SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 46
Mini curso: modelos de causalidade lógica e Marco Lógico   Victor Maia Senna Delgado e-mail:  [email_address] Lycia Lima e-mail: llima@worldbank.org Fortaleza  16/06/2009 Aula 01 II Seminário da Rede Brasileira de Monitoramento e Avaliação
Proposta do Curso: ,[object Object],[object Object]
Definições: ,[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Definições:
Definições: ,[object Object],[object Object],[object Object]
Definições: ,[object Object]
Definições: ,[object Object],Marco Lógico é a fundação.
Questões para o ML: ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Quando deve surgir o Marco Lógico? ,[object Object],[object Object],[object Object]
Causalidade ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Desenho de Programas ,[object Object],[object Object],Efeitos Causas 1. 2. ,[object Object],Produtos Insumos 1. 2.
Desenho de Programas ,[object Object],[object Object],Impactos Resultados Produtos Atividades Insumos 1. 2. 3. 4. 5.
Desenho de Programas ,[object Object],[object Object],Impactos Resultados Produtos Atividades Insumos 1. 2. 3. 4. 5. Quais os insumos necessários para operar o programa? Esses insumos são usados para realizar as  ações necessárias Se as atividades forem feitas de maneira correta, estes produtos serão alcançados Se esses benefícios forem  atingidos, espera-se que ocorram estas  mudanças na sociedade ou  comunidade. Efeitos estatisticos  Significantivos.  Impactos duradouros
Desenho de Programas ,[object Object],Desenho Insumos Processo de Imple- mentação Produtos Resultados Impactos Sustentabi- lidade Contexto econômico no qual o projeto opera Contexto político no qual o projeto opera Contexto institucional e operacional Características sócio-econômicas e culturais das populações afetadas Ambiente físico
Desenho de Programas ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Mulheres tem acesso limitado a oportunidades econômicas devido à falta de acesso ao crédito e outros recursos produtivos e ao controle social O projeto oferece crédito, assistência Técnica e formação em grupo Mulheres criam empresas Mulheres não criam empresas Uso para dote Mulheres pagam  as dívidas Marido toma Os lucros Geração de lucros Melhora do bem-estar  da família no curto prazo Lucro  re-investido Empresa mantida Empresa fracassa Limitações de tempo Falta de  demanda Pressões  sociais Falta de  recursos  produtivos Melhora permanente do bem-estar familiar Moradia melhorada Nutrição, saúde, roupas Educação melhorada, especialmente p/ meninas  Melhoras  econômicas Modelo da Cadeia de Resultados para o Programa de Desenvolvimento de Pequenos Negócios de Mulheres Resultados Positivos Resultados negativos
Desenho de Programas ,[object Object],[object Object],[object Object]
Etapas de um Programa Pré-condições externas para existência de um programa  Avaliação e  Planejamento Restrições Orçamentárias Restrições de Tempo Restrições de Dados Influências  políticas Implementar o programa Monitorar e Avaliar Feedback da avaliação
O Ciclo da Política Pública Fase 1 Identificação do Problema Fase 2 Formulação da Política Fase 3 Implementação da Política Fase 6 Feedback Fase 5 Pesquisa de Avaliação Fase 4 Desenho da Avaliação
O Ciclo da Política Pública Fase 1 Identificação do Problema Fase de Desenvolvimento da Política Análise Ex-ante  Fase 2 Formulação da Política Fase 3 Implementação da Política Fase 6 Feedback Fase 5 Pesquisa de Avaliação Fase 4 Desenho da Avaliação
O Ciclo da Política Pública Fase 1 Identificação do Problema Fase de Desenvolvimento da Política Análise Ex-ante  Fase de Avaliação de Política Análise Ex-post Fase 2 Formulação da Política Fase 3 Implementação da Política Fase 6 Feedback Fase 5 Pesquisa de Avaliação Fase 4 Desenho da Avaliação
O Ciclo da Política Pública Fase 1 Identificação do Problema Fase de Desenvolvimento da Política Análise Ex-ante  Fase de Avaliação de Política Análise Ex-post Fase 2 Formulação da Política Fase 3 Implementação da Política Fase 6 Feedback Fase 5 Pesquisa de Avaliação Fase 4 Desenho da Avaliação
Fase 1 Fase 1 Identificação do Problema Análise, diagnóstico da natureza,  dimensão, história e causa do problema Análise das intervenções anteriores Análise das barreiras e potencial apoio à política
Fase 2 Fase 2 Formulação da Política: Planejar uma política para aliviar o problema.  Escolher dentre as alternativas analisando o custo e o  potencial de alcançar o resultado esperado.
Fase 3 Fase 3 Implementação da Política A política é colocada em prática. Envolve alocação de recursos, regras e regulações,  procedimentos, desenvolvimento de sistema de monitoramento.  Implementação falha pode causa fracasso do programa.
Fase 4 Fase 4 Desenho da Avaliação: Desenho da metodologia de pesquisa para  a avaliação.  Formulação das perguntas a serem respondidas.  O objetivo é desenhar a avaliação para responder  às questões.
Fase 5 Fase 5 Pesquisa da Avaliação Realização do estudo de avaliação. Coleta e análise de dados e definição das conclusões.
Fase 6 Fase 6 Feedback: A informação obtida na avaliação é usada para  reavaliar o problema, a política, a implementação, etc. Com a avaliação pronta, os gestores podem fazer mudanças na  política ou na forma de implementação (se for necessário),  buscando o aperfeiçoamento.
Processo de desenvolvimento de uma política Análise de custo-benefício Os impactos são alcançados com um custo razoável? Eficiência do Programa Avaliação de Impacto O programa está tendo os efeitos desejados? Resultados do programa Avaliação de processo, monitoramento A operação está de acordo com o planejado? Operação do programa Avaliação de processo Como o programa deve operar? Implementação do programa Avaliação ex-ante, simulações Qual é a melhor abordagem? Seleção de programa Desenvolvimento e avaliação da teoria do programa Quais intervenções poderiam produzir as mudanças desejadas? Design de alternativas para o programa Avaliação de necessidade O que precisa ser feito? Estabelecimento de objetivos Avaliação de necessidade, trabalho diagnóstico Qual é o problema e quais são as necessidades? Avaliação do problema e das necessidades Estratégia de Avaliação Pergunta Estágio do Programa
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Um pequeno exemplo:
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Um pequeno exemplo:
Identificando uma necessidade: ,[object Object],[object Object],37,2% 62,8% > 2 SM 91,4% 9,6% <= 2 SM Não tem computador Tem computador Renda domiciliar Percapita
Identificando uma necessidade: ,[object Object],[object Object],43,3% 57,7% <= 1 SM 12,9% 87,1% > 2 SM 29,9% 71,1% > 1 SM e <= 2 SM Tem computador sem internet Tem computador com internet Renda domiciliar Percapita
Identificando uma necessidade: ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Identificando uma necessidade: ,[object Object],Educação Internet 1. 2. Renda 3. Redução da  Pobreza 4. ,[object Object]
Identificando uma necessidade: ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Identificando uma necessidade: ,[object Object],[object Object],[object Object]
Identificando uma necessidade: ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Identificando uma necessidade: ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Design do programa: Impactos Resultados Produtos Atividades Insumos 1. 2. 3. 4. 5. ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
O computador e a internet excluem pessoas da aquisição de uma forma de informação que se torna cada vez mais predominante. Procura atuar eliminando a “ exclusão digital ” Promover o acesso à  computadores  e  Internet  em regiões pobres sem recursos. Criar A rede de banda larga e disponibilizá-la para população por meio de escolas públicas. Podemos recompor um mapa para o programa hipotético do acesso à computadores e internet Escolas públicas Não há escolas Ou são poucas escolas Construção de mais escolas Uso de Outros locais Pessoas não têm dinheiro ou Não possuem  interesse Pessoas freqüentam As escolas para acessar Os computadores Acesso Parcialmente subsidiado Acesso totalmente subsidiado Cursos técnicos ofertados Falta professores e pessoal técnico p/ ensinar Há pessoal técnico Mas o pessoal não tem Preparo. Conexão falha e demora  o conserto Computadores roubados O conhecimento educacional da pop  não permite ainda o uso do computador. Pessoas que poderiam pagar estão usando O serviço, “erro de focalização” Uso dos  computadores e internet para  fins diversos
Podemos recompor um mapa para o programa hipotético do acesso à computadores e internet Cursos técnicos ofertados Uso dos  computadores e internet para  fins diversos Maior acesso à Cultura e integração O uso para fins diversos mas particulares  Não gera externalidades positivas E não se justifica socialmente   Inclusão digital, Acesso à bancos, cartórios, Títulos e uso de outros  serviços na internet. Auxílio no comércio Cooperativas, emprego Aumento da educação no geral E do desempenho dos alunos  em particular Aumento de renda
Podemos recompor um mapa para o programa hipotético do acesso à computadores e internet Cursos técnicos ofertados Uso dos  computadores e internet para  fins diversos Maior acesso à Cultura e integração O uso para fins diversos mas particulares  Não gera externalidades positivas E não se justifica socialmente   Inclusão digital, Acesso à bancos, cartórios, Títulos e uso de outros  serviços na internet. Auxílio no comércio Cooperativas, emprego Aumento da educação no geral E do desempenho dos alunos  em particular Aumento de renda Esses efeitos são duradouros no tempo, como medí-los, como deverá ser conduzida a Avaliação?
Quais conclusões prévias o ML e o Desenho dos programas podem nos levar? ,[object Object],[object Object],[object Object]
Quais conclusões prévias o ML e o Desenho dos programas podem nos levar? ,[object Object],[object Object],[object Object]
Quais conclusões prévias o ML e o Desenho dos programas podem nos levar? ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Slides
SlidesSlides
Slidestarles
 
Elaboracao de projetos:ZOPP e Marco Lógico
Elaboracao de projetos:ZOPP e Marco LógicoElaboracao de projetos:ZOPP e Marco Lógico
Elaboracao de projetos:ZOPP e Marco LógicoJackson De Toni
 
Projetos metodologias
Projetos   metodologiasProjetos   metodologias
Projetos metodologiasPessoal
 
(Transformar) Sessão 02 - Gestão de Projetos Sociais
(Transformar) Sessão 02 - Gestão de Projetos Sociais(Transformar) Sessão 02 - Gestão de Projetos Sociais
(Transformar) Sessão 02 - Gestão de Projetos SociaisInk_conteudos
 
BUVINICH, Manuel Rojas. Ferramentas para avaliacao monitoramento de programas...
BUVINICH, Manuel Rojas. Ferramentas para avaliacao monitoramento de programas...BUVINICH, Manuel Rojas. Ferramentas para avaliacao monitoramento de programas...
BUVINICH, Manuel Rojas. Ferramentas para avaliacao monitoramento de programas...Bruno Martins Soares
 
Árvore dos problemas
Árvore dos problemasÁrvore dos problemas
Árvore dos problemasSofia Cavaco
 
(Transformar) Sessão 03 - Gestão de Projetos Sociais PMD
(Transformar) Sessão 03 - Gestão de Projetos Sociais PMD(Transformar) Sessão 03 - Gestão de Projetos Sociais PMD
(Transformar) Sessão 03 - Gestão de Projetos Sociais PMDInk_conteudos
 
Projetos sociais como escrever
Projetos sociais   como escreverProjetos sociais   como escrever
Projetos sociais como escreverEliana Reis
 
O PMO e a aferição de Benefícios e Valor dos Projetos
O PMO e a aferição de Benefícios e Valor dos ProjetosO PMO e a aferição de Benefícios e Valor dos Projetos
O PMO e a aferição de Benefícios e Valor dos ProjetosMaria Angelica Castellani
 
(Transformar 16) Planejamento Estratégico 5
(Transformar 16) Planejamento Estratégico 5(Transformar 16) Planejamento Estratégico 5
(Transformar 16) Planejamento Estratégico 5Ink_conteudos
 
27 projeto de_trabalho_praticas_academicas_2012
27 projeto de_trabalho_praticas_academicas_201227 projeto de_trabalho_praticas_academicas_2012
27 projeto de_trabalho_praticas_academicas_2012Cristiano Santos
 
Mesuracao da Gestao do Conhecimento em Projetos
Mesuracao da Gestao do Conhecimento em ProjetosMesuracao da Gestao do Conhecimento em Projetos
Mesuracao da Gestao do Conhecimento em ProjetosRafael Ramos
 
Projetos de Pesquisa: Concepção e Elaboração
Projetos de Pesquisa: Concepção e ElaboraçãoProjetos de Pesquisa: Concepção e Elaboração
Projetos de Pesquisa: Concepção e ElaboraçãoCarlos Fernando Jung
 
Eficiência, Eficácia ou Efetividade, para onde o está orientado o modelo de ...
Eficiência, Eficácia ou Efetividade, para onde o está orientado o  modelo de ...Eficiência, Eficácia ou Efetividade, para onde o está orientado o  modelo de ...
Eficiência, Eficácia ou Efetividade, para onde o está orientado o modelo de ...Organizacion Universitaria Interamericana
 
Urgência: Um Fator Crítico no Planejamento do Projeto
Urgência: Um Fator Crítico no Planejamento do Projeto Urgência: Um Fator Crítico no Planejamento do Projeto
Urgência: Um Fator Crítico no Planejamento do Projeto Ricardo Viana Vargas
 

Mais procurados (20)

Metodologia do marco lógico ii
Metodologia do marco lógico iiMetodologia do marco lógico ii
Metodologia do marco lógico ii
 
Slides
SlidesSlides
Slides
 
Elaboracao de projetos:ZOPP e Marco Lógico
Elaboracao de projetos:ZOPP e Marco LógicoElaboracao de projetos:ZOPP e Marco Lógico
Elaboracao de projetos:ZOPP e Marco Lógico
 
Projetos metodologias
Projetos   metodologiasProjetos   metodologias
Projetos metodologias
 
Monitoramento e Avaliacao
Monitoramento e AvaliacaoMonitoramento e Avaliacao
Monitoramento e Avaliacao
 
(Transformar) Sessão 02 - Gestão de Projetos Sociais
(Transformar) Sessão 02 - Gestão de Projetos Sociais(Transformar) Sessão 02 - Gestão de Projetos Sociais
(Transformar) Sessão 02 - Gestão de Projetos Sociais
 
BUVINICH, Manuel Rojas. Ferramentas para avaliacao monitoramento de programas...
BUVINICH, Manuel Rojas. Ferramentas para avaliacao monitoramento de programas...BUVINICH, Manuel Rojas. Ferramentas para avaliacao monitoramento de programas...
BUVINICH, Manuel Rojas. Ferramentas para avaliacao monitoramento de programas...
 
Árvore dos problemas
Árvore dos problemasÁrvore dos problemas
Árvore dos problemas
 
(Transformar) Sessão 03 - Gestão de Projetos Sociais PMD
(Transformar) Sessão 03 - Gestão de Projetos Sociais PMD(Transformar) Sessão 03 - Gestão de Projetos Sociais PMD
(Transformar) Sessão 03 - Gestão de Projetos Sociais PMD
 
Projetos sociais como escrever
Projetos sociais   como escreverProjetos sociais   como escrever
Projetos sociais como escrever
 
O PMO e a aferição de Benefícios e Valor dos Projetos
O PMO e a aferição de Benefícios e Valor dos ProjetosO PMO e a aferição de Benefícios e Valor dos Projetos
O PMO e a aferição de Benefícios e Valor dos Projetos
 
(Transformar 16) Planejamento Estratégico 5
(Transformar 16) Planejamento Estratégico 5(Transformar 16) Planejamento Estratégico 5
(Transformar 16) Planejamento Estratégico 5
 
(ConSePS) PMD dia 3
(ConSePS) PMD dia 3(ConSePS) PMD dia 3
(ConSePS) PMD dia 3
 
Orientação de projetos
Orientação de projetosOrientação de projetos
Orientação de projetos
 
27 projeto de_trabalho_praticas_academicas_2012
27 projeto de_trabalho_praticas_academicas_201227 projeto de_trabalho_praticas_academicas_2012
27 projeto de_trabalho_praticas_academicas_2012
 
Mesuracao da Gestao do Conhecimento em Projetos
Mesuracao da Gestao do Conhecimento em ProjetosMesuracao da Gestao do Conhecimento em Projetos
Mesuracao da Gestao do Conhecimento em Projetos
 
Projetos - Plano de Projeto
Projetos - Plano de ProjetoProjetos - Plano de Projeto
Projetos - Plano de Projeto
 
Projetos de Pesquisa: Concepção e Elaboração
Projetos de Pesquisa: Concepção e ElaboraçãoProjetos de Pesquisa: Concepção e Elaboração
Projetos de Pesquisa: Concepção e Elaboração
 
Eficiência, Eficácia ou Efetividade, para onde o está orientado o modelo de ...
Eficiência, Eficácia ou Efetividade, para onde o está orientado o  modelo de ...Eficiência, Eficácia ou Efetividade, para onde o está orientado o  modelo de ...
Eficiência, Eficácia ou Efetividade, para onde o está orientado o modelo de ...
 
Urgência: Um Fator Crítico no Planejamento do Projeto
Urgência: Um Fator Crítico no Planejamento do Projeto Urgência: Um Fator Crítico no Planejamento do Projeto
Urgência: Um Fator Crítico no Planejamento do Projeto
 

Semelhante a Mini curso aula 01

(ConSPS 2015) Imersão 4
(ConSPS 2015) Imersão 4(ConSPS 2015) Imersão 4
(ConSPS 2015) Imersão 4Ink_conteudos
 
Elaboração de projetos
Elaboração de projetosElaboração de projetos
Elaboração de projetosalbelio
 
Shapiro, janet. monitoramento e avaliacao ler apenas das pág. 01 a 07
Shapiro, janet. monitoramento e avaliacao   ler apenas das pág. 01 a 07Shapiro, janet. monitoramento e avaliacao   ler apenas das pág. 01 a 07
Shapiro, janet. monitoramento e avaliacao ler apenas das pág. 01 a 07Bruno Martins Soares
 
Aula ¨6 -Avaliação em Projetos de Intervenção (CEEPIS Curso de elaboração de ...
Aula ¨6 -Avaliação em Projetos de Intervenção (CEEPIS Curso de elaboração de ...Aula ¨6 -Avaliação em Projetos de Intervenção (CEEPIS Curso de elaboração de ...
Aula ¨6 -Avaliação em Projetos de Intervenção (CEEPIS Curso de elaboração de ...Cleide Magáli dos Santos
 
Oficina_Avaliacao_de_Politicas_Publicas_e_Impacto_Regulatorio_R02.pptx
Oficina_Avaliacao_de_Politicas_Publicas_e_Impacto_Regulatorio_R02.pptxOficina_Avaliacao_de_Politicas_Publicas_e_Impacto_Regulatorio_R02.pptx
Oficina_Avaliacao_de_Politicas_Publicas_e_Impacto_Regulatorio_R02.pptxJoaoSmeira
 
Oficina_Avaliacao_de_Politicas_Publicasm
Oficina_Avaliacao_de_Politicas_PublicasmOficina_Avaliacao_de_Politicas_Publicasm
Oficina_Avaliacao_de_Politicas_PublicasmMemoriarUnibra
 
Basic Guide To Program Evaluation
Basic Guide To Program EvaluationBasic Guide To Program Evaluation
Basic Guide To Program EvaluationBE/CRE
 
Implementacao Grupos Empresas Gisele Villas Boas
Implementacao Grupos Empresas Gisele Villas BoasImplementacao Grupos Empresas Gisele Villas Boas
Implementacao Grupos Empresas Gisele Villas BoasCristina Cerdeiral
 
Gestao baseada processos
Gestao baseada processosGestao baseada processos
Gestao baseada processosReinalvo Orecic
 
Pancada na aplle
Pancada na apllePancada na aplle
Pancada na aplleLima987
 
Modulo 2 - Execução de programas e projectos do desporto (GPPD)
Modulo 2 - Execução de programas e projectos do desporto (GPPD)Modulo 2 - Execução de programas e projectos do desporto (GPPD)
Modulo 2 - Execução de programas e projectos do desporto (GPPD)Ana Marques
 
Indicadores de políticas públicas e métricas de software: uma visão em paralelo
Indicadores de políticas públicas e métricas de software: uma visão em paraleloIndicadores de políticas públicas e métricas de software: uma visão em paralelo
Indicadores de políticas públicas e métricas de software: uma visão em paraleloRoberto de Pinho
 
Um Sistema de Apoio a Decisao para BSC
Um Sistema de Apoio a Decisao para BSCUm Sistema de Apoio a Decisao para BSC
Um Sistema de Apoio a Decisao para BSCLu Gomes
 
O Segredo para o Sucesso das Equipes de Mehoria Contínua
O Segredo para o Sucesso das Equipes de Mehoria ContínuaO Segredo para o Sucesso das Equipes de Mehoria Contínua
O Segredo para o Sucesso das Equipes de Mehoria ContínuaGerisval Pessoa
 
Elaboração de projetos sociais avaliação parte i
Elaboração de projetos sociais avaliação parte iElaboração de projetos sociais avaliação parte i
Elaboração de projetos sociais avaliação parte iJosé Adriano M C Marinho
 
DIVISÃO E ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO NO DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE
DIVISÃO E ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO NO DESENVOLVIMENTO DE SOFTWAREDIVISÃO E ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO NO DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE
DIVISÃO E ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO NO DESENVOLVIMENTO DE SOFTWAREMário Ferreira
 
Os Segredos para o Sucesso das Equipes de Melhoria Contínua nas Organizações
Os Segredos para o Sucesso das Equipes de Melhoria Contínua nas OrganizaçõesOs Segredos para o Sucesso das Equipes de Melhoria Contínua nas Organizações
Os Segredos para o Sucesso das Equipes de Melhoria Contínua nas OrganizaçõesGerisval Pessoa
 
Atps a2 2015_2_sso8_monitoramento_avaliacao_servico_social
Atps a2 2015_2_sso8_monitoramento_avaliacao_servico_socialAtps a2 2015_2_sso8_monitoramento_avaliacao_servico_social
Atps a2 2015_2_sso8_monitoramento_avaliacao_servico_socialivlux
 

Semelhante a Mini curso aula 01 (20)

(ConSPS 2015) Imersão 4
(ConSPS 2015) Imersão 4(ConSPS 2015) Imersão 4
(ConSPS 2015) Imersão 4
 
Elaboração de projetos
Elaboração de projetosElaboração de projetos
Elaboração de projetos
 
Shapiro, janet. monitoramento e avaliacao ler apenas das pág. 01 a 07
Shapiro, janet. monitoramento e avaliacao   ler apenas das pág. 01 a 07Shapiro, janet. monitoramento e avaliacao   ler apenas das pág. 01 a 07
Shapiro, janet. monitoramento e avaliacao ler apenas das pág. 01 a 07
 
Aula ¨6 -Avaliação em Projetos de Intervenção (CEEPIS Curso de elaboração de ...
Aula ¨6 -Avaliação em Projetos de Intervenção (CEEPIS Curso de elaboração de ...Aula ¨6 -Avaliação em Projetos de Intervenção (CEEPIS Curso de elaboração de ...
Aula ¨6 -Avaliação em Projetos de Intervenção (CEEPIS Curso de elaboração de ...
 
Implementacao estrategica
Implementacao estrategicaImplementacao estrategica
Implementacao estrategica
 
Oficina_Avaliacao_de_Politicas_Publicas_e_Impacto_Regulatorio_R02.pptx
Oficina_Avaliacao_de_Politicas_Publicas_e_Impacto_Regulatorio_R02.pptxOficina_Avaliacao_de_Politicas_Publicas_e_Impacto_Regulatorio_R02.pptx
Oficina_Avaliacao_de_Politicas_Publicas_e_Impacto_Regulatorio_R02.pptx
 
Oficina_Avaliacao_de_Politicas_Publicasm
Oficina_Avaliacao_de_Politicas_PublicasmOficina_Avaliacao_de_Politicas_Publicasm
Oficina_Avaliacao_de_Politicas_Publicasm
 
Basic Guide To Program Evaluation
Basic Guide To Program EvaluationBasic Guide To Program Evaluation
Basic Guide To Program Evaluation
 
Implementacao Grupos Empresas Gisele Villas Boas
Implementacao Grupos Empresas Gisele Villas BoasImplementacao Grupos Empresas Gisele Villas Boas
Implementacao Grupos Empresas Gisele Villas Boas
 
Gestao baseada processos
Gestao baseada processosGestao baseada processos
Gestao baseada processos
 
Pancada na aplle
Pancada na apllePancada na aplle
Pancada na aplle
 
Lean Manufacturing
Lean ManufacturingLean Manufacturing
Lean Manufacturing
 
Modulo 2 - Execução de programas e projectos do desporto (GPPD)
Modulo 2 - Execução de programas e projectos do desporto (GPPD)Modulo 2 - Execução de programas e projectos do desporto (GPPD)
Modulo 2 - Execução de programas e projectos do desporto (GPPD)
 
Indicadores de políticas públicas e métricas de software: uma visão em paralelo
Indicadores de políticas públicas e métricas de software: uma visão em paraleloIndicadores de políticas públicas e métricas de software: uma visão em paralelo
Indicadores de políticas públicas e métricas de software: uma visão em paralelo
 
Um Sistema de Apoio a Decisao para BSC
Um Sistema de Apoio a Decisao para BSCUm Sistema de Apoio a Decisao para BSC
Um Sistema de Apoio a Decisao para BSC
 
O Segredo para o Sucesso das Equipes de Mehoria Contínua
O Segredo para o Sucesso das Equipes de Mehoria ContínuaO Segredo para o Sucesso das Equipes de Mehoria Contínua
O Segredo para o Sucesso das Equipes de Mehoria Contínua
 
Elaboração de projetos sociais avaliação parte i
Elaboração de projetos sociais avaliação parte iElaboração de projetos sociais avaliação parte i
Elaboração de projetos sociais avaliação parte i
 
DIVISÃO E ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO NO DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE
DIVISÃO E ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO NO DESENVOLVIMENTO DE SOFTWAREDIVISÃO E ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO NO DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE
DIVISÃO E ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO NO DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE
 
Os Segredos para o Sucesso das Equipes de Melhoria Contínua nas Organizações
Os Segredos para o Sucesso das Equipes de Melhoria Contínua nas OrganizaçõesOs Segredos para o Sucesso das Equipes de Melhoria Contínua nas Organizações
Os Segredos para o Sucesso das Equipes de Melhoria Contínua nas Organizações
 
Atps a2 2015_2_sso8_monitoramento_avaliacao_servico_social
Atps a2 2015_2_sso8_monitoramento_avaliacao_servico_socialAtps a2 2015_2_sso8_monitoramento_avaliacao_servico_social
Atps a2 2015_2_sso8_monitoramento_avaliacao_servico_social
 

Último

Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfKelly Mendes
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja Mary Alvarenga
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...azulassessoria9
 
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...marioeugenio8
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisIlda Bicacro
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfCsarBaltazar1
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSPedroMatos469278
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfAndersonW5
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfManuais Formação
 
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...WelitaDiaz1
 
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfManuais Formação
 
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdfApostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdflbgsouza
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxKeslleyAFerreira
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024azulassessoria9
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEblogdoelvis
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na Áfricajuekfuek
 

Último (20)

Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
 
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
 
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
 
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdfApostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
 

Mini curso aula 01

  • 1. Mini curso: modelos de causalidade lógica e Marco Lógico Victor Maia Senna Delgado e-mail: [email_address] Lycia Lima e-mail: llima@worldbank.org Fortaleza 16/06/2009 Aula 01 II Seminário da Rede Brasileira de Monitoramento e Avaliação
  • 2.
  • 3.
  • 4.
  • 5.
  • 6.
  • 7.
  • 8.
  • 9.
  • 10.
  • 11.
  • 12.
  • 13.
  • 14.
  • 15.
  • 16. Mulheres tem acesso limitado a oportunidades econômicas devido à falta de acesso ao crédito e outros recursos produtivos e ao controle social O projeto oferece crédito, assistência Técnica e formação em grupo Mulheres criam empresas Mulheres não criam empresas Uso para dote Mulheres pagam as dívidas Marido toma Os lucros Geração de lucros Melhora do bem-estar da família no curto prazo Lucro re-investido Empresa mantida Empresa fracassa Limitações de tempo Falta de demanda Pressões sociais Falta de recursos produtivos Melhora permanente do bem-estar familiar Moradia melhorada Nutrição, saúde, roupas Educação melhorada, especialmente p/ meninas Melhoras econômicas Modelo da Cadeia de Resultados para o Programa de Desenvolvimento de Pequenos Negócios de Mulheres Resultados Positivos Resultados negativos
  • 17.
  • 18. Etapas de um Programa Pré-condições externas para existência de um programa Avaliação e Planejamento Restrições Orçamentárias Restrições de Tempo Restrições de Dados Influências políticas Implementar o programa Monitorar e Avaliar Feedback da avaliação
  • 19. O Ciclo da Política Pública Fase 1 Identificação do Problema Fase 2 Formulação da Política Fase 3 Implementação da Política Fase 6 Feedback Fase 5 Pesquisa de Avaliação Fase 4 Desenho da Avaliação
  • 20. O Ciclo da Política Pública Fase 1 Identificação do Problema Fase de Desenvolvimento da Política Análise Ex-ante Fase 2 Formulação da Política Fase 3 Implementação da Política Fase 6 Feedback Fase 5 Pesquisa de Avaliação Fase 4 Desenho da Avaliação
  • 21. O Ciclo da Política Pública Fase 1 Identificação do Problema Fase de Desenvolvimento da Política Análise Ex-ante Fase de Avaliação de Política Análise Ex-post Fase 2 Formulação da Política Fase 3 Implementação da Política Fase 6 Feedback Fase 5 Pesquisa de Avaliação Fase 4 Desenho da Avaliação
  • 22. O Ciclo da Política Pública Fase 1 Identificação do Problema Fase de Desenvolvimento da Política Análise Ex-ante Fase de Avaliação de Política Análise Ex-post Fase 2 Formulação da Política Fase 3 Implementação da Política Fase 6 Feedback Fase 5 Pesquisa de Avaliação Fase 4 Desenho da Avaliação
  • 23. Fase 1 Fase 1 Identificação do Problema Análise, diagnóstico da natureza, dimensão, história e causa do problema Análise das intervenções anteriores Análise das barreiras e potencial apoio à política
  • 24. Fase 2 Fase 2 Formulação da Política: Planejar uma política para aliviar o problema. Escolher dentre as alternativas analisando o custo e o potencial de alcançar o resultado esperado.
  • 25. Fase 3 Fase 3 Implementação da Política A política é colocada em prática. Envolve alocação de recursos, regras e regulações, procedimentos, desenvolvimento de sistema de monitoramento. Implementação falha pode causa fracasso do programa.
  • 26. Fase 4 Fase 4 Desenho da Avaliação: Desenho da metodologia de pesquisa para a avaliação. Formulação das perguntas a serem respondidas. O objetivo é desenhar a avaliação para responder às questões.
  • 27. Fase 5 Fase 5 Pesquisa da Avaliação Realização do estudo de avaliação. Coleta e análise de dados e definição das conclusões.
  • 28. Fase 6 Fase 6 Feedback: A informação obtida na avaliação é usada para reavaliar o problema, a política, a implementação, etc. Com a avaliação pronta, os gestores podem fazer mudanças na política ou na forma de implementação (se for necessário), buscando o aperfeiçoamento.
  • 29. Processo de desenvolvimento de uma política Análise de custo-benefício Os impactos são alcançados com um custo razoável? Eficiência do Programa Avaliação de Impacto O programa está tendo os efeitos desejados? Resultados do programa Avaliação de processo, monitoramento A operação está de acordo com o planejado? Operação do programa Avaliação de processo Como o programa deve operar? Implementação do programa Avaliação ex-ante, simulações Qual é a melhor abordagem? Seleção de programa Desenvolvimento e avaliação da teoria do programa Quais intervenções poderiam produzir as mudanças desejadas? Design de alternativas para o programa Avaliação de necessidade O que precisa ser feito? Estabelecimento de objetivos Avaliação de necessidade, trabalho diagnóstico Qual é o problema e quais são as necessidades? Avaliação do problema e das necessidades Estratégia de Avaliação Pergunta Estágio do Programa
  • 30.
  • 31.
  • 32.
  • 33.
  • 34.
  • 35.
  • 36.
  • 37.
  • 38.
  • 39.
  • 40.
  • 41. O computador e a internet excluem pessoas da aquisição de uma forma de informação que se torna cada vez mais predominante. Procura atuar eliminando a “ exclusão digital ” Promover o acesso à computadores e Internet em regiões pobres sem recursos. Criar A rede de banda larga e disponibilizá-la para população por meio de escolas públicas. Podemos recompor um mapa para o programa hipotético do acesso à computadores e internet Escolas públicas Não há escolas Ou são poucas escolas Construção de mais escolas Uso de Outros locais Pessoas não têm dinheiro ou Não possuem interesse Pessoas freqüentam As escolas para acessar Os computadores Acesso Parcialmente subsidiado Acesso totalmente subsidiado Cursos técnicos ofertados Falta professores e pessoal técnico p/ ensinar Há pessoal técnico Mas o pessoal não tem Preparo. Conexão falha e demora o conserto Computadores roubados O conhecimento educacional da pop não permite ainda o uso do computador. Pessoas que poderiam pagar estão usando O serviço, “erro de focalização” Uso dos computadores e internet para fins diversos
  • 42. Podemos recompor um mapa para o programa hipotético do acesso à computadores e internet Cursos técnicos ofertados Uso dos computadores e internet para fins diversos Maior acesso à Cultura e integração O uso para fins diversos mas particulares Não gera externalidades positivas E não se justifica socialmente Inclusão digital, Acesso à bancos, cartórios, Títulos e uso de outros serviços na internet. Auxílio no comércio Cooperativas, emprego Aumento da educação no geral E do desempenho dos alunos em particular Aumento de renda
  • 43. Podemos recompor um mapa para o programa hipotético do acesso à computadores e internet Cursos técnicos ofertados Uso dos computadores e internet para fins diversos Maior acesso à Cultura e integração O uso para fins diversos mas particulares Não gera externalidades positivas E não se justifica socialmente Inclusão digital, Acesso à bancos, cartórios, Títulos e uso de outros serviços na internet. Auxílio no comércio Cooperativas, emprego Aumento da educação no geral E do desempenho dos alunos em particular Aumento de renda Esses efeitos são duradouros no tempo, como medí-los, como deverá ser conduzida a Avaliação?
  • 44.
  • 45.
  • 46.