
Dicas para escrever, publicar e vender um livro
Dicas para escrever, publicar e vender um livroDicas para escrever, publicar e vender um livro
Dicas para escrever, publicar e vender um livroRodrigo Capella
 
O Bandeirante - n.232 - março de 2012
O Bandeirante - n.232 - março de 2012O Bandeirante - n.232 - março de 2012
O Bandeirante - n.232 - março de 2012Marcos Gimenes Salun
 
Marujo? Sim. Com muito orgulho!
Marujo? Sim. Com muito orgulho!Marujo? Sim. Com muito orgulho!
Marujo? Sim. Com muito orgulho!elvandroburity
 
Pág. miúdos 19 setembro 2010 antónio torrado
Pág. miúdos 19 setembro 2010 antónio torradoPág. miúdos 19 setembro 2010 antónio torrado
Pág. miúdos 19 setembro 2010 antónio torradomrvpimenta
 

Mais procurados (20)

Uma Conversa Diferente
Uma Conversa DiferenteUma Conversa Diferente
Uma Conversa Diferente
 
Obra literária "O caçador de palavras" de Walcyr Carrasco
Obra literária "O caçador de palavras" de Walcyr CarrascoObra literária "O caçador de palavras" de Walcyr Carrasco
Obra literária "O caçador de palavras" de Walcyr Carrasco
 
Autobiogr..
Autobiogr..Autobiogr..
Autobiogr..
 
O pequeno príncipe antoine de saint
O pequeno príncipe   antoine de saintO pequeno príncipe   antoine de saint
O pequeno príncipe antoine de saint
 
Autobiografia de Erico Verissimo by José Roig
Autobiografia de Erico Verissimo by José RoigAutobiografia de Erico Verissimo by José Roig
Autobiografia de Erico Verissimo by José Roig
 
IV Formação : Pró Escola Formação: “Práticas de Ensino da Matemática em uma P...
IV Formação : Pró Escola Formação: “Práticas de Ensino da Matemática em uma P...IV Formação : Pró Escola Formação: “Práticas de Ensino da Matemática em uma P...
IV Formação : Pró Escola Formação: “Práticas de Ensino da Matemática em uma P...
 
Dicas para escrever, publicar e vender um livro
Dicas para escrever, publicar e vender um livroDicas para escrever, publicar e vender um livro
Dicas para escrever, publicar e vender um livro
 
O Bandeirante - n.232 - março de 2012
O Bandeirante - n.232 - março de 2012O Bandeirante - n.232 - março de 2012
O Bandeirante - n.232 - março de 2012
 
Livro digital
Livro digitalLivro digital
Livro digital
 
Pecados consolados
Pecados consoladosPecados consolados
Pecados consolados
 
Lula marilurdes
Lula   marilurdesLula   marilurdes
Lula marilurdes
 
Cap 8
Cap 8Cap 8
Cap 8
 
Marujo? Sim. Com muito orgulho!
Marujo? Sim. Com muito orgulho!Marujo? Sim. Com muito orgulho!
Marujo? Sim. Com muito orgulho!
 
José Saramago
 José Saramago José Saramago
José Saramago
 
Saramago
Saramago Saramago
Saramago
 
Saramago 1
Saramago 1Saramago 1
Saramago 1
 
Pág. miúdos 19 setembro 2010 antónio torrado
Pág. miúdos 19 setembro 2010 antónio torradoPág. miúdos 19 setembro 2010 antónio torrado
Pág. miúdos 19 setembro 2010 antónio torrado
 
Memória1
Memória1Memória1
Memória1
 
Ua000191
Ua000191Ua000191
Ua000191
 
Os livros
Os livrosOs livros
Os livros
 

Destaque

Destaque (8)

Palestra bullying
Palestra bullyingPalestra bullying
Palestra bullying
 
Palestra Bullying
Palestra BullyingPalestra Bullying
Palestra Bullying
 
Manejodeficitatençao
ManejodeficitatençaoManejodeficitatençao
Manejodeficitatençao
 
NÃO AO BULLYING: UMA EXPERIÊNCIA COM ALUNOS DO 8º. ANO DO CURSO SUPLETIVO
NÃO AO BULLYING: UMA EXPERIÊNCIA COM ALUNOS DO 8º. ANO DO CURSO SUPLETIVO NÃO AO BULLYING: UMA EXPERIÊNCIA COM ALUNOS DO 8º. ANO DO CURSO SUPLETIVO
NÃO AO BULLYING: UMA EXPERIÊNCIA COM ALUNOS DO 8º. ANO DO CURSO SUPLETIVO
 
Bullying palestra
Bullying palestraBullying palestra
Bullying palestra
 
Palestra sobre bullying
Palestra sobre bullyingPalestra sobre bullying
Palestra sobre bullying
 
ApresentaçãO Do Bullying Palestra 2007
ApresentaçãO Do Bullying Palestra 2007ApresentaçãO Do Bullying Palestra 2007
ApresentaçãO Do Bullying Palestra 2007
 
Enfrentamento à volência na escola vol - 1
Enfrentamento à volência na escola   vol - 1Enfrentamento à volência na escola   vol - 1
Enfrentamento à volência na escola vol - 1
 

Semelhante a Adeus Scliar

Chicos especial 80 anos de Chico cabral
Chicos especial   80 anos de Chico cabralChicos especial   80 anos de Chico cabral
Chicos especial 80 anos de Chico cabralChicos Cataletras
 
Jornalismo literário tecnicas - pratica
Jornalismo literário  tecnicas - praticaJornalismo literário  tecnicas - pratica
Jornalismo literário tecnicas - praticaaulasdejornalismo
 
Mayrant gallo por costa pinto
Mayrant gallo por costa pintoMayrant gallo por costa pinto
Mayrant gallo por costa pintogabriellealano
 
Páginas Amarelas - TAYANE GARCIA
Páginas Amarelas - TAYANE GARCIAPáginas Amarelas - TAYANE GARCIA
Páginas Amarelas - TAYANE GARCIAaghipertexto
 
Cronica metalinguistica
Cronica metalinguisticaCronica metalinguistica
Cronica metalinguisticaDaniel Freire
 
Revista subversa 6ª ed.
Revista subversa 6ª ed.Revista subversa 6ª ed.
Revista subversa 6ª ed.Canal Subversa
 
Ficha de trabalho fernando pessoa carta sobre origem dos heterónimos
Ficha de trabalho   fernando pessoa carta sobre origem dos heterónimosFicha de trabalho   fernando pessoa carta sobre origem dos heterónimos
Ficha de trabalho fernando pessoa carta sobre origem dos heterónimosspipoca
 
A criatividade com a literatura infanto juvenil - jose eduardo gallo
A criatividade com a literatura infanto juvenil - jose eduardo galloA criatividade com a literatura infanto juvenil - jose eduardo gallo
A criatividade com a literatura infanto juvenil - jose eduardo galloAndrezza Belota Lopes Machado
 
Janelas na construção da leitura
Janelas na construção da leituraJanelas na construção da leitura
Janelas na construção da leituragestarpocos
 
85 salgado
85 salgado85 salgado
85 salgadoMj
 
Pp e então foi assim que aconteceu
Pp e então foi assim que aconteceuPp e então foi assim que aconteceu
Pp e então foi assim que aconteceuRONALDO CRUZ
 
E foi então que aconteceu de Jorge Miguel Marinho
E foi então que aconteceu de Jorge Miguel MarinhoE foi então que aconteceu de Jorge Miguel Marinho
E foi então que aconteceu de Jorge Miguel MarinhoJosiana Gonçalves
 
Pp e então foi assim que aconteceu
Pp e então foi assim que aconteceuPp e então foi assim que aconteceu
Pp e então foi assim que aconteceuRONALDO CRUZ
 
Poemas sobre Sua Majestade, o LIVRO - Uma microantologia
Poemas sobre Sua Majestade, o LIVRO - Uma microantologiaPoemas sobre Sua Majestade, o LIVRO - Uma microantologia
Poemas sobre Sua Majestade, o LIVRO - Uma microantologiaSammis Reachers
 
Gralha Azul No. 6 - Sobrames Paraná - Dezembro 2010
Gralha Azul No. 6 - Sobrames Paraná - Dezembro 2010Gralha Azul No. 6 - Sobrames Paraná - Dezembro 2010
Gralha Azul No. 6 - Sobrames Paraná - Dezembro 2010Sérgio Pitaki
 
Folhetim do Estudante - Ano V - Núm. 50
Folhetim do Estudante - Ano V - Núm. 50Folhetim do Estudante - Ano V - Núm. 50
Folhetim do Estudante - Ano V - Núm. 50Valter Gomes
 

Semelhante a Adeus Scliar (20)

Conto
ContoConto
Conto
 
Chicos especial 80 anos de Chico cabral
Chicos especial   80 anos de Chico cabralChicos especial   80 anos de Chico cabral
Chicos especial 80 anos de Chico cabral
 
Jornalismo literário tecnicas - pratica
Jornalismo literário  tecnicas - praticaJornalismo literário  tecnicas - pratica
Jornalismo literário tecnicas - pratica
 
Mayrant gallo por costa pinto
Mayrant gallo por costa pintoMayrant gallo por costa pinto
Mayrant gallo por costa pinto
 
Páginas Amarelas - TAYANE GARCIA
Páginas Amarelas - TAYANE GARCIAPáginas Amarelas - TAYANE GARCIA
Páginas Amarelas - TAYANE GARCIA
 
Cronica metalinguistica
Cronica metalinguisticaCronica metalinguistica
Cronica metalinguistica
 
Revista subversa 6ª ed.
Revista subversa 6ª ed.Revista subversa 6ª ed.
Revista subversa 6ª ed.
 
Biblioteca Rosacruz
Biblioteca RosacruzBiblioteca Rosacruz
Biblioteca Rosacruz
 
Páginas amarelas
Páginas amarelas Páginas amarelas
Páginas amarelas
 
Ficha de trabalho fernando pessoa carta sobre origem dos heterónimos
Ficha de trabalho   fernando pessoa carta sobre origem dos heterónimosFicha de trabalho   fernando pessoa carta sobre origem dos heterónimos
Ficha de trabalho fernando pessoa carta sobre origem dos heterónimos
 
A criatividade com a literatura infanto juvenil - jose eduardo gallo
A criatividade com a literatura infanto juvenil - jose eduardo galloA criatividade com a literatura infanto juvenil - jose eduardo gallo
A criatividade com a literatura infanto juvenil - jose eduardo gallo
 
Janelas na construção da leitura
Janelas na construção da leituraJanelas na construção da leitura
Janelas na construção da leitura
 
85 salgado
85 salgado85 salgado
85 salgado
 
Pp e então foi assim que aconteceu
Pp e então foi assim que aconteceuPp e então foi assim que aconteceu
Pp e então foi assim que aconteceu
 
E foi então que aconteceu de Jorge Miguel Marinho
E foi então que aconteceu de Jorge Miguel MarinhoE foi então que aconteceu de Jorge Miguel Marinho
E foi então que aconteceu de Jorge Miguel Marinho
 
Pp e então foi assim que aconteceu
Pp e então foi assim que aconteceuPp e então foi assim que aconteceu
Pp e então foi assim que aconteceu
 
Poemas sobre Sua Majestade, o LIVRO - Uma microantologia
Poemas sobre Sua Majestade, o LIVRO - Uma microantologiaPoemas sobre Sua Majestade, o LIVRO - Uma microantologia
Poemas sobre Sua Majestade, o LIVRO - Uma microantologia
 
Chicos 17 - Julho 2008
Chicos 17 -  Julho 2008Chicos 17 -  Julho 2008
Chicos 17 - Julho 2008
 
Gralha Azul No. 6 - Sobrames Paraná - Dezembro 2010
Gralha Azul No. 6 - Sobrames Paraná - Dezembro 2010Gralha Azul No. 6 - Sobrames Paraná - Dezembro 2010
Gralha Azul No. 6 - Sobrames Paraná - Dezembro 2010
 
Folhetim do Estudante - Ano V - Núm. 50
Folhetim do Estudante - Ano V - Núm. 50Folhetim do Estudante - Ano V - Núm. 50
Folhetim do Estudante - Ano V - Núm. 50
 

Mais de Viviane_Borba_Bueno (6)

Bulliyng
Bulliyng Bulliyng
Bulliyng
 
Bulliyng
Bulliyng Bulliyng
Bulliyng
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
 
Capa equitação
Capa equitaçãoCapa equitação
Capa equitação
 
Bulliyng
Bulliyng Bulliyng
Bulliyng
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
 

Último

HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdfHORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdfSandra Pratas
 
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdfPARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdfceajajacu
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdfHORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdfSandra Pratas
 
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...azulassessoria9
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...MANUELJESUSVENTURASA
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREIVONETETAVARESRAMOS
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Paula Meyer Piagentini
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...Unidad de Espiritualidad Eudista
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
Pizza_literaria.pdf projeto de literatura
Pizza_literaria.pdf projeto de literaturaPizza_literaria.pdf projeto de literatura
Pizza_literaria.pdf projeto de literaturagomescostamma
 
Modelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesModelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesGilbraz Aragão
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfQueleLiberato
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdfHORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
 
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdfPARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdfHORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
 
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
 
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
Pizza_literaria.pdf projeto de literatura
Pizza_literaria.pdf projeto de literaturaPizza_literaria.pdf projeto de literatura
Pizza_literaria.pdf projeto de literatura
 
Modelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesModelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das Religiões
 
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
 

Adeus Scliar

  • 1. ESPECIAL REGIÃO CARBONÍFERA, TERÇA-FEIRA, 1º DE MARÇO DE 2011 portaldenoticias@terra.com.br - (51) 3651.4041 5 Rodrigo Ramazzini rodrigoramazzini@terra.com.br Adeus, Scliar! Os bastidores de um encontro. Conheci pessoalmente o escritor Moacyr Scliar no ano de 2006. À época, eu era presidente da As- sociação de Literatura de Charqueadas e o traría- mos ao município para realizar uma palestra duran- te as atividades do Sarau Literário daquele ano. Como ocupante do cargo, coube-me acompanhar o carro que buscaria o escritor na capital para fazer- lhes as honras da casa. Antes da curta viagem, li- guei para o meu amigo João Soares para contar-lhe sobre a realização do evento, bem como do futuro encontro com o Scliar. Lembro até hoje das pala- vras do “Joãozinho”: “cola nele e “chupa” todo o conhecimento que conseguires dele. O Scliar é uma pessoa sensacional!”. Depois descobri que o João tinha toda a razão. Nervosismo à parte, o primeiro contato com o escritor aconteceu na entrada do seu prédio, em Porto Alegre. Com um sorriso no rosto, ao ver-me gritou “fala, mestre” e cumprimentou-me com sua singular simpatia. A partir daí, comecei o que pos- so classificar como uma verdadeira “guerra”, pois iniciei um bombardeio de questões sobre todos os assuntos até retornarmos para Charqueadas. Durante o trajeto de volta descobri porque o es- critor era admirado não só por sua obra, mas, tam- bém, como ser humano. Com simplicidade, paciên- cia e bom humor, Scliar ia sanando todas as minhas dúvidas e orientando-me como um bom professor. Um dos ensinamentos carrego vivo até hoje: a va- lorização dos leitores. Parece óbvio isso para quem escreve. Porém, não é. Tratar cada leitor como um ser único e mostrar-lhe gratidão por ele “gastar” seu tempo lendo os textos deve ser algo sempre que possível demonstrado. É o que eu tento fazer quan- do há qualquer tipo de manifestação nesse sentido. Logicamente, sou mais um dos admiradores do trabalho do Moacyr Scliar. Possuo vários livros do autor, mas tenho um apreço pela obra “O exército de um homem só”. A qualidade e a quantidade da sua produção literária são impressionantes. Dizia ele que escrevia uma coluna de jornal em 20 minu- tos. Sinceramente, não consigo imaginar como isso é possível, tendo como base que, às vezes, demoro horas para escrever meia dúzia de linhas. Voltando a palestra, em Charqueadas. Já durante o evento, nos sentamos ao lado um do outro. Com um Solar Shopping lotado, ele começou a falar e a encantar quem estava lá assistindo. Poucas vezes vi uma plateia prestar tanta atenção no que uma pes- soa falava. Era um silêncio só. Depois de mais de uma hora de conversa, o Scliar agradeceu a presen- ça de todos e me passou o microfone, questionan- do-me baixinho “E aí, o que achou?”. Embevecido com tudo e surpreendido pela pergunta em um tom de impressionante humildade, apenas tive a reação de convocar uma salva de palmas, o que foi realiza- da por todos em pé. Após atender os leitores, autografar vários livros e uma breve paradinha na praça de alimentação, era hora de fazer o caminho de volta para Porto Alegre. Foi o momento da vingança do Scliar contra mim. Com os papeis trocados, ele que começou a me en- cher de perguntas. Fez isso, na maior parte do traje- to, com uma incomum curiosidade. Já na capital, com cordiais palavras escreveu uma dedicatória e deu-me um autógrafo. Despedi- mos-nos. Dois dias depois me enviou um email co- mentando um dos meus textos que acabara de ler. Novamente, utilizando afetuosas e generosas pala- vras. Essa afabilidade era a marca de um homem inte- ressado e maravilhado com o cotidiano de pessoas comuns, como eu. Foi uma experiência e um conta- to que durou pouco tempo, mas que deixará os ras- tros e os ensinamentos para o resto da vida. Obrigado por tudo e adeus, Scliar! pdn_368.p65 5 28/2/2011, 20:19