SlideShare uma empresa Scribd logo
GENGENÉTICA HUMANAÉTICA HUMANA
Cariótipo Humano
Algumas características
hereditárias
Alelos autossómicos
recessivos
• Albinismo
• Fenilcetonúria
• Surdez
Transmissão hereditária de um
alelo autossómico recessivo
• Os homens e as mulheres são igualmente afectados;
• Os indivíduos afectados geralmente são filhos de pais normais;
• Se dois progenitores manifestarem a doença, todos os seus descendentesSe dois progenitores manifestarem a doença, todos os seus descendentes
apresentam essa anomalia;apresentam essa anomalia;
• Os heterozigóticos apresentam fenótipo normal;
• A anomalia pode não se manifestar durante uma ou mais gerações.A anomalia pode não se manifestar durante uma ou mais gerações.
Albinismo
CaracterísticaCaracterística
autossómicaautossómica
recessivarecessiva
Resulta da presença de um alelo mutante que não é capaz de codificar uma enzima
necessária para a produção da melanina.
Os indivíduos possuem a pele, o cabelo e os restantes pêlos brancos.
Os olhos são vermelhos devido à ausência de melanina na íris.
Fenilcetonúria (PKU)
Teste do pezinho
3 dias a seguir ao nascimento
CaracterísticaCaracterística
autossómicaautossómica
recessivarecessiva
Resulta da ausência de um gene responsável pela produção de uma enzima que transforma a
Fenilalanina em tirosina.
Na ausência desta enzima, a fenilalanina acumula-se no sangue, afectando o desenvolvimento
do cérebro provocando atraso mental e problemas psicomotores.
Alelos autossómicos
Dominantes
• Polidactilia
• Doença de Huntington
Polidactilia
CaracterísticaCaracterística
autossómicaautossómica
dominantedominante
Caracteriza-se pelo aparecimento de mais do que 5 dedos nas mãos e/ou pés.
Transmissão hereditária de um
alelo autossómico dominante
QuickTime™ and a
TIFF (LZW) decompressor
are needed to see this picture.
• Os homens e as mulheres são igualmente afectados;
• Os heterozigóticos manifestam a característica;
• a anomalia só se manifesta caso um dos progenitores a possuaa anomalia só se manifesta caso um dos progenitores a possua
( um casal normal nunca tem filhos afectados);( um casal normal nunca tem filhos afectados);
• A anomalia surge em geraçA anomalia surge em gerações sucessivas;ões sucessivas;
Doença de Huntington
(DHq)
A doença manifesta-se entre os 35 anos e 45 anos
É causada pela alteração de um gene que pode conduzir a desordens nas
células em determinadas áreas cerebrais.
Conduz à perda progressiva das capacidades intelectuais e motoras, levando
à invalidez.
O gene foi mapeado no cromossoma 4 em 1981 por técnicas de genética
molecular.
Árvore genealógica de uma família com Doença de Huntington
QuickTime™ and a
TIFF (LZW) decompressor
are needed to see this picture.
CaracterísticaCaracterística
autossómicaautossómica
dominantedominante
Alelos Recessivos ligados
ao cromossoma X
• Hemofilia
• Daltonismo
• Distrofia muscular de Duchenne
Transmissão hereditTransmissão hereditáriaária de um alelode um alelo
recessivo ligado ao cromossoma Xrecessivo ligado ao cromossoma X
• Os homens são mais frequentemente afectados do que as mulheres;
• Quando um homem afectado casa com uma mulher normal, origina filhos
normais e filhas portadoras;
• Os pais que manifestam a característica transmitem o alelo apenas às filhas;
• Os indivíduos afectados são filhos de mulheres normais que por sua vez são filhas de
homens afectados; ou seja, a anomalia passa de avô para neto, através das suas
filhas que são portadoras.
Hemofilia Alelos recessivosAlelos recessivos
ligados aoligados ao
cromossoma Xcromossoma X
Resulta da mutação de um gene responsável pela síntese de uma proteína necessária para que
a coagulação do sangue ocorra.
Tem efeitos graves, pois uma pequena hemorragia pode levar várias horas podendo, em alguns
casos, conduzir à morte.
Hemofilia
Daltonismo Alelos recessivosAlelos recessivos
ligados aoligados ao
cromossoma Xcromossoma X
A visão a cores depende da presença
de fotopigmentos em certas células da
retina - os cones.
Há 3 tipos de fotopigmentos:
• Sensíveis ao vermelho
• Sensíveis ao azul
• Sensíveis ao verde
Cada pigmento é produzido pela acção
dum gene específico.
Por mutação surgem genes incapazes
de produzir um ou outro pigmento.
Transmissão hereditTransmissão hereditáriaária de um alelode um alelo
ligado ao cromossoma Yligado ao cromossoma Y
• Apenas os homens são afectados;
• Todos os descendentes masculinos manifestam a anomalia caso o pai a
possua.
Alelos Letais
• Acondroplasia
(é uma forma de nanismo)
A acondroplasia é produzida por um gene
autossômico dominante;
Praticamente todos os indivíduos acondroplásicos
são heterozigóticos;
Conhecem - se alguns homozigóticos, gravemente
afectados, resultantes de casamentos entre dois
heterozigóticos, e que morrem precocemente.
O gene da acondroplasia é, portanto, letal em homozigotia.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mutacões
MutacõesMutacões
Mutacões
Catir
 
1- HEREDITARIEDADE
1- HEREDITARIEDADE1- HEREDITARIEDADE
1- HEREDITARIEDADE
sandranascimento
 
Introdução à genética
Introdução à genética Introdução à genética
Introdução à genética
nielimaia
 
ENGENHARIA GENÉTICA
ENGENHARIA GENÉTICAENGENHARIA GENÉTICA
ENGENHARIA GENÉTICA
Vitor Manuel de Carvalho
 
Mutações cromossômicas
Mutações cromossômicasMutações cromossômicas
Mutações cromossômicas
Thiago Faria
 
Mutações do material genético
Mutações do material genéticoMutações do material genético
Mutações do material genético
UERGS
 
Genetica hereditariedade
Genetica hereditariedadeGenetica hereditariedade
Genetica hereditariedade
Adrianne Mendonça
 
Divisão celular mitose e meiose
Divisão celular  mitose e meioseDivisão celular  mitose e meiose
Divisão celular mitose e meiose
César Milani
 
Mutações
MutaçõesMutações
Mutações Cromossómicas
Mutações CromossómicasMutações Cromossómicas
Mutações Cromossómicas
Catir
 
Alelos Letais
Alelos LetaisAlelos Letais
Alelos Letais
Nuno Correia
 
Hereditariedade
HereditariedadeHereditariedade
Hereditariedade
Gabriela Bruno
 
Conceitos basicos em genetica
 Conceitos basicos em genetica Conceitos basicos em genetica
Conceitos basicos em genetica
Adrianne Mendonça
 
Mutações cromossômicas estruturais
Mutações cromossômicas estruturaisMutações cromossômicas estruturais
Mutações cromossômicas estruturais
Nathália Vasconcelos
 
Alterações cromossômicas
Alterações cromossômicasAlterações cromossômicas
Alterações cromossômicas
Patrícia Oliver
 
Neodarwinismo
NeodarwinismoNeodarwinismo
Neodarwinismo
rickmatos
 
Mutações
MutaçõesMutações
Hereditariedade Humana
Hereditariedade HumanaHereditariedade Humana
Hereditariedade Humana
Isabel Lopes
 
Ciclo Celular
Ciclo CelularCiclo Celular
Ciclo Celular
Mariana Cordeiro
 
Interaçao genica
Interaçao genica Interaçao genica
Interaçao genica
UERGS
 

Mais procurados (20)

Mutacões
MutacõesMutacões
Mutacões
 
1- HEREDITARIEDADE
1- HEREDITARIEDADE1- HEREDITARIEDADE
1- HEREDITARIEDADE
 
Introdução à genética
Introdução à genética Introdução à genética
Introdução à genética
 
ENGENHARIA GENÉTICA
ENGENHARIA GENÉTICAENGENHARIA GENÉTICA
ENGENHARIA GENÉTICA
 
Mutações cromossômicas
Mutações cromossômicasMutações cromossômicas
Mutações cromossômicas
 
Mutações do material genético
Mutações do material genéticoMutações do material genético
Mutações do material genético
 
Genetica hereditariedade
Genetica hereditariedadeGenetica hereditariedade
Genetica hereditariedade
 
Divisão celular mitose e meiose
Divisão celular  mitose e meioseDivisão celular  mitose e meiose
Divisão celular mitose e meiose
 
Mutações
MutaçõesMutações
Mutações
 
Mutações Cromossómicas
Mutações CromossómicasMutações Cromossómicas
Mutações Cromossómicas
 
Alelos Letais
Alelos LetaisAlelos Letais
Alelos Letais
 
Hereditariedade
HereditariedadeHereditariedade
Hereditariedade
 
Conceitos basicos em genetica
 Conceitos basicos em genetica Conceitos basicos em genetica
Conceitos basicos em genetica
 
Mutações cromossômicas estruturais
Mutações cromossômicas estruturaisMutações cromossômicas estruturais
Mutações cromossômicas estruturais
 
Alterações cromossômicas
Alterações cromossômicasAlterações cromossômicas
Alterações cromossômicas
 
Neodarwinismo
NeodarwinismoNeodarwinismo
Neodarwinismo
 
Mutações
MutaçõesMutações
Mutações
 
Hereditariedade Humana
Hereditariedade HumanaHereditariedade Humana
Hereditariedade Humana
 
Ciclo Celular
Ciclo CelularCiclo Celular
Ciclo Celular
 
Interaçao genica
Interaçao genica Interaçao genica
Interaçao genica
 

Destaque

Aconselhamento Genético
Aconselhamento GenéticoAconselhamento Genético
Aconselhamento Genético
Lyssa Martins
 
Slide de biologia
Slide de biologiaSlide de biologia
Slide de biologia
Lua Borges
 
Bio 12 genética - hereditariedade ligada ao sexo (daltonismo)
Bio 12   genética - hereditariedade ligada ao sexo (daltonismo)Bio 12   genética - hereditariedade ligada ao sexo (daltonismo)
Bio 12 genética - hereditariedade ligada ao sexo (daltonismo)
Nuno Correia
 
3EM #12 Evolução: intro (2016)
3EM #12 Evolução: intro (2016)3EM #12 Evolução: intro (2016)
3EM #12 Evolução: intro (2016)
Professô Kyoshi
 
02 - Tpc sobre cracterísticas hereditárias
02 - Tpc sobre cracterísticas hereditárias02 - Tpc sobre cracterísticas hereditárias
02 - Tpc sobre cracterísticas hereditárias
Teresa Monteiro
 
Caracteristicas Observaveis
Caracteristicas ObservaveisCaracteristicas Observaveis
Caracteristicas Observaveis
Francisco Pinheiro
 
Atividade de genética
Atividade de genéticaAtividade de genética
Atividade de genética
Ionara Urrutia Moura
 
4hereditariedade
4hereditariedade4hereditariedade
4hereditariedade
Tânia Reis
 
Genética humana
Genética humanaGenética humana
Genética humana
mianaalexandra
 
Caracteristicas Hereditárias
Caracteristicas HereditáriasCaracteristicas Hereditárias
Caracteristicas Hereditárias
Francisco Pinheiro
 
Regulação do Património Genético
Regulação do Património GenéticoRegulação do Património Genético
Regulação do Património Genético
Isabel Lopes
 
07 Hereditariedade humana
07 Hereditariedade humana07 Hereditariedade humana
07 Hereditariedade humana
Teresa Monteiro
 
6 hereditariedade
6 hereditariedade6 hereditariedade
6 hereditariedade
Maria João Drumond
 
Resumo Genética | Biologia 12º Ano
Resumo Genética | Biologia 12º AnoResumo Genética | Biologia 12º Ano
Resumo Genética | Biologia 12º Ano
Instituto Superior Técnico, UTL
 
Hereditariedade
HereditariedadeHereditariedade
Hereditariedade
tigsilva
 
Noçoes de hereditariedade
Noçoes de hereditariedadeNoçoes de hereditariedade
Património genético - resumo
Património genético - resumoPatrimónio genético - resumo
Património genético - resumo
Isabel Lopes
 
Património Genético´- Trabalhos de Mendel
Património Genético´- Trabalhos de MendelPatrimónio Genético´- Trabalhos de Mendel
Património Genético´- Trabalhos de Mendel
Isabel Lopes
 
Genética introdução
Genética introduçãoGenética introdução
Genética introdução
Dalu Barreto
 
Slide Genética
Slide GenéticaSlide Genética

Destaque (20)

Aconselhamento Genético
Aconselhamento GenéticoAconselhamento Genético
Aconselhamento Genético
 
Slide de biologia
Slide de biologiaSlide de biologia
Slide de biologia
 
Bio 12 genética - hereditariedade ligada ao sexo (daltonismo)
Bio 12   genética - hereditariedade ligada ao sexo (daltonismo)Bio 12   genética - hereditariedade ligada ao sexo (daltonismo)
Bio 12 genética - hereditariedade ligada ao sexo (daltonismo)
 
3EM #12 Evolução: intro (2016)
3EM #12 Evolução: intro (2016)3EM #12 Evolução: intro (2016)
3EM #12 Evolução: intro (2016)
 
02 - Tpc sobre cracterísticas hereditárias
02 - Tpc sobre cracterísticas hereditárias02 - Tpc sobre cracterísticas hereditárias
02 - Tpc sobre cracterísticas hereditárias
 
Caracteristicas Observaveis
Caracteristicas ObservaveisCaracteristicas Observaveis
Caracteristicas Observaveis
 
Atividade de genética
Atividade de genéticaAtividade de genética
Atividade de genética
 
4hereditariedade
4hereditariedade4hereditariedade
4hereditariedade
 
Genética humana
Genética humanaGenética humana
Genética humana
 
Caracteristicas Hereditárias
Caracteristicas HereditáriasCaracteristicas Hereditárias
Caracteristicas Hereditárias
 
Regulação do Património Genético
Regulação do Património GenéticoRegulação do Património Genético
Regulação do Património Genético
 
07 Hereditariedade humana
07 Hereditariedade humana07 Hereditariedade humana
07 Hereditariedade humana
 
6 hereditariedade
6 hereditariedade6 hereditariedade
6 hereditariedade
 
Resumo Genética | Biologia 12º Ano
Resumo Genética | Biologia 12º AnoResumo Genética | Biologia 12º Ano
Resumo Genética | Biologia 12º Ano
 
Hereditariedade
HereditariedadeHereditariedade
Hereditariedade
 
Noçoes de hereditariedade
Noçoes de hereditariedadeNoçoes de hereditariedade
Noçoes de hereditariedade
 
Património genético - resumo
Património genético - resumoPatrimónio genético - resumo
Património genético - resumo
 
Património Genético´- Trabalhos de Mendel
Património Genético´- Trabalhos de MendelPatrimónio Genético´- Trabalhos de Mendel
Património Genético´- Trabalhos de Mendel
 
Genética introdução
Genética introduçãoGenética introdução
Genética introdução
 
Slide Genética
Slide GenéticaSlide Genética
Slide Genética
 

Semelhante a Genética Humana

Genética e doenças - Super Super Med
Genética e doenças - Super Super MedGenética e doenças - Super Super Med
Genética e doenças - Super Super Med
emanuel
 
Genes letais
Genes letaisGenes letais
Genes letais
Roulber Carvalho
 
Genética e doenças
Genética e doençasGenética e doenças
Genética e doenças
emanuel
 
Herança dos cromossomos sexuais
Herança dos cromossomos sexuaisHerança dos cromossomos sexuais
Herança dos cromossomos sexuais
César Milani
 
Síndromes gênicas
Síndromes gênicasSíndromes gênicas
Síndromes gênicas
Andrea Barreto
 
sindromesgnicas-130519123549-phpapp01 (1).pdf
sindromesgnicas-130519123549-phpapp01 (1).pdfsindromesgnicas-130519123549-phpapp01 (1).pdf
sindromesgnicas-130519123549-phpapp01 (1).pdf
RailsonLima8
 
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Genética
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre GenéticaSlides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Genética
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Genética
Turma Olímpica
 
Genética - Daltonismo | Biologia 12º Ano
Genética - Daltonismo | Biologia 12º AnoGenética - Daltonismo | Biologia 12º Ano
Genética - Daltonismo | Biologia 12º Ano
Instituto Superior Técnico, UTL
 
Aula 05 Padrão de herança e polimorfismos.pdf
Aula 05 Padrão de herança e polimorfismos.pdfAula 05 Padrão de herança e polimorfismos.pdf
Aula 05 Padrão de herança e polimorfismos.pdf
LuizPereira664309
 
B11_morgan.pptx
B11_morgan.pptxB11_morgan.pptx
B11_morgan.pptx
CatarinaGomes534756
 
Herança mendeliana2014 20140520044225
Herança mendeliana2014 20140520044225Herança mendeliana2014 20140520044225
Herança mendeliana2014 20140520044225
Viviane Martins Dos Reis
 
Defeitos Congênitos.pdf
Defeitos Congênitos.pdfDefeitos Congênitos.pdf
Defeitos Congênitos.pdf
Andréa Pereira
 
Heranca e sexo
Heranca e sexoHeranca e sexo
Heranca e sexo
URCA
 
Angelman
AngelmanAngelman
Angelman
Stelyo Manhique
 
Genética4
Genética4 Genética4
Genética4
Adila Trubat
 
REVISAGOIAS3CNTESTUDANTESET EducaçãoEMBRO.pdf
REVISAGOIAS3CNTESTUDANTESET EducaçãoEMBRO.pdfREVISAGOIAS3CNTESTUDANTESET EducaçãoEMBRO.pdf
REVISAGOIAS3CNTESTUDANTESET EducaçãoEMBRO.pdf
LedaMariadaSilva1
 
Genética4
Genética4Genética4
Genética4
Adila Trubat
 
Apresentação 1.pptx
Apresentação 1.pptxApresentação 1.pptx
Apresentação 1.pptx
Afonso75
 
Autossomica dominante
Autossomica dominanteAutossomica dominante
Autossomica dominante
GEDRBRASIL_ESTUDANDORARAS
 
A primeira lei de mendel
A primeira lei de mendelA primeira lei de mendel
A primeira lei de mendel
Luzineide Oliveira
 

Semelhante a Genética Humana (20)

Genética e doenças - Super Super Med
Genética e doenças - Super Super MedGenética e doenças - Super Super Med
Genética e doenças - Super Super Med
 
Genes letais
Genes letaisGenes letais
Genes letais
 
Genética e doenças
Genética e doençasGenética e doenças
Genética e doenças
 
Herança dos cromossomos sexuais
Herança dos cromossomos sexuaisHerança dos cromossomos sexuais
Herança dos cromossomos sexuais
 
Síndromes gênicas
Síndromes gênicasSíndromes gênicas
Síndromes gênicas
 
sindromesgnicas-130519123549-phpapp01 (1).pdf
sindromesgnicas-130519123549-phpapp01 (1).pdfsindromesgnicas-130519123549-phpapp01 (1).pdf
sindromesgnicas-130519123549-phpapp01 (1).pdf
 
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Genética
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre GenéticaSlides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Genética
Slides da aula de Biologia (Marcelo) sobre Genética
 
Genética - Daltonismo | Biologia 12º Ano
Genética - Daltonismo | Biologia 12º AnoGenética - Daltonismo | Biologia 12º Ano
Genética - Daltonismo | Biologia 12º Ano
 
Aula 05 Padrão de herança e polimorfismos.pdf
Aula 05 Padrão de herança e polimorfismos.pdfAula 05 Padrão de herança e polimorfismos.pdf
Aula 05 Padrão de herança e polimorfismos.pdf
 
B11_morgan.pptx
B11_morgan.pptxB11_morgan.pptx
B11_morgan.pptx
 
Herança mendeliana2014 20140520044225
Herança mendeliana2014 20140520044225Herança mendeliana2014 20140520044225
Herança mendeliana2014 20140520044225
 
Defeitos Congênitos.pdf
Defeitos Congênitos.pdfDefeitos Congênitos.pdf
Defeitos Congênitos.pdf
 
Heranca e sexo
Heranca e sexoHeranca e sexo
Heranca e sexo
 
Angelman
AngelmanAngelman
Angelman
 
Genética4
Genética4 Genética4
Genética4
 
REVISAGOIAS3CNTESTUDANTESET EducaçãoEMBRO.pdf
REVISAGOIAS3CNTESTUDANTESET EducaçãoEMBRO.pdfREVISAGOIAS3CNTESTUDANTESET EducaçãoEMBRO.pdf
REVISAGOIAS3CNTESTUDANTESET EducaçãoEMBRO.pdf
 
Genética4
Genética4Genética4
Genética4
 
Apresentação 1.pptx
Apresentação 1.pptxApresentação 1.pptx
Apresentação 1.pptx
 
Autossomica dominante
Autossomica dominanteAutossomica dominante
Autossomica dominante
 
A primeira lei de mendel
A primeira lei de mendelA primeira lei de mendel
A primeira lei de mendel
 

Mais de Vitor Manuel de Carvalho

PSICOLOGIA APLICADA
PSICOLOGIA APLICADAPSICOLOGIA APLICADA
PSICOLOGIA APLICADA
Vitor Manuel de Carvalho
 
O OBJECTO DA PSICOLOGIA
O OBJECTO DA PSICOLOGIAO OBJECTO DA PSICOLOGIA
O OBJECTO DA PSICOLOGIA
Vitor Manuel de Carvalho
 
FELIZMENTE HÁ LUAR!
FELIZMENTE HÁ LUAR!FELIZMENTE HÁ LUAR!
FELIZMENTE HÁ LUAR!
Vitor Manuel de Carvalho
 
AS EMOÇÕES
AS EMOÇÕESAS EMOÇÕES
A IDENTIDADE
A IDENTIDADEA IDENTIDADE
A DIMENSÃO SOCIOCULTURAL DA MENTE
A DIMENSÃO SOCIOCULTURAL DA MENTEA DIMENSÃO SOCIOCULTURAL DA MENTE
A DIMENSÃO SOCIOCULTURAL DA MENTE
Vitor Manuel de Carvalho
 
A CONAÇÃO
A CONAÇÃOA CONAÇÃO
PLANO NACIONAL DE LEITURA
PLANO NACIONAL DE LEITURAPLANO NACIONAL DE LEITURA
PLANO NACIONAL DE LEITURA
Vitor Manuel de Carvalho
 
IMUNIDADE III
IMUNIDADE IIIIMUNIDADE III
IMUNIDADE II
IMUNIDADE IIIMUNIDADE II
SLIDE IN
SLIDE INSLIDE IN
Mensagem & Os Lusíadas
Mensagem & Os LusíadasMensagem & Os Lusíadas
Mensagem & Os Lusíadas
Vitor Manuel de Carvalho
 
Imunidade
ImunidadeImunidade
MENTE
MENTEMENTE
REGULAMENTO DISCIPLINAR DOS ALUNOS
REGULAMENTO DISCIPLINAR DOS ALUNOSREGULAMENTO DISCIPLINAR DOS ALUNOS
REGULAMENTO DISCIPLINAR DOS ALUNOS
Vitor Manuel de Carvalho
 
Justificação de faltas
Justificação de faltasJustificação de faltas
Justificação de faltas
Vitor Manuel de Carvalho
 
MODELO ECOLÓGICO DO DESENVOLVIMENTO
MODELO ECOLÓGICO DO DESENVOLVIMENTOMODELO ECOLÓGICO DO DESENVOLVIMENTO
MODELO ECOLÓGICO DO DESENVOLVIMENTO
Vitor Manuel de Carvalho
 
Gestao do tempo..
Gestao do tempo..Gestao do tempo..
Gestao do tempo..
Vitor Manuel de Carvalho
 

Mais de Vitor Manuel de Carvalho (20)

PSICOLOGIA APLICADA
PSICOLOGIA APLICADAPSICOLOGIA APLICADA
PSICOLOGIA APLICADA
 
O OBJECTO DA PSICOLOGIA
O OBJECTO DA PSICOLOGIAO OBJECTO DA PSICOLOGIA
O OBJECTO DA PSICOLOGIA
 
FELIZMENTE HÁ LUAR!
FELIZMENTE HÁ LUAR!FELIZMENTE HÁ LUAR!
FELIZMENTE HÁ LUAR!
 
AS EMOÇÕES
AS EMOÇÕESAS EMOÇÕES
AS EMOÇÕES
 
A IDENTIDADE
A IDENTIDADEA IDENTIDADE
A IDENTIDADE
 
A DIMENSÃO SOCIOCULTURAL DA MENTE
A DIMENSÃO SOCIOCULTURAL DA MENTEA DIMENSÃO SOCIOCULTURAL DA MENTE
A DIMENSÃO SOCIOCULTURAL DA MENTE
 
A CONAÇÃO
A CONAÇÃOA CONAÇÃO
A CONAÇÃO
 
PLANO NACIONAL DE LEITURA
PLANO NACIONAL DE LEITURAPLANO NACIONAL DE LEITURA
PLANO NACIONAL DE LEITURA
 
IMUNIDADE III
IMUNIDADE IIIIMUNIDADE III
IMUNIDADE III
 
IMUNIDADE II
IMUNIDADE IIIMUNIDADE II
IMUNIDADE II
 
SLIDE IN
SLIDE INSLIDE IN
SLIDE IN
 
Finalistas 2011
Finalistas 2011Finalistas 2011
Finalistas 2011
 
Benalmadena 2011
Benalmadena 2011Benalmadena 2011
Benalmadena 2011
 
Mensagem & Os Lusíadas
Mensagem & Os LusíadasMensagem & Os Lusíadas
Mensagem & Os Lusíadas
 
Imunidade
ImunidadeImunidade
Imunidade
 
MENTE
MENTEMENTE
MENTE
 
REGULAMENTO DISCIPLINAR DOS ALUNOS
REGULAMENTO DISCIPLINAR DOS ALUNOSREGULAMENTO DISCIPLINAR DOS ALUNOS
REGULAMENTO DISCIPLINAR DOS ALUNOS
 
Justificação de faltas
Justificação de faltasJustificação de faltas
Justificação de faltas
 
MODELO ECOLÓGICO DO DESENVOLVIMENTO
MODELO ECOLÓGICO DO DESENVOLVIMENTOMODELO ECOLÓGICO DO DESENVOLVIMENTO
MODELO ECOLÓGICO DO DESENVOLVIMENTO
 
Gestao do tempo..
Gestao do tempo..Gestao do tempo..
Gestao do tempo..
 

Último

formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...
JakiraCosta
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Mauricio Alexandre Silva
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
WELTONROBERTOFREITAS
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Mary Alvarenga
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
MatheusSousa716350
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
geiseortiz1
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
AntonioAngeloNeves
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
ARIADNEMARTINSDACRUZ
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
TiagoLouro8
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
vitorreissouzasilva
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
Pr Davi Passos - Estudos Bíblicos
 
Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
MARCELARUBIAGAVA
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Mauricio Alexandre Silva
 
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento EuropeuEurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Centro Jacques Delors
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
ConservoConstrues
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
Manuais Formação
 

Último (20)

formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
 
Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
 
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento EuropeuEurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
 

Genética Humana

  • 5. Transmissão hereditária de um alelo autossómico recessivo • Os homens e as mulheres são igualmente afectados; • Os indivíduos afectados geralmente são filhos de pais normais; • Se dois progenitores manifestarem a doença, todos os seus descendentesSe dois progenitores manifestarem a doença, todos os seus descendentes apresentam essa anomalia;apresentam essa anomalia; • Os heterozigóticos apresentam fenótipo normal; • A anomalia pode não se manifestar durante uma ou mais gerações.A anomalia pode não se manifestar durante uma ou mais gerações.
  • 6. Albinismo CaracterísticaCaracterística autossómicaautossómica recessivarecessiva Resulta da presença de um alelo mutante que não é capaz de codificar uma enzima necessária para a produção da melanina. Os indivíduos possuem a pele, o cabelo e os restantes pêlos brancos. Os olhos são vermelhos devido à ausência de melanina na íris.
  • 7. Fenilcetonúria (PKU) Teste do pezinho 3 dias a seguir ao nascimento CaracterísticaCaracterística autossómicaautossómica recessivarecessiva Resulta da ausência de um gene responsável pela produção de uma enzima que transforma a Fenilalanina em tirosina. Na ausência desta enzima, a fenilalanina acumula-se no sangue, afectando o desenvolvimento do cérebro provocando atraso mental e problemas psicomotores.
  • 10. Transmissão hereditária de um alelo autossómico dominante QuickTime™ and a TIFF (LZW) decompressor are needed to see this picture. • Os homens e as mulheres são igualmente afectados; • Os heterozigóticos manifestam a característica; • a anomalia só se manifesta caso um dos progenitores a possuaa anomalia só se manifesta caso um dos progenitores a possua ( um casal normal nunca tem filhos afectados);( um casal normal nunca tem filhos afectados); • A anomalia surge em geraçA anomalia surge em gerações sucessivas;ões sucessivas;
  • 11. Doença de Huntington (DHq) A doença manifesta-se entre os 35 anos e 45 anos É causada pela alteração de um gene que pode conduzir a desordens nas células em determinadas áreas cerebrais. Conduz à perda progressiva das capacidades intelectuais e motoras, levando à invalidez. O gene foi mapeado no cromossoma 4 em 1981 por técnicas de genética molecular. Árvore genealógica de uma família com Doença de Huntington QuickTime™ and a TIFF (LZW) decompressor are needed to see this picture. CaracterísticaCaracterística autossómicaautossómica dominantedominante
  • 12. Alelos Recessivos ligados ao cromossoma X • Hemofilia • Daltonismo • Distrofia muscular de Duchenne
  • 13. Transmissão hereditTransmissão hereditáriaária de um alelode um alelo recessivo ligado ao cromossoma Xrecessivo ligado ao cromossoma X • Os homens são mais frequentemente afectados do que as mulheres; • Quando um homem afectado casa com uma mulher normal, origina filhos normais e filhas portadoras; • Os pais que manifestam a característica transmitem o alelo apenas às filhas; • Os indivíduos afectados são filhos de mulheres normais que por sua vez são filhas de homens afectados; ou seja, a anomalia passa de avô para neto, através das suas filhas que são portadoras.
  • 14. Hemofilia Alelos recessivosAlelos recessivos ligados aoligados ao cromossoma Xcromossoma X Resulta da mutação de um gene responsável pela síntese de uma proteína necessária para que a coagulação do sangue ocorra. Tem efeitos graves, pois uma pequena hemorragia pode levar várias horas podendo, em alguns casos, conduzir à morte.
  • 16. Daltonismo Alelos recessivosAlelos recessivos ligados aoligados ao cromossoma Xcromossoma X A visão a cores depende da presença de fotopigmentos em certas células da retina - os cones. Há 3 tipos de fotopigmentos: • Sensíveis ao vermelho • Sensíveis ao azul • Sensíveis ao verde Cada pigmento é produzido pela acção dum gene específico. Por mutação surgem genes incapazes de produzir um ou outro pigmento.
  • 17. Transmissão hereditTransmissão hereditáriaária de um alelode um alelo ligado ao cromossoma Yligado ao cromossoma Y • Apenas os homens são afectados; • Todos os descendentes masculinos manifestam a anomalia caso o pai a possua.
  • 18. Alelos Letais • Acondroplasia (é uma forma de nanismo) A acondroplasia é produzida por um gene autossômico dominante; Praticamente todos os indivíduos acondroplásicos são heterozigóticos; Conhecem - se alguns homozigóticos, gravemente afectados, resultantes de casamentos entre dois heterozigóticos, e que morrem precocemente. O gene da acondroplasia é, portanto, letal em homozigotia.