Resumo

1.429 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.429
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
21
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Resumo

  1. 1. Programa Institucional de Bolsas de Incentivo à Docência – PIBID-LETRAS/UEM Oficinas de leitura de textos literários e produção textual Elaborador da proposta didática: Carlos Henrique Durlo e Virgínia Nuss “O que é difícil não é escrever muito; é dizer tudo, escrevendo pouco. A concisão e a brevidade, virtudes gregas, são meio caminho para a perfeição”. (Júlio Dantas, A arte de redigir). Gênero Textual – Resumo O termo resumo vem de ―resumir‖, do Latim – resumere (re (de novo) mais sumere (pegar, agarrar)). Resumir significaria, portanto, ―pegar de novo‖. Se consultarmos o dicionário, veremos que o sentido atual deste termo implica em: abreviar, sintetizar, condensar, reduzir, etc. Assim, temos que o gênero textual resumo implica em, à partir de um texto já existente, realizar uma reescrita de forma sintética desse texto, ou até mesmo, realizar essa rescrita, criando um único texto, à partir de vários sobre o mesmo assunto, atividade bastante comum em Vestibulares e provas classificatórias de diversas finalidades. Conforme Menegassi (2010), para que ocorra compreensão de um texto, é necessário resumi-lo. Com isso, reforçamos a ideia do autor de que, o resumo se torna o gênero mais importante para um aprendizado e uma leitura eficaz. Para o Linguista, é necessário, para que o resumo aconteça, que o leitor consiga reconhecer as informações e os tópicos principais do texto, assim como conhecer o vocabulário utilizado, o que implica em um conhecimento interno de mundo por parte do leitor. Esse conhecimento de mundo inerente a cada indivíduo, é o que torna possível compreensões mais profundas ou mais superficiais de determinado texto. Portanto, para resumir um texto, é necessário compreendê-lo, e para compreendê-lo, é necessário ―[...] ―mergulhar‖ nele e retirar a sua temática e suas ideias principais [...]‖ (MENEGASSI, 2010, pg. 44). No mesmo processo de compreensão sobre o que seja um resumo, concordamos também com a autora Anna Rachel Machado (2004), que acrescenta o processo de sumarização como um dos processos mentais essenciais para a produção de um resumo, e ainda: ―o processo de sumarização, que sempre ocorre durante a leitura [...] não é aleatório, mas guia-se por certa lógica [...]‖ (MACHADO, 2004, pg. 25). O resumo em si, parece algo bastante simples em termos de estrutura e composição, se comparado à outros gêneros, contudo, seu processo exige total atenção por parte do leitor. É um gênero que não possui ―regrinhas‖ a serem seguidas, mas sim processos a serem efetivados. O que pretendemos dizer é que, ao contrário de gêneroscomo carta pessoal, notícia, relato, etc, que exigem uma sequência de composição estrutural, o resumo se limita a sumarização/sintetização de informações presentes em um texto, não excluindo, obviamente a referência ao título e ao autor do texto. Então, como fazer um resumo? Para resumir um texto, devemos seguir algumas ―etapas‖:  Levantamento das principais informaçõesdo(s) texto(s);  Articulação destas informações de modo a construir um novo texto. Parece simples, mas é de fundamental importância que essas informações sejam selecionadas criteriosamente, não fugindo à temática estabelecida, e que seja articulada de forma concisa e coerente.
  2. 2. Programa Institucional de Bolsas de Incentivo à Docência – PIBID-LETRAS/UEM Oficinas de leitura de textos literários e produção textual Elaborador da proposta didática: Carlos Henrique Durlo e Virgínia Nuss A Sumarizar é: 1. Tornar sumário ou fazer resumo de. = RESUMIR, SINTETIZAR; 2. Sintetizar em tópicos. TIVI DAD ES DE SUMARIZAÇÃO: 1. Com base na informação acima, sumarize os textos abaixo: (Estes textos compõem as sete dicas para manter a concentração nos estudos, disponíveis no site do UOL). Para se concentrar bem na hora do estudo é preciso silêncio, tranquilidade, um lugar isolado e bem iluminado. O estudante deve deixar as distrações, como celulares, de lado. ______________________________________________________________________________ A música na hora dos estudos atrapalha e contribui para a desatenção. "É muito importante que, ao estudar, o aluno reproduza e simule o momento e ambiente das avaliações. E como os locais dos exames são silenciosos, é importante ter a concentração em mente", afirmou Bertolla. ______________________________________________________________________________ Escrever ajuda a compreender o assunto que está sendo estudado. "Se o aluno se render apenas à leitura do conteúdo, pode perder a concentração. A escrita ajuda na hora de relembrar o conteúdo, no momento em que é cobrado na prova", disse o coordenador do CPV Vestibulares ______________________________________________________________________________ Copiar toda a matéria não vai fazer com que tudo seja compreendido. O ideial é fazer um fichamento com as partes mais importantes do tema e montar um resumo com as próprias palavras, o que pode facilitar o entendimento na hora da revisão. ______________________________________________________________________________ O coordenador pedagógico do CPV Vestibulares acredita que tablets, celulares e computadores não devem ser utilizados na hora de estudar. "Os professores ainda são partidários do lápis e caderno no momento do estudo. É importante ressaltar que, no momento da prova, todo e qualquer aparelho eletrônico não poderá ser usado". ______________________________________________________________________________ Fazer pausas durante as sessões de estudo ajuda na memorização do conteúdo. "É preciso fazer uma breve pausa para assimilar as informações e também dar um descanso para que a rotina de estudos não se torne algo maçante e mal aproveitado", explica Bertolla ______________________________________________________________________________ O vestibulando deve saber quais são suas maiores dificuldades e redobrar a atenção nessas matérias. "Estude em uma evolução crescente, buscando atingir cinco horas de total concentração e dedicação aos estudos", orienta o coordenador do CPV Vestibulares
  3. 3. Programa Institucional de Bolsas de Incentivo à Docência – PIBID-LETRAS/UEM Oficinas de leitura de textos literários e produção textual Elaborador da proposta didática: Carlos Henrique Durlo e Virgínia Nuss ______________________________________________________________________________ 2. Agora topicalize (crie tópicos) das frases acima. 3. Realize uma leitura dos fragmentos de texto abaixo, realizando o levantamento de informações do texto e a articulação desdás informações levantadas.(Esta atividade será mediada pelo professor, com [...] cientistas comprovaram recentemente o que parecia óbvio: literatura faz bem para o cérebro! Nos Estados Unidos, um grupo de teste foi convidado a ler um capítulo do romance Mansfield Park, de Jane Austen, dentro de uma máquina de ressonância magnética, enquanto pesquisadores da universidade de Stanford analisavam os resultados neurológicos. Para o experimento, era preciso ler o capítulo de duas formas distintas: primeiramente, uma leitura descompromissada; depois, uma leitura para análise crítica da obra. A conclusão do estudo apontou que a leitura de livros pode ser um exercício valioso para o cérebro, já que quando lemos, o sangue flui para diversas áreas associadas à concentração e, no caso de uma leitura mais crítica, também para áreas menos ativas do cérebro. Logo, o estudo concluiu que a forma de leitura afeta o cérebro e através dela podemos treiná-lo para ser cada vez melhor em atividades que exigem compreensão e concentração. [...] Texto extraído de: http://www.estantevirtual.com.br/blogdaestante/2012/09/26/a-ciencia-comprova-ler-faz-bem-para-ocerebro-conheca-outros-beneficios-da-leitura/> acesso em 01/05/2013 apontamentos das informações levantadas na lousa). 4. Leia o texto a seguir e levante as informações principais do texto. Leitura age como musculação para o cérebro Exercício ajuda a manter a funcionalidade intelectual ao longo da vida O hábito de ler proporciona muitos benefícios à saúde. A leitura ajuda a reduzir o estresse e estimular a memória. Sua prática age como uma musculação para o cérebro e os médicos recomendam que se leia um livro por mês. Ao acompanhar um texto, exige-se do cérebro um conhecimento dos sistemas de linguagem, obrigando o leitor a realizar um trabalho ativo de compreensão e interpretação de texto. E isso ajuda a manter a funcionalidade intelectual ao longo da vida, mantendo a mente ativa e prevenindo déficits de memória e declínios das funções cognitivas. O ato de ler envolve quatro processadores: o processador ortográfico, que diz respeito à maneira de escrever as palavras; o processador de palavras refere-se ao sentido de uma palavra; o processador fonológico refere-se à unidade menor que forma uma sílaba ou uma palavra; e o processador de contexto que se refere à sintaxe, ao papel de cada palavra numa frase, formando uma estrutura com um significado maior que a palavra, desenvolve noções linguística e regras gramaticais. Estudos mostram que hábeis leitores não necessitam mais do processador fonológico para entender o significado de uma palavra escrita. Já maus leitores apresentam dificuldades nos processadores visuais e/ou auditivos, cometendo distorções, inversões, trocas e omissões, as chamadas dislexias. Conforme os tipos de dislexia, estudos mostraram lesões nas áreas, occipital, temporal ou ainda parietal. 5. Agora, articule essas informações e produza um resumo.
  4. 4. Programa Institucional de Bolsas de Incentivo à Docência – PIBID-LETRAS/UEM Oficinas de leitura de textos literários e produção textual Elaborador da proposta didática: Carlos Henrique Durlo e Virgínia Nuss 6. Faça um resumo do texto distribuído. (uma reportagem xerocada de uma revista) AVALIAÇÃO: (Proposta retirada do caderno de provas 01 do PAS 2012) Texto Livre-se dos maus hábitos A ciência descobriu como programar sua rotina. Aprenda a substituir um hábito ruim por um bom. Sílvia Lisboa Nos últimos anos, pesquisas vêm mostrando que o caminho para se livrar de um mau costume não é tentar eliminá-lo, mas trocá-lo por um bom. ―Se você consegue diagnosticar seus hábitos, pode transformá-los no que quiser‖, diz Charles Duhigg, jornalista americano que compilou os mais importantes estudos sobre o tema em seu recente livro ―O poder do hábito: por que fazemos o que fazemos na vida e nos negócios‖, ainda sem edição no Brasil. Pesquisas mostram que não é verdadeira a máxima de que mudamos pouco ao longo da vida. É possível deixar para trás comportamentos que nos incomodam — como assistir à TV até de madrugada, tomar café demais ou enrolar no trabalho. Basta seguir alguns conselhos cientificamente comprovados.Para reverter um mau costume, primeiro é preciso entendê-lo. Pesquisadores do Departamento de Ciência do Cérebro e Cognitiva do MIT descobriram que o hábito é um ciclo composto de 3 etapas. Primeiro surgem os gatilhos que acionam determinado comportamento; depois, uma rotina se instaura; em seguida, vem a recompensa que motivou a busca. O padrão foi observado em ratos que foram colocados dentro de uma caixa em forma de T com um chocolate na ponta esquerda. Os roedores ouviam um estalo alto quando a porta de acesso às pontas do T era aberta. O barulho era a pista. Os animais cheiravam a caixa, iam à direita e depois encontravam o chocolate à esquerda. O experimento foi repetido várias vezes. À medida que as cobaias aprendiam onde estava o chocolate, elas ouviam o estalo (gatilho), iam diretamente à esquerda do T (rotina) para comer o doce (recompensa), sem ter dúvidas sobre o caminho. Pronto: estava criado o hábito. Nós também passamos por esse processo constantemente. Afinal, hábitos são uma estratégia da natureza para nos poupar. Eles funcionam como um atalho do cérebro para executar algumas ações de forma automática, sem pensar. Imagine ter que queimar neurônios em tarefas simples como escovar os dentes, comer, dormir ou amarrar os sapatos. ―Hábitos permitem preservar energia para coisas complicadas‖, diz Wolfram Schultz, professor de neurociência da Universidade de Cambridge, Inglaterra. A economia não é pouca. Cerca de 45% de nossas ações diárias são automáticas. Elas estão entranhadas em nossos neurônios. A história de um americano de meia idade ilustra bem isso. Após sofrer uma encefalite viral, que prejudicou sua capacidade de reter informações básicas, como a própria idade, Eugene Pauly continuou seguindo sua rotina. Mesmo incapaz de dizer onde ficava a cozinha de casa, se dirigia ao local quando sentia fome. Ele não conseguia explicar ao médico por que sabia que na cozinha tinha comida, mas uma parte do seu cérebro não afetada pelo vírus havia guardado aquela informação e o levava automaticamente para lá. Pauly ainda podia prestar atenção nos gatilhos — seu estômago
  5. 5. Programa Institucional de Bolsas de Incentivo à Docência – PIBID-LETRAS/UEM Oficinas de leitura de textos literários e produção textual Elaborador da proposta didática: Carlos Henrique Durlo e Virgínia Nuss roncando — e tinha a rotina de se dirigir à cozinha para conseguir a recompensa de se alimentar. Ou seja, ele ainda podia seguir o ciclo do hábito. O estudo do caso levou o pesquisador Larry Squire, da Universidade da Califórnia, a descobrir que existe uma área cerebral responsável por armazenar hábitos: o núcleo da base, região próxima à nuca e mais antiga do cérebro do ponto de vista evolutivo. É lá que guardamos os aprendizados por repetição. Quando você liga o carro, por exemplo, esta região aciona automaticamente os ensinamentos que você teve na autoescola e você sai dirigindo, com o resto dos neurônios praticamente adormecidos. O problema é que, ao mesmo tempo em que nosso cérebro segue a lei do mínimo esforço, ele busca prazer a todo custo. E hábitos trazem recompensas, daí o risco de serem desenvolvidos em excesso — e de automatizarmos comportamentos que nos prejudicam. A solução é entrar no jogo e seguir o ciclo do hábito, mas a nosso favor. Precisamos, então, criar gatilhos, rotinas e recompensas que só nos façam bem. ―Para o cérebro, não faz diferença de onde veio a gratificação, se da comida ou da prática de esportes. Ele só quer sua injeção de dopamina‖, afirma o psiquiatra Paulo Knapp, autor do livro Terapia Cognitivo-Comportamental na Prática Psiquiátrica, abordagem terapêutica focada em mudança de comportamentos e crenças. Já que nossa cabeça não está interessada em saber a origem do prazer que move um hábito, ela pode ser treinada para automatizar apenas os bons. Aí sim começa a verdadeira mudança. (Adaptado de Revista Galileu, junho 2012. n. 251. p. 46 a 53) A partir da leitura do texto Livre-se dos maus hábitos, produza um RESUMO desse texto, com no mínimo 10 e no máximo 20 linhas. Lembre-se de que o RESUMO é um gênero textual que tem por objetivo passar ao leitor as informações mais relevantes do texto original, ou seja, aquele que serviu de base para sua produção. _________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________ ______________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________
  6. 6. Programa Institucional de Bolsas de Incentivo à Docência – PIBID-LETRAS/UEM Oficinas de leitura de textos literários e produção textual Elaborador da proposta didática: Carlos Henrique Durlo e Virgínia Nuss BIBLIOGRAFIA Machado, A. R. (org.).Resumo. São Paulo: Parábola Editorial, 2004. MENEGASSI, R.J. O Leitor e o processo de leitura.IN: GRECO, E. A.; GUIMARÃES, T. B. (orgs).Leitura: aspectos teóricos e práticos. Maringá – PR: EDUEM, 2010 Sete dicas sobre como manter a concentração nos estudos, disponível em :http://vestibular.uol.com.br/album/2013/04/08/confira-sete-dicas-de-estudo-para-osvestibulares.htm#fotoNav=8> acesso em 01/05/2013. Avaliação do PAS/2012, disponível em: http://www.pas.uem.br/provas2012/PASUEM2012_Etapa1_G1.pdf> acesso em 01/05/2013. Origem da palavra resumo, disponível em :http://origemdapalavra.com.br/palavras/resumo/> acesso em 01/05/2013.

×