SlideShare uma empresa Scribd logo

Projeto saúde na escola

O documento propõe um projeto de saúde na escola com o objetivo geral de promover a saúde e a cultura da paz. Os objetivos específicos incluem enriquecer o currículo com atividades sobre saúde, articular ações de saúde e educação, e incentivar hábitos saudáveis. A metodologia inclui atividades interdisciplinares e parcerias com secretarias de saúde e educação.

1 de 28
Baixar para ler offline
Projeto   na Escola
1. INTRODUÇÃO
•   A “Educação” e a “Saúde” sempre foram temas principais nas políticas públicas por serem
    amplamente reconhecidas como necessidades básicas e universais do ser humano.

•   Assim, desde a década de 1950 o governo brasileiro desenvolveu diversas iniciativas nas Escolas
    numa perspectiva de melhorar a saúde dos estudantes. Em sua maioria, tais experiências tiveram
    foco nos cuidados de higiene e primeiros socorros, bem como a garantia de assistência médica e
    odontológica. Em geral, essas ações se baseavam na ideia de que para ter saúde era preciso cuidar
    do corpo e saber tomar remédios. Os trabalhos eram desenvolvidos na visão de que o indivíduo era
    o único responsável pela sua própria saúde.

•   Por outro lado, atualmente a ideia de “educar” para uma “vida saudável” se ampliou bastante, pois
    é consenso geral que as condições necessárias para que sujeitos e comunidades sejam mais
    saudáveis não dependem unicamente do individuo receber informações sobre cuidados com o
    corpo e ter acesso a tratamento médico/odontológico. Nessa visão holística e mais abrangente, a
    Escola passou a tratar a “Saúde” como um tema transversal e multidisciplinar, de modo que a
    abordagem dessa questão se tornou parte obrigatória de todas as disciplinas, os projetos
    educacionais e os diferentes departamentos da unidade escolar.

•   Assim, a Escola deve integrar seus trabalhos com as unidades de saúde para produção do saber
    com a ideia de que a “saúde” só é possível na produção de cidadania e autonomia do ser humano.
2. OBJETIVOS
• Vale destacar que os objetivos dessa proposta
  se baseiam no Programa Saúde na Escola
  (PSE) do governo federal.
2.1 OBJETIVO GERAL
• Promover a saúde e a cultura da paz,
  reforçando a prevenção de agravos à saúde,
  bem como fortalecer a relação entre as redes
  públicas de saúde e de educação em nossa
  cidade e região.
2.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS
•   - Enriquecer o currículo escolar com atividades práticas e teóricas na exploração do tema transversal “Saúde e
    Qualidade de Vida”;

•   - Articular as ações do Sistema Único de Saúde (SUS) às ações das redes de educação básica pública, de forma a
    ampliar o alcance e o impacto de suas ações relativas aos estudantes e suas famílias, otimizando a utilização dos
    espaços, equipamentos e recursos disponíveis;

•   - Contribuir para a constituição de condições para a formação integral de educandos, melhorando assim os índices
    de educação e de saúde de nossa comunidade;

•   - Incentivar aos alunos a adoção de posturas e hábitos que valorizem uma vida saudável, seja em casa, seja na
    Escola, e por onde eles forem;

•   - Promover a cultura de paz nas unidades escolares através de diversas atividades e ações para construir um
    ambiente sadio e solidário, sem violência e acidentes;

•   - Fortalecer o enfrentamento das vulnerabilidades, no campo da saúde, que possam comprometer o pleno
    desenvolvimento escolar;

•   - Promover a comunicação entre Escolas e unidades de saúde, assegurando a troca de informações sobre as
    condições de saúde dos estudantes;

•   - Fortalecer a participação da comunidade local nas políticas de educação básica e saúde, nas três esferas de
    governo (Federal, Estadual e Municipal);
3. JUSTIFICATIVA
• Não se pode mais pensar a Educação com a simples visão reducionista de
  ensinar a ler, escrever e tão somente com o vislumbre da formação
  profissional. Mais que isso, a Escola precisa se comprometer com a
  cidadania, formando seres humanos plenos e pensantes, que certamente
  terão maiores oportunidades na vida dos tempos modernos.

• Nessa visão de uma Educação que busca a formação plena do aluno há
  uma gama de possibilidades de ações e trabalhos que podem ser
  realizados com foco na criação de oportunidades para reduzir as
  desigualdades sociais e melhorar a qualidade de vida da população.

• A educação eficaz é aquela em favorece a formação de cidadãos críticos e
  bem informados, que tenham habilidades e competências diversas para
  agir de forma eficiente em defesa da vida. Por isso, a Escola deve criar
  estratégias que possam envolver toda sociedade nas questões que tratam
  da saúde pública, da promoção da sexualidade sadia e no combate ao
  consumo de drogas lícitas e ilícitas.
4. PARCEIROS
•   O “Projeto Saúde na Escola” será executado pela Prefeitura Municipal, por meio da
    Secretaria Municipal de Educação (SEMED), e contará com a parceria de diversas
    instituições.

•   - Secretaria Municipal de Saúde;
•   - Secretaria Municipal de Assistência Social (SMAS);
•   - Secretaria Municipal de Esportes e Cultura;
•   - Secretaria Municipal de Meio Ambiente;
•   - Centro de Controle de Zoonoses (CCZ);
•   - Câmara Municipal de Vereadores;
•   - Conselho Municipal de Saúde;
•   - Conselho Municipal de Assistência Social;
•   - Conselho Municipal de Políticas Antidrogas;
•   - Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA);
•   - Conselho Tutelar;
•   - Secretaria Estadual de Educação e Cultura (SEDUC);
5. METODOLOGIA
•   O “Projeto Saúde na Escola” será desenvolvido por uma equipe de educadores da Secretaria Municipal de
    Educação, tendo início no próximo ano, com ações a serem desenvolvidas durante o período letivo de janeiro a
    dezembro, seguindo o Projeto Político-Pedagógico (PPP) da Escola.

•   Todas as 08 (oito) etapas previstas estão detalhadas para que cada parceiro desse Projeto possa saber exatamente
    como e quando contribuir. Destacamos que cada uma das oito etapas propostas estará ocorrendo de acordo com
    o “Cronograma do Projeto” que se encontra ao final desse trabalho.

•   A primeira etapa a ser cumprida se refere à elaboração e reprodução do Projeto para ser encaminhado a cada um
    dos parceiros.

•   Na segunda etapa do “Projeto Saúde na Escola” a equipe organizadora fará contato com todos os possíveis
    parceiros, através do protocolo de uma cópia do Projeto, para que assim cada entidade visitada possa conhecer
    todos os detalhes.

•   A terceira e quarta etapas ocorrerão simultaneamente, pois tem objetivos semelhantes que é a sensibilização do
    público envolvido. A diferença entre essas duas etapas se diz apenas ao local e ao tipo dos dois públicos, pois o
    primeiro (gestores, professores e funcionários) estão presentes na Escola todos os dias, e o segundo grupo
    (comunidade em geral) vem à Escola, principalmente, nas reuniões de pais e em eventos especiais ao longo do
    ano. Dessa forma, serão elaborados convites apresentado o Projeto para cada um dos funcionários da Escola e
    para que cada aluno leve também para sua casa. Além disso, nas reuniões dos “Conselhos de Classe” serão
    repassadas informações sobre o Projeto que será executado na Escola.
5.1 SUGESTOES DE CONTEÚDOS E
             ATIVIDADES
Vale destacar que o sucesso de uma proposta
como essa exige esforço integrado de todos os
professores, coordenadores e demais
profissionais da educação, por meio de métodos
interativos, integrados ao currículo, e que
valorizem a saúde e promovam a cultura da paz.
A - LINGUA PORTUGUESA
• - Leitura de textos sobre saúde e qualidade de
  vida;
• - Elaboração de redações e poesias com essa
  temática,
• - Debates e apresentação de vídeos.
B - MATEMÁTICA
• Organizar gráficos com números de acidentes de
  trânsito e consumo de álcool;
• - Organizar gráficos com dados de atendimentos do
  Corpo de Bombeiros e SAMU;
• - Organizar tabelas com dados de ocorrências policiais
  nos dias de festas e feriados.
• - Identificar os alimentos disponíveis na comunidade e
  seu valor nutricional;
• - Calcular a quantidade de calorias na refeição (café da
  manhã, almoço etc.);
• - Fazer cálculos do IMC (Índice de Massa Corpórea) e
  do IAC (Índice de Adiposidade Corpórea).
C - QUÍMICA
• - Doenças associadas à Poluição (ar, água, solo
  etc.).
• - Radiação Nuclear (benefícios e perigos).
• - Higiene dos alimentos (produção, transporte,
  conservação, preparo e consumo);
• - Doenças associadas à ingestão de água
  imprópria para o consumo humano;
• - Procedimentos de tratamento doméstico da
  água.
D – BIOLOGIA
• - Plantas e animais perigosos ao Homem;
• - Produção de remédios;
• - Produção de vacinas e soros;
• - Males do consumo excessivo de remédios;
• - Males do consumo de drogas;
• - Risco do consumo de álcool e cigarro durante a gravidez;
• - Doenças sexualmente transmissíveis (DST) e AIDS;
• - Doenças crônicas como diabetes e hipertensão arterial e
  câncer;
• - Meio Ambiente e melhoria da qualidade de vida e saúde.
E - HISTÓRIA
• - História da produção de medicamentos;
• - Epidemias e pandemias na história da
  humanidade;
• - Doenças nas civilizações antigas (gregos,
  romanos, babilônios, egípcios etc.);
• - Doenças associadas à falta de higiene no trato
  com alimentos: intoxicações, verminoses,
  diarreias e desidratação; medidas simples de
  prevenção e tratamento;
• - História da Medicina no Brasil.
F - GEOGRAFIA
• - Relação entre doença e cultura;
• - Medicina ocidental x medicina oriental;
• - Tipos de doenças em relação ao gênero, faixa
  etária e raças;
• - Doenças e condições socioeconômicas;
• - Doenças ocupacionais;
• - Patentes de medicamentos e biopirataria;
• - O trabalho da Organização Mundial de Saúde
  (OMS).
G – INGLÊS
• - tradução de textos com a temática “saúde”;
• - traduzir e comparar letras de músicas que
  falam de problemas de saúde física e mental;
• - propor aos alunos que pesquisem artistas e
  músicos de língua inglesa que tiveram
  problemas com AIDS e com abuso de
  remédios, álcool e drogas.
H - EDUCAÇÃO FÍSICA
• - Adoção de postura física adequada na sala
  de aula e na prática de esportes;
• - Doping nos esportes nacionais e
  internacionais;
• - Prejuízos do uso de anabolizantes;
• - Prejuízos do sedentarismo para a vida dos
  alunos.
I - ENSINO RELIGIOSO
• - a visão das religiões sobre as doenças;
• - o papel das igrejas no apoio aos usuários de
  álcool e drogas.
J - EDUCAÇÃO ARTÍSTICA
• - Desenhos com a temática vida saudável;
• - Compor músicas, no estilo “hip hop” ou
  “repente do nordeste”.
6. RECURSOS UTILIZADOS
•   Nesse tópico estão incluídos todos os recursos humanos, materiais e financeiros
    previstos para serem utilizados nas ações propostas. Destacamos que o
    quantitativo de tais recursos previstos pode sofrer pequenas variações ao longo da
    execução das ações, pois acreditamos que à medida que os resultados das
    primeiras ações forem chegando, conseguiremos o envolvimento de mais recursos
    humanos, o que, caso ocorra, certamente será favorável para a ampliação também
    dos recursos materiais e financeiros.

•   Informamos ainda que o item recursos humanos se refere apenas às pessoas que
    estarão executando as ações propostas, o que não inclui toda a parcela da
    comunidade que estará sendo atingida pelo presente Projeto. Dessa forma, não há
    previsão para gastos adicionais com os recursos humanos (como por exemplo, com
    a contratação de prestadores de serviço), pois a maioria dos profissionais que
    estarão sendo envolvidos já são servidores públicos da Escola ou das entidades e
    órgãos parceiros. Assim, os gastos financeiros só serão aplicados na produção e
    aquisição de recursos materiais, que estão detalhadamente descritos a seguir
6.1 RECURSOS HUMANOS

• - Equipe pedagógica da Escola;
• - Equipe administrativa da Escola;
• - Representantes da Secretaria Municipal de Educação;
• - Representantes da Secretaria Municipal de Assistência Social;
• - Profissionais das Secretarias Municipal e Estadual de Saúde;
• - Representante de Órgãos Estaduais e Federais;
• - Representantes da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros;
• - Representantes do Conselho Tutelar e demais Conselhos Municipais;
• - Pesquisadores e professores das Universidades Federal, Estadual e
  Municipal.
• - Representantes de Igrejas Evangélicas e Igreja Católica;
• - Profissionais das Rádios, Jornais e Canais de Televisão Locais;
• - Membros de ONG’s estabelecidas no município.
6.2 RECURSOS MATERIAIS E
                 FINANCEIROS
• - Material didático: papéis variados, lápis de cor, pincel, tinta
  guache, tinta plástica de cores variadas, isopor, cartolina, TNT, cola
  branca, fita adesiva, tesoura, cola gliter, etc.;
• - Spray de cores diversas;
• - Aparelho de Data Show e computador portátil;
• - Equipamento de som, com caixas e microfone;
• - Aparelho de DVD e televisor tela plana;
• - Kits com equipamentos clínicos contendo: (1) balança eletrônica
  infantil; (2) estadiômetro (medidor de altura) fixo; (3) trena
  antropométrica; (4) esfigmomanômetro (aparelho de pressão); (5)
  macro modelos odontológico e conjunto de fio dental; e (6) espelho
  bucal e limpador de língua.
7. AVALIAÇÃO DAS AÇÕES
                      DESENVOLVIDAS
•   A avaliação do “Projeto Saúde na Escola” irá ocorrer em todas as fases, desde seu início com os
    contatos e sensibilização dos parceiros, até a execução propriamente dita, que ocorrerá dentro das
    Unidades Escolares, e que conforme esperamos chegará a outros locais de nossa comunidade,
    principalmente, no ambiente familiar dos alunos e funcionários da Escola.

•   Na fase de implantação será verificada a aceitação do Projeto pelo público-alvo, através de estudos,
    reuniões com a participação efetiva de todos os participantes e voluntários. Quanto às demais
    metas, serão observadas de forma contínua e após a execução, verificando-se assim o
    cumprimento dos objetivos propostos. A equipe coordenadora do Projeto enviará um
    “Questionário”, conforme modelo anexo, para a Diretoria das Escolas participantes para avaliação
    das ações e metas propostas.

•   Os alunos serão observados durante todo o “Projeto Saúde na Escola”, através da observação do
    interesse, participação, realização das atividades, orais, escritas e práticas. Os conteúdos explorados
    também serão analisados pelos trabalhos e provas aplicadas em sala de aula durante cada
    bimestre.

•   Como instrumentos de avaliação serão utilizados formulários e relatórios, bem como a escolha,
    premiação e divulgação dos melhores trabalhos através do boletim informativo e nos veículos de
    comunicação da cidade (canais de TV, rádios, jornais locais etc.).
9. ANEXO
• 9.1 MODELO DE CAMISA         • 9.2 MODELO DE
                                 QUESTIONÁRIO DE
• Modelo de camisa do            AVALIAÇÃO DO PROJETO
  “Projeto Saúde na Escola”,
  que será usada pela equipe   • Esse Questionário será
  de organizadores,              enviado à Diretoria das
  colaboradores e demais         Escolas participantes para
  participantes.                 avaliação das ações e metas
                                 propostas. Ressalta-se que
                                 essa avaliação se baseia no
                                 trabalho “Projeto Saúde da
                                 Escola dos CIEPS do Estado
                                 do Rio de Janeiro”.
QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO

•   Nome da Escola: ________________________________
•   Endereço: ______________________________________
•   Diretor (a): ______________________________________
•   Telefone: _______________________________________

•   1) Qual a sua concepção do “Projeto Saúde na Escola” ???
•   2) A partir da sua concepção do programa, como indicaria o seu desenvolvimento em sua unidade escolar ???
•   ( ) abaixo da expectativa
•   ( ) de acordo com sua expectativa
•   ( ) acima da expectativa
•   Justifique: ______________________________________
•   _______________________________________________
•   _______________________________________________
•   _______________________________________________

•   3) De acordo com as indicações abaixo, classifique as afirmações que se seguem:
•   0 - insuficiente
•   1 - regular
•   2 - bom
•   3 - muito bom
•   ( ) assiduidade dos membros da equipe
•   ( ) cumprimento do horário pelos membros da equipe
•   ( ) empenho da equipe em resolver problemas
•   ( ) cuidado da equipe com o material colocado à sua disposição
•   ( ) comunicação estabelecida entre a equipe e os profissionais da Escola em todos os níveis
•   ( ) atendimento das crianças pela equipe do “Projeto Saúde na Escola”

•   Local:__________________________ Data:___/___/ 2011

•   _____________________
•   Assinatura e carimbo
10. BIBLIOGRAFIA
•   ADORNO, R. 2008. Uso de álcool e drogas e contextos sociais da violência. SMAD, Rev. Eletrônica Saúde Mental
    Álcool Drog. (Ed. port.), Ribeirão Preto, volume 4, número 1. Disponível em: http://scielo.bvs-
    psi.org.br/scielo.php?pid=S1806-69762008000100002&script=sci_arttext

•   ARAÚJO, T. W.; CALAZANS, G. 2007. Prevenção das DSTs/Aids em adolescentes e jovens: brochuras de referência
    para os profissionais de saúde. São Paulo: Secretaria da Saúde/Coordenação Estadual de DSTs/Aids. Disponível em:
    http://www.crt.saude.sp.gov.br/instituicao_gprevencao_brochurashtm

•   AYRES, J. R. C. M. (Coord.). 2004. Adolescentes e jovens vivendo com HIV e aids: cuidado e promoção da saúde no
    cotidiano da equipe multidisciplinar. São Paulo: Enhancing Care Iniciative. Disponível em:
    http://www.msdbrazil.com/assets/hcp/diseases/aids/ManualECI.pdf

•   BRASIL. 1990. Lei Federal nº 8069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente
    (ECA), e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L8069.htm

•   BRASIL. 1996. Lei Federal nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes
•   e bases da educação nacional. Brasília (DF). Disponível em: http://www.planalto.gov.br/CCIVIL_03/LEIS/L9394.htm

•   BRASIL. 2007. Decreto Presidencial nº 6.286, de 5 de dezembro de 2007. Institui o Programa Saúde na Escola
    (PSE), com a finalidade de contribuir para a formação integral dos estudantes da rede pública de educação básica
    por meio de ações de prevenção, promoção e atenção à saúde. Brasília (DF).

•   BURBURINHO. 2011. Gibis na sala de aula. Disponível em: http://www.burburinho.com/20051029.html
11. AGRADECIMENTOS
•   Sou profundamente grato a todos os amigos e colegas que apoiaram a formatação
    desse “Projeto Saúde na Escola”.

•   Esse Projeto se inspira no trabalho de diversos profissionais, como por exemplo:
    (1) Sr. Osmar Rodrigues da Silva, Presidente do Centro de Recuperação de
    Alcoólatras (CEREAS) de Gurupi (TO); (2) Pastor Wilson Santos, Presidente do
    Conselho Municipal de Políticas sobre Drogas (COMAD) de Gurupi (TO); (3) Sr.
    Ricardo Ribeirinha, coordenador do Programa Estadual Antidrogas do Estado do
    Tocantins; e (4) Sra Dirce Borges, Coordenadora do Grupo Esperança Viva, ligado a
    Fazenda da Esperança de Palmas (TO). A essas pessoas manifesto meus sinceros
    agradecimentos pela inspiração e bons exemplos que proporcionam.

•   Esse “Projeto Saúde na Escola” é dedicado: (1) Professora Deila Magda Ferreira,
    responsável pelo “Projeto Sem Saúde Não Há Vida" da Escola Municipal Maria
    Isabel de Queiroz (CAIC), de Patrocínio (MG); e (2) equipe de profissionais do
    “Projeto Saúde da Escola dos CIEPS do Estado do Rio de Janeiro”.
ALUNA:MARIA DO CARMO F. PEREIRA
CURSO:INTRODUÇÃO A INFORMÁTICA
PROFESSORA: VÂNIA
RIO BONITO, 28 DE JUNNO DE 2012

Recomendados

Projeto saúde na escola
Projeto saúde na escolaProjeto saúde na escola
Projeto saúde na escolaelianabizarro
 
Relatório técnico do programa saúde na escola
Relatório técnico do programa saúde na escolaRelatório técnico do programa saúde na escola
Relatório técnico do programa saúde na escolaAdriano Monteiro
 
Ações do Programa Saúde na Escola (PSE)
Ações do Programa Saúde na Escola (PSE)Ações do Programa Saúde na Escola (PSE)
Ações do Programa Saúde na Escola (PSE)Adriano Monteiro
 
Relatório de atividades projeto alimentação saudável na escola
Relatório de atividades projeto alimentação saudável na escolaRelatório de atividades projeto alimentação saudável na escola
Relatório de atividades projeto alimentação saudável na escolaDecilene
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Programa saúde na escola–pse.ppt
Programa saúde na escola–pse.pptPrograma saúde na escola–pse.ppt
Programa saúde na escola–pse.pptSMEdeItabaianinha
 
Guia para saúde sexual e reprodutiva e atenção obstétrica
Guia para saúde sexual e reprodutiva e atenção obstétricaGuia para saúde sexual e reprodutiva e atenção obstétrica
Guia para saúde sexual e reprodutiva e atenção obstétricaProf. Marcus Renato de Carvalho
 
Os pais e a formação do bom aluno
Os pais e a formação do bom alunoOs pais e a formação do bom aluno
Os pais e a formação do bom alunoTania G. Pereira
 
PLANO DE AÇÃO 2023 cei.docx
PLANO DE AÇÃO 2023 cei.docxPLANO DE AÇÃO 2023 cei.docx
PLANO DE AÇÃO 2023 cei.docxssuser6c03a6
 
Projeto Iguais e Diferentes - Prof. Ana Lúcia
Projeto Iguais e Diferentes - Prof. Ana LúciaProjeto Iguais e Diferentes - Prof. Ana Lúcia
Projeto Iguais e Diferentes - Prof. Ana LúciaAlexandre da Rosa
 
Violência na escola educação infantil
Violência na escola   educação infantilViolência na escola   educação infantil
Violência na escola educação infantilAna Lopes
 
Saúde Mental na Escola - Cartilha orienta professor@s e alun@s
Saúde Mental na Escola - Cartilha orienta professor@s e alun@sSaúde Mental na Escola - Cartilha orienta professor@s e alun@s
Saúde Mental na Escola - Cartilha orienta professor@s e alun@sProf. Marcus Renato de Carvalho
 
O papel da família na educação dos filhos
O papel da família na educação dos filhosO papel da família na educação dos filhos
O papel da família na educação dos filhosMarta Lemos
 
Projeto colonia de férias
Projeto colonia de fériasProjeto colonia de férias
Projeto colonia de fériasmoises-sp
 
Slide monografia familia e escola
Slide monografia familia e escolaSlide monografia familia e escola
Slide monografia familia e escolaAntonia Carla Costa
 
Relatorio conselho tutelar denilson e jacson
Relatorio conselho tutelar denilson e jacsonRelatorio conselho tutelar denilson e jacson
Relatorio conselho tutelar denilson e jacsonRaquel Becker
 
Projetos Brinquedos e Brincadeiras das Educadoras da 1ª fase do 1º ciclo da E...
Projetos Brinquedos e Brincadeiras das Educadoras da 1ª fase do 1º ciclo da E...Projetos Brinquedos e Brincadeiras das Educadoras da 1ª fase do 1º ciclo da E...
Projetos Brinquedos e Brincadeiras das Educadoras da 1ª fase do 1º ciclo da E...Aleinat
 

Mais procurados (20)

Programa saúde na escola–pse.ppt
Programa saúde na escola–pse.pptPrograma saúde na escola–pse.ppt
Programa saúde na escola–pse.ppt
 
Família e escola
Família e escolaFamília e escola
Família e escola
 
Pse 11 08-11
Pse 11 08-11Pse 11 08-11
Pse 11 08-11
 
Guia para saúde sexual e reprodutiva e atenção obstétrica
Guia para saúde sexual e reprodutiva e atenção obstétricaGuia para saúde sexual e reprodutiva e atenção obstétrica
Guia para saúde sexual e reprodutiva e atenção obstétrica
 
Os pais e a formação do bom aluno
Os pais e a formação do bom alunoOs pais e a formação do bom aluno
Os pais e a formação do bom aluno
 
PLANO DE AÇÃO 2023 cei.docx
PLANO DE AÇÃO 2023 cei.docxPLANO DE AÇÃO 2023 cei.docx
PLANO DE AÇÃO 2023 cei.docx
 
Projeto Iguais e Diferentes - Prof. Ana Lúcia
Projeto Iguais e Diferentes - Prof. Ana LúciaProjeto Iguais e Diferentes - Prof. Ana Lúcia
Projeto Iguais e Diferentes - Prof. Ana Lúcia
 
Síndrome de Down
Síndrome de DownSíndrome de Down
Síndrome de Down
 
Projeto higiene pessoal
Projeto higiene pessoalProjeto higiene pessoal
Projeto higiene pessoal
 
Violência na escola educação infantil
Violência na escola   educação infantilViolência na escola   educação infantil
Violência na escola educação infantil
 
Competencia dos acs
Competencia dos acsCompetencia dos acs
Competencia dos acs
 
Saúde Mental na Escola - Cartilha orienta professor@s e alun@s
Saúde Mental na Escola - Cartilha orienta professor@s e alun@sSaúde Mental na Escola - Cartilha orienta professor@s e alun@s
Saúde Mental na Escola - Cartilha orienta professor@s e alun@s
 
O papel da família na educação dos filhos
O papel da família na educação dos filhosO papel da família na educação dos filhos
O papel da família na educação dos filhos
 
Projeto colonia de férias
Projeto colonia de fériasProjeto colonia de férias
Projeto colonia de férias
 
BNCC EDUCAÇÃO INFANTIL
BNCC EDUCAÇÃO INFANTILBNCC EDUCAÇÃO INFANTIL
BNCC EDUCAÇÃO INFANTIL
 
VISITA DOMICILIAR
VISITA DOMICILIARVISITA DOMICILIAR
VISITA DOMICILIAR
 
Slide monografia familia e escola
Slide monografia familia e escolaSlide monografia familia e escola
Slide monografia familia e escola
 
Deveres do aluno e do pai eca
Deveres do aluno e do pai ecaDeveres do aluno e do pai eca
Deveres do aluno e do pai eca
 
Relatorio conselho tutelar denilson e jacson
Relatorio conselho tutelar denilson e jacsonRelatorio conselho tutelar denilson e jacson
Relatorio conselho tutelar denilson e jacson
 
Projetos Brinquedos e Brincadeiras das Educadoras da 1ª fase do 1º ciclo da E...
Projetos Brinquedos e Brincadeiras das Educadoras da 1ª fase do 1º ciclo da E...Projetos Brinquedos e Brincadeiras das Educadoras da 1ª fase do 1º ciclo da E...
Projetos Brinquedos e Brincadeiras das Educadoras da 1ª fase do 1º ciclo da E...
 

Destaque

Projeto escola e comunidade de mãos dadas com a saúde
Projeto escola e comunidade de mãos dadas com a saúdeProjeto escola e comunidade de mãos dadas com a saúde
Projeto escola e comunidade de mãos dadas com a saúderogeriodias77
 
Projeto Qualidade de Vida
Projeto Qualidade de VidaProjeto Qualidade de Vida
Projeto Qualidade de VidaDjeison Machado
 
Projeto higiene e saúde
Projeto higiene e saúde Projeto higiene e saúde
Projeto higiene e saúde Clenice Matheus
 
Pse - Programa Saúde na Escola
Pse - Programa Saúde na EscolaPse - Programa Saúde na Escola
Pse - Programa Saúde na EscolaAna Luzia
 
A IMPORTÂNCIA DA HIGIENE PESSOAL EM NOSSA VIDA
A IMPORTÂNCIA DA HIGIENE PESSOAL EM NOSSA VIDAA IMPORTÂNCIA DA HIGIENE PESSOAL EM NOSSA VIDA
A IMPORTÂNCIA DA HIGIENE PESSOAL EM NOSSA VIDAVALÉRIA MORAES FARIAS
 
Educação para a saúde e sexualidade
Educação para a saúde e sexualidadeEducação para a saúde e sexualidade
Educação para a saúde e sexualidadeblog9e
 
Projeto: Habilidades de vida na escola
Projeto: Habilidades de vida na escolaProjeto: Habilidades de vida na escola
Projeto: Habilidades de vida na escolaPatricia Bampi
 
Aula promoao a saude
Aula promoao a saudeAula promoao a saude
Aula promoao a saudedavinci ras
 
Promoção da saúde
Promoção da saúdePromoção da saúde
Promoção da saúdemarco :)
 
Aula 4 Noções básicas de higiene e saúde: cuidados importantes!!
Aula 4 Noções básicas de higiene e saúde: cuidados importantes!!Aula 4 Noções básicas de higiene e saúde: cuidados importantes!!
Aula 4 Noções básicas de higiene e saúde: cuidados importantes!!Ana Filadelfi
 
Fotos do Projeto: SAÚDE E BEM ESTAR NO SEU DIA-A-DIA - parte 02
Fotos do Projeto: SAÚDE E BEM ESTAR NO SEU DIA-A-DIA - parte 02Fotos do Projeto: SAÚDE E BEM ESTAR NO SEU DIA-A-DIA - parte 02
Fotos do Projeto: SAÚDE E BEM ESTAR NO SEU DIA-A-DIA - parte 02Antonio José Paniago
 
Destinação de receitas para a saúde e para Educação.
Destinação de receitas para a saúde e para Educação.Destinação de receitas para a saúde e para Educação.
Destinação de receitas para a saúde e para Educação.Juliana Faioli
 

Destaque (20)

Projeto escola e comunidade de mãos dadas com a saúde
Projeto escola e comunidade de mãos dadas com a saúdeProjeto escola e comunidade de mãos dadas com a saúde
Projeto escola e comunidade de mãos dadas com a saúde
 
Projeto Qualidade de Vida
Projeto Qualidade de VidaProjeto Qualidade de Vida
Projeto Qualidade de Vida
 
Cartilha I Saúde na Escola
Cartilha I Saúde na EscolaCartilha I Saúde na Escola
Cartilha I Saúde na Escola
 
Projeto higiene e saúde
Projeto higiene e saúde Projeto higiene e saúde
Projeto higiene e saúde
 
Higiene e Saúde
Higiene e SaúdeHigiene e Saúde
Higiene e Saúde
 
Pse - Programa Saúde na Escola
Pse - Programa Saúde na EscolaPse - Programa Saúde na Escola
Pse - Programa Saúde na Escola
 
A IMPORTÂNCIA DA HIGIENE PESSOAL EM NOSSA VIDA
A IMPORTÂNCIA DA HIGIENE PESSOAL EM NOSSA VIDAA IMPORTÂNCIA DA HIGIENE PESSOAL EM NOSSA VIDA
A IMPORTÂNCIA DA HIGIENE PESSOAL EM NOSSA VIDA
 
Educação para a saúde e sexualidade
Educação para a saúde e sexualidadeEducação para a saúde e sexualidade
Educação para a saúde e sexualidade
 
Pse 2013
Pse 2013Pse 2013
Pse 2013
 
Projeto: Habilidades de vida na escola
Projeto: Habilidades de vida na escolaProjeto: Habilidades de vida na escola
Projeto: Habilidades de vida na escola
 
Aula promoao a saude
Aula promoao a saudeAula promoao a saude
Aula promoao a saude
 
Promoção da saúde
Promoção da saúdePromoção da saúde
Promoção da saúde
 
Aula 4 Noções básicas de higiene e saúde: cuidados importantes!!
Aula 4 Noções básicas de higiene e saúde: cuidados importantes!!Aula 4 Noções básicas de higiene e saúde: cuidados importantes!!
Aula 4 Noções básicas de higiene e saúde: cuidados importantes!!
 
Higiene pessoal
Higiene pessoalHigiene pessoal
Higiene pessoal
 
Material de Estudo - DPRJ
Material de Estudo - DPRJMaterial de Estudo - DPRJ
Material de Estudo - DPRJ
 
10 false friends in Spanish set 001
10 false friends in Spanish set 00110 false friends in Spanish set 001
10 false friends in Spanish set 001
 
Fotos do Projeto: SAÚDE E BEM ESTAR NO SEU DIA-A-DIA - parte 02
Fotos do Projeto: SAÚDE E BEM ESTAR NO SEU DIA-A-DIA - parte 02Fotos do Projeto: SAÚDE E BEM ESTAR NO SEU DIA-A-DIA - parte 02
Fotos do Projeto: SAÚDE E BEM ESTAR NO SEU DIA-A-DIA - parte 02
 
Projeto combate as_drogas
Projeto combate as_drogasProjeto combate as_drogas
Projeto combate as_drogas
 
Caderno professor
Caderno professorCaderno professor
Caderno professor
 
Destinação de receitas para a saúde e para Educação.
Destinação de receitas para a saúde e para Educação.Destinação de receitas para a saúde e para Educação.
Destinação de receitas para a saúde e para Educação.
 

Semelhante a Projeto saúde na escola

Semelhante a Projeto saúde na escola (20)

Projeto saúde na escola
Projeto saúde na escolaProjeto saúde na escola
Projeto saúde na escola
 
Pse
PsePse
Pse
 
saude caminho da escola
saude caminho da escolasaude caminho da escola
saude caminho da escola
 
Plano de governo unidos por vila rica2012
Plano de governo unidos por vila rica2012Plano de governo unidos por vila rica2012
Plano de governo unidos por vila rica2012
 
PPoint 13- Componentes Basicos de PSE e principais intervencoes.ppt
PPoint 13- Componentes Basicos de PSE e principais intervencoes.pptPPoint 13- Componentes Basicos de PSE e principais intervencoes.ppt
PPoint 13- Componentes Basicos de PSE e principais intervencoes.ppt
 
Programa da Educação e Promoção para a Saúde 11/12
Programa da Educação e Promoção para a Saúde 11/12Programa da Educação e Promoção para a Saúde 11/12
Programa da Educação e Promoção para a Saúde 11/12
 
Cristianeana
CristianeanaCristianeana
Cristianeana
 
Cristianeana
CristianeanaCristianeana
Cristianeana
 
Cristianeana
CristianeanaCristianeana
Cristianeana
 
Saude coletiva.pdf
Saude coletiva.pdfSaude coletiva.pdf
Saude coletiva.pdf
 
programa de saude escolar
programa de saude escolarprograma de saude escolar
programa de saude escolar
 
Promoção e saúde
Promoção e saúdePromoção e saúde
Promoção e saúde
 
Saude bucal1.ppt odonto soc
Saude bucal1.ppt odonto socSaude bucal1.ppt odonto soc
Saude bucal1.ppt odonto soc
 
Portariase comunicados
Portariase comunicadosPortariase comunicados
Portariase comunicados
 
Apresentacao_PSE_Tykanori.pdf
Apresentacao_PSE_Tykanori.pdfApresentacao_PSE_Tykanori.pdf
Apresentacao_PSE_Tykanori.pdf
 
Resumo Fenerc 2011 - Secretaria de Educação de Pernambuco.
Resumo Fenerc 2011 - Secretaria de Educação de Pernambuco.Resumo Fenerc 2011 - Secretaria de Educação de Pernambuco.
Resumo Fenerc 2011 - Secretaria de Educação de Pernambuco.
 
Saúde salinas
Saúde salinasSaúde salinas
Saúde salinas
 
Projecto PES 2009 2010
Projecto PES 2009 2010Projecto PES 2009 2010
Projecto PES 2009 2010
 
Projecto es 2099 2010
Projecto es 2099 2010Projecto es 2099 2010
Projecto es 2099 2010
 
Projeto cuida de mim caetano 2011 3
Projeto cuida de mim caetano 2011 3Projeto cuida de mim caetano 2011 3
Projeto cuida de mim caetano 2011 3
 

Mais de Vaniacalmeida

Jogo interativo 2012
Jogo interativo   2012Jogo interativo   2012
Jogo interativo 2012Vaniacalmeida
 
Conto de fada moderno.
Conto de fada moderno.Conto de fada moderno.
Conto de fada moderno.Vaniacalmeida
 
Contos de fada moderno rosiane
Contos de fada moderno   rosianeContos de fada moderno   rosiane
Contos de fada moderno rosianeVaniacalmeida
 
Slide interativo contos de fada
Slide interativo contos de fadaSlide interativo contos de fada
Slide interativo contos de fadaVaniacalmeida
 
Jogo interativo luciane
Jogo interativo  lucianeJogo interativo  luciane
Jogo interativo lucianeVaniacalmeida
 
Projeto meio ambiente ana cristina
Projeto meio ambiente ana cristinaProjeto meio ambiente ana cristina
Projeto meio ambiente ana cristinaVaniacalmeida
 
Projeto festa junina
Projeto festa juninaProjeto festa junina
Projeto festa juninaVaniacalmeida
 
Trabalho educação digital
Trabalho educação digitalTrabalho educação digital
Trabalho educação digitalVaniacalmeida
 
Valquiria%20 vitorino
Valquiria%20 vitorinoValquiria%20 vitorino
Valquiria%20 vitorinoVaniacalmeida
 
Michele%20 martins(1)
Michele%20 martins(1)Michele%20 martins(1)
Michele%20 martins(1)Vaniacalmeida
 
Objeto de aprendizagem curso de introdução digital2012
Objeto de aprendizagem   curso de introdução digital2012Objeto de aprendizagem   curso de introdução digital2012
Objeto de aprendizagem curso de introdução digital2012Vaniacalmeida
 
Introdução à educação digital 2012
Introdução à educação digital 2012Introdução à educação digital 2012
Introdução à educação digital 2012Vaniacalmeida
 
Qu iz para crianças
Qu iz para criançasQu iz para crianças
Qu iz para criançasVaniacalmeida
 
Projeto alimentos saudáveis é o que interessa elzimar
Projeto alimentos saudáveis é o que interessa   elzimarProjeto alimentos saudáveis é o que interessa   elzimar
Projeto alimentos saudáveis é o que interessa elzimarVaniacalmeida
 
Projeto de reciclagem mariane
Projeto de reciclagem  marianeProjeto de reciclagem  mariane
Projeto de reciclagem marianeVaniacalmeida
 
CHAPEUZINHO VERMELHO
CHAPEUZINHO VERMELHOCHAPEUZINHO VERMELHO
CHAPEUZINHO VERMELHOVaniacalmeida
 

Mais de Vaniacalmeida (20)

Jogo interativo 2012
Jogo interativo   2012Jogo interativo   2012
Jogo interativo 2012
 
Conto de fada moderno.
Conto de fada moderno.Conto de fada moderno.
Conto de fada moderno.
 
Contos de fada moderno rosiane
Contos de fada moderno   rosianeContos de fada moderno   rosiane
Contos de fada moderno rosiane
 
Slide interativo contos de fada
Slide interativo contos de fadaSlide interativo contos de fada
Slide interativo contos de fada
 
Jogo interativo luciane
Jogo interativo  lucianeJogo interativo  luciane
Jogo interativo luciane
 
Projeto meio ambiente ana cristina
Projeto meio ambiente ana cristinaProjeto meio ambiente ana cristina
Projeto meio ambiente ana cristina
 
Projeto festa junina
Projeto festa juninaProjeto festa junina
Projeto festa junina
 
Trabalho educação digital
Trabalho educação digitalTrabalho educação digital
Trabalho educação digital
 
Valquiria%20 vitorino
Valquiria%20 vitorinoValquiria%20 vitorino
Valquiria%20 vitorino
 
Adriana(1)
Adriana(1)Adriana(1)
Adriana(1)
 
Michele%20 martins
Michele%20 martinsMichele%20 martins
Michele%20 martins
 
Michele%20 martins(1)
Michele%20 martins(1)Michele%20 martins(1)
Michele%20 martins(1)
 
Isabel
IsabelIsabel
Isabel
 
Objeto de aprendizagem curso de introdução digital2012
Objeto de aprendizagem   curso de introdução digital2012Objeto de aprendizagem   curso de introdução digital2012
Objeto de aprendizagem curso de introdução digital2012
 
Reunião 8 calc
Reunião 8   calcReunião 8   calc
Reunião 8 calc
 
Introdução à educação digital 2012
Introdução à educação digital 2012Introdução à educação digital 2012
Introdução à educação digital 2012
 
Qu iz para crianças
Qu iz para criançasQu iz para crianças
Qu iz para crianças
 
Projeto alimentos saudáveis é o que interessa elzimar
Projeto alimentos saudáveis é o que interessa   elzimarProjeto alimentos saudáveis é o que interessa   elzimar
Projeto alimentos saudáveis é o que interessa elzimar
 
Projeto de reciclagem mariane
Projeto de reciclagem  marianeProjeto de reciclagem  mariane
Projeto de reciclagem mariane
 
CHAPEUZINHO VERMELHO
CHAPEUZINHO VERMELHOCHAPEUZINHO VERMELHO
CHAPEUZINHO VERMELHO
 

Último

DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial AniversárioDeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial AniversárioIsabelPereira2010
 
A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.
A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.
A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.Prime Assessoria
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...apoioacademicoead
 
610854 (4).pptx Linguagem da música. Diferentes gêneros da musica tradicional...
610854 (4).pptx Linguagem da música. Diferentes gêneros da musica tradicional...610854 (4).pptx Linguagem da música. Diferentes gêneros da musica tradicional...
610854 (4).pptx Linguagem da música. Diferentes gêneros da musica tradicional...GraceDavino
 
1. Qual é a principal política pública que está sendo negada às Marias no víd...
1. Qual é a principal política pública que está sendo negada às Marias no víd...1. Qual é a principal política pública que está sendo negada às Marias no víd...
1. Qual é a principal política pública que está sendo negada às Marias no víd...azulassessoriaacadem3
 
08 de março - Dia Internacional da Mulher
08 de março - Dia Internacional da Mulher08 de março - Dia Internacional da Mulher
08 de março - Dia Internacional da MulherMary Alvarenga
 
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...azulassessoriaacadem3
 
A) COMENTE sobre a situação de saúde apresentado no Brasil atualmente e EXPLI...
A) COMENTE sobre a situação de saúde apresentado no Brasil atualmente e EXPLI...A) COMENTE sobre a situação de saúde apresentado no Brasil atualmente e EXPLI...
A) COMENTE sobre a situação de saúde apresentado no Brasil atualmente e EXPLI...Prime Assessoria
 
Com base na figura exposta abaixo, Explique o modelo de determinação social d...
Com base na figura exposta abaixo, Explique o modelo de determinação social d...Com base na figura exposta abaixo, Explique o modelo de determinação social d...
Com base na figura exposta abaixo, Explique o modelo de determinação social d...Prime Assessoria
 
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...azulassessoriaacadem3
 
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...excellenceeducaciona
 
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;azulassessoriaacadem3
 
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento Mary Alvarenga
 
Slides Lição 10, CPAD, A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja, 1Tr2...
Slides Lição 10, CPAD, A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja, 1Tr2...Slides Lição 10, CPAD, A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja, 1Tr2...
Slides Lição 10, CPAD, A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja, 1Tr2...LuizHenriquedeAlmeid6
 
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...excellenceeducaciona
 
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...azulassessoriaacadem3
 
Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...
Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...
Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...Prime Assessoria
 
A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...
A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...
A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...excellenceeducaciona
 
Explique o modelo de determinação social da saúde proposto por Dahlgren e Whi...
Explique o modelo de determinação social da saúde proposto por Dahlgren e Whi...Explique o modelo de determinação social da saúde proposto por Dahlgren e Whi...
Explique o modelo de determinação social da saúde proposto por Dahlgren e Whi...excellenceeducaciona
 

Último (20)

Namorar não és ser don .
Namorar não és ser don                  .Namorar não és ser don                  .
Namorar não és ser don .
 
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial AniversárioDeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
 
A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.
A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.
A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
 
610854 (4).pptx Linguagem da música. Diferentes gêneros da musica tradicional...
610854 (4).pptx Linguagem da música. Diferentes gêneros da musica tradicional...610854 (4).pptx Linguagem da música. Diferentes gêneros da musica tradicional...
610854 (4).pptx Linguagem da música. Diferentes gêneros da musica tradicional...
 
1. Qual é a principal política pública que está sendo negada às Marias no víd...
1. Qual é a principal política pública que está sendo negada às Marias no víd...1. Qual é a principal política pública que está sendo negada às Marias no víd...
1. Qual é a principal política pública que está sendo negada às Marias no víd...
 
08 de março - Dia Internacional da Mulher
08 de março - Dia Internacional da Mulher08 de março - Dia Internacional da Mulher
08 de março - Dia Internacional da Mulher
 
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...
 
A) COMENTE sobre a situação de saúde apresentado no Brasil atualmente e EXPLI...
A) COMENTE sobre a situação de saúde apresentado no Brasil atualmente e EXPLI...A) COMENTE sobre a situação de saúde apresentado no Brasil atualmente e EXPLI...
A) COMENTE sobre a situação de saúde apresentado no Brasil atualmente e EXPLI...
 
Com base na figura exposta abaixo, Explique o modelo de determinação social d...
Com base na figura exposta abaixo, Explique o modelo de determinação social d...Com base na figura exposta abaixo, Explique o modelo de determinação social d...
Com base na figura exposta abaixo, Explique o modelo de determinação social d...
 
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
 
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
 
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
 
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
 
Slides Lição 10, CPAD, A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja, 1Tr2...
Slides Lição 10, CPAD, A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja, 1Tr2...Slides Lição 10, CPAD, A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja, 1Tr2...
Slides Lição 10, CPAD, A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja, 1Tr2...
 
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
 
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...
 
Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...
Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...
Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...
 
A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...
A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...
A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...
 
Explique o modelo de determinação social da saúde proposto por Dahlgren e Whi...
Explique o modelo de determinação social da saúde proposto por Dahlgren e Whi...Explique o modelo de determinação social da saúde proposto por Dahlgren e Whi...
Explique o modelo de determinação social da saúde proposto por Dahlgren e Whi...
 

Projeto saúde na escola

  • 1. Projeto na Escola
  • 2. 1. INTRODUÇÃO • A “Educação” e a “Saúde” sempre foram temas principais nas políticas públicas por serem amplamente reconhecidas como necessidades básicas e universais do ser humano. • Assim, desde a década de 1950 o governo brasileiro desenvolveu diversas iniciativas nas Escolas numa perspectiva de melhorar a saúde dos estudantes. Em sua maioria, tais experiências tiveram foco nos cuidados de higiene e primeiros socorros, bem como a garantia de assistência médica e odontológica. Em geral, essas ações se baseavam na ideia de que para ter saúde era preciso cuidar do corpo e saber tomar remédios. Os trabalhos eram desenvolvidos na visão de que o indivíduo era o único responsável pela sua própria saúde. • Por outro lado, atualmente a ideia de “educar” para uma “vida saudável” se ampliou bastante, pois é consenso geral que as condições necessárias para que sujeitos e comunidades sejam mais saudáveis não dependem unicamente do individuo receber informações sobre cuidados com o corpo e ter acesso a tratamento médico/odontológico. Nessa visão holística e mais abrangente, a Escola passou a tratar a “Saúde” como um tema transversal e multidisciplinar, de modo que a abordagem dessa questão se tornou parte obrigatória de todas as disciplinas, os projetos educacionais e os diferentes departamentos da unidade escolar. • Assim, a Escola deve integrar seus trabalhos com as unidades de saúde para produção do saber com a ideia de que a “saúde” só é possível na produção de cidadania e autonomia do ser humano.
  • 3. 2. OBJETIVOS • Vale destacar que os objetivos dessa proposta se baseiam no Programa Saúde na Escola (PSE) do governo federal.
  • 4. 2.1 OBJETIVO GERAL • Promover a saúde e a cultura da paz, reforçando a prevenção de agravos à saúde, bem como fortalecer a relação entre as redes públicas de saúde e de educação em nossa cidade e região.
  • 5. 2.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS • - Enriquecer o currículo escolar com atividades práticas e teóricas na exploração do tema transversal “Saúde e Qualidade de Vida”; • - Articular as ações do Sistema Único de Saúde (SUS) às ações das redes de educação básica pública, de forma a ampliar o alcance e o impacto de suas ações relativas aos estudantes e suas famílias, otimizando a utilização dos espaços, equipamentos e recursos disponíveis; • - Contribuir para a constituição de condições para a formação integral de educandos, melhorando assim os índices de educação e de saúde de nossa comunidade; • - Incentivar aos alunos a adoção de posturas e hábitos que valorizem uma vida saudável, seja em casa, seja na Escola, e por onde eles forem; • - Promover a cultura de paz nas unidades escolares através de diversas atividades e ações para construir um ambiente sadio e solidário, sem violência e acidentes; • - Fortalecer o enfrentamento das vulnerabilidades, no campo da saúde, que possam comprometer o pleno desenvolvimento escolar; • - Promover a comunicação entre Escolas e unidades de saúde, assegurando a troca de informações sobre as condições de saúde dos estudantes; • - Fortalecer a participação da comunidade local nas políticas de educação básica e saúde, nas três esferas de governo (Federal, Estadual e Municipal);
  • 6. 3. JUSTIFICATIVA • Não se pode mais pensar a Educação com a simples visão reducionista de ensinar a ler, escrever e tão somente com o vislumbre da formação profissional. Mais que isso, a Escola precisa se comprometer com a cidadania, formando seres humanos plenos e pensantes, que certamente terão maiores oportunidades na vida dos tempos modernos. • Nessa visão de uma Educação que busca a formação plena do aluno há uma gama de possibilidades de ações e trabalhos que podem ser realizados com foco na criação de oportunidades para reduzir as desigualdades sociais e melhorar a qualidade de vida da população. • A educação eficaz é aquela em favorece a formação de cidadãos críticos e bem informados, que tenham habilidades e competências diversas para agir de forma eficiente em defesa da vida. Por isso, a Escola deve criar estratégias que possam envolver toda sociedade nas questões que tratam da saúde pública, da promoção da sexualidade sadia e no combate ao consumo de drogas lícitas e ilícitas.
  • 7. 4. PARCEIROS • O “Projeto Saúde na Escola” será executado pela Prefeitura Municipal, por meio da Secretaria Municipal de Educação (SEMED), e contará com a parceria de diversas instituições. • - Secretaria Municipal de Saúde; • - Secretaria Municipal de Assistência Social (SMAS); • - Secretaria Municipal de Esportes e Cultura; • - Secretaria Municipal de Meio Ambiente; • - Centro de Controle de Zoonoses (CCZ); • - Câmara Municipal de Vereadores; • - Conselho Municipal de Saúde; • - Conselho Municipal de Assistência Social; • - Conselho Municipal de Políticas Antidrogas; • - Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA); • - Conselho Tutelar; • - Secretaria Estadual de Educação e Cultura (SEDUC);
  • 8. 5. METODOLOGIA • O “Projeto Saúde na Escola” será desenvolvido por uma equipe de educadores da Secretaria Municipal de Educação, tendo início no próximo ano, com ações a serem desenvolvidas durante o período letivo de janeiro a dezembro, seguindo o Projeto Político-Pedagógico (PPP) da Escola. • Todas as 08 (oito) etapas previstas estão detalhadas para que cada parceiro desse Projeto possa saber exatamente como e quando contribuir. Destacamos que cada uma das oito etapas propostas estará ocorrendo de acordo com o “Cronograma do Projeto” que se encontra ao final desse trabalho. • A primeira etapa a ser cumprida se refere à elaboração e reprodução do Projeto para ser encaminhado a cada um dos parceiros. • Na segunda etapa do “Projeto Saúde na Escola” a equipe organizadora fará contato com todos os possíveis parceiros, através do protocolo de uma cópia do Projeto, para que assim cada entidade visitada possa conhecer todos os detalhes. • A terceira e quarta etapas ocorrerão simultaneamente, pois tem objetivos semelhantes que é a sensibilização do público envolvido. A diferença entre essas duas etapas se diz apenas ao local e ao tipo dos dois públicos, pois o primeiro (gestores, professores e funcionários) estão presentes na Escola todos os dias, e o segundo grupo (comunidade em geral) vem à Escola, principalmente, nas reuniões de pais e em eventos especiais ao longo do ano. Dessa forma, serão elaborados convites apresentado o Projeto para cada um dos funcionários da Escola e para que cada aluno leve também para sua casa. Além disso, nas reuniões dos “Conselhos de Classe” serão repassadas informações sobre o Projeto que será executado na Escola.
  • 9. 5.1 SUGESTOES DE CONTEÚDOS E ATIVIDADES Vale destacar que o sucesso de uma proposta como essa exige esforço integrado de todos os professores, coordenadores e demais profissionais da educação, por meio de métodos interativos, integrados ao currículo, e que valorizem a saúde e promovam a cultura da paz.
  • 10. A - LINGUA PORTUGUESA • - Leitura de textos sobre saúde e qualidade de vida; • - Elaboração de redações e poesias com essa temática, • - Debates e apresentação de vídeos.
  • 11. B - MATEMÁTICA • Organizar gráficos com números de acidentes de trânsito e consumo de álcool; • - Organizar gráficos com dados de atendimentos do Corpo de Bombeiros e SAMU; • - Organizar tabelas com dados de ocorrências policiais nos dias de festas e feriados. • - Identificar os alimentos disponíveis na comunidade e seu valor nutricional; • - Calcular a quantidade de calorias na refeição (café da manhã, almoço etc.); • - Fazer cálculos do IMC (Índice de Massa Corpórea) e do IAC (Índice de Adiposidade Corpórea).
  • 12. C - QUÍMICA • - Doenças associadas à Poluição (ar, água, solo etc.). • - Radiação Nuclear (benefícios e perigos). • - Higiene dos alimentos (produção, transporte, conservação, preparo e consumo); • - Doenças associadas à ingestão de água imprópria para o consumo humano; • - Procedimentos de tratamento doméstico da água.
  • 13. D – BIOLOGIA • - Plantas e animais perigosos ao Homem; • - Produção de remédios; • - Produção de vacinas e soros; • - Males do consumo excessivo de remédios; • - Males do consumo de drogas; • - Risco do consumo de álcool e cigarro durante a gravidez; • - Doenças sexualmente transmissíveis (DST) e AIDS; • - Doenças crônicas como diabetes e hipertensão arterial e câncer; • - Meio Ambiente e melhoria da qualidade de vida e saúde.
  • 14. E - HISTÓRIA • - História da produção de medicamentos; • - Epidemias e pandemias na história da humanidade; • - Doenças nas civilizações antigas (gregos, romanos, babilônios, egípcios etc.); • - Doenças associadas à falta de higiene no trato com alimentos: intoxicações, verminoses, diarreias e desidratação; medidas simples de prevenção e tratamento; • - História da Medicina no Brasil.
  • 15. F - GEOGRAFIA • - Relação entre doença e cultura; • - Medicina ocidental x medicina oriental; • - Tipos de doenças em relação ao gênero, faixa etária e raças; • - Doenças e condições socioeconômicas; • - Doenças ocupacionais; • - Patentes de medicamentos e biopirataria; • - O trabalho da Organização Mundial de Saúde (OMS).
  • 16. G – INGLÊS • - tradução de textos com a temática “saúde”; • - traduzir e comparar letras de músicas que falam de problemas de saúde física e mental; • - propor aos alunos que pesquisem artistas e músicos de língua inglesa que tiveram problemas com AIDS e com abuso de remédios, álcool e drogas.
  • 17. H - EDUCAÇÃO FÍSICA • - Adoção de postura física adequada na sala de aula e na prática de esportes; • - Doping nos esportes nacionais e internacionais; • - Prejuízos do uso de anabolizantes; • - Prejuízos do sedentarismo para a vida dos alunos.
  • 18. I - ENSINO RELIGIOSO • - a visão das religiões sobre as doenças; • - o papel das igrejas no apoio aos usuários de álcool e drogas.
  • 19. J - EDUCAÇÃO ARTÍSTICA • - Desenhos com a temática vida saudável; • - Compor músicas, no estilo “hip hop” ou “repente do nordeste”.
  • 20. 6. RECURSOS UTILIZADOS • Nesse tópico estão incluídos todos os recursos humanos, materiais e financeiros previstos para serem utilizados nas ações propostas. Destacamos que o quantitativo de tais recursos previstos pode sofrer pequenas variações ao longo da execução das ações, pois acreditamos que à medida que os resultados das primeiras ações forem chegando, conseguiremos o envolvimento de mais recursos humanos, o que, caso ocorra, certamente será favorável para a ampliação também dos recursos materiais e financeiros. • Informamos ainda que o item recursos humanos se refere apenas às pessoas que estarão executando as ações propostas, o que não inclui toda a parcela da comunidade que estará sendo atingida pelo presente Projeto. Dessa forma, não há previsão para gastos adicionais com os recursos humanos (como por exemplo, com a contratação de prestadores de serviço), pois a maioria dos profissionais que estarão sendo envolvidos já são servidores públicos da Escola ou das entidades e órgãos parceiros. Assim, os gastos financeiros só serão aplicados na produção e aquisição de recursos materiais, que estão detalhadamente descritos a seguir
  • 21. 6.1 RECURSOS HUMANOS • - Equipe pedagógica da Escola; • - Equipe administrativa da Escola; • - Representantes da Secretaria Municipal de Educação; • - Representantes da Secretaria Municipal de Assistência Social; • - Profissionais das Secretarias Municipal e Estadual de Saúde; • - Representante de Órgãos Estaduais e Federais; • - Representantes da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros; • - Representantes do Conselho Tutelar e demais Conselhos Municipais; • - Pesquisadores e professores das Universidades Federal, Estadual e Municipal. • - Representantes de Igrejas Evangélicas e Igreja Católica; • - Profissionais das Rádios, Jornais e Canais de Televisão Locais; • - Membros de ONG’s estabelecidas no município.
  • 22. 6.2 RECURSOS MATERIAIS E FINANCEIROS • - Material didático: papéis variados, lápis de cor, pincel, tinta guache, tinta plástica de cores variadas, isopor, cartolina, TNT, cola branca, fita adesiva, tesoura, cola gliter, etc.; • - Spray de cores diversas; • - Aparelho de Data Show e computador portátil; • - Equipamento de som, com caixas e microfone; • - Aparelho de DVD e televisor tela plana; • - Kits com equipamentos clínicos contendo: (1) balança eletrônica infantil; (2) estadiômetro (medidor de altura) fixo; (3) trena antropométrica; (4) esfigmomanômetro (aparelho de pressão); (5) macro modelos odontológico e conjunto de fio dental; e (6) espelho bucal e limpador de língua.
  • 23. 7. AVALIAÇÃO DAS AÇÕES DESENVOLVIDAS • A avaliação do “Projeto Saúde na Escola” irá ocorrer em todas as fases, desde seu início com os contatos e sensibilização dos parceiros, até a execução propriamente dita, que ocorrerá dentro das Unidades Escolares, e que conforme esperamos chegará a outros locais de nossa comunidade, principalmente, no ambiente familiar dos alunos e funcionários da Escola. • Na fase de implantação será verificada a aceitação do Projeto pelo público-alvo, através de estudos, reuniões com a participação efetiva de todos os participantes e voluntários. Quanto às demais metas, serão observadas de forma contínua e após a execução, verificando-se assim o cumprimento dos objetivos propostos. A equipe coordenadora do Projeto enviará um “Questionário”, conforme modelo anexo, para a Diretoria das Escolas participantes para avaliação das ações e metas propostas. • Os alunos serão observados durante todo o “Projeto Saúde na Escola”, através da observação do interesse, participação, realização das atividades, orais, escritas e práticas. Os conteúdos explorados também serão analisados pelos trabalhos e provas aplicadas em sala de aula durante cada bimestre. • Como instrumentos de avaliação serão utilizados formulários e relatórios, bem como a escolha, premiação e divulgação dos melhores trabalhos através do boletim informativo e nos veículos de comunicação da cidade (canais de TV, rádios, jornais locais etc.).
  • 24. 9. ANEXO • 9.1 MODELO DE CAMISA • 9.2 MODELO DE QUESTIONÁRIO DE • Modelo de camisa do AVALIAÇÃO DO PROJETO “Projeto Saúde na Escola”, que será usada pela equipe • Esse Questionário será de organizadores, enviado à Diretoria das colaboradores e demais Escolas participantes para participantes. avaliação das ações e metas propostas. Ressalta-se que essa avaliação se baseia no trabalho “Projeto Saúde da Escola dos CIEPS do Estado do Rio de Janeiro”.
  • 25. QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO • Nome da Escola: ________________________________ • Endereço: ______________________________________ • Diretor (a): ______________________________________ • Telefone: _______________________________________ • 1) Qual a sua concepção do “Projeto Saúde na Escola” ??? • 2) A partir da sua concepção do programa, como indicaria o seu desenvolvimento em sua unidade escolar ??? • ( ) abaixo da expectativa • ( ) de acordo com sua expectativa • ( ) acima da expectativa • Justifique: ______________________________________ • _______________________________________________ • _______________________________________________ • _______________________________________________ • 3) De acordo com as indicações abaixo, classifique as afirmações que se seguem: • 0 - insuficiente • 1 - regular • 2 - bom • 3 - muito bom • ( ) assiduidade dos membros da equipe • ( ) cumprimento do horário pelos membros da equipe • ( ) empenho da equipe em resolver problemas • ( ) cuidado da equipe com o material colocado à sua disposição • ( ) comunicação estabelecida entre a equipe e os profissionais da Escola em todos os níveis • ( ) atendimento das crianças pela equipe do “Projeto Saúde na Escola” • Local:__________________________ Data:___/___/ 2011 • _____________________ • Assinatura e carimbo
  • 26. 10. BIBLIOGRAFIA • ADORNO, R. 2008. Uso de álcool e drogas e contextos sociais da violência. SMAD, Rev. Eletrônica Saúde Mental Álcool Drog. (Ed. port.), Ribeirão Preto, volume 4, número 1. Disponível em: http://scielo.bvs- psi.org.br/scielo.php?pid=S1806-69762008000100002&script=sci_arttext • ARAÚJO, T. W.; CALAZANS, G. 2007. Prevenção das DSTs/Aids em adolescentes e jovens: brochuras de referência para os profissionais de saúde. São Paulo: Secretaria da Saúde/Coordenação Estadual de DSTs/Aids. Disponível em: http://www.crt.saude.sp.gov.br/instituicao_gprevencao_brochurashtm • AYRES, J. R. C. M. (Coord.). 2004. Adolescentes e jovens vivendo com HIV e aids: cuidado e promoção da saúde no cotidiano da equipe multidisciplinar. São Paulo: Enhancing Care Iniciative. Disponível em: http://www.msdbrazil.com/assets/hcp/diseases/aids/ManualECI.pdf • BRASIL. 1990. Lei Federal nº 8069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L8069.htm • BRASIL. 1996. Lei Federal nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes • e bases da educação nacional. Brasília (DF). Disponível em: http://www.planalto.gov.br/CCIVIL_03/LEIS/L9394.htm • BRASIL. 2007. Decreto Presidencial nº 6.286, de 5 de dezembro de 2007. Institui o Programa Saúde na Escola (PSE), com a finalidade de contribuir para a formação integral dos estudantes da rede pública de educação básica por meio de ações de prevenção, promoção e atenção à saúde. Brasília (DF). • BURBURINHO. 2011. Gibis na sala de aula. Disponível em: http://www.burburinho.com/20051029.html
  • 27. 11. AGRADECIMENTOS • Sou profundamente grato a todos os amigos e colegas que apoiaram a formatação desse “Projeto Saúde na Escola”. • Esse Projeto se inspira no trabalho de diversos profissionais, como por exemplo: (1) Sr. Osmar Rodrigues da Silva, Presidente do Centro de Recuperação de Alcoólatras (CEREAS) de Gurupi (TO); (2) Pastor Wilson Santos, Presidente do Conselho Municipal de Políticas sobre Drogas (COMAD) de Gurupi (TO); (3) Sr. Ricardo Ribeirinha, coordenador do Programa Estadual Antidrogas do Estado do Tocantins; e (4) Sra Dirce Borges, Coordenadora do Grupo Esperança Viva, ligado a Fazenda da Esperança de Palmas (TO). A essas pessoas manifesto meus sinceros agradecimentos pela inspiração e bons exemplos que proporcionam. • Esse “Projeto Saúde na Escola” é dedicado: (1) Professora Deila Magda Ferreira, responsável pelo “Projeto Sem Saúde Não Há Vida" da Escola Municipal Maria Isabel de Queiroz (CAIC), de Patrocínio (MG); e (2) equipe de profissionais do “Projeto Saúde da Escola dos CIEPS do Estado do Rio de Janeiro”.
  • 28. ALUNA:MARIA DO CARMO F. PEREIRA CURSO:INTRODUÇÃO A INFORMÁTICA PROFESSORA: VÂNIA RIO BONITO, 28 DE JUNNO DE 2012