 O fechamento é a Lei da Gestalt que faz com
que nosso cérebro produza contornos e/ou
fechamentos que não existem.
 Este...
 O quadrado, na verdade,
não existe.
 Conseguimos vê-lo
imaginando a
continuidade de sua
estrutura, seguindo uma
ordem e...
 Deve se atentar ao fato de que ao
transportar o conceito para outras
culturas, as pessoas podem não
reconhecer a forma d...
 Deve se atentar ao fato de que ao transportar o
conceito para outras culturas, as pessoas
podem não reconhecer a forma d...
 por mais que a forma
seja comum a cultura
em que está inserida,
pode ocorrer o não
reconhecimento da
mesma.
 Um exemplo...
 Karla Vizone
 Vinicius Soltowsky
Leis de Gestalt: Fechamento
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Leis de Gestalt: Fechamento

473 visualizações

Publicada em

Apresentação sobre a Lei de Gestalt: fechamento. Seminário de Objetos Plásticos Bidimensionais / Universidade Tecnológica Federal do Paraná.

Publicada em: Design
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
473
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Leis de Gestalt: Fechamento

  1. 1.  O fechamento é a Lei da Gestalt que faz com que nosso cérebro produza contornos e/ou fechamentos que não existem.  Este fenômeno é conhecido também como “Fechamento Sensorial da Forma”.
  2. 2.  O quadrado, na verdade, não existe.  Conseguimos vê-lo imaginando a continuidade de sua estrutura, seguindo uma ordem espacial lógica.
  3. 3.  Deve se atentar ao fato de que ao transportar o conceito para outras culturas, as pessoas podem não reconhecer a forma desejada por não estarem visualmente habituadas com aquele objeto.
  4. 4.  Deve se atentar ao fato de que ao transportar o conceito para outras culturas, as pessoas podem não reconhecer a forma desejada por não estarem visualmente habituadas com aquele objeto.
  5. 5.  por mais que a forma seja comum a cultura em que está inserida, pode ocorrer o não reconhecimento da mesma.  Um exemplo clássico é o logotipo do Carrefour. A maior parte das pessoas só percebe o “C” implícito na forma quando alguém fala sobre.
  6. 6.  Karla Vizone  Vinicius Soltowsky

×