Manual de
Utilizador EU.IPP
Vera Correia
Patrícia Pinto
Projeto de Biblioteca 13/14
G4
Sumário
 Introdução
 Blogue
 Sistemas de Gestão de Conteúdos
 Ferramentas para a construção de Manuais de
Utilizador
...
Introdução
A primeira tarefa a realizar foi criar um blogue no WordPress onde
registamos todas as atividades desenvolvidas...
Blogue
4
Sistemas de Gestão de
Conteúdos
 Conceito de Gestão de Conteúdos:
 “a gestão de conteúdos é um conjunto de
processos e t...
Sistemas de Gestão de
Conteúdos(2)
“Em outras palavras, um CMS é uma ferramenta que permite a um
editor criar, classificar...
Sistemas de Gestão de
Conteúdos(3)
 “Os benefícios para a sua utilização podem ser
resumidos nos seguintes: custos reduzi...
Sistemas de Gestão de
Conteúdos(4)
Principais
características:
Parametrização de permissões: Cada um dos
utilizadores deve...
Sistemas de Gestão de
Conteúdos(5)
Principais
características:
Interface com os utilizadores: Os sistemas de gestão de
con...
Ferramentas para a construção
de Manuais de Utilizador
O advento das novas tecnologias, bem como a sua democratização fez ...
Ferramentas para a construção
de Manuais de Utilizador(2)
Originam-se então, os materiais educacionais digitais (MED’s), q...
Design Pedagógico
 Para que este material seja devidamente criado há que entender
primeiro o conceito de design pedagógic...
Design Pedagógico(2)FatoresGráficos
são compostos
pela estética e
design de interface,
em que o objetivo
é " os elementos ...
Parâmetros para a construção de MED
baseados no design Pedagógico
usabilidade
interação
Interatividade
design
14
Portais
 Segundo Augusto Parada os portais são
“as plataformas que apresentam
funcionalidades de uso aos internautas”
PAR...
Portais(2)
 Há várias funcionalidades que podem ser
encontradas na maioria dos portais:
 As ferramentas que possibilitam...
Portais Académicos
17
As Instituições de Ensino Superior são um tipo específico de organização
com o objetivo de dotar a c...
Portais Académicos(2)
18
Docentes
fornecem os recursos
necessários para a realização
de suas atividades e apoiam a
tomada ...
Portais Académicos(3)
19
Popovic et al. apresentam um modelo de portal acadêmico para instituições de
ensino superior onde...
Portais Académicos(4)
INSTITUTO
SUPERIOR DE
CIÊNCIAS E
TECNOLOGIA DE
MOÇAMBIQUE
THE UNIVERSITY
OF CHICAGO
BOOTH SCHOOL
OF ...
Portais Académicos(5)
21
Característica principal
• A sua estrutura centralizada,
formando uma única plataforma
com todos ...
Portal EU.IPP
O Portal eu.ipp.pt permite, a toda a comunidade do
IPP, aceder de forma rápida e organizada às
informações f...
Portal EU.IPP(2)
Relativamente às funcionalidades do portal EU IPP, este
permite aos alunos uma diversidade de ações a rea...
Análise Comparativa
GoogleSites
WebnodeWikispaces
24
Gestão da
Informação
Genérica
Gestão de
Documentos
Trabalho
Colaborat...
Fundamentação da Escolha
25
•Para a gestão dos conteúdos gerais do nosso Sitio Web, o
Webnode possui quase a totalidade do...
Integração em Joomla!
Como o Manual de Utilizador tinha
que ser interativo, isto é, tinha que dar
para inserir texto, imag...
Integração em Joomla!(2)
Após a tentativa, por parte do Dr.
Nuno Bento, dos Serviços
Académicos, este verificou que
não da...
Outras Ferramentas
28
PaintNet O Paint.NET é um software gratuito de edição
de imagens. Entre as funções de exibição de
im...
Webnode: funcionalidades
29
O serviço Webnode é desenvolvido e suportado pela Webnode AG. A
Foi lançado em Janeiro de 2008...
Webnode: funcionalidades(2)
30
Serviços
versão
gratuita
serviços
premiun
Webnode: funcionalidades(3)
31
O primeiro passo foi escolher um modelo pré-definido e alterar o seu aspeto até termos um s...
Manual do Utilizador
32
Conclusão
A Gestão de conteúdos procura soluções para simplificar significativamente os processos de
criação, gestão, publ...
Conclusão(2)
Relativamente às funcionalidades do portal EU IPP, este permite
aos alunos uma diversidade de ações a realiza...
Bibliografia
 ALVAREZ, Miguel- O que é um CMS [Em linha] [S.l]: CriarWeb.com, 2008. [Consult. 15 Dez.
2013]. Disponível e...
Bibliografia(2)
 INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA DE MOÇAMBIQUE - Portal Académico [Em
linha]. Maputo: ISCTM, ...
Bibliografia(3)
 PEREIRA, Júlio C.I.; BAX, Marcello P. – Introdução à Gestão de Conteúdos. Revista Gestão &
Tecnologia [E...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Pb g4-ap

283 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
283
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Segundo as autoras Patricia Behar e Cristina Torrezzan existem certos requisitos a cumprir na criação de materiais educacionais digitais, em questões de
  • Este portal académico tem uma apresentação bastante simples.
    Sem efetuar o registo, temos acesso a uma área de notícias. Como é obrigatório efetuar o registo para visualizar o resto do portal, e como, não temos as credenciais para entrar, vamos efetuar a análise através do Manual de Utilizador que este portal já possui.
    O portal é apresentado como “um serviço que lhe permitirá consultar as pautas das cadeiras correspondentes ao seu Ano Curricular e Curso”.
    O registo dos alunos são em tudo semelhantes aos do portal do IPP.
    O portal da Universidade de Chicago não poderia ser mais diferente do apresentado anteriormente.
    Ainda sem ser efetuado o registo de entrada a informação disponibilizada é muito maior.
    Tem também incorporado um sistema de Pesquisa de Cursos muito completo e onde dá para inserir muitos termos de pesquisa.
    Por último, dá também acesso ao Repositório da Universidade.

  • Pb g4-ap

    1. 1. Manual de Utilizador EU.IPP Vera Correia Patrícia Pinto Projeto de Biblioteca 13/14 G4
    2. 2. Sumário  Introdução  Blogue  Sistemas de Gestão de Conteúdos  Ferramentas para a construção de Manuais de Utilizador  Design Pedagógico  Funcionalidades do Portal  Análise Comparativa  Fundamentação da Escolha  Integração em Joomla!  Outras Ferramentas  Webnode: funcionalidades  Manual do Utilizador  Conclusão  Bibliografia 2
    3. 3. Introdução A primeira tarefa a realizar foi criar um blogue no WordPress onde registamos todas as atividades desenvolvidas ao longo do tempo e durante as aulas desta unidade curricular. Numa primeira fase foi realizado o levantamento e respetiva revisão de literatura sobre Sistemas de Gestão de Conteúdos e Ferramentas para a criação de manuais de utilizador bem como definimos os portais, mais concretamente os portais académicos. Na segunda fase realizamos uma análise comparativa de software para a criação do Manual do Utilizador. Concluída esta verificação foi fundamentada a escolha da plataforma utilizada: o Webnode. Iniciada a terceira fase começamos a criar o Manual do Utilizador do EU.IPP no Webnode e usamos o O-cam e o PaintNet como ferramentas auxiliares. Numa última fase foram explicadas todas as funcionalidades usadas para construir o Manual de utilizador para auxiliar a administração na sua manutenção bem como foi elaborado o póster representativo do trabalho efetuado. 3
    4. 4. Blogue 4
    5. 5. Sistemas de Gestão de Conteúdos  Conceito de Gestão de Conteúdos:  “a gestão de conteúdos é um conjunto de processos e tecnologias que suportam o ciclo de vida evolutivo da informação digital. Esta informação digital é muitas vezes referida como um conteúdo ou, para ser mais preciso, conteúdo digital. Conteúdo Digital que pode assumir a forma de texto, como: documentos, arquivos multimídia, arquivos de áudio, vídeo, ou qualquer outro tipo de arquivo que segue um ciclo de vida de conteúdo que requer uma gestão” GOUVEIA, Luís – Produção e Gestão de Conteúdos para Plataformas Online, p.6; 5
    6. 6. Sistemas de Gestão de Conteúdos(2) “Em outras palavras, um CMS é uma ferramenta que permite a um editor criar, classificar e publicar qualquer tipo de informação numa página web.” ALVAREZ, Miguel – O que é um CMS, p.33; Um sistema de Gestão de Conteúdos, ou Content Management System (CMS), como o próprio nome indica, é um sistema que permite gerir conteúdos e é normalmente composto de duas partes: um back onde os administradores colocam as informações que pretendem e um front onde os visitantes têm acesso a essas mesmas informações; 6
    7. 7. Sistemas de Gestão de Conteúdos(3)  “Os benefícios para a sua utilização podem ser resumidos nos seguintes: custos reduzidos na manutenção do sítio, crescimento sustentado do sítio, maior controlo da informação evitando duplicados, aumenta a flexibilidade do sítio, descentralização da administração, maior consistência do sítio, aumento de segurança e maior coerência.” NEVES, Bruno Pinheiro – Os sistemas de gestão de conteúdos aplicados à Gestão da Informação em Bibliotecas Universitárias, p.6;  O benefício mais geral de um sistema de gestão de conteúdos é a disponibilização, atualização e disposição da informação que agrada a administradores e a utilizadores dos mesmos. 7
    8. 8. Sistemas de Gestão de Conteúdos(4) Principais características: Parametrização de permissões: Cada um dos utilizadores deverá possuir um código de acesso único que lhe permita usufruir das funcionalidades que lhe foram atribuídas pelo administrador do sistema; Workflow: O sistema deverá ser capaz de controlar a publicação de conteúdos de acordo com um conjunto de regras delineadas; Multilingue: Em determinados casos, poderá ser relevante a existência de mais de uma língua de consulta ao site para que possa abranger um maior número de utilizadores interessados. 8
    9. 9. Sistemas de Gestão de Conteúdos(5) Principais características: Interface com os utilizadores: Os sistemas de gestão de conteúdos devem apresentar interfaces intuitivas e fáceis de utilizar. As interfaces devem também definir, regras de formatação consoante as zonas de edição; Granularidade de conteúdos: Os conteúdos introduzidos não podem ser vistos apenas como textos ou imagens puros; Reutilização de conteúdos: Uma das principais funcionalidades deverá ser a facilidade com que o sistema permite a reutilização dos conteúdos. 9
    10. 10. Ferramentas para a construção de Manuais de Utilizador O advento das novas tecnologias, bem como a sua democratização fez com que os manuais de utilizador evoluíssem e se tornassem cada vez mais interativos, pois a possibilidade de inserir qualquer tipo de hipermédia fez com que as possibilidades de inovação aumentassem radicalmente. Este tipo de publicações fornece as instruções necessárias para que um utilizador possa utilizar um determinado produto ou serviço. Um manual de utilizador é uma publicação que inclui o essencial de uma matéria. 10
    11. 11. Ferramentas para a construção de Manuais de Utilizador(2) Originam-se então, os materiais educacionais digitais (MED’s), que são definidos por Torrezzan como “todo o material educacional que incorpora recursos digitais na sua elaboração”. TORREZZAN, Cristina - Design Pedagógico, p. 21; Por isso, deve haver grande preocupação em aproveitar em pleno as tecnologias digitais na construção de recursos digitais na educação. Um manual de utilizador criado para auxiliar um aluno do ensino superior tem que ser pensado para um novo tipo de aluno, um aluno dinâmico, exigente e com conhecimentos em tecnologias. 11
    12. 12. Design Pedagógico  Para que este material seja devidamente criado há que entender primeiro o conceito de design pedagógico, definido como um conceito “que une várias áreas de estudo (informática, design e educação) e integra elementos relacionados a práticas pedagógicas, ergonomia, programação informática e composição gráfica.” BEHAR, Patricia; TORREZZAN, Cristina - Metas do design pedagógico, p.13  Tem, assim, como objetivo criar materiais educacionais digitais que possibilitem ao utilizador aprender de forma autónoma, crítica, divertida, surpreendente e significativa.  No entanto, verifica-se que para desenvolver um design pedagógico não basta a união de tecnologias digitais e materiais educacionais, pois este é um processo complexo que depende do planeamento técnico, gráfico e pedagógico. 12
    13. 13. Design Pedagógico(2)FatoresGráficos são compostos pela estética e design de interface, em que o objetivo é " os elementos de composição não atuarem apenas como meros elementos decorativos, mas co atuarem no desenvolvimento das habilidades icônicas do utilizador, apoiando a sua construção de conhecimento.” FatoresTécnicos estão relacionados com a ergonomia e programação informática do MED com o objetivo de apoiar a trajetória do utilizador, possibilitando uma postura de livre- descoberta das interfaces e do conteúdo abordado. FatoresPedagógicos estão relacionados com o perfil de cada utilizador, à elaboração do conteúdo abordado e ao planeamento das interações e interatividades possibilitadas. 13
    14. 14. Parâmetros para a construção de MED baseados no design Pedagógico usabilidade interação Interatividade design 14
    15. 15. Portais  Segundo Augusto Parada os portais são “as plataformas que apresentam funcionalidades de uso aos internautas” PARADA, Augusto Rodrigues- Portais, p. 44;  A maior diferença entre os portais e os sites é que os portais têm sempre uma área restrita a determinados grupos. 15
    16. 16. Portais(2)  Há várias funcionalidades que podem ser encontradas na maioria dos portais:  As ferramentas que possibilitam a socialização, como os chats, email e programas de conversação são um requisito essencial. Dessa forma, os portais são encarados como estimuladores da produção do conhecimento pós- moderno incentivando as trocas de ideias e informações.  Outra funcionalidade determinante para a construção de um portal são os serviços de busca. 16
    17. 17. Portais Académicos 17 As Instituições de Ensino Superior são um tipo específico de organização com o objetivo de dotar a comunidade estudantil de conhecimentos garantindo que os conteúdos transmitidos são apreendidos pelos seus alunos. Assim, os portais corporativos são conhecidos como portais académicos, devido suas atividades serem voltadas para o meio acadêmico. Os portais académicos apresentam benefícios para as Instituições de Ensino Superior, ao facilitarem o acesso a recursos da intranet da organização, ao tornar acessível a informação e direcioná-la tanto a docentes como alunos o que também permite uma maior segurança no acesso aos dados.
    18. 18. Portais Académicos(2) 18 Docentes fornecem os recursos necessários para a realização de suas atividades e apoiam a tomada de decisão ao fornecerem as informações relevantes. Alunos permitem-lhes ter acesso fácil, rápido e seguro às informações sobre o seu aproveitamento, frequência às aulas, pagamentos de propinas, entre tantos outros.
    19. 19. Portais Académicos(3) 19 Popovic et al. apresentam um modelo de portal acadêmico para instituições de ensino superior onde os conteúdos estão inseridos em três grupos: administrativo como as inscrições em exames, solicitações e pagamentos online de propinas e certificados; oportunidades de emprego e estágio; serviço de correio eletrónico; acompanhamento do tempo em atividades desenvolvidas no portal e controlo de login. pedagógico e pesquisa planeamento de curso; a gestão de material didático; fóruns on-line; exames on-line; fontes de acesso à literatura disponível na instituição e outras bases de dados acadêmicas; assim como ambiente de pesquisas na web. informação e comunicação informar os alunos sobre questões atuais e novidades; permitir a comunicação entre alunos, professores e funcionários administrativos; disponibilizar informações sobre programas internacionais; disponibilizar informações sobre as atividades relativas ao curso, e da vida acadêmica do aluno.
    20. 20. Portais Académicos(4) INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA DE MOÇAMBIQUE THE UNIVERSITY OF CHICAGO BOOTH SCHOOL OF BUSINESS 20
    21. 21. Portais Académicos(5) 21 Característica principal • A sua estrutura centralizada, formando uma única plataforma com todos os recursos necessários para o desenvolvimento das atividades.
    22. 22. Portal EU.IPP O Portal eu.ipp.pt permite, a toda a comunidade do IPP, aceder de forma rápida e organizada às informações fundamentais da vida académica, através dos módulos de Ficha de Utilizador e Secretariado; Através do sistema é possível, para as alunos, a consulta das suas notas, horários, apontamentos e notícias. Além do acesso à informação pessoal, podem ainda, fazer inscrições em exame, renovar a matrícula, transferências de turma, pedir certidões, entre muitas outras informações e pedidos; Os professores podem lançar as suas notas, consultar o seu horário, saber quem são os seus alunos, publicar conteúdos, etc. 22
    23. 23. Portal EU.IPP(2) Relativamente às funcionalidades do portal EU IPP, este permite aos alunos uma diversidade de ações a realizar, de forma rápida. No entanto, na nossa opinião, os conteúdos em si não estão bem organizados, ou seja, por exemplo a informação relativa a propinas encontra-se num local diferente de onde é efetuado o seu pagamento, o que para uma pessoa que ingressou há pouco tempo no ensino superior pode ser de facto confuso. Outro dos problemas apresentados é que algumas opções como o “WebMail” ou mesmo até o serviço de Ajuda se encontram indisponíveis, o que impossibilita os alunos, principalmente no último caso, de procurarem ajuda para colmatarem as suas duvidas na inscrição de exames, renovação da matrícula, entre outras. 23
    24. 24. Análise Comparativa GoogleSites WebnodeWikispaces 24 Gestão da Informação Genérica Gestão de Documentos Trabalho Colaborativo Webnode
    25. 25. Fundamentação da Escolha 25 •Para a gestão dos conteúdos gerais do nosso Sitio Web, o Webnode possui quase a totalidade dos requisitos; Gestão da Informação Genérica •As funcionalidades mais relevantes são a possibilidade de definir diferentes listas de acesso, adicionar arquivo de documentos, imagens, vídeos, widget e tabelas e administrar formulários; Gestão de Documentos •Permite adicionar caixa de comentários, criar fóruns de discussão, criar uma galeria de modelos de forma privada e receber avisos de alterações de conteúdos que são as funcionalidades que mais nos interessam para desenvolver a nossa ideia para o projeto. Trabalho Colaborativo
    26. 26. Integração em Joomla! Como o Manual de Utilizador tinha que ser interativo, isto é, tinha que dar para inserir texto, imagens e vídeos, decidimos, juntamente com as docentes, criar numa página web. Assim, como uma dos objetivos do projeto é que dê para inserir no site da ESEIG, achamos que daria simplesmente para colocar o link e redirecionava para a ágina web criada. No entanto, as docentes disseram-nos que essa não poderia ser a solução, uma vez que a ESEIG tem um domínio próprio e que não fazia sentido colocar o link. As opções que teríamos seriam pu criar um iframe, que é um código HTML que faz com que uma determinada página seja aberta dentro de outra, ou comprar a versão profissional do Webnode pois permite baixar uma Versão offline pode ser descarregada para o computador ou para um disco ótico (CD ou DVD, etc.), por apenas 16.95€ por mês. 26
    27. 27. Integração em Joomla!(2) Após a tentativa, por parte do Dr. Nuno Bento, dos Serviços Académicos, este verificou que não dava para colocar um iframe uma vez que o Webnode não o permite. Fomos informadas pelo Dr.Nuno Bento que uma nova versão do EU-IPP será lançada em junho e que apesar das funcionalidades não se alterarem, o aspetos e a disposição dos conteúdos vai sofrer alterações. Deste modo, resolvemos continuar a desenvolver o projeto no Webnode, uma vez que, há sempre a possibilidade de comprar a versão profissional e como, infelizmente, o trabalho estará desatualizado quando sair a nova versão, este não poderá ser utilizado na íntegra. 27
    28. 28. Outras Ferramentas 28 PaintNet O Paint.NET é um software gratuito de edição de imagens. Entre as funções de exibição de imagem, estão o controlo de zoom, a apresentação da régua ou da grade de pixels e a definição de escala por pixels, polegadas ou centímetros; oCam 2.1 O oCam é uma aplicação para gravar a tela do computador. Com este é possível filmar os procedimentos para um tutorial, por exemplo, sem complicações. O programa opera a partir de uma única janela, exibindo as funções principais num ícone para facilitar o acesso. Esta é assim uma ferramenta bastante interativa que substitui os textos explicativos para algo mais prático, dinâmico e conciso.
    29. 29. Webnode: funcionalidades 29 O serviço Webnode é desenvolvido e suportado pela Webnode AG. A Foi lançado em Janeiro de 2008, e é um construtor de websites em tempo real, interativo e gratuito, que funciona com o sistema de arrastar-e-soltar (drag-and-drop), permitindo aos seus visitantes criar, desenvolver e correr websites e aplicações web. O sistema da Webnode pode ser utilizado com qualquer domínio e permite vários componentes de website (sondagens, artigos, fóruns, listas, formulários, FAQs, etc). É compatível com qualquer um dos browsers mais populares.
    30. 30. Webnode: funcionalidades(2) 30 Serviços versão gratuita serviços premiun
    31. 31. Webnode: funcionalidades(3) 31 O primeiro passo foi escolher um modelo pré-definido e alterar o seu aspeto até termos um site com um design apelativo, simples e fácil de utilizar. Editamos o navegador para criar as páginas que equivalem aos tópicos principais do Portal EU-IPP. Utilizamos a opção arraste e solte para colocar e/ou apagar de forma rápida os blocos mais apropriados. Criamos uma página Contacte-nos para que os alunos nos possam contactar para esclarecer algumas duvidas que se possam manter depois da visualização do site; Outra funcionalidade essencial para criar este site é a inserção de imagens e vídeos pois, por permitirem uma melhor compreensão, iremos recorrer a estes em todas as opções. A estas funcionalidades juntam-se as funcionalidades gerais de qualquer plataforma como a verificação ortográfica, impressão de páginas, adicionar Tags e pesquisar.
    32. 32. Manual do Utilizador 32
    33. 33. Conclusão A Gestão de conteúdos procura soluções para simplificar significativamente os processos de criação, gestão, publicação, distribuição e acesso a conteúdos. Ao fazê-lo, aumenta e otimiza a produtividade dos utilizadores, reduzindo custos e melhorando a qualidade de serviços, satisfazendo assim as necessidades dos utilizadores, que deve ser o seu principal objetivo. Relativamente aos sistemas de gestão de conteúdos, estes permitem implementar fluxos de trabalho para a gestão de conteúdos, desde a criação até à sua publicação, pela definição de regras e procedimentos a serem executadas, a cada etapa do processo estipulado, o que dentro de uma pequena ou média empresa se torna de extremo valor e importância. Os MED´s devem estar contextualizados na sua cultura, tanto em relação a aspetos gráficos e ergonômicos, quanto a respeito da lógica aplicada à organização do conteúdo e da estrutura interativa. O aluno deve ter a oportunidade de percorrer livremente o material educacional digital de uma maneira não-linear, ou seja, conforme a lógica que estiver construindo em cada momento de acesso. 33
    34. 34. Conclusão(2) Relativamente às funcionalidades do portal EU IPP, este permite aos alunos uma diversidade de ações a realizar, de forma rápida. No entanto, na nossa opinião, os conteúdos em si não estão muito bem organizados. A análise comparativa revelou-se fundamental para chegarmos à conclusão de qual seria o melhor software para alojar o Manual de Utilizador. Concluído todo o Manual, estamos satisfeitas com a escolha do Webnode pois esta é uma plataforma simples e fácil de gerir. Podemos dizer que foi também essencial a utilização das ferramentas O-cam e PaintNet para podermos tornar o Manual de Utilizador mais interativo e mais apelativo para quem o utiliza. 34
    35. 35. Bibliografia  ALVAREZ, Miguel- O que é um CMS [Em linha] [S.l]: CriarWeb.com, 2008. [Consult. 15 Dez. 2013]. Disponível em WWW: http://www.criarweb.com/artigos/o-que-e-um-cms.html  ÁVILA DORADO, Carlos Andrés. Uso Educativo de los Wikis: Características de Wikispaces. [Em linha]. [s.l.]: EDUTEKA, 2010. [Consult. 25 Mar. 2014]. Disponível em WWW: <URL:http://www.eduteka.org/Wikispaces.php>.  BEHAR, Patricia Alejandra; TORREZZAN, Cristina Alba Wildt - Metas do design pedagógico: um olhar na construção de materiais educacionais digitais. Revista Brasileira de Informática na Educação [Em linha]. Vol. 17, nº 3 (2009) [Consult. 04 Mar.2014]. Disponível na internet: http://www.br-ie.org/pub/index.php/rbie/article/view/1023.  Bem-vindo a Google Sites. [Em linha]. [s.l.]: Google, 2011. [Consult. 25 Mar. 2014]. Disponível em WWW: <URL:http://www.google.com/sites/help/intl/pt_PT/overview.html>.  BITTENCOUT, Fabrício Roulin; DIAS, Sílvia Menezes Pires - Perceção dos Docentes e Discentes do Ensino Superior acerca da utilização de um Portal Acadêmico. Convibra Administração. [Em linha]. Consult. 20 Mai. 2014]. Disponível na internet: http://www.convibra.com.br/upload/paper/adm/adm_3356.pdf>.  CACHORREIRO, Rui – Desenvolvimento de um Sistema de Gestão de Conteúdos. Porto: Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, 2008. 89p. Tese de Doutoramento.  Características da Webnode. [Em linha]. [s.l.]: Webnode, 2013. [Consult. 25 Mar. 2014]. Disponível em WWW: <URL:http://www.webnode.pt/realy-smart-features/>.  GOUVEIA, Luís Ricardo Batista – Produção e Gestão de Conteúdos para Plataformas Online [Em linha]. Universidade Nova de Lisboa: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, 2013. 55p. Relatório de Estágio. [Consult. 05 Mar.2014]. Disponível na internet: http://run.unl.pt/bitstream/10362/10172/1/Relatorio%20Final.pdf.  INSTITUTO POLITÉCNICO DO PORTO – Portal Académico [Em linha]. Porto: IPP, 2014. [Consult. 20 Mar. 2014]. Disponível na internet: https://eu.ipp.pt/eseig/java/ServLogin.  INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA DE MOÇAMBIQUE - Manual de Utilizador do Portal Académico [Em linha]. Maputo: ISCTM, 2012. [Consult. 21 Mar. 2014]. Disponível na internet: http://www.isctem.ac.mz/image/Manual_Utilizador_Portal_Academico.pdf. 35
    36. 36. Bibliografia(2)  INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA DE MOÇAMBIQUE - Portal Académico [Em linha]. Maputo: ISCTM, 2014. [Consult. 21 Mar. 2014]. Disponível na internet:http://portalacademico.isctem.ac.mz/netpa/DIFTasks?_AP_=2&_MD_=1&_SR_=123& _ST_=1.  NEVES, Bruno Daniel Pinheiro – Os Sistemas de Gestão de Conteúdos aplicados à Gestão da Informação em Bibliotecas Universitárias [Em linha]. Coimbra: Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, 2010. 101p. Dissertação de Mestrado. [Consult. 05 Mar.2014]. Disponível na internet: https://estudogeral.sib.uc.pt/handle/10316/14462.  NEVES, Bruno Pinheiro; BORGES, Maria Manuel - A gestão de conteúdos digitais em bibliotecas universitárias: o caso do portal da Biblioteca da FLUC [Em linha]. Coimbra: Universidade de Coimbra. [Consult. 04 Mar.2014]. Disponível na internet: https://estudogeral.sib.uc.pt/handle/10316/17800.  oCam. [Em linha]. [s.l.]: Baixaki, 2014. [Consult. 25 Mar. 2014]. Disponível em WWW: <URL: http://www.baixaki.com.br/download/ocam.htm>.  Paint.NET: As funções de edição de imagem. [Em linha]. [s.l.]: Kioskea, 2014. [Consult. 25 Mar. 2014]. Disponível em WWW: <URL: http://pt.kioskea.net/faq/10039-paint-net-as- funcoes-de-edicao-de-imagem>.  PARADA, Augusto Rodrigues- Portais: Plataformas de Produção, Controle e Comércio Do Conhecimento Pós-Moderno [Em linha]. Porto Alegre: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande Do Sul, 2008. [Consult. 18 Mar.2014]. Disponível na internet: http://www.rcaap.pt/detail.jsp?id=urn:repox.ibict.brall:oai:pucrs.br:1710.  PASSOS, Paula Caroline Schifino Jardim - Interad: uma metodologia para design de interface de materiais educacionais digitais [Em linha]. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2011. [Consult. 04 Mar.2014]. Disponível na internet: http://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/32234. 36
    37. 37. Bibliografia(3)  PEREIRA, Júlio C.I.; BAX, Marcello P. – Introdução à Gestão de Conteúdos. Revista Gestão & Tecnologia [Em linha]. Vol. 1, nº 1 (jan/jul 2002) [Consult. 04 Mar.2014]. Disponível na internet: http://revistagt.fpl.edu.br/get/article/view/104.  PINHO, Anabela Neves Alves – Teorias de Rede na Análise e Especificação de Sistemas de Informação: Estudo de um caso na Gestão de Conteúdos numa Escola Superior. Porto: Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, 2005. 208p. Tese de Doutoramento  POPOVIC, Ales et al. Web triad: the impact of web portals on quality of institutions of higher education - case study of Faculty of Economics, University of Ljubljana, Slovenia. Informing Science and Information Technology [Em linha]. Consult. 20 Mai. 2014]. Disponível na internet: http://www.researchgate.net/publication/237754110_Web_Triad_the_Impact_of_Web_Portals _on_Quality_of_Institutions_of_Higher_Education_- _Case_Study_of_Faculty_of_Economics_University_of_Ljubljana_Slovenia>.  THE UNIVERSITY OF CHICAGO BOOTH SCHOOL OF BUSINESS – Chicago Booth Portal [Em linha]. Chicago: UCBSB, 2014. [Consult. 21 Mar. 2014]. Disponível na internet: http://boothportal.chicagobooth.edu/portal/server.pt/user/guest/2.  TORREZZAN, Cristina Alba Wildt- Design Pedagógico: um olhar na construção de materiais educacionais digitais [Em linha]. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2009. [Consult. 04 Mar.2014]. Disponível na internet: http://seer.ufrgs.br/renote/article/view/13569.  VECHIAT, Fernando L.; VIDOTTI, Silvana Ap. B. G. - Usabilidade em Ambientes Informacionais Digitais: Fundamentos e Avaliação [Em linha]. Atas Congresso Nacional de Bibliotecários, Arquivistas e Documentalistas. Lisboa: BAD, 2012. Nº11 [Consult. 6 Mar. 2014]. Disponível na internet: http://bad.pt/publicacoes/index.php/congressosbad/article/view/457.  VELOSO, Catarina Isabel Pinto Bandeira – Sistemas de Gestão Documental e Gestão da Qualidade: relevância e modelo de implementação [Em linha]. Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, 2011, 313p. Dissertação em Ciência da Informação. [Consult. 20 Mar.2014]. Disponível na internet: http://repositorio- aberto.up.pt/bitstream/10216/59467/1/000148495.pdf.  WEBNODE [Em linha] [Consult. 25 Abr. 2014]. Disponível em WWW: <URL: http://www.webnode.pt/>. 37

    ×