IX Grande Premio de Atletismo Rui Silva 2009

1.403 visualizações

Publicada em

Os atletas olímpicos Fernanda Ribeiro e Rui Pedro Silva são dois dos importantes rostos do atletismo nacional a marcar presença no IX Grande Prémio de Atletismo Rui Silva, que vai ser disputado nas ruas da cidade do Cartaxo, na noite de 24 de Abril, a partir das 21h30.

Publicada em: Esportes, Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.403
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

IX Grande Premio de Atletismo Rui Silva 2009

  1. 1. Grande Prémio de Atletismo Rui Silva vai para a estrada na noite de 24 de Abril O Grande Prémio de Atletismo Rui Silva está a caminho da 9.ª edição. Além de homenagear o atleta natural do concelho, que se estreou no atletismo no Estrela Futebol Clube Ouriquense – e que tantos motivos de orgulho tem proporcionado aos portugueses e, em particular, aos seus conterrâneos – este grande evento desportivo pretende celebrar o 25 de Abril e incentivar e contribuir para uma vida mais saudável e activa. O Grande Prémio de Atletismo é considerado uma das iniciativas desportivas mais emblemáticas, promovidas pela Câmara Municipal, e que tem vindo a reunir um número cada vez mais significativo de pessoas nas ruas e avenidas da cidade, quer a correr, quer a apoiar os atletas em prova. Esta não é uma competição apenas para atletas – toda a comunidade é convidada a participar e a percorrer as ruas da cidade, sem que seja necessário um forte espírito de luta e competição. A luta pelos primeiros lugares ficará reservada para os atletas profissionais, com a realização simultânea da prova de elite. É este o espírito do Grande Prémio de Atletismo Rui Silva: uma corrida que conjuga o profissionalismo e o amadorismo, o esforço por um lugar no pódio e o simples prazer de conviver. Desde o seu início, em 2001, que esta prova tem crescido em número de atletas, em público e em número de colaboradores, garantindo um lugar bem alto no panorama nacional de corridas de estrada e um lugar no topo das competições nocturnas. Em 2006, o Grande Prémio deu um passo muito importante, passando a integrar o calendário competitivo da Federação Portuguesa de Atletismo. Essa evolução foi acompanhada também pela alteração do percurso de 8 para 10 quilómetros. 1 Praça 15 de Dezembro - Apartado 55 - 2071-909 Cartaxo | tel 243 700 250 | fax 243 700 268 | desporto@cm-cartaxo.pt | nipc 506 780 902
  2. 2. O record da prova situa-se nos 29 minutos e 10 segundos, alcançado por Laban Korir em 2008. Quem o conseguir bater nesta 9.ª edição receberá um prémio acrescido no valor de 135 euros. A todos os participantes que concluam a prova será oferecido um lanche e uma t-shirt alusiva à prova. O valor dos prémios individuais varia entre os 25 euros e os 810 euros e as três primeiras equipas, masculinas e femininas (de todos os escalões) receberão um troféu. A 9.ª edição do Grande Prémio Rui Silva realiza-se na noite de 24 de Abril, a partir das 21h30. Na manhã do dia seguinte, serão os mais pequenos a praticar a modalidade, nas pistas do Estádio Municipal, nas Corridas da Liberdade, que todos os anos juntam centenas de crianças e jovens do concelho. Edição anterior Uma lesão contraída num dos dedos do pé direito impediu Rui Silva de participar no Grande Prémio de Atletismo de 2008. Esta edição ficou marcada pelo tempo conseguido pelo queniano Laban Korir, que bateu o record da prova, com o tempo de 29m10s, que pertencia a Rui Silva desde 2006 – ano em que percorreu os 10 quilómetros no tempo de 29m16s. Ainda nos seniores masculinos, Licínio Pimentel (GDR Conforlimpa) foi segundo, com 29m24s, seguido de Rui Pedro Silva (Maratona CP), com 29m31. No sector feminino, a vencedora foi Mirhet Tadesse (Etiópia), com 33m26s, em segundo ficou Marisa Barros (Açoreana Seguros), com 34m08s, e em terceiro Carla Martinho (Adercus), com 35m00s. Patrick Gonçalves (ADR Águas Belas) venceu no escalão de juniores, com 36m40s, seguido de Valter Rodrigues (CN Cartaxo), com 39m10s, e de Samuel Rodrigues, da mesma equipa, com 39m32s. Nos juniores femininos, o primeiro lugar pertenceu a Adriana Calçada (CA Riachense), com 47m05s, e o segundo a Luísa Rodrigues (SR Camarnal), com 50m13s. 2 Praça 15 de Dezembro - Apartado 55 - 2071-909 Cartaxo | tel 243 700 250 | fax 243 700 268 | desporto@cm-cartaxo.pt | nipc 506 780 902
  3. 3. Nos veteranos, dos 40 aos 44 anos, o primeiro a cortar a meta foi Paulo Ramos (CEFA Marinha), com 32m22s; no escalão dos 45 aos 49, o primeiro lugar pertenceu a Eugénio Neto (GDR Reboleira), com 32m13s; no escalão dos 50 aos 54, o primeiro classificado foi Silvestre Gomes (JD Neves), com 34m42s; no escalão dos 55 aos 59 o vencedor foi Filipe Silva (GDR Reboleira), com 34m42s; e no escalão para os maiores de 60 anos João Portela (Os Portelas) cortou a meta em primeiro, com 38m07s. Nos veteranos femininos, com mais de 35 anos, Cristina Ponte (Cliniponte) foi a primeira classificada, com o tempo de 37m47s. 3 Praça 15 de Dezembro - Apartado 55 - 2071-909 Cartaxo | tel 243 700 250 | fax 243 700 268 | desporto@cm-cartaxo.pt | nipc 506 780 902
  4. 4. GRANDE PRÉMIO RUI SILVA DE MÃOS DADAS COM A ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA CONTRA A LEUCEMIA Porque a solidariedade tem muitos caminhos e pode assumir muitas formas, o IX Grande Prémio de Atletismo Rui Silva está aliado a uma causa que pode salvar muitas vidas. Um euro de cada inscrição na prova vai reverter a favor da Associação Portuguesa Contra a Leucemia (APCL), que estará presente no dia 24, na Praça 15 de Dezembro, das 14h00 às 19h00, para recolher inscrições de potenciais dadores de medula óssea. Às 18h00 terá lugar uma sessão de esclarecimento, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, com a presença do Dr. Duarte Lima, vogal do conselho de administração da Associação. O Transplante de Medula Óssea é a única esperança de sobrevivência para muitos portadores de leucemias e outras doenças do sangue. Considerando que apenas 25% dos doentes tem um dador familiar compatível, qualquer pessoa pode responder às 75% de hipóteses de cura de um doente. Para ser dador, basta uma amostra de sangue, para análise virulógica e de ADN, de forma a tipar o material genético. Simultaneamente, a potencial dador terá de preencher um questionário com informação adicional. Esta informação vai para a base de dados e, caso surja um doente compatível, nacional ou estrangeiro, o dador é contactado e decidirá da sua disponibilidade para a doação. Actualmente, cerca de 80% de todos dos doentes têm, pelo menos, um potencial dador compatível. Esta percentagem subiu significativamente (em 1991 era 41%) depois do esforço que foi feito mundialmente no recrutamento de dadores. 4 Praça 15 de Dezembro - Apartado 55 - 2071-909 Cartaxo | tel 243 700 250 | fax 243 700 268 | desporto@cm-cartaxo.pt | nipc 506 780 902
  5. 5. Sobre a APCL Contribuir, a nível nacional, para aumentar a eficácia do tratamento das leucemias e outras neoplasias hematológicas afins, apoiar os doentes e as suas famílias e promover o progresso do conhecimento científico sobre a natureza, evolução, prevenção e tratamento destas doenças são os principais objectivos desta associação. Consciente da importância da transplantação de medula óssea enquanto tratamento, muitas vezes curativo, de certas leucemias agudas ou formas agudas de linfoma e perante o número relativamente reduzido de dadores de medula óssea portugueses registados no Registo Português de Dadores de Medula Óssea (CEDACE – Centro Nacional de Dadores de Células Estaminais da Medula Óssea ou do Cordão Umbilical), a APCL entendeu como prioritário, desde o início das suas actividades, o apoio a este organismo, no sentido de aumentar, tão rápido quanto possível, o recrutamento de potenciais dadores para o Registo. Através dos seus voluntários e da comparticipação financeira, a APCL tem apoiado e colaborado nas iniciativas do CEDACE, que conduziram a um aumento muito significativo de dadores, que passaram dos 1.800 existentes em 2002 para os cerca de 50.000 actuais, identificados no Registo. Portugal, que há quatro anos era o país da União Europeia com o menor Registo de Dadores, é neste momento o terceiro país, tendo à sua frente apenas a Grã-Bretanha e a Alemanha. O que é a leucemia? É uma doença maligna com origem nas células imaturas da medula óssea. A produção de glóbulos brancos fica descontrolada e o funcionamento da medula óssea saudável torna-se cada vez mais difícil, diminuindo progressivamente a produção de células normais, dando lugar ao aparecimento de anemia, infecções e hemorragias. 5 Praça 15 de Dezembro - Apartado 55 - 2071-909 Cartaxo | tel 243 700 250 | fax 243 700 268 | desporto@cm-cartaxo.pt | nipc 506 780 902
  6. 6. Existem vários tipos de leucemia, caracterizados pelo tipo de célula afectada. Pode ser aguda ou crónica, dependendo da velocidade de proliferação das células leucémicas. O que é a medula óssea e como está ligada à leucemia? A medula óssea é um tecido esponjoso que preenche o interior dos ossos longos, como os da bacia. É nesse tecido que existem células progenitoras, ou seja, com capacidade para se diferenciarem e dar origem a qualquer célula do sangue periférico, as chamadas stem cell dos autores ingleses ou células progenitoras/estaminais em português. Estas células renovam-se constantemente mantendo um número relativamente constante em qualquer momento. Existem dois processos de colheita de células para transplantação de medula: - Colheita a partir da Medula Óssea: As células progenitoras colhidas do interior dos ossos pélvicos. Requer geralmente anestesia geral e uma breve hospitalização. - Células de células Progenitoras Periféricas: a colheita é feita no sangue periférico, através de um processo chamado aférese, em que o dador tem de tomar previamente um medicamento que é um factor de crescimento que vai fazer aumentar a produção de células progenitoras no sangue. Além destes dois métodos, existe ainda, outra fonte de células progenitoras que são as células do cordão umbilical. Os doentes com leucemia sofrem de uma alteração ao nível da produção os glóbulos brancos, glóbulos vermelhos e plaquetas. Glóbulos Vermelhos: carregam oxigénio dos pulmões para todo o corpo. Glóbulos Brancos: combatem as infecções e protegem o teu corpo contra os agentes infecciosos. 6 Praça 15 de Dezembro - Apartado 55 - 2071-909 Cartaxo | tel 243 700 250 | fax 243 700 268 | desporto@cm-cartaxo.pt | nipc 506 780 902
  7. 7. Plaquetas: constroem novos tecidos para prevenir e parar hemorragias. O que é preciso para ser dador de medula óssea? - ter entre 18 e 45 anos; - ser saudável; - ter peso mínimo de 50 kg; e - nunca ter recebido uma transfusão de sangue. Os laboratórios responsáveis pelo processo de análises para averiguar a futura compatibilidade entre dadores – tipagem – e estudo imunológico são os centros de Histocompatibilidade do Sul, do Norte e do Centro, sendo que o do Sul é o organismo do Ministério da Saúde que articula os três centros (Lisboa, Porto e Coimbra), que no seu conjunto formam a Lusotransplante. As pessoas com idades compreendidas entre os 18 e os 45 anos podem inscrever-se num dos três Centros de Histocompatibilidade do país. Não poderão ter historial clínico de problemas cardiológicos, doença cancerosa ou SIDA. Em que consiste o processo de doação de medula? Comprovada a compatibilidade genética do dador, existem duas formas de doação, ao critério do voluntário: a) Inicialmente, o dador faz um tratamento com injecções subcutâneas de uma substância chamada factor de crescimento, para aumentar a produção de células progenitoras de medula. Depois, num processo semelhante à doação de sangue, as células são colhidas por uma técnica chamada citaférese, na qual é possível colher as células a partir de veias periféricas no braço, num processo rápido e simples. Neste caso, o sangue retirado da veia do dador passa através de um aparelho que remove apenas as células necessárias para o transplante, devolvendo novamente as restantes células e plasma ao dador. 7 Praça 15 de Dezembro - Apartado 55 - 2071-909 Cartaxo | tel 243 700 250 | fax 243 700 268 | desporto@cm-cartaxo.pt | nipc 506 780 902
  8. 8. b) É feita uma colheita das células a partir dos ossos pélvicos, com anestesia geral. Os dadores passam por uma pequena cirurgia, de aproximadamente 90 minutos. É retirada uma pequena quantidade de medula (menos de 10%), através de uma punção na região pélvica posterior (bacia) para aspirar a medula (vulgarmente conhecida como tutano). Dentro de poucas semanas, a medula óssea do dador estará inteiramente recuperada. Fonte: www.apcl.pt 8 Praça 15 de Dezembro - Apartado 55 - 2071-909 Cartaxo | tel 243 700 250 | fax 243 700 268 | desporto@cm-cartaxo.pt | nipc 506 780 902
  9. 9. HISTORIAL DO GRANDE PRÉMIO RUI SILVA I Grande Prémio (2001) Seniores masculinos 1.º - David Kipruto (22m38s) 2.º - Rui Silva (23m02s) 3.º - Mechael Ngaseke (23m17s) Seniores femininos 1.º - Marina Bastos (25m04s) 2.º - Elizabeth Chemwen (25m36s) 3.º - Nancy Omwemga (25m48s) ……… II Grande Prémio (2002) Seniores masculinos 1.º - Boniface Usisivu (22m41s) 2.º - Martin Sulle (22m58s) 3.º - Ângelo Pacheco (23m01s) Seniores femininos 1.º - Windfridah Kwamboka (26m11s) 2.º - Fernanda Miranda (26m16s) 3.º - Elizabete Lopes (26m26s) ……… III Grande Prémio (2003) Seniores masculinos 1.º - Philmon Kemei (22m24s) 2.º - Rui Silva (22m48s) 3.º - Martin Sulle (22m54s) Seniores femininos 1.º - Marina Bastos (26m25s) 2.º - Helena Sampaio (26m26s) 3.º - Clarisse Cruz (26m43s) …….. IV Grande Prémio (2004) Seniores masculinos 1.º - Rui Silva (22m37s) 2.º - Daniel Sipe (22m43s) 3.º - David Chepkony (23m00s) Seniores femininos 1.º - Marina Bastos (26m33s) 9 Praça 15 de Dezembro - Apartado 55 - 2071-909 Cartaxo | tel 243 700 250 | fax 243 700 268 | desporto@cm-cartaxo.pt | nipc 506 780 902
  10. 10. 2.º - Larissa Zousko (26m45s) 3.º - Rita Simões (27m30s) …….. V Grande Prémio (2005) Seniores masculinos 1.º - Rui Silva (22m41s) 2.º - Festus Langat (22m46s) 3.º - José Maduro (23m10s) Seniores femininas 1.º - Clarisse cruz (26m27s) 2.º - Cláudia pereira (26m47s) 3.º - Rita Simões (27m08s) …….. VI Grande Prémio (2006) Seniores masculinos 1.º - Rui Silva (29m16s) 2.º - Youssef Kalay (29m28s) 3.º - Peter Korir (29m35s) Seniores femininos 1.º - Fátima Cabral (34m15s) 2.º - Marina Bastos (34m39s) 3.º - Fernanda Miranda (35m43s) ……. VII Grande Prémio (2007) Seniores masculinos 1.º - Festus Langat (29m45s) 2.º - Youssef Kalay (29m52s) 3.º - José Maduro (29m58s) Seniores femininos 1.º - Alina Ivanova (33m24s) 2.º - Sharon Charop (33m44s) 3.º - Marisa Barros (34m04s) ……. VIII Grande Prémio (2008) Seniores masculinos 1.º - Laban Korir (29m10s) 2.º - Licínio Pimentel (29m24s) 3.º - Rui Pedro Silva (29m31s) Seniores femininos 1.º - Mirhet Tadesse (33m26s) 2.º - Marisa Barros (34m08s) 3.º - Carla Martinho (35m00s) 10 Praça 15 de Dezembro - Apartado 55 - 2071-909 Cartaxo | tel 243 700 250 | fax 243 700 268 | desporto@cm-cartaxo.pt | nipc 506 780 902
  11. 11. RUI SILVA CURRÍCULO DESPORTIVO Rui Manuel Monteiro da Silva Naturalidade: Santarém Data de nascimento: 03/08/77 Altura: 1,75 m Peso: 65 kg Clube: Sporting Clube de Portugal Treinador: Prof. João Campos 2009 Campeonato da Europa de Pista Coberta Turim – 2009 1.500 metros – Ouro - 3.44,38 Campeonato Nacional de Pista Coberta Pombal – 2009 1500 m – 1.º Rui Silva, 3.42,95 800 m – 1.º Rui Silva, 1.49,57 ……………………………………………………………………………………………………………….. RECORDES DE PORTUGAL Ar Livre 800 metros 1.44,91 - S.Sebastian - 20.08.02 1.000 metros 2.16,30 - Nice - 17.07.99 1.500 metros 3.30,07 - Mónaco - 19.07.02 Milha 3.49,50 - Roma - 12.07.02 2.000 metros 4.54,66 - Berlim - 07.09.99 Pista Coberta 800 metros 1.46,40 - Gent - 19.02.99 1.000 metros 2.17,36 - Gent - 23.02.01 1.500 metros 3.34,99 - Maebashi - 07.03.99 11 Praça 15 de Dezembro - Apartado 55 - 2071-909 Cartaxo | tel 243 700 250 | fax 243 700 268 | desporto@cm-cartaxo.pt | nipc 506 780 902
  12. 12. Milha 3.52,18 - Estocolmo - 15.02.01 2.000 metros 5.03,95 - Lièvin - 25.02.01 3.000 metros 7.39,44 - Estugarda - 06.02.00 ……………………………………………………………………………………………………………….. RECORDES NACIONAIS Sub-23 Ar Livre 1.000 metros 2.16,30 - Nice - 17.07.99 1.500 metros 3.30,88 - Zurique - 11.08.99 Milha 3.50,91 - Roma - 07.07.99 Pista Coberta 800 metros 1.46,40 - Gent - 19.02.99 1.500 metros 3.34,99 -Maebashi - 07.03.99 3.000 metros 8.00,20 -Espinho - 31.01.99 RECORDE NACIONAL Juniores Ar Livre 1.500 metros 3.40,09 - Funchal - 25.05.96 2.000 metros 5.15,15 - Lisboa (A) - 12.10.96 ……………………………………………………………………………………………………………….. MEDALHAS INDIVIDUAIS EM GRANDES COMPETIÇÕES INTERNACIONAIS Campeonato da Europa de Pista Coberta Valência – 1998 1.500 metros – Ouro – 3.44,57 2ºelim – 3.43,92 Campeonato da Europa de Pista 12 Praça 15 de Dezembro - Apartado 55 - 2071-909 Cartaxo | tel 243 700 250 | fax 243 700 268 | desporto@cm-cartaxo.pt | nipc 506 780 902
  13. 13. Budapeste – 1998 1.500 metros – Prata – 3.41,84 4º elim – 3.41,87 Taça do Mundo Joanesburgo – 1998 1.500 metros – Prata – 3.40,95 Campeonato da Europa de Sub-23 Gotemburgo – 1999 1.500 metros – Ouro – 3.44,29 1º elim – 3.43,70 Campeonato da Europa de Pista Coberta Gent – 2000 3.000 metros – Prata – 7.49,80 Campeonato do Mundo de Pista Coberta Lisboa – 2001 1.500 metros – Ouro – 3.51,06 1º elim – 3.37,79 Campeonato da Europa de Pista Coberta Viena – 2002 3.000 metros – Ouro – 7.49,93 Campeonato da Europa de Pista Munique – 2002 1.500 metros – Prata – 3º - 3.45,43 - 2º ½ final – 3.40,84 Campeonato do Mundo de Pista Coberta Budapeste – 2004 3.000 metros – Prata – 7.57,08 Jogos Olímpicos Atenas - 2004 1.500 metros – Bronze - 3.34,68 Campeonato do Mundo de Pista Helsínquia - 2005 1.500 metros – Bronze - 3.38,02 Jogos Olímpicos Atenas - 2004 1.500 metros – Bronze - 3.34,68 Campeonato da Europa de Corta-Mato Toro - 2007 Bronze - 31.58 ……………………………………………………………………………………………………………….. 13 Praça 15 de Dezembro - Apartado 55 - 2071-909 Cartaxo | tel 243 700 250 | fax 243 700 268 | desporto@cm-cartaxo.pt | nipc 506 780 902
  14. 14. MEDALHA COLECTIVA EM GRANDES COMPETIÇÕES INTERNACIONAIS Campeonato da Europa de Corta-Mato Toro - 2007 Prata ……………………………………………………………………………………………………………….. OUTRAS INTERNACIONALIZAÇÕES Jogos Olímpicos Sydney – 2000 1.500 metros – 13º Qualf - 3.41,93 Campeonato do Mundo de Pista Sevilha - 1999 1.500 metros – 10º m/f – 3.50,85 6º elim – 3.41,60 Campeonato do Mundo de Pista Edmonton – 2001 1.500 metros – 7º final – 3.35,74 3ºm/f – 3.36,07 5º elim. – 3.38,74 Campeonato do Mundo de Pista Paris – 2003 1.500 metros – 5º final – 3.33,68 2ºm/f – 3.38,37 1º elim. – 3.41,35 Campeonato do Mundo de Corta-Mato (Curto) Vilamoura - 2000 24º lugar Campeonato do Mundo de Pista Coberta Maebashi – 1999 1.500 metros – 5º - 3.34,99 2º elim – 3.41,30 Campeonato do Mundo de Pista Coberta Birmingham – 2003 1.500 – 3º elim – 3.48,41 Taça da Europa Budapeste – 1998 1.500 metros – 1º – 3.44,4 Taça da Europa de Pista Telavive – 1999 1.500 metros – 1º - 3.42,67 Taça da Europa 14 Praça 15 de Dezembro - Apartado 55 - 2071-909 Cartaxo | tel 243 700 250 | fax 243 700 268 | desporto@cm-cartaxo.pt | nipc 506 780 902
  15. 15. Vaasa - 2001 1.500 metros – 1º - 3.43,25 3.000 metros – 1º - 7.55,52 Taça da Europa Sevilha - 2002 3.000 metros – 1º - 7.51,28 Taça da Europa Istambul - 2004 3.000 metros – 1º - 7.46,41 Taça da Europa Leiria - 2005 3.000 metros – 1º - 8.10,26 Taça da Europa Salónica - 2006 3.000 metros – 1º - 8.09,74 Torneio das Seis Nações (Pista Coberta) Génova – 1999 1.500 metros – 1º - 3.41,35 Campeonato do Mundo de Juniores de Corta-Mato Durham – 1995 Desistiu Campeonato do Mundo de Juniores Sydney – 1996 1.500 metros – 6ºfinal – 3.41,81 2ºm/f - - 3.42,52 3ºelim – 3.56,90 Campeonato do Mundo de Juniores de Corta-Mato Cidade do Cabo – 1996 43º lugar Campeonato da Europa de Juniores em Pista Niyregyhaza - 1995 1,500 metros - 8º final - 3.50,75 - 3º m/f - 3.47,32 ……………………………………………………………………………………………………………….. CAMPEÃO DE PORTUGAL Pista (Ar Livre) 800 metros 02 – 1.47,46 05 – 1.47,94 15 Praça 15 de Dezembro - Apartado 55 - 2071-909 Cartaxo | tel 243 700 250 | fax 243 700 268 | desporto@cm-cartaxo.pt | nipc 506 780 902
  16. 16. 1.500 metros 99 – 3.41,95 01 – 3.40,05 Pista Coberta 800 metros 01 – 1.48,53 1.500 metros 98 - 3.38,85 00 – 3.40,03 ……………………………………………………………………………………………………………….. CAMPEÃO NACIONAL Juniores Pista 1.500 metros 95 - 3.58,83 96 - 3.50,22 3.000 metros 94 - 8.30,75 95 - 8.26,6 96 - 8.44,5 Corta-Mato 95 96 Juvenis Pista 1.500 metros 93 - 4.04,47 94 - 3.59,55 3.000 metros 93 - 8.38,19 95 - 8.52,55 Corta-Mato 94 ……………………………………………………………………………………………………………….. 16 Praça 15 de Dezembro - Apartado 55 - 2071-909 Cartaxo | tel 243 700 250 | fax 243 700 268 | desporto@cm-cartaxo.pt | nipc 506 780 902
  17. 17. NOTAS __________________________________ __________________________________ __________________________________ __________________________________ __________________________________ __________________________________ __________________________________ __________________________________ __________________________________ __________________________________ __________________________________ __________________________________ 17 Praça 15 de Dezembro - Apartado 55 - 2071-909 Cartaxo | tel 243 700 250 | fax 243 700 268 | desporto@cm-cartaxo.pt | nipc 506 780 902
  18. 18. __________________________________ __________________________________ __________________________________ __________________________________ __________________________________ __________________________________ __________________________________ __________________________________ __________________________________ __________________________________ __________________________________ __________________________________ __________________________________ __________________________________ __________________________________ __________________________________ 18 Praça 15 de Dezembro - Apartado 55 - 2071-909 Cartaxo | tel 243 700 250 | fax 243 700 268 | desporto@cm-cartaxo.pt | nipc 506 780 902
  19. 19. Praça 15 de Dezembro 2050 - 050 Cartaxo T. 243 701 250 F. 243 701 255 correio@cm-cartaxo.pt www.cm-cartaxo.pt

×