Análise de textos não verbal e mistos

12.070 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
12.070
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
722
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Análise de textos não verbal e mistos

  1. 1. Análise de textos não-verbal e mistos
  2. 2. ANÁLISE DE CARTUM CARTUM: é um tipo de texto humorístico é o cartum. Espécie de anedota gráfica sobre o comportamento humano, o cartum pode usar apenas linguagens não-verbal ou misturá-la com a verbal. Leia este exemplo de cartum:
  3. 3. Análise do cartum <ul><li>A violência do ser humano faz um filhote de chipanzé questionar com seu pai, se </li></ul><ul><li>realmente aqueles humanos descenderam dos macacos. </li></ul><ul><li>O humor do cartum está nesta contradição: um animal horrorizado com a violência do </li></ul><ul><li>ser humano. </li></ul><ul><li>O cartum é um exemplo de texto misto (verbal e não verbal) e para acessar o entido </li></ul><ul><li>do cartum o leitor deve relacionar a imagem (linguagem não-verbal) ao texto </li></ul><ul><li>(linguagem verbal) </li></ul><ul><li>CHARGE </li></ul><ul><li>A charge ou cartum é um desenho de caráter humorístico, geralmente veiculado pela </li></ul><ul><li>imprensa. Ela também pode ser considerada como texto e, nesse sentido, pode ser </li></ul><ul><li>lida por qualquer um de nós. Trata-se de um tipo de texto muito importante na mídia </li></ul><ul><li>atual, graças à sua capacidade de fazer, de modo sintético, </li></ul><ul><li>críticas político-sociais. Um público muito amplo se interessa pela charge, tanto pelo </li></ul><ul><li>uso do humor e da sátira, quanto por exigir do leitor apenas um pequeno </li></ul><ul><li>conhecimento da situação focalizada, para se reconhecerem as referências e </li></ul><ul><li>insinuações feitas pelo autor. </li></ul>
  4. 4. Análise de charge <ul><li>Leia a seguinte charge: </li></ul><ul><li>De autoria de Millôr Fernandes, a charge discute a honestidade </li></ul><ul><li>social a partir de uma cena irônica: a lamentação de um </li></ul><ul><li>indivíduo que, por só poder lidar com gente honesta, encontra </li></ul><ul><li>se num deserto (em solidão). </li></ul>
  5. 5. Análise da charge <ul><li>Os temas de charges, porém, nem sempre são assim tão amplos. Podem estar </li></ul><ul><li>ligados a acontecimentos específicos de uma época ou local, o que é muito </li></ul><ul><li>frequente nas charges diárias. Quando são publicadas em jornais regionais, por </li></ul><ul><li>exemplo, as charges podem fazer referência a fatos que não são conhecidos </li></ul><ul><li>por moradores de outras cidades ou Estados, o que lhes dificulta a </li></ul><ul><li>compreensão. Nos jornais de grande alcance, as charges normalmente </li></ul><ul><li>recuperam os assuntos que ganharam destaque nacional nos dias anteriores. </li></ul><ul><li>Abaixo veremos um exemplo de charge,publicada no dia 03 de março de 2010, </li></ul><ul><li>referente ao tema: a queda do governador de São Paulo, José Serra, nas </li></ul><ul><li>pesquisas que avaliam a intenção de voto do eleitor brasileiro para a próxima </li></ul><ul><li>campanha presidencial. Para compreendê-las, o leitor precisa acionar uma série </li></ul><ul><li>de conhecimentos prévios que já possui no seu próprio repertório cultural. </li></ul>

×