Genero relato

5.757 visualizações

Publicada em

0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.757
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
17
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
82
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Genero relato

  1. 1. Programa Institucional de Bolsas de Incentivo à Docência – PIBID-LETRAS/UEM Oficinas de leitura de textos literários e produção textual Elaborador da proposta didática: Carlos Henrique Durlo e Virgínia NussMúsica 1: Vento no Litoral – Legião Urbana Música 2: Com açúcar, com afeto – Chico BuarqueDe tarde quero descansar Com açúcar, com afeto, fiz seu doce prediletoChegar até a praia e ver Pra você parar em casa, qual o quê!Se o vento ainda está forte Com seu terno mais bonito,E vai ser bom Você sai, não acreditoSubir nas pedras Quando diz que não se atrasaSei que faço isso pra esquecer Você diz que é um operário,Eu deixo a onda me acertar Vai em busca do salárioE o vento vai levando embora... Pra poder me sustentar, qual o quê!Agora está tão longe No caminho da oficina,Ver a linha do horizonte me distrai Há um bar em cada esquinaDos nossos planos é que tenho mais saudade Pra você comemorar, sei lá o quê!Quando olhávamos juntos Sei que alguém vai se sentar junto,Na mesma direção Você vai puxar assuntoAonde está você agora Discutindo futebolAlém de aqui dentro de mim... E ficar olhando as saiasAgimos certo sem querer De quem vive pelas praiasFoi só o tempo que errou Coloridas pelo solVai ser difícil sem você Vem a noite e mais um copo,Porque você está comigo Sei que alegre ma non troppo*O tempo todo Você vai querer cantarE quando vejo o mar Na caixinha um novo amigoExiste algo que diz Vai bater um samba antigoQue a vida continua Pra você rememorarE se entregar é uma bobagem... Quando a noite enfim lhe cansa,Já que você não está aqui Você vem feito criançaO que posso fazer Pra chorar o meu perdão, qual o quê!É cuidar de mim Diz pra eu não ficar sentida,Quero ser feliz ao menos Diz que vai mudar de vidaLembra que o plano Pra agradar meu coraçãoEra ficarmos bem... E ao lhe ver assim cansado,Eieieieiei! Maltrapilho e maltratadoOlha só o que eu achei Ainda quis me aborrecer? Qual o quê!Humrun Logo vou esquentar seu prato,Cavalos-marinhos... Dou um beijo em seu retratoSei que faço isso E abro os meus braços pra você.Pra esquecerEu deixo a onda me acertar *allegro ma non troppo = Andamento utilizado emE o vento vai levando partituras musicais para indicar que a execuçãoTudo embora... dever ser moderadamente rápida. “Rápido, mas não muito”.Disponível em: http://www.letras.mus.br/legião-urbana/22505 .Acesso em: 8 mar. 2013. Disponível em: <http://www.letras.mus.br/chico-buarque/45123>. Acesso em: 8 mar. 2013.
  2. 2. Programa Institucional de Bolsas de Incentivo à Docência – PIBID-LETRAS/UEM Oficinas de leitura de textos literários e produção textual Elaborador da proposta didática: Carlos Henrique Durlo e Virgínia Nuss TEXTO 1 “Quando conheci os produtos de Nutrição Interna da Herbalife, experimentei um aumento emmeus níveis de energia imediatamente. Eu pratico ciclismo há mais de dez anos e já participei devárias competições nacionais e internacionais, porém o resultado nunca foi o esperado. Antes de usarestes produtos, eu sentia muito cansaço e falta de disposição para os treinos. Em provas de longadistância, não conseguia termina-las e, se conseguisse, minha recuperação era muito lenta e difícildevida à falta de resistência. Com apenas 60 dias de uso dos produtos de Nutrição Interna e muito treino, atingi minhamelhor marca: o 3º lugar na prova de 100 km, dos Jogos Regionais da minha cidade. E asseguro quecada produto da Herbalife que uso, ajuda-me a melhorar meu desempenho. Uso todos os tabletes, oPó Nutricional junto com o Protein Powder logo pela manhã e meu dia já começa bem. Durante odia, principalmente nos treinos e nas provas, uso o Chá ShapeWorks que me dá muita energia e meajuda a ter uma recuperação muito mais rápida. Eu encontrei minha fonte de energia na Herbalife!” Henrique Pereira – Pirassununga, SP. Adaptado de http://www.recantofelizeventos.com/bemnutrido/depoimen.html Acesso em: 8 mar. 2013. TEXTO 2 Angra, Paraty e Trindade Enio Rezende Galera mochileira, venho postar meu relato de uma viagem pelo litoral sul do Rio de Janeiro.Passei por Angra, Paraty e Trindade. Cheguei em Angra numa quinta-feira de manhã (18/10)rodoviária pequena, acanhada para o porte e a fama de Angra dos Reis, só com 7 plataformas e poucomovimento. O mais legal da rodoviária de Angra é um deck que tem na parte de trás, com vista pramarina, bem legal. Minha rota era seguir direto pra Paraty e como o check-in no hostel era só as 14horas, fiquei de bobeira na rodoviária de Angra, olhando o visual dali. Fui traído pela empresa deônibus pois no site dizia que tinha ônibus de Angra pra Paraty de meio em meia hora e na verdadedesde o dia 1/10/2012 os horários foram mudados e era um ônibus a cada quase 3 horas!! Tinha um6:40, 10 minutos depois de eu ter desembarcado, mas como não sabia, perdi esse ônibus e só fui nopróximo as 9 horas. De Angra pra Paraty são 90 km num onibuzinho tenebroso (mais louca foi avolta que conto mais pra frente). São 2 horas num ônibus tipo urbano, cheio de solavancos e ummotorista radicaaaall. Salve-se quem puder!! A empresa é a Colitur e não adianta procurar outra poiso trecho é dominado pela tal Colitur. (A não ser que vc venha do Rio pela Costa Verde, p.ex., masAngra-Paraty é so essa). Passagem R$ 9,50. Cheguei em Paraty 11 horas e fui almoçar. Tem unsrestaurantes de comida a quilo na avenida principal a uns 2 quarteirões da rodoviária porum preço razoável (24,90 o kilo, bem mais em conta q no inflacionário centro histórico). ParaTrindade tem ônibus de hora em hora, sem maiores problemas. Saí de Paraty as 13 horas e paraTrindade são 45 minutos de ônibus. Passagem R$ 3,40. Cheguei no Che Lagarto de Trindade já nahora do check-in e fui direto pra praia curtir o solzão de 31 graus q tava fazendo. O Che Lagarto deTrindade é novinho em folha, foi inaugurado em agosto e tem um clima mto bom, musica ambiente,
  3. 3. Programa Institucional de Bolsas de Incentivo à Docência – PIBID-LETRAS/UEM Oficinas de leitura de textos literários e produção textual Elaborador da proposta didática: Carlos Henrique Durlo e Virgínia Nussgeralmente reggae, recomendo. So levem um repelente pois tinha pernilongo d+ no quarto. No meutinha mais de 20 e eu matei uns 8 na chinelada! Mas a região é cheia de mata e não deve ser umproblema específico do hostel. Mas eles não me incomodaram, liguei o ar condicionado, coloquei ocobertor até na orelha e dormi em paz todos os dias! Trindade é lindo, paradisíaco, sensação de lugarisolado e selvagem, embora a estrada asfaltada tenha dado mais acesso e badalação ao local. Masainda é muito legal e interessante a entrada da vila onde o asfalto acaba e os carros passam pelaspedras da beira mar por uns 30 metros até voltar pro asfalto. Na sexta, o dia ficou todo nublado efriozinho e aproveitei pra andar em Paraty. Cidade histórica mto bem cuidada, uma delicia mesmo.De volta à Trindade no sábado, fui em todas as praias e nas trilhas que levam pras cachoeiras e prapiscina natural do Cachadaço. Pra mim, essa piscina é o melhor lugar de Trindade, ficaria la o diatodo! A atração imperdível de Trindade! Da vila até lá são 2 trilhas e uma praia pra atravessar, dá uns2 km. Nas trilhas eu fui descalço mas com mta atenção pq outras pessoas viram cobras pela trilha.Veja bem onde pisa!! Durante a noite a vila continua agitada nos seus vários bares e restaurantes. Umtiozinho tocava Raul na porta de uma loja esotérica. O lugar ainda guarda muito da cultura hippie.Pra mim e pra todos q curtem um lugar com natureza, reggae, hippies... é um prato cheio! Nodomingo fui embora com a certeza de ter conhecido um dos lugares mais bonitos que já fui, trindadeé um espetáculo!! Onibus de Trindade pra Paraty e depois o tenebroso Colitur de Paraty pra Angra.La vou eu no fundo do busão com mais 2 casais de estonianos. Fui arrastando meu inglês com elesaté o tenebroso busão quebrar faltando 10 km pra chegar em Angra. Todo mundo desce, busãolotado, esperando outro ônibus de outra linha pra terminar a aventura até Angra. Para os estonianosera tudo festa!! Mas essa empresa devia colocar uns ônibus melhores pra essa linha, mais horários emotoristas menos kamikazes! Cheguei em Angra 13 horas, deixei a mochila na rodoviária e fuiconhecer o centro histórico de Angra q tb é interessante e mto pouco divulgado, principalmente oconvento em ruínas, que achei bem legal. A natureza da costa verde fluminense, a parte de histórica,tudo muito legal. So faltou Ilha Grande dessa vez, mas Trindade compensou! Até a próximamochileiros!!Disponível em: <http://www.mochileiros.com/angra-paraty-e-trindade-t75001.html >. Acesso em: 8 mar. 2013. ATIVIDADE 1 Fazer o levantamento das características do relato presentes nos textos.
  4. 4. Programa Institucional de Bolsas de Incentivo à Docência – PIBID-LETRAS/UEM Oficinas de leitura de textos literários e produção textual Elaborador da proposta didática: Carlos Henrique Durlo e Virgínia Nuss O RELATO Diariamente, partilhamos fatos de nosso cotidiano com pessoas que conhecemos e gostamos,seja um amigo ou um parente próximo. Tais fatos narrados podem ser tristes, alegres, impactantes,dolorosos, assustadores, trágicos ou cômicos. O fato é que a todo o momento estamos relatando algo,mesmo sem percebermos. Apesar de o relato ser, primeiramente, uma atividade oral, nos deteremos, enquanto gênerotextual, à modalidade escrita. Isso porque, a forma escrita permite a melhor organização dos fatosnarrados. Quando nos referimos ao ato de narrar pensamos, automaticamente, na ideia de contar sobrealgo e esse contar é construído por meio de determinados elementos: personagens, tempo, espaço,narrador. Aspectos bem semelhantes à tipologia textual narrativa (narração). Partindo do pressuposto da narrativa (contar algo sobre, narrar fatos), temos o relato, que énarrado em 1ª ou 3ª pessoa, com predominância dos verbos no tempo presente e no pretérito perfeito(preferencialmente). Desse modo, por relatar algo que aconteceu, apresenta uma situação vivida ou presenciadapelo autor no passado. É uma obra não ficcional, mas real. Geralmente, tratam de fatos do cotidiano(viagens, emoções, sensações etc.) e/ou experiências pessoais vividas que abordam a participação ouo ponto de vista sobre o que é relatado. Pode apresentar traços descritivos e deve, sempre, manter afidelidade dos fatos narrados (se não aconteceu não pode ser narrado). Assim sendo, a função desse gênero textual é o de registrar as experiências pessoais naintenção de ensinar ou documentar como prova um fato relevante que, por vezes, leva o leitor aidentificar-se com as ações narradas. Portanto, é preciso prestar bastante atenção no enfoque à sequência das ações. Osacontecimentos devem seguir uma sequência lógica e cronológica (começo, meio e fim de uma açãopassada; ponto de partida e chegada), sem idas e vindas. Os personagens, tempo ou espaço vãoaparecer, mas sem destaque. Não há conflito, muito menos clímax, que são elementos característicosda narrativa. O emocional extremo deve ser evitado, primando-se, no entanto, pela valorização dasações, onde deverá aparecer a resposta para os seguintes questionamentos: quem sofreu a ação?Onde? Quando? Como? Por quê? Para que? Etc. Enfim, lembramos que há relatos que são publicados em jornais, revistas, livros, sites, blogsetc. E funcionam como fonte de informação acessível a um grande número de pessoas. São exemplosde relato pessoal os diários pessoais, diários de viagem, autobiografias etc. Por isso, deve-se prezarpela verdade dos fatos relatados, levando-se, sempre, em consideração o público-alvo.Relembrando as características do Relato Pessoal- Narra fatos reais vividos pelo autor;- narrado em 1ª ou 3ª pessoa com verbos no presente e no pretérito perfeito (predominantemente);- o narrador é protagonista;- apresenta elementos básicos da narrativa;- espaço onde se desenrola a narrativa é restrito;- os temas tratados são do cotidiano e devem retratar com fidelidade o ocorrido;- marcações cronológicas sequenciais (começo, meio e fim de uma ação passada);
  5. 5. Programa Institucional de Bolsas de Incentivo à Docência – PIBID-LETRAS/UEM Oficinas de leitura de textos literários e produção textual Elaborador da proposta didática: Carlos Henrique Durlo e Virgínia Nuss- enfoque na sequência das ações;- personagens, tempo e espaço aparecem, mas sem destaque;- não há conflito, muito menos clímax;- deve-se evitar o emocional extremo;- geralmente publicados em jornais, revistas, livros, sites, blogs etc.- fontes de informação acessíveis a um grande número de pessoas;- podem ser orais ou escritos. No entanto, a forma escrita possibilita melhor organização dos fatosnarrados.ATIVIDADE 2(Adaptado de PAS-UEM 2010) A coletânea a seguir, composta pelos textos 1, 2 e 3, aborda o temaRelações entre os seres humanos e os animais de estimação. Leia-a com atenção, pois ela é oapoio para o Relato Pessoal que você deverá produzir.Texto 1Nossa família animalMarcelo MartheA relação milenar entre homens e bichos de estimação entrou numa nova fase. Mais do que amigos,eles agora são como filhos. (...)(...) O novo status que cães e gatos estão assumindo nos lares tem pelo menos duas razões sociaisdistintas. A primeira diz respeito ao encolhimento das famílias. Hoje são raros os casais que optampor ter mais de um ou dois filhos – o terceiro, que costuma desembarcar em casa quando esses jáestão mais crescidos, é quase sempre um cão ou gato. (...) O segundo fator é o crescimento docontingente de pessoas que vivem sozinhas nas grandes cidades e buscam um companheiroanimal.(...)Texto adaptado da Revista Veja. Disponível em: <http://veja.abril.com.br/010709/nossa-familia-animal-p-084.shtml>.Acesso em: 21 jun. 2010.Texto 2Por que gostamos de nossos cachorros?Isabella Bertelli Cabral dos SantosHá tempos pesquisadores de variadas formações têm se empenhado em estudar as relações entre osseres humanos e animais de estimação.(...) Há evidências convincentes de que as pessoas usualmente veem sua relação com seus animais deestimação como similares às que têm com seus filhos. (...) de que os animais atuam como substitutosde crianças (...).Texto adaptado da Revista Ciência & Vida – Psique. Ano III, n.º 32, p. 21-25.Texto 3Creche para cães em SP segue moldes de escola infantil(...) Nelas, os bichos vão todo dia (R$ 580 mensais, de segunda à sexta) com regras tão parecidas erígidas quanto às das escolas. Têm horário de entrada e saída, lista de presença, recreação, banho depiscina, atividades físicas, passeios no parque, escovação diária de dentes e pelos, exames periódicos
  6. 6. Programa Institucional de Bolsas de Incentivo à Docência – PIBID-LETRAS/UEM Oficinas de leitura de textos literários e produção textual Elaborador da proposta didática: Carlos Henrique Durlo e Virgínia Nussde sangue e de fezes, transporte que vai buscar e deixar em casa e até horário de descanso paradormir em colchões.Texto adaptado. Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br/folha/videocasts/ult10038u699615>.Acesso em: 21 jun. 2010.A partir das informações contidas na coletânea composta pelos textos 1, 2 e 3, escreva o relato de umfato (uma situação) que você presenciou ou vivenciou, em que fiquem evidentes as relações entre osseres humanos e os animais de estimação, com no máximo 15 linhas. 10 15

×