Aula 1 29-10-2013

159 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
159
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula 1 29-10-2013

  1. 1. Gerenciamento da CS Logística e sua origem  Conceito de Logística: o Na sua origem  essencialmente ligado às operações militares  Necessidade de aprimoramento das atividades logísticas: o O distanciamento espacial entre a indústria e os mercados consumidores o As distâncias entre a fábrica e os pontos de origem das matérias primas e dos componentes necessários à fabricação dos produtos.  Logística trata do planejamento e não apenas dos transportes. Hoje em dia, não se projeto mais com base nos fornecedores, mas sim com base nos clientes finais, indo até o fornecedor inicial. Desenho Caderno Evolução da Logística  Primeira fase: atuação segmentada o A moderna logística praticamente se originou na Segunda Guerra Mundial. o Processo altamente padronizado, porém realizado de maneira manual. o Sistema de comunicação manual. o O nível de estoque era periodicamente revisto. o O estoque era o elemento chave (sistema empurrado). o Após a guerra, a indústria procurou preencher importantes lacunas de demanda existentes no mercado consumidor, aproveitando a capacidade ociosa e de novos produtos. o Nos momentos certos, fazia-se uma avaliação das necessidades do produto.
  2. 2. o Efeito chicote (amplificação da demanda real, em que cada etapa adiciona uma margem de segurança devido a impossibilidade de visualizar a demanda real). o A nacionalização dos estoques passa a ser uma das estratégias competitivas mais importantes das empresas modernas. o As empresas procuravam formar lotes econômicos para transportar seus produtos. o Havia também uma preocupação das empresas com os custos logísticos.  Segunda Fase: Integração Rígida o Aos poucos, os especialistas em marketing foram inseridos nos consumidores aspirações por produtos. o Em 1970 crise do petróleo, com alto custo de transporte. o Utilização intensiva da multimodalidade no transporte de mercadorias (de acordo com as características do produto). o As empresas iniciaram a utilização de softwares, começando a ter maior nacionalização de seus processos. o O planejamento da produção era realizado e implementado. Intermodalidade ≠ multimodalidade Único responsável por todo o percurso. Vários responsáveis durante o percurso. o Uma forma de reduzir os efeitos negativos era ampliar a abrangência do planejamento, fazendo uma maior integração. o O processo de planejamento permitia maior racionalização das operações empresariais, mas não havia flexibilidade na forma do planejamento uma vez elaborado, permanecia imutável, pelo menos no papel. o Caracteriza-se pela busca inicial de racionalização integrada da cadeia de suprimentos, mas ainda muito rígida, pois não permitia a correção dinâmica, real time...  Terceira Fase: Integração Flexível o Começou em 1980 e ainda está sendo implementado pelas empresas. o Caracterizada pela integração dinâmica e flexível entre os agentes da cadeia de suprimento, em dois níveis:  Dentro da empresa  Da empresa com seus fornecedores e clientes o O intercâmbio de informações ocorre através do EDI ( eletrônica de dados), via web. o Antes:  Informações levantadas manualmente  Quando a informação se tornava disponível, não dava mais para agir.
  3. 3. o Desenvolvimento da informática possibilitou uma integração dinâmica de consequências importantes na agilização da CS. o Código de barras, por exemplo. o Processo de programação da produção: flexibilizando com a introdução do EDI, permitindo ajustes frequentes. o Nessa fase há a adaptação instantânea às necessidades momentâneas do processo, na medida das necessidades. o Maior preocupação com a satisfação plena do cliente (consumidor final + elementos intermediários). o Redução continuada nos níveis de estoque.  Quarta Fase: Integração Estratégica (SCM) o As empresas da cadeia de suprimentos passam a tratar a questão logística de forma estratégica. o Os agentes da cadeia de suprimentos passaram a trabalhar mais próximos. o Logística como elemento diferenciador. o Razões: globalização e competição cada vez maior. o Postergação (post ... –adiamento)  Exemplo: empresa faz roupas em cores neutras e só é tingida próximo aos centros de consumos. o Logística verde  crescente preocupação com os impactos da logística no meio ambiente. Exigência do selo verde nas operações logísticas. o Logística Reversa  Trata-se do processo de recuperação de materiais diversos através de reciclagem. Sistema de coleta, transporte e tratamento do material a ser aproveitado. o Tecnologia da informação o O intercâmbio das informações é intenso nessa fase. o Consórcio modular, iniciado com a fabricação automobilística. No consórcio modular os fornecedores participam do processo de fabricação, montando cada etapa. o Envolvimento dos fornecedores (ESI) desde a fase inicial de produto. o Alguns autores preferem situar a logística como uma parte do SCM (supply chain management). o A posição da logística em relação a SCM está relacionada com a fase em que a empresa se encontra. Se a empresa encontra-se na fase de integração estratégica, pode-se dizer que a logística é a SCM. Caso contrário, a logística é uma parte da cadeia de suprimentos.

×