SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 73
Virgílio Garcia Moreira MD MPh
Prevalência de 37% - EUA 
> 55 anos de 44 a 70% evidencias radiológicas de OA 
4/100 de 18 a 24 anos 
85/100 de 75 a 79 anos 
Autopsias Indivíduos 40 anos 
90% OA 
Lawrence RC, Helmick CG, Arnett FC, et al. Estimatesof prevalence of arthritis and selected musculoskeletal disorders in the United States. Arthritis Rheum. 1998;41: 778–799.
Idade Avançada A Quarta Idade
Garcez-Leme, Luiz E., Deckers Leme, Mariana & Espino, David V. (2005). Geriatrics in Brazil: A Big Country with Big Opportunities. 
Journal of the American Geriatrics Society 53 (11), 2018-2022.
Acima 50 anos Acima 40 anos 
Após 
Menopausa 
4 mulheres/ 1 homem 
Stevens, MB. Connective tissue disease in the elderly. Clin Rheum Dis. 1986;12:11–32.
Estudo 
de Framinham: 
- 27% < 70 anos OA Joelhos; 
- 44% > 80 anos OA Joelhos; 
Davis MA, Ettinger WH, Neuhaus JM. Obesity and osteoarthritis of the knee: evidence from the National Health and Nutrition Examination Survey (NHANES I). Semin Arthritis Rheum. 1990;20:34– 
41.
Traumas de 
Repetição 
Davis MA, Ettinger WH, Neuhaus JM. Obesity and osteoarthritis of the knee: evidence from the National Health and Nutrition Examination Survey (NHANES I). Semin Arthritis Rheum. 1990;20:34– 
41.
Atividades 
Ocupacionais 
Davis MA, Ettinger WH, Neuhaus JM. Obesity and osteoarthritis of the knee: evidence from the National Health and Nutrition Examination Survey (NHANES I). Semin Arthritis Rheum. 1990;20:34– 
41.
Obesidade 
Fernando Botero
Sistema 
Muscular 
Proteção 
Fraqueza Muscular 
Causa x Consequência 
A. Vesalius 1514-64
Evidência Pré-histórica 
Australopithecus aferensus 
Masmejean E, Dutour O, Touam C, et al. Bilateral SLAC (scapholunate advanced collapse) wrist: an unusual entity. Apropos of a 
7000-year-old prehistoric case. Ann Chir Main Membre Super. 1997;16:207–214.
Definição 
 Doença degradativa crônica que se inicia na 
cartilagem articular e sofre influências genéticas 
e mecânicas locais 
 Caracterizada por :degradação da cartilagem 
articular remodelação óssea com eburneação 
óssea subcondral e formação osteofitária 
Fitzgerald GK, Piva SR, Irrgang JJ. Reports of joint instability in knee osteoarthri- tis: its prevalence and relationship to physical function. Arthritis Rheum. 2004;51(6):941–946.
Classificação 
Primária ou Idiopática: 
- Localizado 
- Generalizado 
Mono 
Oligo 
Poliarticular
Classificação 
Secundária: 
- Hiperuricemia 
- Artrite Reumatóide 
- Bacteriana 
- Manifestações de Doenças Orgânicas
Critérios Diagnósticos 
Idade Sintomas Imagem Focais 
Hazard, W. & col. Principles of Geriatric and Gerontology. 6º Ed. 2009 - MCGrawn Hill.
Fisiopatologia 
Avascular 
Aneural
Dieppe e Brandt. What is important in treating osteoarthritis?Whomshould we treat and how should wetreat them?. Rheumatic Disease Clinics of North America (2003) vol. 29 pp. 687-716
Fisiopatologia
Dieppe e Lohmander. Pathogenesis and management of pain in osteoarthritis. Lancet (2005) vol. 365 (9463) pp. 965-73
Fisiopatologia
Fisiopatologia
Fisiopatologia 
Degradação 
Reparo 
Loeser RF. Molecular mechanisms of cartilage destruction: mechanics, inflammatory mediators and aging collide. Arthritis Rheum. 2006;54(5):1357–1360.
Clínica 
 Dor e sensibilidade á mobilização,palpação e 
manobras 
 Crepitação palpável e, excepcionalmente, audível 
 Espasmo e atrofia da musculatura articular 
 Limitação da ADM 
 Sinais discretos de inflamação 
articular,raramente acentuados 
 Derrame articular, comumente relacionado com 
trauma ou uso excessivo da articulação
Exame Físico
Exame Físico
 Mãos 
 principal sítio de acometimento
Acometimento simétricos 
2º E 5º DEDOS + precoce 
SEXO ♀5ªdécada 
NÓDULOS deBOUCHARD 
IF PROXIMAIS 
NÓDULOS de HEBERDEN 
IF DISTAIS
Nódulos de Heberden 
Nódulos de Bouchard
 Quadris 
 Segundo sítio de maior comprometimento
SEXO ♂ 
Dor insidiosa piora 
gradativamente 
surgindo dificuldade 
para caminhar subir e 
descer escadas 
contratura em flexão e 
adução dor irradiada 
para face posterior da 
coxa ou anterior até o 
joelho 
Dor poderá se tornar 
constante ,noturna com 
incapacidade funcional
 Joelhos 
 Terceiro sítio de acometimento
GONARTROSE 
SEXO♀ 5ª década 
Simétricos relação 
Obesidade 
Atitude no trabalho 
Joelho varo ou valgo 
Exame Físico : 
Edema 
Limitação 
Deformidade 
Crepitação 
Derrame
Disco intervertebral 
Corpo vertebral 
Art /apofisárias 
IDADE 41 a 60 anos 
Dor localizada 
ligamentos cápsulas 
e músculos 
Dor irradiada por 
compressão 
radicular 
Piora com os 
movimentos 
Melhora com o 
repouso
Laboratório 
 PCR 
 VHS 
 Marcadores de Citocinas 
Pelletier JP, Martel-Pelletier J. New trends in the treatment of osteoarthritis. Semin Arthritis Rheum. 2005;34(6 Suppl 2):13–14.
Raio X 
Ressonância
- Alinhamento Juncional 
- Espaço articular 
- Calcificações 
adjacentes (peri e intra 
articular) 
- Osteopenia 
- Fraturas 
- Cistos condrais 
- Esclererose subcondral
Espaço articular Alinhamento 
Osteopenia Calcificações
Objetivos 
1- Idade 
2- Comorbidades 
3- Severidade Clínica da OA 
4- Preferênias Individuais 
5- Custos 
Dieppe e Brandt. What is important in treating osteoarthritis?Whomshould we treat and how should wetreat them?. Rheumatic Disease Clinics of North America (2003) vol. 29 pp. 687-716
Corrigir Fatores de Risco 
Deformidades Sobrecarga Articular 
Repouso quando grande algia Orteses 
Terapia Física – Calor local
Educação, estilo de vida e Comportamento 
- Educação do paciente e familiares 
- “Empowerment” 
- Mudanças ambientais 
- Atividade Física 
- Perda de Peso e orientações dietéticas 
- Avaliação dos pés e calçados 
Dieppe e Brandt. What is important in treating osteoarthritis?Whomshould we treat and how should wetreat them?. Rheumatic Disease Clinics of North America (2003) vol. 29 pp. 687-716
Práticas Não Farmacológicas 
- Exercícios (mobilidade, força, função – redução 
da Dor 
- Aparatos de proteção 
- Nutracêuticos 
- Acupuntura** 
Dieppe e Brandt. What is important in treating osteoarthritis?Whomshould we treat and how should wetreat them?. Rheumatic Disease Clinics of North America (2003) vol. 29 pp. 687-716
Dieppe e Brandt. What is important in treating osteoarthritis?Whomshould we treat and how should wetreat them?. Rheumatic Disease Clinics of North America (2003) vol. 29 pp. 687-716
Dieppe e Brandt. What is important in treating osteoarthritis?Whomshould we treat and how should wetreat them?. Rheumatic Disease Clinics of North America (2003) vol. 29 pp. 687-716
Cirurgia parcial ou total 
Osteotomia, superficialização 
Intervenções não cirúrgicas – 
Iinfusões locais 
AINE Fisioterapia, Órteses 
Analgesia tópica, nutraceuticos, estilo de vida 
Recomendações Gerais 
Educação, perda de peso, exercícios, alteração 
do estilo de vida 
Consultas 
Amiúde 
Severidade 
Número de Indivíduos
Osteoartrose

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Doença óssea Metabólica
Doença óssea MetabólicaDoença óssea Metabólica
Doença óssea Metabólica
pauloalambert
 
Artrose max
Artrose maxArtrose max
Artrose max
lcinfo
 
Avaliação da coluna lombar
Avaliação da coluna lombarAvaliação da coluna lombar
Avaliação da coluna lombar
Junio Alves
 
Entendendo a espondilite
Entendendo a espondiliteEntendendo a espondilite
Entendendo a espondilite
Reumatoguia
 

Mais procurados (20)

Doença óssea Metabólica
Doença óssea MetabólicaDoença óssea Metabólica
Doença óssea Metabólica
 
Enfermidades específicas do joelho
Enfermidades específicas do joelhoEnfermidades específicas do joelho
Enfermidades específicas do joelho
 
Doença de Paget
Doença de PagetDoença de Paget
Doença de Paget
 
Exames laboratoriais parar Fisioterapeutas
Exames laboratoriais parar FisioterapeutasExames laboratoriais parar Fisioterapeutas
Exames laboratoriais parar Fisioterapeutas
 
Hernia de disco 1
Hernia de disco 1Hernia de disco 1
Hernia de disco 1
 
Osteoartrite 20
Osteoartrite 20Osteoartrite 20
Osteoartrite 20
 
Osteoartrite
OsteoartriteOsteoartrite
Osteoartrite
 
ARTRITE REUMATÓIDE
ARTRITE REUMATÓIDEARTRITE REUMATÓIDE
ARTRITE REUMATÓIDE
 
Pé Diabético
Pé DiabéticoPé Diabético
Pé Diabético
 
Patologia geral - doencas reumatologicas - capitulo 7
Patologia geral - doencas reumatologicas - capitulo 7Patologia geral - doencas reumatologicas - capitulo 7
Patologia geral - doencas reumatologicas - capitulo 7
 
Traumas dos Membros Inferiores
Traumas dos Membros InferioresTraumas dos Membros Inferiores
Traumas dos Membros Inferiores
 
Gota
GotaGota
Gota
 
Lombalgia
LombalgiaLombalgia
Lombalgia
 
Artrose max
Artrose maxArtrose max
Artrose max
 
Avaliação da coluna lombar
Avaliação da coluna lombarAvaliação da coluna lombar
Avaliação da coluna lombar
 
Entendendo a espondilite
Entendendo a espondiliteEntendendo a espondilite
Entendendo a espondilite
 
Exame físico geral
Exame físico geralExame físico geral
Exame físico geral
 
Pé Diabético
Pé DiabéticoPé Diabético
Pé Diabético
 
Pé torto congenito (clubfoot)
Pé torto congenito (clubfoot)Pé torto congenito (clubfoot)
Pé torto congenito (clubfoot)
 
Dtp 16 21 sp
Dtp 16 21 spDtp 16 21 sp
Dtp 16 21 sp
 

Destaque

Patologia estudada artrite e artrose
Patologia estudada artrite e artrosePatologia estudada artrite e artrose
Patologia estudada artrite e artrose
Thamires Marinho
 
Curso Historia Oral - Lectura #2: La entrevista de historia oral, ¿monologo o...
Curso Historia Oral - Lectura #2: La entrevista de historia oral, ¿monologo o...Curso Historia Oral - Lectura #2: La entrevista de historia oral, ¿monologo o...
Curso Historia Oral - Lectura #2: La entrevista de historia oral, ¿monologo o...
Archivo del Agua [DIIS]
 
Caso clinico
Caso clinicoCaso clinico
Caso clinico
mairaaas
 

Destaque (16)

Osteoartrose Na Terceira Idade
Osteoartrose Na Terceira IdadeOsteoartrose Na Terceira Idade
Osteoartrose Na Terceira Idade
 
Artose
ArtoseArtose
Artose
 
Osteoartrite 2014
Osteoartrite 2014Osteoartrite 2014
Osteoartrite 2014
 
Patologia estudada artrite e artrose
Patologia estudada artrite e artrosePatologia estudada artrite e artrose
Patologia estudada artrite e artrose
 
Fisioterapia na Gonartrose
Fisioterapia na GonartroseFisioterapia na Gonartrose
Fisioterapia na Gonartrose
 
Osteoporose e Osteoartrite
Osteoporose e OsteoartriteOsteoporose e Osteoartrite
Osteoporose e Osteoartrite
 
Osteoartrite 2016
Osteoartrite 2016Osteoartrite 2016
Osteoartrite 2016
 
Saúde do Idoso - Osteoporose
Saúde do Idoso - OsteoporoseSaúde do Idoso - Osteoporose
Saúde do Idoso - Osteoporose
 
Osteoporose
OsteoporoseOsteoporose
Osteoporose
 
Gota artrose slide pronto copia
Gota artrose slide pronto   copiaGota artrose slide pronto   copia
Gota artrose slide pronto copia
 
Aula Coxartrose e Artroplastia total do quadril
Aula  Coxartrose e Artroplastia total do quadril Aula  Coxartrose e Artroplastia total do quadril
Aula Coxartrose e Artroplastia total do quadril
 
Oa 2013
Oa 2013Oa 2013
Oa 2013
 
Curso Historia Oral - Lectura #2: La entrevista de historia oral, ¿monologo o...
Curso Historia Oral - Lectura #2: La entrevista de historia oral, ¿monologo o...Curso Historia Oral - Lectura #2: La entrevista de historia oral, ¿monologo o...
Curso Historia Oral - Lectura #2: La entrevista de historia oral, ¿monologo o...
 
Dor em membros inferiores
Dor em membros inferioresDor em membros inferiores
Dor em membros inferiores
 
Caso clinico
Caso clinicoCaso clinico
Caso clinico
 
Acidentes de trânsito são responsáveis pela maior parte dos atendimentos em O...
Acidentes de trânsito são responsáveis pela maior parte dos atendimentos em O...Acidentes de trânsito são responsáveis pela maior parte dos atendimentos em O...
Acidentes de trânsito são responsáveis pela maior parte dos atendimentos em O...
 

Semelhante a Osteoartrose

Diagnósticos frequentes reumatologia pediátrica 16.10.14
Diagnósticos frequentes reumatologia pediátrica 16.10.14Diagnósticos frequentes reumatologia pediátrica 16.10.14
Diagnósticos frequentes reumatologia pediátrica 16.10.14
salgadokk
 
Propedeutica osteoarticular
Propedeutica osteoarticularPropedeutica osteoarticular
Propedeutica osteoarticular
Germano Silva
 
Obesidade Criança e Adolescente
Obesidade Criança e AdolescenteObesidade Criança e Adolescente
Obesidade Criança e Adolescente
hudsonjunior
 

Semelhante a Osteoartrose (20)

Oa aula 4 ano
Oa aula 4 anoOa aula 4 ano
Oa aula 4 ano
 
Aula 6: Dra. Érica Boldrini (Oncologista Pediátrica)
 Aula 6: Dra. Érica Boldrini (Oncologista Pediátrica)  Aula 6: Dra. Érica Boldrini (Oncologista Pediátrica)
Aula 6: Dra. Érica Boldrini (Oncologista Pediátrica)
 
Diagnósticos frequentes reumatologia pediátrica
Diagnósticos frequentes reumatologia pediátricaDiagnósticos frequentes reumatologia pediátrica
Diagnósticos frequentes reumatologia pediátrica
 
Diagnósticos frequentes reumatologia pediátrica 16.10.14
Diagnósticos frequentes reumatologia pediátrica 16.10.14Diagnósticos frequentes reumatologia pediátrica 16.10.14
Diagnósticos frequentes reumatologia pediátrica 16.10.14
 
dorlombar.pdf
dorlombar.pdfdorlombar.pdf
dorlombar.pdf
 
Apresentação1.pptx
Apresentação1.pptxApresentação1.pptx
Apresentação1.pptx
 
Osteoartrose ac basico
Osteoartrose   ac basicoOsteoartrose   ac basico
Osteoartrose ac basico
 
Síndrome de duchenne.point.poetha
Síndrome de duchenne.point.poethaSíndrome de duchenne.point.poetha
Síndrome de duchenne.point.poetha
 
Dor e qualidade de vida em academias
Dor e qualidade de vida em academiasDor e qualidade de vida em academias
Dor e qualidade de vida em academias
 
Biomecânica e Cinesiologia Aplicados a Podologia
Biomecânica e Cinesiologia Aplicados a PodologiaBiomecânica e Cinesiologia Aplicados a Podologia
Biomecânica e Cinesiologia Aplicados a Podologia
 
Propedeutica osteoarticular
Propedeutica osteoarticularPropedeutica osteoarticular
Propedeutica osteoarticular
 
trabalho de Reumato.pptx
trabalho de Reumato.pptxtrabalho de Reumato.pptx
trabalho de Reumato.pptx
 
Sindrome da fragilidade uerj - 2013
Sindrome da fragilidade   uerj - 2013Sindrome da fragilidade   uerj - 2013
Sindrome da fragilidade uerj - 2013
 
Obesidade Criança e Adolescente
Obesidade Criança e AdolescenteObesidade Criança e Adolescente
Obesidade Criança e Adolescente
 
Estatura crescimento infantil juvenil adolescente não depende apenas gh igf-1...
Estatura crescimento infantil juvenil adolescente não depende apenas gh igf-1...Estatura crescimento infantil juvenil adolescente não depende apenas gh igf-1...
Estatura crescimento infantil juvenil adolescente não depende apenas gh igf-1...
 
Dor recorrente em membros na infância
Dor recorrente em membros na infânciaDor recorrente em membros na infância
Dor recorrente em membros na infância
 
Sindrome da fragilidade UERJ - 2013
Sindrome da fragilidade   UERJ - 2013Sindrome da fragilidade   UERJ - 2013
Sindrome da fragilidade UERJ - 2013
 
Treinamento no joelho patológico / Pathological knee training
Treinamento no joelho patológico / Pathological knee trainingTreinamento no joelho patológico / Pathological knee training
Treinamento no joelho patológico / Pathological knee training
 
Sarcoma de Ewing CONLIGAS MEDICINA UNICID
Sarcoma de Ewing CONLIGAS MEDICINA UNICIDSarcoma de Ewing CONLIGAS MEDICINA UNICID
Sarcoma de Ewing CONLIGAS MEDICINA UNICID
 
Crescer infantil juvenil adolescente comprimento coluna vertebral superior co...
Crescer infantil juvenil adolescente comprimento coluna vertebral superior co...Crescer infantil juvenil adolescente comprimento coluna vertebral superior co...
Crescer infantil juvenil adolescente comprimento coluna vertebral superior co...
 

Osteoartrose

  • 2.
  • 3.
  • 4.
  • 5. Prevalência de 37% - EUA > 55 anos de 44 a 70% evidencias radiológicas de OA 4/100 de 18 a 24 anos 85/100 de 75 a 79 anos Autopsias Indivíduos 40 anos 90% OA Lawrence RC, Helmick CG, Arnett FC, et al. Estimatesof prevalence of arthritis and selected musculoskeletal disorders in the United States. Arthritis Rheum. 1998;41: 778–799.
  • 6. Idade Avançada A Quarta Idade
  • 7.
  • 8.
  • 9.
  • 10.
  • 11.
  • 12.
  • 13.
  • 14.
  • 15.
  • 16.
  • 17. Garcez-Leme, Luiz E., Deckers Leme, Mariana & Espino, David V. (2005). Geriatrics in Brazil: A Big Country with Big Opportunities. Journal of the American Geriatrics Society 53 (11), 2018-2022.
  • 18. Acima 50 anos Acima 40 anos Após Menopausa 4 mulheres/ 1 homem Stevens, MB. Connective tissue disease in the elderly. Clin Rheum Dis. 1986;12:11–32.
  • 19. Estudo de Framinham: - 27% < 70 anos OA Joelhos; - 44% > 80 anos OA Joelhos; Davis MA, Ettinger WH, Neuhaus JM. Obesity and osteoarthritis of the knee: evidence from the National Health and Nutrition Examination Survey (NHANES I). Semin Arthritis Rheum. 1990;20:34– 41.
  • 20. Traumas de Repetição Davis MA, Ettinger WH, Neuhaus JM. Obesity and osteoarthritis of the knee: evidence from the National Health and Nutrition Examination Survey (NHANES I). Semin Arthritis Rheum. 1990;20:34– 41.
  • 21. Atividades Ocupacionais Davis MA, Ettinger WH, Neuhaus JM. Obesity and osteoarthritis of the knee: evidence from the National Health and Nutrition Examination Survey (NHANES I). Semin Arthritis Rheum. 1990;20:34– 41.
  • 23. Sistema Muscular Proteção Fraqueza Muscular Causa x Consequência A. Vesalius 1514-64
  • 24. Evidência Pré-histórica Australopithecus aferensus Masmejean E, Dutour O, Touam C, et al. Bilateral SLAC (scapholunate advanced collapse) wrist: an unusual entity. Apropos of a 7000-year-old prehistoric case. Ann Chir Main Membre Super. 1997;16:207–214.
  • 25.
  • 26.
  • 27.
  • 28. Definição  Doença degradativa crônica que se inicia na cartilagem articular e sofre influências genéticas e mecânicas locais  Caracterizada por :degradação da cartilagem articular remodelação óssea com eburneação óssea subcondral e formação osteofitária Fitzgerald GK, Piva SR, Irrgang JJ. Reports of joint instability in knee osteoarthri- tis: its prevalence and relationship to physical function. Arthritis Rheum. 2004;51(6):941–946.
  • 29. Classificação Primária ou Idiopática: - Localizado - Generalizado Mono Oligo Poliarticular
  • 30. Classificação Secundária: - Hiperuricemia - Artrite Reumatóide - Bacteriana - Manifestações de Doenças Orgânicas
  • 31. Critérios Diagnósticos Idade Sintomas Imagem Focais Hazard, W. & col. Principles of Geriatric and Gerontology. 6º Ed. 2009 - MCGrawn Hill.
  • 33. Dieppe e Brandt. What is important in treating osteoarthritis?Whomshould we treat and how should wetreat them?. Rheumatic Disease Clinics of North America (2003) vol. 29 pp. 687-716
  • 35. Dieppe e Lohmander. Pathogenesis and management of pain in osteoarthritis. Lancet (2005) vol. 365 (9463) pp. 965-73
  • 38. Fisiopatologia Degradação Reparo Loeser RF. Molecular mechanisms of cartilage destruction: mechanics, inflammatory mediators and aging collide. Arthritis Rheum. 2006;54(5):1357–1360.
  • 39. Clínica  Dor e sensibilidade á mobilização,palpação e manobras  Crepitação palpável e, excepcionalmente, audível  Espasmo e atrofia da musculatura articular  Limitação da ADM  Sinais discretos de inflamação articular,raramente acentuados  Derrame articular, comumente relacionado com trauma ou uso excessivo da articulação
  • 42.  Mãos  principal sítio de acometimento
  • 43. Acometimento simétricos 2º E 5º DEDOS + precoce SEXO ♀5ªdécada NÓDULOS deBOUCHARD IF PROXIMAIS NÓDULOS de HEBERDEN IF DISTAIS
  • 44. Nódulos de Heberden Nódulos de Bouchard
  • 45.
  • 46.  Quadris  Segundo sítio de maior comprometimento
  • 47. SEXO ♂ Dor insidiosa piora gradativamente surgindo dificuldade para caminhar subir e descer escadas contratura em flexão e adução dor irradiada para face posterior da coxa ou anterior até o joelho Dor poderá se tornar constante ,noturna com incapacidade funcional
  • 48.  Joelhos  Terceiro sítio de acometimento
  • 49. GONARTROSE SEXO♀ 5ª década Simétricos relação Obesidade Atitude no trabalho Joelho varo ou valgo Exame Físico : Edema Limitação Deformidade Crepitação Derrame
  • 50.
  • 51. Disco intervertebral Corpo vertebral Art /apofisárias IDADE 41 a 60 anos Dor localizada ligamentos cápsulas e músculos Dor irradiada por compressão radicular Piora com os movimentos Melhora com o repouso
  • 52. Laboratório  PCR  VHS  Marcadores de Citocinas Pelletier JP, Martel-Pelletier J. New trends in the treatment of osteoarthritis. Semin Arthritis Rheum. 2005;34(6 Suppl 2):13–14.
  • 54. - Alinhamento Juncional - Espaço articular - Calcificações adjacentes (peri e intra articular) - Osteopenia - Fraturas - Cistos condrais - Esclererose subcondral
  • 55. Espaço articular Alinhamento Osteopenia Calcificações
  • 56.
  • 57.
  • 58.
  • 59.
  • 60.
  • 61.
  • 62.
  • 63.
  • 64. Objetivos 1- Idade 2- Comorbidades 3- Severidade Clínica da OA 4- Preferênias Individuais 5- Custos Dieppe e Brandt. What is important in treating osteoarthritis?Whomshould we treat and how should wetreat them?. Rheumatic Disease Clinics of North America (2003) vol. 29 pp. 687-716
  • 65. Corrigir Fatores de Risco Deformidades Sobrecarga Articular Repouso quando grande algia Orteses Terapia Física – Calor local
  • 66.
  • 67.
  • 68. Educação, estilo de vida e Comportamento - Educação do paciente e familiares - “Empowerment” - Mudanças ambientais - Atividade Física - Perda de Peso e orientações dietéticas - Avaliação dos pés e calçados Dieppe e Brandt. What is important in treating osteoarthritis?Whomshould we treat and how should wetreat them?. Rheumatic Disease Clinics of North America (2003) vol. 29 pp. 687-716
  • 69. Práticas Não Farmacológicas - Exercícios (mobilidade, força, função – redução da Dor - Aparatos de proteção - Nutracêuticos - Acupuntura** Dieppe e Brandt. What is important in treating osteoarthritis?Whomshould we treat and how should wetreat them?. Rheumatic Disease Clinics of North America (2003) vol. 29 pp. 687-716
  • 70. Dieppe e Brandt. What is important in treating osteoarthritis?Whomshould we treat and how should wetreat them?. Rheumatic Disease Clinics of North America (2003) vol. 29 pp. 687-716
  • 71. Dieppe e Brandt. What is important in treating osteoarthritis?Whomshould we treat and how should wetreat them?. Rheumatic Disease Clinics of North America (2003) vol. 29 pp. 687-716
  • 72. Cirurgia parcial ou total Osteotomia, superficialização Intervenções não cirúrgicas – Iinfusões locais AINE Fisioterapia, Órteses Analgesia tópica, nutraceuticos, estilo de vida Recomendações Gerais Educação, perda de peso, exercícios, alteração do estilo de vida Consultas Amiúde Severidade Número de Indivíduos