SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 4
RELATÓRIO SIMPLIFICADO (RESQ) - UESB
Nome:
Vanessa Neres Santana
Prática no.: 06
Disciplina: Química Inorgânica Experimental II
Turma: P01
Título: Do cobre ao cobre
1 Objetivos:
1.1 Observar e estudar as propriedades do cobre.
2 Introdução:
Cobre elemento químico de símbolo Cu, encontra-se no estado sólido em temperatura ambiente.
Classificado como metal de transição, pertence ao grupo 11 (1B) da Classificação Periódica dos Elementos.
Tem uma com avermelhada, é maleável e dúctil, é bom condutor de calor e eletricidade. Somente a prata
conduz eletricidade melhor do que o cobre.
É resistente à corrosão de muito meios, ele é relativamente inerte, não é oxidado pelo oxigênio do ar,
não é atacado por ácidos diluídos como o sulfúrico e clorídrico. Mas já ocorre o contrário quando exposto ao
ar úmido, pois é oxidado superficialmente, mas isso ocorre muito lentamente formando um composto verde, e
em contato com o ácido nítrico, halogênios, amônias mais água, sulfitos.
O cobre é moderadamente abundante, sendo o vigésimo quinto elemento mais abundante em peso na
crosta terrestre, sendo a prata e o ouro mais raros. É obtido em grande escala principalmente como metal puro
e em ligas. Apresenta também uma grande importância biológica, pois é encontrado em diversas enzimas do
grupo oxidases.
Sua obtenção, comumente, é feita de alguns minérios, os mais comuns são a calcopirita (CuFeS2),
calcocita (Cu2S), carbonato básico de cobre CuCO3 . Cu(OH)2, óxido cuproso Cu2O.
O cobre tem uma função importante nas indústrias de transportes, na eletrônica, na construção, na
energia, na saúde, na produção de ligas, equipamentos químicos e farmacêuticos. Ele usado na indústria
elétrica, por causa da sua elevada condutividade, e em tubulações de água por causa de sua inércia química.
Sobre suas ligas, existem mais de 1000 tipos diferentes, como o bronze (Cu/ Zn).
Os compostos de cobre contem o elemento no estado de oxidação +1 e +2, no estado +3 raramente é
encontrado. Quando está no estado de oxidação +1 seus complexos são incolores. Os únicos composto de
Cu+
estáveis em meio aquoso são insolúveis ou estão na forma de complexos, como por exemplo, CuCl,
CuCN e CuSCN. Já o íon Cu2+
seus compostos são geralmente coloridos, as cores mais frequentes é o azul ou
o azul-esverdeado, em solução aquosa os sais de Cu2+
apresentam coloração azul-celeste devido a formação
do cátion complexo [Cu(H2O)4]2+
.
3 Materiais e Reagentes:
• Pipetas
• Erlenmeyer
• Béquer
• Papel indicador ácido-base
• Funil
• Papelfiltro
• Cobremetálico
• Soluçãodeácidonítrico6,0mol/L
• Soluçãodehidróxidodesódio6,0mol/L
• Soluçãodeácidosulfúrico3,0mol/L
• Zincometálico
4 Metodologia:
4.1 Pesou-se100mgdecobremetálico,eadicionou-seaometal2mLdesoluçãode6,0mol/Ldeácidonítrico,atetodo
ometalfoidissolvido.
4.2 Adicionou-se gota a gota, uma solução de 6,0 mol/L de hidróxido de sódio, ate que a
solução ficou básica. Observou-se o precipitado formado.
4.3 Aqueceu-se o precipitado e juntamente com a solução a 120ºC. Observou-se a
formação de um precipitado preto. Filtrou-se o precipitado obtido, descartou-se o filtrado e lavou-se
precipitado com 2,0 mL de água.
4.4 Em um béquer acrescentou-se 6,0 mL de ácido sulfúrico 3,0 mol/L e adicionou-se o
precipitado preto.Agitou-seamisturaatéquetodosólidofoidissolvido.
4.5 Acrescentou-se à solução do béquer, 800 mg de zinco metálico (em pó). Agitou-se a
mistura. Observou-se a formação de precipitado.
5 Resultados/Discussão:
5.1) Ao adicionar o ácido nítrico no béquer contendo o cobre metálico foi observado que o metal foi sendo
consumido ao longo dotempo e asolução apresentando uma coloração azul, ocorrendo também durante a reação a liberação de
umgáscastanho.
Reação do cobre metálico com o ácido nítrico
3Cu(s) + 8HNO3(aq) → 3Cu(NO3)2(aq) + 2NO(g) + 4H2O(l)
Cu(NO3)2(aq) + 6H2O(l) ↔ [Cu(H2O)6]2+
+ 2NO3
-
(aq)
Nesta reação o cobre foi oxidado passando de Cu0
para Cu+2
, e a cor azul da solução foi devido à
presença do íon complexo tetraquacuprato (II) formado após a reação do nitrato de cobre (II) que é solúvel
com a água liberada da reação. Como o cobre apresenta configuração3d10
4s1
e no estado de oxidação +2 fica
3d 9
, tendo um elétron desemparelhado seus compostos sãocoloridos,pois épossível ocorrera transição d-d,eparamagnéticos.
Ogásliberadofoi o dióxido de nitrogênio de cor castanha como pode ser observado na reação.
Ocorre também um desdobramento do nível de energia eg resultandoemumcomplexooctaédricodistorcido.
5.2) Ao adicionarmos o hidróxido de sódio na solução, contendo o íon complexo tetraquacuprato (II), ocorreu
uma reação de dupla-troca tornando o meio básico, com pH=14. Ocorrendo a formação de um precipitado
azul gelatinoso, que é o hidróxido de cobre.
Reação do Cu +II com o hidróxido de sódio
Cu2+
(aq) + NaOH(aq) → Cu(OH)2(s)↓ + Na+
(aq)
5.3) Como o excesso de hidróxido de sódio não solubiliza o hidróxido de cobre, ao aquecer esse precipitado,
pôde-se observar a formação de um precipitado preto.
Reação do hidróxido de cobre em aquecimento
Cu(OH)2(s)→CuO(s)↓ + H2O(l)
O precipitado de hidróxido de cobre foi convertido em óxido de cobre (II) devido à desidratação
do hidróxido.
5.4) Após filtrar a solução contendo o precipitado de Óxido de cobre (II), foi adicionado ácido sulfúrico ao
óxido de cobre (II) sólido, este é dissolvido, formando um sal solúvel de cor azul, a evidência desta coloração
ocorre pois em solução aquosa, ou hidratados, os sais de cobre (II) formam íon complexo tetraquacuprato (II)
[Cu(H2O)4]2+
.
Reação do óxido cobre com o ácido sulfúrico
CuO(s)+ H 2SO4(aq)→CuSO4(aq)+H 2O(l)
CuSO4(aq)+6H 2O(l)[Cu(H2O)6]2+
+ SO4
2-
5.5) Ao adicionar na solução contendo íon de Cu+2
zinco metálico foi possível observar a formação deum precipitado
granulado com um líquido sobrenadante cinza. Isso aconteceu, pois o zincoreduziuoCu+2
emCu0
devidoaomaior
potencialpadrão,sendooxidadopara+2.
Reação do zinco metálico com a solução de íon cobre (II)
Cu2+
(aq)+ Zn(s)→ Cu(s)+ Zn2+
(aq)
Essa última reação completa o ciclo, formando novamente o cobre metálico.
O ciclo de reações proposto transforma o cobre de acordo com o esquema:
Segundo a lei de Lavoisier, a massa de cobre obtida nesta reação será igual à massa de cobre inicial. O
rendimento da reação depende da extensão das reações e do grau de pureza dos reagentes e a qualidade do
procedimento.
6 Conclusões:
Com esta pratica sobre o cobre, observamos o seu ciclo que se inicia com o cobre metálico Cuo
,
sofrendo oxidação +2, passando por varias transformações de forma e cor devido aos compostos formados e
as distribuições dos elétrons no decorrer das reações.
7 Referências bibliográficas:
1. LEE, J. D.; Química Inorgânica não tão Concisa,. 5ª edição. São Paulo: Edgard Blücher, 1999.
2. VOGEL, A. I., Química Analítica Qualitativa, Tradução da 5ª Edição, São Paulo: Mestre Jou, 1981.
Local: Jequié -BA
Data: 08 de agosto de 2013
Visto professor:
Data : / /

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Compostos de coordenação
Compostos de coordenaçãoCompostos de coordenação
Compostos de coordenaçãoLarissa Cadorin
 
Reações Ácido-Base para Separação de Compostos Orgânicos
Reações Ácido-Base para Separação de Compostos OrgânicosReações Ácido-Base para Separação de Compostos Orgânicos
Reações Ácido-Base para Separação de Compostos OrgânicosLuís Rita
 
Relatorio de Química analítica Qualitativa cátions grupo II
Relatorio de Química analítica Qualitativa cátions grupo IIRelatorio de Química analítica Qualitativa cátions grupo II
Relatorio de Química analítica Qualitativa cátions grupo IIErica Souza
 
Relatório de Química Inorgânica obtenção Hidrogenio
Relatório de Química Inorgânica obtenção  HidrogenioRelatório de Química Inorgânica obtenção  Hidrogenio
Relatório de Química Inorgânica obtenção HidrogenioKarina Costa
 
Reações de Ácidos Carboxílicos e Derivados
Reações de Ácidos Carboxílicos e DerivadosReações de Ácidos Carboxílicos e Derivados
Reações de Ácidos Carboxílicos e DerivadosJosé Nunes da Silva Jr.
 
Teoria do campo cristalino
Teoria do campo cristalinoTeoria do campo cristalino
Teoria do campo cristalinoFernando Santos
 
Síntese e utilização do hexanitrocobaltato (iii) de sódio
Síntese e utilização do hexanitrocobaltato (iii) de sódioSíntese e utilização do hexanitrocobaltato (iii) de sódio
Síntese e utilização do hexanitrocobaltato (iii) de sódioCybele Sobrenome
 
Aula sobre tcc estágio a docência mestrado
Aula sobre tcc estágio a docência mestradoAula sobre tcc estágio a docência mestrado
Aula sobre tcc estágio a docência mestradoJuno Dio
 
Grupo I ao VI (Identificação de ânions)
Grupo I ao VI (Identificação de ânions)Grupo I ao VI (Identificação de ânions)
Grupo I ao VI (Identificação de ânions)Sarah Ornellas
 
Relatório Potenciometria
Relatório PotenciometriaRelatório Potenciometria
Relatório PotenciometriaLuaneGS
 
Relatório de preparação e caracterização da amônia
Relatório de preparação e caracterização da amôniaRelatório de preparação e caracterização da amônia
Relatório de preparação e caracterização da amôniaIvys Antônio
 
Relatorio da síntese da acetona
Relatorio da síntese da acetonaRelatorio da síntese da acetona
Relatorio da síntese da acetonaDouglas Lício
 
Reações de Substituição Nucleofílica e de Eliminação
Reações de Substituição Nucleofílica e de EliminaçãoReações de Substituição Nucleofílica e de Eliminação
Reações de Substituição Nucleofílica e de EliminaçãoJosé Nunes da Silva Jr.
 
Síntese de Aspirina
Síntese de AspirinaSíntese de Aspirina
Síntese de AspirinaLuís Rita
 
54302847 relatorio-acidos-bases-e-oxidos
54302847 relatorio-acidos-bases-e-oxidos54302847 relatorio-acidos-bases-e-oxidos
54302847 relatorio-acidos-bases-e-oxidosLéo Morais
 

Mais procurados (20)

Compostos de coordenação
Compostos de coordenaçãoCompostos de coordenação
Compostos de coordenação
 
Reações Ácido-Base para Separação de Compostos Orgânicos
Reações Ácido-Base para Separação de Compostos OrgânicosReações Ácido-Base para Separação de Compostos Orgânicos
Reações Ácido-Base para Separação de Compostos Orgânicos
 
Ácidos e Bases
Ácidos e BasesÁcidos e Bases
Ácidos e Bases
 
Relatorio de Química analítica Qualitativa cátions grupo II
Relatorio de Química analítica Qualitativa cátions grupo IIRelatorio de Química analítica Qualitativa cátions grupo II
Relatorio de Química analítica Qualitativa cátions grupo II
 
Reações com carbonatos e bicarbonatos
Reações com carbonatos e bicarbonatosReações com carbonatos e bicarbonatos
Reações com carbonatos e bicarbonatos
 
Relatório de Química Inorgânica obtenção Hidrogenio
Relatório de Química Inorgânica obtenção  HidrogenioRelatório de Química Inorgânica obtenção  Hidrogenio
Relatório de Química Inorgânica obtenção Hidrogenio
 
Reações de Ácidos Carboxílicos e Derivados
Reações de Ácidos Carboxílicos e DerivadosReações de Ácidos Carboxílicos e Derivados
Reações de Ácidos Carboxílicos e Derivados
 
Teoria do campo cristalino
Teoria do campo cristalinoTeoria do campo cristalino
Teoria do campo cristalino
 
Síntese e utilização do hexanitrocobaltato (iii) de sódio
Síntese e utilização do hexanitrocobaltato (iii) de sódioSíntese e utilização do hexanitrocobaltato (iii) de sódio
Síntese e utilização do hexanitrocobaltato (iii) de sódio
 
Aula sobre tcc estágio a docência mestrado
Aula sobre tcc estágio a docência mestradoAula sobre tcc estágio a docência mestrado
Aula sobre tcc estágio a docência mestrado
 
Grupo I ao VI (Identificação de ânions)
Grupo I ao VI (Identificação de ânions)Grupo I ao VI (Identificação de ânions)
Grupo I ao VI (Identificação de ânions)
 
Relatório Potenciometria
Relatório PotenciometriaRelatório Potenciometria
Relatório Potenciometria
 
Aula cations e anions via umida
Aula cations e anions via umidaAula cations e anions via umida
Aula cations e anions via umida
 
Relatório de preparação e caracterização da amônia
Relatório de preparação e caracterização da amôniaRelatório de preparação e caracterização da amônia
Relatório de preparação e caracterização da amônia
 
Estrutura cristalina
Estrutura cristalinaEstrutura cristalina
Estrutura cristalina
 
Relatorio da síntese da acetona
Relatorio da síntese da acetonaRelatorio da síntese da acetona
Relatorio da síntese da acetona
 
Reações de Substituição Nucleofílica e de Eliminação
Reações de Substituição Nucleofílica e de EliminaçãoReações de Substituição Nucleofílica e de Eliminação
Reações de Substituição Nucleofílica e de Eliminação
 
Síntese de Aspirina
Síntese de AspirinaSíntese de Aspirina
Síntese de Aspirina
 
Equilibrio de precipitação
Equilibrio de precipitaçãoEquilibrio de precipitação
Equilibrio de precipitação
 
54302847 relatorio-acidos-bases-e-oxidos
54302847 relatorio-acidos-bases-e-oxidos54302847 relatorio-acidos-bases-e-oxidos
54302847 relatorio-acidos-bases-e-oxidos
 

Semelhante a Cobre ao cobre

Elementos do bloco p
Elementos do bloco pElementos do bloco p
Elementos do bloco pVanessa Neres
 
Eletroquimica - aula de pilhas e baterias
Eletroquimica - aula de pilhas e bateriasEletroquimica - aula de pilhas e baterias
Eletroquimica - aula de pilhas e bateriasCamila Ortulan
 
Conceito de oxidação e de redução
Conceito de oxidação e de reduçãoConceito de oxidação e de redução
Conceito de oxidação e de reduçãoCelestino Silva
 
Exerc n3-1ºs-1-elementos químicos
Exerc n3-1ºs-1-elementos químicosExerc n3-1ºs-1-elementos químicos
Exerc n3-1ºs-1-elementos químicosRenata Martins
 
Lista 35 funções inorgânicas - difícil
Lista 35   funções inorgânicas - difícilLista 35   funções inorgânicas - difícil
Lista 35 funções inorgânicas - difícilColegio CMC
 
Relatório práticas inorgânicas
Relatório práticas inorgânicas Relatório práticas inorgânicas
Relatório práticas inorgânicas Kleber Moreira
 
Trabalho de inorgânica power pont 97 a 2003
Trabalho de inorgânica power pont 97 a 2003Trabalho de inorgânica power pont 97 a 2003
Trabalho de inorgânica power pont 97 a 2003edenilson m meneguel
 
A primeira pilha alessandro volta
A primeira pilha alessandro voltaA primeira pilha alessandro volta
A primeira pilha alessandro voltaEurico Agostinho
 
Quimica Inorganica - Estudo dos metais alcalinos e alcalinos-terrosos
Quimica Inorganica - Estudo dos metais alcalinos e alcalinos-terrososQuimica Inorganica - Estudo dos metais alcalinos e alcalinos-terrosos
Quimica Inorganica - Estudo dos metais alcalinos e alcalinos-terrososLucas Valente
 

Semelhante a Cobre ao cobre (20)

Elementos do bloco p
Elementos do bloco pElementos do bloco p
Elementos do bloco p
 
Experimental eletroquímica
Experimental eletroquímicaExperimental eletroquímica
Experimental eletroquímica
 
Experimental eletroquímica
Experimental eletroquímicaExperimental eletroquímica
Experimental eletroquímica
 
Eletroquimica - aula de pilhas e baterias
Eletroquimica - aula de pilhas e bateriasEletroquimica - aula de pilhas e baterias
Eletroquimica - aula de pilhas e baterias
 
PILHAS DE VOLTAS
PILHAS DE VOLTASPILHAS DE VOLTAS
PILHAS DE VOLTAS
 
Conceito de oxidação e de redução
Conceito de oxidação e de reduçãoConceito de oxidação e de redução
Conceito de oxidação e de redução
 
Nox e oxirredução
Nox e oxirreduçãoNox e oxirredução
Nox e oxirredução
 
Exerc n3-1ºs-1-elementos químicos
Exerc n3-1ºs-1-elementos químicosExerc n3-1ºs-1-elementos químicos
Exerc n3-1ºs-1-elementos químicos
 
Lista 35 funções inorgânicas - difícil
Lista 35   funções inorgânicas - difícilLista 35   funções inorgânicas - difícil
Lista 35 funções inorgânicas - difícil
 
Relatório práticas inorgânicas
Relatório práticas inorgânicas Relatório práticas inorgânicas
Relatório práticas inorgânicas
 
Trabalho de inorgânica power pont 97 a 2003
Trabalho de inorgânica power pont 97 a 2003Trabalho de inorgânica power pont 97 a 2003
Trabalho de inorgânica power pont 97 a 2003
 
A primeira pilha alessandro volta
A primeira pilha alessandro voltaA primeira pilha alessandro volta
A primeira pilha alessandro volta
 
Transformações no aquecimento de materiais v5 2013
Transformações no aquecimento de materiais v5 2013Transformações no aquecimento de materiais v5 2013
Transformações no aquecimento de materiais v5 2013
 
Quimica Inorganica - Estudo dos metais alcalinos e alcalinos-terrosos
Quimica Inorganica - Estudo dos metais alcalinos e alcalinos-terrososQuimica Inorganica - Estudo dos metais alcalinos e alcalinos-terrosos
Quimica Inorganica - Estudo dos metais alcalinos e alcalinos-terrosos
 
Aulas 31a 33 reações de deslocamento - 1º ano
Aulas 31a 33   reações de deslocamento - 1º anoAulas 31a 33   reações de deslocamento - 1º ano
Aulas 31a 33 reações de deslocamento - 1º ano
 
Questões complementares sobre reações
Questões complementares sobre reaçõesQuestões complementares sobre reações
Questões complementares sobre reações
 
Questões complementares sobre reações
Questões complementares sobre reaçõesQuestões complementares sobre reações
Questões complementares sobre reações
 
1º química
1º química1º química
1º química
 
Quimica Descritiva
Quimica DescritivaQuimica Descritiva
Quimica Descritiva
 
Resumo sal oxidos
Resumo sal oxidosResumo sal oxidos
Resumo sal oxidos
 

Cobre ao cobre

  • 1. RELATÓRIO SIMPLIFICADO (RESQ) - UESB Nome: Vanessa Neres Santana Prática no.: 06 Disciplina: Química Inorgânica Experimental II Turma: P01 Título: Do cobre ao cobre 1 Objetivos: 1.1 Observar e estudar as propriedades do cobre. 2 Introdução: Cobre elemento químico de símbolo Cu, encontra-se no estado sólido em temperatura ambiente. Classificado como metal de transição, pertence ao grupo 11 (1B) da Classificação Periódica dos Elementos. Tem uma com avermelhada, é maleável e dúctil, é bom condutor de calor e eletricidade. Somente a prata conduz eletricidade melhor do que o cobre. É resistente à corrosão de muito meios, ele é relativamente inerte, não é oxidado pelo oxigênio do ar, não é atacado por ácidos diluídos como o sulfúrico e clorídrico. Mas já ocorre o contrário quando exposto ao ar úmido, pois é oxidado superficialmente, mas isso ocorre muito lentamente formando um composto verde, e em contato com o ácido nítrico, halogênios, amônias mais água, sulfitos. O cobre é moderadamente abundante, sendo o vigésimo quinto elemento mais abundante em peso na crosta terrestre, sendo a prata e o ouro mais raros. É obtido em grande escala principalmente como metal puro e em ligas. Apresenta também uma grande importância biológica, pois é encontrado em diversas enzimas do grupo oxidases. Sua obtenção, comumente, é feita de alguns minérios, os mais comuns são a calcopirita (CuFeS2), calcocita (Cu2S), carbonato básico de cobre CuCO3 . Cu(OH)2, óxido cuproso Cu2O. O cobre tem uma função importante nas indústrias de transportes, na eletrônica, na construção, na energia, na saúde, na produção de ligas, equipamentos químicos e farmacêuticos. Ele usado na indústria elétrica, por causa da sua elevada condutividade, e em tubulações de água por causa de sua inércia química. Sobre suas ligas, existem mais de 1000 tipos diferentes, como o bronze (Cu/ Zn). Os compostos de cobre contem o elemento no estado de oxidação +1 e +2, no estado +3 raramente é encontrado. Quando está no estado de oxidação +1 seus complexos são incolores. Os únicos composto de Cu+ estáveis em meio aquoso são insolúveis ou estão na forma de complexos, como por exemplo, CuCl, CuCN e CuSCN. Já o íon Cu2+ seus compostos são geralmente coloridos, as cores mais frequentes é o azul ou o azul-esverdeado, em solução aquosa os sais de Cu2+ apresentam coloração azul-celeste devido a formação do cátion complexo [Cu(H2O)4]2+ . 3 Materiais e Reagentes: • Pipetas • Erlenmeyer • Béquer • Papel indicador ácido-base • Funil • Papelfiltro • Cobremetálico • Soluçãodeácidonítrico6,0mol/L • Soluçãodehidróxidodesódio6,0mol/L • Soluçãodeácidosulfúrico3,0mol/L • Zincometálico
  • 2. 4 Metodologia: 4.1 Pesou-se100mgdecobremetálico,eadicionou-seaometal2mLdesoluçãode6,0mol/Ldeácidonítrico,atetodo ometalfoidissolvido. 4.2 Adicionou-se gota a gota, uma solução de 6,0 mol/L de hidróxido de sódio, ate que a solução ficou básica. Observou-se o precipitado formado. 4.3 Aqueceu-se o precipitado e juntamente com a solução a 120ºC. Observou-se a formação de um precipitado preto. Filtrou-se o precipitado obtido, descartou-se o filtrado e lavou-se precipitado com 2,0 mL de água. 4.4 Em um béquer acrescentou-se 6,0 mL de ácido sulfúrico 3,0 mol/L e adicionou-se o precipitado preto.Agitou-seamisturaatéquetodosólidofoidissolvido. 4.5 Acrescentou-se à solução do béquer, 800 mg de zinco metálico (em pó). Agitou-se a mistura. Observou-se a formação de precipitado. 5 Resultados/Discussão: 5.1) Ao adicionar o ácido nítrico no béquer contendo o cobre metálico foi observado que o metal foi sendo consumido ao longo dotempo e asolução apresentando uma coloração azul, ocorrendo também durante a reação a liberação de umgáscastanho. Reação do cobre metálico com o ácido nítrico 3Cu(s) + 8HNO3(aq) → 3Cu(NO3)2(aq) + 2NO(g) + 4H2O(l) Cu(NO3)2(aq) + 6H2O(l) ↔ [Cu(H2O)6]2+ + 2NO3 - (aq) Nesta reação o cobre foi oxidado passando de Cu0 para Cu+2 , e a cor azul da solução foi devido à presença do íon complexo tetraquacuprato (II) formado após a reação do nitrato de cobre (II) que é solúvel com a água liberada da reação. Como o cobre apresenta configuração3d10 4s1 e no estado de oxidação +2 fica 3d 9 , tendo um elétron desemparelhado seus compostos sãocoloridos,pois épossível ocorrera transição d-d,eparamagnéticos. Ogásliberadofoi o dióxido de nitrogênio de cor castanha como pode ser observado na reação. Ocorre também um desdobramento do nível de energia eg resultandoemumcomplexooctaédricodistorcido. 5.2) Ao adicionarmos o hidróxido de sódio na solução, contendo o íon complexo tetraquacuprato (II), ocorreu uma reação de dupla-troca tornando o meio básico, com pH=14. Ocorrendo a formação de um precipitado azul gelatinoso, que é o hidróxido de cobre. Reação do Cu +II com o hidróxido de sódio Cu2+ (aq) + NaOH(aq) → Cu(OH)2(s)↓ + Na+ (aq) 5.3) Como o excesso de hidróxido de sódio não solubiliza o hidróxido de cobre, ao aquecer esse precipitado, pôde-se observar a formação de um precipitado preto. Reação do hidróxido de cobre em aquecimento Cu(OH)2(s)→CuO(s)↓ + H2O(l) O precipitado de hidróxido de cobre foi convertido em óxido de cobre (II) devido à desidratação do hidróxido.
  • 3. 5.4) Após filtrar a solução contendo o precipitado de Óxido de cobre (II), foi adicionado ácido sulfúrico ao óxido de cobre (II) sólido, este é dissolvido, formando um sal solúvel de cor azul, a evidência desta coloração ocorre pois em solução aquosa, ou hidratados, os sais de cobre (II) formam íon complexo tetraquacuprato (II) [Cu(H2O)4]2+ . Reação do óxido cobre com o ácido sulfúrico CuO(s)+ H 2SO4(aq)→CuSO4(aq)+H 2O(l) CuSO4(aq)+6H 2O(l)[Cu(H2O)6]2+ + SO4 2- 5.5) Ao adicionar na solução contendo íon de Cu+2 zinco metálico foi possível observar a formação deum precipitado granulado com um líquido sobrenadante cinza. Isso aconteceu, pois o zincoreduziuoCu+2 emCu0 devidoaomaior potencialpadrão,sendooxidadopara+2. Reação do zinco metálico com a solução de íon cobre (II) Cu2+ (aq)+ Zn(s)→ Cu(s)+ Zn2+ (aq) Essa última reação completa o ciclo, formando novamente o cobre metálico. O ciclo de reações proposto transforma o cobre de acordo com o esquema: Segundo a lei de Lavoisier, a massa de cobre obtida nesta reação será igual à massa de cobre inicial. O rendimento da reação depende da extensão das reações e do grau de pureza dos reagentes e a qualidade do procedimento.
  • 4. 6 Conclusões: Com esta pratica sobre o cobre, observamos o seu ciclo que se inicia com o cobre metálico Cuo , sofrendo oxidação +2, passando por varias transformações de forma e cor devido aos compostos formados e as distribuições dos elétrons no decorrer das reações. 7 Referências bibliográficas: 1. LEE, J. D.; Química Inorgânica não tão Concisa,. 5ª edição. São Paulo: Edgard Blücher, 1999. 2. VOGEL, A. I., Química Analítica Qualitativa, Tradução da 5ª Edição, São Paulo: Mestre Jou, 1981. Local: Jequié -BA Data: 08 de agosto de 2013 Visto professor: Data : / /